Translate this Page
  • Currently 2.74/5

Rating: 2.7/5 (449 votos)




ONLINE
6




Partilhe esta Página



 <!-- Go to www.addthis.com/dashboard to customize your tools -->
<script type="text/javascript" src="//s7.addthis.com/js/300/addthis_widget.js#pubid=ra-57f3fb36829d1888"></script>

 

 

  contadores de visitas 

 

Flag Counter


COMENTARIO LIVRO DE EFESIOS CAP.3 SUBSIDIO (2)
COMENTARIO LIVRO DE EFESIOS CAP.3 SUBSIDIO (2)

Comentário Completo de Matthew H.

subsidio lições adultos 

MAURICIO BERWALD ESCRITOR PROFESSOR

Efésios 3

 

Introdução

Este capítulo consiste em duas partes. I. Do relato que Paulo dá aos efésios a respeito de si mesmo, como ele foi designado por Deus para ser o apóstolo dos gentios, Efésios 3: 1-13 . II De sua oração devota e afetuosa a Deus pelos efésios, Efésios 3: 14-21. Podemos observar que tem sido muito a prática deste apóstolo misturar, com suas instruções e conselhos, intercessões e orações a Deus por aqueles a quem ele escreveu, como sabendo que todas as suas instruções e ensinamentos seriam inúteis e vãos, exceto Deus cooperou com eles e os tornou eficazes. Este é um exemplo que todos os ministros de Cristo devem copiar depois, orando sinceramente para que as operações eficazes do Espírito divino possam assistir às suas ministrações e coroá-las com sucesso.

 

Versículos 1-13

Os sofrimentos do apóstolo Nomeação de Paulo como apóstolo O trabalho de Paulo como apóstolo.   61 dC

1 Por essa causa eu, Paulo, prisioneiro de Jesus Cristo por vocês, gentios, 2 Se ouvistes a dispensação da graça de Deus que me é dada a vós, 3 Como é que, por revelação, ele me revelou o mistério (como escrevi em poucas palavras: 4) Quando você ler, poderá entender meu conhecimento no mistério de Cristo. 5 Que em outras épocas não foi divulgado aos filhos dos homens, como agora é revelado aos seus santos. apóstolos e profetas pelo Espírito 6 Para que os gentios sejam co-herdeiros e do mesmo corpo e participantes de sua promessa em Cristo pelo evangelho: 7 do qual fui feito ministro, de acordo com o dom da graça de Deus dada a pelo trabalho eficaz de seu poder. 8 A mim, que sou menos que o menor de todos os santos, esta graça é dada,os homens vêem qual é a comunhão do mistério, que desde o princípio do mundo foi escondida em Deus, que criou todas as coisas por Jesus Cristo: 10 À intenção de que agora os principados e potestades nos lugares celestiais possam ser conhecidos pelos igreja, a múltipla sabedoria de Deus, 11 De acordo com o propósito eterno que ele propôs em Cristo Jesus, nosso Senhor: 12 Em quem temos ousadia e acesso com confiança pela fé nele. 13 Portanto, desejo que não desmaieis nas minhas tribulações por vós, que é a tua glória.

 

Aqui temos o relato que Paulo dá aos efésios a respeito de si mesmo, como ele foi designado por Deus como apóstolo dos gentios.

 

