Translate this Page

Rating: 2.7/5 (307 votos)




ONLINE
1




Partilhe esta Página



 <!-- Go to www.addthis.com/dashboard to customize your tools -->
<script type="text/javascript" src="//s7.addthis.com/js/300/addthis_widget.js#pubid=ra-57f3fb36829d1888"></script>

 

 

  contadores de visitas 

 

Flag Counter


Subsidio n.12 jovens código de etica
Subsidio n.12 jovens código de etica

CODIGO DE ETICA DE JESUS SUBSIDIO N.12

MAURICIO BERWALD PROFESSOR ESCRITOR

Palavra Chave

 

Ética: Conjunto de princípios e valores nos quais a sociedade se pauta.

O cristão, como sal da terra e luz do mundo, não adere aos valores da sociedade mundana rebelada contra Deus. Ao contrário, sua vida é orientada pelos altos princípios esposados pelas Escrituras. Enquanto os valores morais do mundo são relativos e mutáveis, os padrões éticos divinos mostram-se infalíveis no combate às trevas morais e espirituais da pós-modernidade: “Lâmpada para os meus pés é tua palavra e luz, para o meu caminho” (Sl 119.105).Portanto, é imprescindível ao crente não apenar afastar-se dos pecados dessa sociedade, mas condená-los com veemência (Ef 5.11). É grande a nossa responsabilidade diante de Deus!

 

  1. UM MUNDO SEM A ÉTICA BÍBLICA
  2. O mundo jaz no maligno (1 Jo 5.19). Satanás reina sobre os ímpios. Ele é o pai de todos os que mentem e praticam o mal, imitando-o em suas obras malignas (Jo 8.44; 1 Jo 3.8,10).Jesus o chamou de “príncipe deste mundo” (Jo 12.31; 14.30; 16.11). Os homens sem Deus estão subordinados à sua sinistra vontade e, por conseguinte, dominados pelos desejos da carne, pela soberba da vida, e pelo pecado (1 Jo 2.16). Esta é a razão pela qual há tantos males nos corações dos ímpios: atitudes perniciosas, vícios, violência e crimes (Gn 6.2-6). Aqueles que não se orientam pela Palavra de Deus vivem, geralmente, afastados dos preceitos morais e éticos mais elevados.

 

  1. A trágica situação espiritual do mundo e do Brasil. A sociedade descrente está perdida.

No que diz respeito à saúde e à valorização da vida humana, por exemplo, a situação é caótica. Mais de 40 milhões de abortos são realizados por ano, em todo o mundo. No Brasil, morre todos os anos mais gente vítima de acidente de trânsito (40.000) e de homicídio (50.000) do que nas mais sangrentas guerras do planeta. Os acidentes rodoviários, quase sempre, são causados por motoristas embriagados; e as vítimas dos homicídios, geralmente, são jovens entre 15 e 24 anos.

E as drogas? Infelizmente, elas têm dominado muitas escolas, faculdades e praças públicas. O sexo livre entre adolescentes e jovens, motivado pela mídia e por uma educação perniciosa, é outro grande problema que enfrentamos nesta sociedade pós-moderna. De fato, conforme diz a Bíblia, o mundo jaz no Maligno.3. A falha da sociedade em educar os cidadãos. As instituições públicas e privadas, bem como as famílias, têm falhado na educação de nossas crianças, adolescentes e jovens. A razão é muito simples. A sociedade de hoje vem desprezando sistematicamente os princípios morais, éticos e espirituais ensinados pela Palavra de Deus. Muitos adolescentes são induzidos ao falso “sexo seguro” por determinadas associações tidas como educacionais. Nossos jovens recebem pouca ou nenhuma informação acerca do perigo das drogas e, apesar disso, nada é feito para combatê-la efetivamente. Sob o argumento de que as instituições devem ser amorais, a própria sociedade contribui para a falta de moral e ética no mundo.O mundo se encontra numa situação moral e espiritual de calamidade, porquanto não vive de acordo com a ética bíblica.

 

  1. PRINCÍPIOS ÉTICOS DA BÍBLIA

 

  1. O princípio da fé (Rm 14.22,23). Aqui vemos que o crente deve ter fé, ou seja, convicção diante de Deus quanto ao que faz ou deixa de fazer. Ele não precisa recorrer a modelos humanos para posicionar-se quanto aos seus atos ou palavras. Se tiver dúvida, não deve fazer, pois “tudo o que não é de fé é pecado”.2. O princípio da licitude e da conveniência (1 Co 6.12). O cristão não deve fazer as coisas simplesmente porque são lícitas, mas porque lhe convém à luz da Palavra de Deus. É lícito, por exemplo, ausentar-se da Escola Dominical para dedicar-se ao lazer? Claro que sim. Mas… Convém? O que não é proveitoso nem útil deve ser evitado. A licitude diz respeito à liberdade do crente, mas a conveniência fala de suas virtudes, valores e responsabilidades.
  2. O princípio da licitude e da edificação (1 Co 10.23). Não basta ser lícita, é necessário que a conduta do crente seja proveitosa para sua edificação espiritual. Devemos rejeitar tudo aquilo que não edifica a vida cristã.
  3. O princípio da glorificação a Deus (1 Co 10.31). Este é um princípio elevadíssimo. Tudo o que o crente faz deve ser feito “como ao Senhor e não aos homens” (Cl 3.23); isto é, toda a glória deve ser dada unicamente a Deus.
  4. O princípio da ação em nome de Jesus (Cl 3.17). Tudo que o crente faz deve ser feito em nome de Jesus, isto é, debaixo da autoridade e do poder desse nome. Tudo o que você se dispõe a fazer pode ser feito em nome de Jesus?
  5. O princípio do respeito ao irmão mais fraco (1 Co 8.9-13). Este princípio fala dos nossos relacionamentos. Aqui, o fundamento é o amor e não a liberdade cristã. A Palavra afirma que não devemos escandalizar o crente mais fraco, mesmo que tenhamos consciência de que o que estamos fazendo não é pecado.Os princípios da ética bíblica são os seguintes: a fé, a licitude e a conveniência, a licitude e edificação, a glorificação a Deus, a ação em nome de Jesus e o respeito ao irmão mais fraco.

 

III. A ÉTICA CRISTÃ É PARA TODAS AS FAMÍLIAS

 

As leis de muitos países favorecem à imoralidade e à falta de ética na sociedade. Muitas delas são estabelecidas sob a égide de filosofias materialistas, relativistas e pluralistas. A Bíblia, todavia, trás em seu âmago todos os referenciais éticos e morais para a plena felicidade da família em qualquer civilização. Os que os rejeitarem ficarão perdidos, inseguros, sem rumo e orientação. O resultado disso é a tragédia moral que vem se abatendo, especialmente sobre a família, e a sociedade como um todo.

  1. A ética para os pais (Ef 6.4). Deus estabeleceu um padrão ético e moral para toda a família. O marido não é apenas a cabeça da mulher, mas da família (Ef 5.22,23; 1 Tm 3.4). Ele deve amar sua esposa como Cristo amou a Igreja; e a mulher deve sujeitar-se ao marido como a Igreja está sujeita a Cristo (Ef 5.22-33). Contudo, a educação dos filhos é dever de ambos, marido e mulher: “E vós, pais” (Ef 6.1). Vejamos alguns princípios éticos para os pais.
  2. a) O relacionamento com os filhos. A Bíblia ensina que os pais não devem provocar a ira a seus filhos, mas sim, criá-los na doutrina e admoestação do Senhor (Ef 6.4). Eles devem ter pelos filhos o mesmo respeito, amor e paciência que o Pai celestial demonstra para com eles. Muitos pais modernos preocupam-se mais com o desempenho de seus filhos na escola, no trabalho e na igreja, do que com o bom relacionamento que devem ter com eles. Em função disso, tratam-lhes com austeridade e injustiça, razão pela qual alguns se tornam desobedientes e rebeldes. Quanto à disciplina, deve ser aplicada com moderação e sabedoria (Pv 19.18; 1 Tm 3.4).
  3. b) O cuidado com a educação espiritual dos filhos. A responsabilidade dos pais sobre os filhos também envolve o crescimento espiritual deles: “criai-os na doutrina e na admoestação do Senhor” (Ef 6.4). “Criar” aqui refere-se tanto ao desenvolvimento do caráter (admoestar) quanto ao ensino no caminho da justiça (doutrina). Os filhos, quando bem instruídos, jamais se esquecem da Palavra de Deus (Pv 22.6). É a educação dos pais que os protege e previne contra as drogas, a prostituição, a imoralidade e todo tipo de vícios e males (Dt 11.18-21).
  4. A ética para os filhos (Ef 6.1,2). A obediência dos filhos aos pais deve refletir a mesma submissão manifestada no relacionamento com o Senhor Jesus: “sede obedientes a vossos pais no Senhor” (Ef 6.1). Assim como obedecem a Deus, devem também obedecer aos pais, pois isto é justo e “agradável ao Senhor” (Cl 3.20). Os filhos devem “honrar” os pais porque é um mandamento do Senhor (Ef 4.2). É obedecendo aos pais que eles serão ricamente abençoados por Deus: “para que te vá bem”. Dentre essas prósperas bênçãos está a longevidade: “e vivas muito tempo sobre a terra”.Deus estabeleceu um padrão ético e moral para a família. Tanto pais como filhos receberam instruções bíblicas para o pleno desenvolvimento espiritual e crescimento harmonioso da família.A Palavra de Deus é um guia seguro e infalível para conduzir o crente neste mundo de trevas morais e espirituais. A Igreja do Senhor Jesus Cristo é formada de pessoas que são “sal da terra” e “luz do mundo”. Portanto, sejamos exemplos para esta sociedade pós-moderna.

O cristão, como sal da terra e luz do mundo, não adere aos valores da sociedade mundana rebelada contra Deus. Ao contrário, sua vida é orientada pelos altos princípios esposados pelas Escrituras. Enquanto os valores morais do mundo são relativos e mutáveis, os padrões éticos divinos mostram-se infalíveis no combate às trevas morais e espirituais da pós-modernidade: "Lâmpada para os meus pés é tua palavra e luz, para o meu caminho" (Sl 119.105).

 

Portanto, é imprescindível ao crente não apenar afastar-se dos pecados dessa sociedade, mas condená-los com veemência (Ef 5.11). É grande a nossa responsabilidade diante de Deus!

 

  1. UM MUNDO SEM A ÉTICA BÍBLICA

 

  1. O mundo jaz no maligno (1 Jo 5.19). Satanás reina sobre os ímpios. Ele é o pai de todos os que mentem e praticam o mal, imitando-o em suas obras malignas (Jo 8.44; 1 Jo 3.8,10).

 

Jesus o chamou de "príncipe deste mundo" (Jo 12.31; 14.30; 16.11). Os homens sem Deus estão subordinados à sua sinistra vontade e, por conseguinte, dominados pelos desejos da carne, pela soberba da vida, e pelo pecado (1 Jo 2.16). Esta é a razão pela qual há tantos males nos corações dos ímpios: atitudes perniciosas, vícios, violência e crimes (Gn 6.2-6). Aqueles que não se orientam pela Palavra de Deus vivem, geralmente, afastados dos preceitos morais e éticos mais elevados.

