Translate this Page

Rating: 2.7/5 (307 votos)




ONLINE
2




Partilhe esta Página



 <!-- Go to www.addthis.com/dashboard to customize your tools -->
<script type="text/javascript" src="//s7.addthis.com/js/300/addthis_widget.js#pubid=ra-57f3fb36829d1888"></script>

 

 

  contadores de visitas 

 

Flag Counter


SUBSIO ADULTO N. 1 ADÃO PRIMEIRO HOMEM
SUBSIO ADULTO N. 1 ADÃO PRIMEIRO HOMEM

SUBSIO ADULTOS N. 1 ADÃO O PRIMEIRO HOMEM

MAURICIO BERWALD PROFESSOR ESCRITOR

GENESIS CAP.2

 

Verso 1

Assim, os céus e a terra foram terminados . ... Aperfeiçoados e completados no espaço de seis dias, gradualmente, sucessivamente, da maneira anteriormente relatada; pela palavra e poder de Deus, eles foram criados no primeiro dia do nada, mas não foram aperfeiçoados, embelezados, adornados e cheios, até que todas as criaturas do mundo fossem feitas:

 

e todo o exército deles , dos céus e da terra; o exército dos céus é o sol, a lua e as estrelas, freqüentemente chamados nas Escrituras, e também os anjos; veja Lucas 2:13portanto, isso pode ser considerado uma prova de sua criação no espaço de tempo acima, provavelmente no primeiro dia, embora os judeus digam no segundo; pois se todo o exército do céu foi feito naquele tempo, e os anjos são pelo menos uma parte desse exército, então eles devem ser criados; caso contrário, todo o exército do céu não era então e ali, como aqui afirmou: e o hospedeiro da terra, ou globo terrestre, são as plantas, ervas e árvores, as aves, peixes, animais e homem; e estes são como exércitos ou exércitos, muito numerosos e sob o comando de Deus, e são ordenados e mantidos em ordem por ele; até algumas das menores criaturas são seu exército, que está à sua disposição, e ele pode fazer uso do aborrecimento de outros, como particularmente os gafanhotos são chamados, Joel 2:11 .

 

Verso 2

E no sétimo dia Deus terminou sua obra, que ele havia feito , ... Não que Deus tenha feito algo no sétimo dia, ou terminado qualquer parte de sua obra naquele dia, porque não se podia dizer que ele descansava de todo o seu trabalho, como antes, é dito duas vezes fazer; e por causa dessa aparente dificuldade, as versões Septuaginta, Samaritana e Siríaca liam "no sexto dia". As duas últimas versões após a primeira, que foram traduzidas para o bem de Ptolomeu, rei do Egito, como dizem os judeusF1, para que ele não se oponha a que Deus fizesse alguma obra no dia de sábado; e JosefoF2observa que, Moisés diz que o mundo, e todas as coisas nele, foram feitas naqueles seis dias, como sem dúvida foram; e foram todos terminados no sexto dia, como aparece no último versículo do capítulo anterior; e, no entanto, não há ocasião para alterar o texto ou supor uma leitura diversa. Alguns, como Aben Ezra observa, consideram o sentido da palavra "antes do sétimo dia que Deus terminou sua obra", como pensam que ב pode ser traduzido, e como é por NoldiusF3: ou as palavras podem ser traduzidas "no sétimo dia, quando Deus terminou", ou "terminaram sua obra"F4, o que ele fez no sexto dia, depois

 

descansou no sétimo dia de todas as suas obras que havia feito ; não como se estivesse cansado de trabalhar, pois o Criador dos confins da terra não desmaia nem está cansado, Isaías 40:28 Isaías 40:28, mas como tendo feito todo o seu trabalho, e levou a tal perfeição, que ele não tinha mais o que fazer; não se pode dizer que ele deixou de criar indivíduos, como as almas dos homens, e mesmo todas as criaturas que são trazidas ao mundo por geração, mas de criar novas espécies de criaturas; e muito menos ele deixou de apoiar e manter as criaturas que havia criado em seus seres, e providenciar tudo de agradável para eles, governá-los e anular todas as coisas do mundo para fins de sua própria glória; nesse sentido, ele "trabalha até agora", como Cristo diz, João 5:17João 5:17.

 

Verso 3

E Deus abençoou o sétimo dia, e o santificou, .... Um dia em que ele teve deleite e prazer, tendo terminado todas as suas obras, e descansando delas, e olhando-as como muito boas; e assim ele declarou neste dia um dia bom e feliz, e "santificou" ou designou em sua mente um dia separado dos outros, para serviço e adoração santos; como aconteceu com os judeus quando eles se tornaram um corpo de pessoas, civil e eclesiástico: ou tudo isso é dito por meio de prolepsia ou antecipação, como muitas coisas neste capítulo são, muitos nomes de países e rios, pelos quais são chamados nos tempos de Moisés, aqui são dados a eles, embora não tenham sido chamados por eles tão cedo, nem até muitas eras depois: e de acordo com Jarchi essa passagem respeita o tempo futuro, quando Deus "abençoou" hoje com o maná, que desceu em todos os dias da semana, um omer para um homem, e no sexto dia comida dupla; e ele o "santificou" com o maná que não desceu naquele dia: além do mais, essas palavras podem ser lidas entre parênteses, como contendo um relato de um fato que foi feito, não no começo do mundo, e no primeiro sétimo dia dele; mas do que havia sido feito nos tempos de Moisés, que escreveu isso, depois de dar a lei do sábado; e isto sendo dado por suas mãos ao povo de Israel, ele aproveita a oportunidade para inseri-lo, e com muita pertinência, vendo a razão pela qual Deus, então, nos tempos de Moisés, abençoou o dia de sábado e o santificou: porque ele havia descansado naquele dia de todas as suas obras, como contendo um relato de um fato que foi feito, não no começo do mundo e no primeiro sétimo dia dele; mas do que havia sido feito nos tempos de Moisés, que escreveu isso, depois de dar a lei do sábado; e isto sendo dado por suas mãos ao povo de Israel, ele aproveita a oportunidade para inseri-lo, e com muita pertinência, vendo a razão pela qual Deus, então, nos tempos de Moisés, abençoou o dia de sábado e o santificou: porque ele havia descansado naquele dia de todas as suas obras, como contendo um relato de um fato que foi feito, não no começo do mundo e no primeiro sétimo dia dele; mas do que havia sido feito nos tempos de Moisés, que escreveu isso, depois de dar a lei do sábado; e isto sendo dado por suas mãos ao povo de Israel, ele aproveita a oportunidade para inseri-lo, e com muita pertinência, vendo a razão pela qual Deus, então, nos tempos de Moisés, abençoou o dia de sábado e o santificou: porque ele havia descansado naquele dia de todas as suas obras,Êxodo 20:11Êxodo 20:11 e a mesma razão é apresentada aqui, tirada claramente da lei que ele lhes havia entregue:

 

porque nele havia descansado de toda a sua obra que Deus criou e fez ; o que mostra que isso se refere não ao mesmo tempo em que Deus abençoou e santificou o sétimo dia, o que foi feito nos tempos de Moisés, mas ao que havia sido muito antes, e foi então dado como uma razão para impor isso; pois não é dito aqui, como no versículo anterior, "ele descansou", mas "descansou", mesmo desde a fundação do mundo, quando suas obras foram terminadas, como em Hebreus 4: 3Hebreus 4: 3 , o que "ele criou para faço"F5, como as palavras podem ser aqui renderizadas; que ele criou do nada, como fez na primeira matéria, a fim de fazer com que todas as coisas fossem feitas, e colocá-las nessa ordem, e trazê-las à perfeição que ele fez.

 

Verso 4

Estas são as gerações dos céus e da terra, quando foram criadas , .... Isto é, o relato acima, apresentado no capítulo anterior, é uma história da produção dos céus e da terra, e de todas as coisas em eles; a criação deles sendo uma espécie de geração, e o dia de sua criação uma espécie de aniversário; ver Gênesis 5: 1Gênesis 5: 1 .

 

no dia em que o Senhor Deus fez a terra e os céus; não significando nenhum dia em particular, nem o primeiro dia em que os céus e a terra foram criados; mas referindo-se ao tempo inteiro dos seis dias, em que tudo neles e relacionado a eles foi feito. Aqui outro nome é acrescentado a Deus, seu nome "Jeová", que expressa seu ser e perfeições, particularmente sua eternidade e imutabilidade, sendo o eterno e imutável "eu sou", que é, e foi e deve vir: este nome , de acordo com os judeus, não deve ser pronunciado e, portanto, eles colocam os pontos de "Adonai", direcionando-o para ser lido; e esses dois nomes, "Jeová Elohim", ou "Adonai" e "Elohim", com eles formam o nome completo e perfeito de Deus, e que eles observam é aqui muito pertinentemente dado a ele, mediante a perfeição e a conclusão de suas obras.

 

Verso 5

E toda planta do campo, antes que estivesse na terra , .... Isto é, Deus a fez, sim, quem fez os céus e a terra; pois essas palavras dependem do precedente e estão em estreita conexão com elas; significando que as plantas do campo, que foram feitas da terra no terceiro dia, foram feitas antes de serem plantadas nela, ou de que nenhuma semente foi plantada de onde elas poderiam prosseguir e, portanto, deve ser a produção imediata de divino poder:

 

e todas as ervas do campo antes de crescerem : as que imediatamente surgiram com perfeição da terra, antes que houvesse alguma que brotasse, e crescessem gradualmente até a perfeição, como as ervas agora:

 

pois o Senhor Deus não fez chover sobre a terra ; de modo que a produção de plantas e ervas em sua primeira formação não poderia ser devida a isso; pois no terceiro dia, quando foram feitas, não havia sol para exalar e arrastar as águas para as nuvens, a fim de voltar a cair na chuva.

 

e não havia homem para lavrar a terra ; que não foi criado até o sexto dia e, portanto, não podia se preocupar com o cultivo da terra e com as plantas e ervas nela; mas estes eram o produto do poder onipotente, sem o uso de qualquer meio: alguns escritores judeusF6pelas plantas e ervas do campo, compreendem misticamente o primeiro e o segundo Messias, pois às vezes fingem dois; ver Isaías 4: 2Isaías 4: 2 .

 

Verso 6

Mas subiu uma névoa da terra , .... Depois que as águas foram drenadas dela, e foram aquecidas pelo corpo de luz e calor criado no primeiro dia, o que causou um vapor, que subiu como uma névoa, e desceu:

 

e regou toda a face do chão ; ou terra, e assim supriu o lugar da chuva, até que isso foi dado: embora as palavras possam ser traduzidas disjuntivamente, "ou subiram"F7; isto é, antes de surgir uma névoa, quando ainda não havia; nem uma névoa para regar a terra, e plantas e ervas foram feitas para crescer; e assim Saadiah os lê negativamente, "nem a névoa subiu"; não havia vapores exalados para formar nuvens e produzir chuva, e ainda assim a terra inteira no terceiro dia estava coberta de plantas e ervas; e isso é aprovado por Kimchi e Ben Melech.