  1. Podemos observar que ele os familiariza com as tribulações e sofrimentos que sofreu no exercício desse cargo, Efésios 3: 1 Efésios 3: 1Efésios 2:19 Efésios 3:14 Efésios 3: 1 Efésios 3:13 . A primeira cláusula refere-se ao capítulo anterior, e pode ser entendida por uma destas duas maneiras: - 1. " Por essa causa, - por ter pregado a doutrina contida no capítulo anterior e por afirmar que os grandes privilégios do o evangelho pertence não apenas aos judeus, mas também aos gentios crentes, embora não sejam circuncidados - por isso agora sou prisioneiro, mas prisioneiro de Jesus Cristo,como sofro em sua causa e por causa dele, e continuo seu fiel servo e o objeto de sua proteção e cuidado especiais, enquanto assim sofro por ele. "Observem, os servos de Cristo, se vierem a ser prisioneiros, são seus prisioneiros. e ele não despreza seus prisioneiros.Ele nunca pensa o pior deles pelo mau caráter que o mundo lhes dá ou pelo mau tratamento que eles encontraram nele.Paulo aderiu a Cristo, e Cristo o possuía quando ele estava na prisão. - Para você, gentiosos judeus o perseguiram e o aprisionaram porque ele era o apóstolo dos gentios e pregaram o evangelho a eles. Podemos aprender, portanto, que os fiéis ministros de Cristo devem dispensar suas verdades sagradas, por mais desagradáveis ​​que sejam para alguns e o que elas próprias possam sofrer por fazê-lo. Ou, 2. As palavras podem ser assim entendidas: - " Por essa causa, - já que você não é mais estrangeiro nem estrangeiro (como Efésios 2:19 ), mas está unido a Cristo e admitido em comunhão com sua igreja, - Eu Paulo, que sou prisioneiro de Jesus Cristo,ore para que você seja capaz de agir como se torna pessoas assim favorecidas por Deus, e fez participantes de tais privilégios. "Para esse propósito, você o encontra se expressando em Efésios 3:14 , onde, após a digressão contida nos vários versículos intervenientes, ele prossegue com o que começou em Efésios 3: 1. Observe que aqueles que receberam graça e sinalizam favores de Deus precisam de oração, para que possam melhorar e avançar, e continuar a agir como eles se tornam. E, vendo Paulo, enquanto prisioneiro, empregava-se nessas orações a Deus em favor dos efésios, devemos aprender que nenhum sofrimento em particular deve nos tornar tão solícitos quanto a nós mesmos a ponto de negligenciar os casos de outros em nossas súplicas e endereços para Deus. Ele fala novamente de seus sofrimentos: Portanto, desejo que você não desmaie na minha tribulação por você, que é a sua glória, Efésios 3:13.. Enquanto ele estava na prisão, ele sofreu muito lá e, embora tenha sido por conta deles que ele sofreu, ainda assim ele não os desanimaria ou desanimaria com isso, vendo que Deus havia feito coisas tão grandes por eles em seu ministério. Que preocupação terna estava aqui para esses efésios! O apóstolo parece ter sido mais solícito para que não se desanime e desmaie em suas tribulações do que sobre o que ele próprio suportou e, para evitar isso, ele lhes diz que seus sofrimentos eram a glória deles e que estaria longe de ser um verdadeiro desânimo. , se eles considerassem devidamente o assunto, que eles ministravam causa para eles para se gloriarem e se regozijarem, pois isso descobriu a grande estima e consideração que Deus lhes dava, pois ele não apenas enviou seus apóstolos para pregar o evangelho a eles, mas até sofrer por eles, e confirmar as verdades que eles transmitiram pelas perseguições que sofreram. Observe que não apenas os fiéis ministros de Cristo, mas também o povo deles, têm alguma causa especial de alegria e glória, quando sofrem por dispensar o evangelho.

 

