Translate this Page
  • Currently 2.74/5

Rating: 2.7/5 (449 votos)




ONLINE
4




Partilhe esta Página



 <!-- Go to www.addthis.com/dashboard to customize your tools -->
<script type="text/javascript" src="//s7.addthis.com/js/300/addthis_widget.js#pubid=ra-57f3fb36829d1888"></script>

 

 

  contadores de visitas 

 

Flag Counter


JOSUÉ PREPARATIVOS PARA CONQUISTA (3)
JOSUÉ PREPARATIVOS PARA CONQUISTA (3)

 

  

                                         

 

 

PREPARATIVOS DA CONQUISTA DE JOSUÉ N.3

Comentários do púlpito

SUBSIDIO JOVENS CPAD 

MAURICIO BERWALD ESCRITOR PROFESSOR

Josué 2

Raabe E OS ESPIÕES .-

 

Josué 2: 1

 

E Josué, filho de Freira, enviou. Antes, como margem, havia enviado (veja nota em Josué 1: 2 ). Pode ter sido no exato momento em que o comando foi dado aos israelitas, pois, de acordo com uma maneira comum de falar em hebraico (ver, por exemplo, 1 Samuel 16:10 ), os três dias (versículo 22) podem incluir: o tempo todo gasto pelos espiões em sua expedição exploratória. Fora de Shittim. Literalmente, do vale das acácias. É assim chamado na íntegra em Joel 3:18 . Este lugar (chamado Abel-Shittim em Números 33:49 ), no qual os israelitas haviam permanecido por algum tempo (ver Números 25: 1 ; cf. Números 25:10 . Números 12: 1), parece ter estado nas planícies ( עַרְבֹת, veja Josué 4:13 ) de Moabe, na Jordânia, em frente a Jericó "( Números 33:48 , Números 33:49 , Números 33:50 ; Números 36:13 ; cf ( Deuteronômio 1: 5 ). Era "o longo cinturão de acácias que marca com uma linha de verdura os terraços superiores do vale". A palavra Abel, ou prado, que significa a grama alta com sua umidade suculenta, aponta para como um local refrescante de peregrinação e pastagem para rebanhos, após os cansados ​​peregrinos no deserto.A acácia, não a espinha AE gyptiaca dos antigos, a mimosa Niloticade Linnaeus, mas a acácia Seyal, uma árvore com um tufo de flor dourada, que ainda se encontra no local, madeira escura muito dura, da qual muito se fez uso no tabernáculo e seus acessórios (veja Êxodo 25: 1 -40 ; Êxodo 26: 1-37 ; Êxodo 36: 1-38 ; Êxodo 37: 1-29 ; etc). O nome Abel era comum na Palestina e é o mesmo que Abila, de onde vem Abilene ( Lucas 3: 1 ). Podemos acrescentar que em nenhum lugar foi dito que eles eramem Shittim. Descobrimos isso no número 25: 1. Essa coincidência não designada está além do poder de um inventor, e muito além do poder de um compilador que não era apenas indigno de confiança, mas tão desajeitado que ele cometeu os erros mais extraordinários no gerenciamento de seu assunto (ver nota no próximo versículo e também em Josué 1:11 ) . Dois homens. Rapazes, como nos dizem em Josué 6:23e, portanto, ativa, frota de pé, além de corajosa e prudente. Todas essas qualidades, como mostra a narrativa subsequente, eram necessárias com urgência. "O próprio Josué estava cheio do Espírito de Deus e tinha o oráculo de Deus pronto para sua direção. No entanto, agora ele vai, não ao Propiciatório para consulta, mas aos espiões. Exceto onde o que significa ordinário nos falha, não adianta apelar para a ajuda imediata de Deus; talvez não procuremos para o exterior, mas onde o portão comum está fechado.Foi prometido a Josué que a abelha passasse Israel para a terra prometida, mas ele sabia que não era seguro presumir. foi incluído cuidado nessa garantia de sucesso. O céu nos é prometido, mas não a nossa negligência, infidelidade, desobediência "(Bishop Hall). Secretamente . Literalmente,ou astúcia (o substantivo sendo usado adverbialmente), implicando o silêncio e a habilidade necessários para a tarefa. Quem sabe como silenciar possui pelo menos um dos elementos do sucesso. A necessidade de silêncio e sigilo pode ser inferida em Josué 6: 1 . Keil, no entanto, seguindo a pontuação massorética, considera "secretamente" uma referência aos israelitas e aos espiões enviados como desconhecidos ao exército, de que nenhum relatório deprimente pode diminuir a coragem deles. Jericó. "A cidade da fragrância" (de רָוַח para respirar, e no Hiphil, para cheirar um odor doce), assim chamada por sua situação no meio das palmeiras, da qual foi chamada "a cidade das palmeiras עִיר הַתְּמָרִיּם in Deuteronômio 34: 3 , 2 Crônicas 28:15 ; cf. 1:16.

O vasto palmeiral, cujas relíquias são agora lavadas ocasionalmente no Mar Vermelho, preservadas pelo sal em suas águas amargas, desapareceu. Lemos que ele ainda existe no século XII e, de fato, seus vestígios eram vistos até 1838. Uma vila suja e cheia de pobreza chamada Riha, ou Eriha, é tudo o que agora marca o local de todas essas glórias. da natureza e da arte, e as pesquisas mais cuidadosas até recentemente falharam em descobrir quaisquer restos da cidade antiga. É duvidoso que as ruínas observadas por Tristram não sejam as ruínas da cidade mais tarde soma, construídas no bairro. Bartlett, p. 452, acredita que Riha é o local de Jericó, mais tarde, nos dias de nosso Senhor, mas Tristram, com menos probabilidade, identificaria Riha com Gilgal. Ambos, no entanto, coloque o local da antiga Jericó a cerca de 1,6 km de Riha. Conder acha que sua verdadeira posição está na fonte Ain-es-Sultan. Lenormant, em seu 'Manual de História Oriental', comenta a habilidade de Josué como estrategista militar. Se ele seguiu o conselho de seu líder experiente, ou se devemos atribuir seu sucesso a orientações especiais de cima, ele certamente demonstrou as qualidades de um general consumado. "Jericó", diz Dean Stanley, "fica na entrada das principais passagens do vale do Jordão para o interior da Palestina, uma que se ramifica a sudoeste em direção a Olivet e a outra a noroeste em direção a Michmash, que comanda a região. abordagem a Ai e Betel. Era, portanto, a chave da Palestina para qualquer invasor a partir deste trimestre. " Ele ilustra por Conder acha que sua verdadeira posição está na fonte Ain-es-Sultan. Lenormant, em seu 'Manual de História Oriental', comenta a habilidade de Josué como estrategista militar. Se ele seguiu o conselho de seu líder experiente, ou se devemos atribuir seu sucesso a orientações especiais de cima, ele certamente demonstrou as qualidades de um general consumado. "Jericó", diz Dean Stanley, "fica na entrada das principais passagens do vale do Jordão para o interior da Palestina, uma que se ramifica a sudoeste em direção a Olivet e a outra a noroeste em direção a Michmash, que comanda a região. abordagem a Ai e Betel. Era, portanto, a chave da Palestina para qualquer invasor a partir deste trimestre. " Ele ilustra por Conder acha que sua verdadeira posição está na fonte Ain-es-Sultan. Lenormant, em seu 'Manual de História Oriental', comenta a habilidade de Josué como estrategista militar. Se ele seguiu o conselho de seu líder experiente, ou se devemos atribuir seu sucesso a orientações especiais de cima, ele certamente demonstrou as qualidades de um general consumado. "Jericó", diz Dean Stanley, "fica na entrada das principais passagens do vale do Jordão para o interior da Palestina, uma que se ramifica a sudoeste em direção a Olivet e a outra a noroeste em direção a Michmash, que comanda a região. abordagem a Ai e Betel. Era, portanto, a chave da Palestina para qualquer invasor a partir deste trimestre. " Ele ilustra por comenta a habilidade de Josué como estrategista militar. Se ele seguiu o conselho de seu líder experiente, ou se devemos atribuir seu sucesso a orientações especiais de cima, ele certamente demonstrou as qualidades de um general consumado. "Jericó", diz Dean Stanley, "fica na entrada das principais passagens do vale do Jordão para o interior da Palestina, uma que se ramifica a sudoeste em direção a Olivet e a outra a noroeste em direção a Michmash, que comanda a região. abordagem a Ai e Betel.

Era, portanto, a chave da Palestina para qualquer invasor a partir deste trimestre. " Ele ilustra por comenta a habilidade de Josué como estrategista militar. Se ele seguiu o conselho de seu líder experiente, ou se devemos atribuir seu sucesso a orientações especiais de cima, ele certamente demonstrou as qualidades de um general consumado. "Jericó", diz Dean Stanley, "fica na entrada das principais passagens do vale do Jordão para o interior da Palestina, uma que se ramifica a sudoeste em direção a Olivet e a outra a noroeste em direção a Michmash, que comanda a região. abordagem a Ai e Betel. Era, portanto, a chave da Palestina para qualquer invasor a partir deste trimestre. " Ele ilustra por ele certamente exibia as qualidades de um general consumado. "Jericó", diz Dean Stanley, "fica na entrada das principais passagens do vale do Jordão para o interior da Palestina, uma que se ramifica a sudoeste em direção a Olivet e a outra a noroeste em direção a Michmash, que comanda a região. abordagem a Ai e Betel. Era, portanto, a chave da Palestina para qualquer invasor a partir deste trimestre. " Ele ilustra por ele certamente exibia as qualidades de um general consumado. "Jericó", diz Dean Stanley, "fica na entrada das principais passagens do vale do Jordão para o interior da Palestina, uma que se ramifica a sudoeste em direção a Olivet e a outra a noroeste em direção a Michmash, que comanda a região. abordagem a Ai e Betel. Era, portanto, a chave da Palestina para qualquer invasor a partir deste trimestre. " Ele ilustra porChiavenna(ou a cidade principal, devido à sua situação), na Itália. Lenormant observa que, de um ponto de vista histórico comum, vale a pena notar a estratégia de Josué. Foi a prática já seguida por Napoleão e, acrescenta ele, também por Nelson, para dividir seus inimigos e esmagá-los em detalhes. Se Joshua avançasse sobre a Palestina a partir do sul, cada sucesso, como alarmado, também teria unido as várias comunidades da terra, sob seus reis separados, pela sensação de um perigo comum. Assim, cada passo adiante teria aumentado suas dificuldades e o exposto, exausto por esforços contínuos, aos ataques de novos e também a mais numerosos inimigos, em um país que se tornava cada vez mais fácil de defender e mais perigoso de atacar. Mas, atravessando o Jordão e marchando sobre Jericó, ele foi habilitado, após a captura daquela cidade, cair com toda a sua força primeiro nas cidades do sul e depois nas do norte.

 A condição política da Palestina naquela época (ver Introdução) não permitia resistência por toda a força do país sob um único líder. Uma confederação apressada dos reis do sul, depois do tratado com Gibeão, foi derrubada pelo rápido avanço de Josué e pela batalha de Bete-Boro. Com esse sucesso, ele foi livre para marchar com todo o seu exército para o norte, contra a confederação de tribos sob a liderança do rei de Hazor, a quem ele venceu na batalha decisiva de Merom. Não há indícios dados nas Escrituras de que, nessa estratégia, Josué agisse sob a orientação especial do Altíssimo. A probabilidade é que, nisso, como em todos os outros propósitos de Deus efetuados através da ação do homem, há uma mistura dos elementos divinos e humanos, e a individualidade do homem é selecionada e guiada como um instrumento do propósito de Deus, que, neste caso, era o castigo do povo cananeu e o dom da Terra Santa como uma possessão aos descendentes de Abraão. Que Josué não era indiferente aos meios humanos é mostrado por esse mesmo versículo.Em uma casa de prostitutas. Muitos comentaristas têm se esforçado para mostrar que essa palavra significa simplesmente um estalajadeiro, um escritório que, como o Dr. Adam Clarke prova longamente, costumava ser preenchido por uma mulher. Foi derivado de זוּןpara nutrir, uma raiz também encontrada no siríaco. O paraphast de Chaldee e muitos intérpretes judeus e cristãos adotaram essa interpretação, a fim, como observa Rosenmuller, "de absolvê-la de quem Cristo teve Sua origem no crime de prostituição". Mas São Mateus parece implicar exatamente o contrário. A genealogia ali contida menciona, como se tivesse um propósito definido, todas as manchas na linhagem de Cristo, conforme era apropriado para estabelecer a origem daquele que veio perdoar o pecado. Apenas três mulheres são mencionadas: Tamar, culpado de incesto; Raabe, a prostituta; e Rute, a moabita. E o LXX . render por πόρνη. Calvino chama a interpretação de "estalajadeiro" de "luta presunçosa das Escrituras". Hengstenberg também rejeita a interpretação "estalajadeiro" e mantém o direito dos espiões, que, segundo ele, foram sem dúvida escolhidos por Josué por seu bom caráter, de entrar na casa de uma mulher má por um bom propósito. Não parece que os espiões entraram na casa de Raabe com qualquer intenção maligna, mas simplesmente porque entrar na casa de uma mulher desse tipo - e mulheres desse tipo devem ter sido muito numerosas nas cidades fenícias licenciosas - teriam atraído muito menos atenção do que se eles tivessem entrado em outro. Mesmo ali, não escapou à atenção do rei, que havia sido completamente alarmado (versículo 3) pelos sucessos de Israel a leste do Jordão. Orígenes, em sua terceira homilia sobre Josué, observa que "Chamado Rahab. Orígenes (Hom. 3) vê neste nome, o que significa quarto (ver Rehoboth, Gênesis 26:22 ), o tipo da Igreja de Cristo que se estende por todo o mundo e recebe pecadores. E alojado lá. Literalmente, e deitados ali, talvez com a idéia de mentir, porque eles (o versículo 15) não passaram a noite ali.