 

Versículo 7

E o Senhor Deus formou o homem do pó da terra , ... não do pó seco, mas, como JosefoF8diz, de terra vermelha macerada ou misturada com água; a noção semelhante HesíodoF9tem; ou fora do barro, como em Jó 33: 6Jó 33: 6, portanto, uma palavra é usada, traduzida como "formada", que é usada pelo oleiro que forma seu barro em que forma ele deseja: a matéria original da qual o homem foi feito era barro ; daí o barro de PrometeuF11com os pagãos; e Deus é o oleiro que o formou e lhe deu a forma que tem; veja Isaías 64: 8Isaías 64: 8 ; existem dois "jods", como se observa, na palavra, o que não é usual; respeitando, como Jarchi pensa, a formação do homem para este mundo, e para a ressurreição dos mortos; mas antes a formação dupla do corpo e da alma, uma é expressa aqui, e a outra na seguinte cláusula: e isso, como mostra o poderoso poder de Deus em produzir uma criatura do pó da terra, então serve para humilhar o orgulho do homem, quando ele considera que ele é da terra, terreno, pó e cinzas, é pó, e ao pó ele deve retornar.

 

E soprou em suas narinas o sopro da vida ; que, dessa maneira, entrou em seu corpo e o acelerou, que antes era um pedaço de barro sem vida, embora maravilhosamente modelado: é no número plural, o "sopro de vidas"F12, incluindo a vida vegetativa, sensível e racional do homem. E isto não foi produzido com o corpo dele, como eram as almas dos animais, e foi produzido pelo sopro de Deus, como o deles não; nem deles fora da terra, como era seu corpo: e essas duas produções diferentes mostram a natureza diferente da alma e do corpo do homem, uma é material e mortal, a outra é imaterial e imortal:

 

e o homem se tornou uma alma vivente ; ou um homem vivo, não apenas capaz de desempenhar as funções da vida animal, de comer, beber, caminhar etc. mas de pensar, raciocinar e discursar como uma criatura racional.

 

Verso 8

E o Senhor Deus plantou um jardim a leste no Éden , .... Ou "plantou"F13, pois isso não foi feito agora após a formação do homem, mas antes; e assim a palavra traduzida como "leste" pode ser traduzida, como é para alguns, "antes"F14: pois o claro significado é que Deus plantou um jardim antes de fazer o homem, mesmo no terceiro dia, quando todas as ervas, plantas e árvores foram produzidas fora da terra. O mundo inteiro era como um jardim, em comparação com o que é agora desde o outono: qual deve ser esse local de terra, esse jardim, que foi separado e distinto do resto, e a plantação mais imediata de Deus e, portanto, é chamado o jardim do Senhor, Gênesis 13:10Gênesis 13:10 e que PlatãoF15chama διος κηπος , "jardim de Jove?" Este jardim foi plantado no país do Éden, assim chamado muito provavelmente por ser um país muito agradável e delicioso; e embora não seja certo e não possa ser dito exatamente onde estava, parece fazer parte da Mesopotâmia, uma vez que é mencionada mais de uma vez com Haran, que estava naquele país, 2 Reis 19:122 Reis 19:12 e desde então. estava junto aos rios Tigre e Eufrates, quando se tornaram um riacho que atravessava este país e se separou novamente neste jardim; e o país lá, como HeródotoF16diz, é o mais frutífero que ele já viu; e parece muito melhor colocá-lo aqui do que na Armênia, onde se diz que está a fonte desses rios: então TournefortF17pensa que estava no país, ou na planície das três igrejas (ou Ejmiadzit), na Armênia, a cerca de vinte léguas francesas distantes dos chefes do Eufrates e Araxes, e quase o mesmo de Phasis, um país extremamente agradável e frutífero. Um homem muito instruídoF18é de opinião que o jardim do Éden ficava na terra da Judéia a leste, junto ao lago de Gennesaret ou Tiberíades, e ao lago de Asfaltitas, chamado mar morto, e absorva em sua bússola o famoso vale, ou a grande planície, e as planícies de Jericó, e grande parte da Galiléia, e toda aquela região pela qual o Jordão flui, de Gennesaret ao país de Sodoma; e ele toma o rio Jordão como יאר עדן , "o rio do Éden", de onde tem o nome de Jordão; e Gennesaret ele interpreta como se fosse גן שר, "Gansar", o jardim do príncipe, isto é, de Adão, o príncipe de toda a humanidade. Ele argumenta a partir da situação do lugar, e da agradável e fecunda produção, do bálsamo de Jericó e de outras plantas odoríferas que cresceram ali, e o que é chamado de maçã do paraíso; e deve ser possuído que este país seja abundante jardins e pomares: é mencionado no Misnah judeu, onde os comentaristasF19digamos, era um país na terra de Israel, no qual havia muitos jardins e pomares, que produziam excelentes frutos; e os frutos de Gennesaret são mencionados no TalmudeF20 como excessivamente doce: e com isso concorda o relato JosefoF21dá a entender que é "maravilhoso em natureza e bondade, e por sua fertilidade não recusa nenhuma planta; tudo é definido aqui; o clima do ar combina com coisas diferentes; aqui crescem nozes e mais frutas de inverno; e ali palmeiras, nutridos pelo calor, e perto deles figos e azeitonas, que exigem um ar mais suave - não apenas produz maçãs de diferentes tipos, além da crença, mas as preserva por muito tempo; e de fato a mais excelente das frutas; uvas e figos que fornece `` É possível observar ainda mais, que os Rabinos Judeus perguntam por que é chamado Gênesis, e a resposta é: porque גניסרים, "os jardins dos príncipes"; estes são os reis que têm jardins no meio dela: outra razão é dada, porque pertencia a Naftali, uma porção no meio dela, como é dito, e de "Naftali mil príncipes", 1 Crônicas 12:341 Crônicas 12: 34 .F23 E é digno de nota que Strabo chama Jericó, que estava dentro deste folheto, "o paraíso do bálsamo"F24; e lá, e aqui em diante, como Diodorus SiculusF25e JustinF26relacionar, cultivou esta planta aromática e em nenhum outro lugar; não foi encontrado em nenhuma outra parte do mundo. E parece nas Escrituras que, se a planície do Jordão não era o jardim do Éden, diz-se que era "como o jardim do Senhor", Gênesis 13:10Gênesis 13:10 e se o "caph" ou "as" não é uma nota de similitude, mas da realidade, como às vezes é, prova que é o próprio lugar; e o escritor erudito acima considera que não é comparativo, mas ilativo, como uma razão pela qual foi tão bem regada, porque era o jardim do Senhor: e os judeus têm alguma noção disso, pois dizem, se isso o jardim do Éden está na terra de Israel; Betsuã é a sua porta ou entrada; o brilho dá esse motivo, porque os frutos eram mais doces do que qualquer outroF1; e isso estava próximo, na entrada da grande planície antes mencionada; e antes de onde era esse lugar, como Josefo dizF2: e se o jardim do Éden estava nessas partes, pode-se observar que onde o primeiro Adão habitou pela primeira vez, e onde ele pecou e caiu, Cristo o segundo Adão freqüentemente esteve; aqui ele conversou muito, ensinou suas doutrinas, realizou seus milagres; e mesmo aqui ele apareceu após sua ressurreição dentre os mortos. Mas as opiniões dos homens sobre este lugar são muitas e há escassamente um país no mundo inteiro, mas um ou outro colocou o jardim do Éden nele; antes, alguns designaram um lugar para ele fora da terra, na oitava esfera. Esse jardim, sem dúvida, havia em algum lugar, e diz-se que ele é colocado "para o leste", na parte oriental do país do Éden, veja Gênesis 4:16 Gênesis 4:16ou ao leste do deserto, onde Moisés estava quando ele escreveu; ou ao leste da Judéia, como era a Mesopotâmia: e se esse jardim ficava na Judéia, o local designado pela pessoa instruída acima, ficava na parte oriental daquele país; ver Números 32:19 Números 32:19 . Este jardim era um emblema da igreja de Cristo na terra, que é um jardim fechado, cercado pelo poder divino e distinguido pela graça divina; uma pequena mancha em comparação com o mundo; é da plantação de Jeová e é propriedade dele; e é um Éden para o seu povo, onde eles desfrutam de muito prazer e deleite espiritual: ou, contudo, do lugar e estado da felicidade dos santos no outro mundo, muitas vezes chamado de paraíso em alusão a isso, Lucas 23:43Lucas 23:43. e que é o plantio de Deus, e, portanto, chamado o paraíso de Deus, e é um Éden, onde há prazeres para sempre: e isso parece ser o que os judeus querem dizer quando dizemF3, que o jardim do Éden, ou paraíso, foi criado antes do mundo; que não é outro senão o que Cristo diz sobre isso em outras palavras, Mateus 25:34Mateus 25:34 .

