Translate this Page

Rating: 2.7/5 (307 votos)




ONLINE
3




Partilhe esta Página



 <!-- Go to www.addthis.com/dashboard to customize your tools -->
<script type="text/javascript" src="//s7.addthis.com/js/300/addthis_widget.js#pubid=ra-57f3fb36829d1888"></script>

 

 

  contadores de visitas 

 

Flag Counter


Subsidio jovens n.7 autortidade sobre os domonios
Subsidio jovens n.7 autortidade sobre os domonios

SUBSIDIO N.7 AUTORIDADE SOBRE OS DEMONIOS DE JESUS

 MAURICIO BERWALD PROFESSOR ESCRITOR 

O PODER DE JESUS CRISTO SOBRE OS DEMÔNIOS O PODER DE JESUS CRISTO SOBRE OS DEMÔNIOS 

 

 “E, convocando os seus doze discípulos, deu-lhes virtude e poder sobre todos os demônios e para curarem enfermidades.” Lc 9.1Os demônios são seres espirituais malignos, porém submissos aos limites estabelecidos por Deus em sua soberania.O senhor Jesus nos deu poder “Eis que vos dou poder para pisar serpentes e escorpiões, e toda a força do inimigo, e nada vos fará dano algum”. (Lc 10.19) e nos ensinar a nos preparar. “No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder”. Efésios 6.10.

  1. DEMÔNIOS, O QUE SÃO? Na maioria das religiões cristãs, os demônios, espíritos imundos, são anjos caídos que foram expulsos do terceiro céu (da presença de Deus) (Ap 12.7-9). Popularmente, acredita-se que o chefe dos demônios, Lúcifer, era um querubim da guarda ungido (Ezequiel 28 e Isaías 14.13-14) que, ao desejar ser igual a Deus, foi expulso do Paraíso. É certo que há passagens na Bíblia que falam de seres caindo do céu, porém não são sobre Satanás e usam linguagem figurativa. Somente por uma leitura descuidada destes textos pode, alguém, chegar à história popular relativa à origem de Satanás. Porém, quando foi expulso do Céu, a Bíblia nos relata que Lúcifer (conhecido, depois da expulsão, como diabo e satanás, também referido em Apocalipse como "dragão" ou "antiga serpente", fazendo uma referência ao Livro do Gênesis) trouxe, consigo, um terço dos anjos de Deus (Ap 12.4). Não se encontra, na Bíblia cristã, qualquer referência ao quantitativo de anjos que acompanharam Lúcifer, mas o livro do Apocalipse diz que o número de anjos a serviço do Criador é "milhões de milhões e milhares de milhares" (Apocalipse 5.11). Devido a vários motivos ou simplesmente por submissão religiosa a Satanás, os demônios podem, segundo a crença cristã, possuir alguém, assumindo inclusive o senhorio sobre o corpo desta pessoa, manipulando suas atitudes e palavras e influenciando fortemente os seus pensamentos. Para os cristãos, o único meio eficaz utilizado pelos apóstolos para falir a autoridade de um ou mais demônios sobre uma ou mais pessoas é o nome de Jesus Cristo, Filho de Deus, que, segundo a crença cristã, é o Nome sobre todo nome, inclusive o sobre o nome dos demônios.

 

1.2. Eles têm um chefe

Segundo citam alguns os estudos, os demônios principais são 12:

Belial; Leviatã, Satã; Belphegor; Lúcifer; Baalberit; Belzebu; Astorath; Lilith; Baal; Asmodeu e Morloch.

 

  1. A NATUREZA DOS DEMÔNIOS

A Bíblia é clara como a luz do sol quanto à atuação dos demônios desde os primórdios da humanidade, mas especialmente com o início do ministério de Jesus e subsequente trabalho da Igreja por ele fundada para suplantar o reino das trevas. É igualmente clara quando nos fala do fim destes demônios, sua derrota e eterna prisão no lago de fogo. Porém no que diz respeito à origem dos demônios, a Bíblia já não é tão clara como gostaríamos. Na verdade, quanto à origem dos anjos de modo geral a Bíblia não nos traz muitas informações. Trabalharemos, então, nesta lição contentes com a dádiva das Escrituras, submetendo a elas nossas convicções e evitando, como nos ensinam os bons hermeneutas, estabelecermos dogmas em cima de textos de difícil ou controversa interpretação.

 

2.1. Eles são tentadores

Eis aqui algumas formas de tentação que ele usará para nos enganar. Os mandamentos de Deus e os ensinamentos de Seus profetas nos alertam sobre elas:                                        

  1. Um tipo de mentira procura desviar-nos daquele a quem devemos seguir. Falando sobre os últimos dias, o Salvador ensinou: “Acautelai-vos, que ninguém vos engane; Porque muitos virão em meu nome dizendo: Eu sou o Cristo, e enganarão a muitos”. (Mateus 24.4–5) Em outras palavras, muitos tentarão nos enganar dizendo que eles ou os seus ensinamentos nos salvarão, não sendo, portanto, necessário um Salvador ou Seu evangelho. O Livro de Mórmon descreve isso como “o poder do diabo para desencaminhar e enganar o coração do povo” para crerem “que a doutrina de Cristo era uma coisa louca e vã”. (3 Néfi 2:2).
  2. Satanás também procura nos enganar sobre o que é certo e o que é errado, tentando nos convencer de que o pecado não existe. Esse desvio geralmente começa com o que parece algo insignificante. “Experimente só uma vez. Uma cerveja ou um cigarro ou um filme pornográfico não fará mal.” Todos esses desvios têm em comum, no entanto, o fato que cada um vicia. O vício é uma condição na qual renunciamos em parte ao nosso poder de escolha. Quando nos viciamos em algo, damos ao diabo poder sobre nós. O profeta Néfi descreveu onde nos leva tal caminho: O diabo diz que não existe “inferno e eu não sou o diabo, porque ele não existe e assim [nos] sussurra aos ouvidos até [agarrar-nos] com suas terríveis correntes, das quais não há libertação”. (2 Néfi 28:22).

 

2.2. Eles possuem pessoas e animais

O espiritismo como sendo a comunhão entre o diabo, os demônios e os seres humanos, tem enganado a muita gente.

Satanás e seus anjos, depois de ser expulsos do Céu, ficaram no espaço sem lugar para habitar e sem corpo. Procurando os seres humanos porque é uma criatura inteligente, feito à imagem e semelhança de Deus e tem condições de ser instrumento. Por intermédio do homem o diabo e os demônios tem se expressado neste mundo, mais sabemos de casos em que demônios se manifestam também em animais. “E tendo saído os demônios do homem, entraram nos porcos, e a manada precipitou-se despenhadeiro no lago, e afogou-se” (Lc 8.33).

 

2.3. Eles são agentes de enfermidades

No dia seguinte, quando desceram do monte, uma grande multidão veio ao encontro dele. Um homem da multidão bradou: “Mestre, rogo-te que dês atenção ao meu filho, pois é o único que tenho. Um espírito o domina; de repente ele grita, lança-o em convulsões e o faz espumar; quase nunca o abandona, e o está destruindo. Roguei aos teus discípulos que o expulsassem, mas eles não conseguiram”. Respondeu Jesus: “Ó geração incrédula e perversa, até quando estarei com vocês e terei que suportá-los? Traga-me aqui o seu filho”. Quando o menino vinha vindo, o demônio o lançou por terra, em convulsão. Mas Jesus repreendeu o espírito imundo, curou o menino e o entregou de volta a seu pai. E todos ficaram atônitos ante a grandeza de Deus. Estando todos maravilhados com tudo o que Jesus fazia, ele disse aos seus discípulos: “Ouçam atentamente o que vou lhes dizer: O Filho do homem será traído e entregue nas mãos dos homens”. Mas eles não entendiam o que isso significava; era-lhes encoberto, para que não o entendessem. E tinham receio de perguntar-lhe a respeito dessa palavra. (Lc 9.37-49).

 

  1. COMO JESUS LIDOU COM OS DEMÔNIOS

O homem nessa situação deplorável anda nu. Noite e dia, ele grita nos túmulos e nos montes, e se corta com pedras’. (Mc 5.5) Ele é tão feroz que as pessoas têm medo de passar por aquele trecho da estrada. Alguns tentam prendê-lo, mas ele arrebenta as correntes das mãos e dos pés. Ninguém tem força para dominá-lo. Quando o homem se aproxima de Jesus e cai aos seus pés, os demônios que o controlam fazem com que ele grite: “O que você quer comigo, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? Jure por Deus que não me atormentará.” Jesus mostra que tem autoridade sobre os demônios, ao ordenar: “Saia do homem, espírito impuro!” (Mc 5.7-8).

 

3.1. Jesus expulsou os demônios

Um homem se ajoelha diante de Jesus e explica: “Instrutor, eu trouxe meu filho para o senhor, porque ele tem um espírito mudo. Onde quer que esse espírito o apanhe, lança-o no chão, e ele espuma pela boca, range os dentes e perde a força. Eu pedi aos seus discípulos que expulsassem o espírito, mas eles não foram capazes de fazer isso.” (Mc 9.17,18). Pelo visto, os escribas estão criticando os discípulos por não conseguirem curar o menino, talvez zombando de seus esforços. Então, em vez de responder ao pai, que está desesperado, Jesus diz à multidão: “Ó geração sem fé e pervertida, até quando terei de continuar com vocês? Até quando terei de suportá-los?” Com certeza, essas fortes palavras se aplicam aos escribas, que estão causando problemas aos discípulos de Jesus enquanto ele está fora. Depois Jesus diz ao pai aflito: “Traga-o aqui”. (Mt 17.17). Quando o menino se aproxima de Jesus, o demônio que está nele o joga no chão e o lança em fortes convulsões. O menino fica rolando no chão, espumando pela boca. Jesus pergunta ao pai: “Há quanto tempo isso acontece com ele?” O pai responde: “Desde a infância, e o espírito o lança muitas vezes no fogo e também na água, para matá-lo.” Então o homem implora: “Se o senhor puder fazer algo, tenha pena de nós e ajude-nos.” (Mc 9.21,22). O pai está desesperado porque nem os discípulos de Jesus conseguiram ajudá-lo. Em resposta ao forte apelo do homem, Jesus dá uma garantia consoladora: “Esta expressão: “Se puder”! Ora, tudo é possível para quem tem fé.” E o pai imediatamente implora: “Eu tenho fé! Ajude-me onde preciso de fé!” — Marcos 9.23,24. Jesus percebe a multidão se aproximando dele. Na presença dessas pessoas, ele censura o demônio: “Espírito mudo e surdo, eu lhe ordeno que saia dele e não entre nele novamente!” Ao sair, o demônio faz o menino gritar e ter muitas convulsões. Agora o menino está deitado no chão, sem se mexer. Ao ver isso, muitas pessoas dizem: “Ele está morto!” (Mc 9.25,26). Mas, quando Jesus pega na mão do menino, ele se levanta e fica “curado daquele momento em diante”. (Mt 17.18). Não nos surpreende que as pessoas fiquem impressionadas com o que Jesus faz. Um pouco antes, quando Jesus enviou os discípulos para pregar, eles conseguiram expulsar demônios. Por isso, quando estão sozinhos em uma casa, eles lhe perguntam: “Por que nós não conseguimos expulsá-lo?” Jesus explica que foi por causa da falta de fé deles, dizendo: “Essa espécie só sai por oração e jejum.” (Mc 9. 28, 29). Era necessário ter forte fé e orar pela ajuda do poder de Deus para expulsar aquele demônio poderoso.

 

3.2. Jesus ensinou sobre os demônios

Jesus teve um grande confronto com o próprio diabo na tentação do deserto. Imediatamente após seu batismo em água, ocorreu a unção do Espírito Santo e o início de seu ministério público (Mt 4.1 a 11). Ele derrotou o diabo pela Palavra de Deus. Quando o diabo o deixou, de acordo com Lucas 4.13, Satanás sabia que novos confrontos iriam acontecer. “Tendo o diabo acabado toda a tentação, ausentou-se Dele até momento oportuno”. O “momento oportuno” aconteceu várias vezes durante o ministério de nosso Senhor na Terra. Satanás tentou desacreditá-lo, tentou impedir o povo de crer, neutralizou seus discípulos, e tentou matá-lo prematuramente. Quando Jesus morreu, o diabo pensou que havia vencido o conflito contra Cristo e contra o plano salvador de Deus, mas ele estava errado. Jesus alcançou vitória decisiva na cruz e no túmulo. A caminho desta vitória decisiva, Jesus teve confrontos com as potestades de satanás, manifestados no demonismo territorial; injustiças políticas e sociais na cultura, cegueira religiosa e fanatismo, depravação espiritual e moral; doença física e mental; possessão demoníaca de indivíduos. Ele ensinou e pregou um evangelho redentor e de cura em todas estas situações. Realizou curas, libertação e salvação de maneira a servir como exemplo. Então, morreu na cruz para completar a cura, libertação e salvação, tornando-as disponíveis a todos. Em seu ministério entre as pessoas, Jesus fez tudo o que anunciara como sua missão em Lucas 4.18.  Todos esses ministérios foram realizados sob a unção do Espírito Santo para restaurar a humanidade da depravação que satanás trouxe sobre ela Atos 10.38. Além de seu ministério redentor, houve duas outras áreas significativas onde Jesus entrou em conflito direto com o poder satânico. Eram elas: as curas físicas e as libertações da possessão demoníaca. Seu ministério de cura foi administrado a inumeráveis pessoas, pelo seu falar, por suas orações ou por seu toque. Jesus com frequência relacionou a cura de uma pessoa às suas necessidades espirituais. Na libertação de pessoas da possessão demoníaca, Jesus não usou encantamentos, mágicas ou rituais. Apenas falava e os demônios reconheciam seu senhorio, submetiam-se ao seu poder e deixavam as pessoas. Os Evangelhos fornecem seis relatos nos quais Jesus libertou indivíduos da possessão demoníaca (com maiores detalhes).               

► O endemoninhado na sinagoga (Marcos 1. 21 a 28)

► O endemoninhado gadareno (Marcos 5. 1 a 20)

► A filha da mulher siro-fenícia (Marcos 7. 24 a 30)

► O menino epilético (Marcos 9. 14 a 29)

► O endemoninhado mudo (Mateus 12.22) e além destes, Lucas 8.2 menciona a libertação de Maria Madalena a quem Jesus libertou da possessão de 7 demônios.

 

3.3. Jesus deu poder e autoridade sobre os demônios

O Senhor nos deu poder e autoridade para não sermos escravos desses demônios, para nos tornarmos livres deles. “Jesus deu-lhes PODER E AUTORIDADE sobre todos os demônios e para curar as doenças” (cf. Lc 9,1). Nós, hoje, contemplamos Jesus enviando Seus discípulos e apóstolos para anunciar o Evangelho e proclamar o Reino de Deus. Ao mesmo tempo em que o Senhor os envia, também lhes concede a autoridade. Duas palavras importantes: poder e autoridade sobre os demônios e as doenças. Meus irmãos, nós precisamos tomar posse do poder e da autoridade que o Senhor nos conferiu pelo batismo, tomar posse e assumir, em nossa vida, que os demônios não podem mandar em nós, não podem assumir o comando dos nossos afetos, dos nossos sentimentos e da nossa vontade. Nós não podemos deixar que os espíritos malignos nos deixem doentes, enfermos, para baixo. Nós precisamos assumir, com poder e autoridade, aquilo que o Senhor nos conferiu, aquilo que Ele nos constituiu: mensageiros da Sua Palavra. Como é que se anuncia o Reino de Deus? Expulsando os demônios. Às vezes, as pessoas confundem e acreditam que “expulsar demônios” é como se as pessoas estivessem possessas, possuídas. Não! O exorcismo é uma prática e existem pessoas que têm esse ministério, essa graça para exercê-lo; mas se trata de um grau muito elevado de possessão diabólica ou qualquer coisa parecida. O que nós estamos falando é dos demônios espalhados pelos ares, que semeiam no meio de nós fofocam, intrigas, inimizades, maus pensamentos, maus juízos, a divisão, a discórdia, o espírito de acusação; o demônio que enfraquece os nossos relacionamentos, deixa-nos, muitas vezes, com a autoestima muito baixa. Os demônios espalhados pelos ares estão trazendo toda e qualquer contaminação para o meio de nós, por isso nos tornamos azedos, mesquinhos, pessoas que não cultivam os valores evangélicos.

 

CONCLUSÃO

Os demônios não sãos forças, fluidos ou criação da mente humana. São seres reais pessoais e estão em ação, devemos conhecer a suas ações, para não sermos enganados, estamos em uma batalha espiritual. Aonde Jesus nos garante a vitória.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Bíblia de Estudo Pentecostal. Edição Almeida Revista e Corrigida, tradução de João Ferreira de Almeida, CPAD, 1995.JUANRIBE, Pagliarin, 1955. O Evangelho Reunido. Edição Luxo, 3a Edição, Bless Press Editora, 2008.Revista do professor: Jovens e Adultos. Igreja, Lucas: O evangelho do Filho do homem. Rio de Janeiro: Editora Betel – 3º trimestre de 2019. Ano 29 n° 112. Lição 4 – O poder de Jesus Cristo sobre os demônios.    

 AGRADECEMOS Pr. Jose Carlos R. Silva  

 

 

COMENTÁRIOS EXTRAS

 

POR QUE MATEUS FALA DE DOIS GADARENOS E MARCOS E LUCAS FALAM DE UM SÓ?

Mateus estava presente no dia e lá tinham dois gadarenos endemoninhados. Marcos e Lucas escreveram depois e eram apenas historiadores, não estiveram presentes. Na pesquisa que fizeram ficaram sabendo do endemoninhado mais valente, mais assustador, MAIS VIOLENTO que era de quem as pessoas se lembravam mais.

 

Gadarenos - por Wayne Blank

Gadara foi um dos Decapolis, ou "Dez Cidades", que foram originalmente habitadas principalmente pelos gregos que se estabeleceram na região após o tempo da conquista de Alexandre, o Grande (ver Ancient Empires - Greece ). Depois que os romanos ocuparam a região por volta de 65 aC (veja os Impérios Antigos - Roma ), Gadara tornou-se a capital da província romana de Peraea.Gadara estava localizada a leste do rio Jordão, em uma montanha a cerca de 10 km a sudeste do mar da Galiléia . O povo de Gadara era conhecido como gadarenos, embora a área geral também fosse conhecida como o "país dos gerasenos", depois da cidade de Gerasa, que ficava a uns 73 quilômetros ao sul. Eles ainda eram em sua maioria gentios no tempo de Cristo, como indicado pela manutenção de porcos (veja Limpo e Impuro ) nas referências bíblicas abaixo.

Foi na área de Gadara que uma das curas mais famosas do ministério de Jesus Cristo aconteceu, em um dia que começou com uma viagem angustiante (para os discípulos) através do Mar da Galiléia:

 

"Um dia Ele entrou em um barco com seus discípulos, e disse-lhes:" Vamos atravessar para o outro lado do lago ". Então eles partiram, e enquanto eles navegavam Ele adormeceu. E uma tempestade de vento desceram no lago e encheram-se de água e correram perigo. ""E eles foram e o acordaram, dizendo:" Mestre, Mestre, estamos perecendo! "

"E ele acordou e repreendeu o vento e as ondas furiosas; e eles cessaram, e houve uma calma. Ele disse-lhes:" Onde está a tua fé?

"E eles estavam com medo, e eles se maravilharam, dizendo um ao outro:" Quem é este então, que Ele ordena até o vento e a água, e eles O obedecem? "

"Chegaram então à terra dos gerasenos, que fica em frente da Galiléia. E quando saiu para terra, encontrou-se com um homem da cidade que tinha demônios; durante muito tempo não vestiu roupas e não viveu. em uma casa, mas entre os túmulos. Quando ele viu Jesus, ele clamou e caiu diante dele, e disse em alta voz: "O que você tem a ver comigo, Jesus, Filho do Altíssimo Deus? Eu suplico-te, não me atormentes. "Pois ele tinha ordenado que o espírito imundo saísse do homem. Por muitas vezes ele se apoderou dele; ele foi mantido sob guarda, e amarrado com correntes e grilhões, mas ele quebrou o laços e foi levado pelo demônio para o deserto ".

"Jesus então perguntou a ele:" Qual é o seu nome?

"E ele disse: 'Legião'; porque muitos demônios haviam entrado nele. E imploraram a Ele que não os mandasse partir para o abismo."

"Agora um grande rebanho de porcos estava se alimentando lá na encosta; e eles imploraram a Ele para deixá-los entrar neles. Então Ele deu-lhes licença. Então os demônios saíram do homem e entraram nos porcos, e o rebanho desceu a íngreme banco no lago e foram afogados ".

"Quando os pastores viram o que havia acontecido, fugiram e contaram na cidade e no campo. Então as pessoas saíram para ver o que havia acontecido, e vieram a Jesus e encontraram o homem de quem os demônios tinham ido, sentados aos pés de Jesus, vestidos e em sã consciência, e eles estavam com medo, e aqueles que tinham visto, contaram-lhes como aquele que estava possuído por demônios foi curado .Então todas as pessoas da região circundante dos Gerasenes perguntaram. Ele se afastou deles, pois eles foram tomados com grande medo, então Ele entrou no barco e retornou ".

"O homem de quem os demônios tinham ido implorou para que ele pudesse estar com Ele; mas Ele o mandou embora, dizendo:" Regresse a sua casa, e declare quanto Deus fez por você. "E ele foi embora, proclamando por todo o cidade inteira quanto Jesus tinha feito por ele ". (Lucas 8: 22-39 RSV)

Em tempos mais modernos, os túmulos de Gadara foram escavados por arqueólogos, e tem havido relatos de pessoas desafortunadas vivendo novamente nelas, assim como fizeram durante o ministério de Cristo. http://www.keyway.ca/htm2003/20030210.htm

Gadara ou Gerasa ou Gesara são a mesma cidade que pertencia a Decápolis, cidades à beira do Mar da Galileia ou Mar de Genesaré.

Gadara, a beira do Mar da Galileia, pertencente a Decápolis. Portanto o Mar era a divisa entre Decápolis e a Galileia.

 

PODEMOS DETECTAR SE UMA PESSOA ESTÁ SENDO CONTROLADA POR DEMÔNIOS SE NÃO ESTIVER POSSESSA?

Se você encontrar com vários espíritas que fazem por exemplo trabalho de adivinhação, bruxaria, etc... Você nem saberá que eles fazem isto. Podem até frequentar sua casa e você não saberá.

Na igreja tem pessoas assim e estão congregando sem ninguém nem desconfiar.

De repente uma pessoa assim pode dizer algo demoníaco, nas não está possessa. Pode lhe dizendo algo que vai acontecer no futuro e isso passará por uma profecia. Acontece muito nas igrejas irmãs irem a casa de alguém que se diz profetiza. Lá estão ocorrendo advinhações, a profeta está sendo usada por um espírito advinhante, mas todos pensam que é por DEUS.

Esta pessoa não está possessa.

Possessão é quando a pessoa não tem nenhum controle sobre si. Demônio ou demônios controlam totalmente a pessoa.

Podemos expulsar o demônio que age na vida da pessoa que se deixa usar por demônio de vez em quando ou podemos expulsar demonio de pessoas possessas.

No caso da jovem advinha ela fazia isto como se fosse uma profetiza. Não estava possessa.

Pode ocorrer da pessoa ficar possessa na hora que expulsamos o demônio também.

Existe um dom do ESPÍRITO SANTO chamado DISCERNIMENTO do ESPÍRITO SANTO.

Isso nos revela a fonte de qualquer profecia ou manifestação.

Mas podemos também julgar as profecias como manda a Bíblia.

Se falar e não acontecer.

Se fizer a pessoa se desviar.

Se a pessoa que está se dizendo profeta estiver com a vida atrapalhada, em pecado.

Etc..

A jovem de Filipos Tinha espírito de advinhações como qualquer falso profeta tem.

Quem vai ler a mão em uma cigana não encontra uma pessoa possessa.

Quem vai consultar Tarô não encontra uma pessoa possessa.

Você nunca viu uma pessoa possessa, Ou seja: endemoninhada?.

Se Paulo não recebe uma orientação do ESPÍRITO SANTO ia embora e nunca saberia que estava sendo usada por demônio.

Ela falou vários dias a mesma coisa que era uma verdade.

JUDAS NAO FICOU POSSESSO.

ENTROU NELE SATANÁS Saiu e foi entregar JESUS orientado por Satanás.

Se ficasse POSSESSO JESUS expulsaria o demônio na mesma hora, pois ficaria incontrolável.

Há diferença grande entre ser orientado, oprimido, possesso, e também ser usado por desejo próprio como os médiuns, etc...

Você interpretou como se Satanás entrasse literalmente em Judas como se Satanás mesmo em pessoa entrasse em alguém?

Jo 13:2 E, acabada a ceia, tendo já o diabo posto no coração de Judas Iscariotes, filho de Simão, que o traísse.

Satanás não possuiu Judas e o forçou a nada.. Deu-lhe a ideia de ganhar dinheiro vendendo JESUS.

 

 

POSSESSÃO DEMONÍACA OU DE UM ESPÍRITO IMUNDO - MESMA COISA - AUTORIDADE DE JESUS

Na sinagoga havia um homem possesso de um demônio, de um espírito imundo. Ele gritou com toda a força: "Ah!, que queres conosco, Jesus de Nazaré? Vieste para nos destruir? Sei quem tu és: o Santo de Deus!" Jesus o repreendeu, e disse: "Cale-se e saia dele!" Então o demônio jogou o homem no chão diante de todos e saiu dele sem o ferir. Todos ficaram admirados e diziam uns aos outros: "Que palavra é esta? Até aos espíritos imundos ele dá ordens com autoridade e poder, e eles saem!" Lucas 4:33-36

 

Para mim JESUS só perguntou o nome dos demônios para que os seus discípulos soubessem que podem vários demônios possuírem uma mesma pessoa, pois a resposta não foi um nome, mas uma quantidade. cerca de 6 mil demônios.

 

QUEM É MAIS IMPORTANTE - O HOMEM OU OS ANIMAIS?

Porque na lei de Moisés está escrito: Não atarás a boca ao boi que trilha o grão. Porventura tem Deus cuidado dos bois? 1 Coríntios 9:9

E ele lhes disse: Qual dentre vós será o homem que tendo uma ovelha, se num sábado ela cair numa cova, não lançará mão dela, e a levantará? Pois, quanto mais vale um homem do que uma ovelha? É, por conseqüência, lícito fazer bem nos sábados. Mateus 12:11,12

 

Quando se expulsa demônios significa derrubar Satanás de seu trono no controle da vida das pessoas

E disse-lhes: Eu via Satanás, como raio, cair do céu. Lucas 10:18

 

Sacrifícios ofereceram aos demônios, não a Deus; aos deuses que não conheceram, novos deuses que vieram há pouco, aos quais não temeram vossos pais. Deuteronômio 32:17

 

NOME DE DEMÔNIOS NA BÍBLIA? TIPO DE CASTA SÓ SAI COM JEJUM E ORAÇÃO EXISTE?

Quando Jesus viu que uma multidão estava se ajuntando, repreendeu o espírito imundo, dizendo: "Espírito mudo e surdo, eu ordeno que o deixe e nunca mais entre nele". O espírito gritou, agitou-o violentamente e saiu. O menino ficou como morto, ao ponto de muitos dizerem: "Ele morreu". Mas Jesus tomou-o pela mão e o levantou, e ele ficou em pé. Depois de Jesus ter entrado em casa, seus discípulos lhe perguntaram em particular: "Por que não conseguimos expulsá-lo?" Ele respondeu: "Essa espécie só sai pela oração e pelo jejum". Marcos 9:25-29

Aqui não é nome de um demônio - Espírito mudo e surdo.

Legião é o meu nome, porque somos muitos - Aqui não é nome de um demônio, mas quantidade.

 

NÃO TEMOS NOME ESPECÍFICO DE DEMÔNIOS NA BÍBLIA A NÃO SER APOLIOM E SATANÁS COM SEUS NOMES VARIADOS (MAIS DE 25 NOMES DIFERENTES DE ACORDO COM SUA OBRA) - E tinham sobre si rei, o anjo do abismo; em hebreu era o seu nome Abadom, e em grego Apoliom. Apocalipse 9:11

 

Se um servo de DEUS trabalha com expulsão de demônios - Se manifesta nele o Dom de Discernimento de Espíritos, é possível que saiba nome de demônios, porque quando os expulsa diz seus nomes e eles obedecem, caso contrário, não sairiam e ainda ficariam sorrindo dele.

 

POSSESSÃO DEMONÍACA

judas não estava possesso quando traiu JESUS.

Pedro não estava possesso quando foi usado por um demônio.

A Jovem de Filipos não estava possessa quando advinhava.

Possessão é quando um ou mais demônios assumem total controle sobre uma pessoa. Esta passará a falar com voz diferente e a se comportar como um demônio e não como uma pessoa. Sua força será aumentada em pelo menos o dobro. Ocorre muitas vezes tentativas de suicídio ou de assassinato por parte desta pessoa possessa.

VEJA EXEMPLO - E muitas vezes o tem lançado no fogo, e na água, para o destruir; mas, se tu podes fazer alguma coisa, tem compaixão de nós, e ajuda-nos. Marcos 9:22

Senhor, tem misericórdia de meu filho, que é lunático e sofre muito; pois muitas vezes cai no fogo, e muitas vezes na água; Mateus 17:15

 

O LEGÍTIMO EVANGELHO DO REINO DE DEUS É PREGADO COM EXPULSÃO DE DEMÔNIOS

Por onde forem, preguem esta mensagem: O Reino dos céus está próximo. Curem os enfermos, ressuscitem os mortos, purifiquem os leprosos, expulsem os demônios. Vocês receberam de graça; deem também de graça. Mateus 10:7-8

Escolheu doze, designando-os apóstolos, para que estivessem com ele, os enviasse a pregar e tivessem autoridade para expulsar demônios.  Marcos 3:14-15

 

E as multidões unanimemente prestavam atenção ao que Filipe dizia, porque ouviam e viam os sinais que ele fazia; Pois que os espíritos imundos saíam de muitos que os tinham, clamando em alta voz; e muitos paralíticos e coxos eram curados. Atos 8:6-7

 

CRENTE PODE FICAR POSSESSO DE DEMÔNIOS? (NÃO ANDE EM SANTIDADE NÃO PARA VER)

"Quando um espírito imundo sai de um homem, passa por lugares áridos procurando descanso. Como não o encontra, diz: 'Voltarei para a casa de onde saí'. Chegando, encontra a casa desocupada, varrida e em ordem. Então vai e traz consigo outros sete espíritos piores do que ele, e, entrando, passam a viver ali. E o estado final daquele homem torna-se pior do que o primeiro. Assim acontecerá a esta geração perversa". Mateus 12:43-45

 

JESUS NOS DEU AUTORIDADE, COMO SEUS DISCÍPULOS

Os setenta e dois voltaram alegres e disseram: "Senhor, até os demônios se submetem a nós, em teu nome". Ele respondeu: "Eu vi Satanás caindo do céu como relâmpago. Eu dei a vocês autoridade para pisarem sobre cobras e escorpiões, e sobre todo o poder do inimigo; nada lhes fará dano. Contudo, alegrem-se, não porque os espíritos se submetem a vocês, mas porque seus nomes estão escritos nos céus".