II O apóstolo os informa de que Deus o nomeou para o ofício, e eminentemente o ajustou e qualificou para isso, por uma revelação especial que ele fez a ele. 1. Deus o designou para o ofício: Se você já ouviu falar da dispensação da graça de Deus, que me é dada a você, Efésios 3: 2 Efésios 3: 2 . Eles não poderiam ter ouvido falar disso e, portanto, ele não pretende falar em dúvida sobre esse assunto. Às vezes, Eige é uma partícula afirmativa, e podemos ler: Desde que você ouviu etc. Ele denomina o evangelho a graça de DeusEfésios 3: 7 Efésios 3: 6 Efésios 3: 3-5 Atos 26: 16-18 Gálatas 1:12 Efésios 3: 5aqui (como em outros lugares) porque é o dom da graça divina para os homens pecadores e todas as aberturas graciosas que ele faz, e as boas novas que ele contém, procedem da rica graça de Deus e também é o grande instrumento para as mãos do Espírito, pelas quais Deus opera a graça nas almas dos homens. Ele fala da dispensação desta graça dada a ele, ele quer dizer que ele foi autorizado e comissionado por Deus para dispensar a doutrina do evangelho, que comissão e autoridade foram dadas a ele principalmente por seu serviço aos gentios: a você. E novamente, falando do evangelho, ele diz: Do que fui feito ministro, etc., Efésios 3: 7 . Aqui, ele novamente afirma sua autoridade. Ele foi feito ministro- ele não se fez tal, não tomou para si essa honra - e foi feito de acordo com o dom da graça de Deus para ele. Deus o supriu e o equipou para sua obra e, no desempenho dela, adequadamente o ajudou com todos os dons e graças necessários, ordinários e extraordinários, e que, pela operação eficaz de seu poder,em si mesmo, mais especialmente, e também em grande número daqueles a quem ele pregava, o que significa que seus trabalhos entre eles foram bem-sucedidos. Observem: Para que Deus chama os homens, ele os ajusta e o faz com um poder onipotente. Uma operação eficaz do poder divino atende aos dons da graça divina. 2. Como Deus o designou para o cargo, ele o qualificou eminentemente, por uma revelação especial que ele lhe fez. Ele faz menção ao mistério que foi revelado e à revelação dele. (1.) O mistério revelado é que os gentios devem ser co-herdeiros, e do mesmo corpo, e participantes de sua promessa em Cristo, pelo evangelho ( Efésios 3: 6) ou seja, que eles sejam co-herdeiros com os judeus crentes da herança celestial e que sejam membros do mesmo corpo místico, sejam recebidos na igreja de Cristo e também estejam interessados ​​nas promessas do evangelho como os judeus, e particularmente nessa grande promessa do Espírito. E isso em Cristo, estando unidos a Cristo, em quem todas as promessas são sim e amém e pelo evangelho, isto é, nos tempos do evangelho, como alguns o entendem ou, pelo evangelhopregado a eles, que é o grande instrumento e meio pelo qual Deus opera fé em Cristo, como outros. Esta foi a grande verdade revelada aos apóstolos, a saber, que Deus chamaria os gentios para a salvação pela fé em Cristo, e isso sem as obras da lei. (2.) Da revelação desta verdade, ele fala, Efésios 3: 3-5. Aqui podemos observar que a coalizão de judeus e gentios na igreja evangélica era um mistério, um grande mistério, o que foi planejado no conselho de Deus diante de todos os mundos, mas o que não pôde ser totalmente entendido por muitas eras, até que a realização fosse exposta. as profecias disso. É chamado um mistério porque as várias circunstâncias e peculiaridades de que (tais como o tempo eo modo e os meios pelos quais ela deve ser efectuadas) estavam escondidos e mantidos em segredo no próprio peito de Deus, até ser um imediato revelação que ele deu a conhecer a sua servo. Ver Atos 26: 16-18 . E é chamado o mistério de Cristo porque foi revelado por ele ( Gálatas 1:12 ), e porque se relaciona muito com ele. Disso o apóstolo deu algumas dicas antes,ou um pouco antes disso, nos capítulos anteriores. Por meio do qual, quando você lê ou, como essas palavras podem ser lidas, a que comparecimento (e não basta apenas lermos as escrituras, a menos que as atendamos a elas, e considere seriamente e considere seriamente o que lemos), você pode entender meu conhecimento no mistério de Cristo , a fim de perceber como Deus o havia adaptado e qualificado para ser um apóstolo dos gentios, o que poderia ser para eles um sinal evidente de sua autoridade divina. Esse mistério, ele diz, em outras épocas não foi divulgado aos filhos dos homens, como agora é revelado a seus santos apóstolos e profetas pelo Espírito ( Efésios 3: 5), ou seja, "Não foi tão completo e claramente descoberto nas eras anteriores a Cristo, como agora é revelado aos profetas dessa era, os profetas do Novo Testamento, que são imediatamente inspirados e ensinados pelo Espírito". Observemos que a conversão do mundo gentio à fé de Cristo foi um mistério adorável, e devemos abençoar a Deus por isso. Quem imaginaria que aqueles que haviam estado tanto tempo no escuro e a uma distância tão grande seriam iluminados com a luz maravilhosa e se aproximariam? Vamos aprender, portanto, a não se desesperar com o pior, com o pior das pessoas e com o pior das nações. Nada é muito difícil para a graça divina fazer: ninguém é tão indigno, mas Deus pode, por favor, conferir-lhes grande graça.

 

III O apóstolo informa como ele foi empregado neste ofício, e isso com respeito aos gentios e a todos os homens.

