Translate this Page

Rating: 2.7/5 (307 votos)




ONLINE
4




Partilhe esta Página



 <!-- Go to www.addthis.com/dashboard to customize your tools -->
<script type="text/javascript" src="//s7.addthis.com/js/300/addthis_widget.js#pubid=ra-57f3fb36829d1888"></script>

 

 

  contadores de visitas 

 

Flag Counter


Subsidio jovens nessecidade do Salvador n.1
Subsidio jovens nessecidade do Salvador n.1

SUBSIDIO JOVENS A NECESSIDADE DE UM SALVADOR

MAURICIO BERWALD PROFEWSSOR E ESCRITOR N.1

Notas de A. Barnes 

Verso 1

No começo - Essa expressão também é usada em Gênesis 1: 1 . João evidentemente faz alusão aqui a esse lugar, e ele pretende aplicar à “Palavra” uma expressão que é aplicada a “Deus”. Nos dois lugares, isso significa claramente antes da criação, antes que o mundo fosse criado, quando ainda havia nada. O significado é: que a "Palavra" existia antes da criação do mundo. Isso não se fala do homem Jesus, mas daquilo que "se tornou" um homem, ou foi encarnado, João 1:14 . Os hebreus, por expressões como essa, comumente denotavam a eternidade. Portanto. a eternidade de Deus é descrita Salmos 90: 2; “Antes que as montanhas fossem produzidas, etc .;” e a eternidade é comumente expressa pela frase, antes da fundação do mundo. ”Qualquer que seja o significado do termo“ Palavra ”, é claro que ele já existia antes da“ criação. . ”Não é, então, uma“ criatura ”ou ser criado, e deve ser, portanto, incriado e eterno. Existe apenas um Ser que não foi criado, e Jesus deve, portanto, ser divino. Compare as próprias declarações do Salvador respeitando a si mesmo nos seguintes lugares: João 8:58 ; João 17: 5 ; João 6:62 ; João 3:13 ; João 6:46 ; João 8:14 ; João 16:28 .

 

Era o Verbo - o grego, “foi o λόγος nome LogosThis é dado a ele que depois se tornou‘carne’, ou foi encarnado ( João 1:14 -. Isto é, o Messias que quer que se entende por isso, portanto, é aplicável a Senhor Jesus Cristo. Houve muitas opiniões sobre a razão pela qual esse nome foi dado ao Filho de Deus. Não é necessário repeti-las. A opinião que parece mais plausível pode ser expressa da seguinte forma:

 

  1. Uma "palavra" é aquela pela qual comunicamos nossa vontade; pelo qual transmitimos nossos pensamentos; ou pelo qual emitimos comanda o meio de comunicação com os outros.

 

  1. O Filho de Deus pode ser chamado de "a Palavra", porque ele é o meio pelo qual Deus promulga Sua vontade e emite Seus mandamentos. Ver Hebreus 1: 1-3 .

 

3 . Este termo estava em uso antes da época de João.

 

(a) Foi usado na tradução aramaica do Antigo Testamento, como, “eg”, Isaías 45:12 ; “Eu fiz a terra e criei o homem sobre ela.” No aramaico, é: “eu, pela minha palavra, 'fiz'” etc. Isaías 48:13 ; “A minha mão também lançou os fundamentos da terra.” No aramaico, “‹ Pela minha palavra 'fundei a terra. ”E assim por muitos outros lugares.

 

(b) Este termo foi usado pelos judeus conforme aplicável ao Messias. Nos escritos deles, ele era comumente conhecido pelo termo "Mimra" - isto é, "Palavra"; e pouca parte das interposições de Deus em defesa da nação judaica era declarada como "a Palavra de Deus". Assim, em seu Targum sobre Deuteronômio 26: 17-18 , diz-se: "Nomeareis sobre vós hoje a palavra de Deus para que ele seja o seu Deus".

 

(c) O termo foi usado pelos judeus que estavam espalhados entre os gentios, e especialmente aqueles que conheciam a filosofia grega.

 

(d) O termo foi usado pelos seguidores de Platão entre os gregos, para denotar a Segunda Pessoa da Trindade. O termo grego νοῦς nousor "mente" era comumente dado a essa segunda pessoa, mas dizia-se que esse nous era "a palavra" ou "razão" da Primeira Pessoa da Trindade. Portanto, o termo era amplamente utilizado entre judeus e gentios antes de João escrever seu evangelho, e era certo que seria aplicado à Segunda Pessoa da Trindade pelos cristãos. convertido do judaísmo ou do paganismo. Era importante, portanto, que o significado do termo fosse estabelecido por um homem inspirado e, portanto, João, no início de seu Evangelho, se esforça ao máximo para afirmar claramente qual é a verdadeira doutrina que respeita os λόγος Logosor Word. É possível, também, que as doutrinas dos gnósticos tenham começado a se espalhar no tempo de João. Eles eram uma seita oriental e sustentavam que o λόγος Logosor “Palavra” era um dos “Aeones” que haviam sido criados e que este havia sido unido ao homem Jesus. Se essa doutrina começara a prevalecer, era da maior importância que João resolvesse a verdade em relação à classificação do Logos ou da Palavra. Isso ele fez de tal maneira que não há dúvida sobre seu significado.

 

Estava com Deus - Esta expressão denota amizade ou intimidade. Compare Marcos 9:19 Marcos 9:19João 17: 5 João 1:18 João 3:13 Filêmon 2: 6-7 . João afirma que ele estava "com Deus" no começo - isto é, antes da criação do mundo. Implica, portanto, que ele foi participante da glória divina; que ele foi abençoado e feliz com Deus. Isso prova que ele estava intimamente unido ao Pai, de modo a participar de sua glória e ser apropriadamente chamado pelo nome de Deus. Ele mesmo explicou isso. Ver João 17: 5 ; “E agora, ó Pai, glorifica-te nós com o teu próprio eu, com a glória que eu tinha contigo antes que o mundo existisse.” Veja também João 1:18 ; “Ninguém jamais viu Deus; o Filho unigênito, que está no seio do Pai, ele o declarou. ”Ver também João 3:13; “O Filho do homem, que está no céu.” Compare Filemom 2: 6-7 .

 

Era Deus - Na frase anterior, João havia dito que a Palavra estava "com Deus". Para que não se devesse supor que ele era um ser diferente e inferior, aqui João afirma que "ele era Deus". Não há mais declarações inequívocas em a Bíblia além disso, e não havia prova mais forte de que o escritor sagrado pretendesse afirmar que o Filho de Deus era igual ao Pai; Porque:

 

  1. Não há dúvida de que, pela λόγος Logosis, significava Jesus Cristo.

 

2.Este não é um “atributo” ou qualidade de Deus, mas é uma verdadeira subsistência, pois se diz que o λόγος Logos foi feito carne σάρξ sarx - isto é, se tornou um ser humano.

 

  1. Não há variação aqui nos manuscritos, e os críticos observaram que o grego não terá outra construção além do que é expresso em nossa tradução - que a Palavra "era Deus".

 

4.Não há evidências de que João pretendia usar a palavra "Deus" em um sentido inferior. Não é "o Verbo era um deus" ou "o Verbo era como Deus", mas o Verbo era "Deus". Ele acabara de usar a palavra "Deus" como evidentemente aplicável a Javé, o Deus verdadeiro; e é absurdo supor que ele usaria no mesmo verso, e sem nenhuma indicação de que ele estava usando a palavra em um sentido inferior, empregá-la para denotar um ser completamente inferior ao Deus verdadeiro.

 

5.O nome "Deus" é dado a ele em outro lugar, mostrando que ele é o Deus supremo. Veja Romanos 9: 5 Romanos 9: 5 ; Hebreus 1: 8 Hebreus 1: 8 , Hebreus 1:10 Hebreus 1:10 , Hebreus 1:12 Hebreus 1:12 ; 1 João 5:20 1 João 5:20 ; João 20:28João 20:28 .

 

O significado deste versículo importante pode então ser resumido:

 

  1. O nome λόγος Logosor Word, é dado a Cristo em referência ao fato de ele se tornar o Mestre ou Instrutor da humanidade; o meio de comunicação entre Deus e o homem.

 

  1. O nome estava em uso na época de João, e foi seu projeto para declarar a doutrina correta respeitando a λόγος LogosThe “Palavra”, ou λόγος Logosexisted “antes da criação” - claro que não era uma “criatura”, e must foram, portanto, desde a eternidade.

 

  1. Ele estava “com Deus” - isto é, ele se uniu a ele em uma união mais íntima e íntima antes da criação; e, como não se podia dizer que Deus estava "consigo mesmo", segue-se que o λόγος Logos era, em certo sentido, distinto de Deus, ou que havia uma distinção entre o Pai e o Filho. Quando dizemos que um está "com o outro", sugerimos que existe algum tipo de distinção entre eles.

 

  1. No entanto, para que não se deva supor que ele era um ser "diferente" e "inferior" - uma criatura - ele afirma que era Deus - ou seja, era igual ao Pai.

 

Este é o fundamento da doutrina da Trindade:

 

1.que a segunda pessoa é, em certo sentido, "distinta" da primeira.

 

2.que ele está intimamente unido à primeira pessoa em essência, para que não haja dois ou mais deuses.

 

3.que a segunda pessoa pode ser chamada com o mesmo nome; tem os mesmos atributos; realiza os mesmos trabalhos; e tem direito às mesmas honras que as primeiras, e que, portanto, ele é "o mesmo em substância, e igual em poder e glória", com Deus.

 

Verso 2

O mesmo - o Word, ou os λόγος LogosWas no princípio com Deus - Esta parece ser uma repetição do que foi dito no primeiro verso; mas afirma-se outra vez para “proteger a doutrina”, e para evitar a possibilidade de um erro. João havia dito que ele existia antes da criação e que ele estava "com Deus"; mas ele não havia dito no primeiro verso "que a união com Deus existia no começo". Ele agora expressa essa idéia e nos assegura que essa união não era aquela que foi iniciada no tempo, e que poderia ser, portanto, uma mera união de sentimentos, ou um pacto, como aquele entre quaisquer outros seres, mas era uma que existia na eternidade, e que era, portanto, uma união de sentimentos. natureza ou essência.

 

Verso 3

Todas as coisas - o universo. A expressão não pode ser limitada a qualquer parte do universo. Ela expressa adequadamente tudo o que existe - todos os grandes massas de mundos materiais, e todos os animais e coisas, grandes ou pequenas, que compõem esses mundos. Ver Apocalipse 4:11 Apocalipse 4:11 ; Hebreus 1: 2 Hebreus 1: 2 ; Colossenses 1:16Colossenses 1:16 .