 

  1. A trágica situação espiritual do mundo e do Brasil. A sociedade descrente está perdida.

 

No que diz respeito à saúde e à valorização da vida humana, por exemplo, a situação é caótica. Mais de 40 milhões de abortos são realizados por ano, em todo o mundo. No Brasil, morre todos os anos mais gente vítima de acidente de trânsito (40.000) e de homicídio (50.000) do que nas mais sangrentas guerras do planeta. Os acidentes rodoviários, quase sempre, são causados por motoristas embriagados; e as vítimas dos homicídios, geralmente, são jovens entre 15 e 24 anos.

 

E as drogas? Infelizmente, elas têm dominado muitas escolas, faculdades e praças públicas. O sexo livre entre adolescentes e jovens, motivado pela mídia e por uma educação perniciosa, é outro grande problema que enfrentamos nesta sociedade pós-moderna. De fato, conforme diz a Bíblia, o mundo jaz no Maligno.

 

  1. A falha da sociedade em educar os cidadãos. As instituições públicas e privadas, bem como as famílias, têm falhado na educação de nossas crianças, adolescentes e jovens. A razão é muito simples. A sociedade de hoje vem desprezando sistematicamente os princípios morais, éticos e espirituais ensinados pela Palavra de Deus. Muitos adolescentes são induzidos ao falso "sexo seguro" por determinadas associações tidas como educacionais. Nossos jovens recebem pouca ou nenhuma informação acerca do perigo das drogas e, apesar disso, nada é feito para combatê-la efetivamente. Sob o argumento de que as instituições devem ser amorais, a própria sociedade contribui para a falta de moral e ética no mundo.

 

O mundo se encontra numa situação moral e espiritual de calamidade, porquanto não vive de acordo com a ética bíblica.

 

 

 

  1. PRINCÍPIOS ÉTICOS DA BÍBLIA

 

  1. O princípio da fé (Rm 14.22,23). Aqui vemos que o crente deve ter fé, ou seja, convicção diante de Deus quanto ao que faz ou deixa de fazer. Ele não precisa recorrer a modelos humanos para posicionar-se quanto aos seus atos ou palavras. Se tiver dúvida, não deve fazer, pois "tudo o que não é de fé é pecado".

 

  1. O princípio da licitude e da conveniência (1 Co 6.12). O cristão não deve fazer as coisas simplesmente porque são lícitas, mas porque lhe convém à luz da Palavra de Deus. É lícito, por exemplo, ausentar-se da Escola Dominical para dedicar-se ao lazer? Claro que sim. Mas... Convém? O que não é proveitoso nem útil deve ser evitado. A licitude diz respeito à liberdade do crente, mas a conveniência fala de suas virtudes, valores e responsabilidades.

 

  1. O princípio da licitude e da edificação (1 Co 10.23). Não basta ser lícita, é necessário que a conduta do crente seja proveitosa para sua edificação espiritual. Devemos rejeitar tudo aquilo que não edifica a vida cristã.

 

  1. O princípio da glorificação a Deus (1 Co 10.31). Este é um princípio elevadíssimo. Tudo o que o crente faz deve ser feito "como ao Senhor e não aos homens" (Cl 3.23); isto é, toda a glória deve ser dada unicamente a Deus.

 

  1. O princípio da ação em nome de Jesus (Cl 3.17). Tudo que o crente faz deve ser feito em nome de Jesus, isto é, debaixo da autoridade e do poder desse nome. Tudo o que você se dispõe a fazer pode ser feito em nome de Jesus?

 

  1. O princípio do respeito ao irmão mais fraco (1 Co 8.9-13). Este princípio fala dos nossos relacionamentos. Aqui, o fundamento é o amor e não a liberdade cristã. A Palavra afirma que não devemos escandalizar o crente mais fraco, mesmo que tenhamos consciência de que o que estamos fazendo não é pecado.

 

Os princípios da ética bíblica são os seguintes: a fé, a licitude e a conveniência, a licitude e edificação, a glorificação a Deus, a ação em nome de Jesus e o respeito ao irmão mais fraco.

 

III. A ÉTICA CRISTÃ É PARA TODAS AS FAMÍLIAS

 

As leis de muitos países favorecem à imoralidade e à falta de ética na sociedade. Muitas delas são estabelecidas sob a égide de filosofias materialistas, relativistas e pluralistas. A Bíblia, todavia, trás em seu âmago todos os referenciais éticos e morais para a plena felicidade da família em qualquer civilização. Os que os rejeitarem ficarão perdidos, inseguros, sem rumo e orientação. O resultado disso é a tragédia moral que vem se abatendo, especialmente sobre a família, e a sociedade como um todo.

 

  1. A ética para os pais (Ef 6.4). Deus estabeleceu um padrão ético e moral para toda a família. O marido não é apenas a cabeça da mulher, mas da família (Ef 5.22,23; 1 Tm 3.4). Ele deve amar sua esposa como Cristo amou a Igreja; e a mulher deve sujeitar-se ao marido como a Igreja está sujeita a Cristo (Ef 5.22-33). Contudo, a educação dos filhos é dever de ambos, marido e mulher: "E vós, pais" (Ef 6.1). Vejamos alguns princípios éticos para os pais.

 

  1. a) O relacionamento com os filhos. A Bíblia ensina que os pais não devem provocar a ira a seus filhos, mas sim, criá-los na doutrina e admoestação do Senhor (Ef 6.4). Eles devem ter pelos filhos o mesmo respeito, amor e paciência que o Pai celestial demonstra para com eles. Muitos pais modernos preocupam-se mais com o desempenho de seus filhos na escola, no trabalho e na igreja, do que com o bom relacionamento que devem ter com eles. Em função disso, tratam-lhes com austeridade e injustiça, razão pela qual alguns se tornam desobedientes e rebeldes. Quanto à disciplina, deve ser aplicada com moderação e sabedoria (Pv 19.18; 1 Tm 3.4).

 

  1. b) O cuidado com a educação espiritual dos filhos. A responsabilidade dos pais sobre os filhos também envolve o crescimento espiritual deles: "criai-os na doutrina e na admoestação do Senhor" (Ef 6.4). "Criar" aqui refere-se tanto ao desenvolvimento do caráter (admoestar) quanto ao ensino no caminho da justiça (doutrina). Os filhos, quando bem instruídos, jamais se esquecem da Palavra de Deus (Pv 22.6). É a educação dos pais que os protege e previne contra as drogas, a prostituição, a imoralidade e todo tipo de vícios e males (Dt 11.18-21).

 

  1. A ética para os filhos (Ef 6.1,2). A obediência dos filhos aos pais deve refletir a mesma submissão manifestada no relacionamento com o Senhor Jesus: "sede obedientes a vossos pais no Senhor" (Ef 6.1). Assim como obedecem a Deus, devem também obedecer aos pais, pois isto é justo e "agradável ao Senhor" (Cl 3.20). Os filhos devem "honrar" os pais porque é um mandamento do Senhor (Ef 4.2). É obedecendo aos pais que eles serão ricamente abençoados por Deus: "para que te vá bem". Dentre essas prósperas bênçãos está a longevidade: "e vivas muito tempo sobre a terra".

 

"A moral bíblica

Essa nova abertura para argumentos morais dá aos cristãos uma extraordinária oportunidade para defender a posição de que viver de acordo com a ordem moral bíblica é mais saudável tanto para indivíduos como para a sociedade. E há uma crescente gama de evidências científicas que podemos usar para apoiar nossa argumentação. Estudos médicos estão confirmando que aqueles que frequentam a igreja com regularidade e agem coerentemente com a fé têm melhor saúde física e mental. Considere alguns achados recentes.Uso do álcool. O uso do álcool é maior entre aqueles com pouco ou nenhum compromisso religioso. Um estudo descobriu que quase 89% dos alcoólatras perderam o interesse pela religião durante sua juventude [...].

 

Estabilidade familiar. Vários estudos descobriram uma forte correlação inversa entre a frequência à igreja e o divórcio, enquanto outro determinou que a frequência à igreja é o indicador mais importante da estabilidade do casamento.(COLSON, C.; PEARCEY, N. E agora, como viveremos. RJ: CPAD, 2000, p.367-69.)Exigimos verdade de nossas crianças, no entanto, naturalmente contamos nossas mentiras aqui e ali, sem nos darmos conta. Demandamos santidade de nossos jovens, entretanto, vivemos uma vida de pecados ocultos, por pensamentos, palavras ou obras. Pregamos a unidade da igreja, mas participamos de disputas e contendas entre nós mesmos. É hora de vivermos aquilo que ensinamos.

 

                COMENTARIO DE MATEUS 5.13-19

Verso 13

Vós sois o sal da terra - o sal torna os alimentos agradáveis ​​e palatáveis, e preserva da putrefação. Assim, os cristãos, por suas vidas e instruções, devem manter o mundo inteiro da corrupção moral. Ao derrubar a bênção de Deus em resposta às suas orações, e por sua influência e exemplo, eles salvam o mundo do vício e do crime universais.

 

O sal perdeu o sabor - Ou seja, se ficou sem gosto ou perdeu suas propriedades de preservação. O sal usado neste país é um composto químico - cloreto de sódio - e se a salinidade se perdesse ou se perdesse o sabor, não restaria nada. Entra na própria natureza da substância. Nos países do leste, no entanto, o sal usado era impuro ou misturado com substâncias vegetais ou terrosas, de modo a perder toda a sua salinidade, e uma quantidade considerável de matéria terrestre permanece. Isso não serviu para nada, exceto que foi usado para colocar em caminhos ou passeios, como usamos cascalho. Esse tipo de sal ainda é comum naquele país. É encontrado na terra em veias ou camadas e, quando exposto ao sol e à chuva, perde completamente a salinidade. Maundrell diz: “Eu quebrei um pedaço, do qual a parte que foi exposta à chuva, sol, e o ar, embora tivesse faíscas e partículas de sal, ainda assim perdera perfeitamente o sabor. A parte interna, que estava conectada à rocha, manteve seu sabor, como descobri por prova. Então, o Dr. Thomson (A Terra e o Livro , vol. ii. pp. 43,44), diz: “Tenho visto muitas vezes apenas como sal, ea disposição idêntica de que nosso Senhor mencionou. Um comerciante de Sidon, tendo cultivado do governo a receita da importação de sal, trouxe uma quantidade imensa dos pântanos de Chipre - o suficiente, de fato, para abastecer toda a província por pelo menos 20 anos. Isso ele havia transferido para as montanhas, para enganar o governo de uma pequena porcentagem. Sessenta e cinco casas em junho - a vila de Lady Stanhope foi alugada e cheia de sal. Essas casas têm apenas pisos de terra e o sal próximo ao chão, em alguns anos, estragado. Vi grandes quantidades, literalmente jogado na rua, para ser pisada sob os pés por pessoas e animais. Foi bom para nada.

