Translate this Page
  • Currently 2.56/5

Rating: 2.6/5 (265 votos)




ONLINE
4




Partilhe esta Página



 <!-- Go to www.addthis.com/dashboard to customize your tools -->
<script type="text/javascript" src="//s7.addthis.com/js/300/addthis_widget.js#pubid=ra-57f3fb36829d1888"></script>

 

 

  contadores de visitas 

 

Flag Counter


Visão geral do livro - Romanos
Visão geral do livro - Romanos

 

 

Visão geral do livro - Romanos

                                                    O autor. Paulo

                        ARTIGO MAURICIO BERWALD

um hebreu de descendência, natural de Tarso na Cilícia, e educado por Gamaliel, o grande mestre farisaico. Ele foi um dos perseguidores mais impiedosos dos primeiros cristãos, mas foi convertido pela aparição repentina do Senhor ressuscitado. Ele começou a pregar em Damasco, mas por causa da perseguição foi para a Arábia. Retornando da Arábia ele visitou Jerusalém e Damasco, e depois foi para a Cilícia, onde sem dúvida fez trabalho evangelístico até que Barnabé o procurou em Tarso e o levou a Antioquia, onde trabalhou um ano com Barnabé. Depois disso, subiram a Jerusalém com contribuições para os irmãos. Ao retornar a Antioquia, ele foi chamado pelo Espírito Santo para o trabalho missionário no qual ele continuou até a sua morte, fazendo pelo menos três grandes viagens missionárias,

 

Epístolas de Paulo. As epístolas de Paulo são comumente colocadas em quatro grupos como segue: (1) O grupo escatológico , ou aqueles que lidam com a segunda vinda de Cristo. Estes são eu e II. Tessalonicenses e foram escritos de Corinto por volta de 62 a 63 dC (2) O grupo anti-judaico , ou aqueles que crescem fora de controvérsia com professores judaísticos. Eles são eu Coríntios. II. Coríntios, gálatas e romanos, escritos durante a terceira viagem missionária, provavelmente em Éfeso, Filipos e Corinto. (3) O grupo cristológico , que centra seus ensinamentos em torno do caráter e obra de Jesus, e foi escrito durante o aprisionamento em Roma. Eles são Filipenses, Colossenses, Filemom, Efésios e Hebreus (muitos pensam que Paulo não escreveu Hebreus). (4) O Grupo Pastoral , ou aqueles escritos para jovens pregadores que tocam questões de organização da igreja e governo e instruções práticas relativas a evangelistas, pastores e outros obreiros cristãos. Eles são 1 Timóteo, 2 Timóteo e Tito.

 

Todas as epístolas de Paulo, a menos que sejam hebreus, caem muito naturalmente em cinco seções, como segue: (1) Uma introdução, que pode conter uma saudação, geralmente incluindo o assunto da epístola e o nome daqueles com Paulo como colaboradores. no momento da escrita, e uma ação de graças pelo bom caráter ou conduta daqueles a quem ele se dirige. (2) Uma Seção Doutrinária, na qual ele discute alguns grandes ensinamentos cristãos, que precisam de ênfase especial como o caso da igreja ou do indivíduo em questão. (3) Uma Seção Prática, na qual ele estabelece a aplicação prática dos princípios discutidos na seção doutrinária para a vida daqueles que são abordados. (4) Uma Seção Pessoal, na qual mensagens pessoais e saudações são enviadas para e por vários amigos. (5) uma conclusão,

 

A ocasião da epístola romana. (1) Paulo ansiava por ir a Roma (Atos 19:21) e agora esperava em breve fazê-lo (Romanos 15: 24-33). Ele pode, portanto, ter desejado que eles soubessem de sua doutrina antes de sua chegada, especialmente porque talvez tivessem ouvido alguns relatos falsos dela. (2) Foi logo depois que ele escreveu Gálatas e a mente de Paulo estava cheia da doutrina da justificação, e ele pode ter desejado escrever mais sobre o assunto, dando ênfase especial ao lado Divino da doutrina como ele havia dado ao humano. lado disso em Gálatas. (3) Então, também, ele pode ter sido mal compreendido em Gálatas e desejado ampliar seus ensinamentos. Em Gálatas o homem é justificado crendo, em Romanos Deus dá sua própria justiça ao crente para sua justificação. (4) Phoebe, uma mulher de influência e caráter cristão, um amigo de Paul,

 

A igreja em Roma. Foi sem dúvida em uma condição muito próspera o tempo da escrita de Paulo. Talvez tenha sido organizado por alguns judeus ouvidos e acreditados em Jerusalém, provavelmente no dia de Pentecostes. Enquanto seus membros incluíam judeus e gentios (1: 6-13; 7: 1), foi considerado por Paulo como especialmente uma igreja gentia (1: 3-7; 13-15).

 

Alguns Erros de Doutrina e Prática Ocorreram em Qual Necessária Correção. (1) Eles parecem ter entendido mal os ensinamentos de Paulo e ter afirmado que ele ensinou que quanto maior o pecado, maior a glória de Deus (3: 8). (2) Eles podem ter pensado que ele ensina que devemos pecar a fim de obter mais graça (6: 1) e, portanto, pode ter feito de seu ensino de justificação pela fé uma desculpa para conduta imoral. (3) Os judeus não reconhecem os cristãos gentios como iguais a eles no Reino de Cristo (1: 9, 29, etc.). (4) Alguns dos irmãos gentios, por outro lado, olhavam com desprezo para seus irmãos judeus estreitos e preconceituosos e fanáticos (14: 3). (5) Paulo, portanto, tinha como objetivo ganhar os judeus para a verdade cristã e os gentios para o amor cristão.