 

  1. Com relação aos gentios, ele pregou a eles as riquezas insondáveis ​​de Cristo, Efésios 3: 8Efésios 3: 8 . Observe, neste versículo, quão humildemente ele fala de si mesmo e quão alto ele fala de Jesus Cristo. (1.) Quão humildemente ele fala de si mesmo: sou menos que o menor de todos os santos. São Paulo, que era o chefe dos apóstolos, chama-se menos do que o menor de todos os santos:ele quer dizer por ter sido anteriormente um perseguidor dos seguidores de Cristo. Ele era, em sua própria estima, o mínimo possível. O que pode ser menor que o mínimo? Para falar a si mesmo o mínimo possível, ele fala menos do que poderia ser. Observem: Aqueles a quem Deus avança para empregos honrosos, humilha-se e humilha-se aos seus próprios olhos e, onde Deus concede graça para ser humilde, ali ele concede toda a outra graça. Você também pode observar de que maneira diferente o apóstolo fala de si mesmo e de seu ofício. Enquanto ele amplia seu escritório, ele se rebaixa. Observe, um fiel ministro de Cristo pode ser muito humilde e pensar muito mal de si mesmo, mesmo quando pensa e fala muito alta e honrosamente de sua função sagrada. (2.) Quão alto ele fala de Jesus Cristo: As riquezas insondáveis ​​de Cristo.Existe um poderoso tesouro de misericórdia, graça e amor, depositado em Cristo Jesus, e tanto para judeus quanto para gentios. Ou, aqui, as riquezas do evangelho são mencionadas como as riquezas de Cristo: as riquezas que Cristo comprou e concede a todos os crentes. E são riquezas insondáveis, das quais não podemos encontrar o fundo, das quais a sagacidade humana nunca poderia ter descoberto, e os homens não poderiam, de outro modo, alcançar o conhecimento delas, senão por revelação. Agora era trabalho e trabalho do apóstolo pregar essas riquezas insondáveis ​​de Cristo entre os gentios: e era um favor que ele valorizava grandemente, e considerava isso uma honra indizível para ele: " A mim é dada essa graçaeste favor especial que Deus concedeu a uma criatura tão indigna como eu. "E é um favor indizível para o mundo gentio que para eles sejam pregadas as riquezas insondáveis ​​de Cristo . Embora muitos permaneçam pobres e não sejam enriquecidos com essas riquezas, no entanto, é um favor tê-los pregados entre nós, ter uma oferta deles feita a nós e, se não somos enriquecidos com eles, é culpa nossa.

 

  1. Com respeito a todos os homens, Efésios 3: 9 Efésios 3: 9 . Seus negócios e emprego eram fazer com que todos os homens vissem (publiquem e divulgassem ao mundo inteiro) qual é a comunhão do mistério (que os gentios que até então eram estranhos à igreja sejam admitidos em comunhão com ela) que desde o princípio do mundo foi escondido em Deus (mantido em segredo em seu propósito), que criou todas as coisas por Jesus Cristo: como João 1: 3 , todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nenhuma coisa foi feita. fezJoão 1: 3 Efésios 3:10 Efésios 3:11 Efésios 3:12e, portanto, não admira que ele salve os gentios e os judeus, pois ele é o Criador comum de ambos: e podemos concluir que ele é capaz de realizar o trabalho de sua redenção, visto que ele foi capaz de realizar a grande obra de criação. É verdade que tanto a primeira criação, quando Deus fez todas as coisas do nada, como a nova criação, pela qual os pecadores são feitos novas criaturas pela conversão da graça, são de Deus por Jesus Cristo. O apóstolo acrescenta: Com a intenção de que agora os principados e potestades nos lugares celestiais possam conhecer, pela igreja, a múltipla sabedoria de Deus, Efésios 3:10. Essa foi uma das coisas, entre outras, que Deus tinha em seus olhos ao revelar esse mistério: os bons anjos, que têm uma preeminência em governar os reinos e principados do mundo, e que são dotados de grande poder para executar o a vontade de Deus nesta terra (embora sua residência comum esteja no céu) pode ser informada, do que passa na igreja e é feito nela e por ela, da multiplicidade de sabedoria de Deusisto é, da grande variedade com a qual Deus sabiamente dispensa as coisas, ou de sua sabedoria manifestada nas muitas maneiras e métodos que ele toma para ordenar sua igreja nas várias eras dela, e especialmente ao receber os gentios nela. Os santos anjos, que examinam o mistério de nossa redenção por Cristo, não podiam deixar de notar esse ramo desse mistério, que entre os gentios é pregado as riquezas insondáveis ​​de Cristo. E isso está de acordo com o propósito eterno que ele propôs em Cristo Jesus, nosso Senhor, Efésios 3:11 . Alguns traduzem as palavras kata prothesin ton aionon , de acordo com a predição das idades que ele fez,& c. Então, Dr. Whitby, etc. "Na primeira das eras", diz este autor, "sua sabedoria é adequada para dar a promessa de um Salvador a um Adão caído: na segunda era para tipificar e representá-lo aos judeus em pessoas sagradas, ritos e sacrifícios. : e na era do Messias, ou na última era, para revelá-lo aos judeus e pregá-lo aos gentios ". Outros entendem, de acordo com a nossa tradução, o propósito eterno que Deus se propôs a executar em e através de Jesus Cristo, e todo o que ele fez no grande caso da redenção do homem está em cumprimento de seu decreto eterno sobre esse assunto. O apóstolo, tendo mencionado nosso Senhor Jesus Cristo, se une a ele, em quem temos ousadia e acesso com confiança pela fé nele ( Efésios 3:12) ou seja, "Por (ou através de) quem temos liberdade de abrir nossas mentes livremente para Deus, como para um Pai, e uma persuasão bem fundamentada da audiência e de aceitação com ele e isso por meio da fé que temos em ele, como nosso grande mediador e advogado ". Podemos vir com humildade ousadia para ouvir de Deus, sabendo que o terror da maldição acabou, e podemos esperar ouvir dele boas palavras e conforto. Podemos ter acesso com confiança para falar com Deus, sabendo que temos um mediador entre Deus e nós, e um advogado com o Pai.