 

“Nesse sentido, deve-se afirmar que o sal usado neste país não é fabricado pela fervura de água salgada limpa, nem extraído de minas, mas é obtido a partir de pântanos à beira-mar, como em Chipre, ou de lagos salgados no interior, que secam no verão, como o deserto ao norte de Palmyra e o grande lago de Jebbul, a sudeste de Alepo.

 

“Maundrell, que visitou o lago em Jebbul, nos diz que encontrou sal ali que havia perdido completamente o sabor”, e o mesmo ocorre entre os destroços de Usdum e em outras localidades de Rocksalt, no extremo sul do Mar Morto. . De fato, é um fato bem conhecido que o sal deste país, quando em contato com o solo ou exposto à chuva e ao sol, se torna insípido e inútil. Da maneira como é coletada, muita terra e outras impurezas são necessariamente coletadas com ela. Nem um pouco é tão impuro que não pode ser usado, e esse sal logo se esvai e se transforma em pó - mas não em solo frutífero. Não é bom apenas para nada, mas na verdade destrói toda a fertilidade onde quer que seja jogada; e esta é a razão pela qual é lançada na rua. Existe uma espécie de verossimilhança verbal na maneira pela qual nosso Senhor alude ao ato: 'é expulso' e 'pisado sob os pés'; tão problemático é este sal corrompido, que é cuidadosamente varrido, levado adiante e jogado na rua. Não há lugar na casa, quintal ou jardim onde possa ser tolerado. Ninguém permitirá que ela seja jogada em seu campo, e o único lugar para isso é a rua, e lá é lançada para ser pisada pelos homens.

Verso 13

Mateus 5:13

 

Sal da terra.

 

Os eleitos de Deus

 

 

  1. Aqui está a sublime definição de Cristo da vida cristã e daqueles que compõem Sua Igreja. A Igreja existe mais pelo bem do mundo do que por si. Os discípulos de Cristo devem ser salvadores dos outros.

 

 

II Não é essa a doutrina da eleição como nosso Salvador a entendeu? O povo de Deus é escolhido, não para seu próprio conforto, mas para mostrar aos homens a beleza da vida Divina e elevá-los ao mesmo nível.

 

 

III É qualidade mais que quantidade que faz a obra de Deus no mundo. Toda a história e progresso são, no fundo, a história de vida dos poucos escolhidos.

 

 

IV Deve ser um grande objetivo de nossa oração e esforço manter o padrão moral e espiritual dos poucos eleitos. ( JG Greenhough, MA )

 

A purificação da sociedade

 

  1. Os discípulos de Jesus Cristo devem procurar impedir a corrupção da literatura.

 

  1. Eles devem procurar evitar a corrupção dos divertimentos públicos.

 

  1. Eles devem procurar evitar a corrupção da vida paroquial e política.

 

  1. Eles devem procurar evitar a corrupção da vida comercial. ( GW McCree. )

 

O grande chamado dos discípulos de Cristo

 

  1. O sal é destinado a nutrir: é um artigo de comida. Os piedosos devem nutrir a terra espiritualmente.

 

  1. O sal é destinado a preservar.

 

  1. O sal também tem um poder consumidor. Há algo nítido, cortante e agressivo. Colocado em uma ferida é doloroso. O cristão muitas vezes faz mal aos homens para curá-los. ( T. Christlieb, DD )

 

Sal sem sabor

 

Essas palavras devem ter parecido ridiculamente presunçosas quando foram ditas pela primeira vez.

 

 

  1. A alta tarefa dos discípulos de Cristo, conforme aqui apresentada. Essa metáfora envolve duas coisas: um julgamento grave sobre o estado atual da sociedade e uma afirmação elevada sobre o que os seguidores de Cristo podem fazer por isso. Está corrompido; você não salga uma coisa viva. É poder e obrigação do bem deter a corrupção por sua própria pureza. O exemplo dos homens cristãos não é apenas repressivo, deve tentar tudo o que é mais puro nas pessoas com quem eles entram em contato. O sal faz seu trabalho ao ser colocado em contato próximo com o que ele deve trabalhar. Ele faz seu trabalho silenciosamente, discretamente, gradualmente.

 

 

II A grave possibilidade de o sal perder seu sabor. É evidente que existe a obliteração da distinção entre o sal e a massa na qual é inserido. Existe alguma diferença entre o seu ideal de felicidade e o irreligioso?

 

 

III A pergunta solene: existe a possibilidade de revalorizar o sal sem sal, de restaurar o sabor perdido? Essas palavras não devem ser levadas ao extremo.

 

 

IV O fim certo do sal sem sal. Você não pode colocá-lo no solo; não há virtude fertilizante nela. Você não pode nem jogá-lo no lixo; fará mal lá. Coloque-o na estrada; irá parar um recanto em algum lugar entre as pedras quando uma vez for pisado pelos calcanhares dos homens. É para isso que serve. Deus não tem utilidade para isso; o homem não tem utilidade para isso. ( A. Maclaren, DD )

 

 

  1. O mundo como constituindo a esfera particular da influência do cristão. Estado moral do mundo em geral, e aquela parte em particular onde nossa influência é mais sentida. Quão insensíveis somos disso, etc.

 

 

II Ilustre e aplique essa verdade interessante e importante. Explique a metáfora. Todos os verdadeiros crentes em Jesus são denominados "sal da terra", porque tudo o que é divino, santo e precioso existe neles e somente neles. A influência moral do cristão, como é exercida, aplica-se à Igreja em sua capacidade coletiva.

 

 

III A decadência da vida interior, manifestada no vigor debilitado da influência cristã, figurada pelo "sal que perdeu o sabor", e sua conseqüente falta de lucro. O sal pode novamente ser salgado - a vida interior pode ser revivida. ( Dr. O. Winslow. )

 

Cristãos chamados sal

 

O ideal de um caráter cristão ativo e eficiente. É como sal. Quão?

 

 

  1. Nos seus elementos constituintes. Como o sal é composto de cloro e sódio quimicamente unidos, o caráter cristão é composto de fé e obras em união.

 

(a) Como o gás cloro é um veneno mortal por si só, a fé sem obras mata.

 

(b) Como o metal sódio é desprovido apenas da qualidade salvadora do sal, as obras sem fé são desprovidas de mérito para salvar a alma.

 

(c) Como a união química dos dois elementos forma uma terceira substância, com uma qualidade nova e útil, a fé e as obras, quando unidas, dão vida e eficiência ao caráter cristão.

 

 

II Nos seus efeitos.

 

(a) Como o sal evita a corrupção e a deterioração da matéria animal e vegetal, o caráter cristão é o antídoto do vício no indivíduo e na sociedade.

 

(b) Como o sal promove a digestão e, assim, previne doenças mortais, o caráter cristão permite à alma digerir e lucrar com as várias dispensações da Providência.

 

(c) À medida que o sal torna a comida saborosa e desagradável, o caráter cristão adoça as decepções da vida e transforma suas cruzes em coroas. ( PS Davis. )

 

Existem três idéias sugeridas pela representação no texto.

 

 

  1. O primeiro é insipidez, ou insípido.

 

 

II A segunda idéia é loucura e ignorância,

 

  1. A verdadeira religião é sabedoria.

 

  1. A maldade é loucura.

 

  1. Os homens maus são tão imprudentes quanto ofensivos a Deus.

 

  1. A verdadeira piedade é uma evidência de uma mente bem-experiente e iluminada.

 

 

III A terceira idéia é tendência à deterioração.

 

Sal usado no serviço batismal

 

A Igreja Latina, em sua forma materialista, emprega sal real no serviço batismal. O padre coloca na boca da pessoa, adulto ou bebê, que é batizado. É uma cerimônia não autorizada; mas é uma espécie de testemunha tradicional da obrigação de todos os cristãos de ter em si aquilo que o sal pode simbolizar. ( Dr. D. Fraser. )

 

Sal e luz solar

 

Um provérbio romano une luz solar e sal como as duas coisas que mantêm o mundo vivo e doce. Homero chama isso de Divino; Platão a substância clara para os deuses; Pitágoras falou disso como o emblema da justiça, e nossa fraseologia comum, seguindo os escritores gregos e latinos, a escolheu como símbolo de inteligência e sabedoria, de tudo o que dá graça à fala, refinamento ao pensamento, pungência à escrita e individualidade ao caráter. A idéia, então, que a metáfora nos lábios do Salvador sugere é que Seus discípulos são o elemento nobre e indispensável no mundo; eles adoçam, purificam e enriquecem seu trabalho, pensamentos, relações sociais, alegrias, leis e literatura. Eles o salvam da corrupção, decomposição e morte moral. O grande mar da vida, como o mar que lava nossa costa, ficaria podre sem ele. (JG Greenhough, MA )

 

Influência do trabalho de poucos a muitos

 

Você se lembra da famosa sexta forma de Arnold of Rugby? Ele trouxe os meninos que compuseram a primeira classe para uma relação mais íntima consigo mesmo e deu a eles seus ensinamentos mais seletivos, para que eles pudessem torná-los modelos de honra, pureza, sobriedade e piedade; forte com o senso de dever, digno pelo pensamento de sua responsabilidade, para que eles possam dar um tom saudável a toda a escola e que deles possa fluir um fluxo contínuo de influência purificadora e elevadora. “Se eu tiver confiança na minha sexta forma”, disse Arnold, “não trocaria meu lugar pela posição mais elevada do mundo.” Eles eram o sal da escola, como os discípulos de Cristo devem ser o sal da terra.

 

Sal sem sal

 

Maundrell , que visitou o lago em Jebbful, nos diz que encontrou ali sal que havia "completamente perdido o sabor", e o mesmo existe entre os escombros.em Usdum e em outras localidades de sal-gema no extremo sul do: Mar Morto. É um fato bem conhecido que o sal deste país, se deixado por muito tempo em contato com o solo, se torna insípido e sem gosto. Da maneira como é coletada, muita terra e outras impurezas são necessariamente coletadas com ela. Um pouco disso é tão impuro que não pode ser usado de todo, e tais Bali logo florescem e se transformam em pó - não em solo frutífero. Não é apenas "bom para nada", mas na verdade destrói toda a fertilidade onde quer que seja jogada; e esta é a razão pela qual é lançada na rua, para ser “pisada pelos pés dos homens”. ( WM Thomson, DD )

 

Sal comum

 

Comum sal, o cloreto de sódio, é uma substância extremamente abundante na natureza. É encontrado em depósitos quase inesgotáveis ​​como sal-gema em várias partes do mundo: desses depósitos surgem fontes de salmoura, fortemente impregnadas de sal; e a água do oceano, assim como a de vários mares interiores, mantém-na em solução em quantidade inconcebível. A partir dessas várias fontes, o sal é preparado para uso como condimento indispensável na alimentação humana e como matéria-prima em várias indústrias químicas importantes e extensas. No Reino Unido, grandes depósitos de sal-gema ocorrem nos novos estratos de arenito vermelho em Cheshire e Worcester ... A quantidade total de sal produzido no Reino Unido, durante 1876, foi de 2.273.256 toneladas, das quais 154.538 toneladas estavam na forma de rochas -sal. No mesmo ano, 854.538 toneladas, no valor de £ 529.547, foram exportados; Índia britânica, Estados Unidos e Rússia, sendo os países para os quais foi enviada. (Enciclopédia do globo. )

 

Verso 14

A luz do mundo - A luz do mundo frequentemente denota o sol, João 11: 9 . O sol torna os objetos visíveis, mostra sua forma, sua natureza, suas belezas, suas deformidades. O termo luz é frequentemente aplicado a professores religiosos. Veja Mateus 4:16 ; Lucas 2:32 ; João 1: 4 ; João 8:12 ; Isaías 49: 6. É preeminentemente aplicado a Jesus nesses lugares, porque ele é, no mundo moral, o que o sol é no mundo natural. Os apóstolos, ministros cristãos e todos os cristãos, são luzes do mundo, porque, por suas instruções e exemplo, mostram o que Deus exige, qual é a condição do homem, qual é o caminho do dever, paz e felicidade do jeito que é isso leva ao céu.