 

Foram feitas - A palavra original é do verbo "ser" e significa "era" por ele; mas expressa aqui a ideia de criação. Não altera o sentido de dizer se "foram 'por ele" ou "foram criados por ele". A palavra é frequentemente usada no sentido de "criar" ou formar a partir do nada. Ver Tiago 3: 9 Tiago 3: 9 ; e Gênesis 2: 4 Gênesis 2: 4 ; Isaías 48: 7Isaías 48: 7 ; na Septuaginta.

 

Por ele - Neste lugar, afirma-se que a "criação" foi efetuada pelo "Verbo", ou o Filho de Deus. Em Gênesis 1: 1 Gênesis 1: 1 , diz-se que o Ser que criou os céus ea terra era Deus. No Salmo 102: 25-28 Salmo 102: 25-28 , este trabalho é atribuído ao Senhor. A “Palavra”, ou o Filho de Deus, é, portanto, apropriadamente chamada de “Deus”. A obra da “criação” é uniformemente atribuída nas Escrituras à Segunda Pessoa da Trindade. Veja Colossenses 1:16 Colossenses 1:16 ; Hebreus 1: 2 Hebreus 1: 2 , Hebreus 1:10 Hebreus 1:10. Com isso, entende-se, evidentemente, que ele era o agente, ou a causa eficiente, pela qual o universo foi feito. Não há prova superior de onipotência do que a obra da criação; e, portanto, Deus freqüentemente apela a esse trabalho para provar que ele é o Deus verdadeiro, em oposição aos ídolos. Ver Isaías 40: 18-28 Isaías 40: 18-28 ; Jeremias 10: 3-16 Jeremias 10: 3-16 ; Salmo 24: 2 Salmo 24: 2 ; Salmo 39:11 Salmo 39:11 ; Provérbios 3:19Provérbios 3:19. É absurdo dizer que Deus pode investir uma criatura com onipotência. Se Ele pode tornar uma criatura onipotente, pode torná-lo onisciente e, da mesma maneira, torná-lo onipresente, infinitamente sábio e bom; isto é, Ele pode investir uma criatura com todos os seus próprios atributos, ou fazer outro ser como Ele próprio, ou, o que é a mesma coisa, pode haver dois deuses, ou tantos deuses quanto ele escolher fazer. Mas isso é um absurdo! O Ser, portanto, que "criou" todas as coisas deve ser divino; e, como essa obra é atribuída a Jesus Cristo, e como é uniforme nas Escrituras declaradas como obra de Deus, Jesus Cristo é, portanto, igual ao Pai.

 

Sem ele - sem sua agência; o seu aviso; o esforço de seu poder. Compare Mateus 10:29 Mateus 10:29 . É uma maneira forte de falar, destinada a confirmar, além da possibilidade de dúvida, o que ele acabara de dizer. Ele diz, portanto, em geral, que todas as coisas foram feitas por Cristo. Nesta parte do verso, ele elimina todas as dúvidas e afirma que "não havia exceção"; que não havia uma única coisa, ainda que minúscula ou sem importância, que não foi feita por ele. Dessa maneira, ele confirma o que disse no primeiro verso. Cristo não foi meramente chamado Deus, mas ele fez as obras de Deus, e, portanto, o nome é usado em seu sentido apropriado como implicando a suprema divindade. Para esse mesmo teste, o próprio Jesus apelou como prova de que ele era divino. João 10:37 João 10:37, “Se eu não fizer as obras de meu Pai, não acredite em mim.” João 5:17João 5:17 , “meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho.”

 

Verso 4

Nele estava a vida - o evangelista havia acabado de afirmar João 5: 3 João 5: 3Gênesis 2: 7 Efésios 2: 1 João 5:26 João 6:33 João 11:25 João 5:20 1 João 1: 1-2 1 João 5:11 Atos 3:15 Colossenses 3: 4 que, pelo λόγος Logosor “Palavra”, o mundo foi originalmente criado. Uma parte dessa criação consistia em “respirar no homem o sopro da vida”, Gênesis 2: 7. Deus é declarado como "vida" ou Deus "vivo", porque ele é a fonte ou fonte da vida. Este atributo é aqui atribuído a Jesus Cristo. Ele não apenas criou os mundos materiais, mas também deu a "vida". Ele era o agente pelo qual o mundo vegetal se animava; pelo qual vivem os brutos; e pelo qual o homem se tornou uma alma viva, ou foi dotado de imortalidade. Esta foi uma prova "superior" de que o "Verbo era Deus", do que a criação dos mundos materiais; mas há outro sentido em que ele era "vida". A "nova criação", ou a renovação do homem e sua restauração de um estado de pecado, é freqüentemente comparada à "primeira criação"; e como o λόγος Logos era a fonte da "vida" então, então, em um sentido semelhante, mas superior, ele é a fonte da "vida" para a alma morta em ofensas e pecados,Efésios 2: 1 . E é provavelmente em referência a isso que ele é freqüentemente chamado de "vida" nos escritos de João. “Porque, como o Pai tem vida em si mesmo, assim ele deu ao Filho para ter vida em si mesmo”, João 5:26 ; "Ele dá vida ao mundo", João 6:33 ; "Eu sou a ressurreição e a vida", João 11:25 ; "Este é o Deus verdadeiro e a vida eterna", João 5:20 . Veja também 1 João 1: 1-2 ; 1 João 5:11 ; Atos 3:15 ; Colossenses 3: 4 . O significado é: que ele é a fonte ou a fonte da vida natural e espiritual. Claro que ele tem os atributos de Deus.

 

A vida era a luz dos homens - "Luz" é aquela pela qual vemos objetos distintamente. A luz do sol nos permite discernir a forma, a distância, a magnitude e a relação dos objetos, e evita as perplexidades e perigos resultantes de um estado de escuridão. Portanto, a luz é colocada em todas as línguas para o “conhecimento” - para o que quer que nos permita discernir nosso dever, e que nos salva dos males da ignorância e do erro. "Tudo o que manifesta é luz", Efésios 5:13 Efésios 5:13 . Veja Isaías 8:20 Isaías 8:20 ; Isaías 9: 2 Isaías 9: 2 . O Messias foi predito como a "luz" do mundo, Isaías 9: 2 Isaías 9: 2 , comparado com Mateus 4: 15-16 Mateus 4: 15-16 ; Isaías 60: 1 Isaías 60: 1 . Ver João 8:12 João 8:12; “Eu sou a luz do mundo;” João 12: 35-36 João 12: 35-36 , João 12:46 João 12:46 ; “Eu vim uma luz ao mundo.” O significado é que a Palavra de Deus λόγος Logosor é o “instrutor ou professor” da humanidade. Isso foi feito antes de seu advento por sua atuação direta em dar ao homem razão ou entendimento, e em dar sua lei, pois a “lei foi ordenada pelos anjos na mão de um mediador” Gálatas 3:19 ; após seu advento por seu ministério pessoal quando na terra, por seu Espírito João 14:16 , João 14:26 , e por seus ministros desde Efésios 4:11 ; 1 Coríntios 12:28 .Gálatas 3:19 João 14:16 João 14 : 26 Efésios 4:11 1 Coríntios 12:28

 

Verso 5

A luz brilha nas trevas - As trevas, na Bíblia, geralmente denotam ignorância, culpa ou miséria. Ver Isaías 9: 1-2 Isaías 9: 1-2 ; Mateus 4:16 Mateus 4:16 ; Atos 26:18 Atos 26:18 ; Efésios 5: 8 Efésios 5: 8 , Efésios 5:11 Efésios 5:11 ; Romanos 13:12Romanos 13:12. Refere-se aqui a um povo perverso e ignorante. Quando se diz que “a luz brilha nas trevas”, significa que o Senhor Jesus veio ensinar um mundo ignorante, nocivo e perverso. Este tem sido sempre o caso. Foi assim quando ele enviou seus profetas; assim durante o seu próprio ministério; e assim em todas as épocas desde então. Seus esforços para iluminar e salvar os homens foram como a luz lutando para penetrar em uma nuvem densa e densa; e embora alguns raios possam penetrar na escuridão, a grande massa ainda é uma sombra impenetrável.

 

Compreendido não - Esta palavra significa "não admitiu" ou "não recebeu". A palavra “compreender”, conosco, significa “entender”. Este não é o significado do original. As trevas não "receberam" ou "admitiram" os raios de luz; as sombras eram tão espessas que a luz não podia penetrá-las; ou, para resumir, os homens eram tão ignorantes, tão culpados, tão degradados, que não apreciavam o valor de suas instruções; eles o desprezaram e o rejeitaram. E assim é ainda. A grande massa de homens, afundada no pecado, não receberá seus ensinamentos e será iluminada e salva por ele. O pecado sempre cega a mente para a beleza e excelência do caráter do Senhor Jesus. Ele indisposes a mente para receber suas instruções, como “escuridão” não tem afinidade para “light”, e se o que existe, o outro deve ser deslocada.

 

Verso 6

Um homem enviado por Deus - Veja João 20:31 João 20:31 . Para fazer isso, era apropriado, no começo, provar que "João" não era o Messias; e isso poderia ter sido naquele momento um objeto importante. João fez muitos discípulos, Mateus 3: 5 Mateus 3: 5 . Muitas pessoas supunham que ele poderia ser o Messias, Lucas 3:15 Lucas 3:15 ; João 1:19 João 1:19 . “Muitos desses discípulos de João permaneceram” em Éfeso, “o próprio lugar em que João deveria ter escrito esse evangelho, muito depois da ascensão de Jesus”, Atos 19: 1-3Atos 19: 1-3. Não é improvável que houvesse muitos outros que aderiram a João, e talvez muitos que supusessem que ele era o Messias. Nesses relatos, era importante para o evangelista mostrar que João “não era o Cristo” e também mostrar que ele, que foi amplamente admitido como profeta, era uma “testemunha” importante para provar que Jesus de Nazaré foi o cristo. O evangelista nos quatro primeiros versículos afirmou que "a Palavra" era divina; agora ele declara a prova de que ele era um "homem" e era o Messias. A primeira evidência apresentada é o testemunho de João Batista.

 

Versículo 7-8

Para uma testemunha - Para dar testemunho. Ele veio para preparar a mente do povo para recebê-lo João 1:31João 1:31 .

 

Da Luz - Ou seja, do Messias. Compare Isaías 60: 1Isaías 60: 1 .