 

Josué 2: 4

 

E a mulher levou os dois homens. A maioria dos comentaristas é de opinião que aqui, como em Josué 2: 1Josué 2: 1 , devemos prestar pelo pluperfeito. Pois, como Calvin observa, Rahab dificilmente ousaria mentir tão friamente se ela não tivesse tomado precauções para esconder seus convidados. E, portanto, ela deve ter contado uma dupla falsidade. Ela deve ter descoberto ou ter se familiarizado com suas tarefas e, portanto, "sabia de onde estavam", além de afirmar que não sabia onde estavam agora. E os escondeu. O original é notável e muito vívido. E o escondeu, ie;cada um em um lugar separado. Sem dúvida, o detalhe vem de uma testemunha ocular, de modo que, se o Livro de Josué não é uma obra contemporânea, o escritor deve ter tido acesso a algum documento contemporâneo.

 

Josué 2: 5Josué 2: 5

 

Eu não sei.Muito se tem falado sobre a falsidade de Raabe, que é pouco objetiva. O historiador sagrado simplesmente narra o fato e não faz nenhum comentário sobre ele. Mas o fato de que Raabe mais tarde se tornou esposa de Salmon, um príncipe da tribo de Judá, como a genealogia de São Mateus nos informa, mostra que nem sua falsidade nem seu modo de vida provocaram muita desaprovação entre os judeus. Nem precisa disso nos surpreender. Com Keil, não há necessidade de repudiar energicamente a afirmação de Hauff de que o autor deste livro considerava o engano de Rahab não apenas permitido, mas louvável, assim como não precisamos de escrúpulos para confessar que a traição da base de Jael teve a aprovação de Deborah e Barak. O tom de sentimento na sociedade judaica em Rahab ' O dia de hoje deve ter diferido enormemente em muitos aspectos do que se obtém em nossos dias, à luz da dispensação do Espírito. Podemos tomar, como exemplo do que era esse tom de sentimento, mesmo antes de Israel ter sido corrompido por sua permanência no Egito, a narrativa emGênesis 38: 1-30 Gênesis 38: 1-30. E podemos ter certeza de que em uma cidade fenícia o tom era muitos graus mais baixo ainda. Raabe, portanto, era sem dúvida absolutamente ignorante de que havia algum pecado, seja em seu modo de vida ou na mentira que ela contou para salvar a vida dos homens.

Ela agiu por um motivo duplo, e seu curso, tanto de pensamento quanto de ação, foi um exemplo mais surpreendente de fé e discernimento, em um que foi criado como ela fora. Ela não apenas seguiu um instinto da humanidade, numa época em que a vida humana era de pouco valor, preservando a vida dos homens que procuravam abrigo sob seu teto, mas também podia discernir nos maravilhosos sucessos de Israel a mão de um poder superior ao dos deuses a quem ela fora criada para adorar. Em sua conduta subsequente, ela traiu uma afeição por seus parentes um tanto incomum em pessoas situadas de maneira semelhante a ela.Hebreus 11:31 Hebreus 11:31 e Tiago 2:25Tiago 2:25) Pelo que foi dito, podemos aprender que, embora a fé de Raabe fosse "como um grão de mostarda", sua conduta mostrou que ela a possuía; e no dela, como em todos os casos, andar sob a luz que ela tinha era um prelúdio seguro para a posse de mais. E no que diz respeito à sua partida da verdade aqui, deve ser demonstrado, antes que ela possa ser culpada, que ela tinha alguma idéia de que a veracidade era um dever. Tal dever não parece ter sido claramente reconhecido até que Aquele que era Ele Mesmo a verdade viesse entre os homens. "Por mais que a culpa da falsidade de Raabe possa ser atenuada, parece melhor não admitir nada que possa explicar isso. Temos certeza de que Deus discriminou entre o que era bom em sua conduta e o que era ruim; recompensar o primeiro e perdoar o último. Seus pontos de vista sobre a lei divina devem ter sido extremamente obscuros e contraídos. Uma falsidade semelhante, contada por quem gosta da luz da revelação, por mais louvável que seja o motivo, certamente mereceria uma censura muito mais pesada "(Matthew Henry). Assim também Calvinoin loc ; " Vitium virtuti admistum non imputatur ".

 

Josué 2: 6Josué 2: 6

 

Mas ela os criou. Literalmente, e ela os fez subir; mas nossa versão tem muito adequadamente (ver Josué 2: 4 Josué 2: 41 Samuel 9:25 1 Samuel 9:26 2 Samuel 11: 2 2 Samuel 16:22 2 Reis 23:12 Atos 10: 9 Gênesis 22: 9 Gênesis 24: 6 ) dado o pretérito o sentido mais plausível aqui. "Dois estrangeiros, israelitas, espiões, têm um porto seguro que lhes proporcionou, mesmo entre seus inimigos, contra a proclamação de um rei." "Onde o Deus do céu não pode encontrar ou levantar amigos para Suas próprias causas e servos?" (Bp. Hall) Para o telhado da casa. Os telhados planos das casas orientais e mesmo gregas e italianas são usados ​​para todos os tipos de fins, especialmente para secar milho e outras coisas para uso doméstico (ver 1 Samuel 9:25 , 1 Samuel 9:26 ; 2 Samuel 11: 2 ; 2 Samuel 16:22; 2 Reis 23:12 . Também At 10: 9 , em que o telhado é utilizado como um local de reforma e repouso). Talos de linho. Literalmente, linho da árvore. A palavra traduzia linho, tanto da matéria-prima quanto do linho feito com ela. Aqui deve significar linho quando saído do campo; isto é, como nossa versão traduz, os caules de linho ( λινοκαλάμη , LXX ), que crescem no Egito a uma altura de três pés e pode-se presumir que atingiram uma altura não muito menor em Jericó. A palavra ַדרַד, que significa colocar em fila , é usada para a madeira sobre o altar em Gênesis 22: 9 e para o pão de mostrar em LeGênesis 24: 6 , confirma essa visão. É óbvio que isso teria formado um esconderijo mais suficiente para os fugitivos. "A fé ou a amizade não são tentadas, mas em extremidades. Mostrar o rosto dos mensageiros de Deus enquanto a face pública do Estado sorri para eles é apenas uma cortesia, é claro; mas esconder nossas próprias vidas na deles quando são perseguidos. é um ato que busca uma recompensa "(Bp. Hall).

 

Josué 2: 7Josué 2: 7

 

Para os vaus. Havia vários desses vaus. Alguém perto de Jericó (cf. 3:28 ; 12: 5 , 12: 6 ; 2 Samuel 17:22 2 Samuel 17:222 Samuel 17:24 2 Samuel 19:16 2 Samuel 19:19 2 Samuel 19:39 Gênesis 32:22 Gênesis 33:17 Josué 3:15 Josué 2:22 , 2 Samuel 17:24 ; 2 Samuel 19:16 , 2 Samuel 19:19 , 2 Samuel 19:39 ); um em Betsean, agora Beisan, conduzindo a Sucot ( 8: 4 ; cf. Gênesis 32:22 ; Gênesis 33:17. Veja Robinson, 'Biblical Researches' 2.497; Ritter, 'Geografia da Palestina'); ao lado de outros não mencionados nas Escrituras. Uma descrição vívida da travessia do Jordão nos vaus perto de Jericó pode ser encontrada na 'Terra de Israel' de Tristrain, p. 520. O vau é quase certamente o mencionado aqui, já que uma ou duas horas de viagem levaram a festa a Shittim. Esses vaus eram fáceis de atravessar, exceto quando o Jordão, como agora era o caso ( Josué 3:15 ), transbordava. Esta pode ter sido a razão pela qual os perseguidores não cruzaram os vaus, mas perseguiram os espiões até os vaus, esperando encontrar seu recuo isolado. Isso se torna mais provável pelo fato ( Josué 2:22 ) de que os perseguidores parecem ter continuado sua busca depois de deixar os vaus.

 

Josué 2: 8Josué 2: 8

 

E antes de serem estabelecidas, ie; para dormir no telhado, uma prática comum no Oriente no verão.

 

Josué 2: 9Josué 2: 9

 

Foi dado. A fé de Raabe é demonstrada por essa expressão. O que Deus quis que ela considerou como já feito. Falar do futuro como de um passado já cumprido é a linguagem usual dos profetas hebreus. Fraco, literalmente, derreta ; cf. Êxodo 15:15 Êxodo 15:15Êxodo 15:16 Deuteronômio 2:25 Deuteronômio 11:25 , Êxodo 15:16 , que se mostra assim não como uma licença poética, mas um fato sóbrio. Pois podemos pegar o futuro na passagem citada como presente e traduzir: "Todos os habitantes de Canaã se derretem; medo e pavor caem sobre eles" (cf. Deuteronômio 2:25 ; Deuteronômio 11:25 ).

 

Josué 2:10Josué 2:10

 

Pois ouvimos como o Senhor secou a água do Mar Vermelho para você. Raabe usa a palavra יְהֹוָה . Se este nome eram conhecidos por ela ou não, ela sabia o que estava representado por ele, o só Deus auto-existente (desde יהוה é claramente derivada de הָיָה ou הָוָה para ser ) , o autor de todas as coisas, visíveis e invisíveis (ver Josué 2:11 Josué 2:11Êxodo 2: 9 Êxodo 2: 5 Isaías 19: 6 Deuteronômio 2: 1-37 Deuteronômio 3: 1-29 Josué 6:21 ). O mar Vermelho. Brugsch, em sua 'História do Egito', nega que יַם־סוּף seja traduzido como 'Mar Vermelho' e afirma que esse erro do LXX . intérpretes tem sido a fonte de inúmeras interpretações errôneas. יַם־סוּףé uma palavra egípcia que significa bandeiras ou juncos, que abundam não apenas no Mar Vermelho, mas nos pântanos nas margens do Mediterrâneo, como, de fato, em todas as terras baixas. É aqui, segundo Brugsch, em um país traiçoeiro e quase intransitável, perto daquele pântano da Sérvia, "onde exércitos inteiros afundaram", que devemos procurar a passagem vitoriosa de Moisés e a destruição de Faraó e seus hospedeiro. Os סוּף ou juncos eram encontrados no Nilo, como mostra Êxodo 2: 9 , Êxodo 2: 5 (cf. Isaías 19: 6 ). Para que יַם־סוּףde maneira alguma implica necessariamente o Mar Vermelho. Por outro lado, podemos lembrar, com o Revisor de Edimburgo, que a costa da Palestina e do delta do Nilo sofreu mudanças consideráveis ​​durante o período histórico e que a terra, durante esse período, invadiu amplamente o mar . Sihon e Og. Como lemos no número 21. e Deuteronômio 2: 1-37 ; Deuteronômio 3: 1-29 . A quem vocês destruíram totalmente. Pelo contrário, dedicado à destruição total (ver Josué 6:21 ). Raabe parece estar ciente de que o extermínio dessas nações estava em cumprimento de uma sentença divina.

 

Josué 2:11Josué 2:11

 

Fundição. A palavra no hebraico é diferente da usada em Josué 2: 9 Josué 2: 9 , mas tem um significado exatamente semelhante. Não parece haver razão para que a destruição de Sihon e Og deva ter inspirado tanto terror nos corações das poderosas tribos fenícias. Mas o milagre da secagem do Mar Vermelho foi um evento de outra ordem, e eminentemente calculado para produzir tais sentimentos. Nada além de tal ocorrência poderia ter explicado a linguagem de Raabe, ou a ansiedade que a aproximação dos exércitos de Israel inspirou naquelas "cidades grandes e muradas até o céu", com seus habitantes de estatura e força gigantes. Coragem . Literalmente, espírito. A palavra רוּחַ1 Reis 10: 5parece ter sido usado no hebraico exatamente nos mesmos sentidos que a nossa palavra espírito, e também significava vento (ver 1 Reis 10: 5 ). Para o Senhor seu Deus, ele é Deus. Literalmente, para Jeová, seu Deus.Esta declaração, tendo em mente as circunstâncias da pessoa que a pronunciou, é tão notável quanto a de São Pedro: "Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo". Como Raabe alcançou esse conhecimento do nome e dos atributos de Deus, não sabemos. É certo, no entanto, que, nessas circunstâncias, seu conhecimento e discernimento espiritual são tão surpreendentes quanto os registrados nas Escrituras, e são suficientes para explicar a honra em que seu nome foi mantido, tanto na época como desde então. "Entendo aqui", diz Bp. Hall, "não apenas um discípulo de Deus, mas uma profetisa". Keil argumenta que Raabe considera Deus apenas como um dos deuses e supõe que ela não havia escapado completamente do politeísmo. Mas essa visão não parece ser confirmada pela forma de suas expressões. Devemos, nesse caso,

 

 

Josué 2: 1-12Josué 2: 1-12

 

Raabe e os espiões.

 

Três pontos exigem nossa atenção nesta narrativa. Primeiro, a conduta de Josué; segundo, dos espiões; e terceiro, de Raabe.