 

Uma cidade situada em uma colina ... - Muitas das cidades da Judéia foram colocadas nos cumes ou nas encostas das montanhas e podiam ser vistas de longe. Talvez Jesus tenha apontado para uma cidade assim e dito a seus discípulos que eles eram assim. Suas ações não podiam ser escondidas. Os olhos do mundo estavam sobre eles. Eles devem ser vistos; e como era esse o caso, eles deveriam ser santos, inofensivos e imaculados.

 

Maundrell, Jowett e outros supõem que o Sermão da Montanha foi entregue nas proximidades da atual cidade de Safed, ou "os Chifres de Huttin" (veja as notas em Mateus 5: 1 ), e que essa cidade pode ter sido aos olhos dele, e pode ter sido diretamente referido pelo Salvador quando ele proferiu esse sentimento. Daria força e beleza adicionais à passagem, supondo que ele apontasse para a cidade. Deste Dr. Thomson ( A Terra e o Livrovol. Eu. 420.421) diz: “A forma da colina é uma oval bem descrita e a parede corresponde a ela. O fundo da vala externa agora é um vinhedo muito florescente e todo o circuito não fica longe de 800 metros. A parede é na maior parte moderna, mas construída em mais uma parte antiga, das quais podem ser vistas no lado leste. O cume interior ergue-se cerca de trinta metros mais alto que esse muro e era um castelo separado, fortemente defendido. Aqui estão as pedras chanfradas, tão pesadas e envelhecidas quanto as das ruínas mais famosas do país; e eles provam que este tem sido um lugar de importância desde uma era remota. Essas partes antigas do castelo dão quase certeza de que havia uma cidade ou cidadela no topo mais visível da colina; e nosso Senhor poderia muito bem apontar para ilustrar e confirmar seu preceito. O nome hebraico atual é Zefate, e pode se referir à sua elevação como uma torre de vigia, ou à beleza e grandeza das perspectivas circundantes. Certamente eles são suficientes para sugerir o nome. Ali está Gennesaret, como um espelho no meio de montanhas escuras e colinas com muitas faces. Além, está o vasto planalto do Hauran, sombreando fracamente com suas cordilheiras rochosas no horizonte mais a leste. Daí os olhos varrem Gileade e Basã, Samaria e Carmelo, as planícies da Galiléia, as costas da Fenícia, as colinas de Naftali, a longa linha do Líbano e a elevada cabeça de Hermen - um vasto panorama que abrange milhares de pontos de vista. interesse histórico e sagrado. " Certamente eles são suficientes para sugerir o nome. Ali está Gennesaret, como um espelho no meio de montanhas escuras e colinas com muitas faces. Além, está o vasto planalto do Hauran, sombreando fracamente com suas cordilheiras rochosas no horizonte mais a leste. Daí os olhos varrem Gileade e Basã, Samaria e Carmelo, as planícies da Galiléia, as costas da Fenícia, as colinas de Naftali, a longa linha do Líbano e a elevada cabeça de Hermen - um vasto panorama que abrange milhares de pontos de vista. interesse histórico e sagrado. " Certamente eles são suficientes para sugerir o nome. Ali está Gennesaret, como um espelho no meio de montanhas escuras e colinas com muitas faces. Além, está o vasto planalto do Hauran, sombreando fracamente com suas cordilheiras rochosas no horizonte mais a leste. Daí os olhos varrem Gileade e Basã, Samaria e Carmelo, as planícies da Galiléia, as costas da Fenícia, as colinas de Naftali, a longa linha do Líbano e a elevada cabeça de Hermen - um vasto panorama que abrange milhares de pontos de vista. interesse histórico e sagrado. "

Verso 14

Mateus 5:14

 

Vós sois a luz do mundo.

 

Cristãos a luz do mundo

 

A Igreja pode difundir luz.

 

  1. Pela reflexão.

 

  1. Dispersando-o. ( L. H. Evans, MA )

 

A Igreja de Cristo, a luz do mundo

 

 

  1. Essas palavras como proclamam o redentor.

 

  1. Essas palavras proclamam a grandeza moral de Seus sentimentos.

 

  1. Eles mostram a sabedoria divina de Sua doutrina.

 

  1. A compreensão profética de Sua língua.

 

 

II Estas palavras, como especificam o cristão.

 

  1. Aqui está uma distinção de pessoas - "Ye".

 

  1. Uma distinção de princípio - "luz".

 

  1. Uma distinção de eficácia - "luz do mundo".

 

 

III Estas palavras, como ilustram o mundo.

 

  1. O mundo é escuro em referência a Deus.

 

  1. O mundo está morto, o cristianismo é seu sal. ( R. Montgomery, MA )

 

Cristãos a luz do mundo

 

 

  1. Reivindique a verdade aqui afirmada.

 

  1. O mundo está escuro.

 

  1. Um contraste com a melancolia de um princípio, o antagonista dessa escuridão moral. Os crentes são "a luz do mundo".

 

 

II Aplique essa verdade ao caso diante de nós.

 

  1. No caminho do privilégio.

 

  1. No caminho do dever e obrigação. ( F. Goode, MA )

 

 

  1. Explique o símbolo.

 

  1. Acenda um emblema de pureza.

 

  1. Conhecimento.

 

  1. Ação.

 

  1. Unidade.

 

  1. Benevolência.

 

 

II Aplique a doutrina.

 

  1. A prova do discipulado.

 

  1. O critério no julgamento. ( WW Wythe. )

 

 

  1. A escuridão moral do mundo implicava. Jesus conhecia todas as realizações da terra, e também podia apreciar sua excelência e beleza; ... mas nada disso poderia trazer à luz os problemas mais profundos que agitam o coração humano - o que devo fazer para ser salvo? Sob a superfície de toda essa beleza ... encontramos espreitando a imoralidade mais revoltante. É a luz do cristianismo que resolve as questões mais profundas e responde às perguntas mais ansiosas da humanidade. O objetivo da luz é divulgar o que de outra forma não seria visto. Essa luz revela Deus, o caminho para o céu, etc. Essa luz sagrada possui um caráter peculiar, que a luz da mera ciência, literatura ou conhecimento secular não tem e não pode ter. E desde o seu amanhecer, mesmo aquelas coisas brilhantes que foram propostas como substitutas, essa luz a tomou e fez criadas para ela.

 

 

II Os cristãos são os portadores desta luz em todos os confins do mundo. Acendendo do Sol, eles devem sair e lançar sua luz sobre o mundo. Nossa missão é esclarecer a esfera em que estamos inseridos, etc. ( Dr. J. Cussing. )

 

Mantenha a luz brilhante ou você ouvirá

 

Eu li em algum lugar de um viajante em Calais indo uma noite escura e tempestuosa até o farol lá. Enquanto estava olhando, o dono da casa se vangloriava de seu brilho e beleza, observando que havia poucas luzes no mundo ao lado. O viajante disse, sem pensar: “E se um desses queimadores sair à noite? ... O quê! ”, Disse o guardião,“ sai, senhor? Oh, senhor - disse ele -, olhe para aquele mar escuro e tempestuoso. Você não pode vê-los, mas há navios passando e repassando lá para todos os pontos da bússola. Se a luz se apagasse da minha falta de atenção, em seis meses chegariam notícias de todas as partes da costa, de que tais navios e tripulações estavam perdidos pela minha negligência! Não não! Deus não permita que algo assim ocorra.

 

 

  1. A posição e o chamado do verdadeiro discípulo. Sua posição é como a de uma cidade situada em uma colina, eminentemente visível; ele "não pode ser escondido" e não deve tentar ser escondido. Seu chamado é da posição elevada que ele ocupa, para lançar luz sobre o mundo inteiro.

 

 

II As qualificações necessárias aos discípulos de Cristo para o correto cumprimento dos deveres de sua posição e chamado (vers. 3-10):

 

 

III As recompensas de um correto cumprimento de nossos deveres como verdadeiros discípulos. O ódio dos homens, a estima e o amor dos homens, a indescritível benção de ver os outros guiados por nossa influência a adorar a Deus (ver. 16; 1 Tessalonicenses 2:19 ), a aprovação de Deus (ver. 9), a bênção eterna ( versículos 3, 8, 12; Apocalipse 21:10 ). ( Mensal dos pregadores. )

 

Estas palavras são descritivas de: -

 

 

  1. O caráter do genuíno cristão - "leve".

 

 

II O lugar e as funções do cristão.

 

 

III A responsabilidade da Igreja. ( James Stewart. )

 

O exemplo é a fonte da influência mais poderosa do cristão no mundo. Ao analisar esse poder, existem três ou quatro elementos.

 

 

  1. É o método de maior sucesso para ilustrar a verdade e transmitir instruções.

 

 

II É uma demonstração da praticabilidade da vida religiosa, bem como da veracidade do cristianismo, e o método mais bem-sucedido de remover objeções a ele.

 

 

III Atrai atenção.

 

 

IV É o método mais bem-sucedido de reprovar ações erradas.

 

 

  1. É também a maneira mais bem-sucedida de conquistar a estima do mundo. ( Era cristã. )

 

Exemplo cristão uma agência de conversão

 

Quando Lord Peterborough se hospedou na temporada com Fenelon, arcebispo de Cambray, ficou tão encantado com sua piedade e virtude que exclamou ao se despedir: "Se eu ficar aqui mais, me tornarei cristão, apesar de tudo". ( Anedotas. )

 

Exemplo cristão um argumento de peso

 

Um jovem ministro, quando estava prestes a ser ordenado, declarou que em um período de sua vida ele era quase um infiel. “Mas”, disse ele, “havia um argumento a favor do cristianismo, que eu nunca poderia refutar - a conduta consistente de meu próprio pai.” ( Anedotas. )

 

 

  1. Profissão cristã. Deixar nossa luz brilhar é, sem dúvida, fazer uma profissão cristã. Isso implica que a verdadeira luz foi acesa em nós. Essa profissão cristã deve ser feita em união com a Igreja de Cristo.