Lucas 10:17-20

 

NÃO ATRAPALHE QUEM ESTÁ EXPULSANDO DEMÔNIOS

"Mestre", disse João, "vimos um homem expulsando demônios em teu nome e procuramos impedi-lo, porque ele não era um dos nossos." "Não o impeçam", disse Jesus. "Ninguém que faça um milagre em meu nome, pode falar mal de mim logo em seguida, pois quem não é contra nós está a nosso favor. Marcos 9:38-40

 

NEM DEMÔNIOS PODEM NOS SEPARAR DE CRISTO, DESDE QUE ESTEJAMOS EM COMUNHÃO COM ELE

Pois estou convencido de que nem morte nem vida, nem anjos nem demônios, nem o presente nem o futuro, nem quaisquer poderes, nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.  Romanos 8:38-39

O Espírito diz claramente que nos últimos tempos alguns abandonarão a fé e seguirão espíritos enganadores e doutrinas de demônios. 1 Timóteo 4:1

 

DURANTE A GRANDE TRIBULAÇÃO DEMÔNIOS VÃO AGIR COM MUITO PODER

Então vi saírem da boca do dragão, da boca da besta e da boca do falso profeta três espíritos imundos semelhantes a rãs. São espíritos de demônios que realizam sinais milagrosos; eles vão aos reis de todo o mundo, a fim de reuni-los para a batalha do grande dia do Deus todo-poderoso. Apocalipse 16:13-14

 

É PROIBIDO POR DEUS CONSULTAR MÉDIUNS OU QUEM CONSULTA DEMÔNIOS

 E "Não recorram aos médiuns nem busquem a quem consulta espíritos, pois vocês serão contaminados por eles. Eu sou o Senhor, o Deus de vocês. Levítico 19:31

Quando entrares na terra que o Senhor teu Deus te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daquelas nações. Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; Nem encantador, nem quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos; Pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao Senhor; e por estas abominações o Senhor teu Deus os lança fora de diante de ti. Deuteronômio 18:9-12

 

 

Os demônios são espíritos que se rebelaram contra Deus e servem ao diabo. Ele são enganadores e tentam impedir as pessoas de conhecer a salvação. Os demônios também tentam dificultar a vida do crente e desviá-lo de Deus.

Não precisamos ter medo dos demônios. Quem aceitou Jesus como salvador tem o direito de rejeitar toda a influência dos demônios, porque Deus é o Senhor de sua vida. Jesus venceu todas as forças das trevas quando morreu e ressuscitou.

Alguns demônios tentam desviar as pessoas de Deus com milagres e demonstrações de poder mas é só uma imitação fraca do poder de Deus. Alguns demônios só saem com jejum e oração mas não precisamos nos assustar. Quem é crente pode repreender os demônios no nome de Jesus.

pois a nossa luta não é contra seres humanos, mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais. Efésios 6:12

Portanto, submetam-se a Deus. Resistam ao Diabo, e ele fugirá de vocês. Tiago 4:7

Todos ficaram tão admirados que perguntavam uns aos outros: "O que é isto? Um novo ensino - e com autoridade! Até aos espíritos imundos ele dá ordens, e eles lhe obedecem!"  Marcos 1:27

"Então ele dirá aos que estiverem à sua esquerda: 'Malditos, apartem-se de mim para o fogo eterno, preparado para o Diabo e os seus anjos.  Mateus 25:41

Portanto, que estou querendo dizer? Será que o sacrifício oferecido a um ídolo é alguma coisa? Ou o ídolo é alguma coisa? Não! Quero dizer que o que os pagãos sacrificam é oferecido aos demônios e não a Deus, e não quero que vocês tenham comunhão com os demônios. Vocês não podem beber do cálice do Senhor e do cálice dos demônios; não podem participar da mesa do Senhor e da mesa dos demônios. 1 Coríntios 10:19-21

 

Um espírito imundo, ou maligno, é o mesmo que um demônio. Os espíritos imundos servem a satanás e procuram destruir a vida das pessoas com sua opressão. São chamados "imundos" porque são corrompidos pelo pecado.

 

Jesus veio para nos libertar. Nenhum espírito imundo consegue resistir ao poder de Jesus! Ele é mais forte que todos os espíritos. Em Jesus, todo salvo tem poder para resistir aos espíritos imundos, viver livre e ajudar outros a serem salvos. Ao anoitecer foram trazidos a ele muitos endemoninhados, e ele expulsou os espíritos com uma palavra e curou todos os doentes. Mateus 8:16 Vistam toda a armadura de Deus, para poderem ficar firmes contra as ciladas do Diabo, pois a nossa luta não é contra seres humanos, mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais. Efésios 6:11-12 Chamando seus doze discípulos, deu-lhes autoridade para expulsar espíritos imundos e curar todas as doenças e enfermidades. Mateus 10:1 UM DEMÔNIO PODE FAZER ALGUÉM FICAR MUDO QUANDO O POSSUI - Enquanto eles se retiravam, foi levado a Jesus um homem endemoninhado que não podia falar. Quando o demônio foi expulso, o mudo começou a falar. A multidão ficou admirada e disse: "Nunca se viu nada parecido em Israel!" Mateus 9:32-33 Quando Jesus viu que uma multidão estava se ajuntando, repreendeu o espírito imundo, dizendo: "Espírito mudo e surdo, eu ordeno que o deixe e nunca mais entre nele". O espírito gritou, agitou-o violentamente e saiu. O menino ficou como morto, ao ponto de muitos dizerem: "Ele morreu". Mas Jesus tomou-o pela mão e o levantou, e ele ficou em pé. Depois de Jesus ter entrado em casa, seus discípulos lhe perguntaram em particular: "Por que não conseguimos expulsá-lo?" Ele respondeu: "Essa espécie só sai pela oração e pelo jejum". Marcos 9:25-29

Portanto, que estou querendo dizer? Será que o sacrifício oferecido a um ídolo é alguma coisa? Ou o ídolo é alguma coisa? Não! Quero dizer que o que os pagãos sacrificam é oferecido aos demônios e não a Deus, e não quero que vocês tenham comunhão com os demônios. Vocês não podem beber do cálice do Senhor e do cálice dos demônios; não podem participar da mesa do Senhor e da mesa dos demônios. 1 Coríntios 10:19-21 UM DEMÔNIO PODE FAZER UMA PESSOA ANDAR ENCURVADA A VIDA TODA - e ali estava uma mulher que tinha um espírito que a mantinha doente havia dezoito anos. Ela andava encurvada e de forma alguma podia endireitar-se. Ao vê-la, Jesus chamou-a à frente e lhe disse: "Mulher, você está livre da sua doença". Então lhe impôs as mãos; e imediatamente ela se endireitou e passou a louvar a Deus. Lucas 13:11-13 O DESTINO DOS DEMÔNIOS E SEU CHEFE - "Então ele dirá aos que estiverem à sua esquerda: 'Malditos, apartem-se de mim para o fogo eterno, preparado para o Diabo e os seus anjos. Mateus 25:41

 

 

OS DEMÔNIOS FALAM - PODEMOS OU NÃO PERMITIR QUE FALEM. MUITA GENTE NA IGREJA DE HOJE NÃO GOSTARIAM QUE UM DEMÔNIO FALASSE NA IGREJA O QUE ELE SABE.

e Jesus curou muitos que sofriam de várias doenças. Também expulsou muitos demônios; não permitia, porém, que estes falassem, porque sabiam quem ele era. Marcos 1:34

Além disso, de muitas pessoas saíam demônios gritando: "Tu és o Filho de Deus!" Ele, porém, os repreendia e não permitia que falassem, porque sabiam que ele era o Cristo. Lucas 4:41

 

MUITAS VEZES SATANÁS LUTA CONTRA SI MESMO - NÓS EXPULSAMOS DEMÔNIOS PELO PODER DO ESPÍRITO SANTO QUE ESTÁ EM NÓS E EM NOME DE JESUS.

Mas, quando os fariseus ouviram isso, disseram: "É somente por Belzebu, o príncipe dos demônios, que ele expulsa demônios". Jesus, conhecendo os seus pensamentos, disse-lhes: "Todo reino dividido contra si mesmo será arruinado, e toda cidade ou casa dividida contra si mesma não subsistirá. Se Satanás expulsa Satanás, está dividido contra si mesmo. Como, então, subsistirá seu reino? E, se eu expulso demônios por Belzebu, por quem os expulsam os filhos de vocês? Por isso, eles mesmos serão juízes sobre vocês. Mas, se é pelo Espírito de Deus que eu expulso demônios, então chegou a vocês o Reino de Deus. Mateus 12:24-28

 

PAULO EM ÉFESO - DEMÔNIOS APAVARADOS

E Deus pelas mãos de Paulo fazia maravilhas extraordinárias.

De sorte que até os lenços e aventais se levavam do seu corpo aos enfermos, e as enfermidades fugiam deles, e os espíritos malignos saíam. E alguns dos exorcistas judeus ambulantes tentavam invocar o nome do Senhor Jesus sobre os que tinham espíritos malignos, dizendo: Esconjuro-vos por Jesus a quem Paulo prega. E os que faziam isto eram sete filhos de Ceva, judeu, principal dos sacerdotes. Respondendo, porém, o espírito maligno, disse: Conheço a Jesus, e bem sei quem é Paulo; mas vós quem sois? E, saltando neles o homem que tinha o espírito maligno, e assenhoreando-se de todos, pôde mais do que eles; de tal maneira que, nus e feridos, fugiram daquela casa. E foi isto notório a todos os que habitavam em Éfeso, tanto judeus como gregos; e caiu temor sobre todos eles, e o nome do Senhor Jesus era engrandecido. Atos 19:11-17

Marcos 1:34

O grande dragão foi lançado fora. Ele é a antiga serpente chamada Diabo ou Satanás, que engana o mundo todo. Ele e os seus anjos foram lançados à terra. Apocalipse 12:9

 

 

CURAI ENFERMOS E EXPULSAI DEMÔNIOS - O AUTOR - T. L. OSBORN - 4.a EDIÇÃO EM PORTUGUÊS - "Curai enfermos . . . expulsai demônios" - Mateus 10.8

COLEÇÃO GRAÇA DE DEUS - Caixa Postal 1815 — Rio de Janeiro - AT. L OSBORN  PUBLICATION

O TITULO ORIGINAL DESTA OBRA É HEALING THE SICK AND CASTING OUT DEVILS - Published by

  1. L. Osbom Evangelistic Association, Inc. - Box 10, Tulsa 2, Oklahoma, U.S.A.

 

CAPÍTULO XXVII - O Que São Espíritos de Demônios

 

Os demônios são personalidades verdadeiras. São maus, detestáveis e nocivos. Os espíritos de demônios são personalidades, mesmo, como os espíritos dos homens são persona­lidades. Os demônios são espíritos, mas não têm corpos em que habitar. Somos espíritos com corpos. Nossos espíritos são de DEUS; os espíritos de demônios são de Satanás.

O entendimento claro da distinção entre o espírito e o corpo ajuda-nos a compreender melhor a obra dos demônios.

 

A diferença entre o corpo e o espírito

Tenho um corpo, mas sou um espírito. Habito (meu es­pírito habita) no meu corpo. Exprimo-me (meu espírito se exprime) pelas faculdades do meu corpo. 0 próximo pode ver meu corpo, mas não me pode ver, porque o verdadeiro "eu" é um espírito morando dentro de meu corpo. Meu corpo é apenas a casa em que eu (meu espírito) moro. Vem o dia quando meu corpo morrerá e voltará ao pó, mas eu (meu espírito) nunca morrerei. Voltarei ao DEUS de onde vim.

Eu (meu espírito) sou uma personalidade. Exprimo-me por meio do meu corpo. Se retirassem de mim o meu corpo, eu (meu espírito) não se poderia exprimir. Se decepassem a minha língua meu espírito não poderia falar. Se destruíssem meus ouvidos, não poderia ouvir. Se me cegassem os olhos não poderia ver. Mesmo que eu ficasse com os olhos cegos, com os ouvidos destruídos e a língua cortada, meu espírito ainda estaria no meu corpo, mas meu espírito não poderia ver, nem ouvir e nem falar. Seria difícil me exprimir se fosse assim embaraçado.

Se prosseguisse a cortar as pernas e os braços e a destruir o olfato e as cordas vocais, ainda não seria destruído o meu espírito; mas meu espírito não mais se poderia exprimir. Meu espírito teria um corpo, mas teriam sido destruídas suas fa­culdades de expressão. Agora deve ficar mais claro o que quero dizer, quando falo sobre a distinção entre espírito e corpo — a diferença entre mim e meu corpo.

 

Os demônios querem exprimir-se

Os demônios são espíritos malignos sem corpos para se exprimirem. Anseiam achar um meio para se exprimirem neste mundo, mas não o podem antes de se possuírem de um corpo. Assim compreendemos porque o espírito imundo ex­pulso do homem não tinha repouso e não ficou contente, porque era um espírito de Satanás enviado para destruir e matar. Quando não se podia exprimir por um corpo, ficou aflito e com o auxílio de sete espíritos piores do que ele, conseguiu voltar e entrar novamente no homem e ter meio de se exprimir seu ódio e destruição, Mat. 12.43.

Lembra-te que um demônio é uma personalidade — um espírito, mesmo como tu e eu. Como anelamos fazer o bem, falar palavras de conforto, ouvir música, apreciar flores, ex­primir-nos palestrando com amigos e responder a cada im­pulso com uma expressão, mesmo assim os espíritos de demô­nios anelam se exprimir. Mas, desde que não têm corpos próprios, andam errantes (Mat. 12.43) procurando corpos em que possam entrar e se exprimirem, desempenhando sua mis­são perversa.

 

O homem — o instrumento que Satanás usa para destruir

Os demônios deleitam-se em usar os lábios, ou a pena dos homens para fazer sua obra vil. 0 seu poder predileto para degradar, destruir ou desencaminhar é pela instrumentalidade humana.

DEUS usa instrumentos humanos, ungidos pelo ESPÍRITO SANTO, para abençoar, inspirar, animar, e levantar os que carecem do Seu auxílio divino. As Sagradas Escrituras foram es­critas por HOMENS santos de DEUS, movidos pelo ESPÍRITO SANTO. A mensagem das "Boas Novas" tem de ser proclamada por lábios humanos. DEUS usa instrumentos humanos para ministrar à família humana; Satanás, igualmente, usa instru­mentos humanos para destruir a família humana.

Faz pena que os homens se entreguem ao diabo como meio pelo qual sua própria irmandade humana seja destruída.

Quantas vezes Satanás se utiliza de um homem, ou de uma mulher, para contaminar a mocidade inocente, de ambos os sexos. Então envia esses jovens às escolas e colégios para contaminar a mente de outros jovens inocentes.

Quantas vezes as nossas crianças queridas, de ambos os sexos, são contaminadas e roubadas de sua pureza, antes de chegarem à idade de freqüentar as escolas.

Os segredos santos da vida são arrastados pela sujeira e imundície de conversa e sugestões torpes, e essas crianças amadas ficam para sempre com as marcas da corrupção de Satanás.

 

QUEM é Satanás

Satanás é o ser que, hoje em dia, governa a terra, sentado como o príncipe das nações. Ele é o autor de nossas misérias e tristezas, de nossas doenças e dores, sim, da própria morte. É o rei e governante de todos os espíritos de demônios. Go­verna as hostes negras do inferno.

Seu propósito e desejo principais são de destruir a vida humana, e, assim, ferir o coração de DEUS Pai.

Podemos compreender quem é Satanás pelos seus nomes na Bíblia:

Em Mat. 13.19 e 38, chama-se "o maligno." No versículo 39, chama-se o "inimigo" e "o diabo". Diabo quer dizer "acusador," "difamador," ou "caluniador." Em Apocalipse 12.10, chama-se "o acusador de nossos irmãos." Em I Pedro 5.8, chama-se "o adversário" e compara-se a um leão bramidor, "buscando a quem possa tragar." Em Apocalipse 20.2 é descrito por nomes quase demasiado repelentes para contem­plar: "O dragão," "a antiga serpente, que é o diabo e Sata­nás." Em João 8.44, JESUS o chama "homicida," "menti­roso", e "o pai da mentira." Em Mat. 4.3, chama-se "o tentador." Em Mat. 12.24, "o príncipe dos demônios." Em Ef. 2.2, "o príncipe das potestades do ar." Em João 14.30, "o príncipe deste mundo." Em 11 Cor. 11.3, o que corrompe os sentidos.

Cada um destes nomes, e muitos outros, nos mostram a terrível natureza de Satanás e seu exército de espíritos de demônios. Satanás governa estes espíritos, enquanto traba­lham dia e noite nos seus planos iníquos de destruir e estragar as maravilhas e belezas da criação de DEUS.

 

O homem — a possessão prima dos demônios

Desde que o corpo humano tenha o maior meio de ex­pressão, tendo sido feito à semelhança de DEUS, os demônios procuram, como seu maior prêmio, entrar nos seres humanos. No corpo de um homem, ou de uma mulher, os demônios têm a maior esfera de manifestação e expressão. Mas quando não encontram a mais desejada habitação, então aceitam um corpo de menos expressão. Mas não descansam antes de achar um corpo pelo qual se possam exprimir.

É por esta razão que, quando JESUS ia expelir a legião de demônios do maníaco, os demônios Lhe rogaram: "Permite-nos que entremos naquela manada de porcos." E, expulsos, do homem, entraram na manada de porcos e todos se precipi­taram no mar e morreram afogados.

 

Tipos diferentes de espíritos de demônios

Desde que os espíritos de demônios sejam realmente personalidades, eles manifestam suas próprias personalidades nas pessoas que os possuam.

Há várias classes, ou tipos, de espíritos de demônios justa­mente como há tipos diferentes de pessoas. No relato da Bíblia descobrem-se muitos tipos diferentes de espíritos de demônios em operação. De alguns dos quais queremos tratar mais tarde.

 

A tragédia da ignorância

É uma tragédia que os crentes não foram ensinados quanto ao que a Bíblia informa claramente sobre a obra dos demônios. Quase tudo que o povo ouve acerca de demônios é que são "almas," "fantasmas," ou "assombrações;" algo para se temer secretamente, mas não para se falar. A maioria das pessoas têm sido influenciadas a temer demônios (como se diz: "se houver tais coisas"), tudo por causa da falta de saber a verdade acerca deles e de sua derrota legal.

Antes de eu saber a verdade quanto aos demônios e sua obra, quanto a Satanás e a sua derrota, temia falar ou pregar acerca deles. Mas agora, que compreendo a sua obra, não mais os temo, sabendo que, longe disso, eles me temem.

Algumas pessoas dizem, porque os ignoram, que não existem tais coisas como demônios hoje em dia; que o título é somente uma figura de retórica. Mas essas pessoas enga­nam-se. A Bíblia é tão clara e definida no ensino sobre demô­nios, como é sobre anjos. Ambos são realidades hoje em dia. Não nos convém ignorarmos nem uns e nem outros.

Quero-vos relatar alguns dos casos em que demônios nos desafiaram em nosso ministério, exatamente como fizeram nos tempos da Bíblia. Isso é prova que existem e trabalham hoje em dia.

 

CAPÍTULO XXVIII

As Manifestações dos Demônios

 

  1. Os demônios falam

Relata-se, repetidamente, na Bíblia como os demônios falavam. Falavam por meio das faculdades das pessoas de que se apossavam, mesmo como teu espírito fala (isto é, tu falas) por meio de tua língua e cordas vocais.

"Porque tinha curado a muitos de tal maneira que todos quantos tinham algum mal se arrojavam sobre Ele, para Lhe tocarem. E os espíritos imundos, vendo-O, prostavam-se diante d Ele, e clamavam, dizendo: Tu és o Filho de DEUS," Marcos 3.10,11.

"Ao pôr do sol, todos os que tinham enfermos de várias doenças Lhos traziam; e, pondo as mãos sobre cada um deles, os curava. E também de muitos saíam demônios, clamando e dizendo: Tu és o CRISTO, o Filho de DEUS," Lucas 4.40,41.

CRISTO "os ensinava como tendo autoridade, e não como os escribas, E estava na sinagoga deles um homem com um espírito imundo, o qual exclamou, dizendo: Ah! que temos contigo, JESUS nazareno? Vieste destruir-nos? Bem sei quem és: o SANTO de DEUS. E repreendeu-o JESUS, dizendo: Cala-te e sai dele," Marcos 1.22-25.

Estas Escrituras, e muitas outras, nos mostram como os espíritos de demônios, que se apoderavam de pessoas, fala­vam e conversavam com aqueles que tinham chegado para os expelir.

Em certa cidade, certo homem nos trouxe a esposa, para ser curada e para ser libertada do poder do demônio que a oprimia. Disseram-me que não podiam entrar no culto com a mulher e que, portanto, estava guardada em um quarto ao lado do prédio onde se realizavam os cultos.

Ao entrar neste quarto pequeno, vi lá uma mulher corpu­lenta e muito alta de estatura, sentada numa cadeira com o rosto para a parede. Pesava ao menos 110 quilos e tinha muita força.

Ao entrar no quarto, ela se virou de repente e fitou-me com olhar terrível e mal-humorado. Levantando-se da cadei­ra, disse-me: "Ora, conheço o senhor. Eles me disseram hoje de manhã que eu encontraria com o verdadeiro servo de DEUS Altíssimo." (A família admirou-se, porque não tinham falado uma palavra acerca de levá-la ao culto, nem acerca de um homem que ia orar por ela, porque ela chegara a detestar todas as reuniões religiosas.)

Os demônios temiam e, portanto, queriam parecer religio­sos. (Lede a história da mulher possessa dum espírito que seguia Paulo e Silas, clamando: "Estes homens são servos do DEUS Altíssimo," Atos 16.)

Quando os demônios falavam assim, o ESPÍRITO SANTO dentro de mim se moveu em ira ao ver a maneira mal-humo­rada dos demônios me reconhecerem. E eu disse: "Sim, vós demônios falastes a verdade. Encontram-se com um verda­deiro servo de DEUS Altíssimo e esconjuro-vos em o Nome de JESUS CRISTO que saiam desta mulher e se afastem dela para que ela fique novamente sã e normal. Saiam dela agora, eu vos ordeno."

Os demônios obedeceram, a mulher foi liberta e logo abraçou seu marido alegre, com lágrimas de gratidão a DEUS pelo que Ele lhe tinha feito.

 

  1. Os demônios são inteligentes

Em certa ocasião, quando JESUS se encontrou com dois homens endemoninhados, vindo dos túmulos, e quando os ia expelir, eles clamaram dizendo: "Que temos nós contigo, JESUS Filho de DEUS? Vieste aqui atormentar-nos antes do tempo?" Mat. 8.29. Que queriam dizer os demônios quando diziam: "Vieste aqui ATORMENTAR-nos antes do tempo?" Acerca de que TEMPO falaram?

Os demônios sabem que o lago de fogo (o inferno) foi preparado para o diabo e seus anjos, e que virá o dia quando

"o diabo será lançado no lago de fogo e enxofre, onde estão a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão ATORMEN­TADOS para todo sempre" (Apoc. 20.10) juntos com os tímidos e incrédulos, e os abomináveis, e os homicidas, e os fornicários, e os feiticeiros, e os idolatras, e todos os mentiro­sos (Apoc. 21.8) e juntos com os que não forem achados escritos no livro da vida, Apoc. 20.15.

Os demônios sabem que vem esse dia. Sabem que serão ATORMENTADOS de dia e de noite para todo o sempre. Sabem que não mais poderão atormentar a humanidade.

Portanto, sabendo tudo isso, tremiam na presença de JESUS e clamaram dizendo: "Vieste aqui ATORMENTAR-nos antes do tempo?"

Os demônios temem. Tremem diante dos servos ungidos de DEUS hoje em dia, porque sabem que nos foi dado poder sobre eles, no Nome de JESUS, e que têm de nos obedecer. Esta é a razão porque pessoas possessas de demônios, muitas vezes, se tornam violentas e drásticas quando são levadas aos cultos de nossas campanhas. Apesar de a pessoa não saber coisa alguma aonde estão sendo levada, os demônios são sabidos e sabem que estão sendo levados para a presença da Palavra de DEUS e para a presença de um servo de DEUS que tem poder e autoridade sobre eles.

Nisso vemos porque muitas pessoas inteiramente surdas têm sido curadas completamente enquanto estão em pé ou sentadas entre os ouvintes, enquanto pregamos a Palavra de DEUS. Apesar de a pessoa surda não ouvir o sermão, o espírito surdo sabe que sua derrota é certa e teme a presença da Palavra de DEUS e do servo ungido de DEUS, por isso sai do corpo e foge. A pessoa surda então pode ouvir. A mesma coisa acontece com qualquer outra espécie de doença.

Algumas pessoas estavam levando uma mulher endemoninhada para um de nossos cultos, quando ao entrarem no vestíbulo do prédio, aconteceu que a senhora Osborn estava na entrada entre a multidão. A endemoninhada começou a estranhar. Os demônios, por certo, sabiam que alguém que reconhecia a derrota de Satanás estava perto. Esta mulher olhou em todo redor, então fitando seu olhar na senhora Osborn, tornou-se furiosa e violenta e disse: "Sei quem é você. E não quero nada com você." Então praguejava com as palavras mais vis enquanto foi levada para dentro. Mais tarde, na mesma noite, a senhora Osborn e eu levamos esta senhora para um quarto, onde oramos por ela. E ela foi maravilhosa­mente libertada dos demônios.

Quero dizer que estas coisas não são escritas aqui para nos elogiar a nós mesmos, mas somente como casos que provam a existência e obra de demônios hoje em dia, mesmo como nos tempos da Bíblia.

 

  1. Os demônios resistem a entregarem-se

O capítulo 8 de Mateus, o capítulo 5 de Marcos e o capítulo 8 de Lucas descrevem a cena de JESUS expelir a legião de demônios dos dois maníacos.

Descobrem-se, no contexto destes capítulos, os seguintes fatos:

Primeiro: Os demônios de fato professavam adorar a CRISTO (Marcos 5:6), evidentemente querendo evitar que o Senhor os tratasse com demasiada dureza.

Segundo: JESUS ordenou que saíssem do homem, Lucas 8.29; Marcos 5.8.

Terceiro: Os demônios rogaram-Lhe que não os atormen­tassem (Marcos 5.7; Lucas 8.28), mas quando ficou firme no que ordenava, os demônios se tornaram mais receosos.

Quarto: CRISTO exigia deles: "Qual é o teu nome? "Marcos 5.9; Lucas 8.30.

Quinto: Os demônios responderam: "Meu nome é legião, porque somos muitos," Marcos 5.9.

Sexto: Quando JESUS insistia que fossem embora, os demônios horrorizados ao serem expelidos da sua habitação, do corpo do homem, "rogavam-Lhe muito que os não enviasse para fora daquela província," Marcos 5.10.

Então a legião de demônios que tinham possuído os maníacos, queriam um negócio mais vantajoso. Se ficassem obrigados a saírem da sua possessão humana, então seria melhor habitarem na manada de porcos, que pastava perto. "Todos aqueles demônios Lhe rogavam dizendo: Manda-nos para aqueles porcos, para que entremos neles," Marcos 5.12.

Sétimo: "JESUS logo lho permitiu. E, saindo aqueles espí­ritos imundos, entraram nos porcos; e a manada precipitou-se por um despenhadeiro no mar (eram quase dois mil), e afoga­ram-se no mar." Marcos 5.13.

' Assim, se vê como os demônios se esforçam para não entregarem o seu lugar de possessão; contudo têm de se ren­der à autoridade dos servos de DEUS. E a nós, CRISTO disse: "Dou-lhes poder e autoridade sobre todos os demônios." "Em Meu Nome expulsarão os demônios."

 

Um exemplo de loucura

Levaram uma senhora para a fila de oração, que era louca, estando possessa de demônios. Falei com ternura, dizendo: "Faça o favor de inclinar a cabeça." Ela, os olhos revelando ira, respondeu asperamente, dizendo: "Nós não inclinamos nossas cabeças."

Isso me surpreendeu, e reconheci que estava face à face com demônios que desafiavam a autoridade que CRISTO me havia concedido. Ordenei, dizendo: "Sim, ide inclinar a cabeça e calar-vos enquanto oro."

Os demônios falaram novamente, desafiando-me: "Nós não oraremos, nem inclinaremos as nossas cabeças."

Isso me assustou e o ESPÍRITO SANTO, que nos tem dado poder para tais ocasiões, sobreveio-me com toda a ousadia e eu disse: "Calai-vos, e obedecei, porque falo no Nome de JESUS CRISTO, segundo a Palavra de DEUS."

Os demônios então, temendo porque reconheciam que encaravam alguém com autoridade sobre eles, tentaram adquirir algo de mais vantagem para eles, dizendo: "Nós nos calamos hoje, mas amanhã falaremos."

Ordenei-lhes, então: "Em o Nome de JESUS SAIAM DELA AGORA." Os demônios obedeceram, mudou-se o semblante da senhora e ela ficou gloriosamente liberta. Os demônios resistem não querendo entregar-se, mas TÊM de obedecer.

 

  1. Os demônios pedem reforços

JESUS ensinou uma lição, significativa acerca dos demô­nios, no capítulo 12 de Mateus. Essas verdades têm sido grandemente desprezadas em nossos púlpitos hoje em dia, tanto como outras doutrinas bíblicas acerca dos demônios.

"Quando o espírito imundo tem saído do homem, anda por lugares áridos, buscando repouso, e não o encontra. Então diz: Voltarei para a minha casa donde saí. E, voltando, acha-a desocupada, varrida e adornada. Então vai, e leva con­sigo outros sete espíritos piores do que ele, e, entrando habi­tam ali; e são os últimos atos desse homem piores do que os primeiros," Mateus 12.43-45.

Neste versículo há prova clara que é possível os demônios chamarem outros demônios para reforçá-los e entrar de novo na pessoa de que haviam sido expulsos, quando a pessoa de quem haviam sido expulsos se descuida de consagrar sua vida a CRISTO.

No caso citado acima, o demônio foi expulso, mas a pessoa não cuidou de encher seu coração de boas coisas. Por­tanto, o demônio chamou outros espíritos piores que ele mesmo, e entraram e habitaram ali e o último estado desse homem era pior do que o primeiro.

JESUS realmente falava muito seriamente ao paralítico, depois de curado, quando disse: "Não peques mais, para que te não suceda alguma coisa pior," João 5.14.

  1. Os demônios apossam-se sozinhos ou juntos

Já vimos claramente que, onde um demônio se pode apossar de uma pessoa, ele pode chamar outros para ajudá-lo, e enquanto um pode fracassar, com força unida de mais de um, pode vencer, em casos de pessoas não dedicadas de todo o coração a CRISTO.

Mas que todo o crente esteja inteiramente convencido que, ainda que Satanás enviasse uma legião de demônios para nos assaltar, eles teriam de recuar em inteira derrota, porque nos foi dada autoridade sobre TODOS os demônios, e porque está escrito que "vindo o inimigo como uma torrente de águas, o ESPÍRITO do Senhor arvorará contra ele a sua ban­deira," Isa. 59.19. A Palavra de DEUS moldada em nossas vidas nos assegura este fato.

A filha de uma mulher siro-fenícia ficou possessa por "um demônio." 0 demônio saiu da menina quando se concre­tizava a fé.

Maria Madalena ficou possessa por sete demônios, mas todos saíram quando JESUS lhes ordenou.

O maníaco dos túmulos ficou possesso por uma "legião" de demônios, eles obedeceram à ordem do Senhor e saíram.

Fiquemos certos, que, seja um demônio, sete demônios, ou uma legião de espíritos, TODOS têm de obedecer à ordem do servo de DEUS, dada em o Nome de JESUS.

 

O caso de certo velho

Levaram certo velho à fila para oração. Seus parentes disseram que sofria de artrite e de mente enfraquecida. Jamais me esquecerei o que senti, quando esse homem se aproximou de mim. Reconheci imediatamente que era endemoninhado, mas como era esquisita a sua personalidade! Antes de eu saber o que dizia, coloquei minha mão sobre sua testa e ordenei: "Vós, espíritos excêntricos, saí deste homem e ide embora."