 

e lá ele colocou o homem que ele havia formado ; não assim que plantou o jardim, mas assim que criou o homem; e a partir daí é geralmente concluído que o homem foi feito sem o jardim, e trazido do lugar onde ele foi formado e colocado nele; e que alguns dizem que estava perto de Damasco: mas, onde quer que seja, é mais provável que não esteja longe do jardim; embora pareça não haver necessidade de supor que ele seja feito disso; pois colocá-lo nele pode significar a indicação e a ordem de ele estar lá, e o fixando e estabelecendo nele, para os fins e usos mencionados, ver Gênesis 2:15Gênesis 2:15 . (Após a destruição global do dilúvio de Noé, é duvidoso que a localização do Jardim do Éden possa ser determinada hoje com algum grau de certeza. Ed.)(NOTAS JHON GIL)

 

 

 

 

 

 

MAIS SUBSIDIOS CAP.2

 

 

 

Versículos 1-25

O Criador Explicado pela Criação

 

Gênesis 2: 2

 

Dada a Criação, encontrar o Criador, pelo menos conjecturar sobre Ele.

 

Dada a casa, descobrir algo sobre o construtor, ou o proprietário ou o ocupante. É uma casa grande; muito bem, então o homem por trás disso, que a criou ou é responsável por ela, deve ser um homem de alguma substância e propriedade. É uma casa artisticamente mobilada; toda peça de mobiliário foi colocada pelas mãos do amor exatamente no lugar certo, na luz certa e na relação correta com qualquer outra peça: então o homem que fez todo esse arranjo deve, necessariamente, ter a mente, o instinto ou o treinamento de um artista. Nenhuma casa jamais se fez; portanto, acho que os céus e a terra não podem ter se feito; nenhuma vela jamais acendeu seu próprio pavio; portanto, eu ficaria surpreso se as estrelas fossem seus próprios lampiões.

 

  1. Começo a sentir que, se alguém sugerisse que toda essa casa da criação foi construída por um Poder Infinito e uma Inteligência Infinita, eu deveria acreditar nele. De fato, parece que sim; todas as peças são tão vastas; A aritmética procurou calcular suas distâncias e, tendo escrito uma linha interminável de cifras, jogou o giz no chão e fugiu, porque não conseguia expressar em palavras suas próprias descobertas. Deus é tão grande em detalhes quanto na totalidade e maciça das coisas. Li no primeiro capítulo do livro de Gênesis a coisa mais surpreendente: que Deus disse "Haja luz", e Ele fez a grama, e não há senso de anticlímax ou retrocessão na ação do poder Divino. Deus está fornecendo uma casa para alguém, e Ele não deixará que alguém encontre a grama;

 

II Deus se aproximou ainda mais de nós na obra que Ele fez e que Ele terminou. Ele encarnou a Si mesmo, Ele se infundiu, Ele se encarnou. Ali está a encarnação! Qual é o nome dele? Adão - "Deus criou o homem à Sua própria imagem, à imagem e semelhança de Deus o criou". Essa é a solução ousada do grande problema da existência humana, dado pela Bíblia.

