Translate this Page

Rating: 2.6/5 (288 votos)




ONLINE
3




Partilhe esta Página



 <!-- Go to www.addthis.com/dashboard to customize your tools -->
<script type="text/javascript" src="//s7.addthis.com/js/300/addthis_widget.js#pubid=ra-57f3fb36829d1888"></script>

 

 

  contadores de visitas 

 

Flag Counter


Visão geral do livro - Gálatas
Visão geral do livro - Gálatas

 

Visão geral do livro - Gálatas

                           ARTIGO MAURICIO BERWALD

O país. (1) Politicamenteera a província romana que incluía Licaônia, Isauria e partes da Frígia e da Pisídia. (2) Geograficamente era o centro das tribos celtas e, nesse sentido, parece ser usado nesta epístola e em Atos ( Gálatas 1: 1 ; Atos 13:14; 14: 6 ; 16: 6 ; era a província romana que incluía Licaônia, Isauria e partes da Frígia e da Pisídia. (2) Geograficamente era o centro das tribos celtas, e neste sentido parece ser usado nesta epístola e em Atos (Gálatas 1: 1; Atos 13:14; 14: 6; 16: 6).

 

O povo celta. Eles eram descendentes dos gauleses que saquearam Roma no século IV aC e no século III aC invadiram a Ásia Menor e o norte da Grécia. Uma parte deles permaneceu na Galácia. predominando na população mista formada pelos povos grego, romano e judeu. Eles eram pessoas de temperamento rápido, impulsivas, hospitaleiras e volúveis. Eles foram rápidos em receber impressões e igualmente rápidos em desistir delas. Eles receberam Paulo com alegria entusiástica, e então foram subitamente rejeitados por ele ( Gálatas 4: 13-16).O povo celta. Eles eram descendentes dos gauleses que saquearam Roma no século IV aC e no século III aC invadiram a Ásia Menor e o norte da Grécia. Uma parte deles permaneceu na Galácia. predominando na população mista formada pelos povos grego, romano e judeu. Eles eram pessoas de temperamento rápido, impulsivas, hospitaleiras e volúveis. Eles foram rápidos em receber impressões e igualmente rápidos em desistir delas. Eles receberam Paulo com alegria entusiástica, e então foram repentinamente rejeitados por ele (Gálatas 4: 13-16).

 

As Igrejas da Galácia. Como e por quem essas igrejas foram estabelecidas, não sabemos. A grande estrada do Oriente para a Europa passou por esta região, tornando possível para alguns dos presentes no Pentecostes semear a semente do evangelho lá. Poderia ter surgido do trabalho feito por Paulo, enquanto em Tarso, a partir do momento de seu retorno da Arábia para ir a Antioquia com Barnabé. Mas a escritura não nos dá nenhuma palavra sobre isso.

 

Na segunda viagem missionária, Paulo os visitou ( Atos 16: 6 ) e parece ter ficado doente ao passar e pregar-lhes enquanto não podia viajar ( Gálatas 4: 14-15 ). Eles de bom grado receberam seus ensinamentos e as igrejas parecem ter surgido. Paulo também os visitou durante a terceira viagem missionária ( Atos 18:23).Na segunda viagem missionária, Paulo os visitou (Atos 16: 6) e parece ter ficado doente ao passar e pregar-lhes enquanto não podia viajar (Gálatas 4: 14-15). Eles de bom grado receberam seus ensinamentos e as igrejas parecem ter surgido. Paulo também os visitou durante a terceira viagem missionária (Atos 18:23) e instruiu e estabeleceu-os na fé. As igrejas estavam correndo bem quando Paulo as deixou, mas os professores judaizantes haviam entrado e, agindo de acordo com sua natureza inconstante e instável, haviam corrompido grandemente a simplicidade de sua fé.

 

A ocasião da epístola. (1) Professores judaizantes tinham ido entre os gálatas, alegando que a lei judaica era obrigatória para os cristãos, admitindo que Jesus era o Messias, mas alegando que a salvação deve, no entanto, ser obtida pelas obras da lei. Eles especialmente instaram que todos os gentios fossem circuncidados. (2) Para ganhar seu ponto de vista e desviar os gálatas de sua crença, eles estavam tentando enfraquecer sua confiança em Paulo, seu mestre espiritual. Eles disseram que ele não era um dos doze e, portanto, não era um dos apóstolos, e seus ensinamentos não eram de autoridade obrigatória. Eles sugeriram que ele havia aprendido sua doutrina de outros, especialmente dos apóstolos que eram os pilares da igreja.

 

O objetivo da epístola. O propósito da epístola era erradicar os erros de doutrina introduzidos pelos judaizantes e manter os gálatas à sua fé anterior. Para fazer isso, foi necessário estabelecer sua autoridade apostólica e a origem divina de seu evangelho. Ele também desejava mostrar o valor prático ou aplicação de seu ensino. Ele mostra especialmente o valor da liberdade cristã e, ao mesmo tempo, mostra que não é licença. Ao cumprir esses propósitos, ele nos deu um clássico inspirado sobre a doutrina fundamental da justificação pela fé e resolveu para sempre a questão inquietante da relação dos cristãos com a lei judaica.

 

Autor e Data. Foi escrito por Paulo, provavelmente de Corinto em 57 dC

 

Análise.

 

Introdução, 1: 1-10.

 

  1. Autoridade do Evangelho de Paulo, 1: 11-2 final.

 

  1. É independente do homem, 1:11 final.

 

  1. É o evangelho de um apóstolo, cap. 2

 

  1. Ensinamentos do Evangelho de Paulo, Chs. 3-4 Justificação pela fé.

 

  1. Sua experiência prova isso, 3: 1-5.

 

  1. O exemplo de Abraão atesta isso, 3: 6-8.

 

  1. A escritura ensina isto 3: 10-12.

 

  1. A obra de Cristo a provê, 3: 13-14.

 

  1. Seus resultados superiores demonstram isso. 3: 15-4: 20.

 

  1. As experiências de Sarah e Hagar e seus filhos ilustram isso, 4:21 final.

 

III Aplicação do Evangelho de Paulo à fé e conduta, 5: 1-6: 10.

 

  1. Ele os exorta a permanecer firmes na liberdade de Cristo; 5: 1-12; 5:12. Esta liberdade exclui o judaísmo.

 

  1. Ele os exorta a não abusar de sua liberdade, 5: 13-6: 10.

 

Conclusão, final de 6:11.

 

Para estudo e discussão. (1) Os perigos da inconstância (1: 6; 4: 9; 15:16). (2) Os métodos dos falsos mestres: (a) Seu principal método é atacar os homens proeminentes no movimento; (b) Eles geralmente apresentam outra pessoa como líder; Eles suplantariam Paulo com Pedro. (C) Pode-se considerar como um homem freqüentemente permitirá que a influência do outro seja minada se ele próprio for exaltado. (3) As razões que Paulo dá para mostrar que seu ensino não é do homem, 1:11 final. (4) A confirmação do chamado divino de Paulo, 2: 1-10. (5) Diferença entre um sob a lei e sob a fé, 4: 1-7. (6) As concupiscências da carne, os pecados do corpo e da mente estão incluídos, 5: 19-21. (7) Os frutos do espírito, 5: 22-23. (8) As palavras liberdade, luxúria, carne, espírito, obras da lei, vivem e morrem, servo e servidão, justificado, justiça, fé e fé.

FONTE MAURICIOBERWALD.COMUNIDADES.NET/ADAM CLARK