No início, os parentes mostraram-se surpreendidos que eu dissesse que o velho estava possesso de demônios. Mas logo que mandei os espíritos deixarem o homem, uma voz respon­deu: "Nós não sairemos. Não sairemos."

Fiquei indignado contra os demônios, que ousavam deso­bedecer-me, quando eu sabia que deviam fazer como eu lhes ordenara. Ordenei de novo: "Obedecei-me e saí agora, conjuro-vos, em Nome de JESUS."

Imediatamente a voz respondeu em terríveis tons: "Pois não; sairemos. Sim, sairemos" . .. então o velho sorriu, seus olhos tornaram-se normais, e levantou a mão e fitando-me, disse calmamente: "Ò louvado seja DEUS! Estou curado! Sei que estou curado." Ficou completamente transformado em um momento, não sofria mais de artrite, e a família chorou de gozo.

 

  1. Os demônios reconhecem e obedecem aos que têm autoridade sobre eles

Repetidamente, quando JESUS se encontrava com os endemoninhados, os demônios clamavam, dizendo: "Bem sabemos quem és. És o Filho de DEUS," ou palavras semelhantes; e ainda o fazem. A senhora disse a sra. Osborn: "Sei quem é você. E não quero nada com você," e a velha me disse: "Conheço o senhor. Eles me disseram hoje de manhã que eu me encontraria com o verdadeiro servo de DEUS Altíssimo." Há ainda casos de tais acontecimentos, de vez em quando. Era assim no ministério de Paulo.

"Alguns dos exorcistas judeus ambulantes tentavam invo­car o Nome do Senhor JESUS sobre os que tinham espíritos malignos, dizendo: Esconjuro-vos por JESUS a quem Paulo prega. E os que faziam isto eram sete filhos de Ceva, judeu, principal dos sacerdotes. Respondendo, porém, o espírito maligno, disse: Conheço a JESUS, e bem sei quem é Paulo; mas vós quem sois? E, saltando neles o homem que tinha o espí­rito maligno, e assenhorando-se de dois, pode mais do que eles; de tal maneira que, nus e feridos, fugiram daquela casa," Atos 19.13-16.

Isso prova que os demônios conhecem os que têm autori­dade sobre eles. Conheciam a JESUS e conheciam a Paulo, mas quanto a esses sete filhos de Ceva que os tentaram expelir, somente para ganhar fama, os demônios zombaram e se assenhorearam deles.

DEUS ungiu a JESUS de Nazaré com o ESPÍRITO SANTO e com virtude" (Atos 10.38), e foi o ESPÍRITO SANTO que disse: "Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado," Atos 13.2. As duas pessoas que os demônios con­fessavam eram ambas ungidas com o ESPÍRITO SANTO, o poder de DEUS. O diabo conhece tais pessoas e lhes obedece.

Mas o relato deste acontecimento deve, certamente, servir a todos a nunca brincarem com o diabo. A todo o crente verdadeiro foi dado poder e autoridade sobre TODOS os demônios, e eles nunca devem recear nem vacilar em desem­penhar essa autoridade. Porque JESUS disse claramente: "Estes sinais seguirão aos que crerem . .. Em Meu Nome expulsarão demônios."

Menciono o seguinte, para o gozo de todo o crente: Maria Madalena estava possessa de sete demônios, contudo, um homem, ungido de DEUS, expeliu todos os sete demônios. Ao contrário, nó caso dos filhos de Ceva, havia sete homens, mas nenhum deles era servo ungido por DEUS, e todos esses sete homens não podiam expelir um só demônio. Mas esse demô­nio sozinho assenhoreou-se de todos os sete homens, e assim fugiram nus e feridos. Como era grande o contraste! Prova, certamente, que. toda a força e sabedoria naturais dos homens é inútil no conflito contra o adversário da humanidade, o diabo; no entanto, todos os demônios no inferno não podem fazer coisa alguma contra um dos crentes verdadeiros, ungidos por DEUS. E prova claramente que os demônios conhecem e obedecem aos que têm poder sobre eles.

 

  1. Os demônios são a causa de doença

Este fato, que se descobre claramente nas Escrituras, ser­virá, aos que chegarem a compreendê-lo plenamente, para aumentar grandemente a sua fé em DEUS pela cura divina.

Certo pregador, que assistira a certo culto em que preguei sobre a relação dos demônios com a doença, disse: "Rev. Osborn, a mensagem hoje à noite contribuiu mais que outra coisa que tenho ouvido, para eu ter fé em DEUS para a cura de todas as doenças. Sabendo que a doença é a investida de Sata­nás contra nossos corpos, antes de uma benção de DEUS, vou resistir a obra de Satanás, repreendê-lo e desempenhar meu domínio sobre ele."

A vida deste pregador foi transformada desde então, mesmo como a minha vida e meu ministério foram transfor­mados na noite em que a minha querida esposa chegou à casa da campanha do Rev. Branham e me contou acerca de sua mensagem sobre a obra dos demônios na doença.

 

A origem da doença

O Rev. Branham explicou claramente: "Toda doença tem uma vida — um germe que a faz funcionar. Essa vida maligna do germe não veio de DEUS, porque mata e destrói a vida humana. É de Satanás. É esta vida maligna, ou "espírito de enfermidade," que dá vida à doença, ao germe em desenvolvi­mento, mesmo como nosso espírito dá vida ao nosso corpo. E mesmo como o nosso corpo, quando o espírito sai dele morre (Tiago 2.26) e volta para o pó, assim nossa doença, quando o "espírito de enfermidade" é expelido, morre e desaparece.

"Todos nós partimos de um germe miudinho. A vida desse germe veio de DEUS. Nosso corpo, vivendo pelo germe ou espírito de vida que DEUS fez existir, cresceu e se desenvol­veu até chegar a ser um corpo humano, completo.

"Enquanto essa vida, ou espírito, permanecer no corpo, o corpo continua a viver. Mas quando o espírito abandona o corpo, o corpo morre, apodrece e volta ao pó."

O Rev. Branham prosseguiu: "É desta maneira que tantas enfermidades começam de um germe diminuto, de uma vida maligna, de uma vida satânica, enviada para permanecer no corpo humano, possuí-lo e destruí-lo por meio de uma doença terrível. Enquanto a vida, o "espírito de enfermi­dade," existir no corpo, o germe desenvolvendo, a doença continua a viver e fazer sua obra destrutiva. Mas logo ao expelir do corpo o espírito maligno, a vida, o "espírito de enfermidade," em o Nome de JESUS, essa doença, ou germe desenvolvendo, morre. Apodrecerá e passará do corpo. Isso é o processo da cura. A vida da doença, do germe se desenvol­vendo, é repreendida e expulsa. Então os efeitos da doença (do germe desenvolvendo), desaparecerão logo. Quando somos curados milagrosamente a obra, naturalmente, está feita instantaneamente pelo poder de DEUS.

"Por exemplo: Um câncer é uma coisa viva. Sua vida é satânica. Os médicos concordam que, se descobrissem um meio para matar a vida do câncer, para expelir a vida do câncer, os efeitos do câncer desapareceriam do corpo. Mas há duas vidas guerreando uma à outra: a VIDA do câncer e a VIDA do nosso corpo. Até hoje, qualquer remédio usado para destruir a vida do câncer deve ser de tal força que des­truiria a vida do corpo em que o câncer vive.

"Qual é a solução? SOMENTE FÉ NO PODER E AUTO­RIDADE SOBRENATURAIS DE DEUS! Segundo as Escritu­ras, JESUS disse: "Em meu Nome expulsarão demônios. Em Nome de JESUS CRISTO, nós como crentes, temos o direito, e autoridade de expelir o "espírito (ou vida) de câncer." É satânico! Quando o espírito, a vida do câncer, que é de Satanás, sai, o câncer morre, e os efeitos desaparecerão."

Quando a minha esposa me contou tudo isso, falado pelo irmão Branham, e como presenciou a cura do povo, então tudo começou a esclarecer para mim. Muitas Escrituras come­çaram a tomar seus devidos lugares na minha mente e o minis­tério da libertação tornou-se uma realidade viva para mim, desde aquele momento.

Resolvemos: "Então a enfermidade é do diabo e temos autoridade sobre o diabo em Nome de JESUS. Então vamos chamar os enfermos. Repreenderemos o diabo que tem escra­vizado e possuído seus corpos com doenças. Expeliremos os malignos "espíritos de enfermidades;" as doenças morrerão, e os enfermos sararão."

Disse à minha corajosa esposa: "Õ aleluia! Vamos anun­ciar um grande culto de cura divina para o domingo à noite, na igreja." Isso fizemos. E chegaram trazendo enfermos de perto e de longe. Impusemos as mãos sobre eles como JESUS nos comissionou em Marcos 16. Repreendemos os espíritos de doenças e os expelimos em Nome de JESUS. Sabemos que a obra foi feita. Os enfermos sararam, como JESUS dissera: O povo começou a dizer em toda parte: "Oraram por mim e agora estou curado!" "Tinha um tumor e agora já desapare­ceu!" "0 câncer que eu tinha desapareceu dentro de algumas horas depois da oração!" "As úlceras do estômago sararam. Não existem mais!"

 

Curai enfermos e expulsai demônios

Agora é fácil compreender esta Escritura: "Trouxeram-Lhe (a JESUS) muitos endemoninhados (observe que esta foi a única classe de pessoas discriminada, que trouxeram ao Senhor), e Ele com a Sua palavra expulsou deles os espíritos, e curou todos os que estavam enfermos," Mat. 8.16. Dá a entender que as enfermidades que JESUS curou eram causadas por demônios. Expeliu os demônios destas pessoas e as curou. é isso que Pedro disse: "DEUS ungiu a JESUS de Nazaré com o ESPÍRITO SANTO ... o Qual andou . .. curando a todos os opri­midos do diabo," Atos 10.38.

 

A mulher encurvada

Relata-se em Lucas 13, que JESUS ensinava na sinagoga e havia ali uma mulher que andava curvada e não podia de modo algum se endireitar. A Bíblia diz que ela era possuída por "um espírito de enfermidade," Lucas 13.11. Qual espé­cie de enfermidade? Era uma bênção de DEUS? Não! JESUS disse que "Satanás" a tinha presa: Lucas 13.16.

Se os médicos fossem chamados para diagnosticar ò caso dessa mulher, não haveria um especialista no mundo, que dissesse: "um espírito de Satanás tem-na presa." Os médicos diriam que era artrite da espinha dorsal, ou vértebras fora de seu lugar, ou empregariam algum termo menos popular. Mas quando conseguirmos chegar à verdadeira origem da aflição, descobriremos que um espírito de enfermidade de Satanás a tem presa. Se expelirmos o espírito, e repreendermos a opres­são de Satanás, ela ficará curada. Assim fez JESUS. As aflições da espinha dorsal ainda são causadas por Satanás.

 

O homem cego e mudo

"Trouxeram-Lhe então um endemoninhado cego e mudo," Mat. 12.22. Depois de expelir os demônios, os cegos viam e os mudos falavam. Portanto, é evidente que um demô­nio cego causara a cegueira. Satanás é ainda o causador da cegueira.

"Trouxeram-Lhe um homem mudo e endemoninhado. E, expulso o demônio, falou o mudo," Mat. 9.32,33. Neste caso, a causa de o homem ser mudo, foi um demônio mudo. E hoje em dia a causa de uma pessoa ficar muda, é ainda satânica.

O menino surdo-mudo

"JESUS.. . repreendeu o espírito imundo, dizendo-LHE: ESPÍRITO mudo e surdo, Eu te ordeno: Sai dele e não entres mais nele," Marcos 9.25. Então e hoje em dia, aqueles que são surdos-mudos, são assim por causa da obra de um espírito surdo-mudo.

 

O homem imundo

"Estava na sinagoga deles um homem com um espírito imundo, O QUAL (a pessoa possuída de demônio) excla­mou. .. E repreendeu-o (ao demônio) JESUS dizendo: "Cala-te e sai dele," Marcos 1.23,25; Lucas 4.35.

Neste caso havia na sinagoga um homem turbulento, cuja condição era motivada por um espírito maligno e imundo. A causa ainda hoje de um caráter rebelde, imundo é o diabo.

 

A febre

A sogra de Pedro jazia enferma, com uma febre muito alta. "JESUS. . . inclinando-se para ela, repreendeu a febre, e esta a deixou," Lucas 4.39. Não se pode repreender algo que não entende palavras. Pode-se repreender somente o que é personalidade. JESUS reconhecia que Satanás operava nesse corpo, como a causa da febre. Ele repreendeu a febre, e esta deixou o corpo da enferma. A febre é também do diabo, e quando repreendida em Nome de JESUS, sai.

 

Termos da medicina e termos da Bíblia

Os médicos podem dizer que é artrite, mas a causa é realmente um espírito que prende. O termo da medicina pode ser cordas vocais não desenvolvidas e nervos do ouvido mor­tos, mas realmente a dificuldade é que há um espírito surdo e mudo que se deve expelir em Nome de JESUS. Os especialistas podem dizer que é glaucoma ou catarata, mas JESUS disse que era um espírito cego.

 

Um exemplo de Nova York

Certa senhora endemoninhada, foi levada a um de nossos cultos. Estava nas mãos de Satanás. Ele estava resolvido a tirar-lhe a vida. Sua garganta fechava de maneira que não podia engolir. Saíam vozes estranhas da sua boca dizendo coisas terríveis. Era mal humorada, vingativa e atormentada continuamente por vozes que lhe diziam que alguém a esprei­tava ou olhava.

Quando oramos por ela e os demônios foram expulsos, cambaleava como se estivesse embriagada então subitamente ficou normal. Seus olhos, que antes nos fitavam com ar feroz, mostraram uma atitude amigável e bondosa; seus lábios, que antes encerravam os dentes que rangiam, deram lugar a um sorriso de contentamento. Com lágrimas descendo-lhe pelas faces, ela disse calmamente: "Oh, sinto-me liberta! Sinto-me tão feliz! Estou curada! Estou boa de saúde! Oh, parece que tenho uma nova garganta! Sinto-me liberta da escravidão! Oh, glória a DEUS!" Ficou boa de saúde, e sua garganta curada, quando o diabo a deixou.

 

Uma senhora cega

Uma mulher inteiramente cega foi-nos levada para oração. Os médicos diziam que os nervos óticos estavam mortos. Durante quase 15 anos andava às apalpadelas totalmente cega, dirigida por um belo cão.

Repreendi o demônio cego que a escravizava. Saiu quando lhe ordenei em Nome de JESUS que saísse. E a mulher gritou de alegria, dizendo: "Oh, agora vejo! Estou curada!"

 

A jovem louca

Levaram uma jovem linda para a oração, que os médicos diziam que tinha enlouquecido de estudar e que se esforçava demasiadamente. Quando o demônio de loucura foi expulso, em Nome de JESUS, acreditamos que saiu, apesar de não acon­tecer coisa alguma para o manifestar. Mas dentro de poucos dias era normal e empregada em uma fábrica.

 

O milagre em Kingston, Jamaica

Em Kingston, Jamaica, três mulheres transportaram Vida McKenzie ao nosso culto em um carro de mão, velho. Sofre­rá, diziam os médicos de um derrame completo e fatal do cérebro. Jazera como morta quatro dias e quatro noites sem comer coisa alguma nem engolir uma gota d'água. Seus olhos ficavam virados para trás e todo o. corpo parecia morto, a não ser a pulsação do coração.

Repreendi o demônio que a paralisava e ordenei que saísse dela. Então clamei dizendo: "Vida, abra seus olhos e fique sã." Foi curada instantaneamente. Em poucos minutos levantou-se. Foi para casa, sã e forte.

Centenas de pessoas em Kingston, Jamaica, sabem da cura de Vida McKenzie. A causa da sua enfermidade era simples­mente um demônio, enviado por Satanás para matá-la e des­truí-la, mas DEUS libertou-a. Louvado seja Seu Nome!

Posso relatar centenas de tais casos que aconteceram em nosso ministério, mas creio que tenho relatado um número suficiente, quando considerados à luz das Escrituras, para provar que a enfermidade é ainda de Satanás, causada por

"espíritos de enfermidade,"  e quando estes espíritos são expulsos em Nome de JESUS, os enfermos são curados.

 

Para nossa meditação

Sem dúvida, a enfermidade é de Satanás. Não são somente as Escrituras que nos ensinam isso; raciocínio comum e lógico, também, o ensinam.

Se a enfermidade fosse de DEUS, então os médicos, seriam do diabo, porque se esforçam para evitar a enfermidade.

Se a enfermidade fosse de DEUS, então todos os hospitais seriam "casas rebeldes," e não "casas de misericórdia," porque combatendo a enfermidade, rebelam-se contra DEUS e contra a enfermidade.

Se a enfermidade fosse de DEUS, toda enfermeira estaria desafiando a DEUS, toda vez que alivia alguém do seu sofri­mento.

Mas desde que a enfermidade é de Satanás, então os médicos, os remédios, os hospitais, a ciência da medicina, devem ser, certamente, de DEUS.

" Desde que a enfermidade é de Satanás, toda a maneira de aliviar os que sofrem deve ser ordenada por DEUS.

Os pregadores que crêem que DEUS deseja que Seus filhos sofram, nunca devem chamar um médico, nem recomendar tratamento médico para os membros de suas igrejas, porque, assim fazendo, seria procurar evitar a vontade de DEUS nas suas vidas. Mas noto que os que pregam isso, estão prontos a recomendar o médico que acham melhor qualificado para aliviar o sofrimento por meio da medicina, queira ou não queira DEUS, que Seus filhos sofram.

Os pregadores que crêem que a enfermidade é uma bên­ção nunca devem aceitar tratamento médico para ficar bom de doença, mas antes orar pedindo que todos os membros da sua família e da sua igreja recebessem essa bênção. Mas noto que os que pregam e ensinam que a enfermidade é uma bên-Çao, estão sempre ansiosos que o médico opere e retire a bênção," queira ou não queira DEUS.

Aqueles que crêem e ensinam que a enfermidade é de DEUS devem estar contra todos os meios para aliviar o sofrimento. Não é lógico ensinar que a doença é dada por DEUS, então recomendar tratamento médico para se livrar de doença.

Desde que a enfermidade é satânica, então todos os meios para destruí-la devem ser de DEUS.

Se DEUS deseja que soframos por Sua glória, então convêm-nos sofrer antes de gozar boa saúde.

Se é a vontade de DEUS que fiquemos doentes, então não devemos fazer coisa alguma para opor à vontade divina de DEUS, e, com paciência, permanecer doentes.

Mas desde que a enfermidade é de Satanás, então todos os meios de adquirir alívio, devem ser uma bênção, se for "a oração da fé," ou se for "os dons de curar," para os que servem a DEUS fielmente e crêem, e se fiam nas Suas promes­sas divinas. Ou, quando para os que não servem a DEUS, e nem têm fé nas promessas de DEUS para curar, "a ciência da medi­cina" é indispensável.

 

 

 

CAPÍTULO XXIX

Sumário

 

Quando se iniciou a tributação

O homem e a mulher foram criados com boa saúde e fortes, sadios, felizes e em comunhão com DEUS. Mas Satanás, o arquiembusteiro, levou Adão e Eva a desobedecerem as ordens de DEUS, a duvidarem a Palavra de DEUS. Pecaram contra DEUS e entregaram-se à autoridade de Satanás para serem seus escravos para todo o sempre. Por causa disto foram expulsos do Jardim do Éden, para ficarem separados para todo o sempre da presença de DEUS, por causa da sua deliberada desobediência à Palavra de DEUS. Foi então que a doença, a dor e a enfermidade começaram sua obra funesta de destruir a saúde da própria criação de DEUS, e tem-no continuado a fazer desde então, até CRISTO, o Filho de DEUS, chegar e tomar sobre Si os pecados e enfermidades e os levar. Pagou a penalidade da desobediência do homem sendo cruci­ficado e açoitado; e suportou a sentença de morte em nosso lugar. Agora, que Ele já pagou nossa dívida e já sofreu nossa penalidade, em nosso lugar, DEUS nos declara libertados. Por seu sangue derramado, recebemos nós remissão de pecados, e pelas Suas feridas fomos nós sarados, Mat. 26.28; I Pedro 2.24.

 

Nossa libertação

Como se vê claramente nos capítulos anteriores deste livro, nossa salvação, nossa libertação e nossa redenção de todas as obras de Satanás foram consumadas por CRISTO no Calvário. Quando enunciou as palavras: "Está consumado," foi como se tivesse erguido a bandeira de Vencedor sobre a terra libertada, onde travara batalha e o inimigo vencido, foi obrigado a se render.

CRISTO, o "Príncipe da salvação" (Heb. 2.10), e o "Autor e Consumador da fé" (Heb. 12.2), veio a este mundo, derro­tou nosso inimigo (Satanás), despojou-o de sua autoridade, levou nossas dores e nossos fracassos, e ressuscitou do túmu­lo, triunfante sobre o diabo, declarando triunfalmente: "ESTÁ CONSUMADO." Nossa salvação, nossa cura, e nossa libertação estão consumadas. A bandeira da vitória foi des­fraldada, o pavilhão de amor e paz, manchado de sangue, foi arvorado e fica flutuando como símbolo do triunfo e vitória completos sobre todas as obras do diabo, que JESUS veio des­truir.

Agora somos libertos da mão do opressor, Satanás — em corpo, mente e alma, somos libertos. Nossa terra é libertada. "Fostes comprados por bom preço, glorificai pois a DEUS no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a DEUS," I Cor. 6.20.

CRISTO, o Príncipe de nossa salvação, guerreou em nosso lugar e nos libertou do poder e domínio do inimigo. Agora podemos dizer: "Estou salvo pelo Seu sangue, e curado pelas Suas feridas," pois a redenção é nossa para todo o sempre.

 

 

Oposição de guerrilheiros — Guerra ilegal

Mas, por que há tantas pessoas ainda enfermas e doentes, mesmo muitas que são crentes? Porque, apesar de nossa pro­priedade ficar libertada legalmente do inimigo, apesar de o regime de Satanás ficar destruído por CRISTO, apesar de Sata­nás ser privado de poder sobre nós, ainda resta uma hoste de demônios que continuam a resistir ao nosso avanço e à nossa vitória. Não têm direito legal para continuar a oprimir e afligir com doenças e enfermidades, aqueles que são salvos. Mas eles sabem que muitos milhares de pessoas não sabem que Satanás se entregou e foi derrotado, milhares de pessoas não sabem que as forças de Satanás não mais têm direito legal algum sobre nós, e assim eles continuam a oposição ilegal contra a raça humana e operam seus assaltos de doença e fracasso contra muitas pessoas por causa da ignorância do povo. Enquanto o povo não sabe da derrota legal de Satanás, ele pode agir sem impedimento. Mas nosso dever é ler e conhecer a Palavra de DEUS e descobrir o registro da derrota completa de Satanás. Então podemos resistir ao diabo, firmes na fé, ele fugirá de nós.

 

Reconhecendo nosso inimigo

Satanás é nosso adversário. Os demônios são nossos inimi­gos, que continuamente se ressentem de nossos diremos legais, e são invejosos de nossa herança. Sempre procuram impedir nosso progresso e nos defraudarem de todo centímetro qua­drado de nossa terra da promissão. Mas, corno Josué e os filhos de Israel, devemos entrar e possuir a nossa terra, sem medo.

Convém-nos reconhecer nosso inimigo, identificá-lo bem, saber de seus métodos de guerrear e nos preparar para expul sá-lo com fé e perícia. Isso podemos fazer somente lendo e conhecendo a Palavra de DEUS. "As armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em DEUS, para a destrui­ção das fortalezas," II Cor. 10.4. "Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas sim contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais," Ef. 6.12.

Tudo que é mau, destrutivo, maligno, detestável e escravizador é de Satanás. Tudo que é bom, bendito, amável, benigno, e puro é de DEUS. "Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes," Tiago 1.17. DEUS "nos deu tudo o que diz respeito à vida," II Pedro 1.3. "O Filho do homem não veio para destruir as almas dos homens, mas para salvá-las," Lucas 9.56. Tudo indica que Satanás é um mau diabo e que DEUS é um bom DEUS. As coisas boas vêm de DEUS, e as coisas más vêm de Satanás.

Satanás, nosso adversário, está sempre presente para disputar nossa fé, nossa sinceridade, nossos direitos da aliança. Satanás permanece sempre em rebelião flagrante con­tra DEUS e a Sua família. Mas JESUS CRISTO "se manifestou para desfazer as obras do diabo," I João 3.8. As obras do diabo são, e sempre foram, as de "matar e destruir" (João 10.10) as almas, mentes e corpos da criação de DEUS, inteiramente ou parcialmente, mas CRISTO veio para destruir todas estas obras más de Satanás, e vencê-lo, dando-nos autoridade sobre todos os demônios.

 

 

Como Satanás disso se ressente!

Como ele é zeloso! Ele se nos opõe. Ele nos detesta. Mas somos prevenidos a sempre estar de prontidão. Foi-nos dada uma armadura completa com que resistir a ele. JESUS, antes de regressar ao Pai, outorgou a todo o crente o direito de usar Seu Nome contra o diabo. A Espada do ESPÍRITO que é a Palavra de DEUS, está em nossa mão. Nossos pés estão calça­dos do Evangelho. O capacete da salvação está sobre nossa cabeça, e o escudo da fé é a nossa defesa com que apagamos todos os dardos inflamados do maligno. Vede Efésios 6.13-18.

Ouvi, o nosso Capitão diz: "Eis que vos dou poder para pisar. . . toda a força do inimigo," Lucas 10.19. "Deu-lhes virtude e poder sobre rodos os demônios," Lucas 9.1. Em Meu Nome expulsarão demônios," Marcos 16.17. "Porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão," Marcos 16.18. Nunca temos de temer, nem tremer, mas somente ter bom ânimo, ser fortes na fé, e com toda a armadura de DEUS, resistir a Satanás; em Nome de JESUS, expulsar demônios; e com a Espada do ESPÍRITO, que é a Palavra de DEUS, VENCER TODA A FORÇA QUE SE OPONHA . . . Amém!

 

CAPÍTULO XXXI

A Autoridade do Que Crê

 

"E convocando os seus doze discípulos, DEU-LHES VIR­TUDE E PODER (PODER E AUTORIDADE) sobre todos os demônios, e para CURAREM enfermidades; e enviou-os a pregar o reino de DEUS, e a CURAR os enfermos," Lucas 9.1,2.

"Nomeou doze para que estivessem com Ele e OS man­dasse a pregar; e para que TIVESSEM O PODER DE CURAR as enfermidades e EXPULSAR os demônios," Marcos 3.14, 15.

 

O ministério de autoridade

O que crê hoje quase tonteia se ousar considerar a REA­LIDADE das palavras de JESUS. Como era simples o que fala­va! E como eram poderosas Suas palavras! "Admiravam a Sua doutrina porque a Sua palavra era com autoridade," Lucas 4.32. Como é grande o desafio de aceitarmos Suas palavras exatamente como Ele as falou e começar a desempenhar o ministério como Ele deu mandamento!

 

Poder dado ao que crê?

Pedimos constantemente a todos que não olhem para NOS, prometendo-lhes somente desapontamento se espera­rem receber benefício de nós. Dizemos-lhes que NÔS não temos coisa alguma.

Mas Pedro falava diferente de nós. Nós dizemos: "Não olhem para nós, porque não temos coisa alguma." Mas Pedro disse: "OLHA PARA NOS, o que tenho isso te dou," Atos 3.4,6. Observe a diferença, é possível que isso seja a expli­cação da diferença nos resultados? Creio que sim. Pedro ex­plicou que era o poder de CRISTO ressurreto que operava o milagre (versículo 12 e 13), mas esse poder estava EM Pedro. E promete-se o mesmo poder a cada pessoa que crê, Atos 2.39.

 

"Olha para nós"

O povo hoje acha que Pedro fez bem em dizer: "Olha para nós," mas para NOS dizermos o mesmo seria blasfêmia. Declaro que temos o mesmo poder e autoridade que Pedro tinha. Todos os que crêem podem fazer as mesmas coisas que os que criam faziam então, concretizando as palavras da co­missão de JESUS, mesmo como eles as concretizavam. Se esti­véssemos cheios desse PODER, nós também, poderíamos dizer: "O que tenho isso te dou," e ver os enfermos e coxos restaurados.

 

Elias ressuscitou dos mortos?

Herodes ouvia falar das obras dos doze discípulos, e, con­victo de seus pecados, tendo decapitado João Batista, "estava em dúvida, porque diziam alguns que João ressuscitara dos mortos; e outros que Elias tinha aparecido, e outros que um profeta dos antigos havia ressuscitado," Lucas 9.7,8.

 

Não um profeta ressuscitado mas somente pescadores simples

"Não, Herodes, não era Moisés que fazia estas coisas! Não, nem tinha Elias reaparecido! Não, João, que degolaste, não ressuscitou da morte! Era somente o simples, velho Pedro, pescador, um dos discípulos do Senhor JESUS CRISTO."

O povo hoje é mesmo como Herodes então. Lembra-se de Wigglesworth ou outro homem que se deixava usar. E pensa: Se um desses ressuscitasse da morte, veríamos essas mara­vilhas. Ah irmão! DEUS usava Wigglesworth no tempo dele, mas HOJE É TEU TEMPO. Agora Ele quer fazer de TI um Wigglesworth, um Price, um Pearlman, um Dowie. Sim, DEUS quer fazer isso de ti mesmo. És "crente." "Estes sinais se­guirão aos que CREREM."

Quero que isso penetre no íntimo do teu coração. Esses milagres não eram efetuados à mão de um profeta ressuscita­do. Eram obras de pescadores comuns e simples, do tempo de Herodes, revestidos do mesmo poder que Elias tivera, mas não eram Elias.

 

Se Paulo vivesse hoje

A Igreja diz: "Se tão somente Elias estivesse aqui," ou: "Se Paulo vivesse hoje," ou: "Se tão somente tivéssemos Moisés ou outro profeta entre nós hoje. Eles tinham grande poder com DEUS, sim, DEUS operava por intermédio deles."

Ah, irmão! sobressaem teus desejos no desespero. Olha em redor e percebe TUA posição hoje. 0 que crê hoje tem o mesmo poder e autoridade como aquele que cria então — se o quiser desempenhar.

Josué podia fazer parar o sol. NÔS, TAMBÉM, O PODE­MOS. Davi podia lançar mão da barba dum leão, e o ferir como se fosse um cabrito. NOS, TAMBÉM, 0 PODEMOS. Se três filhos dos hebreus podiam escapar da fornalha aquecida sete vezes mais do que o costume, sem um cabelo sequer das suas cabeças ficar chamuscado, e se João podia sair do azeite fervendo sem sofrer mal algum, NOS, TAMBÉM, 0 PODE­MOS, sob circunstâncias semelhantes.

 

A fraqueza é fortaleza

Mas dizes: "Eu sou tão pequeno e tão fraco." É essa a qualidade de gente que DEUS quer usar. Moisés disse isso, Êxodo 3.11; 4.1,10. Isaías disse isso, Isaías6.5. Jeremias disse isso, Jer. 1.6.

Não vês que isso dá a DEUS a oportunidade de escolher as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias, e as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes"?  I Cor. 1.27.

ê em tais circunstâncias que podes confessar: "De mim mesmo nada posso fazer:" Pois JESUS disse: "Sem Mim nada podeis fazer," João 15.5. "Quando estás fraco então és forte," II Cor. 12.10. "Diga o fraco: Eu sou forte," Joel 3.10. "O Meu poder (de DEUS) se aperfeiçoa na fraqueza," II Cor. 12.9. "Da fraqueza" os antigos profetas "tiraram força." Heb. 11.34.