 

Que todos os homens ... - Era o objetivo do testemunho de João que todas as pessoas pudessem acreditar. Ele projetou prepará-los para isso; anunciar que o Messias estava por vir, dirigir as mentes dos homens para ele e, assim, prepará-los para acreditar nele quando ele viesse. Assim, ele os batizou, dizendo “Para que cressem naquele que viria depois dele” Atos 19: 4Atos 19: 4 , e assim ele produziu uma expectativa muito geral de que o Messias estava por vir. O testemunho de João foi especialmente valioso nos seguintes relatos:

 

1.Foi feito quando ele não tinha conhecimento pessoal de Jesus de Nazaré e, é claro, não poderia ter havido conspiração ou acordo para enganá-los, João 1:31João 1:31 .

 

  1. Foi bastante tempo antes que ele chegasse a despertar atenção geral e fixar a mente nela.

 

  1. Era o de um homem reconhecido por todos como profeta de Deus - “para todos os homens consideravam João um profeta”, Mateus 21:26Mateus 21:26 .

 

  1. Foi "com o propósito expresso" de declarar antecipadamente que ele estava prestes a aparecer.

 

  1. Foi "desinteressado".

 

Ele próprio era extremamente popular. Muitos estavam dispostos a recebê-lo como o Messias. Era evidente em seu "poder" formar um grande partido e ser amplamente considerado como o Cristo. Essa foi a maior honra à qual um judeu poderia aspirar; e mostra o valor do testemunho de João, de que ele estava disposto a depositar todas as suas honras aos pés de Jesus e a reconhecer que não era digno de desempenhar por ele o ofício do servo mais humilde, Mateus 3:11Mateus 3:11 .

 

Através dele - Através de João, ou por meio de seu testemunho.

 

Não era essa luz - não era "o Messias". Esta é uma declaração explícita destinada a satisfazer os discípulos de João. A evidência de que ele não era o Messias, ele declara nos versículos seguintes.

 

Com a conduta de João aqui, podemos aprender,

 

  1. O dever de colocar todas as nossas honras aos pés de Jesus.

 

2.Como João veio para que todos pudessem acreditar, não é menos verdade o ministério do próprio Jesus. Ele veio com um objetivo semelhante, e todos podemos, portanto, confiar nele para a salvação.

 

  1. Não devemos confiar muito nos ministros do evangelho. Eles não podem nos salvar mais do que João; e o ofício deles, como era o dele, é simplesmente direcionar as pessoas "ao Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo".

 

Verso 9

Essa foi a verdadeira Luz - não João, mas o Messias. Ele não era um guia falso, incerto e perigoso, mas era um guia verdadeiro, real, constante e digno de confiança. Uma luz falsa é aquela que leva a perigo ou erro, pois um farol falso nas margens do oceano pode levar os navios a areia movediça ou rochas; ou um "ignis fatuus" para pântanos, precipícios e morte. Uma verdadeira luz é aquela que não nos engana, pois o verdadeiro farol pode nos guiar até o porto ou nos alertar sobre o perigo. Cristo não se desvia. Todos os falsos professores fazem.

 

Isso ilumina - Isso ilumina. Ele remove a escuridão, o erro, a ignorância, da mente.

 

Todo homem - Esta é uma expressão que denota, em geral, toda a raça humana - judeus e gentios. João pregou aos judeus. Jesus veio “para ser uma luz para aliviar os gentios”, bem como para ser a “glória do povo de Israel”, Lucas 2:32Lucas 2:32 .

 

Isso chega ao mundo - A frase no original é ambígua. A palavra traduzida “que vem” pode se referir à “luz” ou à palavra “homem”; de modo que possa significar “essa‹ verdadeira luz que vem ao mundo ilumina a todos ”ou“ ilumina todos os ‹Homem que vem ao mundo.» Muitos críticos, e entre os pais, Cirilo e Agostinho, preferiram o primeiro e o traduziram: “A verdadeira luz era aquele que, vindo ao mundo, iluminava todo homem”. Os principais motivos para isso são:

 

  1. Que o Messias é freqüentemente mencionado como aquele que vem ao mundo. Ver João 6:14 João 6:14 ; João 18:37João 18:37 .

 

  1. Ele é frequentemente distinguido como “a luz que vem ao mundo”. João 3:19 João 3:19 ; “Esta é a condenação, que a luz veio ao mundo.” João 12:46João 12:46 ; "Eu vim uma luz ao mundo."

 

Pode-se dizer que Cristo faz o que é realizado por seu mandamento ou nomeação. Esta passagem significa, portanto, que por seu próprio ministério pessoal, e por seu Espírito e apóstolos, luz ou ensino é oferecido a todos. Isso não significa que todo indivíduo da família humana seja iluminado com o conhecimento “do evangelho”, pois isso nunca foi feito; mas isso significa:

 

  1. Que essa luz não se limita aos “judeus”, mas é estendida a todos - judeus e gentios.

 

  1. Que é fornecido para todos e oferecido a todos.

 

3.Não é afirmado que, na época em que João escreveu, “todos eram realmente iluminados”, mas a palavra “ilumina” tem a forma de “futuro”. “Essa é a luz que há tanto tempo é esperada e prevista, que como resultado de sua vinda ao mundo, finalmente iluminará todas as nações. ”

 

Verso 10

Ele estava no mundo - Isso se refere, provavelmente, não à sua pré-existência, mas ao fato de que ele se encarnou; que ele habitava entre os seres humanos.

 

E o mundo foi feito por ele - Esta é uma repetição do que é dito em João 1: 3João 1: 3 . Não apenas “homens”, mas todas as coisas materiais, foram feitas por ele. Esses fatos são mencionados aqui para fazer o que é dito imediatamente depois de mais impressionante, ou seja, que os homens não o receberam. As provas que ele forneceu de que deveriam recebê-lo eram:

 

  1. Aqueles dados enquanto ele estava “no mundo” - os milagres que ele realizou e suas instruções; e,

 

2.O fato de o “mundo ter sido feito por ele”. Era notável que o mundo não conhecesse ou aprovasse seu próprio Criador.

 

O mundo não o conhecia - a palavra “sabia” às vezes é usada no sentido de “aprovar” ou “amar”, Salmo 1: 6 Salmo 1: 6 ; Mateus 7:23 Mateus 7:23 . Nesse sentido, pode ser usado aqui. O mundo não o amou nem o aprovou, mas o rejeitou e o matou. Ou pode significar que eles não entenderam ou sabiam que ele era o Messias; pois se os judeus soubessem e cressem que ele era o Messias, não o teriam matado, 1 Coríntios 2: 81 Coríntios 2: 8 ; “Se eles soubessem, não teriam crucificado o Senhor da glória.” No entanto, eles poderiam ter sabido, e, portanto, não eram os menos culpados.

 

Verso 11

Ele veio para os seus - “país” Sua própria “terra” ou Era chamado de sua terra porque era o lugar de seu nascimento, e também porque era a terra escolhida onde Deus encantado para habitar e manifestar seu favor. Ver Isaías 5: 1-7 Isaías 5: 1-7 . Por aquela terra, as leis de Deus haviam sido estendidas, e essa terra havia sido considerada especialmente sua, Salmo 147: 19-20Salmo 147: 19-20 .

 

Seu próprio - Seu próprio “povo”. Aqui há uma distinção nas palavras originais que não é preservada na tradução. Pode ser assim expresso: “Ele veio para sua própria terra, e seu próprio povo não o recebeu.” Eles eram o seu povo, porque Deus os havia escolhido para serem seus acima de todas as outras nações; dera a eles suas leis; e os tinha protegido e favorecido de sinal, Deuteronômio 7: 6 Deuteronômio 7: 6 ; Deuteronômio 14: 2Deuteronômio 14: 2 .

 

Não o recebeu - Não o reconheceu como o Messias. Eles o rejeitaram e o mataram, de acordo com a profecia, Isaías 53: 3-4Isaías 53: 3-4 . Com isso aprendemos,

 

1.É razoável esperar que aqueles que foram especialmente favorecidos recebam bem a mensagem de Deus. Deus tinha o direito de esperar, depois de tudo o que havia sido feito pelos judeus, que eles recebessem a mensagem da vida eterna. Então ele tem o direito de esperar que o abraçemos e sejamos salvos.

 

  1. Contudo, não é a abundância de misericórdias que inclina os homens a buscar a Deus. Os judeus tinham sido favorecidos em sinal, mas eles o rejeitaram. Assim, muitos em terras cristãs vivem e morrem rejeitando o Senhor Jesus.

 

  1. As pessoas são iguais em todas as idades. Todos rejeitariam o Salvador se deixassem a si mesmos. Todas as pessoas são por natureza perversas. Não há prova mais certa e universal disso do que a rejeição universal do Senhor Jesus.

 

Verso 12

Para todos quantos o receberam - A grande massa; as pessoas; os escribas e fariseus o rejeitaram. Alguns em sua vida o receberam, e muitos outros após sua morte. "Recebê-lo", aqui, significa "acreditar" nele. Isso é expresso no final do versículo.

 

Deu poder - Isso é mais apropriadamente traduzido na margem pela palavra "certo" ou "privilégio". Compare Atos 1: 7 Atos 1: 7 ; Atos 5: 4 Atos 5: 4 ; Romanos 9:21 Romanos 9:21 ; 1 Coríntios 7:37 1 Coríntios 7:37 ; 1 Coríntios 8: 9 1 Coríntios 8: 9 ; 1 Coríntios 9: 4-51 Coríntios 9: 4-5 .

 

Filhos de Deus - Filhos de Deus por adoção. Veja as notas em Mateus 1: 1Mateus 1: 1 . Os cristãos são chamados filhos de Deus:

 

1.Por serem “adotados” por Ele, 1 João 3: 11 João 3: 1 .

 

2 .Porque eles são “semelhantes a Ele;” eles se assemelham a Ele e tem o espírito.

 

  1. Eles estão unidos ao Senhor Jesus, o Filho de Deus, são considerados por Ele como seus irmãos Mateus 25:40Mateus 25:40 e, portanto, são considerados filhos do Altíssimo.

 

Em seu nome - Esta é outra maneira de dizer que crê nele "." O "nome" de uma pessoa é freqüentemente colocado para a própria pessoa, João 2:23 João 2:23 ; João 3:18 João 3:18 ; 1 João 5:131 João 5:13 . Neste versículo, aprendemos:

 

  1. Ser filho de Deus é um privilégio - muito mais do que ser filho de qualquer ser humano, embora, no mais alto grau, seja rico, erudito ou honrado. Os cristãos são, portanto, mais honrados do que qualquer outra pessoa.

 

  1. Deus lhes deu esse privilégio. Não é por suas próprias obras ou desertos; é porque Deus escolheu lhes conceder esta bênção, Efésios 2: 8 Efésios 2: 8 ; João 15:16João 15:16 .