 

III Em toda a obra que Ele realizou, ele alguma vez falou? Ele falou o tempo todo. Às vezes, penso que há um som como um canto moderado, um salmo reprimido que percorre toda a ação da Criação. "Deus disse" - então falou? Sim; tudo começa na palavra. O homem não fez palavras? Não; todas as palavras foram feitas antes que o homem entrasse em cena. Foram palavras tão grandes que o primeiro Orador usou na construção de Sua casa de céu e terra.

 

Deus não apenas disse, Deus abençoou; por assim dizer, pôs Sua graciosa mão direita sobre as coisas e disse a cada uma: Muito bom; tome o seu lugar, cumpra o propósito que escrevi no salmo do seu coração. Deus não apenas disse e abençoou, Deus chamou: deu nomes às coisas, deu nomes a grandes espaços e deixou alguns pequenos pedaços de coisas que poderíamos nomear, mas todos os grandes nomes amplos, nomes de compreensão, nomes que compreendem a totalidade e o destino das coisas, ele mesmo fez.

 

IV Somos convidados, por uma meditação como essa, a não entrar na eternidade, a eternidade metafísica e impensável, a encontrar Deus; somos convidados a ficar diante do primeiro monte, antes da primeira pedra escrita que conta sua história em musgo facial; somos convidados a sair para o crepúsculo e perguntar: Quem fez isso, quem construiu isso, quem mantém isso em ordem, quem garante que esses planetas não caiam nessa cabeça? Certamente o argumento sobre o qual a fé cristã é construída é eminentemente razoável, é um argumento que aplicamos ao longo de toda a linha de nossa experiência; então, quando chegamos aos mistérios mais profundos, às grandes verdades espirituais, estamos preparados para entrar no santo dos santos exatamente no grau em que caminhamos cuidadosa, inteligentemente e amorosamente pela linha do que pode ser chamado de criação natural e natural. fenômenos.

 

Somos solicitados no Novo Testamento a acreditar que Deus redimiu o homem. Com muita ação, a redenção está implícita na criação. Nunca esqueça que as palavras têm não apenas um significado superficial, mas um significado implícito, um significado envolvido e oculto, que deve ser retirado e permitido desenvolver em toda a plenitude de sua beleza e poesia. Então leia, criado significa redimido, como o começo significa o fim.

 

Joseph Parker, City Temple Pulpit, vol. vii. p8.

 

Referências. - II: 3. - F. Corbett, Pregadores "Year, p41. RS Candlish, O Livro de Gênesis, p18. II: 4. - FW Robertson, Notes on Genesis, p16.

 

Gênesis 2: 7Gênesis 2: 7

 

Quando? Se você olhar na margem da sua Bíblia, verá "4004 anos antes de Cristo". Isso está certo? Não faz parte do livro original. É apenas uma nota marginal que foi feita ali por quem calculou de acordo com as genealogias daqueles homens que, geração por geração, sucederam Adão. Mas não serve.

 

  1. Idade por idade. - Lemos esta manhã sobre a criação do mundo. Lemos à noite uma continuação da história e daquela época em que o Senhor Deus formou o homem do pó da terra. Temos aqui neste livro de Gênesis um relato de sete dias reais de vinte e quatro horas? "E a tarde e a manhã foram o primeiro dia" "" e a tarde e a manhã foram o segundo dia "" e assim por diante. Certamente não. O que a ciência nos revelou sobre tudo isso? Ele nos revelou que a Criação, como a mantemos agora, deve ter levado algo como 4000 milhões de anos, pelo menos. Deus trabalha muito devagar, e quando lemos sobre Deus trabalhando dia após dia, sabemos que quem escreveu essas palavras significa "idade por idade". "E a tarde e a manhã foram o primeiro dia." Por quê,

 

II A identidade da ciência e a Bíblia - Como Deus tem trabalhado então? A ciência nos ensina muito e, se não acreditarmos na ciência, ficaremos muito inquietos em nossas mentes e diremos a nós mesmos: O que acontece com este livro? é verdade? pode ser confiável? E então lembramos que nosso Senhor Jesus Cristo tomou este livro como verdadeiro e citado a partir dele, e diremos a nós mesmos: Ele estava enganado demais? Mas não devemos fazer isso. O que quer que a ciência nos ensine de maneira precisa e justa, devemos enfrentar, e nunca precisaremos ter medo, se o fizermos, para que a verdade da ciência colidir com a santa palavra de Deus. O que realmente encontramos neste livro de Gênesis? linguagem científica precisa.Nós achamos que quem escreve este livro diz que, através de longas eras, Deus criou um mundo, Para nós, como crentes no único Deus verdadeiro, para nós, como cristãos, os seguidores do Santo, o Filho de Deus, isso é muito simples. Deus trabalhou através das eras longas, começando na matéria inorgânica, depois por Seu poder criador deu vida que fez o vegetal, depois por Seu poder criador soprou naquela vida que fez o animal viver com sua consciência, e então criou o ser espiritual de Deus. cara. Através das longas e longas erasA oração de Manassés, se você preferir, foi desenvolvida pelo poder de Deus. Ora, é uma linguagem bíblica! "O Senhor Deus formou o homem do pó da terra." Então, o que importa para nós se os homens científicos encontram restos fósseis do homem que devam existir há muito tempo antes dos 4004 anos atrás mencionados na margem? Esperamos que eles encontrem isso. Então Deus tem trabalhado, então Deus tem evoluído, se você quiser, do pó da terra, por Seu poder onipotente, a criatura que agora é homem.