 

 

Quanto mais fraco te SENTES, tanto mais forte ÉS em DEUS

Esse fato, comprovado por tantas Escrituras, não con­corda com o testemunho de nossos cinco sentidos naturais. Mas "andamos por Fé, e não por VISTA" (II Cor. 5.7) e "A fé é o firme fundamento das coisas que se esperam" (Heb. 11.1), portanto a fé trata de coisas invisíveis e não sentidas. Assim convém declarar-nos FORTES nEle mesmo quando nos SENTIMOS fracos em nós mesmos.

 

O homem natural e a Palavra de DEUS

A Palavra de DEUS declara enfaticamente que quando nos sentimos mais fracos, somos realmente mais fortes.

A mente natural nunca compreende este fato, nem o homem natural o aceita, porque "a mente da carne é inimi­zade contra DEUS; visto que não é sujeita a lei de DEUS, nem o pode ser," Rom. 8.7. "0 homem natural não compreende as coisas do ESPÍRITO de DEUS, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritual­mente," I Cor. 2.14. "Ninguém sabe as coisas de DEUS, senão o ESPÍRITO de DEUS," I Cor. 2.11.

 

A fé não é sentir

Sentimo-nos, às vezes, incapacitados para fazer o que JESUS diz que podemos fazer, como curar os enfermos, expul­sar demônios, purificar os leprosos, e ressuscitar os mortos, porque NOS SENTIMOS TÃO FRACOS. Mas ninguém que­rendo agir segundo O QUE SENTE, ou o que julga segundo O QUE PARECE, jamais conhecerá a bênção do poder de DEUS aperfeiçoado na fraqueza humana (a fraqueza que SENTI­MOS).

Quando nós nos SENTIMOS fracos na carne, testificamos de nossa fraqueza e assim glorificamos nosso adversário que se deleita de abalar nossa "força e fazer fracassar o grande plano de DEUS para esta época de milagre pela fé.

Ao contrário, quando nós nos SENTIMOS fracos, se testi­ficássemos segundo o que DEUS tem dito e persistíssemos em declarar: "Quando estou fraco, então sou forte," este teste­munho da Palavra daria a vitória sobre o que sentimos de fraqueza e assim nos fortaleceríamos para fazer proezas; ainda mais glorificaríamos a DEUS, o único que pode trans­formar nossa fraqueza em força, tornando nosso fracasso em vitória.

 

O segredo que trará um outro avivamento

Se a Igreja fica convencida de que pode fazer o que DEUS diz que ela pode fazer, e de que ela é o que DEUS diz que é, um outro dia de vitória triunfante, como aquele na Igreja primitiva (e creio, mesmo maior), será o resultado inevitável.

Lembremo-nos da grande oração de JESUS por nós no ca­pítulo dezesseis de João: "Assim como Tu Me enviaste ao mundo, também Eu Os enviei ao mundo," versículo 18. Ora somos ordenados (João 15.16) a representar CRISTO NESTA vida. Temos de fazer as obras de JESUS, temos de manifestar Sua fé, temos de manifestar Seu amor, e temos mesmo de falar as PALAVRAS do Pai que Ele (CRISTO) nos deu para falar, João 17.7,14. Somos ordenados a REPRESENTAR CRISTO, em toda a fase neste mundo, justamente como Ele, nosso Irmão mais velho, representou o Pai ao mundo.

Descobre-se em JESUS justamente o que é o sonho do Pai quando a um Filho. JESUS era o "Filho modelar," mas agora, Paulo diz: "Porque SOIS FILHOS, DEUS enviou AOS NOSSOS CORAÇÕES o ESPÍRITO de Seu Filho (JESUS) ... Assim não és mais servo, mas FILHO," Gal. 4.6,7.

Mas se declarássemos isso, certamente seríamos acusados, como acusavam a JESUS, de nos fazermos iguais a DEUS. Certo irmão, ao ver seu privilégio no Evangelho, e que tinha a cora­gem de o declarar, foi acusado: "O senhor faz-se igual a CRISTO." A isso ele respondeu sabiamente: "Não, não me faço igual a CRISTO. Ele faz-me igual a Si mesmo — e deixo-O fazê-lo."*

 

A autoridade do Nome de JESUS

"Pelo que também DEUS 0 exaltou soberanamente, e Lhe deu um nome que é sobre todo o nome; para que ao nome de JESUS se dobre todo joelho dos que estão nos céus (os anjos), e na terra (os homens), e debaixo da terra (os demônios)", Fil. 2.9,10. Todos os seres em todos os três mundos têm de se ajoelhar diante do NOME todo-vitorioso e todo-poderoso; e JESUS disse que no Seu Nome poderíamos fazer as obras que Ele fazia; "Aquele que crê em mim também fará as obras que Eu faço, e as fará maiores do que estas; porque Eu vou para Meu Pai," João Í4.12. Como é grande o poder disponível quando cremos nisso e agimos com essa autoridade!

Paulo diz: "Somos embaixadores de CRISTO," II Cor. 5.20. Um- embaixador não duvida da fidelidade do país, que ele representa, em dar apoio à sua palavra. Ele sabe que o fará. O próprio título de seu ofício dá a entender isso. Espera-se que O representemos, "da parte de CRISTO" jll Cor. 5.20), e DEUS, o Pai, nunca falha em cumprir as palavras de JESUS CRISTO.

 

Filhos — não servos

Se tenho de desempenhar o papel de CRISTO, então espero que o Pai me tratará como Seu Filho primogênito. Segundo Gaiatas, capítulo quatro, Ele me tomou por filho, e me cons­tituiu filho — fez-me mesmo co-herdeiro com JESUS.

 

__________________

* Certamente, quando falamos sobre esta posição como seu poder e autori­dade, não queremos nunca esquecer que mesmo JESUS disse: "Eu não posso de Mim mesmo fazer coisa alguma" (João 5.19,30), e outra vez: "Sem Mim nada Podeis fazer." João 15.5. O Pai é maior que Seu Filho "primogênito" (Rom. 8.29; 1 Cor. 5.22-28), e o Filho "primogênito" (Rom. 8.29; Heb. 1.6) é maior que Seus "irmãos," Heb. 2.7-11. Assim Paulo diz: "DEUS é a cabeça de CRISTO," I Cor. 11.3. Mas isso não é contra o fato de que, mesmo como JESUS, nosso irmão mais velho, *a, na terra, o Representante visível do Pai, que estava no céu, assim Ele espera Que sejamos, na terra, os representantes visíveis, de nosso Irmão mais velho, que voltou para os céus, João 3.13.

 

Co-herdeiros

Se duas pessoas fossem co-herdeiras de cem mil cruzeiros, não receberiam, cada uma cinqüenta mil cruzeiros, mas as duas juntas seriam herdeiras de cem mil cruzeiros — dos mesmos cem mil cruzeiros. Isso é co-herança.

Paulo diz: "Assim que já não és mais servo, mas Filho; e, se és FILHO, és também HERDEIRO DE DEUS por CRISTO," Gál. 4.7. Em Romanos ele esclarece isto ainda mais e de maneira mais penetrante: "E, se nós somos filhos, somos logo HERDEIROS também, herdeiros de DEUS e CO-HERDEIROS COM CRISTO," Rom. 8.17. Não é de admirar que JESUS queria fazer clara esta verdade aos discípulos, cujos "ouvidos se fizeram tardios," quando disse: "Aquele que crê em Mim também fará as obras que Eu faço, e as fará maiores do que estas, porque Eu vou para Meu Pai," João 14.12.

Tomamo-nos co-herdeiros do mesmo poder que JESUS possuía. Recebemos a adoção de Filhos. Somos herdeiros de DEUS, como JESUS era herdeiro de DEUS. É por intermédio dEle que temos este privilégio maravilhoso. £ pela Fé que reclamamos esta herança maravilhosa. Mas é NOSSA PARA RECLAMARMOS, ê nossa por direito legal. Cada um de nós deve tomar para si seu lugar, como um FILHO de DEUS, como um HERDEIRO de DEUS, e com isso PODER IGUAL COM CRISTO, segundo João 14.12. Devemos avançar para nosso lugar, agindo representativamente no lugar de JESUS, trazendo ao mundo as bênçãos prometidas pelo Pai celestial e eterno.

 

Enfatizando o fracasso

Fala-se e prega-se MUITO sobre o de que a Igreja CA­RECE, e o que a Igreja DEVE TER; sobre o que a Igreja POS­SUÍA OUTRORA e o que ela NÃO PODE FAZER; sobre seus FRACASSOS, DERROTAS e FALTAS, mas tem-se muito pouco dito acerca do QUE o crente PODE FAZER; do poder que ele REALMENTE TEM, e dos segredos da fé que VENCERA.

Há muita ênfase dada ao ministério do pregador que pode expor todos os fracassos, fraquezas, incapacidade, e faltas dos crentes, ainda que ele não mostre às pobres vítimas um remédio para tal situação, ê inútil diagnosticar o caso, se não prescrever o remédio.

Falando do ponto de vista do "senso comum," parece-me que devemos dar maior importância à mensagem que anima o crente a tentar fazer o impossível, antes de o levar a sentir fracasso.

Reconheço mesmo o fato que Pedro começou a ir para o fundo quando retirou os olhos do Senhor. Mas antes de sa­lientar seu fracasso, porque não quero que isso fique contra ele, quero antes o louvar pela proeza de andar por sobre as águas, não obstante tenha sido por tão pouca distância, e tentar convencê-lo de que podia repeti-lo. Talvez na segunda vez ele pudesse emendar seu fracasso.

 

O poder da coragem bíblica

Tenho lido muito sobre a cura divina, milagres, e ministé­rios sobrenaturais pelo poder de DEUS, mas quantas vezes acabei a leitura com a impressão que, enquanto era possível, somente alguns especialmente escolhidos seriam usados por DEUS para desempenhar estas coisas. Mas quando um certo livrinho caiu nas minhas mãos, recomendado por um amigo, notei que o autor do livro se esforçava continuamente para convencer o leitor que PODIA fazer qualquer coisa, e toda coisa que DEUS lhe disse que podia fazer. Essa mensagem tinha o espírito de um vencedor. Fez-me sentir que EU ERA UM VENCEDOR. Aceitei o desafio do autor CONCRETI­ZANDO A PALAVRA DE DEUS, como o autor persistia em sugerir. E com este estímulo que EU PODIA FAZER PROE­ZAS, e que EU PODIA VENCER, ,tudo que é espiritual adquiriu um novo aspecto. O ministério do pregador tornou-se uma coisa diferente sob este ponto-de-vista.

 

Tu podes ser vencedor

Crente, tu podes fazer tudo que DEUS, ou Seu Filho, diz que podes. Se disse: "Porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão," então isso mesmo acontecerá quando impuseres tuas mãos sobre os enfermos, fiando-te em DEUS cumprir Sua Palavra.

Se JESUS disse: "Em Meu Nome expulsarão demônios," e se NOS deu poder e autoridade sobre TODOS os demônios, como o texto diz que Ele fez, então deve significar que quando mandamos um demônio sair de um endemoninhado, o demônio TEM DE NOS OBEDECER, se crermos econtar­mos com DEUS em cumprir Sua Palavra.

Se JESUS queria dizer uma coisa, queria dizer o que disse. Se a Palavra de DEUS significa uma coisa, significa o que diz: DEUS FARÁ o que Ele diz que fará, e nós podemos fazer o que DEUS diz que PODEMOS FAZER.

 

Dize: "Eu posso" — não digas: "Eu não posso"

Cheguei a notar que não cresço espiritualmente "gabando-me" de que "não posso fazer." Depois de prestar atenção em fazer o meu testemunho afirmar o que "POSSO FAZER," segundo o que DEUS tem dito na Sua Palavra eterna, acho-me crescendo espiritualmente.

Paulo clama: "POSSO TODAS AS COISAS nAquele (em CRISTO) que me fortalece," Fil. 4.13. Paulo nunca falou do que NÃO PODIA FAZER mas falava do que PODIA. Acostu­ma-te a crer que PODES FAZER tudo que DEUS diz que podes. Crê que és tudo que DEUS diz que és.

"Somos mais que vencedores, por Aquele que nos amou." Rom. 8.37. Somos VENCEDORES. Somos TRIUNFADO-RES.

Somos sempre crentes TRIUNFANTES quando cremos na Palavra de DEUS, II Cor. 2.14.

Se DEUS era com MOISÉS, será CONOSCO. Quando pro­meteu ser com Josué, mesmo como fora com Moisés (Josué 1.5), Ele queria dizer que seria CONOSCO mesmo como fora com Moisés.

 

Somente pessoas simples — como tu e eu

Moisés, Daniel, Davi, Elias, Pedro e Paulo eram do mesmo material que nós — isso mesmo. Eram pessoas simples, mesmo como tu e eu. "Elias era homem sujeito às mesmas paixões que nós," Tiago 5.17.

Moody, Finney Price, Wigglesworth, Dowie, e muitos ou­tros, eram gente comum mesmo como nós. A única diferença é que se rendiam por inteiro a DEUS, criam nas Suas palavras, e AS CONCRETIZAVAM. Isso tu descuidaste, talvez, de fa­zer — e nisto se encontra a diferença entre tu e eles.

 

Vazio de ti mesmo — cheio de DEUS

Ao rev. Shea,,de Rochester, Nova York, o ESPÍRITO SANTO disse: "Sim, podes ter mais de DEUS, quando DEUS puder ter mais de ti." Isso é o próprio "tema" do princípio de DEUS na consagração de nossas vidas a Ele. DEUS tem usado sempre os homens que se submeteram em TUDO a Ele — sim, e Ele TE usará até a altura de tua consagração a ele.

 

Hoje é nosso

DEUS quer despertar-nos para o fato de que TEMOS DE ENCARAR 0 MUNDO e o servir segundo a sua necessidade HOJE, como Pedro o fez no seu tempo. Hoje é NOSSO dia de servir.

Arregaça, ó crente, tuas mangas, sai tu mesmo e liberta os cativos. Abre TU os olhos aos cegos, desentope TU os ouvi­dos aos surdos, parte TU mesmo as algemas da doença. 0 mundo conta com TEU socorro. TU tens esse poder no TEU vaso. É-TE dado. Desempenha-o hoje. Inicia hoje, pondo-o em atividade representativamente em Nome de JESUS — em lugar dEle.

 

Outros saíram — nós permanecemos

Na primavera de 1947, enquanto pastoreávamos a Igreja do Pleno Evangelho em McMinnville, Oregon, ouvi falar da morte do dr. Charles Price. Nunca o encontrara nem o vira, contudo ao saber que falecera, chorei amargamente. DEUS começou a falar dirigindo-se a mim. 0 ESPÍRITO trouxe à minha mente Wigglesworth, McPherson, Pearlman, Smith, Kenyon, Price e outros, nenhum dos quais ouvira pregar e nem conhecia pessoalmente — e eis que HAVIAM SAÍDO — saído para nunca mais voltar para servir a este mundo. Nunca os irá encontrar aqui. O mundo nunca mais sentiria a influên­cia maravilhosa de seu ministério,  íamos somente falar acerca deles e ouvir contar de suas proezas de fé. Oh, como fiquei quebrantado!

Disse: "Senhor, ELES JÀ FORAM. Há ainda milhões de pessoas morrendo. Há multidões de pessoas enfermas e so­frendo. QUEM irá socorrê-las? QUJEM despertará nossas cida­des grandes e encherá nossos grandes auditórios com o poder magnético de DEUS, curando os doentes, e expulsando demô­nios? Que vai fazer este mundo agora?

 

A minha comissão

DEUS respondeu às minhas perguntas assim: "Meu filho,. como EU era com Moisés, assim serei contigo. Vai TU e expulsa os demônios. Cura TU, os enfermos. Purifica TU os leprosos. Ressuscita TU os mortos. Eis que TE dou poder sobre TODO o poder do inimigo. Não te atemorizes. Esforça-te. Tem bom ânimo. SOU CONTIGO COMO ERA COM ELES. Ninguém TE pode resistir todos os dias da TUA vida. (Sabia que por "ninguém" Ele queria dizer nenhuma força má). Usava esses homens então, mas AGORA, TE QUERO USAR."

 

Milagre e curas

Aceitei o que DEUS disse, apesar de tremer muitíssimo. Nunca entrara na minha mente que DEUS se quisesse utilizar de um vaso desprezível como eu. Desde então, aconteceram milhares de milagres e curas através de muitos países e ilhas do mar, enquanto ocupávamos nosso posto, fazendo mesmo o que JESUS nos orientava fazer.

Descobri que JESUS realmente queria dizer o que dizia. Ao presenciar os cegos verem, os surdos ouvirem, os mudos fala­rem e os coxos andarem, nossos corações palpitam ao saber que Ele realmente está CONOSCO, todos os dias, até a consu­mação dos séculos,- Mat. 28.20.

Sim, amigos, DEUS VOS quer usar. Se VOS obedecerdes a Sua Palavra, PONDO-A EM ATIVIDADE, tudo VOS será pos­sível. Notai Lucas 1.37: "Porque PARA DEUS nada é im­possível." E com isso notai Mat. 17.20: "Nada VOS será impossível."

Quando DEUS chamou Moisés. Ele carecia de um homem obediente que pudesse usar. Quando chamou Josué, precisava dum homem. Quando chamou Davi, precisava dum homem. (O mundo julgava Davi apenas um menino, mas DEUS o consi­derava um HOMEM). Quando DEUS chamou Samuel (somente um menino), carecia dum homem. Quando chamou João Batista, precisava dum HOMEM. Quando Pedro foi ungido no pentecoste, DEUS precisava dum HOMEM. Os homens sempre se utilizam de métodos, mas DEUS se utiliza de HOMENS.

 

DEUS vai usar-te

DEUS carece de HOMENS para hoje. Quer escolhê-los en­tre gente tão simples como TU e EU. POR QUE NÃO TE OFERECES A TI MESMO PARA SER O HOMEM, DE QUE DEUS QUER SE UTILIZAR HOJE? "Quem sabe se para tal tempo como ESTE (hoje em dia) TU chegastes a este reino? " Ester 4.14.

Se isso te comove, fará vibrar o meu coração, ao sabê-lo. Esta mesma mensagem não seria grande bênção para muitas outras pessoas, se a lessem?

Pede um estoque destes livros e ajuda-nos a ajudarmos outros. "Não te furtes a fazer o bem a quem dele precise, estando na tua mão o poder de fazê-lo," Prov. 3.27.

CAPÍTULO XIX

O Poder da Palavra de DEUS

 

Muitas vezes os teólogos têm sido nossos inimigos. Tor­naram a verdade em filosofia; tornaram a Palavra em dogma e credo, quando devia ser como se o Mestre nos falasse.

A Palavra nos fala como falaria JESUS se estivesse aqui. Ela ocupa seu lugar. Tem a mesma autoridade, como se Ele estivesse aqui.

Ao tomar a Bíblia na mão convém-nos lembrar que é o Livro que tem DEUS, que tem vida — o Livro em que DEUS habita.

A Palavra é sempre AGORA. Foi, é e será a voz de DEUS. Nunca é velha. É sempre fresca e nova. Ao coração em comu­nhão com DEUS, a Palavra é tempo presente; é voz viva dos céus.

A Palavra é como Seu Autor — eterna, invariável e viva. A Palavra são os sopros de DEUS, a mente de DEUS, a vontade de DEUS.

A Palavra é DEUS falando. É parte do próprio DEUS. Per­manece eternamente. DEUS e Sua Palavra são um só

JESUS era a Palavra, e Ele vive em mim. Leio a Palavra. Alimento-me da Palavra. E a Palavra vive em mim. Quando quero mais de CRISTO, alimento-me da Sua Palavra. Se quero mais conhecimento dEle, aprendo mais da Sua Palavra. Seguro Sua Palavra na mão. Tenho-a no coração. Tenho-a nos lábios. Vivo à luz dela. Ela habita em mim. A Palavra é minha cura e minha força. É-me o Pão da Vida. É a própria habili­dade de DEUS em mim. A Palavra é viva com a vida de CRISTO. Tudo que Ele é, Sua Palavra é.

A Palavra é minha confissão. É minha luz e minha salva­ção. É meu descanso e meu travesseiro. A Palavra dá-me tran­qüilidade dentro da confusão e torna-me a derrota em vitória. Dá-me gozo onde reina a desolação.

 

Não trate a Palavra como se trata um livro qualquer

0 pior hábito é tratar a Palavra como se fosse livro comum. Declaram que ela é a revelação de DEUS, e ao mesmo tempo recorrem ao braço da carne para socorrê-lo quando a Palavra promete livramento perfeito.

Tratam o fato da redenção como se fosse novela bonita. Lêem artigos acerca da Palavra. Cantam hinos louvando-a, contudo vivem .sob o domínio do adversário, confessando continuamente enfermidade, temor, fraqueza e dúvida à face desta revelação de DEUS, de nossa redenção, do sacrifício substitutivo de CRISTO, e do fato de que Ele está assentado à destra de DEUS, tendo consumado a obra que satisfaz perfeita­mente as exigências da justiça e supre todas as necessidades dos homens.

Lemos acerca da redenção, cantamos acerca dela, então falamos acerca dela como se fosse apenas uma fábula.

É por esta razão que há tanta enfermidade, fraqueza, medo, e doença na Igreja (o corpo de CRISTO) hoje. É por isso que os crentes não se mostram corajosos, mas temem as ameaças de Satanás.

Tudo isso se transformaria imediatamente se os crentes concedessem à Palavra o mesmo lugar que concederiam a CRISTO se estivesse aqui na carne entre nós.

 

Ele está me falando

Certo mineiro jazia moribundo nas serras da Califórnia. Uma crente leu João 3.16 para ele. 0 homem abriu os olhos, fitou-a e perguntou: "Isso está na Bíblia?"

"Sim, está," respondeu a senhora.

"Isso se refere a mim?"

"Certamente, inclui o senhor."

Ficou quieto alguns momentos, então perguntou: "Ele não disse mais nada?"

E ela deu João 1.12: "A todos quantos O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de DEUS." Então acres­centou ternamente: "Ele está falando a você."

O homem abriu os olhos e balbuciou: "Aceito-O. Estou satisfeito." Então passou para a eternidade.

Certo crente disse: Se eu pudesse saber se Ele me incluiu, quando nos deu Isaías 41.10: "Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu DEUS; eu te esforço, te ajudo, e te sustento com a destra da minha justi­ça."

Jeremias 33.3: "Clama a Mim, e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes, que não sabes:" Ele se dirige a Mim? Posso reclamar isso?

Isaías 45.11: "Perguntai-me as coisas futuras; deman­dai-me acerca de meus filhos, e acerca da obra das minhas mãos." Posso aceitar esta promessa como minha? é para mim?

João 15.7: "Se vós estiverdes em Mim, e as Minhas Pala­vras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito." Isto me foi escrito? Quer dizer que posso clamar a Ele que Ele me responderá?

Sim, TODOS ESTES SÃO TEUS. É como se tu fosses a única pessoa no mundo inteiro e se se escrevesse tudo isso para o teu benefício.

"Até agora nada pediste em meu nome; pedi, e recebereis, para que o vosso gozo se cumpra," João 16.24.

Esta promessa é tua. Não há dúvida que te pertence. É tanto tua como o cheque preenchido com teu nome e assi­nado por um comerciante. A promessa é teu cheque. Podes sacar a importância do banco. Mas esse cheque não é mais teu do que essas promessas registradas neste maravilhoso Livro.

Quando necessitado, podes confessar ousadamente: "O meu DEUS, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória por CRISTO JESUS," Filipenses 4.19.

Quando enfermo, podes confessar ousadamente: "Por Suas feridas fomos sarados," I Pedro 2.24.

Fé na Palavra de DEUS é fé em DEUS. Se queres aumentar tua fé em DEUS, alimenta-te da Sua Palavra. Descrer da Sua Palavra é descrer do próprio DEUS. Quando CRERES NA PALAVRA DE DEUS, então CONFESSARÀS ALEGRE­MENTE SUAS PALAVRAS.

Nossa atitude para com a Palavra de DEUS resolve tudo.

Enfrenta Satanás dizendo: "Está escrito," e toda enfermi­dade, toda doença, e todos os sintomas TERÃO DE DESA­PARECER. DIZE O QUE DEUS DIZ. Isso Satanás não supor­tará. Ele é inimigo derrotado, e isto ele sabe. Isto ele sabe desde o tempo de JESUS ressuscitar como vencedor sobre a morte e o inferno. Ele sempre se esforçou para evitar que a Igreja descobrisse isso. Sempre tem obedecido a todas as ordens dos homens que se utilizam da Palavra de DEUS contra ele, e ainda continua a fazê-lo. Quando ele chega a saber que descobrimos o segredo de nos utilizar do "Está escrito," sua entrega é certa, e isso ele sabe.

 

Confessa o que DEUS diz

"Enviou a Sua Palavra, e os sarou" (Salmo 107.20), é para o teu próprio caso. A Palavra TE há de curar. Confessa esta Escritura dizendo: "DEUS envia Sua Palavra e ME cura."

Em seguida, louva-O por tua cura. O que DEUS fará para uma pessoa, Ele fará por todos os que crêem na Sua Palavra.

Ao confessares a Palavra de DEUS, tua CONFISSÃO manter-te-á a cura. Ao confessares tua enfermidade, tua CONFIS­SÃO te manterá enfermo. SEMPRE CONFESSA A PALA­VRA DE DEUS. Mesmo quando há "evidência" contra, con­fessa a Palavra. Confessar a Palavra de DEUS sempre dará a vitória. SUA PALAVRA CURA HOJE.

Guarda firme tua confissão mesmo quando o testemunho dos teus cinco sentidos te contradiga, mostra que estás esta­belecido na Palavra. A Palavra é sempre VENCEDORA.

Ao declarares: "Pelas Suas feridas estou curado," isso amarra as mãos de Satanás. Ele está derrotado e o sabe. A PALAVRA DE DEUS é a arma mais eficaz na terra para usar contra Satanás. Durante a grande tentação no deserto, JESUS não se utilizou de arma alguma senão "Está escrito." Isto foi a arma que JESUS empregou cada vez que Satanás O experi­mentou derrubar. "Está escrito," dizia JESUS; em seguida, citou a Escritura, repetindo o que DEUS dissera. Qual foi o resultado? "Então o diabo o deixou; e, eis que chegaram os anjos, e o serviam," Mateus 4.11. Isso foi a VITÓRIA final. Satanás foi completamente derrotado. A única arma que JESUS usou foi a Palavra. Ela sempre vence.

 

 

 

CAPITULO XX

Confissão Traz Possessão

 

Nota o que diz Romanos 10.9: "Se com a tua boca con­fessares ao Senhor JESUS, e em teu coração creres que DEUS o ressuscitou dos mortos, SERÁS SALVO."

Esta palavra "SALVO" é traduzida da palavra grega "SOZO" que quer dizer "curado espiritualmente e curado fisicamente." Curado no corpo e curado na alma, ou SALVO do pecado e SALVO da enfermidade. A mesma palavra é traduzida "curar", guardar, salvar e ficar são."

 

Confessar, então possuir

Nota mais o que Paulo diz: "Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão PARA a salvação," Romanos 10.10.

Nota! "FAZ-SE CONFISSÃO PARA A SALVAÇÃO." A salvação não vem senão DEPOIS DE SE FAZER A CON­FISSÃO. Isto é: devemos crer e confessar ANTES de experi­mentarmos o resultado. ISSO é Fé, e "Pela graça sois salvos, por meio da Fé," Efésios 2.8. Sempre recorda: A CONFIS­SÃO VEM PRIMEIRO, e então JESUS que é o "SUMO SA­CERDOTE DA NOSSA CONFISSÃO," responde, concedendo-nos as coisas que confessamos.

Não há salvação sem confissão, é sempre "CONFISSÃO PARA A SALVAÇÃO," nunca possessão antes da confissão. Nossa CONFISSÃO leva o "Sumo Sacerdote DA nossa con­fissão" a nos conceder o que cremos com o coração que temos, e isto nos leva à possessão. Isso é Fé. DEUS é um DEUS de fé. Isto quer dizer, Ele é um DEUS que exige fé. Recebemos de DEUS apenas o que CREMOS que recebemos. "Tudo quanto em oração pedirdes, crede que recebestes, e SERÁ ASSIM COIMVOSCO," Marcos 11.24.

 

O que é confissão

A CONFISSÃO é o testemunho da fé em nossa boca.

A CONFISSÃO é simplesmente concordar com DEUS, di­zendo as Palavras de DEUS; usando as expressões de DEUS; declarando o que DEUS declara; reconhecendo a Palavra de DEUS.

A CONFISSÃO é o único meio de a fé se expressar a si mesma como nossa testemunha.

Paulo declarou que pregou "a Palavra da fé," então nos disse que a "Palavra da fé", DEVE estar "no nosso coração" e "em nossa BOCA." A única maneira de ter a Palavra da fé em nossa boca é falar a Palavra de DEUS. Isto é CONFISSÃO -fazendo que nossos lábios concordem com DEUS; enunciando a Palavra de DEUS com a nossa boca. Lê Romanos 10.8.

Apocalipse 12.11 nos diz que aqueles que venceram o diabo, o fizeram "pelo sangue do Cordeiro e pela PALAVRA DO SEU TESTEMUNHO," isto é, pelas Escrituras que ci­tavam ao dar seu testemunho.

 

"O Sumo Sacerdote de nossa confissão"

Fomos solicitados a orar por um homem muito enfermo e fraco. Ele NÃO "sentiu" resultado algum imediatamente. Pe­dimos que repetisse o que DEUS disse: "Pelas Suas feridas estou sarando," e que louvasse o Senhor pela cura segundo a Sua Palavra. Ficou muito descontente com este pedido, que considerou apenas hipocrisia, e nos informou logo que não cria em testificar o que não tinha. Disse que era sincero, e jamais se comportaria como hipócrita.

Este homem media sua cura pelos "sentimentos." ISSO NÃO é FÉ. Certamente não somos "hipócritas" porque DI­ZEMOS O QUE DEUS DIZ. CONFISSÃO de uma promessa da Palavra de DEUS, quando esta confissão é do coração, sempre traz a POSSESSÃO.

Não pedi ao homem que dissesse: "NÃO ESTOU EN­FERMO." Pedi-lhe somente que dissesse O QUE DEUS DIS­SERA — isto é admitir que "pelas Suas feridas foi sarado." Seria calúnia dizer que alguém é MENTIROSO somente porque declara O QUE DEUS FALARA? Contudo parecia que este homem achava que sim.

Por fim, DEUS, na Sua misericórdia, cedeu-lhe alguns "sen­timentos" para sua "CURA". Ao SENTIR, CREU. Foi um outro caso de TOME. "Se eu não vir o sinal dos cravos em Suas mãos de maneira nenhuma o crerei," João 20.25.

Oramos por um homem que sofria de artrite nos ombros e nos braços. Depois de orarmos, ele SENTIU uma maravi­lhosa bênção. Ficou muito comovido por causa do que sentiu, mas ai! depois de passar o "sentimento", ou a "bên­ção", ele novamente sentiu uma dor. Isto o entristeceu. Veio e disse-me: "Ouça como as juntas estalam!"

Em vez de dizer: "A Palavra diz que estou curado, e sei que ficarei restabelecido," atentava na evidência física e des­prezava a Palavra de DEUS.

Contei-lhe um caso semelhante quando orávamos por uma senhora, e ela cria com inteira fé. Voltou dentro de dois dias para demonstrar como lhe foram libertas todas as juntas. Sua fé a libertara. A isso o homem respondeu: "Muito bem, então estou contente. Receava não ficar curado. Mas se ela foi curada, serei também."

O ponto que desejo patentear nisto é que a PALAVRA DE DEUS significava absolutamente NADA, para esse homem. A promessa dada por JESUS: "Porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão," era, para ele, vaga e sem sentido. "SENTIRA" uma dor, portanto falhara a Palavra de DEUS. Enquanto "SENTIA-SE BOM" tinha certeza que a Palavra é verdadeira; mas a dor anulou tudo, conforme seu parecer. Aprenda a confessar o que o Senhor diz e Ele cumprirá a promessa que te fez, pois Ele é "O SUMO SACERDOTE DA NOSSA CONFISSÃO."