 

 

II Consistência cristã. Se a luz que você deixa brilhar em sua profissão for a verdadeira luz, haverá boas obras a serem vistas. O requisito mais baixo da consistência cristã é a ausência de toda obra maligna - a menor imoralidade vicia toda a profissão. Essa consistência cristã requer inconformidade com o mundo e as boas obras de uma vida cristã ativa.

 

 

III Influência cristã. Este será o resultado da consistência cristã. Nosso Pai Celestial será glorificado pela influência para o bem que exercemos sobre a mente daqueles que vêem nossas boas obras. Eles atribuirão a Deus o poder pelo qual fomos feitos o que somos. Eles reconhecerão a verdade e a Divindade da religião de Cristo, e muitos serão assim levados a adotá-la por si mesmos. Como está o assunto entre nossa profissão e nossa conduta? ( WS Dewstoe. )

 

Deus glorificado por nossas boas obras

 

 

  1. Remova uma dificuldade que possa ter surgido de uma aparente inconsistência entre nosso texto e as palavras de nosso Senhor em uma parte subsequente de Seu discurso. No sexto capítulo, nosso Senhor adverte contra a ostentação na religião. “Preste atenção para que não faça sua esmola diante dos homens.” Pode parecer daí que o segredo é necessário para a oração e a esmola; mas que não é a lição inculcada, é evidente a partir do teor das Escrituras. Salomão orou diante de uma assembléia. Daniel No que diz respeito à esmola, o salmista fala disso como estimulante da estima dos homens. "Ele se dispersou no exterior", etc. A proibição é de atos religiosos por motivos errados, "para que sejam vistos pelos homens".A reprovação da ostentação não se aplica quando o motivo já é bom. Pelo contrário, muitas vantagens podem surgir para a causa da religião a partir da exibição de piedade. Um cristão que cantarola com santo amor a Deus não pode passar despercebido.

 

 

II Como se pode dizer que os homens, as criaturas, glorificam o criador? “Deus é a fonte eterna de toda honra e glória, portanto, estritamente falando, não pode ser desonrado; Ele não pode deixar de ser glorificado, porque ser Ele mesmo é ser infinitamente glorioso. Deus é glorificado pelo nosso arrependimento-fé-caridade. ( H. Hughes, MA )

 

Deus glorificado

 

E, no entanto, tem o prazer de dizer que nossos pecados O desonram e que nossa obediência O glorifica. Assim como a orbe gloriosa do dia, espreitando os recantos das rochas e vales, recebe do lago vítreo e do córrego límpido e de todos os objetos brilhantes reflexos bonitos de si mesmo, embora nada pudesse ser visto sem a sua própria luz; então Deus, contemplando a raça do homem, embora ele encontre entre nós nada além do que Ele próprio nos permite exibir, descobre em todo coração que é fiel, em todo coração que é puro, em todo coração que é santo, misericordioso e bondoso , belas representações de Suas próprias sublimes perfeições, e é com satisfação que Ele chama isso de glorificações de Si Mesmo, embora sejam feitas apenas pela Sua graciosa aceitação. ( H. Hughes, MA )

 

A luz do exemplo cristão

 

  1. A primeira coisa a ser feita com uma lâmpada é acendê-la. Somente Deus pode iluminar você; os professores podem polir.

 

  1. A próxima coisa a fazer com uma lâmpada é ajustá-la onde possa ser vista e dar luz.

 

  1. Uma lâmpada deve ser alimentada com óleo ou não ficará acesa.

 

  1. Uma lâmpada deve ser cortada para que possa dar uma boa luz. ( HJ Wilmot Buxton. )

 

 

  1. Que a religião, se existir, não pode ser ocultada.

 

 

II Que onde não se manifesta na vida, não existe.

 

 

III Os professores de religião, que vivem como outros homens, dão provas de que não foram renovados.

 

 

IV Que tentar ocultar ou ocultar nossa luz é trair nossa confiança, impedir a causa da piedade e tornar inútil nossa vida.

 

 

  1. Que boas ações serão vistas e levarão os homens a honrar a Deus. ( Dr. A. Barnes. )

 

A vela

 

 

  1. Considere a iluminação.

 

  1. Uma obra divina.

 

  1. Um trabalho de separação.

 

  1. Um trabalho pessoal para todo homem que é o sujeito.

 

  1. Um trabalho que precisa ser sustentado.

 

  1. Consagra um homem inteiramente ao serviço da doação de luz.

 

 

II Considere a colocação.

 

  1. Negativo.

 

  1. Positivo.

 

 

III O brilho. ( CH Spurgeon. )

 

A lâmpada e o alqueire

 

 

  1. Uma palavra sobre a grande concepção do ofício de um cristão que é apresentada nesta metáfora. “Vós sois a luz do mundo.” Então nosso Senhor continua explicando que tipo de luz é com a qual Ele compararia Seu povo - a luz de uma chaminé acesa. Os homens cristãos individualmente e a Igreja cristã como um todo brilham pela luz derivada. Antes da encarnação, Cristo era a luz dos homens; também o Cristo histórico é a fonte de toda revelação. Luz significa conhecimento e pureza moral.

 

 

II A certeza de que, se formos luz, brilharemos. A natureza e a propriedade da luz devem irradiar. Toda sincera convicção cristã exigirá expressão; e toda experiência profunda do poder purificador de Cristo sobre o caráter se mostrará em conduta.

 

 

III Essa obrigação de dar luz ainda é reforçada pelo pensamento de que esse era o próprio propósito de Cristo em tudo o que Ele fez conosco e por nós. É possível aos homens bons sufocar e encobrir sua luz. Podemos enterrar a luz da Palavra sob um silêncio covarde e indiferente.

 

 

IV Deixe sua luz brilhar. Velas não estão acesas para serem vistas, mas que outra coisa pode ser vista por elas. Os homens podem ver Deus através de nossas obras. ( A. Maclaren, DD )

 

Se você não está aquecendo o mundo, o mundo está arrepiando você

 

Se você tirar uma bola em brasa de um forno e depositá-la em uma charneca gelada, dois processos continuarão: a bola perderá seu calor e a atmosfera ao redor ganhará. Existem duas maneiras pelas quais você equaliza a temperatura de um corpo mais quente e mais frio, o primeiro é pelo quente que fica frio e o outro é pelo frio que fica quente. Se você não está aquecendo o mundo, o mundo está congelando você. Todo homem influencia tudo sobre ele, e recebe influências deles, e se não houver mais exportações do que importações, ele é uma criatura pobre à mercê das circunstâncias. ( A. Maclaren, DD )

 

Nenhuma luz aparte de Cristo

 

Um raio de sol não tem poder para brilhar se for separado do sol do que um homem tem que dar luz neste mundo sombrio se for separado de Jesus Cristo. Corte a corrente e a luz elétrica apaga, afrouxe o motor e o elétrico fica fraco, acelere-o e queima intensamente. ( A. Maclaren, DD )

 

O dever de deixar nossa luz brilhar diante dos homens

 

 

  1. como brilhar Porque Cristo colocou luz em Seu povo, ele não pretende que isso seja oculto.

 

 

II Por que brilhar? Não deve ser visto pelos homens. O cristão deve mostrar que é sincero em relação à religião. A santidade habitual é necessária. Deve haver um controle adequado do temperamento. Ele deve brilhar: -

 

  1. Como membro da sociedade, ele deve ser irrepreensível.

 

  1. Como sujeito, ele deve ser ordeiro.

 

  1. Como membro da Igreja de Cristo, ele deve mostrar boa vontade.

 

  1. Como vizinho, ele deve ser acolhedor.

 

  1. Como pai, ele terá em devida consideração o bem espiritual de seus filhos.

 

  1. Como filho, ele mostrará a excelência de seus princípios.

 

  1. Como mestre, seu caráter cristão deve brilhar.

 

  1. Como servo, ele será obediente.

 

  1. Ele deve manter-se dentro dos limites de seu devido lugar. ( E. Cooper. )

 

A importância de um bom exemplo

 

Alguns supõem que não precisam acender uma luz brilhante, mas evitam grandes irregularidades.

 

  1. O mundo, embora corrupto, é muito sensível ao que deveria ser a prática cristã.

 

  1. A retenção de um bom exemplo pode ser mais fatal para a religião do que irregularidades positivas, porque a tormenta deste último destrói seu poder de sedução.

 

  1. O escândalo é, para não ver a religião oposição por descrentes, mas que os cristãos não se atrevem a manter a sua religião com zelo e proclamá-la como sua maior honra e glória.

 

  1. Não basta ser cristão apenas para nós mesmos, devemos ser assim diante de Deus e dos homens.

 

  1. Somos naturalmente inclinados à imitação.

 

  1. Não apenas a honra, mas o progresso da religião dependem dos seus exemplos. O maior louvor que fazemos a uma religião é praticá-la. ( S. Partridge, MA )

 

Cristãos a luz

 

do mundo:-

 

 

  1. A injunção positiva de que os cristãos devem fazer tudo ao seu alcance para garantir que sua luz brilhe o mais intensamente possível.

 

  1. Isso deve ser feito pela posição que assumimos.

 

  1. Pelo personagem que formamos.

 

  1. Pelos esforços que fazemos para a conversão de nossos semelhantes.

 

 

II Veja o lado negativo desta liminar, que exige que removamos tudo o que tende a ocultar ou obscurecer a luz.

 

  1. Devemos nos livrar dessa reserva indevida que impede o caráter real de ser uma influência tão poderosa para o bem quanto possível.

 

  1. Devemos evitar toda a exibição automática. ( WM Taylor. )

 

Consistência Cristã

 

 

  1. O propósito primário e secundário da vida cristã.

 

  1. A glória de Deus.

 

  1. O bem-estar dos homens.

 

 

II Os meios pelos quais essa testemunha pode ser a mais efetivamente realizada.

 

  1. A luz é derivada e, portanto, humilde.

 

  1. A luz é auto-evidente e consistente.

 

  1. Então a luz é uma coisa alegre e feliz. ( WM Punshon. )

 

Cristãos a luz do mundo

 

 

  1. O caráter deles. Todos os outros estão na escuridão. Goshen só tem luz: cristãos uma vez sombrios; mas receberam luz.

 

  1. A palavra luz implica um conhecimento salvador da verdade.

 

  1. Santidade de coração e vida.

 

  1. Felicidade.

 

 

II O dever deles. Os cristãos são feitos o que são para atrair o mundo. Devem usar suas bênçãos para o bem dos outros, seu conhecimento, santidade e felicidade.

 

 

III O motivo deles.

 

  1. Para que possam ver suas boas obras, não a si mesmos, mas a suas ações. Três coisas são necessárias para tornar um trabalho bom.

 

  1. Que eles possam glorificar seu Pai que está no céu. ( D. Rees. )

 

Modéstia espiritual

 

Quais são os limites da exibição legal de nossas ações, para que não violemos a lei que nos pede segredo?

