Translate this Page

Rating: 2.7/5 (307 votos)




ONLINE
5




Partilhe esta Página



 <!-- Go to www.addthis.com/dashboard to customize your tools -->
<script type="text/javascript" src="//s7.addthis.com/js/300/addthis_widget.js#pubid=ra-57f3fb36829d1888"></script>

 

 

  contadores de visitas 

 

Flag Counter


Subsidio jovens o Cristo fez por nós n.4
Subsidio jovens o Cristo fez por nós n.4

SUBSIDIO JOVENS N.4 O QUE CRISTO FEZ POR NOS

 MAURICIO BERWALD PROFESSOR ESCRITOR

 

                        O QUE JESUS FEZ NA CRUZ POR MIM?

AGRADECEMOS ( Pr. Marcelo C. Fernandes)

“Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o Reino do filho do seu amor, no qual temos a redenção, a remissão de pecados.” (Colossenses 1.13-14)Um fato inquestionável – a obra realizada por Cristo na cruz é a maior expressão do amor de Deus por nós. O mesmo Apóstolo Paulo escrevendo aos romanos declara que Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores.Somos tão especiais para Deus, que Ele nos amou de tal maneira que deu tudo, deu a si mesmo, deu o seu único filho. Por nos amar, Jesus deixou a sua glória, o seu trono, esvaziou-se, tornou-se homem, servo, foi perseguido, preso, humilhado, açoitado, cuspido, envergonhado e pregado numa cruz.

 

Sendo Deus se fez homem; sendo Senhor, se fez servo, sendo santo, se fez pecado; sendo bendito se fez maldição; sendo autor da vida, deu a sua própria vida por nós.

 

Olhando para texto que Paulo escreveu aos Colossenses podemos enxergar a obra de amor que Cristo realizou por nos na cruz do calvário.

 

Foi na cruz que…

 

  1. Ele nos LIBERTOU

 

Paulo diz: “Ele nos libertou do império das trevas…”

 

O verbo “libertar” significa “Salvar, libertar de algum tipo de servidão ou escravidão”. O verbo “libertar” também significa “livrar do perigo”. Já a palavra império significa autoridade ou poder. Paulo está afirmando que Deus nos libertou do poder, da autoridade e do domínio que Satanás tinha sobre a nossa vida. Essa expressão libertou confirma que a obra de libertação foi absolutamente consumada por aquilo que Jesus fez na cruz.

 

Por causa do que Cristo fez na cruz não corremos mais o perigo de passar a vida e a eternidade separados de Deus. Antes da obra de Cristo na cruz, por causa do pecado estávamos no império das trevas, na casa do valente, presos e acorrentados, cegos e oprimidos. Porém, por nos amar Jesus invadiu a casa do valente, saqueou o seu império e nos libertou da escravidão que vivíamos.

 

Deus por meio de Cristo abriu nossos olhos, tirou as correntes que nos prendiam, abriu os portões que nos trancavam nesse reino de escravidão e nos fez sair para viver a liberdade de uma nova vida Nele. Por isso, o mesmo Paulo afirmou o seguinte:

 

“Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.” (2ª Coríntios 5.17)

 

A obra da cruz é uma obra de libertação. Ele nos libertou do império das trevas para vivermos em novidade de vida.

 

Foi na cruz que…

 

  1. Ele nos TRANSPORTOU

 

Paulo diz: “… e nos transportou para o reino do Filho do seu amor…”

 

Deus não apenas nos tirou da região da morte, como também nos transportou para dentro do reino da luz, o reino do Filho do seu amor. Houve um traslado, uma transferência, uma mudança imediata de local. Deus nos tirou do império das trevas para o reino da luz. Deus mudou nossa posição.

 

A palavra grega, traduzida pelo verbo “transportou” significa “remover de um lugar para o outro, transferir”. Essa expressão era muito comum nos dias de Paulo. Era usada no mundo antigo para descrever o costume de trasladar a população vencida por um reino a outro país. Entretanto, em termos espirituais esse traslado tem quatro características:

 

 É um traslado do poder de Satanás para o Senhorio de Cristo;

 É um traslado do império das trevas para o reino da luz;

 É um traslado da escravidão para liberdade;

 É um traslado da condenação para a remissão dos pecados.