A confissão de "Eu sou o Senhor que te sara" e de "Pelas Suas feridas estou sarado," sempre precede à cura, justamente como a confissão que fazemos ao Senhor JESUS precede à salvação, Romanos 10.9,10.

JESUS é o Sumo Sacerdote de NOSSA CONFISSÃO - das nossas palavras, do que proferimos com nossos lábios, quando correspondem à "Sua Palavra. Ele FAZ conforme nós DI­ZEMOS. JAMAIS confessemos algo a não ser a VITÓRIA, porque Paulo diz: "Em TODAS estas coisas somos MAIS DO QUE VENCEDORES," Romanos 8.1.

 

 

CAPÍTULO XXI

A Fé em Nossos Direitos

 

Enganam-se os que oram pedindo fé. Isto nunca devemos fazer. "A fé é pelo ouvir, e o ouvir pela Palavra de DEUS," é a prescrição para adquirir fé. Nunca ores pedindo fé para seres curado. Ao aprenderes a conhecer a Palavra de DEUS, TERÁS FÉ. A Palavra desenvolve a fé.

Os duvidosos oram pedindo o que já possuem. Pedro diz: "O Seu divino poder nos deu (já foi dado) TUDO o que diz respeito à VIDA," II Pedro 1.3. A enfermidade resultará em morte. A cura diz respeito à VIDA. Todas as coisas que con­duzem à VIDA, já te foram doadas. Crê que são TUAS. Con­fessa-as! "TODAS QUANTAS PROMESSAS há de DEUS, são nEle sim, e por Ele (JESUS) o Amém," II Coríntios 1.20. Procura tua promessa. Crê nela e começa a CONFESSÁ-LA. É tua.

Pelas Suas feridas foste sarado." Tua cura já foi provida. Não precisas orar pedindo-a. Contudo, orar pedindo a cura não é antibíblico, pois JESUS disse: "Tudo quanto pedirdes em Meu Nome Eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho," e outra vez: "Se pedirdes ALGUMA COISA em meu Nome, Eu o farei," João 14.13,14. Lê, também Tiago 5.13-15.

Ler a Palavra é ouvir DEUS falar. Tu O ouves dizer; "Eu sou  o  Senhor que te sara." Ouves-LO dizer: "Pelas Suas feridas foste sarado." Não é necessário orar pedindo fé para crer que DEUS disse a verdade. Ouviste-O falar, e creste na Sua Palavra. Agir nessa conformidade é fé. Podes orar pedindo cura, mas a fé GERA A CURA.

 

 

CAPÍTULO XXI

A FÉ EM NOSSOS DIREITOS

 

Conhece teus direitos, então, terás fé; e podes conhecer teus direitos somente lendo e ouvindo a Palavra. Não acho difícil exercer fé em mil cruzeiros se sei que tenho essa im­portância na gaveta. Inconscientemente PONHO A MINHA FÉ EM AÇÃO, tirando da gaveta qualquer quantia até essa importância. Posso assinar um cheque nessa importância sem perceber que exercitei fé no talão de cheques, no banqueiro, no caixa, ou no banco. Sei que o cheque será bom porque li o extrato da minha conta acusando saldo suficiente.

Creio que podemos ter conhecimento tão pleno da VER­DADE da Palavra de DEUS que não mais precisaremos exercer conscientemente a nossa fé quando necessitamos de cura. Sabemos que a cura é NOSSA. Foi-nos provida. A enfermi­dade foi removida, por CRISTO. Somos redimidos dela. DEUS diz: "Eu sou o Senhor que te sara." Isto se torna verdade vital que vive em mim. Tratemo-la como tratamos a resistência da ponte que atravessa grande desfiladeiro. Não duvidamos da capacidade da ponte para sustentar o peso do nosso automó­vel. Simplesmente atravessamos dirigindo nosso carro. Empre­gamos a nossa fé, contudo o fazemos inconscientemente.

A Palavra torna-nos tão real e vital que ao encararmos uma necessidade, já providenciada na Palavra, atravessamos o "impossível," considerando nada senão que DEUS SUS­TENTA ESSA PALAVRA. Ela não pode falhar. CONFESSA­MOS sua verdade, sua eficácia, e avançamos. Não nos pode falhar.

Não mais nos esforçamos para sermos curados. DEUS diz que já fomos sarados. Isso é nosso. Confessamo-lo e Lho agradecemos, sabendo que é nosso. Não mais nos esforçamos para crer. Somos crentes (cremos) se somos salvos, e "tudo é nosso."

A fé verdadeira possui. As possessões da fé são tão VER­DADEIRAS como as possessões físicas. As coisas espirituais são tão REAIS como o são as coisas materiais. Fala a fé e serás sempre VENCEDOR. Acostuma-te a falar a linguagem de DEUS. Procura conhecer as Palavras de DEUS e habilita-te para falá-las por causa da ABUNDÂNCIA DELAS NO TEU CORAÇÃO.

 

 

 

CAPÍTULO XXII

A Linguagem da Fé

 

Diz-se: "Falar é barato." Muitas pessoas passam o temDO falando palavras vãs. Quando criança, meu pai me dizia: "Fa­las quando deves escutar." Uma grande parte da fala é feita pelo povo que antes deve dar ouvidos. Os sábios sempre observam mais do que falam. Suas palavras são poucas, mas ponderosas.

Perdem-se grandes vitórias por "conversa fiada" — pala­vras ditas quando desnecessárias. JESUS as chama "palavras ociosas." "De toda a palavra ociosa que os homens disserem hão de dar conta no dia de juízo," Mateus 12.36. Disse Salomão: "O que guarda a sua boca conserva a sua alma," Provérbios 13.3.

Muitas pessoas falham em receber, porque falham em re­conhecer a importância da sua CONFISSÃO quanto ao que pedem. A alguns, curados pelo poder de DEUS, voltam nova­mente suas dores e enfermidades e, às vezes, sofrem de novo a mesma doença. A maior parte desta gente quer saber POR QUE ISTO ACONTECE. Cremos que compreenderás o PORQUE disso, e não te acontecerá mais, ao acabar de ler esta mensagem.

 

Confessamos inconscientemente o que cremos

A fé sempre se refere ao que é pedido em oração como se já estivesse nas mãos, mesmo antes de visto, ouvido ou sen­tido.

Compreendes, quando te confessas enfermo é porque crês mais na enfermidade do que na cura. Confessamos com os lábios o que cremos no coração. "Do que há em abundância no coração, disso fala a boca," Mateus 12.34.

Ilustremos, isto: Nós oramos por um doente na sua casa. DEUS maravilhosamente tocou no seu corpo. Este homem, conforme a Palavra de DEUS, ficaria bom. Assegurei-o desta verdade. Ao sairmos da casa, sua mãe disse: "Não deixe de orar por ele." Ela por este pedido mesmo, CONFESSOU que duvidava da Palavra de DEUS, "E os curarão," pois dava a entender que se não clamássemos constantemente por muito tempo a DEUS, Ele não nos ouviria. A Palavra, para ela, não significava coisa alguma. Ela deu mesmo um passo além disto: começou a "gabar" o diabo e louvar sua fidelidade, em vez da fidelidade de DEUS. Disse ela: "Logo ao sair o senhor, o diabo por certo vai prová-lo severamente. Sei que esse velho inimigo fará o pior para anular a cura de meu filho. Não se esqueça de orar muito por ele."

Reprovei-a severamente. Que absoluta ignorância! Que CONFISSÃO ao diabo por uma filha de DEUS! Não confessou confiança alguma em DEUS nem na Sua Palavra eterna. Toda sua confissão consistia apenas em louvar a fidelidade de Sata­nás. Sei que o diabo sorriu.

Repliquei: "Parece-me que a senhora confia mais em Sata­nas do que em DEUS. Parece ter certeza que Satanás vem para provar seu filho, mas não parece ficar tão certa da presença e auxílio de DEUS. Então lhe perguntei: "Se Satanás é fiel, não é DEUS mais fiel? " Respondeu ela: "Sim, é." Em seguida perguntei-lhe: "Se DEUS enviar Seus anjos, como diz sua Pala­vra que Ele fará, você receará o poder de Satanás na presença dos anjos de DEUS"? Isto, naturalmente, foi grande auxílio para ela e voltou para casa animada.

Quantas vezes o povo de DEUS ora e obedece implicita­mente às Escrituras acerca de curas e, ao aparecer sintomas da doença, lança fora toda a Palavra de DEUS e começa a CON­FESSAR sua enfermidade, assim anulando a oração e sua resposta! Impedem-se as bênçãos de DEUS, quando nossos lá­bios contradizem Sua Palavra.

Se certa doença ameaça teu corpo, NÂO O CONFESSES! Confessa a Palavra de DEUS: "Pelas Suas feridas fui sarado!" Dize o mesmo que DEUS diz! Confessa Sua Palavra!

A doença ganha domínio quando concordares com os teus sentidos. Os teus cinco sentidos não têm lugar algum na esfera da fé. Confessarmos dores e doenças é como abonar uma encomenda entregue à nossa porta. Satanás então tem o RECIBO — nossa confissão — provando que temos aceitado sua encomenda. Não aceites coisa alguma enviada pelo diabo. Mesmo que os teus cinco sentidos testifiquem daquilo que ele enviou para ti, recusa CONFESSÁ-LO. Fita teus olhos no Calvário. Lembra-te que estás liberto.

 

Dúvida cria dúvida

Os homens adquirem o hábito de confessar suas FRA­QUEZAS e seus FRACASSOS. E sua CONFISSÃO faz au­mentar sua fraqueza. CONFESSAM sua "falta de fé" e isso faz aumentar sua dúvida. Oram pedindo fé, esquecendo-se de que assim estão somente confessando dúvida. Isso aumenta sua dúvida, pois DEUS não pode responder a sua oração, porque Ele tem dito: "A fé é pelo OUVIR (não orar), e o ouvir pela PALAVRA DE DEUS."

 

Os que anelam compaixão do próximo

Jamais te convém falar na tua enfermidade. Quando con­tas tuas aflições ao próximo é geralmente para movê-lo a apiedar-se de ti. Tua enfermidade veio do diabo, teu adver­sário. Ao contares tuas tribulações, testificas a habilidade de Satanás em te afligir. Ao falar na tua enfermidade, glorificas o adversário que tinha a habilidade de fazer sofrer dessa enfer­midade.

A maior parte de gente se alimenta da PIEDADE E COM­PAIXÃO da parte do próximo. Deves ganhar a vitória sobre este pecado mesquinho e tolo. Ter pena de ti mesmo NUNCA pode aliviar tuas dores. Apiedar-te de ti mesmo NUNCA te ajudará a ficares bom. A compaixão nada é senão "sofrer COM alguém." O de que precisas não é "compaixão" mas sim, "substituição." Isto é "sofrer POR alguém." JESUS não veio para se compadecer de ti. Ele veio para ser teu "SUBSTI­TUTO," para sofrer em teu lugar.

Muitas das orações pelos enfermos consistem somente de pena e compaixão. Estas orações servem apenas para alimen­tar e nutrir teu pior inimigo.

Nosso dever como ministros, ou crentes, não é de nos compadecer dos enfermos, nem de nos penalizar por causa de suas dores, mas de assumir autoridade, na base de substi­tuição, e ORDENAR que as dores e enfermidades saiam.

Disse o Senhor a Josué: "Esforça-te, e tem bom ânimo; não pasmes, nem te espantes; porque o Senhor teu DEUS ESTÁ CONTIGO," Josué 1.5. Ouve, então o que JESUS te diz: "Eis que vos dou poder para pisar. . . toda a força do inimigo, e NADA vos fará DANO ALGUM," Lucas 10.19.

Aprende a confessar aquilo que DEUS diz na Sua Palavra. Então estás repetindo Suas Palavras, contra as quais nenhum poder prevalecerá. E confessando Suas Palavras, és sempre vencedor. DEUS não reconhece derrota. Nem o faz a Sua Pala­vra. "Para DEUS NADA é impossível," Lucas 1.37. A isto acrescenta: "E NADA te será impossível," Mateus 17.20. Co-meças a ver que, ao usar as duas armas infalíveis, a Palavra de DEUS e o Nome de JESUS, a irresistibilidade de DEUS torna-se tua irresistibilidade. Ferramenta nenhuma, preparada por Satanás contra essas ferramentas (a Palavra de DEUS e o Nome de JESUS), prosperará, Isaias 54.17.

Confessa: "Somos mais do que vencedores por Aquele que nos amou" (Romanos 8.37), então acrescenta: "Posso todas as coisas nAquele que me fortalece," Filipenses 4.13. Não podes sofrer derrota, usando as Palavras de DEUS. Elas são eternas. São todo-poderosas. São sobrenaturais.

Confessamos que DEUS nos tirou da esfera de derrota e nos transportou para o lugar onde prevalecem a vitória, a paz, o gozo e a SAÚDE. Ao confessarmos ousadamente, e agirmos firmados na Palavra de DEUS, NOSSA FÉ TORNA-SE FORTE.

Isto te transformará. Transformará teu ministério. Trans­formará tua vida. Oraste pedindo êxito. Oraste pedindo po­der. Oraste pedindo grandes curas. AGORA vês onde fica tua força. O SENHOR É TUA FORÇA, Salmo 27.1. Age, concre­tizando o que percebes, e se realizarão os teus desejos e teus anelos todos. Começamos de repente a compreender que muito daquilo por que oramos, rogando e pedindo a DEUS, Ele já nos deu, e só nos faltava AGIR, para concretizá-lo.

Nossa redenção repentinamente tornou-se REALIDADE, em vez de mera doutrina ou credo, que analisamos e ensina­mos.

Mede-se nossa fé por nossa confissão. Aqueles, cuja con­fissão é negativa, isto é, que confessam suas fraquezas e fra­cassos, suas dores e sintomas, que confessam o que NÂO podem fazer, descem invariavelmente ao nível de sua con­fissão. Uma lei espiritual que poucos crentes conhecem, é:

 

Nossa confissão nos governa

Quando confessamos o senhorio de CRISTO em nosso co­ração, então entregamos nossas vidas nas Suas mãos. Finda-se a preocupação. Acaba-se o temor. Nasce a Fé.

Ao crermos que CRISTO ressuscitou do túmulo POR NOS, e que com Sua ressurreição Ele venceu o adversário e o ani­quilou POR NÓS, e isso se torna a confissão de nossos lábios, e isso cremos nos coração, então nos tornamos um PODER COM DEUS E POR DEUS.

Se aceitamos JESUS como Salvador e O confessamos como SENHOR, somos NOVAS CRIAÇÕES. Somos "herdeiros de DEUS e co-herdeiros de CRISTO," Romanos 8.17. Enfermidade e doença não mais terão domínio sobre nós. Chegamos a saber que estamos unidos com a Divindade. Não percebemos de uma vez, mas ao estudar a Palavra de DEUS e agir, concretizando-a; vivendo nela e deixando-a viver em nós; ela se torna em realidade viva. Essa realidade DESENVOLVE-SE POR MEIO DE NOSSA CONFISSÃO.

 

 

CAPÍTULO XXXV

O Poder da Palavra de DEUS

 

"No princípio CRIOU DEUS os céus e a terra," Gên. 1.1. Observai COMO DEUS criou os céus e a terra.

"E DISSE DEUS: Haja luz: (Observai: DEUS somente falou A PALA­VRA: Haja luz - e vemos o resultado) e HOUVE LUZ," Gên. 1.3. Eis a verdade revelada que o que DEUS DISSE ACONTECEU.

"E disse DEUS: Haja uma expansão ... e ASSIM FOI," Gên. 1.6,7.

"E DISSE DEUS: Ajuntem-se as águas debaixo dos céus num lugar; e apareça a porção seca. E ASSIM FOI." Gên. 1.9.

"E DISSE DEUS?Produza a terra ... e ASSIM FOI," Gên. 1.11.

"E DISSE DEUS: Haja luminares .. . e ASSIM FOI," (Gên. 1.14,15.

 

Como DEUS criou o que fez

Ora vimos, pela Palavra de DEUS, como passaram a existir todas as coisas.

"Pela fé entendemos que os mundos PELA PALAVRA DE DEUS FORAM CRIADOS; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente," Heb. 11.3.

Quando nós, como filhos do DEUS vivo, começamos a reconhecer que PODER, sim, que PODER CRIADOR, há no que DEUS DIZ, então compreendemos uma verdade que torna possível todas as impossibilidades, que torna fácil o que sem­pre parecia difícil. Antes de conhecermos o PODER DA PA­LAVRA DE DEUS, essa Palavra não é ainda uma coisa viva Para nós. Ela ainda não adquiriu vitalidade, é apenas uma bela doutrina, um credo, um dogma. Ela permanece morta e inútil; um produto do prelo, uma combinação de papel e tinta. Mas ouçamos o que JESUS diz: "As PALAVRAS que eu vos DISSE, são ESPIRITO e VIDA," João 6.63.

 

Quando DEUS fala

Quando DEUS FALA (notai bem!) o mesmo PODER CRIADOR opera, como operou quando Ele FALOU E O MUNDO PASSOU A EXISTIR. Sua PALAVRA ATUAL é tio eficiente, tio poderosa, sim, geradora como quando "os mundos pela PALAVRA DE DEUS foram criados."

"Eu, o Senhor, FALAREI, e a PALAVRA QUE EU FA­LAR SE CUMPRIRA," Ezeq. 12.25. "E Ele (DEUS) confir­mou a Sua PALAVRA, que FALOU," Dan. 9.12. "O céu e a terra passarão, mas as MINHAS PALAVRAS não hão de pas­sar," Mat. 24.35. "A PALAVRA DO SENHOR permanece para sempre," I Ped. 1.25. "A fim de que a promessa SEJA FIRME A TODA a posteridade," Rom. 4.16. O que Ele (DEUS) tinha prometido também era PODEROSO PARA O FAZER," Rom. 4.21. "Porque nenhuma PALAVRA vinda de DEUS, será impossível," Lucas 1.37 (Brás.).

 

 

Pôr a Palavra em execução

Crede na Palavra de DEUS. Confiai na Sua Palavra. Conhe­cei o poder, o PODER CRIADOR, da Sua Palavra, então podereis executar a Sua Palavra.

Se DEUS disser: "Eu sou o Senhor que TE SARA" (êx. 15.26), e se creres no PODER dessas maravilhosas palavras, EXECUTA-LAS-AS. Então o enfermo acamado se levantará pela fé e ficará são; o coxo saltará como um cervo; a língua do mudo começará a cantar; os ouvidos dos surdos abrir-se-ão; dores fugirão, as trevas serão banidas e começares a fazer as mesmas coisas que NÃO PODIAS FAZER antes de te fiares NA PALAVRA DE DEUS, antes de CONCRETIZA-RES ESSA PALAVRA e ficares curado.

O PODER CRIATIVO DA PALAVRA DE DEUS criará no teu corpo aquilo mesmo de que necessitas para teres saúde e ficares forte. A fraqueza tornar-se-á em fortaleza; a morte tornar-se-á em vida; a enfermidade tornar-se-á em saúde; e as impossibilidades tornar-se-ão em possibilidades.

Crede-me, amigos; vós que necessitais de socorro podeis levantar-vos AGORA pela fé, CRENDO OUSADAMENTE NA PALAVRA DE DEUS e recebereis força nova para vossos, corpos tomados de dores. Podeis provar pessoalmente o PO-

DER MARAVILHOSO E CRIATIVO da Palavra de DEUS sim­plesmente crendo nela até o ponto de PO-LA EM AÇÃO.

 

A fé provada pelas ações

Digo: "Pôr a Palavra de DEUS em ação," porque "a fé sem OBRAS é morta," Tiago 2.20. Esta Escritura quer dizer que temos somente tanta fé quanto concretizamos. Este fato pe­queno é grande: A fé nunca se vangloria; ela sempre age.

Seria tolice dizer que cremos em certa coisa e recusar agir segundo o caso exigir. Seria vão declarar que temos grande fé na ponte sobre certo abismo e ao mesmo tempo recusarmos atravessá-la com nosso carro. Tiago diz que "a fé cooperou COM as suas obras, e que pelas obras (as de Abraão) a fé foi aperfeiçoada," Tiago 2.22. Nossas AÇÕES justificarão a nossa fé.

 

A fé em ação sempre vence

Durante uma de nossas campanhas de cura em Kingston, Jamaica, a multidão cercou o muro do auditório desde as 3.30 da tarde esperando até 6.30, a hora de abrir o portão. Certa pobre mulher trouxe, de fora da cidade, seu marido que sofrerá um ataque apopletico, carregando-o nas costas. Ao achar o portão trancado, e vendo centenas de pessoas pulando o muro, pôs o seu marido por cima do muro e em seguida passou, também, por cima. Então levantando seu ma­rido do chão, levou-o dentro do prédio e para a fila de oração. Elar nisso, concretizava a sua fé. Não é necessário dizer que ele voltou caminhando, curado pelo poder de DEUS. A fé em ação sempre vence.

Uma mulher, vítima de câncer e paralisia foi levada a um de nossos cultos e deitada em um quarto. Esperavam que ela morresse antes de findar o culto. Fazia seis meses que não podia ficar sentada. Seus pés e pernas estavam inteiramente paralisados. Depois de ministrar a Palavra, entramos e lhe impusemos as mãos, repreendendo o câncer. Perguntei: "Irmã, quando quer ficar boa de saúde? Ela disse: "Agora." Eu disse: "Então, levante-se, em Nome de JESUS, e fique sã." Arrastou seus pés da cama vagarosamente, assentou-se, ficou de pé, levantou os braços e saiu caminhando em frente da assistência, louvando a DEUS em alta voz. Concretizou a sua fé.

No minuto preciso em que a Fé começa a se manifestar em ação, dependendo inteiramente do que DEUS TEM DITO NA SUA PALAVRA, o poder criativo começa a sua obra, e a enfermidade tem de desaparecer. Nunca te receies de crer em DEUS e AGIR SEGUNDO A SUA PALAVRA. Lembra-te do que JESUS disse ao pai da menina de quem os céticos disseram que morrera: "Não temas, CRÊ SOMENTE," Marcos 5.36.

O meu coração palpitou ao notar que a palavra "crer" é um VERBO. Porque um verbo geralmente indica AÇÃO. Tiago sabia isso quando escreveu: "A fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma," Tiago 2.17. Escreveu, também: "Que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras," Tiago 2.14. E acrescentou: "Mostra-me a tua fé sem as tuas OBRAS, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas OBRAS," Tiago 2.18.

Se DEUS podia criar um mundo com Suas palavras: "HAJA LUZ," então Ele pode curar certamente teu corpo enfermo com Sua Palavra. "Enviou SUA PALAVRA, e os sarou," Salmo 107.20.

 

A autoridade da Palavra de DEUS

"No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com DEUS, e o Verbo era DEUS. Ele estava no princípio com DEUS. Todas as coisas foram feitas por Ele, e sem Ele nada do que foi feito se fez," João 1.1-3.

DEUS uniu-se a Si mesmo com a Sua Palavra. Ele não somente está na Sua Palavra, mas dá apoio a Sua Palavra. Não se pode separar DEUS da Sua Palavra. Não somente chamou a existir coisas que não existiam, fazendo-as existir no mo­mento, mas, conforme Jeremias 1.12, Ele vela sobre Sua Pala­vra para que nenhuma de Suas Palavras falhe — antes que todas se cumpram.

DEUS diz: "Eu sou o Senhor que te sara," Ex. 15.26. Esta palavra de promessa permanecerá para todo o sempre, I Pedro 1.25. A Palavra é, como Seu Autor, eterna, invariável, e viva.

A palavra de um homem é o que o homem é. A Palavra de DEUS é o que DEUS é. Descrer dessa Palavra é descrer de DEUS, que é o Autor dela. Nossa atitude para com a Palavra deter­mina tudo.

Quando foi dito a Maria que ia conceber pela virtude do ESPÍRITO SANTO, e daria à luz Aquele que ia salvar o povo dos pecados deles, ela não compreendia como tal podia ser. Ao olho natural, era impossível. A razão ocupa o lugar da Pala­vra, se o permitimos. Agir segundo a Palavra sobrenatural de DEUS não concorda com os nossos sentidos. Parece antes ser "fanatismo". Mas Maria nos deu o segredo do favor com DEUS quando disse: "CUMPRA-SE EM MIM SEGUNDO A TUA PALAVRA", Lucas 1.38. Isso agradou ao Pai, e FOI FEITO.

Quando a Igreja aprender a deixar de lado seus argumen­tos e abandonar seus conhecimentos teóricos, reconhecendo que "a mente da carne é inimizade contra DEUS; visto que não é sujeita a lei de DEUS, nem o pode ser" (Rom. 8.7) e quando novamente diz: "Cumpra-se em mim a TUA PALAVRA," e se agir segundo essas palavras, ela varrerá novamente o mundo com vitória e poder triunfal. Ela se identificará a si mesma corretamente, e será conhecida como "estes que têm alvoro­çado o mundo," Atos 17.6.

 

Admirados com a Palavra de JESUS

Depois de JESUS ser batizado por João no Jordão, foi impelido pelo ESPÍRITO SANTO ao deserto onde ficou durante quarenta dias. "Então, pela VIRTUDE do ESPÍRITO voltou JESUS" (Lucas 4.14) para iniciar Seu ministério terrestre.

A primeira coisa que fez o povo admirar e que cativou a sua atenção foi o fato que JESUS FALAVA COM PODER E AUTORIDADE. "Admiravam a Sua doutrina" - Por que? Porque a Sua PALAVRA ERA COM AUTORIDADE" (po­der), Lucas 4.32. Exclamaram: "Que PALAVRA É ESTA! que até aos espíritos imundos manda com AUTORIDADE e PODER, e eles saem," versículo 36.

Este homem, JESUS, em pé em um barco de pescador, DISSE à tempestade que (sob um céu enegrecido) rugia e atirava o barco de um lado para outro: "Cala-te, aquieta-te" (Marcos 4.39), e eis! houve grande bonança. Então os discí­pulos exclamaram: "Quem é este, que até o vento e o mar Lhe obedecem?"

Quando JESUS apareceu na sinagoga, leu no livro de Isaias: "O ESPÍRITO do Senhor é sobre Mim, pois que Me ungiu para evangelizar os pobres, enviou-Me a curar os quebrantados do coração, a apregoar liberdade aos cativos, e dar vista aos ce­gos; a pôr em liberdade os oprimidos," Lucas 4.18. Declara-se, no versículo vinte e dois, do mesmo capítulo, que "todos se maravilhavam das PALAVRAS de graça que saíam da Sua boca."

Muitas foram as vezes em que o povo se admirava e mara­vilhava ao ouvir JESUS FALAR com AUTORIDADE e PO­DER. Aonde fosse ou quando fosse, criam nas Suas palavras. O impossível tornou-se possível; o difícil, fácil; coisas nunca faladas começaram a acontecer; e milagres gloriosos torna­ram-se comuns.

 

A chave para a vitória

Ao pai do jovem lunático, JESUS disse: "SE TU PODES CRER, tudo é possível ao que crê," Marcos 9.23. Oh, amigos leitores, CREDE NAS PALAVRAS DE CRISTO! Crede que ACONTECERÁ o que Ele diz! Nada duvideis, antes CREDE SOMENTE. "Tudo é possível ao que crê." Se CRERDES SOMENTE, VÓS podeis ser libertos e curados agora mesmo, onde estiverdes.

Concretizai a Palavra de DEUS agora mesmo e sobrepujai todas as vossas dúvidas e receios. Deixai vossa fé vos libertar, pondo-a em ATIVIDADE. Tendes fé EM VOS AGORA MESMO, mas nunca a deixastes agir, para vos trazer liberta­ção. Conservaste-la presa. Conservaste-la amarrada. Ela foi obrigada a permanecer dormente dentro de vós — porque recusastes agir segundo a Palavra de DEUS. Sabeis que a Pala­vra de DEUS é verdadeira, mas não deixastes vossa fé AGIR, e assim não alcançastes a cura pára vós.

CONCRETIZAI A VOSSA FÉ e a Palavra de DEUS vos transmitirá PODER CRIATIVO e VIDA DIVINA aos vossos corpos. "Crês tu isto?" João 11.26. "Tudo é possível ao que crê." AGI segundo as palavras de DEUS. Concretizai: "Ele tomou sobre Si as nossas enfermidades e levou as nossas doenças."

Se credes somente, SERÁ FEITO AGORA MESMO -mesmo onde estiverdes, e sereis libertos. Vossas dores e inflamações começarão a desaparecer. Esses ouvidos surdos come­çarão a ouvir sons. Vida começará a entrar nessa perna para­lisada. Ah, irmão, crê-lo, e ESTÁ FEITO - AGORA MESMO! LEVANTA-TE, E ANDA NO NOME DE JESUS. Faze-o agora. Faze mesmo o que não achas possível fazer, e serás curado. Faze-o no Nome de JESUS, mandando que essa enfermidade, essa doença, esse coxeio afaste-se de ti, e verás a glória de DEUS. Aleluia! SUA PALAVRA ESTA COM PODER - HOJE EM DIA.

 

O que abriu meus olhos

Quando vi o PODER de DEUS demonstrado nesse tão sim­ples método, e observava um crente mandar que espíritos surdos e mudos saíssem de muitas pessoas, e vi que ouviram e falaram, fiquei plenamente convicto de que era a maneira bíblica. O poder do Nome de JESUS foi-me revelado, pois vi provado diante dos meus próprios olhos, que é possível fazer as mesmas coisas agora que foram feitas pelos apóstolos, e mesmo pelo próprio JESUS. Vi que PODEMOS fazer TUDO que JESUS disse que podemos, fazendo-o no Seu Nome.

Voltei para o East Side Tabernacle de Portland, Oregon, onde pastoreava nesse tempo, e anunciei um culto de cura divina, pedindo a todo mundo que levasse seus enfermos, assegurando-os que seriam curados. Houve muitas curas mara­vilhosas nessa mesma noite, e as notícias espalharam-se até longe.

Desde então temos visto muitos milhares de milagres e curas em campanhas através de todo nosso continente, em outros países e nas ilhas, provando milhares de vezes que "JESUS CRISTO é o mesmo ontem, e hoje, e eternamente," Heb. 13.8. Se Ele é o mesmo, SUA PALAVRA é a mesma. Ainda transmite poder quando enunciada.

 

Faze-te ao mar alto e lança a tua rede

Lembra-te de como os discípulos passaram a noite inteira lançando as redes para apanhar alguns peixes, para ganhar honestamente seu pão cotidiano, mas NADA apanharam. JESUS apareceu e DISSE: "Fazei-vos ao mar alto, e LANÇAI

AS VOSSAS REDES PARA PESCAR. E, respondendo Simão, disse-Lhe: Mestre, havendo trabalhado toda a noite, NADA apanhamos, mas, SOBRE A TUA PALAVRA, lançarei a rede." Ouve-o outra vez: "Mas, SOBRE A TUA PALAVRA, lançarei a rede," Lucas 5.4,5.

Pedro não vacilou, discutindo a insensatez das palavras de seu Mestre; não vacilou, explicando como o caso era sem esperança; não explicou que conhecia essas águas, e que sabia não haver peixes nesse lugar, porque era hábil para apanhá-los se os houvesse.

Quantas vezes, quando ministramos às multidões, o povo quer vacilar, contando quanto tempo estão enfermos; con­tando quantos médicos e especialistas os declararam incurá­veis; ou quantas vezes oraram por eles sem nada de melhora. Irmão, anima-te! Aprende com Pedro, o pescador, o segredo: A obediência sempre traz a vitória, quando obedecemos às PALAVRAS DO MESTRE.