 

Versículos 14-21

A oração do apóstolo.  61 dC

14 Por esta causa, ajoelho-me ao Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, 15 do qual toda a família no céu e na terra é nomeada, 16 que ele vos concederá, segundo as riquezas de sua glória, que seja fortalecido com poder. por seu Espírito no homem interior 17 Para que Cristo habite em seus corações pela fé que, estando enraizados e enraizados no amor, 18 Possam compreender com todos os santos qual é a largura, o comprimento, a profundidade e a altura 19 E conhecer o amor de Cristo, que ultrapassa o conhecimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus. 20 Ora, àquele que é capaz de fazer muito acima do que pedimos ou pensamos, segundo o poder que opera em nós, 21 A ele seja glória na igreja por Cristo Jesus, em todas as épocas, mundo sem fim. Amém.

 

Chegamos agora à segunda parte deste capítulo, que contém a oração devota e afetuosa de Paulo a Deus por seus amados Efésios. - Por essa causa. Isso pode ser referido aos Efésios 3:13 Efésios 3:13 imediatamente , para que você não desmaie, etc., ou melhor, o apóstolo está aqui retomando o que começou em Efésios 3: 1 , do qual ele se desviou daqueles que são interpostos. Observar,Efésios 3: 1

 

  1. A quem ele ora - a Deus, como o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, do qual vê Efésios 1: 3Efésios 1: 3 .

 

II Sua postura externa em oração, que era humilde e reverente: inclino os joelhos. Note que, quando nos aproximamos de Deus, devemos reverenciá-lo em nossos corações e expressar nossa reverência no comportamento e gesto mais adequados e adequados. Aqui, tendo mencionado Cristo, ele não pode passar sem uma cobertura honrosa de seu amor, Efésios 3:15Efésios 3:15 . A igreja universal depende do Senhor Jesus Cristo: de quem toda a família no céu e na terra é nomeada.Os judeus costumavam se gabar de Abraão como seu pai, mas agora judeus e gentios são denominados de Cristo (alguns), enquanto outros o entendem dos santos no céu, que usam a coroa da glória, e dos santos na terra que são. acontecendo na obra da graça aqui. Tanto o um como o outro formam apenas uma família, uma família e dele são chamados CRISTÃOS, como realmente são, reconhecendo sua dependência e sua relação com Cristo.