 

Na vida do cristão a obra da cruz tem um antes e um depois. Antes estávamos no império das trevas, sob o domínio cruel e opressor de Satanás. Antes andávamos no cativeiro do diabo, acorrentados pelo pecado. Agora, estamos livres, libertos e salvos pela obra da cruz. Fomos não apenas libertados do império das trevas, mas também transportados para o reino da luz.

 

No Antigo império estávamos debaixo de escravidão. No reino da luz somos livres. No reino das trevas, Satanás queria a nossa morte. No reino da luz, Cristo morreu a nossa morte para que pudéssemos viver a sua vida. A obra da cruz é uma obra de transferência. Ele nos transportou das trevas para sua maravilhosa luz.

 

Foi na cruz que…

 

  1. Ele nos REDIMIU

 

Paulo diz: “No qual temos a redenção…”

 

Aqui o verbo “redimir” significa “libertar um prisioneiro mediante o pagamento de um resgate”. O que é um resgate? É a libertação do local em que se estava preso, mediante o pagamento de uma quantia (valor) combinada. É o valor pago por essa libertação. É a ação de livrar ou de libertar alguém de um determinado lugar.

 

Para que pudéssemos ser resgatados do pecado alguém deveria pagar por ele. E por nos amar Deus fez isso! Por intermédio de Cristo, Deus pagou um altíssimo preço pela nossa redenção. Deus nos comprou não com prata e ouro, mas com o sangue precioso do seu Filho amado.

 

Deus nos comprou de volta e agora somos dele. Somos propriedade particular. Somos de Deus por direito de criação, porque Ele nos criou a sua imagem e semelhança e também somos Dele por direito de redenção, pois Ele nos comprou com o sangue precioso de seu Filho amado. A obra da cruz é uma obra de redenção. Ele nos comprou de volta com o seu precioso sangue.

 

Foi na cruz que…

 

  1. Ele nos PERDOOU

 

Paulo diz: “No qual temos a redenção, a remissão de pecados.”

 

A obra da cruz removeu a barreira entre o Deus santo e o homem pecador. Na cruz por intermédio de Cristo, Deus nos perdoou de todos os nossos pecados. Nossa dívida foi paga, nossa culpa cancelada e nossa justificação, declarada. A palavra “perdão” significa “mandar embora” ou “cancelar uma dívida”. Desta forma, o perdão de pecado é o cancelamento de uma dívida. Foi por isso que Paulo afirmou:

 

“Tendo cancelado o escrito de dívida que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz.” (Colossenses 2.14)

 

Nossa dívida como escravo foi cancelada. Nossos débitos não podem mais nos escravizar. Satanás não encontra mais nada nos nossos arquivos para nos acusar. Paulo confirma essa verdade quando diz:

 

“Quem fará alguma acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica… Quem os condenará? Foi Cristo Jesus que morreu; e mais, que ressuscitou e está à direita de Deus, e também intercede por nós.” (Romanos 8.33-34)

 

Por meio da remissão dos nossos pecados, somos transferidos de réus condenados, para status de filhos amados. Continuamos pecadores, mas agora pecadores redimidos. Por meio de Cristo, através da confissão, podemos receber constantemente o perdão e a restauração de nossa vida. O perdão pavimenta o caminho para um novo relacionamento com Deus. A obra da cruz é uma obra de perdão. Ele perdoou os nossos pecados.

 

Conclusão:

 

Deus nos resgatou enviando-nos Jesus. Ele morreu na cruz por nós e ressuscitou por causa da nossa justificação. Fora de Jesus não há possibilidade de salvação.