 

III A relação do homem com Deus. - Você não é um pedaço de terra, não é um vegetal, não é apenas um animal consciente de seu ser - é um homem criado por Deus, é o resultado do todo-poderoso de Deus trabalhando, Deus soprou em você o sopro da vida e você se tornou uma alma vivente. Você é eterno, um filho de Deus criado à imagem de Deus e com poderes espirituais. Oh, é um ancestral maravilhoso! Oh, é uma dignidade maravilhosa ter alcançado pelo poder de Deus! Estamos vivendo como se apenas Terra? Estamos vivendo apenas como vegetais neste mundo? Estamos vivendo apenas como animais, conscientes do prazer ou da dor dos animais? Ou estamos vivendo como podemos viver - como filhos de Deus, conscientes, vivos, reais - filhos de Deus em quem é a eternidade?

 

Little Souls

 

Gênesis 2: 7Gênesis 2: 7

 

  1. Pequenas almas. Ouvimos pessoas mencionadas como boas almas, pobres almas, e assim por diante, vamos pensar agora naqueles que podem ser chamados de pequenas almas.

 

Nos jardins à moda antiga, era costume cortar os arbustos e as árvores, que a natureza pretendia crescer grandes e luxuriantes, até que se tornassem atrofiadas e empequenecidas, e até grotescas. As pessoas tratam suas almas da mesma maneira. Eles não os deixam crescer como Deus planeja, mas continuam cortando-os, por assim dizer. Não há desenvolvimento, crescimento e, portanto, nenhuma beleza em suas vidas; eles meramente atrofiam as almas. Deus pretende que nossas almas cresçam e se desenvolvam como nosso corpo. Um cristão deve crescer, avançar. Suas palavras de ordem são: subir mais, excelsior, amplius, mais alto, mais largo, até chegarmos a uma perfeita oração de Manassés, à medida da estatura de Cristo.

 

II Marcas de uma pequena alma.

 

  1. Pessoas com pequenas almas têm uma visão estreita da religião.

 

  1. As pessoas de alma pequena têm uma visão estreita do dever.

 

  1. Pessoas com pequenas almas estão querendo simpatia.

 

III O dever de ter uma visão mais ampla. - Vamos tentar ter uma visão mais ampla das coisas, da vida, da religião, do dever e de nossas responsabilidades. Vamos cultivar uma simpatia mais ampla pelas necessidades dos outros, em vez de nos sentarmos sobre o nosso pequeno embrulho de espinhos.

 

—JJ Wilmot-Buxton, Notas de Sermões para o Ano, pp114-20.

 

Gênesis 2: 7Gênesis 2: 7

 

A natureza do homem era aquela em que Deus finalmente daria Sua revelação coroada , e para isso nenhuma preparação poderia parecer extravagante. Fascinante e cheia de maravilhas, como é a história do passado que a ciência nos revela; Por mais lentos que esses milhões de anos sejam os indícios da riqueza inesgotável da natureza, e misteriosa como a demora parece, todo esse gasto de recursos é eclipsado e todo o atraso justificado quando todo o trabalho é coroado pela Encarnação, por nele vemos que todo esse processo lento foi a preparação de uma natureza na qual Deus poderia se manifestar como pessoa para as pessoas.

 

- Marcus Dods.

 

Referências. - II: 7. - J. Keble, Sermons for Septuagesima, pág. 108. J. Budgen, Parochial Sermons, vol. ii. p40; Sermões para Christian Tear, vol. iii. p108. J. Aspinall, Parish Sermons, pág. J. Laidlaw, A Doutrina Bíblica de Oração de Manassés, p . RW Evans, Parochial Sermons, p293. II: 8. - HJ Wilmot-Buxton, Lições para Objetos Bíblicos, p203. C. Perren, Revival Sermons, p301. WL Watkinson, The Blind Spot, pág. R. Fetherston, A Garden Eastward, p. II: 9-J. Keble, Sermões para a Semana Santa, p446. A. Ainger, Sermões Pregados na Igreja do Templo, pág. II: 12. WL Watkinson, As Cinzas das Rosas, p. II: 15. - RE Hutton, A Coroa de Cristo, pág.

 

Ouro e Onyx não são suficientes

 

Gênesis 2:12Gênesis 2:12

 

Ouro, bdélio e ônix - do que mais ele precisava? Não é este um inventário suficiente da terra? Precisava de um rio. Terra sem rio é areia, nada, uma grande imagem horrível de inutilidade e desespero. Mas se tem ouro, bdélio e ônix, não é proveitoso? Não; não é mais a sua vida. Você tem ouro, chiclete, ônix cinza e pedras preciosas, mas nenhum rio; escreva-se pobre, faça-se falido na corte do céu.

 

Você pode usar essa metáfora do rio em muitos sentidos. Os emblemas de Deus são capazes de serem divididos em vários aspectos e conduzidos em várias linhas de aplicação prática. A metáfora não se limita apenas à água; há outras coisas que podem representar água na elaboração deste grande argumento.

 

  1. Aqui está um homem que tem grande capacidade. Ele é um homem de perspicácia e previsão, equilibra bem as coisas, seus julgamentos são sólidos, seus talentos são até brilhantes. Então, por que ele não tem sucesso na vida? Por falta do rio. Que rio é esse? Capital. Ele é mais aberrante do que muitos, cheio de recursos, muito rápido à vista e muito seguro no cálculo, mas você também pode tentar navegar em um grande navio americano em uma bacia de água e levar adiante todas as possibilidades de seu talento quando estiver na falta de capital, ouro e bdélio e ônix. A graça divina utiliza todos os nossos poderes, dá-lhes margem, faz com que cresçam, satisfaça suas aspirações, enobrece seus usos, e podemos ter tudo, exceto a riqueza de Deus, a riqueza da graça, a riqueza do caráter, a capacidade suficiente, até esplendor do intelecto o suficiente, mas nenhum rio de graça, nenhum rio do ouro verdadeiro, nenhum rio do capital espiritual. O que, então, tudo isso significa? Ruína. Não há como o esplendor encontrar o caminho para o céu.