 

  1. A CONDUTA DE JOSUE . Aqui podemos observar que

 

  1. Ele não despreza o uso de meios. Ele estava sob a proteção especial de Deus. Deus havia prometido ( Josué 1: 5Josué 1: 5 ) que ele não o deixaria nem o abandonaria. "Ele tinha visto milagres em abundância e estava destinado a receber outras provas da presença extraordinária de Deus com ele. No entanto, ele não confia nelas, onde sua prudência e diligência são suficientes, precisamos aprender uma lição semelhante para nós mesmos -

 

(a) em nossas empresas externas,

 

(b) em nossa guerra interna.

 

Em ambos "Deus ajuda aqueles que se ajudam". Nós devemos "trabalhar nossa própria salvação", porque é "Deus que opera em nós", por meios comuns e também extraordinários. Orar a Deus por ajuda ou orientação especial, sem fazer o possível para usar os meios ao nosso alcance, exercitar nossa razão e ver Sua mão direcionadora nas circunstâncias externas de nossas vidas, é mero fatalismo. Esperar ser libertado dos pecados que assolam, vencer as tentações sem esforço de nossa parte, ter vitória sem luta, perfeição sem perseverança, é mero egoísmo e indolência.

 

  1. O uso de meios comuns, sempre que possível, é uma lei do reino de Deus. Deus pode ter escrito Seu evangelho nos céus. Ele pode ter proclamado e reproclama-lo em vozes trovejantes do céu. Ele pode fazer disso uma influência irresistível por dentro. Mas ele não. Ele usa meios humanos. Jesus Cristo, como Seu protótipo, enviou Seus discípulos dois e dois para irem diante dEle. ( Marcos 6: 7 Marcos 6: 7Mateus 10: 1 Lucas 10: 1 Mateus 4: 4 Mateus 4: 7 Lucas 4: 4 Lucas 4:12 ; está implícito em Mateus 10: 1 ; Lucas 10: 1 ). Desde então, a influência humana tem sido o meio de propagar a verdade divina. E não apenas isso, mas usar meios extraordinários quando o suficiente seria suficiente era uma sugestão do diabo, peremptoriamente rejeitada duas vezes por Jesus Cristo ( Mateus 4: 4 , Mateus 4: 7 ;Lucas 4: 4 ; Lucas 4:12 ); e isso, porque este mundo é o mundo de Deus e também o outro: razão e prudência, embora subordinadas em importância, ainda são tanto dons de Deus quanto fé.

 

II A CONDUTA DE OS ESPIÕES .

 

  1. Eles preferiram o dever à reputação. A única casa em que eles podiam entrar sem suspeitar era uma casa onde, em circunstâncias normais, seria impossível para eles irem. Portanto, os discípulos de Cristo não devem temer os comentários dos mal-intencionados quando o dever os chama a incorrer em suspeitas. Dar causa desnecessária à calúnia é um pecado: encolher-se de procurar os perdidos por medo deles é maior. Compare Boaz ( Rute 3:14 Rute 3:14Lucas 7:37 Lucas 7:38 ) com os espiões aqui, e ambos com Jesus Cristo ( Lucas 7:37 , Lucas 7:38) Ministras de religião, médicos e as mulheres cristãs mais puras não temem visitar os lugares mais baixos do vício para o bem-estar temporal ou espiritual daqueles que os habitam. É bom que suas vestes proclamem o fato de estarem em uma missão de misericórdia. Todas as precauções necessárias devem ser tomadas para preservar sua reputação. Mas muitas vezes eles terão que colocar reputação e tudo nas mãos de Deus, quando o dever exigir, e podem ter certeza de que tudo está seguro com Ele.

 

  1. Eles ficaram indiferentes a uma tarefa de extremo perigo.Assim, os mensageiros de Deus devem agora tirar suas vidas em suas mãos quando visitam os doentes, para servir seus corpos ou suas almas. O missionário enfrenta um risco semelhante quando leva para as nações selvagens as boas novas da salvação por Cristo. Se Ele os preserva vivos, eles O agradecem por Sua bondade; caso contrário, o sangue de tais mártires ainda é a semente da Igreja. Os homens fazem e ousam todos por causa da recompensa temporal da Victoria Cross. Os mensageiros de Jesus Cristo não devem estar menos dispostos a arriscar tudo o que vale a pena ter nesta vida pela Coroa Eterna. Quão rara é essa galanteria espiritual, como podemos chamá-la! No entanto, é raro apenas porque a fé genuína é rara. Acreditamos nas recompensas que podemos ver. A coroa que se desvanece excita alguns anseios, porque é de fé, não de vista.

 

  1. Eles não se expuseram de forma imprudente ao perigo. Quando Raabe pediu que eles se escondessem, eles o fizeram. Eles aceitaram de bom grado sua ajuda para deixá-los cair da parede, e seu conselho para se esconder nas cavernas das montanhas. Ao fazê-lo, eles apenas anteciparam a ordem: "Quando te perseguirem em uma cidade, fugi para outra" ( Mateus 10:23 Mateus 10:23Atos 12:17 Atos 9:25 2 Coríntios 11:33 ). Assim, São Pedro ocultou sua residência dos discípulos ( Atos 12:17 ); São Paulo foi despejado em uma cesta dos lamentos de Damasco ( Atos 9:25 ; 2 Coríntios 11:33); São Cipriano retirou-se de seu ver por um tempo para que ele ainda pudesse continuar a guiá-lo enquanto sua orientação fosse necessária. Portanto, agora, expor a vida desnecessariamente é suicídio, não santidade.

 

III A CONDUTA DE RAHAB .

 

  1. A fé dela. Isto é recomendado em Hebreus 11:31 Hebreus 11:31Josué 2: 1-24 . Foi manifestado por sua conduta, como St. James nos diz em Josué 2: 1-24 : 25. Para

 

(a) ela correu perigo agindo como agiu. Essa foi uma prova da sinceridade de sua profissão. Pois ninguém voluntariamente corre perigo pelo que não acredita. E

 

(b) a razão para ela agir como agia era a fé em Deus. Pode não ter sido uma fé forte. Certamente era uma fé que não tinha muitas vantagens. Ela poderia saber pouco sobre Jeová; mas ela reconheceu a mão dele na secagem do mar Vermelho e no desconforto de Siom e Og. Então

 

(c) o parece ter correspondido à sua luz. Ser prostituta não era uma ofensa muito grave aos olhos de um povo que considerava essa profissão consagrada ao serviço dos deuses, como era o caso da Babilônia, Síria, Chipre, Corinto e muitos outros lugares. No entanto, ela não estava ociosa, como sugerem os talos de linho, e talvez, apesar de sua vida impura, cuja culpa ela não tinha meios de realizar, ela poderia ter sido uma daquelas ( Provérbios 31:18Provérbios 31:18 ) que "procuram" lã e linho, e trabalha voluntariamente com as mãos. " E, assim, ela foi autorizada a "sentir-se diante de Deus e encontrá-lo", como outros pecadores, por seus méritos que clamaram: "Pai, perdoa-lhes, porque eles não sabem o que fazem".

 

  1. O desinteresse dela. Ela recebe os homens, sabendo o perigo em que se encontra. Ela arrisca sua vida ao invés de desistir deles. Ela cuida de toda a segurança deles por sua prudência e pelos excelentes conselhos que ela lhes dá. Como mostra a próxima seção, ela tinha uma consideração, não apenas por sua própria segurança, mas pela de seus parentes. E essa é uma prova de que ela se esforçou bastante depois de coisas melhores. Pois é sabido que nada mais amortece homens e mulheres para os impulsos mais brandos da nossa natureza, nada tem uma tendência maior de produzir crueldade e insensibilidade ao sofrimento do que a indulgência sistemática da paixão sensual.

 

  1. A falsidade dela. Como as notas demonstraram, isso era obviamente um pecado, mas no caso dela um venial. Até os teólogos cristãos consideram uma questão discutível se o que Calvino chama de mendacium officiosum, uma falsidade no (suposto) modo de dever, é permitido ou não. E embora essa casuística seja principalmente a dos teólogos católicos romanos, os protestantes duvidam que uma mentira possa não ser legalmente contada com a intenção de salvar vidas. No tempo de Raabe, a questão nunca havia surgido. A moralidade pagã e até judia mal chegara à noção de que a verdade deve ser dita em todos os casos. Sísera pediu Jael, como é óbvio, para fazer o que Rahab fez. Jônatas engana seu pai para salvar a vida de Davi, e ele não é culpado por isso ( 1 Samuel 20:28 1 Samuel 20:28, 1 Samuel 20:29 1 Samuel 20:29 ). Davi engana Aimeleque, o sacerdote ( 1 Samuel 21: 2 1 Samuel 21: 2 ). Até Eliseu parece não ter aderido à verdade estrita em 2 Reis 6:19 2 Reis 6:19 , e Geazi não é punido tanto por sua mentira quanto por aceitar um presente que seu mestre recusou. Jeremias, novamente, conta sem hesitação que a mentira Zedequias pede que ele conte ( Jeremias 38:24Jeremias 38:24 27). Como, então, Raabe deveria saber que era errado dela enganar os mensageiros do rei, a fim de salvar os espiões vivos?

 

  1. Sua traição ao seu próprio povo.Isso, em circunstâncias comuns, também teria sido um pecado. Mas aqui o motivo justifica o ato. Não foi o resultado de um mero medo servil do sucesso israelita. Isso se deve ao fato de ela reconhecer os israelitas como estando sob a proteção do Deus verdadeiro, que puniria a idolatria e a impureza dos cananeus. A resistência, ela sabia, era inútil. Jeová lhes dera a terra. Não poderia haver mal em entregar a própria vida, e a vida daqueles que lhe são queridos, do massacre em geral. Além disso, nem como conseqüência provável, nem de fato a fuga dos espiões, através de Raabe, afetou o destino de Jericó. Não como algo provável de sua ação, pois o relato dos espiões, embora pudesse fornecer a Joshua informações valiosas, não poderia provocar a queda de Jericó. Sua conduta não era como a de Efialtes em Termópilas, ou de Tarpeia em Roma. O relato dos espiões também não provocou a queda de Jericó, pois foi efetuada por meios sobrenaturais. Em conclusão, pode-se observar que Raabe foi, em certo sentido, os "primeiros frutos dos gentios". Ela foi justificada pela fé, não pelas obras, no sentido em que São Paulo usa as palavras. Isto é, sua vida anterior não a tinha concedido o favor de Deus, embora seu trabalho em salvar os espiões fosse eficaz como evidência de sua fé. Ela foi perdoada, salva, numerada entre os fiéis Israel e tornou-se uma "mãe em Israel". E como "mulher pecadora", ela era um tipo daqueles a quem Jesus Cristo veio salvar, que "mortos em ofensas e pecados, foram vivificados" pela graça e misericórdia do verdadeiro Josué,

 

HOMILIES DE R. GLOVER

 

Josué 2: 1Josué 2: 1

 

Premeditação.

 

Vamos brincar um pouco com essa palavra. Tem mais do que um bom exemplo para um comandante militar. E suas sugestões secundárias sobre o que é sábio em todos os conflitos são muitas e valiosas. Generalize a ação de Josué aqui, e isso lhe dará uma lição de prudência em todos os departamentos da vida. Vamos reunir alguns deles.

 

  1. OLHE ANTES DE SALTAR . Sempre e em toda parte o fazem. Muitas definições indicaram a diferença entre o homem e os animais inferiores. Alguém diz que o homem é um animal que pode acender uma luz; outro, um que tem linguagem; outro, um que pode formar idéias abstratas. Um pensador muito profundo nos ensinou recentemente: "O homem é um animal que sabe o que é", ou seja;isso toma nota do tempo. Talvez seja apenas uma ampliação dessa última idéia a acrescentar: o homem é um animal que pensa no amanhã. O vegetal, em seu vocabulário do tempo, conhece apenas a palavra hoje; o animal sabe ontem e hoje; só o homem vive no ontem, hoje e amanhã. Ele pertence a amanhã tanto quanto a hoje: é uma espécie de animal anfíbio, vivendo na terra seca de hoje e no elemento aquoso de amanhã. A partir de amanhã brota esperança, medo, descanso, angústia. O homem nunca é - mas sempre para ser abençoado. Esse instinto de antecipação é natural porque é necessário. Não podemos continuar sem "enviar espiões". A menos que prevamos o que está por vir, não podemos nos preparar, desfrutar ou garantir. Se avançarmos sem prever, nos sentiremos perplexos nas circunstâncias mais simples; desamparado, embora possuidor de recursos abundantes; fraco, embora dotado de força de caráter; ainda não, embora competente e resolvido. Há quem nunca pareça estar em desvantagem; eles têm seu juízo sobre eles; tenha presença de espírito para fazer o que é sábio e presença de coração para fazer o certo. Suas dificuldades acendem alegria e sempre terminam em vantagem. Há outros que se movem como um verme cortado em dois, seus poderes de raciocínio e atuação sempre ficando para trás. Uma oportunidade apenas os agita; um dever os perturba; uma dificuldade os impede de avançar mais. Todos os seus pensamentos sábios vêm na forma de resoluções que não são adotadas ou de arrependimentos que são debilitantes. A diferença entre essas duas classes de homens decorre disso. Os primeiros enviam espiões e estão preparados; os últimos não se preocupam em prever com sabedoria - são sempre, portanto, pegos de surpresa. Veja que você cuida bem. Cristo não proibiu o pensamento, mas o pensamento ansioso do amanhã. Pense em quais deveres podem surgir e prepare-se, por oração e abnegação, a força para cumpri-los. Pense nas oportunidades e prepare a clareza de visão que permitirá que você as abraça. Pense em tentações e, pela oração, proteja-se. Feliz é o homem que pode prever com tanta sabedoria que todo dever, dificuldade, perigo, como se trata, o encontra pronto. Portanto, olhe antes de saltar e envie espiões. e prepare a clareza de visão que permitirá que você os abraça. Pense em tentações e, pela oração, proteja-se. Feliz é o homem que pode prever com tanta sabedoria que todo dever, dificuldade, perigo, como se trata, o encontra pronto. Portanto, olhe antes de saltar e envie espiões. e prepare a clareza de visão que permitirá que você os abraça. Pense em tentações e, pela oração, proteja-se. Feliz é o homem que pode prever com tanta sabedoria que todo dever, dificuldade, perigo, como se trata, o encontra pronto. Portanto, olhe antes de saltar e envie espiões.