 

Foi na cruz que ele nos…

 Libertou

 Transportou

 Redimiu

 Perdoou

 

Foi Ele quem morreu na cruz e pagou o preço da nossa salvação. Não há salvação em nenhum outro. Ainda que o mundo admire a Buda, Maomé, Alan Kardec ou qualquer outro líder religioso, nenhum deles morreu por você ou foi escolhido por Deus para ser o salvador do mundo. Jesus é o único mediador entre Deus e os homens. Foi por amor que Jesus se entregou na cruz.

 

                            ARTIGO Ricardo de Paula Meneghelli 

 

O ponto central e o assunto mais importante de todos os fundamentos é a vida e a Obra de Jesus. Tudo na vida de um discípulo deriva do relacionamento e do conhecimento que tem da pessoa de Jesus. O objetivo de Deus para nós, como Igreja, é que cheguemos ao "pleno conhecimento do Filho de Deus" (Ef 4:13). Essa é uma jornada para toda a vida, que não pode se limitar apenas à compreensão do estudo abaixo, mas deve prosseguir mediante o estudo da Palavra e da iluminação do Espírito Santo.

 

Introdução

 

Jesus não disse que veio trazer uma verdade. Ele disse "Eu sou a verdade". Jesus não veio trazer simplesmente uma religião, nem uma filosofia, nem um conjunto de regras como código de conduta. Jesus veio trazer Ele mesmo. Ele é a ressurreição e a vida. Para receber esta vida temos que conhecê-lo devemos saber quem Ele é, de onde veio, o que Ele falou, o que Ele fez, onde Ele está, etc.

 

"Aquele que diz que está em Cristo, deve andar como Ele andou", como andaremos como Jesus andou, se não soubermos como foi a vida e a obra de Jesus?

 

"Eu sou o caminho , a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim", João 14:6, Jesus é o único que nos leva ao Pai. Por isso devemos conhecê-lo e saber o que ele fez por nós. Esta proclamação que o evangelho faz da pessoa de Jesus, visa trazer fé aos nossos corações.

 

1) Jesus Existia Antes de Todas as Coisas

 

"No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez." Jo 1:1-3

 

Muitos pensam que Jesus é um ser que nasceu em Belém da Judéia. Mas isso não é verdade. Todos nós começamos a nossa vida quando somos gerados no ventre de nossas mães, antes não existíamos. Mas não foi assim com Jesus. Ele existia muito antes de nascer em Belém. Não como homem, mas como o Verbo de Deus. O Verbo nunca foi criado, Ele era Deus e sempre existiu. Foi ele quem criou todas as coisas.

 

"O qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; porque nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por ele e para ele. Ele é antes de todas as coisas, e nele subsistem todas as coisas." Cl 1:15-17

 

Grandioso é Jesus ! ( Ver também Hb 1:1-3 )

 

2) Tornou-se Homem

"E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai." Jo1:14

 

"O qual, subsistindo em forma de Deus, não considerou o ser igual a Deus coisa a que se devia aferrar, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, tornando-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz." Fp2:6-8

 

Que tremenda é esta verdade! O Verbo Eterno, criador de todas as coisas, se esvaziou de sua glória e assumiu a forma de homem.

 

Imagine um homem se transformando num verme. Isto ainda seria pouco para comparar com o que aconteceu a Cristo, porque o homem é criatura e o verme também. Mas quando o Verbo se fez carne foi algo muito mais tremendo! Foi o próprio criador assumindo a forma de uma de suas criaturas. A humilhação de Jesus não começou na cruz, mas sim em Belém, quando tomou a forma de um simples homem.

 

Nunca é demais salientar que nossa fé é no Deus-homem Jesus Cristo, .Quando o Verbo se fez carne Ele se esvaziou de sua glória de Deus (Jo 17:5), isto é, Ele se esvaziou dos atributos (qualidades e capacidades) de Deus, mas nunca deixou de ser a Pessoa do Verbo. Ele continuou sendo o Verbo, mas agora em carne humana esvaziado de sua glória, mas não totalmente. Ele tinha em sua humanidade toda glória possível da verdade e da graça de Deus (Jo1:14). Isto é um mistério.

