Translate this Page
  • Currently 2.76/5

Rating: 2.8/5 (337 votos)




ONLINE
3




Partilhe esta Página



 <!-- Go to www.addthis.com/dashboard to customize your tools -->
<script type="text/javascript" src="//s7.addthis.com/js/300/addthis_widget.js#pubid=ra-57f3fb36829d1888"></script>

 

 

  contadores de visitas 

 

Flag Counter


COMENTARIO LIVRO DE EFESIOS CAP.2 SUBSIDIO (2)
COMENTARIO LIVRO DE EFESIOS CAP.2 SUBSIDIO (2)

Comentário Matthew H. subsidio lições CPAD adultos 

MAURICIO BERWALD PROFESSOR ESCRITOR

Efésios 2

 

Introdução

Este capítulo contém um relato: I. Da condição miserável desses efésios por natureza ( Efésios 2: 1-3 ) e, novamente, Efésios 2: 11,12 . II Da gloriosa mudança que foi realizada neles pela conversão da graça ( Efésios 2: 4-10 ) e novamente, Efésios 2:13 . III Dos grandes e poderosos privilégios que judeus e gentios convertidos recebem de Cristo, Efésios 2: 14-22. O apóstolo se esforça para afetá-los com o devido senso da maravilhosa mudança que a graça divina lhes causou, e isso é muito aplicável à grande mudança que a mesma graça opera em todos aqueles que são trazidos a um estado de graça. Para que tenhamos aqui uma imagem viva, tanto da miséria dos homens não regenerados quanto da feliz condição das almas convertidas, o suficiente para despertar e alarmar aqueles que ainda estão em seus pecados e fazê-los se apressar para sair desse estado e confortar e deleitar aqueles a quem Deus vivificou, levando em consideração os poderosos privilégios com que são investidos.

 

Versículos 1-3

Estado dos efésios por natureza.   61 dC

1 E tu apressaste, que estava morto em ofensas e pecados 2 No passado passastes de acordo com o curso deste mundo, segundo o príncipe do poder do ar, o espírito que agora opera nos filhos da desobediência : 3 Entre os quais também todos conversamos em tempos passados ​​nas concupiscências da nossa carne, realizando os desejos da carne e da mente e, por natureza, fomos filhos da ira, assim como outros.

 