 

II Aqui está um homem que tem capital, ouro, bdélio e ônix, e seus saldos pecuniários são tão grandes que ele mal se importa em contá-los; e ainda assim ele deve ter pena. Por quê então? Falta do rio. Que rio? Saúde! A saúde transforma pedras em ouro, desertos em jardins; a saúde cria estrelas para a meia-noite e se deleita com o esplendor dos planetas; a saúde é um milagre contínuo, a saúde abre caminho para si mesma; e o homem que está sendo retratado por minha imaginação neste momento tem tudo, menos saúde. Se Deus enviasse aquele Pison, aquele riacho, aquele membro do grande rio quádruplo do Éden em sua vida, o homem levaria um rei.

 

III Aqui está uma vida notável: o homem tem aprendizado, grande capacidade intelectual e muitos atributos que outros homens podem desejar ou invejar; e, no entanto, oh, quão triste é essa vida! O que ele quer? O Rio. Que rio? Luz do sol, o rio claro.

 

IV E outra figura que me agrada é a de um homem em solidão dolorida. Ele poderia fazer muito em determinadas circunstâncias, mas nas circunstâncias que agora o esmagam, ele não pode fazer nada. O que ele quer? O Rio. Que rio? O rio de um amigo forte. Alguns de nós não eram nada até o amigo forte se apossar de nós, e então nos expandimos para algo, e fomos considerados de reputação e influência. Há um amigo que se aproxima mais do que um irmão, um amigo acessível a todos, o nome imutável é Jesus de Nazaré, a quem os judeus assassinaram, mas a quem Deus ofereceu em sacrifício: Ele é o amigo de todos.

 

Joseph Parker, City Temple Pulpit, vol. Eu. p69.

 

O Padrão de Justiça

 

Gênesis 2: 16-17Gênesis 2: 16-17

 

"O pecado é a transgressão da lei." Antes que possamos entender as conseqüências do pecado, devemos tentar entender a natureza da lei. Se o fatalismo religioso está morto, o fatalismo científico não carece de seus profetas. Dizem-nos que o ambiente é tudo. Você não pode escolher o que vai pensar, dizer ou fazer. Não há vontade no homem de dominar os impulsos soberanos da natureza.

 

  1. O primeiro ponto que nos impressiona é que, se isso é verdade, todo o governo do mundo é uma injustiça monstruosa. Se não houver vício a ser punido, é um escândalo que a punição deve ser infligida. O fato é que a teoria se desintegra diante da consciência real dos homens. A natureza moral do homem é uma comunicação especial de Deus.

 

II Chegamos ao ponto em que o problema da revelação começa a nos enfrentar. Se é verdade, como sentimos, que podemos obedecer ou desobedecer à vontade de Deus, qual é essa vontade? Como isso foi revelado ao homem? A educação da consciência é um grande processo histórico. Neste segundo capítulo de Gênesis,e, de fato, em toda a Bíblia, a revelação é representada como sendo de dois tipos - interna e externa. No próprio espírito e natureza de um homem feito à semelhança de Deus, há uma certa revelação elementar da vontade de Deus. Em toda consciência existem certas linhas amplas de certo e errado. Andar como às vezes somos incentivados a fazer à luz da natureza, como se isso bastasse, é simplesmente cortejar a degeneração e a decadência. A vida espiritual precisa, como qualquer outra vida, ser mantida viva por um ambiente espiritual amigável. Viver em Deus, absorver Seu poder vivificante e vitalizador, dar ouvidos a Seus mandamentos e ser renovado e fortalecido por Sua graça - essas não são fábulas das Escrituras, mas experiências de vida dos homens. A revelação é do exterior e também do interior.

 

III Mandamentos sem exemplo, sem ilustração, são moralmente de muito pouco efeito. "Como você pode definir em palavras onde termina a indulgência legítima e onde começa o vício positivo? O que é lícito para mim pode não ser conveniente por causa do meu irmão." Eras atrás, em resposta à necessidade humana, os Dez Mandamentos foram dados. Os dez mandamentos cresceram e se tornaram um sistema e governo de vida completos. Os rabinos disseram "assim e assim você deve viver". Mas, no entanto, eles não podiam ensinar ao mundo em palavras a vontade de Deus.

 

IV Deus explicou e definiu. Mas a mente do homem não podia compreender. Restava um caminho e apenas um. Era que o próprio Deus deveria ter em mãos a tarefa da vida e vivê-la diante do mundo. Ele é o fim e a coroa da revelação.

 

-C. Silvester Horne, Christian World Pulpit, vol. xxxix. p78.

 

Reference, - II: 16-17. - AW Momerie, A Origem do Mal, p.

 

Satanás na História

 

Gênesis 2:18 Gênesis 2:18 ; Gênesis 3: 4Gênesis 3: 4

 

E entre essas duas vozes, a educação e a disciplina do homem foram conduzidas desde o primeiro dia até agora. Nunca vamos fechar os olhos para os fatos. Há uma tentação de evitar assuntos desagradáveis; essa tentação é um dos truques do diabo.