 

  1. Este favor é dado somente àqueles que nele crêem. Todos os outros são filhos do iníquo, e ninguém que não tenha "confiança em Deus" pode ser considerado filho dele. Nenhum pai reconheceria alguém pelo filho, ou o aprovaria, que não confiava nele, que duvidava ou negava tudo o que dizia e que desprezava seu caráter. No entanto, o pecador constantemente faz isso em relação a Deus, e ele não pode, portanto, ser chamado de Filho.

 

Verso 13

Que nasceram - isso sem dúvida se refere ao "novo nascimento", ou à grande mudança na mente do pecador chamada regeneração ou conversão. Significa que eles não se tornaram filhos de Deus em virtude de seu nascimento natural, ou porque eram filhos de "judeus" ou porque eram descendentes de pais piedosos. O termo "nascer" é frequentemente usado para denotar essa mudança. Compare João 3: 3-8 João 3: 3-8 ; 1 João 2:29 1 João 2:29 . Ilustra de maneira clara e bonita essa grande mudança. O nascimento natural nos apresenta a vida. O novo nascimento é o começo da vida espiritual. Antes, o pecador está “morto” em pecados Efésios 2: 1Efésios 2: 1; agora ele começa verdadeiramente a viver. E como o nascimento natural é o começo da vida, nascer de Deus deve ser introduzido na vida real, na luz, na felicidade e no favor de Deus. O termo expressa de uma só vez a “grandeza” e a “natureza” da mudança.

 

Sem sangue - A palavra grega é plural; não de "sangue" - isto é, não de "homem". Compare Mateus 27: 4 Mateus 27: 4 . Os judeus se orgulhavam de serem descendentes de Abraão, Mateus 3: 9 Mateus 3: 9 . Eles supunham que era uma prova do favor de Deus descender de uma ancestralidade tão ilustre. Nesta passagem, essa noção é corrigida. Não é porque os homens descendem de uma família ilustre ou piedosa que têm direito ao favor de Deus; ou talvez o significado possa ser, não porque exista uma união de linhas ilustres de ascendência ou "sangue" nelas. A lei do reino de Cristo é diferente do que os judeus supunham. Compare 1 Pedro 1:23 1 Pedro 1:23. Era necessário "nascer de Deus" pela regeneração. Possivelmente, no entanto, pode significar que eles não se tornaram filhos de Deus pelo rito sangrento da "circuncisão", como muitos dos judeus supunham que haviam feito. Isso é agradável à declaração de Paulo em Romanos 2: 28-29Romanos 2: 28-29 .

 

d Nem da vontade da carne - Não por geração natural.

 

Nem da vontade do homem - Isso pode se referir, talvez, à vontade do homem em adotar um filho, como as frases anteriores fazem ao nascimento natural; e o propósito de usar essas três frases pode ter sido dizer que eles se tornaram filhos de Deus nem em virtude de sua descendência de pais ilustres como Abraão, nem por seu nascimento natural, nem por serem "adotados" por um homem piedoso. Nenhuma das maneiras pelas quais nos tornamos titulares dos privilégios de "filhos" entre as pessoas pode nos dar um título para sermos chamados filhos de Deus. Não é por poder ou agência humana que os homens se tornam filhos do Altíssimo.

 

Mas de Deus - isto é, Deus produz a mudança e confere o privilégio de ser agredido por seus filhos. O coração é mudado por seu poder. Nenhum esforço individual do homem, nenhuma obra nossa, pode produzir essa mudança. Ao mesmo tempo, é verdade que nenhum homem é renovado que não "deseja" e "deseja" ser um crente; pois o efeito da mudança está em sua “vontade” Salmos 110: 3 Salmo 110: 3 , e ninguém é mudado que não se esforça para entrar pela porta estreita, Filemon 2:12Filemom 2:12 . Este verso importante, portanto, nos ensina:

 

  1. que, se os homens são salvos, devem nascer de novo.

 

  1. que sua salvação não é o resultado de seu nascimento, ou de qualquer parentalidade honrada ou piedosa.

 

  1. que os filhos dos ricos e dos nobres, assim como dos pobres, devem nascer de Deus para serem salvos.

 

  1. que os filhos de pais piedosos devem nascer de novo; ou eles não podem ser salvos. Ninguém irá para o céu simplesmente porque seus "pais" são cristãos.

 

5.que esse trabalho é obra de Deus, e “ninguém pode fazer isso por nós.

 

  1. que devemos abandonar toda a dependência humana, afastar toda a confiança na carne e ir imediatamente ao trono da graça, e suplicar a Deus que nos adote em sua família e salve nossas almas da morte.

 

Verso 14

E a Palavra foi feita carne - A palavra “carne”, aqui, é evidentemente usada para denotar “natureza humana” ou “homem”. Ver Mateus 16:17 Mateus 16:17 ; Mateus 19: 5 Mateus 19: 5 ; Mateus 24:22 Mateus 24:22 ; Lucas 3: 6 Lucas 3: 6 ; Romanos 1: 3 Romanos 1: 3 ; Romanos 9: 5Romanos 9: 5 . A "Palavra" foi feita "homem". Isso é comumente expresso dizendo que ele se tornou "encarnado". Quando dizemos que um ser se torna "encarnado", queremos dizer que é de uma ordem superior ao homem e de natureza diferente. , assume a aparência do homem ou se torna um homem. Aqui, significa que "a Palavra", ou a segunda pessoa da Trindade, a quem João acabara de provar ser igual a Deus, se tornou um homem ou se uniu ao homem Jesus de Nazaré, para que se pudesse dizer que ele "foi feito carne".

 

Foi criado - Essa é a mesma palavra usada em João 1: 3 João 1: 3 ; “Todas as coisas foram feitas por ele.” Não é simplesmente afirmado que ele era carne, mas que ele foi feito carne, implicando que ele já existia, de acordo com João 1: 1 João 1: 1 . Isso está de acordo com a doutrina das Escrituras em outros lugares. Hebreus 10: 5 Hebreus 10: 5 ; “Um corpo me preparaste.” Hebreus 2:14 Hebreus 2:14 ; “Como os filhos são participantes de carne e sangue, ele também participou do mesmo.” 1 João 4: 2 1 João 4: 2 ; “Jesus Cristo veio em carne”. Veja também 1 Timóteo 3:16 1 Timóteo 3:16 ; Filêmon 2: 6 Filemom 2: 6 ; 2 Coríntios 8: 9 2 Coríntios 8: 9 ; Lucas 1:35Lucas 1:35. A expressão, então, significa que ele se tornou um homem, e que ele se tornou assim pelo poder de Deus fornecendo a ele um corpo. Não pode significar que a natureza divina foi "transformada" no humano, pois não poderia ser; mas significa que o λόγος Logosor ou "Palavra" se tornou tão intimamente unido a Jesus que se pode dizer que o Logos, ou "Palavra" "se tornou" ou "era" um homem, pois a alma se torna tão unida ao corpo que podemos dizer que é uma pessoa ou um homem.

 

E habite entre nós - A palavra no original denota “habitava como em um tabernáculo ou tenda”; e alguns supuseram que João quis dizer que o corpo humano era um tabernáculo ou tenda para os λόγος Logosto habitarem, em alusão à tabernáculo entre os judeus, no qual habitava a Shechiná, ou símbolo visível de Deus; mas não é necessário supor isso. O objetivo de João era provar que “a Palavra” se tornou “encarnada”. Para fazer isso, ele apela a várias evidências. Uma era que ele "habitava" entre eles; peregrinaram com eles; comeu, bebeu, dormiu e ficou com eles durante anos, para que “o vissem com os olhos, olhassem para ele e suas mãos o tratassem” 1 João 1: 11 João 1: 1. “Habitar em uma tenda com um” é o mesmo que estar em sua família; e quando John diz que "fez um tabernáculo" com eles, ele quis dizer que estava com eles como amigo e como membro de uma família, para que tivessem toda a oportunidade de se familiarizar com ele e não se enganassem em supor que " ele era realmente um homem.

 

Vimos sua glória - Esta é uma nova prova do que ele estava afirmando - "que a palavra de Deus se tornou homem". A primeira foi que eles o viram como homem. Ele agora acrescenta que eles o viram em sua própria glória "como Deus e o homem unidos em uma pessoa", constituindo-o o Filho inigualável do Pai. Não há dúvida de que aqui há referência à transfiguração no monte santo. Ver Mateus 17: 1-9 Mateus 17: 1-9 . Para essa mesma evidência, Pedro também apela, 2 Pedro 1: 16-18 2 Pedro 1: 16-18 . João foi uma das testemunhas dessa cena e, portanto, ele diz: "vimos sua glória", Marcos 9: 2Marcos 9: 2 . A palavra "glória" aqui significa majestade, dignidade, esplendor.

 

A glória como unigênita do Pai - A dignidade que era apropriada para o unigênito Filho de Deus; glória ou esplendor que não poderia pertencer a nenhum outro. e como adequadamente expressou sua posição e caráter. Essa glória foi vista eminentemente no monte da transfiguração. Também foi visto em seus milagres, sua doutrina, sua ressurreição, sua ascensão; todos ilustrando as perfeições e manifestando a glória que pertence apenas ao Filho de Deus.

 

Unigênito - Este termo nunca é aplicado por João a ninguém além de Jesus Cristo. É aplicado por ele cinco vezes ao Salvador, João 1:14 João 1:14 , João 1:18 João 1:18 ; João 3:16 João 3:16 , João 3:18 João 3:18 ; 1 João 4: 9 1 João 4: 9 . Significa literalmente um filho único. Então, como um filho único é especialmente querido pelos pais, significa um que é especialmente amado. Compare Gênesis 22: 2 Gênesis 22: 2 , Gênesis 22:12 Gênesis 22:12 , Gênesis 22:16 Gênesis 22:16 ; Jeremias 6:26 Jeremias 6:26 ; Zacarias 12:10Zacarias 12:10 . Em ambos os casos, é concedido ao Salvador.

 

  1. Como ele era eminentemente o Filho de Deus, sustentando uma relação especial com Ele em Sua natureza divina, exaltado acima de todos os seres humanos e anjos e, portanto, digno de ser chamado, por eminência, Seu único Filho. Os santos são chamados Seus “filhos” ou filhos, porque nascem do Seu Espírito ou são como Ele; mas o Senhor Jesus é exaltado muito acima de tudo e merece eminentemente ser chamado Seu Filho unigênito.