A condição miserável dos efésios por natureza é aqui em parte descrita. Observado, 1. Almas não regeneradas estão mortas em ofensas e pecados. Todos os que estão em seus pecados estão mortos em pecados, em ofensas e pecados, o que pode significar todo tipo de pecado, habitual e real, pecados de coração e de vida. O pecado é a morte da alma. Onde quer que prevaleça, há uma privação de toda a vida espiritual. Os pecadores estão mortos em estado, sendo destituídos dos princípios e poderes da vida espiritual e isolados de Deus, a fonte da vida; e eles estão mortos na lei, como se diz que um malfeitor condenado é um homem morto. 2. Um estado de pecado é um estado de conformidade com este mundo, Efésios 2: 2 . Em Efésios 2: 1, ele fala de seu estado interno, neste de sua conversa externa:Em que transgressões e pecados, no passado, vocês caminharam, viveram e se comportaram da maneira que os homens do mundo costumavam fazer. 3. Por natureza, somos escravos do pecado e de Satanás. Aqueles que andam em ofensas e pecados, e de acordo com o curso deste mundo, andam de acordo com o príncipe do poder do ar. O diabo, ou o príncipe dos demônios, é assim descrito. Ver Mateus 12: 24,26 . As legiões de anjos apóstatas são como um poder unido sob um chefe e, portanto, o que é chamado de poder das trevasem outro lugar é aqui mencionado no número singular. O ar é representado como a sede do seu reino: e era opinião dos judeus e dos pagãos que o ar está cheio de espíritos e que ali se exercitam e se exercitam. O diabo parece ter algum poder (com a permissão de Deus) na região inferior do ar, lá está ele para tentar os homens e fazer o máximo de mal ao mundo que puder: mas é o conforto e a alegria de Deus pessoas que aquele que é cabeça sobre todas as coisas para a igrejaconquistou o diabo e o tem em sua cadeia. Mas os homens maus são escravos de Satanás, pois, conforme andam segundo ele, moldam suas vidas e ações à vontade e prazer deste grande usurpador. O curso e o ritmo de suas vidas estão de acordo com suas sugestões, e de acordo com suas tentações, eles estão sujeitos a ele e são levados em cativeiro por sua vontade, ao que ele é chamado o deus deste mundo e o espírito que agora trabalha nos filhos da desobediência. Os filhos da desobediênciasão aqueles que escolhem desobedecer a Deus e servir ao diabo neles, ele trabalha de maneira poderosa e eficaz. Assim como o bom Espírito opera o que é bom nas almas obedientes, esse espírito maligno opera o que é mau nos homens iníquos e ele agora trabalha, não apenas até agora, mas mesmo desde que o mundo foi abençoado com a luz do evangelho glorioso. O apóstolo acrescenta: Entre os quais todos nós já conversamos no passado, quais palavras se referem aos judeus, a quem ele significa aqui estar na triste e miserável condição da natureza, e ter sido tão vil e perverso quanto o gentios não regenerados, e cujo estado natural ele descreve mais adiante nas próximas palavras. 4. Somos, por natureza, remexidos na carne e em nossas afeições corruptas, Efésios 2: 3 . Porcumprindo os desejos da carne e da mente, os homens contraem aquela imundície de carne e espírito, da qual o apóstolo exorta os cristãos a se purificarem, 2 Coríntios 7: 1 . O cumprimento dos desejos da carne e da mente inclui todo o pecado e iniqüidade que são agidos e pelos poderes inferiores e superiores ou mais nobres da alma. Vivemos na comissão real de todos os pecados aos quais a natureza corrupta nos inclinava. A mente carnal faz de um homem um escravo perfeito de seu apetite vicioso. - O cumprimento das vontades da carne, para que as palavras sejam traduzidas, denotando a eficácia dessas concupiscências, e que poder elas têm sobre aqueles que se entregam. para eles. 5. Somos por natureza filhos da ira, assim como os outros.Os judeus eram assim, assim como os gentios, e um homem é tanto quanto outro por natureza, não apenas por costume e imitação, mas desde o momento em que começamos a existir, e por causa de nossas inclinações e apetites naturais. Todos os homens, sendo naturalmente filhos da desobediência, também são, por natureza, filhos da ira: Deus está zangado com os ímpios todos os dias. Nosso estado e curso são aqueles que merecem ira, e terminariam em ira eterna, se a graça divina não interpusesse. Que razão os pecadores têm então de procurar a graça que os fará, filhos da ira, filhos de Deus e herdeiros da glória! Até agora, o apóstolo descreveu a miséria de um estado natural em Efésios 2: 1-3 , que o encontraremos perseguindo novamente nos seguintes.

 

Versículos 4-10

A mudança provocada nos efésios. 61 dC

4 Mas Deus, que é rico em misericórdia, por seu grande amor com o qual nos amou, 5 Mesmo quando estávamos mortos em pecados, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos) 6 E nos ressuscitou juntos. e nos fez sentar juntos em lugares celestiais em Cristo Jesus: 7 Para que, nos séculos vindouros, ele mostre as riquezas excessivas de sua graça em sua bondade para conosco através de Cristo Jesus. 8 Porque pela graça sois salvos pela fé, e isso não vem de vós; é dom de Deus; 9 não vem das obras, para que ninguém se glorie. 10 Porque nós somos a sua obra, criada em Cristo Jesus para boas obras, que Deus antes ordenou que andássemos nelas.