 

Conexão de Paulo com a Igreja. Ele nunca esteve lá até agora (1:11, 13, 15) e não é provável que outros apóstolos estivessem lá. Pois então Paulo não teria planejado ir desde que seu governo não deveria ir onde outro havia trabalhado (15:20; 2 Co 10: 14-16Conexão de Paulo com a Igreja. Ele nunca esteve lá até agora (1:11, 13, 15) e não é provável que outros apóstolos estivessem lá. Pois então Paulo não teria planejado ir desde que seu governo não deveria ir onde outro havia trabalhado (15:20; 2 Co 10: 14-16). Isso causa um duro golpe no catolicismo, alegando que Pedro foi o primeiro bispo de Roma. Se Paulo não o tivesse seguido, então Pedro não estava lá e o teste mais importante do papado é derrubado. Paulo tinha, no entanto, muitos amigos íntimos e conhecidos em Roma, muitos dos quais foram mencionados no capítulo 16. Entre eles estavam seus velhos amigos, Áquila e Priscilia.

 

O argumento do livro. As doutrinas do livro são consideradas e discutidas sob quatro proposições principais: (1) Todos os homens são culpados diante de Deus (judeus e gentios). (2) Todos os homens precisam de um Salvador. (3) Cristo morreu por todos os homens. (4) Todos nós, pela fé, somos um só corpo em Cristo.

 

Encontro. Provavelmente de Corinto, cerca de 58 dC

 

Tema. O dom da justiça de Deus como nossa justificação que é recebida pela fé em Cristo, ou justificação pela fé.

 

Análise.

 

Introdução, 1: 1-17.

 

  1. Todos os homens precisam de justiça, 1: 18-3: 20.

 

  1. Todos os homens podem ter justiça pela fé em Cristo (justificação) 3: 21-4 fim.

 

III Todos os que são assim justificados serão finalmente santificados, Chs. 5-8. A redenção final do crente é assim garantida.

 

  1. Pela nova relação com Deus que esta justiça dá. CH. 5

 

  1. Pelos novos reinos da graça que ele traz, Ch. 6 (sem morte neste reino).

 

  1. Pela natureza dada a ele, Ch. 7. Isso guerreia contra a velha natureza e vencerá.

 

  1. Pela nova possessão (o Espírito Santo) que ele dá, Ch. 8: 1-27.

 

  1. Pelo propósito preordenado de Deus para eles, 8: 28-39.

 

  1. Esta Doutrina Relacionada com a Rejeição dos Judeus, caps. 9-11.

 

  1. A justiça de sua rejeição, 9: 1-29.

 

  1. A causa de sua rejeição, 9: 30-10 final.

 

  1. As limitações de sua rejeição, cap. 11

 

  1. A Aplicação desta Doutrina à Vida Cristã, 12: 1-15: 13.

 

  1. Dever para com a consagração de Deus, 12-12.

 

  1. Dever de auto-uma vida santa, 12: 3 fim.

 

  1. Dever para com as autoridades do estado - honra, 13: 1-7.

 

  1. Dever para com a sociedade: amar a todos, 13: 8-10.

 

  1. Dever quanto à vigilância do retorno do Senhor, 13: 11-14.

 

  1. Dever para com o fraco-ajuda e paciência, 14: 1-15: 13.

 

Conclusão. 15: 14-16 fim. (1) Assuntos pessoais, 14:14 fim. (2) Saudações de despedida e avisos, cap. 16

 

Para estudo e discussão. (1) A saudação (1: 1-7). O que isso revela sobre (a) O chamado, dever e posição de um apóstolo ou pregador? (b) A posição, privilégios e deveres de uma igreja ou cristão individual? c) A relação da antiga dispensação com a nova? (d) a deidade de Cristo ou seu messianismo em cumprimento da profecia? (e) As diferentes pessoas da Trindade? (2) Estude o pecado como descrito em 3: 10-18, e o que pode ser aprendido sobre: ​​(a) O estado do pecado, (b) A prática do pecado, (c) A razão do pecado. (3) Abraão como um exemplo de justificação pela fé, cap. 4. (4) O plano e método pelo qual Deus resgata os homens do pecado, 5: 6-11. (5) O contraste entre Adão e Cristo. 5: 12-31. Ficamos mais em Cristo do que perdemos em Adão? (6) Por que uma questão sob graça não deve continuar em pecado, 6: 1-14. (7) Um homem convertido relação com a lei. 7: 1-6. (8) As diferentes coisas feitas para nós pelo Espírito Santo, 8: 1-27. (9) Os deveres práticos de um cristão, cap. 12. (10) Faça uma lista das seguintes "palavras-chave", mostrando quantas vezes e onde cada uma ocorre, e a forma de contorno da escritura faz referência aos ensinamentos sobre cada uma delas. Poder, pecado e injustiça, justiça, justificação, fé e crença, expiação, redenção, adoção, propiciação, eleição, predestinação.

FONTE MAURICIOBERWALD.COMUNIDADES.NET /ALBERT B./