 

  1. Ele era especialmente querido por Deus, e, portanto, essa denominação, implicando ternura, é concedida a ele.

 

Cheia de graça e verdade - A palavra "cheio" aqui se refere à "Palavra feita carne", que é declarada cheia de graça e verdade. A palavra "graça" significa "favores", presentes, atos de beneficência. Ele era gentil, misericordioso, gracioso, fazendo o bem a todos e buscando o bem-estar do homem por grandes sacrifícios e amor; tanto que se pode dizer que ele é característico dele, ou ele “abundou” em favores à humanidade. Ele também estava "cheio de verdade". Ele declarou a verdade. Nele não havia falsidade. Ele não era como os falsos profetas e falsos messias, que eram totalmente impostores; nem era como os emblemas e sombras da antiga dispensação, que eram apenas tipos da verdade; mas ele era a própria verdade. Ele representou as coisas como elas são e, assim, tornou-se a "verdade", bem como "o caminho e a vida".

 

Verso 15

João deu testemunho dele - O evangelista agora retorna ao testemunho de João Batista. Ele havia declarado que a Palavra se encarnou e agora apela ao testemunho de João para mostrar que, assim encarnado, ele era o Messias.

 

Aquele que vem após mim - Aquele de quem eu sou o precursor, ou cujo caminho eu vim para me preparar. Veja as notas em Mateus 3: 3Mateus 3: 3 .

 

É o preferido antes de mim - é superior a mim. A maioria dos críticos supôs que as palavras traduzidas como “preferidas” se referem a “tempo” e não a “dignidade”; o que significa que, embora ele o tenha procurado publicamente, sendo seis meses mais novo que João, bem como iniciando seu trabalho depois de João , ainda que ele existisse muito antes dele. A maioria, no entanto, entendeu isso mais corretamente, como nossos tradutores parecem ter feito, como significado, Ele merecia mais honra do que eu.

 

Ele estava diante de mim - Isso pode se referir a nada além de sua pré-existência, e pode ser explicado apenas na suposição de que ele existia antes de João, ou, como o evangelista havia mostrado antes, desde o início. Ele veio “depois” de João em seu ministério público e em sua natureza humana, mas em sua natureza divina ele existia muito antes de João existir - desde a eternidade. Podemos aprender aqui que é uma marca do verdadeiro espírito de um ministro de Cristo desejar e sentir que Cristo deve sempre ser preferido a nós mesmos. Devemos nos manter fora da vista. O grande objetivo é sustentar o Salvador; e, por mais ministros que possam ser honrados ou abençoados, eles devem estar todos aos pés de Jesus e direcionar todos os homens a ele como objeto indiviso de afeto e honra. É tarefa de todo cristão, bem como de todo ministro cristão, ser uma testemunha de Cristo,

 

Verso 16

De sua plenitude - Em João 1:14 João 1:14, o evangelista disse que Cristo era "cheio de graça e verdade". Dessa "plenitude", ele agora diz que todos os discípulos haviam recebido; isto é, eles derivaram de sua abundante verdade e graça de misericórdia para entender o plano de salvação, pregar o evangelho, viver vidas de santidade; eles "participaram" das numerosas bênçãos que ele veio a dar por suas instruções e sua morte. Sem dúvida, essas não são as palavras de João Batista, mas do evangelista João, o escritor deste evangelho. Eles são uma continuação do que ele estava dizendo em João 1:14 João 1:14 , João 1:15 João 1:15sendo evidentemente jogado como um parêntese. A declaração não teve referência exclusiva, provavelmente, aos apóstolos, mas é estendida a todos os cristãos, pois todos os crentes receberam a "plenitude da graça e da verdade" que está em Cristo. Compare Efésios 1:23 Efésios 1:23 ; Efésios 3:19 Efésios 3:19 ; Colossenses 1:19 Colossenses 1:19 ; Colossenses 2: 9Colossenses 2: 9 . Em todos esses lugares, nosso Salvador é representado como a plenitude de Deus - como “abundante” em misericórdia, exibindo os atributos divinos e possuindo em si tudo o que é necessário para encher seu povo de verdade, graça e amor.

 

Graça por graça - Muitas interpretações desta frase foram propostas. Os chefes são brevemente os seguintes:

 

  1. “Recebemos sob o evangelho, graça ou favor, em vez de 'aqueles concedidos sob a lei; e Deus acrescentou pelo evangelho favores importantes àqueles que ele deu sob a lei. ”Isso foi proposto pela primeira vez por Crisóstomo.

 

  1. “Nós, cristãos, recebemos graça, respondendo a 'ou correspondendo àquilo que está em Jesus Cristo. Nós somos como ele em mansidão, humildade, etc.

 

  1. “Recebemos graça‹ como graça '- isto é, livremente. Nós não a compramos nem a merecemos, mas Deus nos conferiu livremente '”(Grotius).

 

  1. O significado é, provavelmente, simplesmente o fato de termos recebido por ele “abundância” de graça ou favor. Os hebreus, ao expressar o grau superlativo de comparação, costumavam repetir a palavra - assim, "poços, poços", significando muitos poços (hebraico em Gênesis 14:10Gênesis 14:10 ). Então aqui graça por graça pode significar “muita” graça; favores superlativos concedidos ao homem; favorece superior a tudo o que havia estado sob a lei - superior a todas as outras coisas que Deus pode conferir aos homens. Esses favores consistem em perdão, redenção, proteção, santificação, paz aqui e no céu a seguir.

 

Verso 17

A lei foi dada - A economia do Antigo Testamento. As instituições sob as quais os judeus viviam.

 

Por Moisés - Por Moisés, como servo de Deus. Ele foi o grande legislador dos judeus, por quem, sob Deus, sua política foi formada. A lei opera a ira Romanos 4:15 Romanos 4:15Atos 15:10 ; participou de muitos ritos e cerimônias onerosos Atos 15:10 ; foi preparatório para outro estado de coisas. O evangelho conseguiu isso e tomou o seu lugar, e assim mostrou a grandeza da economia do evangelho, bem como sua graça e verdade.

 

A graça e a verdade vieram por Jesus Cristo - Um sistema de religião cheio de favores e o sistema "verdadeiro" foram revelados por ele. O sistema antigo era de “lei” e “sombras” e “ritos onerosos”; “este” era cheio de misericórdia para com a humanidade e verdadeiro em todas as coisas. Podemos aprender com esses versículos:

 

  1. que todas as nossas misericórdias vêm de Jesus Cristo.

 

  1. “Todos os verdadeiros crentes recebem da plenitude de Cristo; os melhores e maiores santos não podem viver sem ele, os mais maus e fracos podem viver com ele. Isso exclui a vanglória orgulhosa de que não temos nada além de 'recebemos', e silencia medos desconcertantes de que não queremos nada além de 'podemos recebê-lo' ”.

 

Verso 18

Ninguém jamais viu Deus - esta declaração é provavelmente feita para mostrar a superioridade da revelação de Jesus acima da de qualquer dispensação anterior. Dizem, portanto, que Jesus "tinha um conhecimento íntimo de Deus", que nem Moisés nem nenhum dos profetas antigos possuíam. Deus é invisível: nenhum olho humano o viu; mas Cristo tinha um conhecimento de Deus que pode ser expresso em nossa apreensão ao dizer que ele o viu. Ele o conhecia íntima e completamente e, portanto, estava preparado para fazer uma manifestação mais completa dele. Ver João 5:37 João 5:37 ; João 6:46 João 6:46 ; 1 João 4:12 1 João 4:12 ; Êxodo 33:20 Êxodo 33:20 ; João 14: 9 João 14: 9. Esta passagem não pretende negar que os homens haviam testemunhado "manifestações" de Deus, como quando ele apareceu a Moisés e aos profetas (compare Números 12: 8 Números 12: 8 ; Isaías 6: 1-13Isaías 6: 1-13 ); mas significa que ninguém viu a essência de Deus ou “conheceu a Deus completamente”. Os profetas entregaram o que “ouviram” Deus falar; Jesus o que ele sabia de Deus como seu igual e como entendendo plenamente a natureza.

 

O Filho unigênito - Veja as notas em João 1:14João 1:14 . Este versículo mostra o sentido de João do significado dessa frase, como denotando um conhecimento íntimo e completo de Deus.

 

No seio do Pai - Essa expressão é tirada do costume entre os orientais de se reclinar em suas refeições. Veja as notas em Mateus 23: 6Mateus 23: 6 . Denota intimidade, amizade, carinho. Aqui significa que Jesus tinha um conhecimento de Deus como um amigo tem de outro - conhecimento de seu caráter, desígnios e natureza que nenhum outro possui, e que o torna, portanto, qualificado acima de todos os outros para torná-lo conhecido.

 

Ele o declarou - Ele o revelou completamente ou o fez conhecido. Compare Hebreus 1: 1 Hebreus 1: 1 , Hebreus 1: 4 Hebreus 1: 4 . Este versículo prova que Jesus tinha um conhecimento de Deus acima do que qualquer um dos profetas antigos possuía e que as revelações mais completas de seu caráter são esperadas no evangelho. Pela sua Palavra e Espírito, ele pode nos iluminar e guiar, e nos levar ao verdadeiro conhecimento de Deus; e não há verdadeiro e pleno conhecimento de Deus que não seja obtido por meio de seu Filho. Compare João 14: 6 João 14: 6 ; 1 João 2: 22-231 João 2: 22-23 .

 

Verso 19

Este é o registro - A palavra "registro" aqui significa "testemunho", da maneira que for dada. A palavra "registro" agora se refere a evidência "escrita". Este não é o seu significado aqui. O testemunho de João foi dado sem escrever.

 

Quando os judeus enviaram - a fama de João foi grande. Ver Mateus 3: 5 Mateus 3: 5 . Ele se espalhou da região da Galiléia para Jerusalém, e a nação parecia supor, pelo caráter de sua pregação, que ele era o Messias, Lucas 3:15Lucas 3:15 . O grande conselho da nação, ou o Sinédrio, tinha, entre outras coisas, a acusação de religião. Eles achavam que era seu dever, portanto, investigar o caráter e as reivindicações de João, e descobrir se ele era o Messias. Não é improvável que eles desejassem que ele fosse o Cristo tão esperado, e estivessem preparados para considerá-lo como tal.

 

Quando os judeus enviaram sacerdotes e levitas - Veja as notas em Lucas 10: 31-32Lucas 10: 31-32 . Provavelmente eram membros do Sinédrio.

 

Verso 20

Eu não sou o Cristo - Essa confissão prova que João não era um impostor. Ele tinha uma ampla reputação. A nação esperava que o Messias estivesse por vir, e multidões estavam prontas para acreditar que João era ele, Lucas 3:15Lucas 3:15. Se João fosse um impostor, ele teria se aproveitado desse estado excitado de sentimento público, proclamado ser o Messias e formado um grande partido a seu favor. O fato de ele não ter feito isso é uma prova completa de que ele não pretendia impor às pessoas, mas veio apenas como o precursor de Cristo; e seu exemplo mostra que todos os cristãos, e especialmente todos os ministros cristãos, por mais que sejam honrados e abençoados, devem estar dispostos a depositar todas as suas honras aos pés de Jesus; manter-se para trás e sustentar diante do mundo somente o Filho de Deus. Fazer isso é uma marca eminente do verdadeiro espírito de um ministro do evangelho.