 

Aqui, o apóstolo começa seu relato da gloriosa mudança que foi realizada neles pela conversão da graça, onde observa,

 

  1. Por quem, e de que maneira, foi criado e efetuado. 1. Negativamente: Não vocês mesmos, Efésios 2: 8 . Nossa fé, nossa conversão e nossa salvação eterna não são o mero produto de nenhuma habilidade natural, nem de qualquer mérito próprio: não de obras, para que ninguém se glorie, Efésios 2: 9 . Essas coisas não são levadas a cabo por nada que tenha sido feito por nós, e, portanto, toda a vanglória é excluída aquele que se gloria não deve se gloriar em si mesmo, mas no Senhor. Não há espaço para o homem se gabar de suas próprias habilidades e poder, ou como se ele tivesse feito algo que pudesse merecer imensos favores de Deus. 2. Positivamente: Mas Deus, que é rico em misericórdia, etc., Efésios 2: 4. O próprio Deus é o autor dessa grande e feliz mudança, e seu grande amor é a fonte e a causa fontal dela; portanto, ele resolveu mostrar misericórdia. O amor é sua inclinação a fazer-nos o bem, considerado simplesmente como misericórdia das criaturas, que nos respeita como apóstatas e miseráveis. Observem, o eterno amor ou boa vontade de Deus para com suas criaturas é a fonte da qual todas as suas misericórdias nos garantem e que o amor de Deus é um grande amor, e que a sua misericórdia é rica, inexprimivelmente grande e inesgotável. E então pela graça você é salvo ( Efésios 2: 5 ), e pela graça você é salvo pela fé - é um dom de Deus, Efésios 2: 8. Nota, todo pecador convertido é um pecador salvo. Tais são libertos do pecado e da ira, são trazidos a um estado de salvação e têm o direito dado pela graça à felicidade eterna. A graça que os salva é a bondade e o favor gratuito e não merecidos de Deus, e ele os salva, não pelas obras da lei,mas pela fé em Cristo Jesus, por meio da qual eles participam das grandes bênçãos do evangelho, e tanto a fé quanto a salvação sobre a qual ela exerce uma influência tão grande são o dom de Deus. Os grandes objetos da fé são conhecidos pela revelação divina, e credíveis pelo testemunho e evidência que Deus nos deu e que cremos na salvação e obtemos a salvação pela fé, é inteiramente devida à assistência e graça divinas que Deus ordenou a todos para que o todo parecerá ser de graça. Observar,

 

II Onde essa mudança consiste, em vários detalhes, respondendo à miséria de nosso estado natural, alguns dos quais são enumerados nesta seção e outros são mencionados abaixo. 1. Nós que estávamos mortos somos vivificados ( Efésios 2: 5 ), somos salvos da morte do pecado e temos um princípio de vida espiritual implantado em nós. A graça na alma é uma nova vida na alma. Como a morte trava os sentidos, sela todos os poderes e faculdades, o mesmo ocorre com o estado de pecado, como qualquer coisa que seja boa. A graça abre e abre tudo, e amplia a alma. Observe, um pecador regenerado se torna uma alma viva: ele vive uma vida de santificação, nascido de Deus e vive no sentido da lei, sendo libertado da culpa do pecado, perdoando e justificando a graça. Ele nos vivificou junto com Cristo.Nossa vida espiritual resulta da nossa união com Cristo; é nele que vivemos: porque eu vivo, você também viverá. 2. Nós que fomos enterrados somos ressuscitados, Efésios 2: 6 . O que resta ainda a ser feito é aqui mencionado como se já tivesse passado, embora, de fato, ressuscitemos em virtude de nossa união com aquele a quem Deus ressuscitou dos mortos. Quando ele ressuscitou a Cristo dentre os mortos, ele ressuscitou todos os crentes junto com ele, sendo sua cabeça comum e, quando o colocou à direita em lugares celestiais, avançou e glorificou-os dentro e com ele, seus ressuscitados. e exaltada cabeça e precursor. - E nos fez sentar juntos em lugares celestiais em Cristo Jesus.Isso pode ser entendido em outro sentido. Os pecadores rolam no pó almas santificadas sentam-se em lugares celestiais, são elevadas acima do mundo, o mundo não lhes é nada, comparado com o que tem sido, e comparado com o que o outro mundo é. Os santos não são apenas os homens livres de Cristo, mas são assessores com ele, com a ajuda de sua graça. Eles ascenderam com ele acima deste mundo para conversar com outro, e vivem na constante expectativa dele. Eles não são apenas servos dos melhores senhores no melhor trabalho, mas são exaltados a reinar com ele; sentam-se no trono com Cristo, como ele se sentou com seu Pai no trono.