 

II SE NÃO ENVIAR ADIANTE TOO MUITOS SPIES , NOR ENVIAR OS ADIANTE TOO FAR. Aqui Josué enviou dois homens para Jericó - digamos 16 quilômetros de distância. Alguns enviam todas as suas forças para espionar, como um general que reconhece em vigor e não faz mais nada. Eles estão sempre prospectando com todos os seus poderes. Toda a sua energia é entregue à adivinhação do futuro. Razão, imaginação, consciência, todos estão envolvidos em antecipação. Eles estão tão ocupados com o amanhã que ainda têm pouca força para hoje. Josué não reconheceu em vigor, nem enviou muitos para espionar a terra. Ele envia apenas dois. Não fique sempre pensando no que está diante de você; tornar-se-á meditativa e, quando meditamos, nossa previsão é igualmente errônea e enervante; nem deixe sua alma inteira sair para o amanhã. Hoje precisa da maior parte de seus poderes. O amanhã não pode reivindicar tanto. E fazendo o trabalho de hoje bem, enquanto não o todo, ainda há nove décimos de preparação para o dia seguinte. Um pouco de reflexão, um pouco de cuidado, um pouco de preparação é a lição dos dois espiões de Josué. E se não devemos enviar muitos, também não devemos enviá-los longe demais. Josué limita seu escrutínio à luta imediata diante dele. A ponto de atacar Jericó, ele procura todas as informações que puder obter sobre isso. Deveríamos colocar um limite em nossas perspectivas. A vantagem distante deve ser excluída de nossos sonhos e o perigo remoto de nossas apreensões. O que está imediatamente diante dele é o cuidado de um homem sábio. E tomar cada estágio à medida que ele aparece e provê-lo é segurança e sabedoria. É a média de ouro entre a leviandade da indiferença e a tortura da ansiedade. Não são necessários muitos espiões, nem muito longe. um pouco de cuidado, um pouco de preparação é a lição dos dois espias de Josué. E se não devemos enviar muitos, também não devemos enviá-los longe demais. Josué limita seu escrutínio à luta imediata diante dele. A ponto de atacar Jericó, ele procura todas as informações que puder obter sobre isso. Deveríamos colocar um limite em nossas perspectivas. A vantagem distante deve ser excluída de nossos sonhos e o perigo remoto de nossas apreensões. O que está imediatamente diante dele é o cuidado de um homem sábio. E tomar cada estágio à medida que ele aparece e provê-lo é segurança e sabedoria. É a média de ouro entre a leviandade da indiferença e a tortura da ansiedade. Não são necessários muitos espiões, nem muito longe. um pouco de cuidado, um pouco de preparação é a lição dos dois espias de Josué. E se não devemos enviar muitos, também não devemos enviá-los longe demais. Josué limita seu escrutínio à luta imediata diante dele. A ponto de atacar Jericó, ele procura todas as informações que puder obter sobre isso. Deveríamos colocar um limite em nossas perspectivas. A vantagem distante deve ser excluída de nossos sonhos e o perigo remoto de nossas apreensões. O que está imediatamente diante dele é o cuidado de um homem sábio. E tomar cada estágio à medida que ele aparece e provê-lo é segurança e sabedoria. É a média de ouro entre a leviandade da indiferença e a tortura da ansiedade. Não são necessários muitos espiões, nem muito longe. nem devemos despachá-los longe demais. Josué limita seu escrutínio à luta imediata diante dele. A ponto de atacar Jericó, ele procura todas as informações que puder obter sobre isso. Deveríamos colocar um limite em nossas perspectivas. A vantagem distante deve ser excluída de nossos sonhos e o perigo remoto de nossas apreensões. O que está imediatamente diante dele é o cuidado de um homem sábio. E tomar cada estágio à medida que ele aparece e provê-lo é segurança e sabedoria. É a média de ouro entre a leviandade da indiferença e a tortura da ansiedade. Não são necessários muitos espiões, nem muito longe. nem devemos despachá-los longe demais. Josué limita seu escrutínio à luta imediata diante dele. A ponto de atacar Jericó, ele procura todas as informações que puder obter sobre isso. Deveríamos colocar um limite em nossas perspectivas. A vantagem distante deve ser excluída de nossos sonhos e o perigo remoto de nossas apreensões. O que está imediatamente diante dele é o cuidado de um homem sábio. E tomar cada estágio à medida que ele aparece e provê-lo é segurança e sabedoria. É a média de ouro entre a leviandade da indiferença e a tortura da ansiedade. Não são necessários muitos espiões, nem muito longe. A vantagem distante deve ser excluída de nossos sonhos e o perigo remoto de nossas apreensões. O que está imediatamente diante dele é o cuidado de um homem sábio. E tomar cada estágio à medida que ele aparece e provê-lo é segurança e sabedoria. É a média de ouro entre a leviandade da indiferença e a tortura da ansiedade. Não são necessários muitos espiões, nem muito longe. A vantagem distante deve ser excluída de nossos sonhos e o perigo remoto de nossas apreensões. O que está imediatamente diante dele é o cuidado de um homem sábio. E tomar cada estágio à medida que ele aparece e provê-lo é segurança e sabedoria. É a média de ouro entre a leviandade da indiferença e a tortura da ansiedade. Não são necessários muitos espiões, nem muito longe.

 

III VEJA QUE SEUS ESPIÕES SÃO ADEQUADOS PARA SUA TAREFA . Não é todo soldado que fará um batedor; para sua tarefa, são necessários resistência, recursos, frieza, ousadia, rapidez de percepção e propósito, em sua forma mais elevada. Suponho que Josué escolheu dois homens aptos; em parte porque ele viu a invasão de Canaã adiada por quarenta anos pela inaptidão dos espiões então enviados, e também porque os poucos vislumbres que temos deles mostram que eles eram o tipo certo de homem. Podemos ver que eles tinham a agilidade da juventude ( Josué 6:23 Josué 6:23 ) e a ousadia da fé ( Josué 2:24Josué 2:24 ), e sem dúvida eles tinham outras qualidades ao lado. Veja que oespiões que você envia são adequados para o trabalho deles. Algumas pessoas empregam seus desejos neste trabalho, e eles retornam com uma história mais lisonjeira do que verdadeira; alguns sua mera imaginação, que absorve tudo o que pode, pode ou vai acontecer; alguns enviam seus medos, que retratam incontáveis ​​leões no caminho, e algumas suas superstições, que lêem auspícios do bem ou presságios da má sorte nas experiências mais simples e sem sentido. Eles escolhem espiões inaptos. Se você enviar dois, quem serão eles? Do primeiro, não há dúvida - deve haver fé,pois a fé tem uma visão mais clara do que qualquer outra coisa. Vê o invisível. Ele contempla a Deus como também ao homem; vê Suas leis morais e materiais em ação; vê os elementos de esperança que Ele traz consigo em todas as cenas; é o atributo da ousadia; sempre pode encontrar ou desviar de dificuldades. Deixe a fé ter a previsão como sua carga. E se a fé deveria ser invariavelmente um dos dois espiões, a consagraçãodeve ser o outro. Espie o futuro, não apenas para conhecê-lo, mas com desejo de usá-lo. E, para esse fim, examina o futuro com os olhos da consagração, com o desejo de ver as oportunidades de fazer o bem, de crescer na graça, de honrar a Deus e de abençoar o homem. Feliz o homem que escolhe bem seus espiões, e vê com olhos confiantes a ajuda e com um propósito amoroso as oportunidades que estão diante dele. Por fim—

 

IV ENVIE SEUS ESPIÕES ATRAVÉS DA JORDÂNIA ANTES DE VOCÊ FAZER A PASSAGEM. Não é por acaso uma fantasia poética apenas que o Jordão, que divide a terra da permanência da terra do resto, foi tomado como uma imagem desse "rio sem ponte", através do qual é a melhor terra. É claro que, como todas as analogias, ela é imperfeita, pois enquanto o Israel de Deus encontra descanso na Canaã celestial, não encontra cananéia para contestar o prazer dela. Ainda assim, é um emblema sugestivo da fronteira acidentada e proibitiva além da qual é nossa terra de leite e mel. E se nossa sabedoria se exercitar examinando antecipadamente todos os estágios e se preparando para isso, certamente encontrará um motivo especial para o levantamento e a preparação para o que está do outro lado da grande linha divisória entre ele e a eternidade. Você enviou seus espiões para lá? Você sabe exatamente o tipo de experiência que está diante de você? Você poderia passar a Jordânia com confiança? Através do seu Salvador, é a entrada abundante que está esperando por você? Não confinem seus pensamentos a Shittim, por mais doce que possa ser sua sombra de acácias; mas prepare-se para o que está além, e enfrente a passagem do Jordão com pleno conhecimento e firme fé, o que garantiria seu descanso em Canaã.

 

HOMILIES DE J. WAITE

 

Josué 2: 1Josué 2: 1

 

Uma marca arrancada do fogo.

 

Esta história estranha e um tanto romântica de Raabe e os espiões forma um episódio interessante na narrativa das Escrituras. O interesse especial reside na natureza dos incidentes e no caráter do ator principal. Nada nos é dito sobre qualquer resultado definitivo da visita dos espiões que afetaram o cerco e a captura da cidade, exceto até agora, que eles aprenderam com Raabe o alarme dos habitantes ao se aproximar do exército israelense. Mostra, no entanto, que, por mais seguro que Josué possa estar, que o Senhor estava lutando ao seu lado, ele não se absteve de tomar todas as precauções adequadas para garantir a segurança e o sucesso. Deus geralmente trabalha pelo uso de meios e instrumentos, e os que tiverem mais fé viva em Seu poder de proteção e entrega, serão muito cuidadosos em colaborar com Ele em toda prudência e diligência prudentes. Talvez possamos desenvolver melhor o ensino moral dessa narrativa, mantendo em mente a conduta de Rahab. Sua distinção honrosa é que, tanto quantoconhecer,ela sozinha em toda aquela terra escura e culpada de Canaã estava disposta a reconhecer a divindade que guiava a marcha adiante dos israelitas e a recebê-los em sua herança destinada. Certas dificuldades morais foram sentidas por muitos em referência à honra dada a seu nome nas Escrituras. Seu caráter e modo de vida foram considerados uma dificuldade; foram feitas tentativas para mostrar que "prostituta" pode simplesmente significar "estalajadeiro". Mas essa interpretação não será válida. Muito do ponto e valor da narrativa depende de considerá-la como uma de uma classe na qual Cristo concedeu Sua piedade; "uma mulher que era pecadora." Sua traição a seu próprio povo é condenada; mas isso, por mais desprezível que possa ser em circunstâncias comuns, deve ser justificado com base na lealdade ao Deus de Israel. É um princípio cristão que as reivindicações de Deus são supremas sobre todas as outras reivindicações, mesmo aquelas que surgem dos laços da natureza e da nacionalidade. A falsidade dela é uma dificuldade. Não há necessidade de tentar justificar isso. Um baixo padrão moral e a pressão das circunstâncias podem atenuá-lo, mas não podem desculpar. Uma mentira deve sempre ser ofensiva para um Deus da verdade. Nenhuma casuística hábil pode corrigir esse aspecto de sua conduta. Mas ela é elogiada nas Escrituras, não por sua traição ou falsidade, mas por sua Nenhuma casuística hábil pode corrigir esse aspecto de sua conduta. Mas ela é elogiada nas Escrituras, não por sua traição ou falsidade, mas por sua Nenhuma casuística hábil pode corrigir esse aspecto de sua conduta. Mas ela é elogiada nas Escrituras, não por sua traição ou falsidade, mas por suafé ( Hebreus 11:31 Hebreus 11:31 ; Tiago 2:25Tiago 2:25 ) - pelo fato de que, ouvindo as maravilhas feitas por Jeová, ela acreditava que Ele era o único Deus verdadeiro e vivo, e por isso se comoveu a escapar da corrupção própria. condenou a cidade e lançou em seu lote com o Seu povo. As lições a seguir parecem ser sugeridas:

 

  1. OS SINAIS DOS GOD 'S GRACE PODE SER ENCONTRADO COM MENOS DE MUITO improvável CONDIÇÕES. Aqui está um brilho de luz no meio das trevas pagãs; uma suscetibilidade a impressões divinas onde isso poderia ser menos esperado. O relatório dos sucessos de Israel dificilmente o teria produzido. Nela, esse relato despertou a fé e o desejo de uma vida mais pura, mas nos vizinhos apenas despertou a imprudência do desespero. Comoveu-a a buscar a libertação: isso os tornava apenas mais maduros para o seu destino. Por que essa diferença? Traçamos aqui a operação secreta desse Espírito do Senhor que prepara as almas dos homens para maiores revelações da verdade. Deus direcionou os espiões para a casa dela, porque Ele primeiro colocou no coração dela para recebê-los gentilmente. Assim, entre os mais vis e os mais degradados, pode haver possibilidades latentes de bem que só precisam do incentivo externo para evocá-las. Deus geralmente está mais próximo dos homens, e eles estão mais próximos do "reino" do que supomos. Aquele que veio "buscar e salvar o que estava perdido" tornou-se o "amigo dos publicanos e pecadores", não apenas porque eles mais precisavam dEle, mas porque Ele viu que eles estavam mais prontos para recebê-Lo. Sua palavra despertou um eco em seus corações, quando orgulhosos corações farisaicos estavam irremediavelmente fechados contra ela. Ele descobriu e acelerou germes de uma vida melhor em meio à corrupção e à morte. Isso despertou esperança na região de desespero. Aos governantes satisfeitos do povo, Ele disse: "Os publicanos e as prostitutas entram no reino de Deus diante de você". não apenas porque eles mais precisavam dEle, mas porque Ele viu que eles estavam mais prontos para recebê-Lo. Sua palavra despertou um eco em seus corações, quando orgulhosos corações farisaicos estavam irremediavelmente fechados contra ela. Ele descobriu e acelerou germes de uma vida melhor em meio à corrupção e à morte. Isso despertou esperança na região de desespero. Aos governantes satisfeitos do povo, Ele disse: "Os publicanos e as prostitutas entram no reino de Deus diante de você". não apenas porque eles mais precisavam dEle, mas porque Ele viu que eles estavam mais prontos para recebê-Lo. Sua palavra despertou um eco em seus corações, quando orgulhosos corações farisaicos estavam irremediavelmente fechados contra ela. Ele descobriu e acelerou germes de uma vida melhor em meio à corrupção e à morte. Isso despertou esperança na região de desespero. Aos governantes satisfeitos do povo, Ele disse: "Os publicanos e as prostitutas entram no reino de Deus diante de você".