 

  1. A passagem lida até o fim removerá a dificuldade sugerida. “Preste atenção para que você não faça sua esmola diante dos homens para ser vista deles.” O sigilo em boas ações não é absoluto, mas relativo; não positivo, e por si só, mas para exibir o efeito viciante da ostentação.

 

  1. E assim o texto parece oferecer o antídoto para sua própria dificuldade. “E glorifique seu Pai, que está no céu.” Suas boas obras podem ser vistas e devem ser vistas, mas para a glória de Deus, e não a sua. Não deixar nossas obras serem vistas quando deveriam ser, seria abandonar nosso Senhor. Essa regra pode servir para alguma direção externa nesse caso perplexo. Esconda-se as ações separadas, de acordo com o preceito do sexto capítulo; seja conhecido o desenho geral da bondade, de acordo com o texto. Mas o guia de princípio em casos como esses não pode ser encontrado tanto em uma regra externa quanto em uma discriminação espiritualmente iluminada, que sente instintivamente quando é a hora do sigilo e da publicidade.

 

Quão perigoso deve ser para a nossa modéstia cristã tudo o que decola da delicadeza da nossa modéstia natural.

 

  1. Não tenha medo de correr o risco de ostentação ao executar visivelmente observâncias religiosas que seus pais ou professores direcionam.

 

  1. Seja real, que todos sejam realmente dirigidos a Deus.

 

  1. Seja consistente.

 

  1. Seja modesto em outras coisas. Essas regras ajudarão a modéstia espiritual. ( G. Moberley, DCL )

 

Cristãos brilhantes

 

  1. Todo homem tem uma luz peculiar a si mesmo.

 

  1. Existe uma maneira correta de lançar luz.

 

  1. Os homens devem ver as obras, não o trabalhador.

 

  1. Os homens são afetados pelo que vêem. ( WW Wythe. )

 

Uma boa vida, os grandes meios de glorificar a Deus

 

 

  1. O fato de haver uma luz possuída pelos cristãos que lhes pertence de maneira peculiar. É com raios emprestados que o cristão a qualquer momento ilumina os outros.

 

 

II O dever dos cristãos de exibir sua luz em uma conversa piedosa. "Veja suas boas obras."

 

 

III O fim com vista para a qual a exposição acontece. “Glorifique seu Pai que está no céu.” ( W. Curling, MA )

 

A beleza das qualidades morais

 

 

  1. As qualidades morais prescritas no cristianismo são, no mais alto grau, naturais - não artificiais ou secundárias. A mente humana foi construída de modo que toda faculdade em sua organização tende a produzir boas qualidades. É melhor adaptado para o bem do que para o mal. O ruim é algo interposto entre o design criativo original e a execução. Irreligião é artificial.

 

 

II Existe uma constituição moral pela qual as qualidades cristãs parecem admiráveis ​​para os homens. O olho não foi feito mais para a beleza no mundo exterior do que a natureza moral de um homem foi feita para a beleza no mundo moral. Os homens se opõem à luz e, no entanto, a luz é agradável para eles.

 

 

III É nesse estado de fatos que Cristo ordenou que os homens levassem suas faculdades morais até o mais alto grau de excelência.

 

 

IV O sucesso do evangelho foi feito para depender não da pregação, mas de homens vivos.

 

 

  1. As impressões que uma Igreja faz sobre a consciência moral da comunidade em que vive, são um teste justo de sua vida e poder. ( HW Beecher. )

 

 

  1. A vida santa e exemplar dos cristãos naturalmente atrairá os olhos dos incrédulos. Ao fazê-lo, os envolverá em sérias reflexões sobre a religião cristã.

 

 

II A vida santa e exemplar dos cristãos provoca os homens a uma curiosa observação e exame deles, e também dos fundamentos e princípios dos quais eles procedem.

 

 

III A vida santa e exemplar dos cristãos será um meio seguro de recomendá-los a favor e estima, amor e amizade dos incrédulos; e, consequentemente, um meio seguro de obter oportunidades de conversar familiarmente com eles, insinuar a verdade neles e torná-los dispostos e fáceis de recebê-los.

 

 

IV A vida santa e exemplar dos cristãos representará tão poderosamente aos incrédulos a razoabilidade e excelência da religião cristã, bem como a utilidade e vantagem dela, para a felicidade e o bem-estar presentes e futuros da humanidade, que serão conduzidos para examinar seus fundamentos. Portanto, parece que devemos frequentemente contemplar os exemplos de homens bons, dos quais existem tantas e grandes vantagens a serem tiradas. Devemos aprender neles a ver nossas próprias falhas e consertá-las. ( Sir William Dawes, Bart., DD )

 

Exemplo cristão leva à descoberta da simpatia cristã

 

Quando o menestrel Inglês foi em busca de seu mestre do Coração de Leão, ele jogou em todos os lugares música favorita do monarca, e foi finalmente recompensado pelo ouvir suas notas enviadas fracamente de volta para ele da prisão onde Richard estava confinado. Da mesma maneira, se aonde quer que você vá você ouvir a música de sua experiência cristã, outros corações responderão à melodia e sua alegria será redobrada.

 

O exemplo cristão deve estar livre de inconsistência

 

o visitante a um farol é golpeado com a limpeza perfeita de tudo sobre o lanterna ou lâmpadas. Os refletores de prata são polido à pureza mais brilhante, e cada funil e vidro são absolutamente sem um ponto. Não deve haver nada para estragar o brilho da luz. Assim em nós não deve haver nada de mal para atrair os olhos dos homens da luz e corrigi-los em cima de nossas imperfeições. O fato de haver luz em nós torna ainda mais importante que devemos nos manter puros. Você pode ter uma janela toda coberta de poeira, e girou sobre com a teias de aranhas, que não foram perturbados durante anos, e o transeunte, na escuridão, não tomará nenhuma nota de sua impureza. Mas tão logo você colocar uma luz por trás dele você, assim, revelar a sua imundícia para cada espectador. Do mesmo modo, as más ações dos incrédulos abertos e declarados não são notadas pelo mundo, pois não há luz por trás deles. Mas assim que um homem se conectar com Cristo e Sua Igreja, a luz que está dentro dele certamente manifestará suas inconsistências a todos os lados.

 

Deus, não eu, o fim do exemplo cristão

 

o O propósito de deixar nossa luz brilhar é que Deus, não nós mesmos, seja glorificado. Ao olhar para uma janela pintada, pensamos mais no artista e em seu retrato do que na luz. E há muitos que colocam esses dispositivos na janela, através dos quais brilha a luz de seus personagens, que nenhum espectador é movido a pensar em Deus. O melhor estilo de escrever é aquele que dá ao pensamento tanta transparência que o leitor não vê mais nada; e esse é o caráter cristão mais nobre que mostra o máximo de Cristo. Quando eu era garoto, em minha cidade natal, conhecia um pintor lá, cujas obras favoritas eram todas retratos de si mesmo, tiradas em trajes diferentes; e um dos poetas mais famosos da Inglaterra produziu uma série de escritos, nos quais seu eu temperamental e misantrópico sempre foi a figura central. Portanto, existem cristãos entre nós que, enquanto deixa a luz brilhar, tente pintar-se no vidro da lâmpada em que está fechada. A música deles, como a do cuco, é uma repetição constante de seu próprio nome, e o ouvinte está cansado da iteração. Que não seja assim conosco. Que Cristo seja tudo e em todos. Foi Michael Angelo quem, de acordo com a bela ilustração de um pregador de Boston, colocou sua vela tão em seu boné de papelão que sua própria sombra talvez não caísse sobre seu trabalho. Que nossa música seja como a do céu, enquanto ele se ergue com o peito úmido do seu humilde sofá de terra, cantando enquanto ele sobe, até que, invisível no azul profundo acima, ele chove uma chuva de melodia na terra que escuta. Importa que não sejamos vistos, se a luz estiver clara; pois então estamos cumprindo o comando. ( inventar pintar-se sobre o vidro da lâmpada em que está fechada. A música deles, como a do cuco, é uma repetição constante de seu próprio nome, e o ouvinte está cansado da iteração. Que não seja assim conosco. Que Cristo seja tudo e em todos. Foi Michael Angelo quem, de acordo com a bela ilustração de um pregador de Boston, colocou sua vela tão em seu boné de papelão que sua própria sombra talvez não caísse sobre seu trabalho. Que nossa música seja como a do céu, enquanto ele se ergue com o peito úmido do seu humilde sofá de terra, cantando enquanto ele sobe, até que, invisível no azul profundo acima, ele chove uma chuva de melodia na terra que escuta. Importa que não sejamos vistos, se a luz estiver clara; pois então estamos cumprindo o comando. ( inventar pintar-se sobre o vidro da lâmpada em que está fechada. A música deles, como a do cuco, é uma repetição constante de seu próprio nome, e o ouvinte está cansado da iteração. Que não seja assim conosco. Que Cristo seja tudo e em todos. Foi Michael Angelo quem, de acordo com a bela ilustração de um pregador de Boston, colocou sua vela tão em seu boné de papelão que sua própria sombra talvez não caísse sobre seu trabalho. Que nossa música seja como a do céu, enquanto ele se ergue com o peito úmido do seu humilde sofá de terra, cantando enquanto ele sobe, até que, invisível no azul profundo acima, ele chove uma chuva de melodia na terra que escuta. Importa que não sejamos vistos, se a luz estiver clara; pois então estamos cumprindo o comando. ( é uma repetição constante de seu próprio nome e o ouvinte está cansado de sua iteração. Que não seja assim conosco. Que Cristo seja tudo e em todos. Foi Michael Angelo quem, de acordo com a bela ilustração de um pregador de Boston, colocou sua vela tão em seu boné de papelão que sua própria sombra talvez não caísse sobre seu trabalho. Que nossa música seja como a do céu, enquanto ele se ergue com o peito úmido do seu humilde sofá de terra, cantando enquanto ele sobe, até que, invisível no azul profundo acima, ele chove uma chuva de melodia na terra que escuta. Importa que não sejamos vistos, se a luz estiver clara; pois então estamos cumprindo o comando. ( é uma repetição constante de seu próprio nome e o ouvinte está cansado de sua iteração. Que não seja assim conosco. Que Cristo seja tudo e em todos. Foi Michael Angelo quem, de acordo com a bela ilustração de um pregador de Boston, colocou sua vela tão em seu boné de papelão que sua própria sombra talvez não caísse sobre seu trabalho. Que nossa música seja como a do céu, enquanto ele se ergue com o peito úmido do seu humilde sofá de terra, cantando enquanto ele sobe, até que, invisível no azul profundo acima, ele chove uma chuva de melodia na terra que escuta. Importa que não sejamos vistos, se a luz estiver clara; pois então estamos cumprindo o comando. ( colocou sua vela tão no boné de papelão que sua própria sombra talvez não caísse sobre seu trabalho. Que nossa música seja como a do céu, enquanto ele se ergue com o peito úmido do seu humilde sofá de terra, cantando enquanto ele sobe, até que, invisível no azul profundo acima, ele chove uma chuva de melodia na terra que escuta. Importa que não sejamos vistos, se a luz estiver clara; pois então estamos cumprindo o comando. ( colocou sua vela tão no boné de papelão que sua própria sombra talvez não caísse sobre seu trabalho. Que nossa música seja como a do céu, enquanto ele se ergue com o peito úmido do seu humilde sofá de terra, cantando enquanto ele sobe, até que, invisível no azul profundo acima, ele chove uma chuva de melodia na terra que escuta. Importa que não sejamos vistos, se a luz estiver clara; pois então estamos cumprindo o comando. (WM Taylor. )