 

Verso 21

Tu és Elias? - Esta é a maneira grega de escrever Elias. Os judeus esperavam que Elias aparecesse antes da vinda do Messias. Veja as notas em Mateus 11:14 Mateus 11:14 . Eles supunham que seria o verdadeiro Elias retornado do céu. Nesse sentido, João negou que ele fosse Elias; mas ele não negou que ele era o Elias ou Elias que o profeta pretendia Mateus 3: 3 Mateus 3: 3 , pois ele imediatamente procede a João 1:23João 1:23 que ele foi enviado, como foi previsto que Elias seria, para preparar o caminho de o Senhor; de modo que, embora ele corrigisse suas falsas noções sobre Elias, ele declarou claramente a eles seu verdadeiro caráter, para que pudessem entender que ele realmente era o predito como Elias.

 

Aquele profeta - É possível que os judeus supusessem que não apenas “Elias” reaparecesse antes da vinda do Messias, mas também “Jeremias”. Veja as notas em Mateus 16:14 Mateus 16:14 . Alguns supuseram, no entanto, que essa pergunta se refere à predição de Moisés em Deuteronômio 18:15Deuteronômio 18:15 .

 

Verso 23

Eu sou a voz ... - Veja as notas em Mateus 3: 3Mateus 3: 3 .

 

Verso 24

Eram dos fariseus - Para um relato dessa seita, veja as notas em Mateus 3: 7 Mateus 3: 7 . Por que eles são particularmente mencionados não é certamente conhecido. Muitos dos "saduceus" foram ao batismo em Mateus 3: 7Mateus 3: 7 , mas parece que eles não se uniram ao enviar a ele para saber qual era o plano de João. Essa circunstância é uma daquelas alusões incidentais e delicadas que não ocorreriam a nenhum impostor na falsificação de um livro, e que mostram que os escritores do Novo Testamento eram homens honestos e sabiam o que afirmavam. Porque:

 

1.Os fariseus compuseram grande parte do Sinédrio, Atos 23: 6Atos 23: 6 . É provável que uma delegação do Sinédrio seja desse partido.

 

  1. Os fariseus eram muito tenazes em ritos e costumes, tradições e cerimônias. Eles observaram muitos. Eles acreditavam que eram legais, Marcos 7: 3-4Marcos 7: 3-4. Certamente, eles acreditavam que esses ritos poderiam ser aumentados, mas não supunham que isso pudesse ser feito, exceto pela autoridade de um profeta ou do Messias. Quando, portanto, João veio “batizando” - acrescentando um rito a ser observado por seus seguidores - batizando não apenas gentios, mas também judeus - a questão era se ele tinha autoridade para instituir um novo rito; se deveria ser recebido entre as cerimônias da religião. Nesta questão, os saduceus não sentiram interesse, pois rejeitaram todos esses rituais de uma só vez; mas os fariseus pensaram que valia a pena investigar, e era uma pergunta sobre a qual se sentiam especialmente chamados a agir como guardiões das cerimônias da religião.

 

Verso 25

Por que você batiza então ... - O batismo ao receber um prosélito do "paganismo" era comum antes da época de João, mas não era costume batizar um "judeu". João havia mudado o costume. Ele batizou "todos", e eles desejavam saber com que autoridade ele fez essa mudança nos costumes religiosos da nação. Eles presumiram, pelo fato de que ele introduziu essa mudança, que ele afirmava ser um profeta ou o Cristo. Eles supunham que ninguém tentaria sem "fingir", pelo menos, autoridade do céu. Como ele recusou o caráter de Cristo e do profeta Elias, eles perguntaram de onde ele derivava sua autoridade. Como ele já havia aplicado a si mesmo uma previsão que todos consideravam pertencer ao primeiro corredor de Cristo, eles "poderiam" ter entendido "por que" ele fez isso; mas eles eram cegos e manifestados, como todos os pecadores,

 

Verso 26

Eu batizo - Ele não negou; nem ele condescendeu em declarar sua autoridade. Que ele havia dado. Ele "admitiu" que havia introduzido uma "mudança" importante nos ritos da religião, e continua dizendo a eles que isso não era tudo. Mudanças maiores e mais importantes logo ocorreriam sem a sua autoridade. O Messias estava prestes a vir, e o "poder" estava prestes a se afastar das mãos "deles".

 

Existe um - existe um.

 

Entre vocês - No meio de vocês. Ele é indistinto entre a multidão. O Messias já havia chegado e estava prestes a se manifestar ao povo. Não foi até o dia seguinte João 1:29João 1:29 que Jesus se manifestou ou proclamou como o Messias; mas não é improvável que ele estivesse entre as pessoas reunidas perto do Jordão e se misturasse com elas, embora ele não fosse distinto. Ele foi lá, provavelmente, com as multidões que foram atraídas para lá pela fama de João, e passou sem atrair atenção, embora seu objetivo real fosse ir receber o batismo dessa maneira pública e ser exibido e proclamado como o Messias. .

 

Quem você não conhece - Jesus ainda não foi declarado publicamente como o Cristo. Embora seja provável que ele estivesse na multidão, ele não era conhecido como o Messias. Portanto, podemos aprender:

 

  1. Que muitas vezes existe uma grande excelência no mundo que é obscura, indistinta e desconhecida. Jesus estava perto de todas aquelas pessoas, mas elas não tinham consciência de sua presença, pois ele estava aposentado e obscuro. Embora fosse o maior personagem do mundo, ele não se distinguiu externamente dos outros.

 

  1. Jesus pode estar perto dos homens do mundo, mas eles não o conhecem. Ele está em todo lugar pelo seu Espírito, mas poucos o conhecem e poucos desejam saber disso.

 

Verso 27

Cuja trava do sapato - Veja as notas em Mateus 3:11Mateus 3:11 . A “lingueta” das sandálias era a corda ou fio dental pela qual elas eram presas aos pés. Desmotivá-los era o ofício de servo, e João significa, portanto, que ele não era digno de desempenhar o ofício mais baixo do Messias. Isso foi uma humildade notável. John era bem conhecido; ele foi muito honrado; milhares vieram ouvi-lo. Jesus naquela época era desconhecido; mas João diz que ele não era digno de desempenhar o cargo mais humilde de Jesus. Portanto, todos devemos estar dispostos a depositar tudo o que temos aos pés de Cristo, e sentir que somos indignos de ser seus servos mais baixos.

 

Verso 28

Em Bethabara - Quase todos os manuscritos e versões antigos, em vez de "Bethabara" aqui, têm "Bethany", e essa é sem dúvida a verdadeira leitura. Havia uma Betânia a cerca de 3,2 quilômetros a leste de Jerusalém, mas também se diz que houve outra na tribo de Rúben, no lado leste do rio Jordão, e neste lugar, provavelmente, João estava batizando. É cerca de 20 quilômetros acima de Jericó. A palavra "Bethabara" significa "casa ou lugar de um vau". A leitura "Bethabara", em vez de "Betânia", parece ter surgido da conjectura de Orígenes, que não encontrou em seus dias um lugar como "Betânia". mas viu uma cidade chamada "Bethabara", onde John teria batizado e, portanto, teve a liberdade de mudar a leitura anterior - Robinson, Lexicon.

 

Além da Jordânia - No lado leste do rio Jordão.

 

Verso 29

No dia seguinte - no dia seguinte aos judeus fizeram uma pergunta se ele era o Cristo.

 

Eis o Cordeiro de Deus - Um “cordeiro”, entre os judeus, foi morto e comido na Páscoa para comemorar sua libertação do Egito, Êxodo 12: 3-11 Êxodo 12: 3-11 . Um cordeiro foi oferecido no tabernáculo e depois no templo, todas as manhãs e noites, como parte da adoração diária, Êxodo 29: 38-39 Êxodo 29: 38-39 . O Messias foi predito como um cordeiro levado ao matadouro, para mostrar sua paciência em seus sofrimentos e disposição para morrer pelo homem, Isaías 53: 7 Isaías 53: 7 . Um cordeiro, entre os judeus, também era um emblema de paciência, mansidão, gentileza. Em "todos" esses relatos, e não apenas em um deles, Jesus foi chamado "o Cordeiro". Ele era inocente 1 Pedro 2: 23-25 1 Pedro 2: 23-25; ele era um sacrifício pelo pecado, a substância representada pela oferta diária do cordeiro, e morto no horário habitual do sacrifício da tarde Lucas 23: 44-46 Lucas 23: 44-46 ; e ele foi o que foi representado pela Páscoa, afastando a ira de Deus e salvando os pecadores por seu sangue da vingança e da morte eterna, 1 Coríntios 5: 71 Coríntios 5: 7 .

 

De Deus - Nomeado por Deus, aprovado por Deus, e muito querido por ele; o sacrifício que ele escolheu e que ele aprova para salvar as pessoas da morte.

 

O que tira - Isto denota o seu "levar" os pecados do mundo, ou os sofrimentos que fizeram expiação pelo pecado. Compare Isaías 53: 4 Isaías 53: 4 ; 1 João 3: 5 1 João 3: 5 ; 1 Pedro 2:24 1 Pedro 2:24 . Ele tira o pecado "levando" em seu próprio corpo os sofrimentos que Deus designou para mostrar seu senso do mal do pecado, ampliando a lei e tornando-a consistente para o perdão. Veja as notas em Romanos 3: 24-25Romanos 3: 24-25 .

 

Do mundo - De toda a humanidade, judeus e gentios. Seu trabalho não deveria ser confinado ao judeu, mas também para beneficiar os gentios; não estava confinado a nenhuma parte do mundo, mas foi projetado para abrir o caminho do perdão a todos os homens. Ele foi a propiciação pelos pecados do mundo inteiro, 1 João 2: 2 1 João 2: 2 . Veja as notas em 2 Coríntios 5:152 Coríntios 5:15 .

 

Verso 31

Eu não o conhecia - João não conhecia pessoalmente Jesus. Embora eles estivessem relacionados remotamente, parece que eles não tinham conhecido até agora. João viveu principalmente na região montanhosa da Judéia. Jesus havia sido empregado com José em Nazaré. Até Jesus ser batizado, Mateus 3: 13-14Mateus 3: 13-14 , parece que João não o conhecia. Ele entendeu que deveria anunciar que o Messias estava prestes a aparecer. Ele foi enviado para proclamar sua vinda, mas não conhecia pessoalmente Jesus, ou que ele deveria ser o Messias. Isso prova que não poderia ter havido conluio ou acordo entre eles para impor ao povo.