 

II O ARREPENDIMENTO PODE TRANSFORMAR UMA VIDA DE PECADO E VERGONHA EM UMA DE HONRA E RENOVA . O pecado de Raabe foi perdoado assim que seu coração se voltou para o Senhor. Há um lugar para ela na comunidade de Israel. Sua fé salvou não apenas a si mesma, mas toda a sua casa (versículos 12, 18). Tornou-se esposa de Salmon, mãe de Boaz, e, portanto, ancestral de Davi e de Cristo ( Mateus 1: 5 Mateus 1: 5 , Mateus 1: 6Mateus 1: 6) Uma sugestão sugestiva de como a graça de Deus pode "enxertar a oliveira selvagem entre os ramos naturais" e torná-la abundantemente frutífera para Seu louvor. Não apenas apaga a censura do passado, mas desenvolve a partir de um futuro rico e glorioso. Faculdades que foram desperdiçadas a serviço do pecado tornam-se instrumentos eficazes de justiça. A história da Igreja está cheia de exemplos. Como no caso de Saulo de Tarso, em casos menos conspícuos, Deus muitas vezes entrou nas fileiras do inimigo e trouxe deles troféus vivos de Seu poder, que desde então serviram nobremente à causa que uma vez destruíram.

 

III A RECOMPENSA DE GENEROSO trustfulness. É notável que essa mulher cananéia tivesse tanta confiança na santidade de uma promessa e juramento (versículo 12). É significativo os princípios eternos consagrados no coração do homem, que as condições mais degradantes não podem obliterar completamente. Observe aqui, não apenas uma Providência Divina, mas uma lei da natureza humana. Há confiança de ambos os lados. A mulher encontra os espiões com generosa bondade, tira sua vida sob sua proteção e eles, em troca, mantêm a guarda sagrada e guardam a dela. É uma lição valiosa para todos os tempos. "Com que medida você encontra" etc .; "Bem-aventurados os misericordiosos", etc. A alma confiante é confiável. Amor gera amor. "Para um homem bom, alguns ousariam morrer." Qualquer qualidade nobre que você aprecie e praticamente exemplifique tem poder para despertar algo semelhante a ele nos outros.

 

IV IN THE LIBERTAÇÃO DE ESTE cananeu FAMÍLIA DE THE DESTRUCTION OF THE CONDENADO CIDADE QUE VER A TIPO DE EVANGELHO SALVAÇÃO. Os Padres, como sempre, levaram o princípio a um extremo extravagante no uso desses incidentes. Mas as características gerais da analogia são claras demais para serem ignoradas. O resgate de Raabe e seus parentes é certamente pouco profético da reunião de uma Igreja redimida fora do mundo gentio; e no "cordão escarlate", o sinal da aliança e os meios de libertação, mal podemos ajudar a ver uma sugestão do sangue da páscoa e do "sangue da cruz". Quão abençoada é a segurança daqueles que estão sob a proteção daquele sinal sagrado, do "verdadeiro sinal!" No "dia da ira e da revelação do justo julgamento de Deus", com que alegria elevarão a cabeça, sabendo que sua "redenção se aproxima". - W.

 

HOMILIES DE R. GLOVER

 

Josué 2: 4Josué 2: 4

 

A prostituta Raabe.

 

Um interesse peculiar sempre se vinculou ao caso dessa mulher. Das nações condenadas com as quais Israel entrou em colisão, ela é a primeira a ser conhecida e a primeira a escapar da condenação que lhes foi ordenada: um tipo inicial do chamado dos gentios; um sussurro de que a fé que era um segredo sagrado para Israel ainda se tornaria a herança do mundo; um estudo para os primeiros teólogos sobre a graça soberana de Deus, que pode afastar os mais distantes e torná-los vasos de Sua graça e misericórdia. Enquanto os teólogos aprendiam caridade e esperança com sua experiência, o historiador e o patriota olhavam para trás com pouco menos interesse para ela, como aquele cujo serviço simples e hospitalidade feminina eram uma benção nacional. No momento em que as dificuldades e os perigos do roubo eram evidentes, quando o povo mais corajoso pode ter diminuído de um encontro com esses inimigos, a saudação de Raabe os animava. Como o sonho dos midianitas do bolo de pão de cevada que animava Gideão, o reconhecimento dessa mulher ao Deus de Israel e a previsão de seu sucesso foram uma inspiração. "Um copo de água fria", dado em nome de Jeová, seu ato revigorou uma nação. E assim seu nome, livre da desonra que se apegara a ele, foi inscrito entre os dignos que mereciam o bem de Israel. E todos os pensativos, quer se interessassem por credos ou por país, ficaram contentes em notar que "uma grande recompensa" lhe foi dada pelo Deus sob cujas asas ela havia confiado. A libertação de si mesma, de sua família; um casamento nobre, uma descendência real - estes eram habitados pelos devotos de Israel, como exemplos do que todos podem esperar e que viveram para o serviço do Senhor. Vamos considerar a história dela.

 

  1. O ACORDO DE THE SOUL. Houve uma tentativa de tirar o estigma que, para apontar as maravilhas da graça, todos os séculos lhe haviam associado. Uma das primeiras versões das Escrituras Judaicas traduz a palavra que descreve seu chamado - estalajadeiro. E um comentarista (Adam Clarke) mostra que as mulheres eram as tabernas na Grécia e no Egito nos tempos antigos; e aponta muitos itens na narrativa que se comportariam com essa visão. Aderimos mais estritamente à letra e ao espírito da narrativa quando aceitamos a tradução usual e procuramos mitigar sua má reputação em outras considerações menos questionáveis. É certo lembrar que entre seu próprio povo, provavelmente, não havia estigma no nome; que ela era provavelmente uma sacerdotisa da Vênus fenícia, como as sacerdotisas de Bhowani, na Índia, hoje em dia, consagradas à deusa; ela era trabalhadora, apegada aos seus parentes e aparentemente tratada com respeito por seu povo. Mas, aplicando essas considerações para modificar a repulsa que toda mente pura sente pelo nome que lhe foi dado, ainda não podemos deixar de sentir que existe um vasto abismo entre Raabe como ela havia sido e o Rahab que pode dizer: "Jeová, seu Deus, Ele é Deus no céu acima e na terra abaixo. " Uma fé anterior - pois os pagãos têm fé - havia desaparecido; em questionamentos severos e terríveis, ele se desfez e derreteu; um novo Deus ressuscitou em sua alma; uma divindade da indulgência afundou no desrespeito ao verdadeiro arrependimento, e ainda não podemos deixar de sentir que existe um vasto abismo entre Raabe como ela havia sido e o Rahab que pode dizer: "Jeová, seu Deus, Ele é Deus no céu acima e na terra abaixo". Uma fé anterior - pois os pagãos têm fé - havia desaparecido; em questionamentos severos e terríveis, ele se desfez e derreteu; um novo Deus ressuscitou em sua alma; uma divindade da indulgência afundou no desrespeito ao verdadeiro arrependimento, e ainda não podemos deixar de sentir que existe um vasto abismo entre Raabe como ela havia sido e o Rahab que pode dizer: "Jeová, seu Deus, Ele é Deus no céu acima e na terra abaixo". Uma fé anterior - pois os pagãos têm fé - havia desaparecido; em questionamentos severos e terríveis, ele se desfez e derreteu; um novo Deus ressuscitou em sua alma; uma divindade da indulgência afundou no desrespeito ao verdadeiro arrependimento, ea divindade judaica da misericórdia e do dever surgira em seu coração. Mudarmos um pensamento sobre nosso Deus por outro envolve muitas vezes um constrangimento doloroso e prolongado; mas para alguém mudar sua deusa, apesar de todos os séculos de tradição que a recomendavam - sua aceitação pelo povo e ser em Jericó um crente solitário em Jeová - tal mudança não foi feita com facilidade ou leveza, e não foi realizada , imagina-se, enquanto ela ainda seguia um curso errado. "As fontes das grandes profundezas foram destruídas", e sua alma passou pela experiência do terremoto e do fogo, antes que a pequena voz imóvel pudesse acalmá-la na fé. Esta foi uma alma acordada.Como isso aconteceu, ninguém sabe. As influências externas que se preparam para essas mudanças podem ser rastreadas, mas o "movimento" interno é profundo e sutil demais para ser visto. Jericó estava na rota de um comércio de caravanas, que ainda era realizado entre Babilônia e Egito (ver vestuário babilônico, Josué 7:21Josué 7:21) E assim ela ouvira falar de todas as maravilhas de Deus no Egito, e da "mão forte e braço poderoso" com que Ele as havia trazido. A derrubada dos habitantes de Basã e dos Amontes, o povo guerreiro - os restos de cujas cidades excitam a maravilha de todos os dias de hoje - pareceu maravilhoso demais para ser o resultado de força ou habilidade humana sem ajuda. E estes, provavelmente, começaram os pensamentos mais profundos. Mas eles apenas ocasionaram, eles não os produziram. Deve ter havido um trabalho mais profundo em andamento. A dúvida havia surgido nela sobre a divindade da Deidade que sancionava a vida que ela levava; uma sensação de que os deuses de seu país não exerciam influência santificadora ou elevadora - que eles sancionavam todas as indulgências vis, mas não inspiravam virtude; ela se cansara do mundanismo; inquieto com o desejo de um Deus puro e forte o suficiente para confiar. O Deus de Israel - que sozinho entre todas as divindades então adorava, se destacou como o Deus da ajuda e do dever - olhou em seu rosto, respirou em seu coração e ela era dele. Não devemos perder as lições desse despertar. Não devemos nos desesperar por ninguém. A alma, como o corpo, às vezes pode ser facilmente morta, mas às vezes é preciso muito matar. E dos pecados, vícios e incredulidade que ferem a alma e aparentemente não deixam chance de vida, muitas vezes ela se recupera e sua saúde volta a aparecer como a saúde de uma criança pequena. Deus pode viajar aonde nenhum professor vem, e pode entrar onde nenhuma verdade é conhecida, e pode se recomendar a corações que parecem incapazes de apreciar Seus encantos. E então aqui, sem guia, professora ou companheira, ela se eleva à luz de Deus. Você acordou assim para a grandeza, a proximidade, e as reivindicações de um Deus redentor? Observe em segundo lugar—

 

II A AÇÃO DA FÉ. Aqui não temos um tema tão fácil; pois a mistura de bem e mal, que sempre marca a ação humana, é provocativamente óbvia aqui. Com fé clara, a falsidade é misturada; com devoção a Israel, algo como traição ao seu povo. E pessoas que podem fazer acréscimos, mas não podem equilibrar contas, tendem a rejeitá-la completamente. Esquecem que a moralidade tem sua cronologia e que a santidade da verdade data da era cristã. Eles também esquecem o que deveria ser óbvio, que a acusação de não fazer tudo o que pode para salvar seu país dificilmente se encontra contra uma pessoa que tem a convicção de que seu país não pode ser salvo e que sua cidade é por seus pecados muito. Cidade de destruição; e que, ao recompensá-la, Deus recompensa, não a mentira, mas a hospitalidade, a coragem, a participação de Israel, a confissão de Seu nome; e que o que temos aqui não é o cristianismo do século XIX, mas o israelitismo incipiente. Considerando essas coisas, marque a ação da fé no caso dela. Quando essas considerações têm seu peso, é impressionante como muitas das características da fé cristã são encontradas aqui.

 

  1. Sua fé vê claramente tudo o que é necessário ver. Ela tem o olho purgado que discerne as grandes linhas nas quais Deus trabalha, e as grandes linhas nas quais nossa segurança e bem-aventurança são encontradas. A sorte e as probabilidades desaparecem da visão dela, e ela vê todas as coisas dependendo de Deus, e toda a felicidade dependendo de segui-Lo.