 

Cristo brilha no mundo através da vida de Seu povo

 

Faz Você já parou para pensar em como nossas ruas são iluminadas todas as noites? Por essa descoberta, à qual estamos acostumados há tanto tempo que deixamos de considerá-la maravilhosa. Um grande armazém central de carvão e gás é acumulado, e com isso todas as lâmpadas são conectadas por um sistema oculto de tubos, de modo que cada um é abastecido com a quantidade necessária; e, como resultado, podemos percorrer os intrincados lugares da cidade com a mesma facilidade, se não com segurança, de noite e de dia. A cidade é iluminada por lâmpadas e, no entanto, é o gás que a ilumina. Ambas as afirmações são verdadeiras. O gás não estaria disponível sem as lâmpadas; as lâmpadas seriam inúteis sem o gás. Agora, da mesma forma, Cristo é a fonte oculta e o centro da iluminação do mundo; mas os cristãos, unidos a Ele pelo tubo espiritual da fé, extrair dEle a influência pela qual eles são capacitados, cada um em seu próprio lugar e em sua própria medida, para dissipar parte da escuridão pela qual estão cercados. (WM Taylor. )

 

Os cristãos devem ser receptivos à luz

 

Nossa medida de luz dependerá grandemente da clareza e sensibilidade de nossas capacidades perceptivas e receptivas espirituais. Todo o vidro dos instrumentos ópticos, destinados a fins científicos ou para uso comum, deve estar livre de escória. ( S. Slocombe. )

 

Obra envolvida por Cristo ao Seu povo

 

  1. Um refletor da luz espiritual.

 

  1. Um reprodutor desta luz.

 

  1. Um prisma, resolvendo analiricamente essa luz moral e exibindo suas belezas de cores. ( S. Slocombe. )

 

Exemplo cristão não transitório

 

Não seja um meteoro, uma curiosidade transitória emocionante com o seu brilho de profissão.

 

Homens mais dispostos a brilhar socialmente do que moralmente

 

Pessoas que não são avessas a fazer todo o show que podem na vida social são maravilhosamente sensíveis a qualquer revelação de convicção ou sentimento espiritual. ( Dr. D. Fraser. )

 

Th, e luz para revelar o trabalho, não o trabalhador

 

É assim que seu próprio sol trabalha diariamente nos céus: quem ousa olhar para o sol quando brilha tanto que enche a terra com toda a beleza do verão? Nós voltamos nossos olhos para ele e ele nos repreende com dardos de fogo; ele diz: “Olhe para baixo, não para cima: olhe para as obras, não para o trabalhador.” Para que possamos banquetear nossos olhos com um paraíso de flores e tirar muito do céu, mas no momento em que ousamos dizer: Quem fez isso - onde ele está? Mostre-me o trabalhador ”, o sol nos responde com uma repreensão da luz intolerável. ( Dr. Parker. )

 

Luz oculta morre.

 

Se ele persistir nesse egoísmo, sua penalidade é certa. A luz que está nele diminui e corre um grande risco de se apagar, porque é fechada e não queimada no suporte da lâmpada, onde o ar fresco pode alcançar e alimentar a chama. ( D. Fraser, DD )

 

Cristãos desejados, muito procurados, brilhantes!

 

A figura da lâmpada da casa sugere o cristianismo doméstico; o da cidade conspícua, o dever mais público e coletivo dos cristãos. ( D. Fraser, DD )

 

Brilhar por convicção expressa

 

Eu digo que, se a fonte nunca se eleva à luz do sol acima do nível morto da piscina, pode haver muito pouca pressão na parte principal; que, se um homem não deseja anotar suas convicções religiosas, essas convicções devem ser fracas. ( A. Maclaren, DD )

 

A pureza do exemplo, os cuidados primários do cristão

 

O faroleiro não se preocupa que os navios que jogam fora no mar possam contemplar o raio que brilha da sua lâmpada, mas tudo o que ele faz é alimentá-lo e cuidar dele. É tudo o que você e eu temos que fazer - cuidar da luz e não gostar de covardes. Modestamente, mas corajosamente, realize seu cristianismo, e os homens o verão. Não seja como uma lanterna escura, queimando com as cortinas abaixadas e iluminando nada e ninguém. ( A. Maclaren, DD )

 

Um bom exemplo, uma repreensão do mal

 

Um homem ou mulher boa revela a feiura do mal, mostrando a beleza da santidade. ( A. Maclaren, DD )

 

Missionários a luz do mundo

 

Veja o primitivo Schwartz, o dedicado Brainerd, o zeloso Corrie e muitos outros; Oh! quão divino era o emprego deles. Essas eram "luzes ardentes e brilhantes" na escuridão; estes exibiam a glória do amor e do poder do Salvador de salvar, no meio do império de Satanás. ( F. Goode, MA )

 

Verso 15

Nem os homens acendem uma vela ... - A palavra "vela" significa qualquer luz portátil, como lâmpada, vela, lanterna. Compare Marcos 4:21 ; Lucas 8:16 ; 12:35 . Jesus passou aqui para mostrar-lhes que a verdadeira razão pela qual eles eram iluminados era que outros também podiam ver a luz e ser beneficiados por ela. Quando as pessoas acendem uma vela, elas não a ocultam, mas a colocam onde pode ser útil. O mesmo acontece com a religião. É dado que podemos beneficiar outros. Não deve ser ocultado, mas sofreu para se mostrar e lançar luz sobre um mundo perverso ao redor.

 

Um alqueire - grego, uma medida que contém quase um selinho. Denota qualquer coisa, aqui, que possa ocultar a luz.

 

Verso 16

Deixe sua luz brilhar ... - Deixe sua vida santa, sua conversa pura e suas instruções fiéis serem vistas e conhecidas em todos os lugares. Sempre, em todas as sociedades, em todos os negócios, em casa e no exterior, em prosperidade e adversidade, deixe-se ver que você é um verdadeiro cristão.

 

Para que eles possam ver suas boas obras - O motivo adequado para nos influenciar não é simplesmente que possamos ser vistos (compare Mateus 6: 1 ), mas deve ser que nosso Pai celestial seja glorificado. Os fariseus agiam para serem vistos pelos homens, os verdadeiros cristãos agiam para glorificar a Deus, e pouco se importam com o que as pessoas podem pensar deles, exceto por sua conduta que outros possam trazer para honrar a Deus, mas eles devem viver assim para que as pessoas possam ver de seus conduzir qual é a natureza apropriada de sua religião.

 

Glorifique seu Pai - Louve, ou honre a Deus, ou seja levado a adorá-lo. Vendo em sua vida a excelência da religião, o poder e a pureza do evangelho, eles podem ser conquistados para serem cristãos também, e dar louvor e glória a Deus por sua misericórdia a um mundo perdido.

 

Nós aprendemos aqui:

 

  1. que a religião, se existir, não pode ser ocultada.

 

  1. que onde não se manifesta na vida, não existe.

 

3.que “professores” de religião, que vivem como outras pessoas, evidenciam que nunca foram verdadeiramente convertidos.

 

4.que tentar ocultar ou esconder nosso conhecimento ou experiência cristã é trair nossa confiança, ferir a causa da piedade e tornar nossa vida inútil. E,

 

5.que boas ações serão vistas e levarão as pessoas a honrar a Deus. Se não temos outra maneira de fazer o bem - se somos pobres, indoutos e desconhecidos, ainda podemos fazer o bem por nossas vidas. Nenhum cristão sincero e humilde vive em vão. A luz mais fraca à meia-noite é útil.

 

“Até que ponto a pequena vela lança seus raios!

 

Então brilha uma boa ação em um mundo travesso! ”

 

Verso 17

Não pense que eu vim ... - Nosso Salvador estava apenas entrando em seu trabalho. Era importante que ele declarasse o que veio fazer. Ao se preparar para ser um professor em oposição aos escribas e fariseus, alguns podem acusá-lo com a intenção de destruir sua lei e abolir os costumes da nação. Portanto, ele lhes disse que não tinha esse objetivo, mas realmente para cumprir ou realizar o que havia na lei e nos profetas.

 

Destruir - revogar; negar sua autoridade divina; libertar as pessoas da obrigação de obedecê-las. "A lei". Os cinco livros de Moisés chamavam a lei. Veja as notas em Lucas 24:44.

 

Os Profetas - Os livros que os profetas escreveram. Essas duas divisões aqui parecem compreender o Antigo Testamento, e Jesus diz que ele não veio para destruir ou destruir a autoridade do Antigo Testamento.

 

Mas para cumprir - para completar o design; preencher o que foi previsto; para realizar o que se pretendia neles. A palavra “cumprir” também significa algumas vezes “ensinar” ou “inculcar”, Colossenses 1:25. A lei de Moisés continha muitos sacrifícios e ritos que foram projetados para sombrear o Messias. Veja as notas em Hebreus 9 . Estes foram cumpridos quando ele veio e ofereceu a si mesmo um sacrifício a Deus,

 

“Um sacrifício de nome mais nobre.

 

E sangue mais rico que eles.

 

Os profetas continham muitas previsões a respeito de sua vinda e morte. Tudo isso deveria ser cumprido e plenamente realizado por sua vida e seus sofrimentos.

erso 17

Mateus 5:17

 

Mas para cumprir.

 

A lei moral eterna e imutável

 

 

  1. Negativamente - que Cristo não veio para destruir a lei ou os profetas. Isso pode ser ilustrado da seguinte maneira.

 

  1. Se a causa for imutávelmente boa, a operação e os efeitos devem ser os mesmos; especialmente se a causa for infinitamente sábia; tudo isso é evidente na Palavra de Deus. Se alguém declara que a lei moral é alterada, para ser consistente, também deve supor que a natureza Divina é alterada.

 

  1. A lei de Deus é perfeita, a lei cerimonial era imperfeita. A lei moral sendo perfeita, a impressão da imagem Divina, não pode ser eliminada.

 

 

II O grande fim que nosso senhor teve em vista com relação à lei moral - “cumprir”. Ele empreende esse importante trabalho com a maior alegria; a mentira era obediente à lei moral em Sua infância. Sofrimentos eram necessários, bem como obediência ativa. Nosso Senhor expôs a espiritualidade da lei moral e, depois disso, não pôde destruí-la. ( W. Kemp. )

 

Jesus Cristo, o legislador moral

 

 

Eu cumpri a lei espiritualizando-a.