Ah, amigos, nunca receeis ir ao limite em obedecerdes as PALAVRAS de Jeová. Entregai-vos em plena obediência a TODAS AS SUAS PALAVRAS, "porque nenhuma PA­LAVRA, vinda de DEUS, será impossível" (sem PODER), Lucas 1.37 (Brás.). Ele pode encher TODAS AS REDES, então lançai-as TODAS.

Talvez passastes muitos anos enfermos. Muitas pessoas, talvez, oraram por vós. Muitos médicos já abanaram a cabeça em desespero, não sabendo o que deviam fazer por vós. Dis­seram que somente um poder sobrenatural vos pode curar agora. Tentastes repetidas vezes alcançar a cura. Mas, amigos, a Palavra continua a declarar: "Pelas Suas pisaduras fomos sarados," Isa. 53-5.

Animai-vos novamente. Esta vez dizei: "Mas, SOBRE A TUA PALAVRA volto novamente a Ti; "SOBRE A TUA PALAVRA SARAREI;" "SOBRE A TUA PALAVRA ficarei completamente curado." A PALAVRA de DEUS não pode falhar. Crede isso de todo o coração, e SOBRE A TUA PA­LAVRA, concretizai a vossa fé. "Lançai as vossas redes," e esperai que se encherão de cura. Fiai-vos na Palavra eterna e inabalável de DEUS. A fé sempre traz a resposta completa; mesmo "abundantemente além daquilo que pedimos ou pen­samos" (Ef. 3.20), como foi a experiência de Pedro, quando lançou sua rede sobre a palavra de CRISTO.

CURAI ENFERMOS E EXPULSAI DEMÔNIOS - O AUTOR - T. L. OSBORN - 4.a EDIÇÃO EM PORTUGUÊS - "Curai enfermos . . . expulsai demônios" - Mateus 10.8

COLEÇÃO GRAÇA DE DEUS - Caixa Postal 1815 — Rio de Janeiro - AT. L OSBORN  PUBLICATION

O TITULO ORIGINAL DESTA OBRA É HEALING THE SICK AND CASTING OUT DEVILS - Published by

  1. L. Osbom Evangelistic Association, Inc. - Box 10, Tulsa 2, Oklahoma, U.S.A.

 

Lição 8 - O Poder de JESUS sobre a Natureza e os Demônios

2º trimestre de 2015 - JESUS, o Homem Perfeito: O Evangelho de Lucas, o Médico Amado.

Comentarista da CPAD: Pastor: José Gonçalves

Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva

Questionário

NÃO DEIXE DE ASSISTIR AOS VÍDEOS DA LIÇÃO ONDE TEMOS MAPAS, FIGURAS, IMAGENS E EXPLICAÇÕES DETALHADAS DA LIÇÃO

http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm

 

TEXTO ÁUREO

"E disse-lhes: Onde está a vossa fé? E eles, temendo, maravilharam-se, dizendo uns aos outros: Quem é este, que até aos ventos e à água manda, e lhe obedecem?"(Lc 8.25)

 

VERDADE PRÁTICA

Ao mostrarem o poder de JESUS sobre as forças naturais e sobrenaturais, as Escrituras sublinham sua natureza divina e identidade messiânica.

 

LEITURA DIÁRIA

Segunda - Lc 8.22-35 -JESUS tem poder sobre as forças da natureza

Terça - Lc 4.33-37 - JESUS tem poder sobre as forças malignas

Quarta - Lc 8.29-31 - JESUS veio para libertar os cativos do Diabo

Quinta - Mc 1.21-26 - JESUS conhecia a natureza dos demônios e não os deixava falar

Sexta - Lc 9.38-42 - JESUS veio para destruir as obras dos demônios

Sábado - Cl 2.15 - JESUS e a sua completa vitória sobre os demônios

 

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Lucas 8.22-25,35-39

Lucas 8.22 - E aconteceu que, num daqueles dias, entrou num barco com seus discípulos e disse-lhes: Passemos para a outra banda do lago. E partiram. 23 - E, navegando eles, adormeceu; e sobreveio uma tempestade de vento no lago, e o barco enchia-se de água, estando eles em perigo. 24 - E, chegando-se a ele, o despertaram, dizendo: Mestre, Mestre, estamos perecendo. E ele, levantando-se, repreendeu o vento e a fúria da água; e cessaram, e fez-se bonança. 25 - E disse-lhes: Onde está a vossa fé? E eles, temendo, maravilharam-se, dizendo uns aos outros: Quem é este, que até aos ventos e à água manda, e lhe obedecem?

Lucas 8.35 - E saíram a ver o que tinha acontecido e vieram ter com JESUS. Acharam, então, o homem de quem haviam saído os demônios, vestido e em seu juízo, assentado aos pés de JESUS; e temeram. 36 - E os que tinham visto contaram-lhes também como fora salvo aquele endemoninhado. 37 - E toda a multidão da terra dos gadarenos ao redor lhe rogou que se retirasse deles, porque estavam possuídos de grande temor. E, entrando ele no barco, voltou. 38 - E aquele homem de quem haviam saído os demônios rogou-lhe que o deixasse estar com ele; mas JESUS o despediu, dizendo: 39 - Torna para tua casa e conta quão grandes coisas te fez DEUS. E ele foi apregoando por toda a cidade quão grandes coisas JESUS lhe tinha feito.

 

OBJETIVO GERAL

JESUS, como o Filho de DEUS, tem poder sobre a natureza e os seres espirituais.

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Destacar o aspecto sobrenatural da pessoa de JESUS.

Apresentar a realidade bíblica da existência dos demônios.

Explicar o aspecto limitado dos demônios.

Mostrar que a obra de JESUS é oposta à dos demônios.

 

PONTO CENTRAL

Embora as forças espirituais do mal pareçam maiores que nós, JESUS é mais poderoso.

 

Resumo da Lição 8 - O Poder de JESUS sobre a Natureza e os Demônios

COMENTÁRIO/INTRODUÇÃO

Nesta lição, estudaremos os relatos que mostram o poder de JESUS sobre as forças da natureza e, também, sobre os demônios.

I - JESUS E AS FORÇAS SOBRENATURAIS

  1. Poder sobre a natureza.
  2. Poder sobre os demônios.

II - JESUS E A REALIDADE DOS DEMÔNIOS

  1. Uma realidade bíblica.
  2. Uma realidade experimental.

III - JESUS E A OBRA DOS DEMÔNIOS

  1. JESUS e a oposição dos demônios.
  2. JESUS e a libertação de endemoninhados.

 

SÍNTESE DO TÓPICO I - JESUS tem poder sobre a natureza e sobre os demônios.

SÍNTESE DO TÓPICO II - A Bíblia descreve o Diabo como um ser real e experimental.

SÍNTESE DO TÓPICO III - A natureza dos demônios declara que eles são seres criados, limitados, espirituais, malignos e imundos

 

VOCABULÁRIO

Lúgubre: relativo à morte, aos funerais; que evoca a morte; fúnebre, macabro

 

CONSULTE

Revista Ensinador Cristão - CPAD, nº 62, p. 40.

Você encontrará mais subsídios para enriquecer a lição. São artigos que buscam expandir certos assuntos.

 

SUGESTÃO DE LEITURA

Abordagens e Práticas da Pedagogia Cristã, CRISTO entre outros Deuses e A Doutrina Bíblica dos Anjos

 

Comentários de alguns livros com algumas modificações do EV. Luiz Henrique

Introdução

Como foram criados os anjos e como se tornaram, alguns, em demônios?

Foram criados todos os anjos de uma vez só, todos adultos, sem sexualidade, gênero masculino. Enganados por Satanás, quando ainda era Lúcifer, a terça parte destes se revelaram contra DEUS. Foram expulsos do céu junto com seu líder e mentor. Não possuem mais a capacidade de assumirem a forma humana, agora são denominados demônios ou anjos caídos, para diferenciá-los dos anjos que continuam a ser fiéis a DEUS. Estão já condenados ao lago de fogo e enxofre. A decisão deles, devido a serem eternos, foi sua condenação eterna. Atualmente servem a Satanás, organizados em um exército satânico, com lideres de povoados, cidades, estados e países. Estão irremediavelmente condenados a fazerem companhia a seu líder, Satanás, no lago de fogo e enxofre, logo após o milênio. Mt 25.41; 2 Pe 2.4; Jd 6; Mt 10.1; Ap 12.7-9; Dn 10.12-21; Ef 6.11,12, etc...

 

Lucas 8.30-31 - JESUS lhe perguntou: “Qual é o seu nome?” “Legião”, respondeu ele; porque muitos demônios haviam entrado nele. E imploravam-lhe que não os mandasse para o Abismo.

Por que os demônios têm medo de serem mandados para o abismo?

Porque no abismo estão aprisionados os piores demônios que existem e estão esperando a grande tribulação, quando serão soltos. De lá sairão os terríveis gafanhotos. 4 demônios terríveis também moram lá.  É uma prisão donde os demônios só poderão sair direto para o lago de fogo. Por isso os demônios têm Medo de serem enviados para lá.

 

Qualquer crente pode expulsar demônios e orar por enfermos?

Todos os crentes podem e devem expulsar demônios (Marcos 16), porém, existem os "especialistas" (vamos dizer assim), os que têm o dom de discernimento de espíritos (1 Co 12). Assim também todos os crentes podem orar por enfermos e eles serem curados (Mc 16), mas nem todos têm o dom de curar (1 Co 12).

Eu sempre orei por curas e as pessoas eram curadas (2 ou 3... Por ai). Agora em cada lugar onde vou ministrar são 10, 20, 30 ou mais, curadas. A diferença é grande.

 

RESUMO RÁPIDO - Ev. Luiz Henrique

I - JESUS E AS FORÇAS SOBRENATURAIS

  1. Poder sobre a natureza.

O poder do ESPÍRITO SANTO que estava em JESUS para agir na natureza é o dom de milagres. É a ação poderosa do ESPÍRITO SANTO modificando algo na natureza, como lei da gravidade (JESUS andar sobre as águas), repreender ventos e tempestades (JESUS fez isso), parar astros (Josué), seca prolongada (Elias), abrir o mar (Moisés), Abrir rio (Elias e Elizeu), fazer cego de nascença ver (JESUS fez), aleijado de nascença andar  (JESUS fez, Pedro, Paulo), surdo de nascença ouvir (JESUS fez), etc...

 

  1. Poder sobre os demônios.

O poder do ESPÍRITO SANTO que estava em JESUS para agir na natureza é o dom de discernir os espíritos. É a ação ESPÍRITO SANTO detectando de onde vem uma fala ou ação que acontece em uma pessoa, dando capacidade de repreensão para libertação dessa pessoa possuída, àquele que tem o dom. (JESUS repreendeu tanto espíritos de doenças, como de enfermidades como de tentativas de suicídio. Paulo repreendeu espírito advinho da ptonisa).

É impressionante a mudança do gadareno principal.

Lucas 8.35 - E saíram a ver o que tinha acontecido e vieram ter com JESUS. Acharam, então, o homem de quem haviam saído os demônios, vestido e em seu juízo, assentado aos pés de JESUS; e temeram. 36 - E os que tinham visto contaram-lhes também como fora salvo aquele endemoninhado. 37 - E toda a multidão da terra dos gadarenos ao redor lhe rogou que se retirasse deles, porque estavam possuídos de grande temor. E, entrando ele no barco, voltou. 38 - E aquele homem de quem haviam saído os demônios rogou-lhe que o deixasse estar com ele; mas JESUS o despediu, dizendo: 39 - Torna para tua casa e conta quão grandes coisas te fez DEUS. E ele foi apregoando por toda a cidade quão grandes coisas JESUS lhe tinha feito.

Antes o gadareno andava nú (uma característica de gente que dá lugar a demônios - tirar cada dia mais a roupa) - Agora estava vestido.

Antes o gadareno era maluco - Agora tinha juízo.

Antes corria por toda parte, principalmente pelos cemitérios - Agora está assentado aos pés de seu salvador.

Antes era dominado por uma legião de demônios - Agora era controlado pelo ESPÍRITO SANTO.

Antes era notícia de terror - Agora notícia de milagre.

Antes era um mensageiro de Satanás - Agora um evangelista de JESUS.

 

II - JESUS E A REALIDADE DOS DEMÔNIOS

  1. Uma realidade bíblica.

A bíblia não esconde a identidade e ação de Satanás e de seus companheiros e comandados, os demônios. JESUS falou muito sobre Satanás e seus demônios. Os evangelistas também falaram a respeito deles e Paulo chega a falar sobre sua organização celeste, tendo Satanás como comandante, depois seus principados, potestades, príncipes e demônios em geral. Podemos deduzir dai e do livro de Daniel que cada continente seja um principado de Satanás, cada nação uma potestade, cada estado tendo um príncipe sobre ele e cada ser humano tendo um demônio que o acompanha e entra nele. Podemos deduzir da fala de JESUS sobre demônios que voltam às pessoas e trazem mais sete demônios com ele que é assim mesmo.

Veja:

"E, quando o espírito imundo tem saído do homem, anda por lugares áridos, buscando repouso, e não o encontra. Então diz: Voltarei para a minha casa, de onde saí. E, voltando, acha-a desocupada, varrida e adornada. Então vai, e leva consigo outros sete espíritos piores do que ele e, entrando, habitam ali; e são os últimos atos desse homem piores do que os primeiros. Assim acontecerá também a esta geração má". Mateus 12:43-45

Quando "o espírito imundo tem saído do homem"? Quando ele aceita a JESUS como SENHOR E SALVADOR.

Por onde anda? "Por lugares áridos, buscando repouso, e não o encontra".

O que quer dizer "voltarei para a minha casa, de onde saí"? O corpo daquela pessoa que havia aceitado a JESUS como SENHOR E SALVADOR.

O que quer dizer "voltando, acha-a desocupada, varrida e adornada"? Quer dizer que estava limpa de demônios pela presença do ESPÍRITO SANTO que agora a deixou.

O que quer dizer "vai e leva consigo outros sete espíritos piores do que ele"? O demônio que antes morava na pessoa, mas saiu na sua conversão, agora volta e traz consigo mais sete demônios piores do que este que estava ali antes.

O que quer dizer "entrando, habitam ali"? Quer dizer que eles entram na pessoa e vão morar ali (oito agora - antes era só um).

O que quer dizer "são os últimos atos desse homem piores do que os primeiros"? Quer dizer que cada um desses demônios tem prazer em alguns tipos de pecados diferentes (um pode gostar de jogar, outro de crack, outro de bebidas alcoólicas, outro de prostituição, outro de adultério, outro de cigarro, outro de roubar, outro de matar, etc...).

  1. Uma realidade experimental.

JESUS lutou contra Satanás e contra seus demônios e os venceu. Assim também os apóstolos, os discípulos daquela época e nós, a igreja continuamos nessa batalha. Não paremos, pois a ordem é:

para que tivessem o poder de curar as enfermidades e expulsar os demônios: Marcos 3:15 (Grifo nosso)

E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas; Pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão. Ora, o Senhor, depois de lhes ter falado, foi recebido no céu, e assentou-se à direita de DEUS. E eles, tendo partido, pregaram por todas as partes, cooperando com eles o Senhor, e confirmando a palavra com os sinais que se seguiram. Amém. Marcos 16:15-20  (Grifo nosso).

É uma realidade para nós as utas que enfrentamos no dia a dia contra esses demônios que atormentam as pessoas. O número de pessoas escravizadas por Satanás e seus demônios é assustador: Drogados, prostitutos e prostitutas, pessoas se suicidando, pessoas em depressão profunda,  pessoas no alcoolismo, etc...Lutemos as lutas de DEUS - libertemos essas pessoas do poder das trevas, depois preguemos a Palavra de DEUS a elas e disponibilizemos a elas uma maneira digna de sobrevivência até a volta de nosso SENHOR E SALVADOR JESUS CRISTO.

III - JESUS E A OBRA DOS DEMÔNIOS

  1. JESUS e a oposição dos demônios.

"Que tenho eu contigo JESUS, Filho do DEUS Altíssimo? Peço-te que não me atormentes"  disse o espírito maligno. Esses demônios, que estavam em dois gadarenos, estavam espantados de JESUS os confrontar antes da grande tribulação, da batalha do Armagedom. Eles não entendiam porque o filho de DEUS estava ali se ainda não havia acontecido nem a crucificação, nem a ressurreição e nem o arrebatamento. Eles e nem o chefe deles entendiam muito bem o que estava acontecendo, era a sataneira (para ratos ratoeira, para Satanás...) de DEUS armada para pegá-los todos e vencê-los. Não entendiam que um homem tivesse tanto poder, esperavam um JESUS sem nenhum poder, um JESUS somente humano para morrer no lugar de todos, mas não um JESUS poderoso. Não entenderam que um ser humano cheio do ESPÍRITO SANTO tem todo o poder necessário para derrotar Satanás e seus demônios dentro de si mesmos, através do ESPÍRITO SANTO. Era previsto nas escrituras que o filho de DEUS tivesse a missão de destruir as obras do Diabo.

"O espírito do Senhor DEUS está sobre mim; porque o SENHOR me ungiu, para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos". Isaias 61.1.

"O ESPÍRITO do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados de coração". Lucas 4.18.

"Quem comete o pecado é do diabo; porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de DEUS se manifestou: para desfazer as obras do diabo". 1 Jo 3.8.

É nossa tarefa (da igreja) continuarmos o IDE de JESUS. Enfrentemos as forças do mal confiantes em nosso comandante e chefe JESUS CRISTO que nunca perdeu uma batalha.

  1. JESUS e a libertação de endemoninhados.

" E não convinha soltar desta prisão, no dia de sábado, esta filha de Abraão, a qual há dezoito anos Satanás mantinha presa?". JESUS identifica a ação de demônios sobre aquela mulher encurvada (discernimento de espíritos) e sente amor e compaixão por ela. Assim ELE a liberta ordenando ao espírito que a deixe. 18 anos de sofrimento, imagine hoje quantos exames de coluna, tomografia computadorizada, anos e anos de filas, dinheiro gasto, tempo gasto, humilhação e nada aconteceria. Era demônio. Precisamos de buscar esse dom para enxergarmos a raiz dos problemas das pessoas e libertá-las.

 

Para melhorar nosso entendimento vamos a mais alguns estudos:

8.22-25 JESUS Acalma uma Tempestade Cf. Mateus 8.23-27; Marcos 4.35-41 - William Hendriksen - Comentários do Novo testamento - Vol. 1 - Lucas - Editora Cultura Cristã

  1. A Partida de barco para a margem oriental do lago.

Ora, sucedeu em um daqueles dias que JESUS entrou num barco com seus discípulos; e ele lhes disse: Passemos para a outra margem do lago. E assim partiram.

Marcos 4.35 deixa claro que esse incidente ocorreu durante a tarde do dia em que JESUS se dirigiu às multidões por meio de parábolas, inclusive a do semeador. Lucas, em contrapartida, ao escrever “em um daqueles dias” , mostra que não lhe interessa o tempo exato em que esse acontecimento se deu. Tudo o que interessa a Lucas é mostrar como JESUS se revelou, a si, seu poder e seu amor, durante uma violenta tempestade. “Passemos para a outra margem do lago” (Lucas chama “lago” a essa massa de água; os demais a chamam “mar”). Uma vez que JESUS não era só plenamente divino, mas também plenamente humano, ele necessitava de descanso. Ele precisava afastar-se de todas aquelas pessoas: não só se aglomeravam na praia, ainda o cercavam em barcos, como o demonstra Marcos 4.36. Ainda que Marcos declare que os discípulos levaram JESUS com eles no barco, foi ele quem tomou a iniciativa dando-lhes a ordem: “Passemos ...” Eles, porém, eram os barqueiros, os navegantes. Então zarparam. Não devemos esquecer que a direção divina estava operando também aqui, como sempre: JESUS devia estar sobre essas águas com o fim de fortalecer a fé dos discípulos por meio de um milagre assombroso. Devia desembarcar na margem oriental, porque ali há um homem possesso de demônio que precisava dele (8.26-39). Não se nos revela até que ponto JESUS, segundo sua natureza humana, estava consciente de tudo isso.

 

  1. Uma Tempestade Furiosa.

Ora, enquanto velejavam, ele adormeceu. Essas palavras não deixam a impressão de que o Mestre adormeceu assim que (ou quase imediatamente) o barco zarpou? Imediatamente ele caiu em profundo sono, mostrando com isso quão cansado estava; mostrando também que sua confiança no Pai celestial - seu proprio Pai - era inabalável. Então sobreveio ao lago uma furiosa borrasca, e começaram a soçobrar e a correr perigo. Para descrever essa violenta perturbação atmosférica, Marcos e Lucas falam de um lailaps, termo grego que significa torvelinho (cf. Jó 38.1; Jn 1.4) ou tormenta que prorrompe em furiosos vagalhões, uma terrível borrasca ou série de borrascas. Mateus a chama “uma grande tremor” ou “maremoto” . Teria sido um transtorno muito violento, uma estrondosa tempestade. De repente esse lailaps sobreveio ao lago. Qual foi a causa dessa tormenta? Alguns têm expresso a opinião de que Satanás teria participação nisso. Em abono dessa teoria apresentam- se os seguintes argumentos:

  1. Jó 1.12, 19 pressupõe que foi Satanás que provocou um grande vento que soprou do deserto.
  2. No presente relato, fica em evidência que na região pela qual o grupo estava velejando existiam muitos demônios (veja v. 30).
  3. O versículo 24 afirma que JESUS “repreendeu” o vento etc. Cf. Marcos 4.39: “Fique em silêncio” . Essas expressões implicam que ele estava falando a objetos inanimados.

O mar da Galiléia está localizado ao norte do vale do Jordão. Tem cerca de 21 km de comprimento e doze de largura. Está aproximadamente a 220 m abaixo do nível do Mediterrâneo. Seu leito é uma depressão rodeada por colinas, especialmente na margem oriental, com seus penhascos escarpados. Quando as correntes frias descem do monte

Hermom, cerca de 3.000 m de altura, ou de outros lugares através de passagens estreitas e se chocam com o ar quente que fica sobre o lago, sua velocidade o converte em vento impetuoso. Os ventos violentos açoitam as águas com fúria, provocando grandes ondas que golpeiam a proa e os costados de toda embarcação que porventura esteja sulcando a superfície de suas águas. No presente caso, o barco pesqueiro, açoitado pelas imensas ondas, quase ia a pique, joguete dos elementos enfurecidos. Quando Lucas diz: “Começaram a soçobrar”, ele tem em mente “o barco começou a afundar”. Pelo prisma humano, o pequeno grupo com certeza corria grave risco.

 

  1. Um clamor frenético
  2. Então se chegaram a ele e o despertaram, dizendo: Mestre, Mestre, estamos perecendo!

Os discípulos estavam completamente atemorizados. Isso mostra que a presente tempestade teria sido algo fora do comum. Acima de tudo, esses veteranos pescadores estavam acostumados com esse “lago” e seu caprichoso comportamento. Teriam deparado com muitas tempestades. Essa, porém, era diferente. Provavelmente nunca antes haviam experimentado algo semelhante. Humanamente falando, o perigo a que estavam expostos era fenomenal e o risco que corriam tomava-se cada vez maior. Então, em seu estado de alerta, despertaram o Mestre ainda adormecido. Foi a ele que recorreram em busca de socorro. Até aqui, tudo bem. João Batista, quando se viu preso das dúvidas, não recorreu a ele em busca de uma solução?

Em contrapartida, em que espírito os discípulos se aproximaram do Salvador agora acordado? Naturalmente, com uma petição sincera, uma súplica urgente, como o demonstra Mateus 8.25 (“Senhor, salva-nos”), mas, infelizmente, também com palavras de reproche, como o indica Marcos 4.38 (“Mestre, não percebes que estamos perecendo?”). Lucas omite tanto a súplica quanto a repreensão implícita. Em contrapartida, esse evangelista, sob a inspiração do ESPÍRITO SANTO, faz sua contribuição pessoal. Ao duplicar o vocativo - a saber: “Mestre, Mestre, estamos perecendo” - ele em seu próprio estilo dá expressão ao terror frenético que havia se apoderado desses homens. Além disso, antes de começarmos a gritar: “Discrepância nos Evangelhos!”, deveríamos ter em mente que numa situação de terrível angústia, um discípulo gritava uma coisa, e o outro, outra coisa.

 

  1. Um milagre assombroso

Ele levantou-se e repreendeu o vento e os vagalhões. Eles amainaram e houve calma. Segundo Mateus 8.26, JESUS se pôs em pé e “repreendeu os ventos e o mar”. Segundo Marcos 4.39, ele “repreendeu o vento e disse ao mar: “Silêncio! Fique calmo” . Lucas também usa o mesmo verbo repreendeu. Há quem diga que esse verbo implica um objeto animado. Afirmam que essa diferença é corroborada por Marcos 4.39, o que é então traduzido: “Paz! Emudeça!”.

O fato realmente importante é que a expressão "repreendeu" insinua que de um modo muito efetivo JESUS afirmou sua autoridade sobre os elementos da natureza e qualquer influência sobre esta, de modo que a fúria foi subjugada e tudo serenou. O que é muitíssimo notável é que não só os ventos imediatamente se aquietaram, mas também as próprias ondas. Geralmente, como se sabe muito bem, depois que os ventos tenham perceptivelmente diminuído, os vagalhões continuam sua trajetória por algum tempo, subindo e descendo como se não quisessem seguir o exemplo das tranquilas correntes de ar que agora pairam sobre eles. Mas, nesse caso, os ventos e as ondas se sincronizam numa sublime harmonia de solene silêncio. Algo comparável à quietude vespertina dos céus estrelados cai sobre as águas. Repentinamente, a face do lago se toma lisa como um espelho.

 

  1. Uma admoestação amorosa
  2. Então ele lhes disse: Onde [está] sua fé? Segundo Mateus o descreve (8.25, 26), quando JESUS foi despertado de seu sono, ele não aquietou a tempestade imediatamente. Ao contrário, enquanto a tempestade continuava em sua fúria e o barco ainda era arremessado de um lado para o outro pelos vagalhões, o Mestre, com perfeita serenidade e compostura, assim falou aos discípulos aterrorizados: “Por que vocês estão aterrorizados, ó homens de pequena fé?” Em contrapartida, Lucas, na passagem que temos diante de nós, deixa bem claro que não só antes, mas também depois do milagre, os discípulos estavam assustados e necessitavam que sua fé fosse fortalecida. A tempestade os tinha aterrorizado. Agora estavam dominados pelo medo ante a presença daquele que acabava de silenciar súbita, completa e dramaticamente a tempestade. Para exemplos semelhantes de reverência induzida pela consciência de estar na presença da Majestade [divina], veja Isaías 6.5; Ezequiel 1.28; Lucas 5.8; Apocalipse 1.17. Cf. Juizes 13.20, 22. E então JESUS lhes pergunta: “Onde [está] sua fé?” Como se quisesse dizer: A tranquilização da tempestade e a suavização das ondas não lhes ensinaram que este seu Mestre é não só muito poderoso, mas também muito amoroso? Portanto, sua resposta não deveria ser a confiança de uma criancinha?

 

  1. Um efeito profundo

Atônitos e cheios de pasmo, perguntaram uns aos outros: Quem, pois, é este que dá ordens inclusive aos ventos e às ondas, e eles lhe obedecem? Note que os discípulos estavam a um só tempo atemorizados e maravilhados, aterrorizados e perplexos. Não conseguiam recobrar-se de seu assombro. Estavam cheios de reverente temor. Começavam a compreender: JESUS é ainda muito maior do que haviam imaginado. Ele exerce controle não só sobre os auditórios (4.32), os doentes (6.19), os demônios (4.35, 36) e a morte (7.11-17; cf. 7.22), mas ainda sobre os elementos da natureza, os ventos e a água. Muito do que está errado na terra pode ser corrigido. É JESUS que ordena aos elementos do tempo, resultando, inclusive, que os ventos e a água lhe obedecem! É verdade que, em resposta à oração de Elias, em certo sentido, ele fez com que viesse uma seca e depois trouxe de novo a chuva (Tg 5.17, 18). Quem, pois, é este? A resposta não foi dada. Não obstante, veja o versículo 28. De forma bem apropriada, esse relato conclui fixando a atenção sobre a pessoa de CRISTO, de modo que todo aquele que lê pode formular sua própria resposta, pode professar sua própria fé e acrescentar sua própria doxologia. Resta elogiar os Doze pela medida com que se encheram de santa reverência. Não há, porém, também um elemento pecaminoso no “temor” deles?

 

Observação do Ev. Luiz Henrique - Não devemos nos esquecer de que JESUS agia como homem, não usando de suas prerrogativas divinas para repressender o mar, os ventos e a tempestade. O dom de milagres ou de maravilhas do ESPÍRITO SANTO nos capacita para que possamos influenciar na natureza pelo poder do ESPÍRITO SANTO.

JESUS se utilizou de sua fé e do poder do ESPÍRITO SANTO apara que mais este milagre se realizasse.

Atos 10.38 concernente a JESUS de Nazaré, como DEUS o ungiu com o ESPÍRITO SANTO e com poder; o qual andou por toda parte, fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do Diabo, porque DEUS era com ele.

 

Lições Práticas Derivadas de Lucas 8.22-25

Versículos 23, 24

“Ora, enquanto eles velejavam, ele adormeceu ... Então ... o despertaram.”

Traz conforto saber que um clamor de angústia humana desperta aquele que não pode ser despertado por uma tempestade.

Versículo 25

“Então ele lhes disse: Onde [está] sua fé?” Primeiro esses homens se encheram de medo da tempestade. Isso é compreensível, ainda que não inteiramente justificável. Em seguida se encheram de reverência por causa da presença daquele que súbita e dramaticamente revelou seu poder e autoridade em acalmar a tempestade. Até aqui esse “temor” é bom. Cf. Salmo 4.4; 15.4; 33.8; 119.161. O elemento de “santa reverência” deve ser enaltecido. Em contrapartida, o elemento de “pânico” deve ser condenado. Os discípulos mostraram esse medo histérico. Deixaram-se dominar por ele tanto enquanto rugia a tempestade quanto também depois dela. Deveriam ter dito: “Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo” (SI 23.4; cf. SI 27.1; 46.1-3).

 

Versículo 26 Eles navegaram para a região dos gergesenos, que está defronte da Galiléia. 27 Ora, quando JESUS desceu à praia, certo homem da cidade, possesso de demônio, lhe saiu ao encontro. Há muito tempo que ele não se vestia e não vivia em uma casa, mas nos túmulos. 28 Ora, quando ele viu a JESUS, gritou e caiu diante dele, gritando com toda sua voz: Por que tu me incomodas, JESUS, Filho do DEUS Altíssimo? Rogo-te que não me tortures! (29 Porque JESUS ordenara ao espírito imundo que saísse do homem. Pois muitas vezes se apoderava dele, e embora fosse atado com cadeias e grilhões, e mantido sob guarda, ele rompia as cadeias e era impelido pelo demônio para lugares solitários). 30 JESUS lhe perguntou: Qual é seu nome? Legião, respondeu ele, porque muitos demônios tinham entrado nele. 31 E rogavam repetidas vezes a JESUS que não os mandasse ir para o abismo. 32 Ora, havia ali uma manada de muitos porcos comendo na encosta. Então os demônios lhe rogaram que os deixasse entrar neles; e ele lhes deu permissão. 33 Ao saírem os demônios do homem, entraram nos porcos. E a manada precipitou-se despenhadeiro abaixo no lago e se afogou. 34 Quando os encarregados dos porcos viram o que havia sucedido, fugiram e divulgaram a notícia na cidade e pelo campo. 35 Então o povo saiu para ver o que havia ocorrido. Vieram ver JESUS e encontraram o homem de quem saíram os demônios, sentado aos pés de JESUS, vestido e em perfeito juízo; e ficaram com medo. 36 Os que viram contaram ao povo como o endemoninhado fora curado. 37 Portanto, uma vez que ficaram terrivelmente amedrontados, toda a população da região dos gergesenos pediu a JESUS que os deixasse. Então ele subiu num barco e regressou. 38 O homem de quem saíram os demônios lhe rogava que o deixasse ir com ele. JESUS, porém, o despediu, dizendo: 39 Volte aos seus e conte-lhes quão grandes coisas DEUS fez por você. Então ele se foi, proclamando por toda parte as grandes coisas que JESUS fizera por ele.