 

  1. Sua fé enfrenta todo perigo no caminho ou no dever. Acha que uma mulher fraca ou timorosa teria arriscado sua vida como ela? O rei estava mais próximo do que as hostes de Israel: era fácil descobrir sua falsidade; e se sim, ela morre. Mas a fé ousa o que mais nada ousa. Uma coragem moral interior é sua marca contínua e, sob o risco de vida, ela faz sua escolha.

 

  1. Sua fé a leva a lançar-se ao povo de Deus e procurar compartilhar sua fortuna.Uma fé nascida na terra leva a pessoa a se equilibrar e a se esforçar para permanecer neutra - para evitar o destino de Jericó sem se identificar com as fortunas de Israel. Mas ela diz efetivamente aos homens: "Seu povo será meu povo, e seu Deus, meu Deus". E, escondendo-os, ajudando-os a escapar, aconselhando-os a sua segurança, firmando convênio com eles, ela escolhe sua parte com o povo de Deus. Para isso, ela pode ser movida pelo medo mais do que pelo amor. E o amor é melhor que o medo. Mas o temor de Deus é infinitamente melhor que a apatia, e é o começo da sabedoria. Felizes aqueles que vêem com clareza, que se aventuram com coragem, que escolhem com a piedade do povo crente de Deus. Encolhe tu, sem risco de seguir a Cristo. Escolha a herança do povo de Deus: Sua graça, Seu perdão, Seu amor eterno. Por fim,

 

III AS RECOMPENSAS DE SUA FÉ . A fé sempre tem uma recompensa extremamente grande. Ela passa trêmula por seu ansioso caminho de paz e descanso. E aqui está. Observe como, respondendo ao funcionamento de seu coração, Deus traz Sua ajuda.

 

1 . Ela tem uma porta aberta diante dela. Não casualmente, mas pela orientação de Deus, os espiões vêm alojar-se em sua casa.

 

2 . Toda sabedoria necessária é dada onde ela tem vontade de usá-la.

 

3 . Ela é mantida a salvo dos homens de Jericó por Deus.

 

4 . Embora os incidentes milagrosos na destruição de Jericó não deixem espaço para pensar em ter ajudado, ela é salva com seu pai, mãe, irmãos e tudo o que tinha.

 

5 . Convidada de honra de Israel, ela se torna esposa do chefe da tribo de Judá, Salomon. Provavelmente ele foi um dos dois espiões, sendo Efraim e Judá as principais tribos, e os chefes das tribos escolhidos para esse trabalho.

 

6 . O filho dela era Boaz,um dos santos mais brilhantes e honoráveis ​​de Israel; sua nora, Rute, a moabita; o neto de seu neto, David; e Jesus de Nazaré tinha o sangue dela em Suas veias. Quão pouco ela sonhava com toda aquela satisfação, aquela riqueza graciosa e doce renome! E assim é sempre! Lança em tua sorte com o povo de Deus. Como eles, siga-O, sua consciência oráculo, e haverá uma bênção crescente em sua vida, uma misericórdia diversa - perdão, paz, alegria de Seu amor, esperança de Seu céu - até que seja tão excedente e abundantemente acima do que você pediu ou pensou: Sua misericórdia chegará até você, e você será "como os que sonham"; e quando outros dizem: "O Senhor fez grandes coisas por nós", seu coração responderá: "O Senhor fez grandes coisas por nós, das quais nos alegramos". - G.

 

HOMILIES DE SR ALDRIDGE

 

Josué 2: 9Josué 2: 9

 

A fé de Raabe

 

Desde o tempo em que Moisés enviou doze espias para inspecionar a terra, a fama dos israelitas se espalhou entre os habitantes de Canaã. Eles estavam em guarda, e era necessário agir com cautela. Josué enviou, portanto, apenas dois homens, e isso "secretamente". Os poucos às vezes são melhores que os muitos. Chegando a Jericó no final da tarde, entraram na casa de Raabe, lá para passar a noite. Como Raabe é honrosamente mencionada na Epístola aos Hebreus como um exemplo de "fé", e na Epístola de Tiago como uma ilustração das "obras" que resultam da fé, consideremos a fé dela na medida em que é digna de imitação.

 

  1. TI ERA UMA FÉ QUE fundamentado. Baseava-se em fatos. Ela mencionou dois eventos marcantes, a passagem do "mar de ervas daninhas" e a derrubada dos dois reis dos amorreus pela nação israelita. Destes, ela argumentou que o Deus de Israel devia ser mais poderoso do que os deuses que seu país adorava, que Ele era "Senhor no céu e na terra" e que procuraria para o seu povo a terra de Canaã. Assim, ela levou a sério as lições do passado. O preconceito é forte. Não poderia ter sido fácil renunciar à crença em suas próprias divindades e reconhecer a supremacia do Deus de um inimigo. Se os homens consultam a história, encontram nela ampla evidência de um "poder que produz a justiça". Além disso, a mão de Deus pode ser vista como o poder que sustenta a justiça. A história dos judeus é em si mesma uma testemunha da verdade e do poder de Deus. A expansão do cristianismo não pode ser explicada, exceto na suposição de que era "obra de Deus". O que as flechas mais aguçadas do ridículo e do raciocínio filosóficos levaram a cabo, que a "religião dos pescadores" logo alcançou. Libertou os homens da escravidão da idolatria mais grosseira e do pecado mais imundo. Podemos razoavelmente exigir que os homens prestem ao "Deus dos cristãos" a homenagem que lhe é devida. Pedimos apenas que eles permitam que os fatos da religião os pressionem com seu peso adequado. Os ímpios podem muito bem se sentir abatidos, pois a palha será soprada diante do vento do julgamento. "Quem está do lado do Senhor?" A expansão do cristianismo não pode ser explicada, exceto na suposição de que era "obra de Deus". O que as flechas mais aguçadas do ridículo e do raciocínio filosóficos levaram a cabo, que a "religião dos pescadores" logo alcançou. Libertou os homens da escravidão da idolatria mais grosseira e do pecado mais imundo. Podemos razoavelmente exigir que os homens prestem ao "Deus dos cristãos" a homenagem que lhe é devida. Pedimos apenas que eles permitam que os fatos da religião os pressionem com seu peso adequado. Os ímpios podem muito bem se sentir abatidos, pois a palha será soprada diante do vento do julgamento. "Quem está do lado do Senhor?" A expansão do cristianismo não pode ser explicada, exceto na suposição de que era "obra de Deus". O que as flechas mais aguçadas do ridículo e do raciocínio filosóficos levaram a cabo, que a "religião dos pescadores" logo alcançou. Libertou os homens da escravidão da idolatria mais grosseira e do pecado mais imundo. Podemos razoavelmente exigir que os homens prestem ao "Deus dos cristãos" a homenagem que lhe é devida. Pedimos apenas que eles permitam que os fatos da religião os pressionem com seu peso adequado. Os ímpios podem muito bem se sentir abatidos, pois a palha será soprada diante do vento do julgamento. "Quem está do lado do Senhor?" logo alcançado. Libertou os homens da escravidão da idolatria mais grosseira e do pecado mais imundo. Podemos razoavelmente exigir que os homens prestem ao "Deus dos cristãos" a homenagem que lhe é devida. Pedimos apenas que eles permitam que os fatos da religião os pressionem com seu peso adequado. Os ímpios podem muito bem se sentir abatidos, pois a palha será soprada diante do vento do julgamento. "Quem está do lado do Senhor?" logo alcançado. Libertou os homens da escravidão da idolatria mais grosseira e do pecado mais imundo. Podemos razoavelmente exigir que os homens prestem ao "Deus dos cristãos" a homenagem que lhe é devida. Pedimos apenas que eles permitam que os fatos da religião os pressionem com seu peso adequado. Os ímpios podem muito bem se sentir abatidos, pois a palha será soprada diante do vento do julgamento. "Quem está do lado do Senhor?"

 

II TI ERA UMA FÉ QUE LED PARA A ADOÇÃO DE PRÁTICAS MEDIDAS .

 

(a) Ela escondeu os mensageiros. Com a ingenuidade proverbial da mulher, ela os escondeu atrás dos caules de linho empilhados no telhado. Possivelmente, a lei oriental da hospitalidade teve alguma influência sobre sua conduta, mas a narrativa mostra que Raabe estava disposta a sofrer um risco presente em prol da preservação futura. Se os espiões tivessem sido detectados em sua casa, a morte era certa. Não desculpamos as falsidades que ela contou, nem são recomendadas nas Escrituras. Eles foram o resultado de seu estado degradado e uma enfermidade que foi graciosamente ignorada por causa de sua fé. Ter respeito por um bem futuro é dever de todo homem. O obstáculo no caminho de muitos é que eles não podem renunciar ao prazer presente. A religião exige que suportemos "como ver Aquele que é invisível", para "

 

(b) Ela amarrou a linha escarlate na janela. Antes de decepcionar os homens por um cordão, ela exigiu "um verdadeiro sinal" que deveria garantir sua segurança no dia do assalto. Os espias fizeram um juramento prometendo sua vida por sua segurança, mas, juntamente com o juramento, certas condições a serem cumpridas de sua parte. Aqui, novamente, Raabe é um modelo de ação apropriada. Deus se vincula por uma aliança a perdoar aos homens se eles respeitarem seus termos. Ele confirmou Sua declaração por juramento ( Hebreus 6:17 Hebreus 6:17) Mas apenas aqueles que "acreditam" que "realmente fogem para se refugiar se apegam à esperança que lhes é colocada". Os israelitas foram obrigados a espargir o sangue sobre o lintel do batente da porta, e da mesma forma o sangue de Cristo deve ser espargido em nossas consciências, se não ficarmos feridos quando o anjo destruidor passar. Nossas testas devem ser seladas ( Apocalipse 7: 8 Apocalipse 7: 8 ), mas não com a marca da besta ( Apocalipse 20: 4Apocalipse 20: 4) Para que as promessas de Deus tenham efeito, devemos observar as condições. Aqui muitos são encontrados em falta. Eles ouvem, hesitam, pensam, mas não há fé prática, nem reconhecimento real do amor de Deus, aceitando Suas ofertas graciosas. Que a "linha escarlate" seja visível imediatamente! então, no dia da peneiração, nossos interesses estarão seguros. Embora os elementos colidam por toda parte, para nós haverá "paz perfeita".

 

III UMA FÉ QUE SE IMPORTA COM O BEM-ESTAR DOS AMIGOS . A afeição natural não havia sido extinta por sua vida miserável. Sua confiança no Deus de Israel trouxe à luz mais clara seu amor por suas relações, e ela desejava a segurança deles. E como os cristãos podem desfrutar de sua salvação sem se preocupar profundamente com o estado daqueles que são queridos? Enquanto Rahab implorava proteção para seus parentes,assim os seguidores de Cristo recomendarão aos cuidados de seu Salvador aqueles a quem amam. A de Raabe era uma oração intercessora. Está relacionado a um filho burro de Croesus que quando viu um soldado prestes a matar seu pai, ele explodiu no enunciado: "O quê! Você matará Croesus?" Além disso, Raabe exigia que, quando o cerco tivesse início, ela reunisse seus amigos no abrigo de seu próprio domicílio,caso contrário, eles não poderiam ser reconhecidos e salvos. Não basta apenas suplicar a Deus em favor daqueles que amamos; Ele espera que usemos todos os esforços possíveis para sua segurança moral. Era impossível para Raabe preservar a cidade inteira. O amor ditava a ampliação de sua esfera, a prudência estabelecia limites razoáveis ​​para ela. Os habitantes sem dúvida teriam se ressentido com sua ação e conselho, e a morte teria acontecido. Não é necessário procurar justificar tudo o que Raabe fez. Estamos preocupados apenas em imitá-la, na medida em que ela nos é apresentada como modelo de fé.

 

HOMILIES DE E. DE PRESSENSE

 

Josué 2: 9Josué 2: 9

 

Raabe e os espiões.