 

 

II Ele cumpriu a lei desenvolvendo-a.

 

 

III Ele cumpriu a lei generalizando-a e tornando-a universal.

 

  1. Quebrando as distinções de classe.

 

  1. Ele aboliu as distinções nacionais em moralidade.

 

  1. Ele aboliu as distinções sexuais na moralidade. ( JC Jones. )

 

A missão de Cristo em relação à lei moral.

 

 

  1. Expor sua espiritualidade.

 

 

II Incorporar seus princípios.

 

 

III Para honrar sua violação.

 

  1. Foi quebrado na prática do homem, e Ele veio a expiá-lo.

 

  1. Foi quebrado na avaliação do homem, e Ele veio mostrar-lhe sua glória.

 

 

IV Para garantir o seu cumprimento.

 

  1. Pela apresentação de um motivo suficiente.

 

  1. Pela transmissão do poder Divino. ( T. Barão. )

 

 

  1. A grandeza da suposição aqui feita por Cristo. Cristo aceita as profecias do Antigo Testamento como Divinas e aponta para Si mesmo como seu cumprimento.

 

 

II Essas palavras de Jesus revelam a continuidade histórica do cristianismo.

 

 

III Essas palavras nos ensinam a autoridade permanente dos princípios morais da lei judaica. Nada que é moral pode ser destruído. Não precisamos da luz das estrelas quando o sol nasceu; mas as estrelas ainda estão brilhando. ( GS Barrett. )

 

A relação de Cristo com a lei

 

 

  1. Marque a posição que nosso Salvador ocupava, como uma chave para todo o Sermão da Montanha.

 

 

II O significado dessas palavras.

 

  1. Cristo cumpriu a lei em Seu ensino. Ele completou.

 

  1. Cristo cumpriu a lei por Sua própria obediência pessoal e ininterrupta.

 

  1. Cristo cumpriu a lei por. Seus sofrimentos e morte. ( WG Barrett. )

 

Religião positiva

 

 

  1. Em uma época crítica, com tantos erros a serem destruídos, a razão adquire um hábito destrutivo; contra esse hábito, é preciso guardar, para que, em vez de ser uma luz para nos guiar, a razão se torne apenas mofo para destruir um mundo outrora belo.

 

 

II A alma cresce grande, útil e feliz, não pelo que nega, mas pelo que afirma e ama cordialmente.

 

 

III Nem todos vocês devem buscar união com alguma Igreja positiva, ativa e confiante? Que a Igreja que você procura seja ampla, mas não ampla em sua destrutividade, mas em sua alma, esperanças e caridade; não amplo pela ausência de Deus, mas por Sua presença infinita; não é largo como o Saara, em suas areias sem árvores, sem pássaros e sem orvalho; não é amplo como o Mar Ártico, em silêncio e gelo perpétuos, mas amplo como um paraíso infinito, cheio de toda a verdura, frutas, música, indústria, felicidade e adoração; ampla o suficiente para que todos possam vir. ( D. Swing. )

 

Destruir a lei do aumento

 

Cristo certamente veio destruir a lei e os profetas - o exterior deles. Ele sabia perfeitamente bem, se tivesse previsão, que seriam, como têm sido em grande parte, varridos; mas Ele disse: “O que essas externalidades incluem - o núcleo, o coração - cheguei a cumprir. Não era a moralidade e a espiritualidade pelo qual Moisés e os profetas haviam escrito que deveriam ser destruídos. Até um caranguejo sabe o suficiente uma vez por ano para se livrar de sua concha para ter uma maior: é o sectário que não a conhece! Os homens pensam que, se você perturba crenças, credos, instituições, costumes, métodos, maneiras, é claro que perturba tudo o que eles contêm; mas Cristo disse: “Não; a própria maneira de realizar essas coisas é dar a elas a chance de abrir uma maneira maior. ”O botão deve ser destruído se você quiser ter uma flor. A flor deve ser destruída se você quiser ter uma semente. A semente deve morrer se você tiver a mesma coisa cem vezes maior. (Beecher. )

 

A lei tende a se expandir

 

Assim, todas as instituições que possuem em si mesmas, não apenas procedimentos externos, mas métodos de verdade, justiça e retidão, devem, necessariamente, se seguirem as eras, cavar suas próprias covas. Uma lei que pode durar mil anos é ineficaz. Uma lei que é ativa, influente, fecunda, se destrói. Não é grande o suficiente. Produz um estado de coisas entre os homens que exige que a própria lei tenha uma expressão maior e uma aplicação diferente. ( Beecher. )

 

Como pintor, colocando cores frescas em uma imagem antiga. ( Suporte. )

 

 

Verso 18

Verdadeiramente - verdadeiramente, certamente. Uma palavra de forte afirmação.

 

Até que o céu e a terra passem - Essa expressão indica que a lei nunca seria destruída até que tudo fosse cumprido. É o mesmo que dizer que tudo o mais pode mudar; a própria terra e o céu podem passar, mas a lei de Deus não será destruída até que todo o seu desígnio seja cumprido.

 

Um jot - A palavra "jot", ou yod ( י y), é o nome da letra hebraica I, a menor letra do alfabeto hebraico.

 

Um til - A palavra usada aqui, no grego, significa literalmente um pequeno chifre, depois um ponto, uma extremidade. Várias das letras hebraicas foram escritas com pequenos pontos ou ápices, como na letra hebraica shin ( שׁ sh) ou na letra hebraica sin ( שׂ s), que servem para distinguir uma letra da outra. Alterar um pequeno ponto de uma letra, portanto, pode variar o significado de uma palavra e destruir o sentido. O nome “chifre pequeno” foi atribuído a esses pontos provavelmente pela maneira como foram escritos, lembrando um chifre pequeno. O professor Hackett diz sobre um manuscrito que ele viu um judeu transcrevendo: “Uma peculiaridade que me impressionou ao olhar o pergaminho foi a aparência de chifre anexada a algumas das cartas. Eu tinha visto a mesma marca, antes disso, em manuscritos hebraicos, mas nunca onde era tão proeminente como aqui. O sinal em questão, em conexão com a letra hebraica Lamedh ( ל L) em particular, tinha quase a aparência de uma imitação intencional da cabeça de um carneiro. Foi a esse apêndice das letras hebraicas que o Salvador se referiu quando disse: “‹ Nem um jota ou um chifre '(como o termo grego significa, que nossa versão traduz em' til '') ‹passará da lei até que todos cumpra-se. '”- Illustrations of Scripture , p. 234. Portanto, os judeus foram extremamente cautelosos ao escrever essas cartas e consideraram a menor mudança ou omissão uma razão para destruir todo o manuscrito quando estavam transcrevendo o Antigo Testamento. A expressão “um jota ou til” tornou-se proverbial e significa que a menor parte da lei não deve ser destruída.

 

As leis dos judeus são comumente divididas em moral, cerimonial e judicial. As leis morais surgem da natureza das coisas e, portanto, não podem ser alteradas - como o dever de amar a Deus e suas criaturas. Estes não podem ser abolidos, pois nunca pode ser correto odiar a Deus ou odiar nossos semelhantes. Desse tipo são os dez mandamentos, e esses nosso Salvador não aboliu nem substituiu. As leis cerimoniais são as designadas para atender a certos estados da sociedade ou para regular os ritos e cerimônias religiosas de um povo. Estes podem ser alterados quando as circunstâncias são alteradas e, no entanto, a lei moral permanece intocada. Um general de um exército pode ordenar que seus soldados apareçam às vezes com um casaco vermelho e às vezes com azul ou amarelo. Essa seria uma lei cerimonial e poderia ser alterada como quisesse.

 

Esta é uma lei moral. Um pai ou mãe pode permitir que seus filhos usem 50 vestidos diferentes em momentos diferentes e amá-los igualmente em todos. O vestido é uma mera questão de cerimônia e pode ser mudado. A criança, em todas essas roupas, é obrigada a amar e obedecer ao pai. Esta é uma lei moral e não pode ser alterada. Então as leis dos judeus. Aqueles projetados para regular meros assuntos de cerimônia e ritos de adoração podem ser mudados. Aqueles que exigem amor e obediência a Deus e amor às pessoas não podem ser mudados, e Cristo não tentou, Mateus 19:19 ; Mateus 22: 37-39 ; Lucas 10:27 ; Romanos 13: 9. Uma terceira espécie de lei era a judicial, ou as leis que regulam os tribunais de justiça contidas no Antigo Testamento. Estes eram da natureza da lei cerimonial e também podiam ser alterados à vontade. A lei judicial dos hebreus foi adaptada à sua própria sociedade civil. Quando a forma de sua política foi alterada, isso não era mais obrigatório. A lei cerimonial foi cumprida pela vinda de Cristo: a sombra se perdeu na substância e deixou de ser obrigatória. A lei moral foi confirmada e inalterada.

 

Verso 19

Quem quer que seja que quebre - Violará ou desobedecerá.

 

Um desses menos mandamentos - é provável que os fariseus dividissem os preceitos da lei em menor e maior, ensinando que aqueles que violavam o primeiro eram culpados apenas de uma ofensa trivial. Veja Mateus 23:23 . Cristo ensina que em seu reino aqueles que fazem essa distinção, ou que ensinaram que qualquer lei de Deus pode ser violada impunemente, devem ser chamados menos; enquanto eles deveriam ser respeitados, respeitando todas as leis de Deus sem distinção.

 

Será chamado menos - isto é, será menos. Ver Mateus 5: 9 . O significado desta passagem parece ser o seguinte: no reino dos céus, isto é, no reino do Messias, ou na igreja que ele está prestes a estabelecer (veja as notas em Mateus 3: 2 ), aquele que quebra o menor desses mandamentos não tem valor ou não deve ser considerado como um professor religioso adequado. Os fariseus, ao dividir a lei em preceitos cada vez maiores, anularam uma pequena parte dela por suas tradições e divisões, Mateus 23:23 ; Mateus 15: 3-6. Jesus diz que em seu reino toda essa divisão e tradição vãs cessariam. Tais divisões e distinções seriam uma questão pequena. Aquele que tentou deve ser o menor de todos. As pessoas estariam empenhadas em obedecer a toda a lei de Deus sem essas distinções vãs.

 

Será chamado de grandioso - Aquele que ensina que toda a lei de Deus é vinculativa e que toda ela deve ser obedecida, sem tentar especificar o que é mais importante, será um professor digno de seu ofício e será chamado de grande . Por isso, aprendemos:

 

  1. que toda a lei de Deus vincula os cristãos. Compare Tiago 2:10 .

 

  1. que todos os mandamentos de Deus devem ser pregados, em seu devido lugar, pelos ministros cristãos.

 

  1. que aqueles que fingem que existem leis de Deus tão pequenas que não precisam obedecê-las são indignos de seu reino. E,

 

  1. que a verdadeira piedade respeita todos os mandamentos de Deus. Compare o Salmo 119: 6 . WWW.MAURICIOBERWALD.COMUNIDADES.NET