 

Maravilhoso é Jesus ! ( Leia também 1Jo 4:2-3 1Tm 3:16 Rm 8:3 )

 

3) Teve uma Vida Perfeita e Irrepreensível

 

"Ele não cometeu pecado, nem na sua boca se achou engano" 1 Pe2:22

 

Primeiro Jesus se esvaziou tornando-se homem. Depois, como homem, continuou se esvaziando. De que forma? Não fazendo nunca a sua própria vontade.

 

O texto de Fp 2:6-8 diz: " ... se humilhou, sendo obediente até a morte... ". Qual foi o pecado de Adão ? Fez sua própria vontade. Agora, Jesus, o ultimo Adão (I Co 15:45) veio para fazer sempre a vontade do Pai ( Jo 4:34 ; 8:29 ). Por isso as Escrituras dizem que Ele nunca cometeu pecado. Porque nunca fez a sua própria vontade.

 

O diabo tentou Jesus desde o princípio para que Ele fizesse a sua própria vontade, mas Jesus sempre permaneceu obediente ao Pai até a morte e morte de cruz.

 

Santo é Jesus ! ( Leia também Hb 4:15; 7:26 I Jo 3:5 )

 

4) Fez uma Obra Tremenda e Grandiosa

 

"Concernente a Jesus de Nazaré, como Deus o ungiu com o Espírito Santo e com poder; o qual andou por toda parte, fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do Diabo, porque Deus era com ele." At 10:38

 

Na vida de Jesus não admiramos somente a sua santidade, mas também o poder que se manifestou no seu ministério. Ele fez muitos milagres prodígios e sinais At2:22. Ele curou enfermos, deu a vista aos cegos, ressuscitou mortos, andou sobre as águas, multiplicou alimentos, pregou às multidões, fez discípulos e ensinou-lhes a agradar o pai.

 

Com que poder Ele fez isto? Ele não fez nada como Deus, pois havia se esvaziado da forma de Deus e vivia como homem. Portanto ele precisava do poder do Espírito Santo para fazer a obra de Deus. Por isso o Pai se alegrou tanto no seu batismo, porque naquele momento veio sobre Ele o Espírito Santo (Mt 3:13-17).

 

Tudo que Jesus fez foi pelo poder do Espírito Santo de Deus.

 

Era novamente um esvaziamento de Jesus, assumindo as limitações de homem e a sua necessidade do Espírito Santo para cumprir o seu Ministério.

 

Tremendo é Jesus ! ( Leia também Jo 20:30-31 )

 

5) Morreu Pelos Nossos Pecados

 

"Àquele que não conheceu pecado, Deus o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus." 2Co5:21

 

"Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e esmagado por causa das nossas iniquidade; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas, cada um se desviava pelo seu caminho; mas o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de todos nós." Is 53:5-6

 

Todas as pessoas falam e até mesmo os incrédulos sabem que Jesus morreu pelos nossos pecados. Mas não teremos revelação espiritual enquanto não soubermos por que foi necessária esta morte. Por que Deus exigiu a morte de seu único filho?

 

Para conhecermos o amor de Deus é necessário conhecer também sua santidade e justiça. Deus é perfeitamente santo e perfeitamente justo. Não pode suportar nem mesmo aquilo que para nós seria um "pequeno erro". Sua santidade se ofende com qualquer forma de pecado e sua justiça exige punição (Rm1:18 ). Assim é Deus.

 

Se a exigência é assim tão grande, e se só um homem totalmente perfeito pode agradar a Deus, então quem poderá agradá-lo? Será que existe alguém que preenche tais condições? A resposta clara da Escritura é NÃO.

 

"Não há justo, nem sequer um ..." Rm 3:10

 

"Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus" Rm 5:23.

 

E qual a conseqüência disto?

"...o salário do pecado é a morte ... " Rm 6:63.

 

Esta é a morte eterna, o castigo eterno. Quem está sujeito a este castigo ? Toda a raça humana.