 

A história da fuga dos espiões israelenses através da assistência de Raabe, a prostituta, e a recompensa dada a ela por seus serviços, na economia de sua vida quando todos os habitantes da cidade pereceram, é uma que apresenta muitas dificuldades morais. Ajudar os inimigos de um país é um ato severamente e justamente reprovado por todas as nações. O que em si é mau não pode ser transformado em bom, porque é feito por uma boa causa; caso contrário, devemos dar indulgência plenária à Companhia de Jesus. Devemos tomar cuidado, portanto, de exaltar a coisa errada que Raabe fez. Mas, ao mesmo tempo, devemos reconhecer que ela foi motivada por um motivo mais nobre do que o de garantir sua própria segurança. A fé no verdadeiro Deus havia tomado posse rude dessa alma ignorante. Ela ouvira falar dos milagres pelos quais Israel fora tirado do Egito e conduzido com segurança pelos perigos do deserto. Ela diz: "Ouvimos como o Senhor secou a água do Mar Vermelho para você quando você saiu do Egito, e o que fez aos dois reis dos amorreus" etc. É claro, então, que o Os cananeus sabiam o suficiente para reconhecer com Raabe que "o Senhor Deus de Israel era Deus no céu acima e na terra abaixo"; e, portanto, eles estavam pecando ainda se apegando aos seus deuses falsos, cuja adoração era uma abominação ao único Deus vivo e verdadeiro. Não se pode negar, portanto, que Raabe deu uma prova de fé na escolha que fez entre seu próprio povo e o povo de Deus. É apenas esse aspecto de sua conduta que é elogiado na Epístola aos Hebreus ( É claro, então, que os cananeus sabiam o suficiente para reconhecer com Raabe que "o Senhor Deus de Israel era Deus no céu acima e na terra abaixo"; e, portanto, eles estavam pecando ainda se apegando aos seus deuses falsos, cuja adoração era uma abominação ao único Deus vivo e verdadeiro. Não se pode negar, portanto, que Raabe deu uma prova de fé na escolha que fez entre seu próprio povo e o povo de Deus. É apenas esse aspecto de sua conduta que é elogiado na Epístola aos Hebreus ( É claro, então, que os cananeus sabiam o suficiente para reconhecer com Raabe que "o Senhor Deus de Israel era Deus no céu acima e na terra abaixo"; e, portanto, eles estavam pecando ainda se apegando aos seus deuses falsos, cuja adoração era uma abominação ao único Deus vivo e verdadeiro. Não se pode negar, portanto, que Raabe deu uma prova de fé na escolha que fez entre seu próprio povo e o povo de Deus. É apenas esse aspecto de sua conduta que é elogiado na Epístola aos Hebreus ( Não se pode negar, portanto, que Raabe deu uma prova de fé na escolha que fez entre seu próprio povo e o povo de Deus. É apenas esse aspecto de sua conduta que é elogiado na Epístola aos Hebreus ( Não se pode negar, portanto, que Raabe deu uma prova de fé na escolha que fez entre seu próprio povo e o povo de Deus. É apenas esse aspecto de sua conduta que é elogiado na Epístola aos Hebreus (Josué 11: 1-23 Josué 11: 1-23 : 31). Além disso, devemos ter cuidado para não exagerar no que ela fez. Ela não traiu o segredo de seu povo, simplesmente preservou a vida dos representantes da nação que ela sabe estar inscrita sob a bandeira do verdadeiro Deus. Esse ato de fé a salvou e até ganhou para ela a honra de um lugar na genealogia do Messias ( Mateus 1: 5 Mateus 1: 5) Ocupamos uma posição muito diferente da de Raabe. Esse conflito não pode surgir em nosso caso entre o dever para com a pátria terrestre e o celeste, porque as armas de nossa guerra não são carnais, mas espirituais. Que seja nosso ter a fé de Raabe na vitória de nossa Cabeça Divina; e mantenhamos firme essa confiança, especialmente em vista dos grandes conflitos que estão diante de nós, entre o capitão de nossa salvação e um mundo incrédulo. Não temos tanto em que repousar nossa fé - mais do que Raabe - nas grandes vitórias do passado? Nós somos os soldados de um general que disseram: "Tenha bom ânimo, venci o mundo" ( João 16:33João 16:33 ). Confiar na vitória é já ter conquistado. DE P.

 

Versículos 12-24

 

EXPOSIÇÃO

 

O JURAMENTO DE OS ESPIÕES .-

 

Josué 2:12Josué 2:12

 

Bondade. O original é talvez um pouco mais forte e envolve geralmente a idéia de misericórdia e piedade. Essa nem sempre é fácil (ver Gênesis 21:23 Gênesis 21:23 ; 2 Samuel 10: 22 Samuel 10: 2 ). "Era uma natureza doentia em Rahab se ela se contentasse em ser salva sozinha: para que seu amor correspondesse à sua fé, ela faz convênios para toda a sua família e, assim, devolve a vida àqueles de quem a recebeu". (Bp. Hall). Um verdadeiro símbolo. Literalmente, um sinal de verdade. A construção é aquela em que o último substantivo geralmente significa em hebraico um adjetivo. Aqui, no entanto, parece ser um pouco mais, um sinal de verdade- uma promessa, isto é, de sinceridade. Raabe queria alguma garantia de que sua vida e a de seus parentes seriam salvas. A palavra nua dos espiões não seria suficiente, pois como ela e seus parentes poderiam ser identificados na confusão que assolava o saque da cidade? Mas se os espiões concordassem com algum sinal pelo qual ela pudesse ser reconhecida, seria ao mesmo tempo uma promessa de que eles pretendiam manter sua palavra, e um meio de proteção na aproximação da queda da cidade.

 

Josué 2:14Josué 2:14

 

Nossa vida pela sua. Literalmente, nossas almas ( נֶפֶשׁ , respondendo ao grego ψυχή - o princípio da vida em homens e animais) no lugar de você para morrer; ie; podemos morrer se você não for preservado são e salvo. Uma expressão semelhante é usada por Inácio, em Efésios 1: 1-23Efésios 1: 1-23 ; ad Polyc. 2, 6, etc. Se você não pronuncia, ie; Raabe e seus parentes (Rosenmuller). Muitos MSS ; No entanto, leia "se tu não utterest."

 

Josué 2:15Josué 2:15

 

Então ela os decepcionou. A conversa que é relatada depois, sem dúvida ocorreu depois, como é provado pelo uso do הוֹרַדְתֵּנוּ perfeito em Josué 2:18 Josué 2:18. Não há razão para supor a janela pela qual ela os decepcionou. estar tão distante do chão a ponto de impedir uma conversa, e é bem possível que a casa de Rahab possa ter estado em uma situação em que essa conversa pudesse continuar sem interrupção. Atualmente, existem cidades continentais cercadas por muros, nas quais essa conversa não envolveria nenhuma dificuldade, especialmente se a casa da qual essa conversa foi realizada se afastasse um pouco das outras casas. E embora os espiões enviados por Moisés descrevessem os muros das cidades fenícias em linguagem hiperbólica, é altamente improvável que suas fortificações fossem mais fortes do que as dos tempos medievais. A pequena cidade de Ahrweiler, no vale do Ahr, perto de Remagen, pode servir como exemplo. Uma vez teria sido chamada de cidade fortemente fortificada, mas as muralhas não têm grande altura e as casas são construídas sobre elas. O mesmo pode ser visto em Bacharach e Oberwesel, e em outros lugares bem conhecidos onde as fortificações não foram modernizadas. Com a fuga dos espiões, podemos comparar a fuga de São Paulo de Damasco, conforme registrado emAtos 9:25 Atos 9:25 e 2 Coríntios 11:32 2 Coríntios 11:32 , 2 Coríntios 11:332 Coríntios 11:33 .

 

Josué 2:16Josué 2:16

 

Te levo para as montanhas. Nenhuma dica é dada porqueas montanhas deveriam ser um refúgio tão seguro. Mas uma referência à geografia do distrito fornecerá o motivo. Qualquer distrito de montanha é geralmente menos acessível e menos densamente habitado do que as planícies. Mas a oito quilômetros de Jericó ficava o notável campo chamado Quarantania, ou Kuruntul, que é literalmente coberto de cavernas, para que um homem possa ficar escondido por meses nas imediações de Jericó, com um risco muito pequeno de descoberta. É óbvio o quão fortemente esse fato confirma a precisão da narrativa. Um inventor poderia, de uma maneira ou de outra, chamar a atenção para uma afirmação destinada a dar um ar de probabilidade à sua narrativa. Mas não há nada desse tipo aqui, e ainda assim a narrativa mostra um profundo conhecimento das características geográficas do bairro. Canon Tristram explorou cuidadosamente as cavernas. Em uma face da rocha, que é perpendicular, ele encontrou "umas trinta ou quarenta cavernas habitáveis" e, na face sul, em direção a Jericó, supôs que havia muito mais que isso. Os batedores do rei de Jericó podem ser dispensados ​​de uma pesquisa muito diligente, pois somos informados de que "o apoio dos pés era perigoso e a altura tonta". Desde os dias dos espiões até muito depois da era cristã, essas cavernas existem. Eles foram arrendados por monges gregos, sírios e até abissínios, e o cânon Tristram encontrou muitas inscrições gregas e etíopes, além de figuras de nosso Senhor e dos santos. Os cristãos abissínios fazem uma peregrinação anual lá até agora. A razão da reverência em que o local é realizado é a tradição (não, no entanto, oitocentos anos, veja Bitter, 3,37) que, como o nome Quarantania implica, o jejum de quarenta dias de nosso Senhor ocorreu ali. Como exemplo das interpretações místicas em que os Padres se entregaram, encontramos Orígenes expondo o conselho: "Vá para as montanhas", como segue: "Humilia et dejecta refugite, quae excelsa sunt et sublimia, predicado".

 

Josué 2:17Josué 2:17

 

Seremos irrepreensíveis. Talvez " seríamos irrepreensíveis" e, portanto, criamos as condições que se seguem. Algo deve ser fornecido para preencher o sentido. A regra mais comum seria a de traduzir "que são irrepreensíveis", ou seja; fazendo essas condições. Mas o primeiro produz um sentido melhor.

 

Josué 2:18Josué 2:18

 

Esta linha de fio escarlate. Pelo contrário, esta corda, de קוָה para torcer. É descrito como feito de linha de costura ( הוּט ), porque sem dúvida foi formado por várias dessas linhas torcidas em uma corda. O escarlate ( שָנִי ), ou melhor , carmesim, era produzido a partir dos corpos secos, bem como dos ovos do inseto cochonilha, chamados em árabe, kermes (de onde nossa palavra carmesim e o alemão karmesin ) . Essa linha de fio escarlate é considerada pelos Padres em geral, e por nossos próprios teólogos, como o bispo Hall e o bispo Wordsworth, como simbólico do sangue de Cristo,

 

Josué 2:19Josué 2:19

 

Seu sangue estará sobre sua cabeça (cf. Le Josué 20: 9Josué 20: 9 ). "Se vagarmos para fora dos limites que Deus nos estabeleceu, nos lançamos fora de Sua proteção." (Bp. Hall).

 

Josué 2:20Josué 2:20

 

E se você expressar isso, é da nossa conta. Essa era uma condição óbvia. A traição de Raabe aos espiões não poderia salvar Jericó, mas os destruiria, ou pelo menos os exporia a perigo iminente. Portanto, ao mencionar o assunto, ela se privaria de todo o título de proteção.

 

Josué 2:21Josué 2:21

 

E ela amarrou o cordão escarlate na janela. - Não necessariamente de uma vez, mas quando chegou a hora da precaução.

 

Josué 2:23Josué 2:23

 

E passou por cima. O historiador sagrado não diz como. Mas é improvável (ver Josué 2: 7 Josué 2: 7 ) que eles tenham atravessado o rio. Eles provavelmente nadaram através, pois sem dúvida estavam desarmados (cf. 1 Crônicas 12:151 Crônicas 12:15 ). Isso aconteceu com eles. Literalmente, "que os encontrou ".

 

Josué 2:24Josué 2:24

 

Pois até todos os habitantes do país desmaiam por nossa causa. "[For even" é literalmente "e também". Como observa Keil, essas informações sobre os sentimentos dos cananeus foram a única coisa importante que eles foram enviados para descobrir.

 

HOMILIES DE E. DE PRESSENSE

 

Josué 2: 9Josué 2: 9

 

Raabe e os espiões.

 

A história da fuga dos espiões israelenses através da assistência de Raabe, a prostituta, e a recompensa dada a ela por seus serviços, na economia de sua vida quando todos os habitantes da cidade pereceram, é uma que apresenta muitas dificuldades morais. Ajudar os inimigos de um país é um ato severamente e justamente reprovado por todas as nações. O que em si é mau não pode ser transformado em bom, porque é feito por uma boa causa; caso contrário, devemos dar indulgência plenária à Companhia de Jesus. Devemos tomar cuidado, portanto, de exaltar a coisa errada que Raabe fez. Mas, ao mesmo tempo, devemos reconhecer que ela foi motivada por um motivo mais nobre do que o de garantir sua própria segurança. A fé no verdadeiro Deus havia tomado posse rude dessa alma ignorante. Ela ouvira falar dos milagres pelos quais Israel fora tirado do Egito e conduzido com segurança pelos perigos do deserto. Ela diz: "Ouvimos como o Senhor secou a água do Mar Vermelho para você quando você saiu do Egito, e o que fez aos dois reis dos amorreus" etc. É claro, então, que o Os cananeus sabiam o suficiente para reconhecer com Raabe que "o Senhor Deus de Israel era Deus no céu acima e na terra abaixo"; e, portanto, eles estavam pecando ainda se apegando aos seus deuses falsos, cuja adoração era uma abominação ao único Deus vivo e verdadeiro. Não se pode negar, portanto, que Raabe deu uma prova de fé na escolha que fez entre seu próprio povo e o povo de Deus. É apenas esse aspecto de sua conduta que é elogiado na Epístola aos Hebreus ( É claro, então, que os cananeus sabiam o suficiente para reconhecer com Raabe que "o Senhor Deus de Israel era Deus no céu acima e na terra abaixo"; e, portanto, eles estavam pecando ainda se apegando aos seus deuses falsos, cuja adoração era uma abominação ao único Deus vivo e verdadeiro. Não se pode negar, portanto, que Raabe deu uma prova de fé na escolha que fez entre seu próprio povo e o povo de Deus. É apenas esse aspecto de sua conduta que é elogiado na Epístola aos Hebreus ( É claro, então, que os cananeus sabiam o suficiente para reconhecer com Raabe que "o Senhor Deus de Israel era Deus no céu acima e na terra abaixo"; e, portanto, eles estavam pecando ainda se apegando aos seus deuses falsos, cuja adoração era uma abominação ao único Deus vivo e verdadeiro. Não se pode negar, portanto, que Raabe deu uma prova de fé na escolha que fez entre seu próprio povo e o povo de Deus. É apenas esse aspecto de sua conduta que é elogiado na Epístola aos Hebreus ( Não se pode negar, portanto, que Raabe deu uma prova de fé na escolha que fez entre seu próprio povo e o povo de Deus. É apenas esse aspecto de sua conduta que é elogiado na Epístola aos Hebreus ( Não se pode negar, portanto, que Raabe deu uma prova de fé na escolha que fez entre seu próprio povo e o povo de Deus. É apenas esse aspecto de sua conduta que é elogiado na Epístola aos Hebreus (Josué 11: 1-23 Josué 11: 1-23 : 31). Além disso, devemos ter cuidado para não exagerar no que ela fez. Ela não traiu o segredo de seu povo, simplesmente preservou a vida dos representantes da nação que ela sabe estar inscrita sob a bandeira do verdadeiro Deus. Esse ato de fé a salvou e até ganhou para ela a honra de um lugar na genealogia do Messias ( Mateus 1: 5 Mateus 1: 5) Ocupamos uma posição muito diferente da de Raabe. Esse conflito não pode surgir em nosso caso entre o dever para com a pátria terrestre e o celeste, porque as armas de nossa guerra não são carnais, mas espirituais. Que seja nosso ter a fé de Raabe na vitória de nossa Cabeça Divina; e mantenhamos firme essa confiança, especialmente em vista dos grandes conflitos que estão diante de nós, entre o capitão de nossa salvação e um mundo incrédulo. Não temos tanto em que repousar nossa fé - mais do que Raabe - nas grandes vitórias do passado? Nós somos os soldados de um general que disseram: "Tenha bom ânimo, venci o mundo" ( João 16:33João 16:33 ). Confiar na vitória é já ter conquistado. DE P.