 

III O que o apóstolo pede a Deus por esses seus amigos - bênçãos espirituais, que são as melhores e as mais fervorosamente procuradas e oradas por cada um de nós, tanto para nós quanto para nossos amigos. 1. Força espiritual para o trabalho e o dever para o qual foram chamados e no qual foram empregados: Para que ele lhe conceda, de acordo com as riquezas de sua graça, ser fortalecido, etc. O homem interior é o coração ou a alma. Ser fortalecido com poder é poderosamente fortalecido, muito mais do que no momento deviam ser dotados de um alto grau de graça e de habilidades espirituais para cumprir o dever, resistir às tentações, perseguir duradouras, etc. E o apóstolo ora para que isso possa serde acordo com as riquezas de sua glória, ou de acordo com suas riquezas gloriosas - responsáveis ​​pela grande abundância de graça, misericórdia e poder que reside em Deus e é sua glória; e isso por seu Espírito, que é o trabalhador imediato da graça nas almas do povo de Deus. Observe destas coisas: que a força do Espírito de Deus no homem interior é a melhor e mais desejável força, força na alma, força da fé e de outras graças, força para servir a Deus e cumprir nosso dever e perseverar. em nosso curso cristão com vigor e alegria. E observemos ainda que, quando a obra da graça é iniciada, ela continua e continua, pelo bem-aventurado Espírito de Deus. 2. A habitação de Cristo em seus corações, Efésios 3:17 Efésios 3:17. Diz-se que Cristo habita em seu povo, pois ele está sempre presente com eles por suas influências e operações graciosas. Observe, é desejável que Cristo habite em nossos corações e se a lei de Cristo for escrita lá, e o amor de Cristo for derramado lá fora, então Cristo habita lá. Cristo é um habitante na alma de todo bom cristão. Onde seu espírito habita, ali ele incha e habita no coração pela fé, por meio do exercício contínuo da fé sobre ele. A fé abre a porta da alma, para receber a fé em Cristo o admite e se submete a ele. Pela fé, estamos unidos a Cristo e temos interesse nele. 3. A fixação de afetos piedosos e devotos na alma: Para que você esteja enraizado e fundamentado no amor,Efésios 3:18 , 19 Jó 11: 8 , 9 Efésios 3:19firmemente firmado em seu amor a Deus, o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, e a todos os santos, amados de nosso Senhor Jesus Cristo. Muitos têm um pouco de amor a Deus e a seus servos, mas é um clarão, como o crepitar de espinhos embaixo de uma panela, faz um grande barulho, mas já se foi. Devemos sinceramente desejar que boas afeições possam ser fixadas em nós, que possamos estar enraizados e fundamentados no amor. Alguns entendem que estão assentados e estabelecidos no sentido do amor de Deus por eles, o que os inspiraria com um fervor maior de amor santo a ele e uns aos outros. E quão desejável é ter um senso fixo e fixo do amor de Deus e de Cristo em nossas almas, de modo a poder dizer com o apóstolo o tempo todo: Ele me amou!Agora, a melhor maneira de conseguir isso é ter cuidado para manter um amor constante a Deus em nossas almas, isso será a evidência do amor de Deus por nós. Nós o amamos, porque ele nos amou primeiro. Para isso, ele ora: 4. Por seu conhecimento experimental do amor de Jesus Cristo. Quanto mais familiaridade tivermos com o amor de Cristo por nós, mais nosso amor será atraído por ele e por aqueles que são dele por causa dele: para que você possa compreender com todos os santos, etc. ( Efésios 3: 18,19), isto é, para entender com mais clareza e com firmeza o maravilhoso amor de Cristo por ele, que os santos entendem e acreditam em alguma medida, e entenderão mais adiante. Os cristãos não devem ter como objetivo compreender acima de todos os santos, mas contentar-se com o fato de Deus lidar com eles, como costuma fazer com aqueles que amam e temem seu nome: devemos desejar compreender com todos os santos, ter tanto conhecimento quanto os santos são permitidos. ter neste mundo. Devemos ser ambiciosos em apresentar os três primeiros, mas não em ir além do que é a medida da estatura de outros santos. Observa-se quão magnificamente o apóstolo fala do amor de Cristo. As dimensões do amor redentor são admiráveis: largura, comprimento, profundidade e altura.Ao enumerar essas dimensões, o apóstolo pretende significar a grandeza excessiva do amor de Cristo, as riquezas insondáveis ​​de seu amor, que são mais altas que o céu, mais profundas que o inferno, mais longas que a terra e mais largas que o mar, Jó 11: 8,9. Alguns descrevem os detalhes assim: Pela amplitude, podemos entender sua extensão para todas as idades, nações e fileiras de homens pelo comprimento, sua continuidade de eternidade a eternidade pela profundidade dela, sua inclinação para o condição mais baixa, com um objetivo de aliviar e salvar aqueles que se afundaram nas profundezas do pecado e da miséria por sua altura, seu direito e elevando-nos à felicidade e glória celestiais. Devemos desejar compreender esse amor: é o caráter de todos os santos que eles o fazem, pois todos têm complacência e confiança no amor de Cristo: e conhecer o amor de Cristo que ultrapassa o conhecimento, Efésios 3:19.. Se passa o conhecimento, como podemos conhecê-lo? Devemos orar e nos esforçar para saber algo, e ainda devemos cobiçar e nos esforçar para saber mais e mais, embora, após os melhores esforços, ninguém possa compreendê-lo completamente: em toda a sua extensão, ultrapassa o conhecimento. Embora o amor de Cristo possa ser mais bem percebido e conhecido pelos cristãos do que geralmente é, ainda assim não pode ser totalmente compreendido deste lado do céu. 5. Ele ora para que sejam preenchidos com toda a plenitude de Deus. É uma expressão alta: não devemos ousar usá-lo se não o encontrarmos nas escrituras. É como essas outras expressões: ser participante de natureza divina e ser perfeito como nosso Pai Celestial é perfeito.Não devemos entendê-lo de sua plenitude como Deus em si mesmo, mas de sua plenitude como um Deus em aliança conosco, como um Deus para seu povo: uma plenitude que Deus está disposto a conceder, que está disposto a preencher todos eles ao máximo de sua capacidade, e com todos aqueles dons e graças que ele vê que precisam. Pode-se dizer que aqueles que recebem graça pela graça da plenitude de Cristo são preenchidos com a plenitude de Deus, de acordo com sua capacidade, tudo o que é necessário para que cheguem ao mais alto grau de conhecimento e gozo de Deus, e toda uma conformidade para ele.