 

Quando o Espírito Santo nos convence do pecado, da justiça e do juízo, então entendemos como estamos mal diante de Deus e como é grande a nossa dívida para com Ele. Conhecemos a nossa culpa e perdemos a paz. Só então começamos a compreender porque Jesus morreu. Ele morreu para satisfazer a justiça de Deus e aplacar a sua ira. Nós merecemos ser castigados pelos nossos pecados, mas Jesus aceitou ser castigado em nosso lugar. Assim Deus satisfez sua justiça. Por isso Isaías diz que ". . . O Senhor agradou moê-lo" Is 53:10

 

Se nós somos culpados diante de Deus, como podemos ter paz com Ele? Só temos quando entendemos que Jesus pagou o nosso castigo: " . . . o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele " ( Is 53:6 ) . Jesus pagou a nossa dívida. ALELUIA !!!

 

Vejamos abaixo um quadro completo do significado amplo da morte de Jesus:

 

Conseqüências do Pecado                     A morte de Jesus como solução

1) O homem ofendeu a santidade de Deus e provocou a sua ira. (Rm1:18)  1) A morte de Jesus foi propiciatória (Rm3:25 Hb2:17 IJo2:2 IJo4:10), ou seja satisfez a justiça de Deus. ( Não significa que a justiça de Deus foi eliminada, mas sim satisfeita )

2) Por causa disso o homem está condenado ao castigo eterno. (Rm6:23)   2) A morte de Jesus foi um sacrifício (Ef3:24 Ef 1:7). Isto quer dizer que sua morte foi substitutiva, Ele morreu por nós. (IPe2:24;3:18) . Foi uma troca, o justo pelos injustos. Significa que o nosso castigo já foi pago.

3) O homem também se tornou escravo de Satanás e do pecado. (Ef2:2-3)

3) A morte de Jesus foi redentora (Rm3:24 Ef1:7). Isto significa que Ele nos resgatou (Gl 3:13). Ele que não era escravo de Satanás, foi até o "mercado de escravos" e nos livrou (Hb2:14-15) , nos comprou pagando o preço do resgate: Seu precioso sangue. ( At 20:28 Ap 5:9 ).

 

4) O homem perdeu a comunhão com Deus e nâo pode mais se relacionar com Ele. (Is 59:2)            4) A morte de Jesus foi reconciliadora (IICo 5:18-21) Cl1:21-22). Reconciliar quer dizer " fazer a paz". Quer dizer que afastadas as barreiras o homem pode novamente estabelecer relações com Deus. Como já houve propiciação, sacrifício, e redenção, agora Deus reaproxima o homem d'Ele e faz com que ele goze novamente de sua amizade.

 

 

Existe um outro aspecto da morte de Jesus: O fato de que fomos incluídos na sua morte. ( Isto é tratado no assunto Batismo ).

 

Amado é Jesus !

 

6) Ressuscitou

 

"Ao qual Deus ressuscitou, rompendo os grilhões da morte, pois não era possível que fosse retido por ela." At 2:24

 

Se a morte de Jesus está coberta de glória, quanto mais a sua ressurreição! As Escrituras nos mostram vários aspectos da ressurreição e seu amplo significado. Vamos ver os principais:

 

  1. a) A ressurreição de Jesus é a sua vitória sobre a morte. (1Co 15:54-57 )

O que é a morte ? A morte não é deixar de existir. A morte física ocorre quando o espírito e a alma deixam o corpo. Quando se quebra a unidade entre o espírito, a alma e o corpo então acontece a morte física.

 

Para vencer a morte, Jesus precisava de uma ressurreição física, ressurreição do corpo. Um corpo de carne e osso e não um espírito (Lc 24:39-40). Para provar isso Jesus comeu na presença dos discípulos ( Lc 20:20;24-27). Entretanto era um corpo transformado. Não estava preso a espaço nem ao tempo. Podia aparecer e desaparecer. ( Lc 24:31 Jo20:19;26).