 

Jos_2: 12 Jos_2: 12 -25

 

EXPOSIÇÃO

 

O JURAMENTO DE OS ESPIÕES .-

 

Josué 2:12Josué 2:12

 

Bondade. O original é talvez um pouco mais forte e envolve geralmente a idéia de misericórdia e piedade. Essa nem sempre é fácil (ver Gênesis 21:23 Gênesis 21:23 ; 2 Samuel 10: 22 Samuel 10: 2 ). "Era uma natureza doentia em Rahab se ela se contentasse em ser salva sozinha: para que seu amor correspondesse à sua fé, ela faz convênios para toda a sua família e, assim, devolve a vida àqueles de quem a recebeu". (Bp. Hall). Um verdadeiro símbolo. Literalmente, um sinal de verdade. A construção é aquela em que o último substantivo geralmente significa em hebraico um adjetivo. Aqui, no entanto, parece ser um pouco mais, um sinal de verdade- uma promessa, isto é, de sinceridade. Raabe queria alguma garantia de que sua vida e a de seus parentes seriam salvas. A palavra nua dos espiões não seria suficiente, pois como ela e seus parentes poderiam ser identificados na confusão que assolava o saque da cidade? Mas se os espiões concordassem com algum sinal pelo qual ela pudesse ser reconhecida, seria ao mesmo tempo uma promessa de que eles pretendiam manter sua palavra, e um meio de proteção na aproximação da queda da cidade.

 

Josué 2:14Josué 2:14

 

Nossa vida pela sua. Literalmente, nossas almas ( נֶפֶשׁ , respondendo ao grego ψυχή - o princípio da vida em homens e animais) no lugar de você para morrer; ie; podemos morrer se você não for preservado são e salvo. Uma expressão semelhante é usada por Inácio, em Efésios 1: 1-23Efésios 1: 1-23 ; ad Polyc. 2, 6, etc. Se você não pronuncia, ie; Raabe e seus parentes (Rosenmuller). Muitos MSS ; No entanto, leia "se tu não utterest."

 

Josué 2:15Josué 2:15

 

Então ela os decepcionou. A conversa que é relatada depois, sem dúvida ocorreu depois, como é provado pelo uso do הוֹרַדְתֵּנוּ perfeito em Josué 2:18 Josué 2:18. Não há razão para supor a janela pela qual ela os decepcionou. estar tão distante do chão a ponto de impedir uma conversa, e é bem possível que a casa de Rahab possa ter estado em uma situação em que essa conversa pudesse continuar sem interrupção. Atualmente, existem cidades continentais cercadas por muros, nas quais essa conversa não envolveria nenhuma dificuldade, especialmente se a casa da qual essa conversa foi realizada se afastasse um pouco das outras casas. E embora os espiões enviados por Moisés descrevessem os muros das cidades fenícias em linguagem hiperbólica, é altamente improvável que suas fortificações fossem mais fortes do que as dos tempos medievais. A pequena cidade de Ahrweiler, no vale do Ahr, perto de Remagen, pode servir como exemplo. Uma vez teria sido chamada de cidade fortemente fortificada, mas as muralhas não têm grande altura e as casas são construídas sobre elas. O mesmo pode ser visto em Bacharach e Oberwesel, e em outros lugares bem conhecidos onde as fortificações não foram modernizadas. Com a fuga dos espiões, podemos comparar a fuga de São Paulo de Damasco, conforme registrado emAtos 9:25 Atos 9:25 e 2 Coríntios 11:32 2 Coríntios 11:32 , 2 Coríntios 11:332 Coríntios 11:33 .

 

Josué 2:16Josué 2:16

 

Te levo para as montanhas. Nenhuma dica é dada porqueas montanhas deveriam ser um refúgio tão seguro. Mas uma referência à geografia do distrito fornecerá o motivo. Qualquer distrito de montanha é geralmente menos acessível e menos densamente habitado do que as planícies. Mas a oito quilômetros de Jericó ficava o notável campo chamado Quarantania, ou Kuruntul, que é literalmente coberto de cavernas, para que um homem possa ficar escondido por meses nas imediações de Jericó, com um risco muito pequeno de descoberta. É óbvio o quão fortemente esse fato confirma a precisão da narrativa. Um inventor poderia, de uma maneira ou de outra, chamar a atenção para uma afirmação destinada a dar um ar de probabilidade à sua narrativa. Mas não há nada desse tipo aqui, e ainda assim a narrativa mostra um profundo conhecimento das características geográficas do bairro. Canon Tristram explorou cuidadosamente as cavernas. Em uma face da rocha, que é perpendicular, ele encontrou "umas trinta ou quarenta cavernas habitáveis" e, na face sul, em direção a Jericó, supôs que havia muito mais que isso. Os batedores do rei de Jericó podem ser dispensados ​​de uma pesquisa muito diligente, pois somos informados de que "o apoio dos pés era perigoso e a altura tonta". Desde os dias dos espiões até muito depois da era cristã, essas cavernas existem. Eles foram arrendados por monges gregos, sírios e até abissínios, e o cânon Tristram encontrou muitas inscrições gregas e etíopes, além de figuras de nosso Senhor e dos santos. Os cristãos abissínios fazem uma peregrinação anual lá até agora. A razão da reverência em que o local é realizado é a tradição (não, no entanto, oitocentos anos, veja Bitter, 3,37) que, como o nome Quarantania implica, o jejum de quarenta dias de nosso Senhor ocorreu ali. Como exemplo das interpretações místicas em que os Padres se entregaram, encontramos Orígenes expondo o conselho: "Vá para as montanhas", como segue: "Humilia et dejecta refugite, quae excelsa sunt et sublimia, predicado".

 

Josué 2:17Josué 2:17

 

Seremos irrepreensíveis. Talvez " seríamos irrepreensíveis" e, portanto, criamos as condições que se seguem. Algo deve ser fornecido para preencher o sentido. A regra mais comum seria a de traduzir "que são irrepreensíveis", ou seja; fazendo essas condições. Mas o primeiro produz um sentido melhor.

 

Josué 2:18Josué 2:18

 

Esta linha de fio escarlate. Pelo contrário, esta corda, de קוָה para torcer. É descrito como feito de linha de costura ( הוּט ), porque sem dúvida foi formado por várias dessas linhas torcidas em uma corda. O escarlate ( שָנִי ), ou melhor , carmesim, era produzido a partir dos corpos secos, bem como dos ovos do inseto cochonilha, chamados em árabe, kermes (de onde nossa palavra carmesim e o alemão karmesin ) . Essa linha de fio escarlate é considerada pelos Padres em geral, e por nossos próprios teólogos, como o bispo Hall e o bispo Wordsworth, como simbólico do sangue de Cristo,

 

Josué 2:19Josué 2:19

 

Seu sangue estará sobre sua cabeça (cf. Le Josué 20: 9Josué 20: 9 ). "Se vagarmos para fora dos limites que Deus nos estabeleceu, nos lançamos fora de Sua proteção." (Bp. Hall).

 

Josué 2:20Josué 2:20

 

E se você expressar isso, é da nossa conta. Essa era uma condição óbvia. A traição de Raabe aos espiões não poderia salvar Jericó, mas os destruiria, ou pelo menos os exporia a perigo iminente. Portanto, ao mencionar o assunto, ela se privaria de todo o título de proteção.

 

Josué 2:21Josué 2:21

 

E ela amarrou o cordão escarlate na janela. - Não necessariamente de uma vez, mas quando chegou a hora da precaução.

 

Josué 2:23Josué 2:23

 

E passou por cima. O historiador sagrado não diz como. Mas é improvável (ver Josué 2: 7 Josué 2: 7 ) que eles tenham atravessado o rio. Eles provavelmente nadaram através, pois sem dúvida estavam desarmados (cf. 1 Crônicas 12:151 Crônicas 12:15 ). Isso aconteceu com eles. Literalmente, "que os encontrou ".

 

Josué 2:24Josué 2:24

 

Pois até todos os habitantes do país desmaiam por nossa causa. "[For even" é literalmente "e também". Como observa Keil, essas informações sobre os sentimentos dos cananeus foram a única coisa importante que eles foram enviados para descobrir.

 

HOMILÉTICA

 

Josué 2: 12-24Josué 2: 12-24

 

O juramento dos espiões e seu retorno a Josué.

 

Esta passagem sugere considerações de vários tipos, históricas, práticas e alegóricas.

 

  1. A CONFIABILIDADE DE OS ESPIÕES . Eles, sem dúvida, foram especialmente selecionados por Josué para esse fim, e se mostram dignos de sua escolha.

 

II A ESCARLETE CABEU UM TÍTULO DE SALVAÇÃO POR CRISTO . Para escarlate, ou melhor, vermelho (veja a nota), é a cor do sangue. O cordão escarlate tinha sido a salvação dos mensageiros. Era agora o meio de salvação para ela que recebera deles a garantia de libertação da ira vindoura. Como o sangue no batente da porta, era para ser o sinal que os mensageiros destruidores da vingança de Deus deviam respeitar e passar. Só o cordão escarlate poderia garantir a segurança. E isso poderia garantir a segurança apenas daqueles que confiavam apenas nela. Deve ser tomado, portanto, como o tipo de salvação somente pelo sangue de Cristo.

 

III EXTRA ECCLESIAM NULLA SALUS . Como São Paulo, "se estes não permanecerem no navio, não podereis ser salvos" ( Atos 27:31 Atos 27:31), então os espiões aqui declaram que permanecer na casa de Raabe é uma condição necessária de segurança. A casa aqui é um tipo da Igreja de Cristo, não necessariamente de comunhão externa com qualquer ramo particular dela, mas de pertencimento interno real ao corpo místico de Cristo, do qual, em geral, o Batismo e a recepção do Sacramento de A Ceia do Senhor são os símbolos externos. "A Sagrada Escritura", diz o Artigo 18 da Igreja da Inglaterra, "nos apresenta apenas o nome de Cristo, pelo qual os homens devem ser salvos". E devemos nos unir a Ele pela fé e obediência. Devemos entrar na "Casa de Deus, que é a Igreja do Deus Vivo, o pilar e a base da verdade" ( 1 Timóteo 3:151 Timóteo 3:15) Devemos manter uma "lembrança contínua do sacrifício da morte de Cristo". Nosso cordão escarlate deve estar atado com destaque na janela. Aqueles que vagam imprudentemente do redil, que são levados a "doutrinas errôneas e estranhas", que seguem suas próprias vontades, em vez de cumprirem o convênio da salvação em Cristo, não podem esperar a libertação que vem somente para aqueles que confessam Cristo abertamente antes. homens, e declarar claramente sua união com aqueles que lutam sob Sua bandeira.

 

IV OS ESPIÕES OMS FIELMENTE descarga SEU DEVER TER SUA RECOMPENSA POR TRAZER BOAS NOTÍCIAS. Vimos qual foi a conduta dos espiões. E agora eles retornam para reanimar seus irmãos. O relatório deles é que seus inimigos já estão desanimados e desanimados com o pensamento do Grande Nome sob a proteção contra a qual os israelitas lutam. Assim também o fiel soldado de Cristo se torna uma fonte de encorajamento para seus irmãos. Aquele que confia no Senhor e segue firmemente Sua obra, nunca deixa de encontrar os inimigos do Senhor "desmaiando por causa de" Seus soldados. Somente os covardes e desconfiados encontram os "filhos de Anak" e as "cidades cercadas pelo céu" - isto é, dificuldades e tarefas insuperáveis ​​além de seus poderes. Os que se empenham seriamente em combater os inimigos de Deus,e não fará um pacto com eles, nem terá "medo de seus rostos", tem certeza da vitória. Às vezes, os muros de alguma fortaleza do pecado caem como se por milagre. Às vezes, o inimigo só fica desconcertado após os prolongados e exaustivos esforços de uma batalha de Bete-Horon. Mas os servos de Deus às vésperas de um novo conflito com os poderes do mal podem dirigir-se com segurança a seus companheiros guerreiros nas palavras: "Verdadeiramente, o Senhor entregou em nossas mãos toda a terra". (COMENTARY PULPIT)

 FONTE http://www.mauricioberwald.com/