 

O apóstolo fecha o capítulo com uma doxologia, Efésios 3: 20,21 . É apropriado concluir nossas orações com louvores. Nosso abençoado Salvador nos ensinou a fazê-lo. Observe como ele descreve Deus e como ele atribui glória a ele. Ele o descreve como um Deus capaz de fazer muito acima de tudo o que pedimos ou pensamos. Existe uma plenitude inesgotável de graça e misericórdia em Deus, que as orações de todos os santos nunca podem secar. O que quer que possamos pedir, ou pensamos perguntar, ainda assim Deus é capaz de fazer mais, abundantemente mais, excessivamente abundantemente mais. Abre bem a tua boca, ainda assim ele tem meios para preenchê-la. Observe que, em nossas aplicações a Deus, devemos incentivar nossa fé, considerando sua total suficiência e poder onipotente.Efésios 3:20 , 21De acordo com o poder que opera em nós.Como se ele tivesse dito: Já tivemos uma prova desse poder de Deus, naquilo que ele fez em nós e fez por nós, tendo-nos vivificado por sua graça e convertido para si mesmo. O poder que ainda trabalha para os santos está de acordo com o poder que neles operou. Onde Deus dá sua plenitude, ele dá para experimentar seu poder. Tendo assim descrito a Deus, ele atribui glória a ele. Quando pedimos a graça de Deus, devemos dar glória a Deus. A ele seja a glória na igreja por Cristo Jesus. Ao atribuir glória a Deus, atribuímos a ele todas as excelências e perfeições, sendo a glória a refulgência e o resultado de todas elas. Observe, a sede dos louvores de Deus está na igreja. Esse pequeno aluguel de louvor que Deus recebe deste mundo é da igreja, uma sociedade sagrada constituída para a glória de Deus, todo membro em particular do qual, tanto judeus quanto gentios, concorda nessa obra de louvar a Deus. O mediador desses louvores é Jesus Cristo. Todos os dons de Deus vêm dele para nós pela mão de Cristo e todos os nossos louvores passam de nós para ele pela mesma mão. E Deus deve e será louvado assimem todas as épocas, mundo sem fim, pois ele jamais terá uma igreja para louvá-lo e jamais terá seu tributo de louvor de sua igreja. Amém. Assim seja e certamente será.

FONTE http://www.mauricioberwald.com/