 

III Observe qual é o grande desígnio e objetivo de Deus em produzir e efetuar essa mudança: E isto, 1. Com relação aos outros: Para que, nos séculos vindouros, ele mostre, etc. ( Efésios 2: 7 ), para que ele dê uma amostra e prova de sua grande bondade e misericórdia, para encorajar os pecadores no futuro. Observe: A bondade de Deus em converter e salvar pecadores até agora é um encorajamento adequado para os outros no tempo posterior, a esperança em sua graça e misericórdia e a se aplicar a eles. Deus tendo isso em seu desígnio, pobres pecadores devem receber grande encorajamento. E o que não podemos esperar de tanta graça e bondade, de riquezas da graça, às quais essa mudança se deve? Através de Cristo Jesus,por quem Deus nos transmite todo o seu favor e bênçãos. 2. No que diz respeito aos próprios pecadores regenerados: Pois somos a sua obra, criada em Cristo Jesus para boas obras, etc., Efésios 2:10 . Parece que tudo é de graça, porque todas as nossas vantagens espirituais são de Deus. Nós somos sua obra que ele quer dizer em relação à nova criação, não apenas como homens, mas como santos. O novo homem é uma nova criatura e Deus é seu Criador. É um novo nascimento, e nascemos ou nascemos de sua vontade. Em Cristo Jesus, isto é, por conta do que ele fez e sofreu, e pela influência e operação de seu Espírito abençoado. Para boas obras,& c. O apóstolo já havia atribuído essa mudança à graça divina, excluindo obras, para que assim ele pareça desencorajar boas obras; ele observa aqui que, embora a mudança não deva ser atribuída a nada dessa natureza ( pois somos obra de Deus ) Deus, porém, em sua nova criação, nos projetou e nos preparou para boas obras: Criado para boas obras, com um desígnio de que devemos ser frutíferos nelas. Onde quer que Deus, por sua graça, implante bons princípios, eles se destinam a ser para boas obras. Que Deus já ordenou, isto é, decretou e nomeou. Ou, as palavras podem ser lidas: Para as quais Deus antes nos preparou,isto é, abençoando-nos com o conhecimento de sua vontade e com a assistência de seu Espírito Santo e produzindo uma mudança em nós. Que devemos andar neles, ou glorificar a Deus por uma conversa exemplar e por nossa perseverança na santidade.

 

Versículos 11-13

A miserável condição dos efésios por natureza.        61 dC

11 Pelo que me lembro, que vos estar no tempo passado gentios na carne, que são chamados incircuncisão pelos que se chamam circuncisão na carne feito pelas mãos 12 Que naquele tempo sem Cristo, separados da comunidade de Israel, e estranhos aos convênios da promessa, sem esperança e sem Deus no mundo: 13 Mas agora em Cristo Jesus vós, que às vezes estávamos longe, somos feitos quase pelo sangue de Cristo.