 

Deveria ser manifestado - Que o Messias deveria ser "exibido" ou divulgado. Ele veio para preparar o caminho para o Messias, e agora parecia que o Messias era Jesus de Nazaré.

 

Para Israel - para os judeus.

 

Verso 32

Registro nu - Deu testemunho.

 

Eu vi o Espírito ... - Veja as notas em Mateus 3: 16-17Mateus 3: 16-17 .

 

Versículo 33-34

O mesmo disse ... - Esse era o sinal pelo qual ele deveria conhecer o Messias. Ele deveria ver o Espírito descendo como uma pomba e permanecendo sobre ele. Não se segue, no entanto, que ele não teve nenhuma sugestão antes disso de que Jesus era o Cristo, mas significa que com isso ele deveria conhecê-lo infalivelmente. De Mateus 3: 13-14Mateus 3: 13-14 , parece que João supôs, antes do batismo de Jesus, que ele afirmava ser o Messias e que ele acreditava; mas o infalível, certo testemunho no caso foi a descida do Espírito Santo sobre ele em seu batismo.

 

Que este é o Filho de Deus - Isto foi claramente declarado por uma voz do céu em seu batismo, Mateus 3:17Mateus 3:17 . João ouviu isso e testemunhou que tinha ouvido.

 

Verso 35

No dia seguinte - no dia seguinte ao seu notável testemunho de que Jesus era o Filho de Deus. Esse testemunho de João é relatado porque era o principal objetivo deste evangelista mostrar que Jesus era o Messias. Veja a introdução. Para fazer isso, ele aduz o testemunho decidido e repetido de João Batista. Esta foi uma evidência imparcial no caso, e, portanto, ele se ocupa particularmente dele.

 

d John levantou - Ou estava de pé. Provavelmente isso estava separado da multidão.

 

Dois de seus discípulos - um deles foi Andrew João 1:40John 1:40 , e não é improvável que o outro tenha sido o escritor deste evangelho.

 

Verso 36

Olhando para Jesus ... - Fixando os olhos nele intensamente. Destacando-o e olhando-o com atenção especial. Contemplando-o como o tão esperado Messias e libertador do mundo. Dessa maneira, todos os ministros devem fixar os olhos no Filho de Deus e direcionar todos os outros a ele.

 

Enquanto ele caminhava - Enquanto Jesus estava caminhando.

 

Verso 37

Eles seguiram Jesus - Eles foram os discípulos de João. seu escritório era apontar o Messias. Quando isso foi feito, eles deixaram imediatamente seu mestre e professor, John. e seguiu o tão esperado Messias. Isso mostra que João foi sincero; que ele não desejava formar uma festa ou formar uma seita; que ele estava disposto a que todos aqueles a quem ele atraíra para si por seu ministério se tornassem seguidores de Cristo. O objetivo dos ministros não deve ser construir seus próprios interesses ou estender sua própria fama. É apontar os homens para o Salvador. Os ministros, por populares ou bem-sucedidos, devem estar dispostos a que seus discípulos olhem para Cristo e não para eles; antes, deve esquecê-los e desviar o olhar deles, para seguir os passos do Filho de Deus; e a conduta desses discípulos nos mostra que devemos abandonar tudo e seguir a Jesus quando ele é apontado para nós como o Messias. Não devemos atrasar nem debater o assunto, mas deixar imediatamente todos os nossos antigos professores, guias e companheiros e seguir o Cordeiro de Deus. E devemos fazer isso também, embora "para o mundo" o Senhor Jesus possa aparecer, como ele apareceu para a multidão de judeus, como pobre, desconhecido e desprezado. Leitor, você deixou tudo e o seguiu? Você abandonou os guias da falsa filosofia e engano, do pecado e da infidelidade, e se comprometeu com o Senhor Jesus Cristo. como ele fez com a multidão de judeus, como pobre, desconhecido e desprezado. Leitor, você deixou tudo e o seguiu? Você abandonou os guias da falsa filosofia e engano, do pecado e da infidelidade, e se comprometeu com o Senhor Jesus Cristo. como ele fez com a multidão de judeus, como pobre, desconhecido e desprezado. Leitor, você deixou tudo e o seguiu? Você abandonou os guias da falsa filosofia e engano, do pecado e da infidelidade, e se comprometeu com o Senhor Jesus Cristo.

 

Verso 38

O que você procura? - Não foi solicitado que você obtivesse “informações”. Compare João 1:48 João 1:48 . Não foi uma reprovação severa, proibindo-os de segui-lo. Compare Mateus 11: 28-30Mateus 11: 28-30 . Foi uma pergunta gentil, respeitando seus desejos; um convite para abrir suas mentes, expressar seus desejos e expressar todos os seus sentimentos em relação ao Messias e sua própria salvação. Podemos aprender:

 

  1. Que Jesus considera as primeiras inclinações da alma para segui-lo. Ele "virou-se" para esses discípulos e inclinará seus ouvidos a todos que começarem a se aproximar dele para a salvação.

 

  1. Jesus está pronto para ouvir seus pedidos e respondê-los.

 

  1. Os ministros do evangelho, e todos os outros cristãos, devem ser acessíveis, gentis e carinhosos com todos os que estão perguntando o caminho da vida. Em conformidade com seu Mestre, eles devem estar dispostos a ajudar todos aqueles que lhes procuram orientação e ajuda na grande obra de sua salvação.

 

Rabino - Este era um título judaico conferido de certa forma como os graus literários são agora, e significa literalmente "um grande", e foi aplicado a um professor ou mestre nas escolas judaicas. Correspondeu ao título "Doutor". Nosso Salvador proibiu solenemente que seus discípulos usassem esse título. Veja as notas em Mateus 23: 8Mateus 23: 8 . O fato de João "interpretar" essa palavra mostra que ele escreveu seu evangelho não apenas para os judeus, mas para aqueles que não entendiam a língua hebraica. Deveria ter sido escrito em Éfeso.

 

Onde moras? - Esta pergunta eles provavelmente fizeram a ele para indicar o desejo de estar com ele e ser instruído por ele. Eles queriam ouvi-lo mais plenamente do que podiam agora no caminho. Eles não estavam dispostos a interrompê-lo em sua viagem. A religião ensina às pessoas a verdadeira polidez, ou a disposição de consultar a conveniência de outras pessoas, e não de molestá-las de forma inadequada ou de as invadir quando envolvidas. Também nos ensina a "desejar estar com Cristo"; a buscar todas as oportunidades de comunhão com ele e, principalmente, a desejar "estar com ele onde ele está" quando deixarmos este mundo. Compare Filemom 1:23Filemom 1:23 .

 

Verso 39

Venha e veja - Esta foi uma resposta gentil e agradável. Ele não os adiou para algum período futuro. Então, como agora, ele estava disposto a que eles viessem de uma vez e aproveitassem toda a oportunidade que desejavam da conversa dele. Jesus está sempre pronto para admitir aqueles que o procuram em sua presença e favor.

 

Morada com ele - Permaneceu com ele. Provavelmente era a morada de algum amigo de Jesus. Sua casa habitual era em Nazaré.

 

A décima hora - Os judeus dividiram seu dia em doze partes iguais, começando ao nascer do sol. Se João usava o modo de computação deles, eram cerca de quatro horas da tarde. Os romanos dividiam o tempo como nós, começando à meia-noite. Se John usava o modo deles, eram cerca de dez horas da manhã. Não é certo qual ele usou.

 

Verso 41

Ele primeiro encontrou - Ele o encontrou e "falou sobre Jesus" antes de levá-lo a Jesus.

 

Nós encontramos o Messias - Eles aprenderam com o testemunho de João e agora estavam mais plenamente convencidos pela conversa com Jesus, que ele era o Messias. A palavra "Messias", ou "Messias", é hebraico e significa o mesmo que a palavra grega "Cristo", "ungido". Veja as notas em Mateus 1: 1Mateus 1: 1.. Pela conduta de Andrew, podemos aprender que é da natureza da religião desejar que outros a possuam. Isso não nos leva a monopolizá-lo ou escondê-lo debaixo de um alqueire, mas procura que outros também sejam trazidos ao Salvador. Ele não "espera" que eles venham, mas vai "por" eles; procura-os e diz-lhes que um Salvador é encontrado. Os jovens convertidos devem “procurar” seus amigos e vizinhos e lhes falar de um Salvador; e não apenas seus parentes, mas todos os outros, tanto quanto possível, para que todos venham a Jesus e sejam salvos.

 

Verso 42

Cefas - Esta é uma palavra siríaca, que significa o mesmo que a palavra grega Pedro, uma pedra. Veja as notas em Mateus 16:17Mateus 16:17 . A pedra, ou rocha, é um símbolo de firmeza e firmeza de caráter - um traço no caráter de Pedro após a ascensão de Jesus que foi muito notável. antes da morte de Jesus, ele era precipitado, de cabeça erguida, variável; e é uma prova da onisciência de Jesus que ele viu que Pedro “possuiria” um caráter que seria expresso adequadamente pela palavra “pedra” ou “rocha”. A palavra “Jonas” é uma palavra hebraica, cuja significação original é uma “pomba”. Pode ser que Jesus tenha respeitado isso quando deu a Simão o nome de Pedro. “Agora você tem um nome emblemático de timidez e inconstância. Você será chamado por um nome que denota firmeza e constância.

 

Verso 43

Iria adiante - estava prestes a ir.

 

Na Galiléia - Ele estava agora na Judéia, onde foi batizado por João. Ele estava prestes a retornar ao seu país natal.

 

Findeth Philip - Isso não se refere ao fato de ele ter chamado esses discípulos de “apóstolos”, pois isso ocorreu no mar de Tiberíades, Mateus 4:18Mateus 4:18 , mas se refere ao seu ser. convencido de que ele era o Cristo. Este é o objetivo deste evangelista, mostrar como e quando eles foram convencidos disso. Mateus declara o tempo e a ocasião em que foram chamados para serem “apóstolos”. João, o momento em que eles se familiarizaram com Jesus e estavam convencidos de que ele era o Messias. Portanto, não há contradição nos evangelistas.

 

Verso 44

De Betsaida - Veja as notas em Mateus 11:21Mateus 11:21 .

 

A cidade de - O lugar onde André e Pedro moravam.

 

Versículo 45

Moisés, na lei - Moisés, na parte do Antigo Testamento que ele escreveu, chamada pelos judeus de “a lei”. Veja Deuteronômio 18:15 Deuteronômio 18:15 , Deuteronômio 18:18 Deuteronômio 18:18 ; Gênesis 49:10 Gênesis 49:10 ; Gênesis 3:15Gênesis 3:15 .