 

  1. "E o Senhor Deus disse ..." "E a serpente disse ...", e ambos falaram praticamente na primeira página do primeiro livro da Bíblia; o diabo estava quase tão instantaneamente presente quanto Deus. "E Deus disse ..." "E a serpente disse ...", e às vezes eles são misturados e interligados, e você dificilmente pode discriminar entre um tom e outro.

 

Se eu olhar para o exterior a terra, na medida em que seja acessível para minha observação, não posso deixar de encontrar provas suficientes de que há um inimigo, chame-o com o nome que desejar, responda por ele como quiser e negue-o, se quiser; Não posso explicar certos fatos amplos, eventos, colisões, tragédias, desgraças, perdas, além da sugestão de que há um inimigo incansável; Não consigo rastrear tudo para um bom pai. Ainda não sou capaz de dizer que todas as coisas são puras, doces, benéficas, curadoras e cheias de bem-aventurança. Pelo contrário, posso dizer: Há um inimigo aqui, ou ali, ou além; Deus nunca cavou uma sepultura, Deus nunca infligiu dor; deve haver por trás de toda a dor que Ele inflige uma razão ou sugestão que se refere a alguma outra força alienígena e antagônica e mais cruel.

 

II É maravilhoso como a Bíblia do começo ao fim, da quase primeira página à última, de maneira ampla e definitiva, reconhece a personalidade e o ministério de uma pessoa má. O lodo da serpente está em todas as páginas, suas presas atravessam todas as folhas de rosa e a beleza de verão da vida e do tempo.

 

Até voltarmos a fatos fundamentais, não podemos pregar o Evangelho; de fato, não teremos evangelho para pregar. Não foi até "a serpente disse" que outra voz respondeu: "A semente da mulher ferirá a cabeça da serpente". O discurso da serpente é a primeira página, a primeira sentença, na teologia cristã.

 

III Agora, tão visivelmente em um caso como no outro, certamente existe um espírito bom no exterior, um espírito santo redentor, um espírito gentil, terno e simpatizante, um poder benigno que não nos deixará até que a ferida vermelha seja esfolada e essa pele se tornou uma segurança suficiente e permanente. A Bíblia não cria Deus; Vejo Deus em providência, vejo-o em minha própria vida, vejo-o na vida familiar de todos os meus amigos; Ele quer tempo para o desenvolvimento de Sua personalidade e a revelação completa de Seu desígnio e o esboço completo e o alcance de Seu propósito benéfico.

 

(1) Lembre-se de que o poder da serpente é limitado. Ele está acorrentado, não pode adicionar um elo à sua corrente; ele não pode esticá-lo, não é uma corrente elástica, é inflexível.

 

(2) E o ministério do maligno é educacional se recebido adequadamente. Ensina-nos o que somos, o que podemos nos tornar, ensina-nos a necessidade de resgatar o amor, ensina-nos a vaidade do amor, a transitoriedade das coisas pelas quais esbanjamos nossa afeição.

 

(3) E o poder do diabo é revelador. Isso nos ajudará a entender o lado maior e mais completo das coisas; isso nos ajudará a prestar contas de algumas coisas que, de outra forma, perturbariam nossa fé. Satanás pode apenas fazer uma certa quantidade de travessuras; a quantidade de malícia retornará sobre sua própria cabeça; e um dia, longe, veremos como foi que, sem saber, o inimigo era um dos nossos amigos.

 

Joseph Parker, City Temple Pulpit, vol. vii. p21.

 

Referências. - II: 18. - G. Bainton, Christian World Pulpit, vol. xxxviii. p163. J. Aspinall, Sermões Paroquiais (1série), p250. CJ Ridgeway, O Rei e Seu Reino, p20. II: 21, 24. - Arcebispo Bourne, Sermons em Westminster Alley, p96. II: 22 - JCM Bellew, Sermons, vol. iii. p344. S. Leathes, Estudos em Gênesis, p31.

 

Eva, o Desdobrado

 

Gênesis 2:23Gênesis 2:23

 

O segundo capítulo de Gênesis é uma tentativa de pintar não a criação, mas o casamento da mulher. É um esforço para delinear o dia não de seu nascimento, mas de seu surgimento. Existem três períodos indicados no desenvolvimento dessa mulher primitiva - um período de inocência ou inconsciência, um período de expansão consciente e um período de auto-repressão consciente ou voluntária. A imagem de Eva é um desdobramento desses estágios. Ela começa, por assim dizer, no subsolo. Ela é inicialmente invisível no jardim. É o seu período de inconsciência, espontaneidade, existência que nunca se viu no espelho nem ficou diante da barra de seu próprio tribunal.

 

O segundo período de desenvolvimento feminino. Eva tornou-se a amante da terra de Adão. A espontaneidade está morta, a falta de arte está morta, a simplicidade está morta. É ela, e não Adão, que desperta primeiro nas glórias do jardim. A primeira convicção de ser bonita pode transmitir-lhe uma seus dons a ordenaram para um ministério que deveria torná-la menos e não mais livre, mas há outra maneira pela qual a mulher pode ser afetada por seu orgulho no espelho.É essa última experiência e não a anterior que é o caso de Eva. O encanto de sua possessão recém-descoberta a deslumbrou. Sua satisfação tem suas raízes no egoísmo sem vergonha. Ela é tentada pela oferta da sabedoria de ser um Deus. A tentação da mulher no Éden não é uma tentação de desobedecer, mas a tentação de se apossar de algo que só pode ser obtido através da desobediência. Qual é esse pecado da mulher - extravagância.

 

O terceiro estágio - contração consciente. A mulher típica do mundo geralmente se acalma. A cena de seu império se estreita. Não é uma inclinação de seu orgulho. É o orgulho de algo novo, algo mais nobre. Chegou a Eva - maternidade.

 

 

MAURICIOBERWALD.COMUNIDADES.NET