 

Nestes versículos, o apóstolo procede em seu relato da condição miserável desses efésios por natureza. Portanto lembre-se, etc., Efésios 2:11 . Como se ele tivesse dito: "Vocês devem se lembrar do que têm sido e compará-lo com o que são agora, a fim de se humilharem e excitarem seu amor e gratidão a Deus". Note que pecadores convertidos devem refletir freqüentemente sobre a pecaminosidade e a miséria do estado em que estavam por natureza. Gentios na carne, isto é, vivendo na corrupção de suas naturezas e sendo destituídos de circuncisão, o sinal externo de um interesse na aliança da graça. Quem é chamado de incircuncisão por isso,etc., ou seja, "Você foi repreendido e censurado pelos judeus formais, que fizeram uma profissão externa e que não procuravam mais do que a ordenança externa". Note que os professores hipócritas costumam se valorizar principalmente por seus privilégios externos, e censurar e desprezar os outros que lhes são destituídos. O apóstolo descreve a miséria de seu caso em vários detalhes, Efésios 2:12 . " Naquela época,enquanto vocês eram gentios e em um estado não convertido, eram: "1." Em uma condição sem Cristo, sem o conhecimento do Messias e sem nenhum interesse salvador nele ou em relação a ele. "É verdade para todos os pecadores não convertidos. , todos aqueles que são destituídos de fé, que não têm interesse salvífico em Cristo e que deve ser uma coisa triste e deplorável para uma alma ficar sem um Cristo. Sendo sem Cristo, eles eram 2. Estrangeiros da comunidade de Israel eles não pertenciam à igreja de Cristo e não tinham comunhão com ela, estando confinados à nação israelita.Não é um pequeno privilégio ser colocado na igreja de Cristo e compartilhar com os membros dela as vantagens peculiares de 3. Eles são estranhos aos convênios da promessa.O convênio da graça sempre foi o mesmo para a substância, porém, tendo sofrido várias adições e melhorias nas várias eras da igreja, é chamado de convênios e convênios de promessa, porque é feito de promessas e, particularmente, contém o grande promessa do Messias e da vida eterna através dele. Agora, os efésios, em seu gentilismo, eram estranhos a essa aliança, nunca tendo tido nenhuma informação ou insinuação dela e todos os pecadores não regenerados são estranhos a ela, pois não têm interesse nela. Aqueles que estão sem Cristo e, portanto, não têm interesse no Mediador da aliança, não têm nenhuma nas promessas da aliança. 4. Eles não tinham esperança, isto é, além desta vida - nenhuma esperança bem fundamentada em Deus, nenhuma esperança de bênçãos espirituais e eternas. Os que estão sem Cristo e os estranhos da aliança, não pode ter boa esperança para Cristo e o convênio são o fundamento e o alicerce de todas as esperanças do cristão. Eles estavam em um estado de distância e distanciamento de Deus:Sem Deus no mundo, não sem algum conhecimento geral de uma divindade, pois eles adoravam ídolos, mas vivendo sem o devido respeito a ele, qualquer dependência reconhecida a ele e qualquer interesse especial nele. As palavras são ateus no mundo , embora adorassem muitos deuses, mas estavam sem o Deus verdadeiro.

 

O apóstolo prossegue ( Efésios 2:13 ) para ilustrar a feliz mudança que foi feita em seu estado: Mas agora, em Cristo Jesus, você que às vezes estava longe, etc. Eles estavam distantes de Cristo, de sua igreja, das promessas, da esperança cristã, e do próprio Deus e, portanto, de todo bem, como o filho pródigo no país longínquo: isso havia sido representado em Efésios 2: 11- 13 . Os pecadores não convertidos se afastam de Deus, e Deus os afasta: Ele mantém os orgulhos longe. "Mas agora em Cristo Jesus,etc., após a sua conversão, em virtude da união com Cristo, e o interesse nele pela fé, você está próximo. "Eles foram levados para casa para Deus, recebidos na igreja, levados ao convênio e possuidores de todos os outros privilégios. Por isso, observe que os santos são um povo próximo a Deus.A salvação está longe dos ímpios, mas Deus é uma ajuda à mão do seu povo e isso é pelo sangue de Cristo, pelo mérito de seus sofrimentos e morte. o pecador crente deve sua proximidade a Deus, e seu interesse em seu favor, à morte e sacrifício de Cristo.