 

Com a ressurreição física Jesus passou a ter novamente a unidade entre seu corpo , alma e espírito. Desta maneira Ele venceu a morte. ( ICo 15:54 )

 

  1. b) A ressurreição é que produz a fé no Senhor. ( Rm 10:9 )

A fé dos discípulos "entrou em parafuso" depois da morte de Jesus ( Jo 20:19;25 Lc 24:21-22 ). Esta fé foi restabelecida quando Jesus ressurreto apareceu aos discípulos (Jo 20:8;20). Sem a ressurreição física, quem creria no crucificado? Mas pela sua ressurreição ele foi comprovado como Filho de Deus ( Rm 1:4 At 13:33 ) e como juiz universal ( At 17:31)

 

  1. c) A ressurreição de Cristo é o fundamento de nossa união com Ele.

 

A nossa fé em Jesus não é um simples pensamento de nossa mente, nem é uma mera aceitação mental das coisas que ouvimos sobre Ele. Nossa fé Nele é poderosa porque nos une a Ele. Toda a nossa vida é " em Cristo" (Paulo usa esta expressão 164 vezes). O pecador só pode ser abençoado pela obra de Cristo quando é unido a Ele.

 

Entretanto nós somos homens, e a igreja, apesar de ser um organismo celestial, é um organismo humano. Para que Jesus se tornasse o cabeça deste organismo humano era necessário ser homem para sempre. Por isso necessitava de um corpo humano. Sem a ressurreição do corpo, Cristo teria deixado de ser humano. Pela ressurreição física o Senhor tornou-se homem eternamente, com um corpo transfigurado e glorificado. Ele agora é o "homem do céu" ( I Co 15:47 ) é o Filho do Homem que está no meio dos candeeiros ( Ap 1:13 ) , é o cabeça de uma nova raça ( Ef 1:22-23 ).

 

A ressurreição de Cristo é, portanto, aquilo que faz a grande diferença entre a fé cistã e a religião dos homens. Homens como Buda, Maomé, Alan Kardek e outros, fundaram suas religiões. Mas onde estão hoje? Estão mortos. Isto prova que não venceram o salário no pecado. Os seguidores destes homens não tem nada mais do que um livro de regras e doutrinas. Eles estão sós. Se este livro não salvou seus escritores, muito menos salvará seus seguidores. Mas nós não temos uma religião, um livro de regras e doutrinas morto e sem poder. Temos uma pessoa viva que vive em nós e nós Nele. Esta é a esperança da glória (Cl 1:27)

 

  1. d) A Ressurreição de Jesus é a base de nossa ressurreição.

 

A ressurreição do corpo só é possível pela ressurreição do Senhor Jesus. Pela sua ressurreição ele glorificou e transfigurou a humanidade Nele. Ele é "as primícias" ( I Co 15:20;23 Cl 1:18 ). Sua vitória sobre a morte garante a nossa própria ressurreição ( Rm 8:11 ITs 4:14 ). Seu corpo de glória é o padrão dos nossos futuros corpos (Fp3:20-21 ICo 15:48:49) .

 

Glorioso é Jesus !

 

7) Foi Exaltado

 

"Pelo que também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu o nome que é sobre todo nome; para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai." Fp 2:9-11

 

Que verdade gloriosa ! Como gostamos de ler falar, repetir e até cantar esta palavra !

 

Os homens do tempo de Jesus, inclusive os sacerdotes, o julgaram como criminoso e o desprezaram. Mas Deus tinha um julgamento totalmente oposto ao dos homens.

 

Que dia tremendo foi aquele quando Pedro se levantou e disse: "Esteja absolutamente certa, pois, toda casa de Israel de que a este Jesus que vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo".

 

Há entretanto uma verdade que deve ser lembrada e bem aclarada: Antes de vir ao mundo, o Verbo tinha toda a glória de Deus; era Deus e não um homem. Agora pois o Verbo encarnado em Jesus, depois do sofrimento da crucificação e da ressurreição física, é recebido nos céus como homem. Como homem Ele é exaltado. Como homem Ele se assenta a direita de Deus Pai e recebe um nome acima de todo nome.