 

E os profetas - Isaías 53: 1-12 Isaías 53: 1-12 ; Isaías 9: 6-7 Isaías 9: 6-7 ; Daniel 9: 24-27 Daniel 9: 24-27 ; Jeremias 23: 5-6Jeremias 23: 5-6 ; etc.

 

Jesus de Nazaré ... - Eles falavam de acordo com apreensão comum. Eles falavam dele como o filho de José, porque ele costumava ser. Eles falavam dele como morando em Nazaré, embora não devessem ter ignorado que ele nasceu em Belém.

 

Verso 46

Pode alguma coisa boa ... - O caráter de Nazaré era proverbialmente ruim. Ser galileu ou nazareno era uma expressão de desdém decidido, João 7:52 João 7:52 . Veja as notas em Mateus 2:23Mateus 2:23 . Natanael perguntou, portanto, se era possível que o Messias viesse de um lugar proverbialmente mau. Esse era um modo de julgar no caso, não incomum. Não é examinando evidências, mas por preconceito. Muitas pessoas sofrem com a mente cheia de preconceitos contra a religião e depois se pronunciam sem exame. Eles se recusam a examinar o assunto, pois declararam que não pode ser verdade. Não importa de onde vem um professor ou qual é o local de seu nascimento, desde que ele seja autorizado por Deus e qualificado para o seu trabalho.

 

Venha e veja - Esta foi a melhor maneira de responder Natanael. Ele não se sentou para discutir com ele, nem especulou sobre a possibilidade de que uma coisa boa pudesse vir de Nazaré; mas ele pediu que ele fosse examinar por si mesmo, ver o Senhor Jesus, ouvi-lo conversar, deixar de lado seu preconceito e julgar por uma investigação pessoal justa e sincera. Portanto, devemos pedir aos pecadores que deixem de lado seus preconceitos contra a religião e "sejam cristãos" e, assim, façam julgamento por si mesmos. Se os homens puderem ser persuadidos a vir a Jesus, todas as suas objeções mesquinhas e tolas contra a religião desaparecerão. Por sua própria experiência, eles ficarão satisfeitos com a verdade e, dessa maneira, somente eles ficarão satisfeitos.

 

Versículo 47

Um israelita de fato - alguém que é realmente um israelita - não apenas por nascimento, mas alguém digno desse nome. Alguém que possui o espírito, a piedade e a integridade que se torna um homem que é realmente judeu, que teme a Deus e obedece à sua lei. Compare Romanos 9: 6 Romanos 9: 6 ; Romanos 2: 28-29Romanos 2: 28-29 .

 

Sem dolo - sem dolo, sem fraude, sem hipocrisia. Ele é realmente o que ele professa ser - um judeu, um descendente do patriarca Jacó, temendo e servindo a Deus. Ele não faz nenhuma profissão que não faz jus. Ele não diz que Natanael estava sem culpa ou pecado, mas que ele não tinha disfarce, truque ou engano - ele era sincero e correto. Este foi um testemunho muito honrado. Quão feliz seria se ele, que conhece o coração de todos como conheceu o de Natanael, pudesse prestar o mesmo testemunho de todos os que professam a religião do evangelho!

 

Verso 48

De onde me conheces? - Natanael ainda não estava familiarizado com a divindade de Cristo, e supôs que ele tinha sido um estranho para ele. Ao ouvi-lo expressar uma opinião favorável sobre ele, ele naturalmente perguntou por que meios ele tinha algum conhecimento dele. Sua consciência testemunhava a verdade do que Jesus disse que não tinha dolo, e estava ansioso para saber de onde havia aprendido seu caráter.

 

Antes disso, Filipe te chamou - Veja João 1:45João 1:45 .

 

Quando você estava debaixo da figueira - É evidente que foi de algo que ocorreu debaixo da figueira que Jesus julgou seu caráter. O que foi não foi gravado. Não é improvável que Natanael estivesse acostumado a se retirar para a sombra de uma certa árvore, talvez em seu jardim ou em um bosque, para fins de meditação e oração. Os judeus tinham o hábito de selecionar esses lugares para devoção privada, e nessas cenas de quietude e aposentadoria há algo especialmente favorável à meditação e à oração. Nosso Salvador também adorou em tais lugares. Compare João 18: 2 João 18: 2 ; Lucas 6:126:12 . Nesse local de aposentadoria, não é improvável que Natanael estivesse envolvido em devoção privada.

 

Eu vi você - está claro, a partir da narrativa, que Jesus não quis dizer que ele estava presente corporalmente com Natanael e o viu; mas ele conhecia seus pensamentos, desejos, sentimentos e desejos secretos. Nesse sentido, Natanael o entendeu. Podemos aprender:

 

  1. que Jesus vê o que é feito em segredo e, portanto, é divino.

 

2.que ele nos vê quando pouco pensamos nisso.

 

3.que ele nos vê especialmente em nossas devoções particulares, ouve nossas orações e marca nossas meditações. E,

 

4.que ele julga nosso caráter principalmente por nossas devoções particulares. Esses são secretos; o mundo não os vê; e em nossos armários, mostramos o que somos. Como é que nos tornamos, portanto, que nossas orações e meditações secretas sejam sem "dolo" e hipocrisia, e como Jesus aprovará!

 

Verso 49

Rabino - Mestre. Aplicado adequadamente a Jesus, e a mais ninguém, Mateus 23:10Mateus 23:10 .

 

O Filho de Deus - Com este título, ele sem dúvida quis dizer que ele era o Messias. Sua consciência lhe dizia que ele julgara certo seu caráter e que, portanto, ele deveria conhecer o coração e os desejos da mente. Nesse caso, ele não poderia ser um mero homem, mas deve ser o Messias tão esperado.

 

O rei de Israel - esse era um dos títulos pelos quais o Messias era esperado, e esse era o título que foi afixado à sua cruz, João 19:18 João 19:18 . Este caso de Natanael João aduz como outra evidência de que Jesus era o Cristo. O grande objetivo que ele tinha em vista ao escrever este evangelho era coletar as evidências de que ele era o Messias, João 20:31João 20:31 . Um caso, portanto, em que Jesus procurou o coração e onde seu conhecimento do coração convenceu um judeu piedoso de que ele era o Cristo, é muito adequadamente apresentado como testemunho importante.

 

Verso 50

Coisas maiores - Prova mais completa de seu Messias, principalmente o que é mencionado no versículo seguinte.

 

Verso 51

Em verdade, em verdade - no grego "Amém, amém". A palavra "amém" significa "verdadeiramente, certamente, que assim seja" - do verbo hebraico para confirmar, estabelecer e ser verdadeiro. É frequentemente usado neste evangelho. Quando repetida, expressa o senso do orador sobre a importância do que ele está dizendo e a "certeza" de que é como ele afirma.

 

Vereis - talvez não com os olhos corporais, mas você deve ter "evidência" de que é assim. A coisa acontecerá, e você será uma testemunha disso.

 

Céu aberto - Esta é uma expressão figurativa, denotando “a concessão de favores”. Salmos 78: 23-24 Salmo 78: 23-24 ; "Ele abriu as portas do céu e choveu maná". Também denota que Deus estava prestes a operar um milagre em atestado de uma coisa em particular. Veja Mateus 3:16 Mateus 3:16 . Na linguagem, aqui, há uma alusão evidente à escada que Jacó viu em um sonho, e aos anjos subindo e descendo nela, Gênesis 28:12Gênesis 28:12 . Não é provável que Jesus se referisse a qualquer caso em que Natanael deveria literalmente ver os céus abertos. O batismo de Jesus ocorreu, e nenhum outro exemplo ocorreu em sua vida em que se diz que os “céus foram abertos”.

 

Anjos de Deus - Os seres puros e santos que habitam no céu e que são empregados como espíritos ministradores do nosso mundo, Hebreus 1:14 Hebreus 1:14 . Os homens bons são representados nas Escrituras como estando sob sua proteção, Salmo 91: 11-12 Salmo 91: 11-12 ; Gênesis 28:12 Gênesis 28:12 . São os agentes pelos quais Deus frequentemente expressa sua vontade aos homens, Hebreus 2: 2 Hebreus 2: 2 ; Gálatas 3:19 Gálatas 3:19 . Eles são representados como fortalecendo o Senhor Jesus e ministrando a ele. Assim, eles o ajudaram no deserto Marcos 1:13 Marcos 1:13 , e no jardim Lucas 22:43 Lucas 22:43 , e estavam presentes quando ele ressuscitou dos mortos, Mateus 28: 2-4 Mateus 28: 2-4 ; João 20: 12-13João 20: 12-13. Ao subirem e descerem sobre ele, é provável que ele quis dizer que Natanael tivesse evidências de que eles o ajudariam e que ele teria “o” tipo de proteção e assistência de Deus que mostraria “mais plenamente que ele era o Messias. ”Assim, sua vida, suas muitas libertações de perigos, sua sabedoria para refutar seus adversários habilidosos e astutos, as cenas de sua morte e a presença de anjos em sua ressurreição podem ser representadas pelos anjos que descem sobre ele, e tudo mostraria a Natanael e aos outros discípulos mais claramente que ele era o Filho de Deus.

 

O Filho do homem - Um termo pelo qual a mentira geralmente se descreve. Mostra sua humildade, seu amor pelo homem, sua disposição de ser estimado "como homem", Filemom 2: 6-7Filemon 2: 6-7 .

 

Nesta entrevista com Nathanael, podemos aprender:

 

1.que Jesus examina o coração.

 

2.que ele era verdadeiramente o Messias.

 

3.que ele estava sob a proteção de Deus.

 

  1. que, se tivermos fé em Jesus, será continuamente fortalecido e a evidência ficará cada vez mais brilhante.

 

5.que se crermos em sua palavra, ainda veremos a prova completa de que sua palavra é verdadeira.

 

  1. Visto que Jesus estava sob a proteção de Deus, todos os seus amigos estarão. Deus nos defenderá e nos salvará também se confiarmos nEle.

 

  1. Jesus aplicou termos expressivos de humildade a si mesmo. Ele não foi solícito nem mesmo por ser chamado por títulos que ele poderia reivindicar.

 

Portanto, não devemos ser ambiciosos em títulos e honras. Os ministros do evangelho mais se assemelham a ele quando buscam o menor número de títulos e não visam distinções um do outro ou de seus irmãos. Veja as notas em Mateus 23: 8Mateus 23: 8 .

fonteWWW.MAURICIOBERWALD.COMUIDADES.NET