 

Versículos 14-22

A união de judeus e gentios. 61 dC

14 Porque ele é a nossa paz, que nos fez tanto um, e derribou o muro de separação entre nós 15 Tendo abolido em sua carne a inimizade, mesmo a lei dos mandamentos contidos em ordenanças para criar em si mesmo dos dois um novo cara entãofazer as pazes 16 E para que ele reconcilie ambos a Deus em um corpo pela cruz, matando assim a inimizade: 17 E veio e pregou paz a vós que estavam longe, e aos que estavam perto. 18 Porque através dele nós dois temos acesso ao Pai por um Espírito. 19 Agora, pois, não sois mais estrangeiros e estrangeiros, mas concidadãos dos santos e da casa de Deus. 20 E edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo o próprio Jesus Cristo a principal pedra da esquina. 21 Em quem todo o edifício adequadamente enquadrados crescem até um templo sagrado no Senhor: 22 Nos quais também vós sois edificados para a habitação de Deus através do Espírito.

 

Chegamos agora à última parte do capítulo, que contém um relato dos grandes e poderosos privilégios que judeus e gentios convertidos recebem de Cristo. O apóstolo aqui mostra que aqueles que estavam em estado de inimizade são reconciliados. Entre os judeus e os gentios, havia uma grande inimizade, assim como entre Deus e todo homem não regenerado. Agora, Jesus Cristo é a nossa paz, Efésios 2:14 . Ele fez a paz pelo sacrifício de si mesmo e veio a reconciliar-se: 1. Judeus e gentios um com o outro. Ele criou os dois, reconciliando essas duas divisões de homens, que costumavam difamar, odiar e censurar-se antes. Ele quebrou a parede do meio da divisória,a lei cerimonial, que fez a grande disputa, e era o emblema da peculiaridade dos judeus, chamou o muro de separação por meio de alusão à divisória no templo, que separava a corte dos gentios daquela na qual somente os judeus teve liberdade para entrar. Assim, ele aboliu em sua carne a inimizade, Efésios 2:15 . Por seus sofrimentos na carne, tirou o poder vinculativo da lei cerimonial (removendo assim a causa da inimizade e da distância entre eles), que aqui é chamada lei dos mandamentos contidos nas ordenanças, porque ordenava uma multidão de ritos externos e cerimônias, e consistia em muitas instituições e compromissos sobre as partes externas da adoração divina.As cerimônias legais foram revogadas por Cristo, tendo sua realização nele. Ao tirá-los do caminho, ele formou uma igreja de crentes, fossem judeus ou gentios. Assim, ele fez de si mesmo dois homens novos. Ele enquadrou essas duas partes em uma nova sociedade, ou corpo do povo de Deus, unindo-as a si mesmo como cabeça comum, sendo renovadas pelo Espírito Santo e agora concordando com uma nova maneira de adoração ao evangelho, criando assim paz entre essas duas partes. festas, que eram muito diferentes antes. 2. Existe uma inimizade entre Deus e os pecadores, se judeus, gentios e Cristo vieram matar essa inimizade e reconciliá-los a Deus, Efésios 2:16.. O pecado gera uma disputa entre Deus e os homens. Cristo veio para assumir a discussão, e para terminá-la, reconciliando judeus e gentios, agora reunidos e reunidos em um corpo, a um Deus provocado e ofendido: e isto pela cruz, ou pelo sacrifício de na cruz, matando a inimizade por meio disso. Ele, sendo morto ou sacrificado, matou a inimizade que havia entre Deus e os pobres pecadores. O apóstolo passa a ilustrar as grandes vantagens que ambas as partes obtêm pela mediação de nosso Senhor Jesus Cristo, Efésios 2:17.. Cristo, que comprou a paz na cruz, veio, em parte em sua própria pessoa, como os judeus, que aqui se diz estarem próximos, e em parte em seus apóstolos, a quem ele comissionou para pregar o evangelho aos gentios, que são disse ter