 

Lucas 8.35 - E saíram a ver o que tinha acontecido e vieram ter com JESUS. Acharam, então, o homem de quem haviam saído os demônios, vestido e em seu juízo, assentado aos pés de JESUS; e temeram. 36 - E os que tinham visto contaram-lhes também como fora salvo aquele endemoninhado. 37 - E toda a multidão da terra dos gadarenos ao redor lhe rogou que se retirasse deles, porque estavam possuídos de grande temor. E, entrando ele no barco, voltou. 38 - E aquele homem de quem haviam saído os demônios rogou-lhe que o deixasse estar com ele; mas JESUS o despediu, dizendo: 39 - Torna para tua casa e conta quão grandes coisas te fez DEUS. E ele foi apregoando por toda a cidade quão grandes coisas JESUS lhe tinha feito.

  1. JESUS revela seu amor pelos homens

34-36. Quando os encarregados dos porcos viram o que havia sucedido, fugiram e divulgaram a notícia na cidade e pelo campo. Então o povo saiu para ver o que havia ocorrido. Vieram ver JESUS e encontraram o homem de quem saíram os demônios, sentado aos pés de JESUS, vestido e em perfeito juízo; e ficaram com medo. Os que viram contaram ao povo como o endemoninhado fora curado. Os homens que estiveram apascentando os porcos teriam presenciado o encontro entre JESUS e o endemoninhado. Também teriam observado que esse homem se livrara de seu estado selvagem, e era como se houvera transferido essa condição selvagem para os porcos, com o resultado de que toda a manada havia perecido nas águas. Os porqueiros chegaram à correta conclusão de que fora JESUS quem ordenara e permitira que ocorresse tudo aquilo. Ele havia permitido aos demônios que saíssem e havia permitido que entrassem nos porcos. A perda dos porcos, portanto, não foi da responsabilidade de quem os estava guardando. Consequentemente, os porqueiros correram de volta para onde vivia o povo. Eles queriam que os proprietários e todos os demais na cidade e no campo, na aldeia e nas fazendas soubessem de quem era e de quem não era a culpa. Lucas descreve as pessoas correndo para ver o que havia sucedido. Isso foi provavelmente de manhã, depois de ocorrer o milagre. O que as pessoas viram? Viram a JESUS. Também observaram cuidadosamente o homem que estivera possesso de demônios. Não havia dúvida a respeito. Era o mesmo homem. Não obstante, agora já não andava correndo colina abaixo, mas estava sentado aos pés de JESUS, lembrando-nos de Maria (Lc 10.39). Já não estava nu, mas vestido. Já não agia como louco, mas estava em seu perfeito juízo (cf. 2Co 5.13). O poder e a majestade de JESUS, que haviam provocado tudo isso, causaram espanto no povo, reação essa que não foi em nada amenizada quando ali mesmo, no próprio lugar onde tudo havia ocorrido, foram relatados os detalhes da história - “como o possesso fora curado” - pelas testemunhas oculares: os porqueiros e os discípulos. Qual deveria ter sido o resultado? O pesar inicial pela perda dos porcos era natural. Mas não deveriam os proprietários e todos os que de alguma forma foram afetados por essa perda ter dito algo mais ou menos assim: “Compreendemos agora que a perda de nossos porcos foi um preço baixo ante a lição que aprendemos. Esses porcos, essa possessão significava muito para nós. Éramos egoístas. Nunca sentimos preocupação pelas necessidades de nosso concidadão, este pobre e desditoso homem. Agora vemos as coisas de forma diferente. Agora entendemos que os valores humanos excedem em muito os valores materiais”? Não deveriam ter felicitado o homem pelo fato de ele estar sentado aos pés de JESUS? Não deveriam ter levado seus enfermos inválidos a JESUS para que fossem curados? Certamente o povo de toda a região não podia ser totalmente ignorante acerca desse grande Benfeitor! Veja Mateus 4.25. Não deveriam ter tentado convencer a JESUS a ficar mais tempo em seu meio com o fim de comunicar bênçãos para o corpo e a alma? Cf. João 4.40. A verdadeira reação deles foi completamente diferente. Aliás, foi completamente contrária. JESUS tinha de ir embora e quanto antes melhor.

  1. Portanto, uma vez que ficaram terrivelmente amedrontados, toda a população da região dos gergesenos pediu a JESUS que os deixasse. Então ele subiu em um barco e regressou. O povo estava aterrorizado. Porventura teriam sentido que aqui estava em ação um Poder sobre o qual eles não tinham controle; que havia ocorrido um fato que nem sequer podiam entender? Qualquer que tenha sido a causa de seu temor, não os aproximava de JESUS. Não era o tipo de temor descrito antes no versículo 25. Esse temor era, pelo menos em certa medida, “uma profunda reverência” que havia produzido a pergunta: “Quem é este ...?” Ao contrário, o temor da provação, provavelmente pagão em sua maioria segundo descrito neste relato, era supersticioso em seu caráter. Era definitivamente pecaminoso. Note que nem sequer demonstram interesse pela restauração do possesso. Parece que nunca haviam aprendido a alegrar-se com os que se alegram (Rm 12.15). Não devemos ignorar que tal preocupação por parte deles era mais censurável, porque a atenção deles acabava de voltar- se para a cura do possesso. Note o contexto: “Aqueles que assistiram, contaram ao povo como o possesso de demônio fora curado. Portanto ... pediram a JESUS que os deixasse”. Na verdade o coração deles tinha se tomado em extremo endurecido. E tudo indica que não havia exceções favoráveis entre eles: “toda a população da região” apresentou a solicitação. Então JESUS se foi. Não iria forçar o favor de continuar sua presença no meio de um povo que por palavra e por ato estava dizendo: “Não te queremos” . Isso, pois, significava que sua retirada foi total e sumária? Não, como o demonstrará o clímax sensivelmente belo:

38, 39. O homem de quem saíram os demônios lhe rogava que o deixasse ir com ele. JESUS, porém, o despediu, dizendo: Volte aos seus e conte-lhes quão grandes coisas DEUS fez por você. Então ele se foi, proclamando por toda parte as grandes coisas que JESUS fizera por ele. Note o seguinte:

  1. Aquele que atendera o pedido dos demônios, permitindo-lhes a entrar nos porcos, e do povo para sair do território deles, recusa conceder o pedido de um homem que se convertera em seu ardoroso seguidor. Desse fato aprendemos que, quando DEUS permite que seu povo receba o que deseja possuir, isso nem sempre é uma bênção sem mistura. E quando se nega a dizer “sim” em resposta às suas fervorosas petições, isso necessariamente não é sinal de seu desagrado.
  2. A verdadeira atividade missionária começa em casa.
  3. Ao homem é ordenado que conte ao povo as grandes coisas que DEUS fez por ele. As palavras: “Ele se foi proclamando ... as grandes coisas que JESUS fizera por ele”, mostra que ele está ciente da relação muito estreita entre DEUS e JESUS.
  4. O que poderia ser considerado como a lição principal é o que diz respeito a causa das missões. JESUS está mostrando profunda bondade, e isso não só a esse homem, mas a toda a comunidade que de forma tão vergonhosa o havia rejeitado. Eles lhe pediram que fosse embora, mas ele, em seu profundo amor, não pôde separar-se totalmente deles. Então lhes envia um missionário; aliás, o melhor gênero de missionário, um dentre seu próprio povo, uma pessoa que podia falar pela própria experiência. “Volte aos seus”, lhe disse JESUS. O homem curado fez mais que isso, porque, segundo Lucas o indica, “proclamou em toda a cidade quão grandes coisas JESUS fizera por ele”, tão cheio estava ele de alegria e gratidão! Aliás, como mostra Marcos 5.20, a atividade missionária desse homem se estendeu para além de sua própria cidade. A causa das missões é sem dúvida básica para uma compreensão dessa história. Aqui JESUS é representado como quem rompe o poder de Satanás, para que a alma dos homens esteja preparada para a recepção do evangelho. A expulsao de demonios e a atividade missionaria estão relacionadas de forma muito mais estreita do que comumente se reconhece. O propósito de DEUS é que os homens se convertam “das trevas para a luz, e do poder de Satanás para DEUS” (At 26.18). De forma alguma essa é a única passagem em que se põe a destruição das obras do diabo em estreita conexão com a difusão do evangelho. Veja também as seguintes: “Ou, como alguém pode entrar na casa do homem forte e levar dali seus bens, sem antes amarra-lo? (Mt 12.29). Cf. Mateus 12.18: “E ele proclamará justiça aos gentios” . “Os setenta e dois voltaram alegres e disseram: Senhor, até os demônios se submetem a nós, em teu nome. Ele respondeu: Eu vi Satanás caindo do céu como relâmpago” (Lc 10.17, 18). “Chegou a hora de ser julgado este mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo. Mas eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim” (Jó 12.31, 32, em um contexto que descreve como alguns gregos expressavam seu desejo de ver a JESUS). Indubitavelmente, essas passagens também lançam luz sobre a verdadeira interpretação de Apocalipse 20.1-3. Como se disse anteriormente - veja sobre 2.39 -, o escritor do Terceiro Evangelho quase não inclui um relato de JESUS no ato de entrar em território gentílico. Mesmo quando, em seu primeiro tratado, enfatize reiteradas vezes o significado de CRISTO, tanto para os judeus quanto para os gentios, ele deixa reservada a própriahistória da evangelização dos gentios para seu segundo livro, a saber, Atos. Não obstante, aqui (Lc 8.26-39), por uma única vez, ele põe JESUS em território predominantemente gentílico. Certamente que não chegara ainda o período da plena abertura da porta da graça (pela qual multidões de gentios entram). A porta, porém, estava entreaberta. A mensagem e a lição são claras: o Calvário tem significado para o judeu e para o gentio. A maravilhosa história deve ser proclamada com alegria e fervor a ambos os grupos. Satanás deve ser banido dos corações e vidas para que CRISTO possa entrar. Esse é o sentido central desse relato.

 

Lições Práticas Derivadas de Lucas 8.26-39.

Versículo 35

“Eles ... acharam o homem de quem saíram os demônios assentado aos pés de JESUS, vestido e em perfeito estado mental.” A verdadeira religião afeta cada departamento da vida e cada “faculdade” do ser mais íntimo do homem.

Versículo 37

“A população toda ... pediu a JESUS que os deixasse.” Um pedido terribilíssimo. Contraste-o com o pedido que se encontra no versículo 41.

Versículo 39

“Volte para casa e diga que grandes coisas DEUS fez por você.” Mesmo que JESUS tenha atendido ao pedido do povo para deixá-los, ele, em sua bondade e sabedoria, lhes deu um missionário, um dentre seu próprio povo, o próprio homem a quem o Mestre havia curado. Para outros exemplos nos quais JESUS retribuiu bem por mal, veja Lucas 7.19, cf. 27-29; 23.5, 18, 21, 23, 33, cf. 23.34; João 18.15-18, 25-27, cf. 21.15-17; e veja também Lucas 6.27-29.

William Hendriksen - Comentários do Novo testamento - Vol. 1 - Lucas - Editora Cultura Cristã.

 

Observação do Ev. Luiz Henrique - Na  verdade era proibido aos judeus a criação de porcos (Lv 11.7). Toda aquela região tinha tomado a decisão de desobedecer às ordens de DEUS. JESUS permitiu que os demônios entrassem nos porcos para que aquela população sentisse o juízo de DEUS sobre a desobediência deles. Os porcos se afogaram, agora aquela população só precisava se arrepender e se dobrar perante JESUS para receberem o perdão e restauração de DEUS. Infelizmente escolheram continuar na rebeldia e mandaram embora o único que podia conduzi-los a DEUS.

Lv 11.7 e o porco, porque tem a unha fendida, de sorte que se divide em duas, mas não rumina, esse vos será imundo.

 

JESUS acalma uma tempestade (8:22-25)

JESUS também operava milagres no âmbito da natureza. O grande milagre é a encarnação. Se DEUS Se tomou homem em JESUS, não precisamos espantar-nos com narrativas tais como esta.

22, 23. JESUS convidou os discípulos a atravessarem o lago. Enquanto navegavam, Ele adormeceu, o que se encaixa bem no relato de Marcos; Ele deve ter ficado muito cansado depois de ensinar um dia inteiro. Uma tempestade repentina rebentou. O lago da Galileia está sujeito a tempestades repentinas, com sua situação cerca de 220 m abaixo do nível do mar e adjacente a regiões montanhosas. O ar frio das alturas tende a vir varrendo pelos desfiladeiros precipituosos ao leste e pode acoitar em ondas os mares em pouco tempo. Nesta ocasião o barco estava sendo cheio de água e os viajantes estavam em grande perigo.

 

Observação do Ev. Luiz Henrique - Era uma tempestade atípica - parecendo um maremoto, um exagero de tempestade - muito provavelmente provocada por demônios que queriam impedir JESUS de chegar a gadara e atrapalhar os planos de Satanás ali. Não se pode afirmar que era uma tempestade provocada por demônios e nem que não era. Pescadores acostumados a tempestades na região se desesperaram tamanha era essa tempestade.

 

  1. Sendo assim, os discípulos despertaram JESUS com as palavras, Mestre, Mestre, estamos perecendo! Lucas omite a repreensão subentendida nas palavras registradas em Marcos: “não te importa que pereçamos?” e a petição em Mateus: “Senhor, salva-nos!” Todos os três nos contam que JESUS repreendeu o vento (cf. SI 106:9). Seu verbo pode subentender que havia uma forca maligna por detrás da tempestade. Seja como for, o resultado foi uma bonança. O domínio de JESUS sobre os elementos era completo (cf. SI 89:9).
  2. Sua pergunta: “Onde esta a vossa fé?” subentende que os discípulos não deveriam ter ficado aterrorizados. Deveriam ter confiado nEle. Diante disto, reagiram como quem está na presença divina. Ficaram cheios de reverente temor, e de admiração; perguntaram: Quem e este? Esta e a pergunta relevante que Lucas não quer que seus leitores deixem passar desapercebida.

 

O endemoninhado geraseno (8:26-39)

1- O exorcismo (8:26-33). Este milagre foi realizado num ambiente predominantemente gentio. Havia alguns judeus na área, mas a população era principalmente gentia.

26,27. A terra dos gerasenos nos apresenta um problema, pois Gerasa ficava a cerca de 64 km ao sudeste do lago. Mateus registra “a terra dos gadarenos”, mas Gadara fica a 9 km de distância, e separada pelo desfiladeiro profundo do Iarmuque. Todos os três Sinotistas tem as duas variações, e também uma terceira, “o pais dos gergasenos.” Este último texto era favorecido por Orígenes, que achava que os outros dois lugares estavam demasiadamente distantes, e que os textos tinham surgido somente porque os escribas não sabiam da existência da pequena cidade de Gergosa, e, portanto, substituíram-no por nomes que conheciam (ver, por exemplo, Manson). Os estudiosos modernos indicam a vila de Khersa e pensam que talvez esta tenha retido o nome antigo. Pode ser certo, mas permanece a suspeita de que o texto e achado nos MSS somente porque Orígenes deu origem a ele. Se qualquer dos outros esta correto, devemos entender que a respectiva cidade controlava uma faixa de terra até a beira do lago. Quando JESUS aportou neste território, veio ao seu encontro um endemoninhado. O infeliz não usava roupas, e vivia entre os sepulcros.

28, 29. O homem era violento. Já tinha sido preso com cadeias e grilhões (i.e, algemas para as mãos e os pés). Mas ele tudo despedaçava, o que demonstra sua grande forca. Quando JESUS mandou o demônio sair dele, gritou e passou a uma resposta semelhante a do endemoninhado em 4:34, só que JESUS agora é saudado como Filho do DEUS Altíssimo ao invés de “o SANTO de DEUS.”

  1. JESUS perguntou ao homem qual era seu nome. A resposta é Legião, que parece ser um modo de dizer que um regimento inteiro de demônios entrara nele (numa legião romana, havia cerca de 6.000 soldados).

31-33. Os demônios reconheceram que teriam de deixar o homem, e pediram que não fossem enviados para o abismo. Este é um lugar para o confinamento dos espíritos, até mesmo de Satanás (Ap 20:1 ss.)

Ao invés disto, pediram que lhes fosse permitido entrar numa grande manada de porcos que pastavam ali perto. JESUS lhes deu permissão e os demônios deixaram o homem e entraram nos porcos. Os animais se precipitaram por um despenhadeiro para dentro do lago, onde se afogaram. Há uma dificuldade em ver como demônios pudessem entrar nos porcos, e outro em porque os porcos agiram desta maneira. Mas já que sabemos pouca coisa acerca daquilo que os demônios podem fazer, provavelmente não devemos levantar tais questões. Alguns veem uma dificuldade adicional em que JESUS curou o homem as expensas dos donos dos animais. A isto, a resposta básica deve ser que a cura do homem era mais importante do que uma manada de porcos. Alguém poderia seriamente sustentar que os porcos deveriam ter sido poupados e o homem deixado sem cura? Farrar também indica que “a libertação da vizinhança do perigo e terror deste maníaco selvagem era um beneficio maior a cidade inteira do que a perda desta manada.”

Deve ser lembrado, também, que JESUS nem enviou os demônios para os porcos (nada mais fez do que lhes dar permissão), nem mandou os porcos para o lago (a narrativa não diz que determinou a destruição dos

porcos).

Observação do Ev. Luiz Henrique - Na  verdade era proibido aos judeus a criação de porcos (Lv 11.7). Toda aquela região tinha tomado a decisão de desobedecer às ordens de DEUS. JESUS permitiu que os demônios entrassem nos porcos para que aquela população sentisse o juízo de DEUS sobre a desobediência deles. Os porcos se afogaram, agora aquela população só precisava se arrepender e se dobrar perante JESUS para receberem o perdão e restauração de DEUS. Infelizmente escolheram continuar na rebeldia e mandaram embora o único que podia conduzi-los a DEUS.

Lv 11.7 e o porco, porque tem a unha fendida, de sorte que se divide em duas, mas não rumina, esse vos será imundo.

 

2- A reação (8:34-39). Lucas passa a tratar do modo em que o milagre afetou tanto o respectivo homem e o povo do distrito.

34-36. Os donos dos porcos, como seria natural, fugiram, e espalharam a noticia. As pessoas passaram a vir ver por si mesmas. Acharam aquele que fora endemoninhado assentado aos pés de JESUS, vestido e em perfeito juízo. Obviamente, alguma coisa estranha acontecera, e ficaram dominados de terror.

  1. Com toda a evidencia de que um grande milagre tinha sido operado diante delas, estas pessoas passaram a rejeitar a maior oportunidade das suas vidas. Poderiam ter dado as boas-vindas a JESUS, que liberta

os homens dos demônios. Ao invés disto, possuídos de grande medo, pediram-Lhe que Se retirasse. E assim, Ele partiu. O medo deles pode ter sido devido a uma reação supersticiosa ao poder sobrenatural que tão evidentemente estivera em operação. E possível que também tivesse conexão com as perdas materiais envolvidas com a destruição dos porcos.

Se for assim, viam JESUS como elemento perturbador, mais interessado em salvar os homens do que na prosperidade material. Era mais cômodo pedir-Lhe que Se fosse.

38,39. Com o homem curado, o caso era diferente. Rogou que fosse permitido acompanhar a JESUS. Ele não poderia ficar perto demais do seu Benfeitor. Mas havia trabalho para ele noutra parte. JESUS o mandou

de volta para casa, com a instrução: conta aos teus tudo o que DEUS fez por ti. Como resposta, o homem proclamou tudo quanto JESUS lhe tinha feito. Lucas, decerto, quer que captemos a alusão de que aquilo que JESUS fizera, DEUS fizera. O mandamento no sentido de contar o milagre contrasta-se com a injunção ao silencio noutros lugares (4:41). Talvez neste território predominantemente gentio haveria pouco perigo de despertar especulações messiânicas. E, agora que tinham pedido que JESUS partissse, era mais importante do que nunca que nesta região houvesse alguém para testificar daquilo que DEUS estava fazendo através dEle.de volta para casa, com a instrução: conta aos teus tudo o que DEUS fez por ti. Como resposta, o homem proclamou tudo quanto JESUS lhe tinha feito. Lucas, decerto, quer que captemos a alusão de que aquilo que JESUS fizera, DEUS fizera. O mandamento no sentido de contar o milagre contrasta-se com a injunção ao silencio noutros lugares (4:41). Talvez neste território predominantemente gentio haveria pouco perigo de despertar especulações messiânicas. E, agora que tinham pedido que JESUS partissse, era mais importante do que nunca que nesta regiao houvesse alguém para testificar daquilo que DEUS estava fazendo através dEle.

Leon L. Morris - Lucas - Introdução e Comentário - Editora Vida

 

Versículo 23

Lá desceu uma tempestade de vento - e eles - estavam em perigo - Esta é uma passagem paralela à de Jonas 1:4. Houve uma grande tempestade no mar, de modo que o navio estava a ser quebrado: a última cláusula de que é assim traduzido pela Septuaginta: και το πλοιον εκινδυνευε του συντριβηναι, e o navio estava em perigo de afundar. Este é exatamente o estado dos discípulos aqui; e é notável que a mesma palavra, εκινδυνευον, que traduzimos, estavam em perigo, é usado pelo evangelista, que é encontrado na versão grega acima citado. A palavra perigo, um termo francês inexpressiva, e totalmente impróprias para o lugar que ocupa agora, é propriamente a exclamação de um jogador decepcionado, Já perdeu! O jogo está perdido! Ou, já perdeu ! Perdi! Ou seja, o jogo.

Versículo 25

Onde está a sua fé? - Vocês tem um poder de acreditar, e ainda não exerce-o! Confie em DEUS. Vocês têm pouca fé, (Mateus 8:26), porque você não usam a graça que eu já dei. Muitos estão procurando por mais fé sem usar o que eles têm. É possível para esconder esse talento como qualquer outro.

Versículo 26

O país dos gadarenos - Ou, de acordo com vários MSS, Gerasenos ou Gergasenos. Veja em Mateus 8:28;, e Marcos 5:1.

Versículo 27

Um certo homem - Veja o caso deste endemoniado considerado em geral, sobre os lugares paralelos, Mateus 8:28-34; Marcos 5:1-20. Na Índia pessoas dementes andam em liberdade pelas ruas do país vestido de qualquer maneira; às vezes completamente nús; e muitas vezes morrem enquanto passeiam de lugar para lugar. É o mesmo na Irlanda, já que não existem asilos públicos lá ou na Índia para pessoas insanas.

Versículo 28

JESUS, Filho do DEUS Altíssimo - As palavras de JESUS e DEUS são omitidas aqui por vários MSS. Eles foram constrangidos de forma sumária a reconhecer o seu poder. As palavras que eles falaram na ocasião parecem ter sido estas, O que é que queres conosco, ó Filho do Altíssimo?

Versículo 31

E rogavam-lhe que não os mandasse sair para o abismo - Na filosofia Caldaica, faz-se menção de certos demônios que entram nas pessoas, que têm permissão para vagar sobre a terra, e teem um terrível medo de serem enviados para os abismos e lugares subterrâneos. Psellus diz: De Daemonibus: "Esses demônios materiais tementes a ser enviado em abismos, e de pé em reverência dos anjos que os enviam para lá, se até mesmo um homem ameaçar de enviá-los para lá e pronunciar os nomes dos demônios cuja morada é lá, ficam atemorizados e perturbados. Tão grande fica seu espanto que eles não podem discernir a pessoa que os ameaça. E apesar de ser uma mulher de idade ou velhinho que lhes ameaça, ainda assim é grande o seu medo que eles sejam enviados para esses lugares de tormento eterno". Veja Filosofia Caldaica de Stanley.

Versículo 33

Em seguida, tendo os demônios saído do homem, entraram nos porcos - Alguns críticos e comentaristas querem nos fazer entender tudo isso do próprio homem, que, segundo eles, era um maníaco mais escandaloso; e que, sendo permitida pelo nosso Senhor, ele correu atrás dos suínos, e os conduziu todos para baixo num precipício para o mar! Parece impossível crêr no que escreve Lucas. Os demônios saíram do homem e entraram nos porcos; ou seja, o louco correu atrás dos porcos!

Versículo 34

Eles fugiram, e foram anunciá-lo - Απελθοντες, eles foram, é omitido por quase todos os teólogos de renome, e pela melhor das versões antigas. Griesbach deixa-o para fora, e com propriedade também, já que não é provável corrigir um escritor como Lucas que diz que fugiram, e foram anunciá-lo.

Lucas Adam Clarke

 

DISCERNINDO OS ESPÍRITOS (Por A.L. e Joyce Gill - Evangelismo de Milagres)

Definição

O dom de Discernir os Espíritos é algo que se realiza de forma sobrenatural, no domínio do mundo espiritual. Este discernimento revela-nos o tipo de espírito ou espíritos, por detrás de uma pessoa, situação, ação ou mensagem. É uma certeza no nosso espírito que chega por revelação sobrenatural, relativamente à fonte, natureza ou atividade de qualquer espírito.

Existem três áreas no domínio do espírito que podem ser distinguidas através da operação deste dom.

-  O ESPÍRITO de DEUS, ou Seus anjos.

-  O espírito humano.

-  Satanás ou os espíritos demoníacos.

 

Espíritos de Enfermidade

Frequentemente espíritos de enfermidade são os responsáveis diretos pela doença ou enfermidade das pessoas. Por exemplo há espíritos de tumor maligno, artrite, ressentimento e amargura. Através do Dom de Discernir os Espíritos, o ESPÍRITO SANTO revela-nos o espírito em questão, ou revela-nos a fonte exata do problema e onde devemos colocar o nosso dedo, para a pessoa ser liberta e curada.

Lucas 11:20 Mas, se é pelo dedo de DEUS que eu expulso os demônios, logo é chegado a vós o reino de DEUS.

Como Operam os Dons

Quando alguém é dirigido pelo ESPÍRITO de DEUS, a manifestação do Dom de Discernir os Espíritos pode vir através de impressões ou pensamentos, que revelam a identidade ou o nome do espírito que constitui a raiz do problema.

Mateus 9:32, 33 Enquanto esses se retiravam, eis que lhe trouxeram um homem mudo e endemoninhado. E, expulso o demônio, falou o mudo e as multidões se admiraram, dizendo: Nunca tal se viu em Israel. De forma a operar no domínio espiritual e combater espiritualmente de forma eficaz, devemos compreender isto e entregar-nos a nós mesmos à operação do Dom de Discernir os Espíritos. Através deste Dom, o ESPÍRITO SANTO dar-nos-á diretamente poder.

 

EXPULSANDO ESPÍRITOS DE ENFERMIDADE

O Ministério de JESUS

Muito do ministério de JESUS, foi concretizado, através da expulsão de espíritos demoníacos. Ainda hoje, muitos estão sendo libertos de enfermidades e doenças, por crentes que tomam autoridade sobre esses espíritos, que foram incumbidos pelo inimigo para roubar, matar e destruir.

Em Lucas, lemos acerca de uma mulher que estava escravizada por Satanás, por um espírito de enfermidade.

Lucas 13:11-13,16 E estava ali uma mulher que tinha um espírito de enfermidade havia já dezoito anos; e andava encurvada, e não podia de modo algum endireitar-se. Vendo-a JESUS, chamou-a, e disse-lhe: Mulher, estás livre da tua enfermidade. E impôs-lhe as mãos e imediatamente ela se endireitou, e glorificava a DEUS. JESUS identifica claramente este espírito de enfermidade, como uma escravidão de Satanás.

  1. 16 E não devia ser solta desta prisão, no dia de sábado, esta que é filha de Abraão, a qual há dezoito anos Satanás tinha presa?

A palavra “enfermidade”, significa uma doença ou fraqueza. Um espírito de enfermidade é simplesmente um espírito de doença ou fraqueza. Podem ser todo o tipo de doenças que não causa dor física (enquanto as doenças são causadoras de dores).

Atos 10.38 concernente a JESUS de Nazaré, como DEUS o ungiu com o ESPÍRITO SANTO e com poder; o qual andou por toda parte, fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do Diabo, porque DEUS era com ele.

Doenças Incuráveis

Com DEUS, não existem doenças incuráveis. Quase todas as doenças, cujos médicos descrevem como incuráveis, são causadas por espíritos demoníacos. Ao ministrar a essas pessoas, podemos dirigir-nos aos espíritos de enfermidade, ou chamá-los pelo nome específico da doença. Por exemplo, nós falamos a espíritos de tumor maligno, leucemia ou artrite.

Incluamos na lista as seguintes doenças, normalmente causadas por espíritos de enfermidade:

Álcool, Tabaco, Toxico dependência, Alergias, Artrite, Asma, Cegueira, Cancro, Paralisia cerebral, Surdez, Depressão, Diabetes, Epilepsia, Infecções, Loucura, Lepra, Leucemia, Lúpus, Esclerose Múltipla, Atrofia Muscular, Doença de Parkinson, Dor, Paralisia, Escoliose, Tumores, etc...

Exemplos Bíblicos

-  Mudo

Mateus 9:32,33a Enquanto esses se retiravam, eis que lhe trouxeram um homem mudo e endemoninhado. E, expulso o demônio, falou o mudo.

-  Surdo Mudo

Marcos 9:25 E JESUS, vendo que a multidão, correndo, se aglomerava, repreendeu o espírito imundo, dizendo: ESPÍRITO mudo e surdo, eu te ordeno: Sai dele, e nunca mais entres nele.

-  Possessão Demoníaca

Mateus 17:15,18 Senhor, tem compaixão de meu filho, porque é epiléptico e sofre muito; pois muitas vezes cai no fogo, e muitas vezes na água. Então JESUS repreendeu ao demônio, o qual saiu do menino, que desde aquela hora ficou curado.

-  Cego e Mudo

Mateus 12:22 Trouxeram-lhe então um endemoninhado cego e mudo; e ele o curou, de modo que o mudo falava e via.

-  Artrite

Lucas 13:11,12 E estava ali uma mulher que tinha um espírito de enfermidade havia já dezoito anos; e andava encurvada, e não podia de modo algum endireitar-se. Vendo-a JESUS, chamou-a, e disse-lhe: Mulher, estás livre da tua enfermidade;

 

Amarrando e Libertando

Ao lidarmos com espíritos de enfermidade, foi-nos dada autoridade e instruções para um ministério eficaz.

Mateus 16:19 Dar-te-ei as chaves do reino dos céus; o que ligares, pois, na terra será ligado nos céus, e o que desligares na terra será desligado nos céus.

-  Amarrando

Amarrar significa constranger, reprimir, limitar a capacidade de ação, por exemplo:

-  “Eu amarro-te de continuares a agir no corpo desta pessoa”.

-  “Eu amarro-te espírito de tumor maligno”.

-  Libertar Significa dar liberdade à pessoa, livrá-la da escravidão da doença.

Lucas 13:12a Mulher, estás livre da tua enfermidade;

 

Expulsando Demônios

Parte da Comissão que nos foi entregue, consiste em expulsar os demônios.

Marcos 16:17a E estes sinais acompanharão aos que crerem: em meu nome expulsarão demônios...

Mateus 9:33 E, expulso o demônio, falou o mudo e as multidões se admiraram, dizendo: Nunca tal se viu em Israel.