 

ALELUIA! Há um homem sentado no trono do universo ! Jesus, o Filho do Homem, o cabeça de uma raça redimida.

 

No entanto, nunca esqueçamos do mistério ( I Tm 3:16 ). Jesus é nosso Deus-homem. Ao ser exaltado ele recebeu de volta toda a glória como Deus ( Jo 17:5 ). Ele tem toda a divindade ( Cl 2:9 ). Ele tinha afirmado que somente Deus poderia ser adorado e cultuado ( Mt 4:10 ), entretanto Ele aceitou essa adoração ( Mt 14:33;15:9 Jo 20:28 Hb 1:6 Ap 5:8-14 ).

 

Ele é onipresente, está em todo lugar ( Mt 18:20;28:20 ); é onisciente, sabe todas as coisas ( Jo 21:17 Cl 2:2-3 ); é onipotente, trem todo o poder (Ap 1:18). Ele é Deus ( Tt 2:13 Rm 9:5 Cl 2:2 IJo 5;20 ).

 

Que coisa incompreensíveis acontecem neste grandioso mundo desconhecido que chamamos céu! Nossa mente não pode imaginar que coisas tremendas acontecem do outro lado do véu. Mas basta que a igreja compreenda uma coisa: tudo o que se opera ali, é feito pela autoridade de seu Senhor e nada se faz sem a sua iniciativa.

 

Majestoso é Jesus ! ( Leia também At 2:33-36 )

 

8) Voltará !

 

"Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem, e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão vir o Filho do homem sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória." Mt 24:30

 

Que bendita esperança! o Senhor glorificado virá e se mostrará ao mundo. Este será sem dúvida o dia mais tremendo que esta terra terá conhecido. Para muitos será um dia de terror e lamentação. Para nós, porém, será um dia de júbilo e alegria incomparável.

 

O que a bíblia ensina sobre este dia? O Assunto é tão amplo e com tantas implicações, que alguns textos são motivo de discussão, e dão origem a interpretações diferentes. A maior parte do ensino, entretanto, se refere a coisas claras e indiscutíveis. São estes textos claros e sem discussão que queremos apresentar aqui.

 

Leia cada texto com atenção e alegre-se no Senhor.

 

  1. a) A vinda do Senhor foi predita ( profetizada )

 

  • Pelos profetas ( Zc 14:3-5 )
  • Por João Batista ( Lc3:3-6 )
  • Por Jesus Cristo ( Jo 14:2-3 )
  • Pelos anjos ( At 1:11 )
  • Pelos apóstolos ( Tg 5:7 I Pe 1:7;13 ITs 4:13-18 )

 

  1. b) A vinda do Senhor será:

 

  • Pessoal ( e corporal ) ( Jo 14:3 At 1:10-11 )
  • Visível ( Ap 1:7 IJo 3:2-3 )
  • Literal ( real ) ( ITs 4:16 )
  • Repentina ( de surpresa ) ( Mt 24:42-44 ITs 5:1-3 )

 

  1. c) O Senhor virá para:

 

  • Ressuscitar os mortos em Cristo ( ITs 4:16 ICo 15:22-23 )
  • Transformar os vivos a imortalidade ( ICo 15:51-53 )
  • Arrebatá-los para encontrá-lo nos ares ( ITs 4:17 )
  • Julgar e recompensar os santos ( II Co 5:10 ICo 3:12-15 )
  • Casar com a noiva ( Ap 19:7-9;21:2 )
  • Destruir o anti-cristo ( IITs 2:8 )
  • Julgar as nações ( Mt 25:31-33 )
  • Julgar a todos ( IITm 4:1 )
  • Acorrentar Satanás por mil anos ( Ap 20:2-3 )
  • Estabelecer seu reino milenar. ( Ap 20:4-6 )

 

"Certamente venho sem demora. Amém. Vem Senhor Jesus."

Ap 22:20 fonte www.mauricioberwald.comunidades.net