estado longe, no sentido que foi dado antes. E pregou a paz, ou publicou os termos da reconciliação com Deus e da vida eterna. Observe aqui: quando os mensageiros de Cristo entregam suas verdades, é com efeito o mesmo que se ele fizesse isso imediatamente. Dizem que ele deve pregar por eles, na medida em que quem os recebe o recebe, e quem os despreza (agindo em virtude de sua comissão e transmitindo sua mensagem) despreza e rejeita o próprio Cristo. Agora, o efeito dessa paz é o livre acesso que judeus e gentios têm a Deus (Efésios 2:18 ): Porque através dele, em seu nome e em virtude de sua mediação, nós dois temos acesso ou admissão à presença de Deus, que se tornou o Pai reconciliado comum de ambos: o trono da graça é erguido para nós chegar, e a liberdade de aproximação a esse trono nos é permitida. Nosso acesso é pelo Espírito Santo. Cristo comprou para nós deixarmos ir a Deus, e o Espírito nos dá um coração por vir e força por vir, mesmo graça para servir a Deus de maneira aceitável. Observe, nos aproximamos de Deus, por Jesus Cristo, com a ajuda do Espírito. Os efésios, após sua conversão, tendo acesso a Deus, assim como aos judeus, e pelo mesmo Espírito, o apóstolo lhes diz: Agora , pois, não são mais estrangeiros e estrangeiros, Efésios 2:19 . Isso ele menciona como oposição ao que ele havia observado deles em seu paganismo: agora eles não eram mais estrangeiros da comunidade de Israel, e não mais o que os judeus costumavam dar a conta de todas as nações da terra além de si (a saber, estranhos a Deus), mas concidadãos com os santos e com a família de Deus, isto é, membros da igreja de Cristo, e tendo direito a todos os privilégios dela. Observe aqui: a igreja é comparada a uma cidade, e todo pecador convertido está livre dela. Também é comparado a uma casa, e todo pecador convertido é um dos domésticos, um membro da família, um servo e um filho na casa de Deus. Em Efésios 2:20a igreja é comparada a um edifício. Os apóstolos e profetas são a base desse edifício. Eles podem ser chamados em um sentido secundário, sendo o próprio Cristo o fundamento principal, mas devemos compreendê-lo da doutrina proferida pelos profetas do Antigo Testamento e pelos apóstolos do Novo. Segue-se, o próprio Jesus Cristo sendo a principal pedra angular. Nele, judeus e gentios se reúnem e constituem uma igreja, e Cristo sustenta o edifício por sua força: em quem todo o edifício, adequadamente enquadrado, etc., Efésios 2:21 . Todos os crentes, dos quais consiste, estando unidos a Cristo pela fé e entre eles pela caridade cristã, crescem em um templo sagrado,tornar-se uma sociedade sagrada, na qual há muita comunhão entre Deus e seu povo, como no templo, eles o adoram e o servem, ele se manifesta a eles, eles oferecem sacrifícios espirituais a Deus e ele lhes distribui suas bênçãos e favores. . Assim, o edifício, pela natureza dele, é um templo, um templo sagrado para a igreja é o lugar que Deus escolheu para colocar seu nome ali, e se torna esse templo pela graça e força derivadas de si mesmo - no Senhor. A igreja universal sendo edificada sobre Cristo como a pedra fundamental, e unida em Cristo como a pedra angular, chega a ser glorificada nele como a pedra principal: em quem você também é edificado, etc., Efésios 2 : 22. Observe, não apenas a igreja universal é chamada templo de Deus, mas as igrejas particulares e até todo verdadeiro crente é um templo vivo, é uma habitação de Deus através do Espírito. Deus habita em todos os crentes agora, eles se tornaram o templo de Deus através das operações do Espírito abençoado, e sua morada com eles agora é um penhor de sua morada junto com ele até a eternidade.

FONTE http://www.mauricioberwald.com/