A Provisão de DEUS Para a Cura - Recebendo e Ministrando - O Poder Curador de DEUS - Por A.L. e Joyce Gill

 

Ministrando Cura e Libertação

Há muitas formas de ministrar aos doentes e aos endemoninhados. Nos Evangelhos e no livro de Atos, vemos as diferentes formas como JESUS ministrou às necessidades das pessoas.

Qualquer um envolvido no evangelismo de milagres deve ser guiado pelo ESPÍRITO. Quando um Cristão é curado, os descrentes ouvem falar disso. Cada cura, libertação e milagre devia levar os descrentes a crer e a receber JESUS como seu Salvador.

 

Operação de Milagres

Definição A operação de milagres é uma intervenção sobrenatural de DEUS no curso normal da natureza. É a demonstração sobrenatural do poder de DEUS pelo qual as leis da natureza são alteradas, suspensas ou controladas. É tão fácil operar um milagre como dar uma mensagem em línguas. Em geral, recebemos uma palavra de conhecimento e depois uma palavra de sabedoria que revela o que DEUS quer que façamos com esse conhecimento. Quando recebemos a palavra de sabedoria, vemo-nos a operar um milagre. De repente, o dom de fé é liberado e atuamos  com ousadia o que acabamos de ver no ESPÍRITO. É por esta razão que se chama operação de milagres.

Na Vida de JESUS

Quando JESUS alimentou milhares com sete pães e alguns peixes, temos um maravilhoso exemplo da operação de milagres.

Mateus 15:33-38 Disseram-lhe os discípulos: Donde nos viriam num deserto tantos pães, para fartar tamanha multidão? Perguntou-lhes JESUS: Quantos pães tendes? E responderam: Sete, e alguns peixinhos. E tendo ele ordenado ao povo que se sentasse no chão, tomou os sete pães e os peixes, e havendo dado graças, partiu-os, e os entregava aos discípulos, e os discípulos à multidão. Assim todos comeram, e se fartaram; e do que sobejou dos pedaços levantaram sete alcofas cheias. Ora, os que tinham comido eram quatro mil homens, além de mulheres e crianças.

Observação do Ev. Luiz Henrique -São duas as multiplicação de pães. Numa sobram doze cestos cheios, símbolo da salvação em JESUS (o pão vivo que desceu do céu) para os judeus e suas doze tribos (Mateus 14:20; Marcos 6:43;Lucas 9:17). Doutra vez sobram sete cestos cheios como símbolo da salvação em JESUS (o pão vivo que desceu do céu) a todos os gentios (o sete é símbolo de totalidade - como as sete igrejas da Ásia, de apocalipse) Mateus 15:37;Marcos 8:8.

 

Há muitas razões para a operação de milagres.

Proteção

Libertação do perigo

Suprir as necessidades

Levar a cabo uma avaliação

Confirmar a chamada de uma pessoa

Confirmar uma palavra acabada de pregar.

 

Quando operamos no sobrenatural numa base regular, os perdidos deste mundo prestarão atenção e quererão uma relação com este DEUS poderoso, amoroso e operador de milagres.

Disse ao homem: Estende a tua mão. Ele estendeu, e lhe foi restabelecida.

Há pessoas que ficam sem alguma parte do seu corpo devido à cirurgia, acidentes, doenças degenerativas ou defeito de nascimento. À semelhança de JESUS, podemos liberar a nossa fé para ministrar milagres criativos, falando e ordenando à parte do corpo em falta que seja restaurada.

Marcos 11:23 Em verdade vos digo que qualquer que disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar; e não duvidar em seu coração, mas crer que se fará aquilo que diz, assim lhe será feito.

 

DEUS Não é Relutante

JESUS deu-nos autoridade sobre todo o poder do inimigo, temos de realizar com ousadia as obras de JESUS que disse que deveríamos curar os doentes. Ele não disse que tínhamos de Lhe pedir que o fizesse.

A nossa reação imediata quando alguém vem ter conosco e necessita de um milagre criativo devia ser: “Oh, isso é fácil para DEUS!” Quando necessitamos de fé operadora de milagres, temos de ser sensíveis ao ESPÍRITO SANTO. Se este é o momento para um milagre criativo ocorrer, DEUS dar-nos-á uma palavra de sabedoria e veremos o milagre a ocorrer antes de ministrarmos. O dom de fé será liberado e falaremos com ousadia à montanha. Mateus 17:20 Disse-lhes ele: Por causa da vossa pouca fé; pois em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda direis a este monte: Passa daqui para acolá, e ele há de passar; e nada vos será impossível.

Quando falamos com autoridade, temos de ordenar com ousadia que o corpo seja restaurado ao seu estado normal. Podemos dizer: “Ordeno que haja um novo coração neste corpo!”

“Ordeno que estes dedos cresçam!”. JESUS falou com ousadia no Seu ministério de milagres.

Atos 14:8-10 E estava assentado em Listra certo homem leso dos pés, coxo desde o ventre de sua mãe, o qual nunca tinha andado. Este ouviu falar Paulo, que, fixando nele os olhos, e vendo que tinha fé para ser curado, Disse em voz alta: Levanta-te direito sobre teus pés. E ele saltou e andou.

O Diabo tentará colocar pensamentos na nossa mente: “E se ministrares a alguém que não for curado? Vais ficar em maus lençóis”. Em vez disso, devemos dizer com ousadia: “JESUS falou e eu creio n’Ele. Portanto, prefiro obedecer às palavras de JESUS”.

Marcos 16:18b ...e porão as mãos sobre os enfermos, e estes serão curados.

Logo depois de libertarmos o poder sarador de DEUS no corpo de alguém, devemos levá-lo a colocar a sua fé em ação . JESUS disse ao homem com a mão mirrada: “Estende a mão!” Disse ao coxo: “Pega na tua cama e anda!”. Como crentes cheios do ESPÍRITO, temos o mesmo poder sarador em nós que estava em JESUS. Ao impormos as mãos sobre os doentes, pela fé libertamos o poder sarador do ESPÍRITO SANTO que fluirá para o corpo de quem necessita de cura. Quando pronunciamos com ousadia o nome de JESUS, expulsamos os espíritos de enfermidade e realizamos milagres criativos. DEUS confirmará a Sua Palavra com grandes milagres de cura. Sempre que as pessoas são curadas, a Palavra de DEUS é confirmada e as pessoas conhecerão JESUS. DEUS está a restaurar o evangelismo de milagres na igreja e estamos a viver uma vez mais dias excitantes tal como os que estão registrados no livro de Atos.

 

Paulo - ESPÍRITO de Adivinhação

Paulo operou no dom espiritual de discernimento de espíritos pela unção que estava em si.

Atos 16:16-18 Ora, aconteceu que quando íamos ao lugar de oração, nos veio ao encontro uma jovem, que tinha um espírito adivinhador, e que, adivinhando, dava grande lucro a seus senhores. Ela, seguindo a Paulo e a nós, clamava, dizendo: São servos do DEUS Altíssimo estes homens que vos anunciam um caminho de salvação. E fazia isto por muitos dias. Mas Paulo, perturbado, voltou-se e disse ao espírito: Eu te ordeno em nome de JESUS CRISTO que saias dela. E na mesma hora saiu.

Evangelismo De Milagres  - Por A. L. e Joyce Gill

 

NÓS ESTAMOS EM GUERRA!

Guerra - Como cristãos, devemos estar apercebidos do fato de estarmos envolvidos em guerra. Uma das mais importantes estratégias de Satanás tem sido a de nos cegar em relação ao conflito em que estamos envolvidos, e assim tornar-nos indefesos contra os seus ataques. Mas DEUS deu-nos todas as armas que precisamos para sermos vitoriosos sobre o nosso inimigo!

2 Coríntios 10:3-4 Porque, embora andando na carne, não militamos segundo a carne, pois as armas da nossa milícia não são carnais, mas poderosas em DEUS, para demolição de fortalezas;

1 Timóteo 6:12 Peleja a boa peleja da fé, apodera-te da vida eterna, para a qual foste chamado, tendo já feito boa confissão diante de muitas testemunhas.

É importante lembrar que estas armas não são do mundo natural. Elas são do espírito. Muitos dos escritores do Novo Testamento usaram termos de guerra. Não são termos simbólicos, mas autênticas descrições da batalha na qual estamos envolvidos. Estas batalhas têm de ser conduzidas na dimensão do espírito.

O Nosso Inimigo

Nós estamos debaixo de ataque do inimigo em todas as áreas da nossa vida diária e relacionamentos.

 

QUEM É O NOSSO INIMIGO?

Se sabemos que estamos em guerra, é importante estabelecer quem o nosso inimigo é.

Principados – Potestades, Poderes - Hostes Espirituais

O apóstolo Paulo descreve o nosso inimigo quase graficamente. Ele afirma-nos que a nossa luta não é contra as pessoas à nossa volta. A nossa luta não é contra a carne e o sangue.

Efésios 6:12 Pois não é contra carne e sangue que temos que lutar, mas sim contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes do mundo destas trevas, contra as hostes espirituais da iniquidade nas regiões celestes.

O Diabo

Pedro deixou bem claro que o nosso inimigo é o diabo.

1 Pedro 5:8 Sede sóbrios, vigiai. o vosso adversário, o Diabo, anda em derredor, rugindo como leão, e procurando a quem possa tragar.

Esquemas

Os esquemas do diabo são as suas estratégias, planos de decepção e engano que usa contra nós. Ele tem um tipo de batalha militar para usar na sua tentativa de derrotar-nos. No entanto, à medida que nos vamos apercebendo dos seus planos, devemos tornar-nos mais conscientes da armadura e das armas que DEUS providenciou para a nossa batalha. As armas são para a nossa ofensiva vitoriosa sobre os nossos inimigos.

Efésios 6:11 Revesti-vos de toda a armadura de DEUS, para poderdes permanecer firmes contra as ciladas do Diabo.

Um Aviso

-Ocupa-te com JESUS

-Conhece a Autoridade

-Nunca fiques intimidado pelo Diabo

Não devemos ficar preocupados demasiadamente com o diabo, os seus demônios, ou os seus esquemas. Em vez disso, devemos ocupar-nos com JESUS. À medida que mantivermos os nossos olhos postos n’Ele, tornar-nos-emos conscientes de quem nós somos n’Ele. À medida que nos tornamos cientes da nossa autoridade restaurada através de JESUS, a ousadia levantar-se-á nos nossos espíritos. Nós não seremos intimidados pelo diabo ou pelos seus esquemas.

O Maior Medo de Satanás

Satanás conhece a nossa autoridade. Ele sabe o que DEUS disse e fez. É-lhe extremamente importante que nós não conheçamos a nossa autoridade que não descubramos nem comecemos a andar na nossa autoridade e domínio dados por DEUS. Satanás tem razão para recear o homem e a mulher que caminham na sua autoridade dada por DEUS.

 

As Tarefas de Satanás

Satanás organizou as suas forças para um plano de batalha completo. Príncipes das trevas estão comissionados sobre cada nação, cada homem, cada mulher, cada criança, para aprisioná-los. As instruções que tem são para roubar, matar e destruir. DEUS trouxe a Lei à humanidade para que tivessem perdão para os seus pecados e andassem em comunhão com Ele. Mas por quatro mil anos Satanás dominou sobre a terra por causa da desobediência da humanidade.

 

JESUS operou com autoridade e poder enquanto esteve nesta terra como DEUS, ou como homem — cheio do poder do ESPÍRITO SANTO?

JESUS, O Último Adão

Paulo referiu-se a JESUS como O Último Adão.

1 Coríntios 15:45 Assim também está escrito: O primeiro homem, Adão, tornou-se alma vivente; o último Adão, espírito vivificante. JESUS, como último Adão, andou e ministrou com autoridade nesta terra tal como para o qual tinha sido criado o primeiro Adão.

É muito importante compreender isto porque foi somente pelo cumprimento da Lei como Último Adão que Ele nos podia trazer libertação da Lei. Somente sendo humano podia tornar-se o nosso Salvador. Era necessário Ele derrotar Satanás, como homem, para ganhar de volta a autoridade que Satanás tinha roubado ao primeiro Adão. Visto JESUS ter sido o primeiro homem perfeito depois de Adão, tinha a autoridade que fora dada primeiro a Adão.

Quando O ESPÍRITO SANTO veio sobre Ele, Ele também tinha o poder de DEUS dentro d’Ele.

 

O Batismo de JESUS

O ESPÍRITO SANTO Veio Sobre Ele João Batista viu o ESPÍRITO de DEUS descendo sobre JESUS e esse evento foi tão importante que se encontra registrado nos quatro Evangelhos (Marcos 1:10; Lucas 3:22, João 1:32).

Mateus 3:16 Batizado que foi JESUS, saiu logo da água; e eis que se lhe abriram os céus, e viu o ESPÍRITO SANTO de DEUS descendo como uma pomba e vindo sobre ele.

Milagres Realizados

JESUS nunca realizara qualquer milagre durante os primeiros trinta anos da Sua vida, mas quando estava prestes a começar o Seu ministério público o ESPÍRITO SANTO desceu sobre Ele. Então, no poder do ESPÍRITO SANTO, começou o Seu ministério miraculoso. A autoridade de DEUS em operação com O ESPÍRITO de DEUS são os poderes gêmeos da vitória!

O apóstolo Paulo dá-nos uma luz do que se passou na mente de CRISTO quando Ele veio a esta terra. Paulo diz-nos que Ele deixou de lado todos os Seus atributos como DEUS.

Filipenses 2:5-8 Tende em vós aquele sentimento que houve também em CRISTO JESUS, o qual, subsistindo em forma de DEUS, não considerou o ser igual a DEUS coisa a que se devia aferrar, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, tornando-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz.

 

Lucas 10:19 Eis que vos dei autoridade para pisar serpentes e escorpiões, e sobre todo o poder do inimigo; e nada vos fará dano algum.

Somente como novas criaturas em JESUS podemos tornar-mo-nos homens e mulheres para o qual fomos criados no plano de DEUS. Somente quando lemos os Evangelhos e vemos JESUS a andar como um homem perfeito podemos compreender o padrão de DEUS para o nosso viver e andar em absoluta autoridade e domínio cada dia das nossas vidas.

Quando JESUS foi batizado no Rio Jordão, O ESPÍRITO SANTO veio sobre Ele para dar-LHE poder para o Seu ministério terreno. Imediatamente após essa experiência, conduziu-O ao deserto, onde Ele ganhou a vitória sobre Satanás e as suas tentações, falando a Palavra de DEUS. Tendo demonstrado a Sua autoridade nesta terra como um homem cheio do poder do ESPÍRITO SANTO, estava pronto para começar o Seu ministério terreno.

 

Começou o Seu ministério na Galileia, ungido pelo ESPÍRITO SANTO e falando com autoridade.

Lucas 4:14, 16, 18-21 Então voltou JESUS para a Galileia no poder do ESPÍRITO; e a sua fama correu por toda a circunvizinhança. Chegando a Nazaré, onde fora criado; entrou na sinagoga no dia de sábado, segundo o seu costume, e levantou-se para ler. O ESPÍRITO do Senhor está sobre mim, porquanto me ungiu para anunciar boas novas aos pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos, e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e para proclamar o ano aceitável do Senhor. E fechando o livro, devolveu-o ao assistente e sentou-se; e os olhos de todos na sinagoga estavam fitos nele. Então começou a dizer-lhes: Hoje se cumpriu esta escritura aos vossos ouvidos. (JESUS estava a ler Isaías 61:1-2).

 

vs.33-35 Havia na sinagoga um homem que tinha o espírito de um demónio imundo; e gritou em alta voz: Ah! que temos nós contigo, JESUS, nazareno? vieste destruir-nos? Bem sei quem és: o SANTO de DEUS.

Mas JESUS o repreendeu, dizendo: Cala-te, e sai dele. E o demónio, tendo-o lançado por terra no meio do povo, saiu dele sem lhe fazer mal algum.

JESUS ordenou ao demónio que saísse, e porque ele conhecia a autoridade de JESUS, saiu.

v.36 E veio espanto sobre todos, e falavam entre si, perguntando uns aos outros: Que palavra é esta, pois com autoridade e poder ordena aos espíritos imundos, e eles saem? JESUS tinha autoridade sobre os demónios.

vs.40-41 Ao pôr do sol, todos os que tinham enfermos de várias doenças lhos traziam; e ele punha as mãos sobre cada um deles e os curava. Também de muitos saíam demónios, gritando e dizendo: Tu és o

Filho de DEUS. Ele, porém, os repreendia, e não os deixava falar; pois sabiam que ele era o CRISTO.

 

Autoridade Sobre o Corpo Humano

JESUS ordenou ao homem da mão mirrada. “Estende a tua mão!”

Marcos 3:1-3 Outra vez entrou numa sinagoga, e estava ali um homem que tinha uma das mãos atrofiada. E observavam-no para ver se no sábado curaria o homem, a fim de o acusarem. E disse JESUS ao homem

que tinha a mão atrofiada: Levanta-te e vem para o meio.

JESUS sabia que o homem ia ser curado. Ele disse, “Levanta-te e vem para o meio.”

vs.4-5 Então lhes perguntou: É lícito no sábado fazer bem, ou fazer mal? salvar a vida, ou matar? Eles, porém, se calaram. E olhando em redor para eles com indignação, condoendo-se da dureza dos seus

corações, disse ao homem: Estende a tua mão. Ele estendeu, e lhe foi restabelecida.

Com autoridade, JESUS falou a Palavra e o homem estendeu a mão e foi curado.

JESUS tinha autoridade sobre a figueira.

Mateus 21:19 E, avistando uma figueira à beira do caminho, dela se aproximou, e não achou nela senão folhas somente; e disse-lhe: Nunca mais nasça fruto de ti. E a figueira secou imediatamente. JESUS falou ao vento e ao mar com autoridade e eles lhe obedeceram.

Marcos 4:35-38 Naquele dia, quando já era tarde, disse-lhes: Passemos para o outro lado. E eles, deixando a multidão, o levaram consigo, assim como estava, no barco; e havia com ele também outros barcos. E se levantou grande tempestade de vento, e as ondas batiam dentro do barco, de modo que já se enchia. Ele, porém, estava na popa dormindo sobre a almofada; e despertaram-no, e lhe perguntaram: Mestre, não se te dá que pereçamos?

 

JESUS repreendeu o vento e deu ordens ao mar.

vs.39-40 E ele, levantando-se, repreendeu o vento, e disse ao mar: Cala-te, aquieta-te. E cessou o vento, e fez-se grande bonança. Então lhes perguntou: Por que sois assim tímidos? Ainda não tendes fé? A implicação por detrás destas palavras de JESUS era, “Porque estavam com tanto medo? Vocês poderiam ter acalmado a tempestade. Onde está a vossa fé?” v.41 Encheram-se de grande temor, e diziam uns aos outros: quem, porventura, é este, que até o vento e o mar lhe obedecem?

Evangelismo De Milagres  - Por A. L. e Joyce Gill

 

 

 

 

SUBSÍDIO DIDÁTICO - PEDAGÓGICO

O comentarista da lição menciona que “os pormenores descritos em Marcos são de um só, razão pela qual a narrativa está concentrada nele”. O destaque aqui são os textos de Mateus 8.28, Marcos 5.2 e Lucas 8.27. À luz do primeiro tópico, faça um exercício comparativo desses três textos e aponte, juntamente com a turma, “os pormenores” de ambos. Esse exercício é muito importante, pois abre o entendimento dos alunos para a abrangência dos Evangelhos em suas diversas facetas. É possível, assim, compreender que os pontos distintos entre os Evangelhos não se excluem, mas complementam-se, ratificando a fidedignidade do texto bíblico.

 

PARA REFLETIR - A respeito de “Possessão Demoníaca e a Autoridade do Nome de JESUS”, responda:

Qual a ênfase dada por Mateus no relato do endemoninhado gadareno?

A ênfase de Mateus é a autoridade de JESUS sobre os espíritos malignos.

Qual a ordem que recebemos de JESUS sobre os demônios?

“Expulsai os demônios” (Mt 10.8).

O que Marcos parece mostrar sobre Satanás e os demônios diante do Senhor JESUS?

Marcos parece mostrar Satanás e seus demônios como inconvenientes, e não como seres todo-poderosos diante de JESUS (Mc 1.23-26, 34; 3.11).

Como os judeus consideravam os porcos e os demônios?

Os judeus consideravam os demônios e os porcos como pertencentes à mesma ordem, e os porcos eram considerados o lar dos espíritos imundos.

O que a população de Gadara fez depois que JESUS libertou o gadareno?

JESUS foi convidado a se retirar da terra dos gadarenos por causa do prejuízo dos porqueiros (Mc 5.16,17).

CONSULTE - Revista Ensinador Cristão - CPAD, nº 77, p38.

SUBSÍDIO DOUTRINÁRIO

Ao final desse tópico, seria importante levar o aluno um relato consistente de um caso de possessão demoníaca em que algumas características reais podem ser demonstradas. Sugerimos um dos casos mencionados em uma das obras do teólogo pentecostal Myer Pearlman, Conhecendo as Doutrinas da Bíblia, onde o estudioso cita o Dr. Nevius, missionário na China, em que ali se descreve que os casos de pessoas possuídas na China são os mesmos apresentados nas Escrituras. Neles, as pessoas manifestam uma espécie de dupla consciência. O Dr. Nevius exemplifica isso com o caso de uma senhora chinesa que, apesar de estar sob a influência de um demônio, cujo impulso era fugir da presença de CRISTO, sentiu-se movida por uma influência oposta, a deixar seu lar e buscar ajuda de JESUS. Ainda sobre esse aspecto, o Dr. Nevius chega a seguinte conclusão: “A característica mais surpreendente desses casos é que o processo dá evidências de outra personalidade, e a personalidade normal nessa hora está parcial ou totalmente dormente. A nova personalidade apresenta feições de caráter diferentes por inteiro, daqueles que realmente pertencem à vítima em seu estado normal, e esta troca de caráter tende, com raras exceções, para a perversidade moral e impureza... Muitas pessoas, quando possuídas de demônios, dão evidências de um conhecimento do qual não podem dar conta em seu estado normal. Muitas vezes parece que conhecem ao Senhor JESUS CRISTO como uma pessoa divina, e mostram aversão e temor a Ele”

CONHEÇA MAIS - Legião

“[...] A legião era dividida em dez coortes, cada uma formada por três tropas que, por sua vez, eram formadas por duas companhias de cem soldados (centuárias). No NT, esse termo só é usado como uma referência aos demônios (Mc 5.9,15; Lc 8.30) ou aos anjos (Mt 26.53).” Leia mais em Dicionário Bíblico Wycliff, CPAD, p.

SUBSÍDIO BÍBLIOLÓGICO

É muito interessante reconstruir, o máximo possível, o contexto que ocorre a possessão demoníaca de Gadara. Veja o que este comentário diz a respeito: “Há várias linhas de tensão nesta história – tensão entre JESUS e a legião de demônios, tensão entre JESUS e o povo da cidade, tensão entre JESUS o endemoninhado e o povo da cidade. Cada linha esforça-se contra as outras, de forma que do momento em diante em que JESUS aparece na cena a atmosfera fica progressivamente carregada. Não é de admirar que o povo da cidade entre em pânico!” (STRONSTAD, Roger; ARRINGTON, French L. (Eds.) Comentário Bíblico Pentecostal Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2003, p.215).

 

AJUDA BIBLIOGRÁFICA

Teologia Sistemática de Charles Finney

BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD.

Bíblia de estudo - Aplicação Pessoal.

CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal.

CHAMPLIN, R.N. O Novo e o Antigo Testamento Interpretado versículo por Versículo.

Conhecendo as Doutrinas da Bíblia - Myer Pearman - Editora Vida

Comentário Bíblico Beacon, v.5 - CPAD.

Comentário Bíblico TT W. W. Wiersbe

Comentário Bíblico Expositivo - Novo Testamento - Volume I - Warren W. Wiersbe

CRISTOLOGIA - A doutrina de JESUS CRISTO - Esequias Soares - CPAD

Dicionário Bíblico Wycliffe - CPAD

GARNER, Paul. Quem é quem na Bíblia Sagrada. VIDA

Guia Básico de Interpretação da Bíblia - CPAD

http://www.gospelbook.net, www.ebdweb.com.br, http://www.escoladominical.net, http://www.portalebd.org.br/, Bíblia The Word.

O Novo Dicionário da Bíblia - J.D.DOUGLAS.

Peq.Enc.Bíb. - Orlando Boyer - CPAD

Pequeno Atlas Bíblico - CPAD Hermenêutica Fácil e Descomplicada - CPAD

Revista Ensinador Cristão - CPAD.

STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal. CPAD.

Teologia Sistemática Pentecostal - A Doutrina da Salvação - Antonio Gilberto - CPAD

Teologia Sistemática - Conhecendo as Doutrinas da Bíblia - A Salvação - Myer Pearman - Editora Vida

Teologia Sistemática de Charles Finney

VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm

HOUAISS, Antônio. Dicionário da Língua Portuguesa. OBJETIVA.

ALLMEN, J. J. V. VocabulárioBíblico,2ª Edição. Asso­ciação de Seminários Teológicos Evangélicos, São Pau­lo, SP,1972

APPUI, BLOOMFIELD, A. E. Apocalipse-OFuturoglo­riosodoPlanetaTerra,Editora Betânia, Belo Horizon­te, MG, 1980

BROWN, C. ONouoDicionárioInternacionaldeTeologia, 4º Volumes. Edições Vida Nova, São Paulo, SP, 1981 A 1985

BUBECK, M. I. OAdversário.Edições Vida Nova, São Paulo, SP,1985

CHAFER, L. S. TeologiaSistemática,1ª Edição. Impren­sa Batista Regular, São Paulo, SP,1986

CHAMPLIN, R. N. ONouoTestamentoInterpretado VersículoporVersículo.6 volumes, 1ª Edição, 3ªIm­pressão. Distribuidora Cultura Ltda. (MILENIUM); São Paulo, SP,1982

COOKE, W. TeologiaCrista,5ª Edição, op. cit. em1947

CORSINI, E. Apocalipse-OApocalipsedeSãoJoão,Edi­ções Paulinas, São Paulo, SP,1984

DAVIS, J. D. DicionáriodaBíblia,11ª Edição. Editora JUERP, Rio de Janeiro, RJ. 1985

DURRANT, H. LesDossiersdesOVNI(Os Estranhos Ca­sos dos OVNI). Éditions Robert Laffont, S. A., Paris, França, 1973

FHILLIPS, Mc. C. O Mundo Espiritual, Wheaton, 1970 GAEBELEIN, A. C.Os Anjos de DEUS. op. cit.1947

GRAHAM, B. Anjos:Os Agentes Secretos de DEUS,1ª Edição. Editora Record, Rio de Janeiro, RJ. 1975

HALLEY, H. H. Manual Bíblico de Halley, 5 ª Edição. Edições Vida Nova, São Paulo, SP, 1983

LADD, G. E. Apocalipse - Introdução e Comentário. Edições Vida Nova, São Paulo, SP,1980

LARKIN, C. O Mundo dos Espíritos, op. cit.1947

LOCKYER, H. Apocalipse-O Drama dos Séculos. Editora Vida, Miami, Flórida,1982

MILLER, C. L. Tudo sobre Anjos: O outro lado do mundo e dos espíritos, V Edição. Editora Vida, São Paulo, SP, 1978

NEVIUS, J. L. PossessãoDemoníacaeTemasConexos. Nova Iorque, Revell,1893

RIDEERBOS, J. Isaías,Introdução e Comentário,1ª Edição. Editora Mundo Cristão, São Paulo, SP, 1986

SCOFIELD, C. I. Bíblia anotada por Scofield.Imprensa Batista Regular, São Paulo, SP

SEISS, J. A. O Apocalipse,3 Volumes, Filadélfia, 1865

SHEDD, R. P. O Novo Comentário da Bíblia,3ª volumes, 1ª Edição, 3ª Reimpressão. Edições Vida Nova, São Paulo, SP,1979

SHEDD, R. P. ONovoDicionáriodaBíblia.2º Volumes, 1ªEdição, 4ª Reimpressão. Edições Vida Nova, São Pau­lo, SP,1983

SILVA, S. P. Apocalipse:VersículoporVersículo,4ª Edi­ção do autor, Rio de Janeiro, RJ,1987

SILVA, S. P. Daniel:VersículoporVersículo,2ª Edição. Casa Publicadora das Assembléias de DEUS, Rio de Ja­neiro, RJ,1986

SUMMERS, R.Apocalipse-AMensagemdoApocalipse. Editora JUERP, Rio de Janeiro, RJ,1978

TAYLOR, J. B. Ezequiel,IntroduçãoeComentário,1ªEdição. Editora Mundo Cristão, São Paulo, SP, 1984

VANNI, H. Apocalipse-UmaAssembléiaLitúrgicaInter­pretaaHistória.Edições Paulinas, São Paulo, SP,1984

Livro Batalha Espiritual - Livro de Apoio Adulto 1º Trimestre -  2019 - Pr. EsequiasSoares

Angelogia — a Doutrina dos anjos - Wagner Caby - Teologia Sistemática Pentecostal - CPAD

Primeira tradução do Antigo Testamento do hebraico para o grego, em Alexandria, no Egito, feita em cerca de 285 a.C., conhecida como a tradução dos setenta — LXX.

MARTENSEN, Christian Dogmatics, 133.

Questão 50, artigo 3°, da Suma Teológica (Volume II Lovola, São Paulo,

2002), a qual trata da natureza dos anjos de modo absoluto. Tomás de Aquino aqui cita as palavras de Dionísio, o areopagita, acerca do número de anjos existentes.

Nota do Editor — apesar de alguns teólogos acreditarem que haja uma categoria de anjos formada por arcanjos, só há menção explícita a um arcanjo nas Escrituras (Jd v.9; I Ts 4.16, ARA).

O Novo Testamento Versículo por Versículo, Candeia. Champlm comenta sobre Efésios 1.21.

O Novo Testamento Versículo por Versículo, Candeia. Champlin comenta sobre Colossenses I.16.

SILVA, Severmo Pedro da, A Doutrina Bíblica dos Anjos, CPAD.

PERLMAN, Mver, Conhecendo as Doutrinas da Bíblia, Editora Vida.

Teologia Sistemática Atual e Exaustiva, Edições Vida Nova.

PERLMAN Mver, Conhecendo as Doutrinas da Bíblia, Editora Vida.

J KOEHLER, Edward W. A., Sumário da Doutrina Cristã, Concórdia.

PERLMAN, Myer, Conhecendo as Doutrinas da Bíblia, Editora Vida.

Comentário Bíblico Pentecostal do Novo Testamento, CPAD.

HORTON, Stanley M., A Vitória Final, CPAD.

ARCHER, Gleason L., Enciclopédia de Dificuldades Bíblicas, Editora Vida. Archer

é professor de Antigo Testamento e Estudos Semíticos naTrinity Divinitv School — em Deerfield, Illinois, Estados Unidos — e deão no Fuller Theological Seminary.

GRAHAM, Billy. Anjos, os Agentes Secretos de DEUS. Record, pp.79-89.

Bíblia de Estudo de Genebra.

Homília de Centum Ovibus (Homílias sobre os Evangelhos), citado porTomás de Aquino.

OLSON, N. Lawrence, Plano Divino através dos Séculos, CPAD.

GILBERTO, Antomo, Manual da Escola Dominical, CPAD.

JOSEFO, Flávio, de Bello Judaico, VII. 6:3.

OLSON, N. Lawrence, Plano Divino através dos Séculos, CPAD.

BOYER, Orlando, Espada Cortante, Vol. I, CPAD.

COSTA, Samuel, Psicoteologia Geral, Vol I, Editora Silvacosta.

WWW.MAURICIOBERWALD.COMUNIDADES.NET