Translate this Page

Rating: 2.6/5 (268 votos)




ONLINE
2




Partilhe esta Página



 <!-- Go to www.addthis.com/dashboard to customize your tools -->
<script type="text/javascript" src="//s7.addthis.com/js/300/addthis_widget.js#pubid=ra-57f3fb36829d1888"></script>

 

 

  contadores de visitas 

 

Flag Counter


O MILAGRE QUE SALVOU O CARCEREIRO SUBSIDIO
O MILAGRE QUE SALVOU O CARCEREIRO SUBSIDIO

MAURICIO BERWALD PROFESSOR  SUBSIDIO PARA AS AULAS DOS PROFESSORES LIÇÃO JOVENS

Comentário Matthew Henry

O MILAGRE QUE SALVOU O CARCEREIRO CAP.16 

Versículos 16-24

A Expulsão de uma Perseguição do Espírito Maligno de Filipos.

16 E aconteceu que, ao orarmos, uma moça possuída com um espírito de adivinhação nos encontrou, o que atraiu muitos mestres dela por adivinhação: 17 O mesmo seguiu Paulo e nós, e clamou, dizendo: Estes são homens. os servos do Deus Altíssimo, que nos mostram o caminho da salvação. 18 E isto ela fez muitos dias. Mas Paulo, entristecido, virou-se e disse ao espírito: Eu te ordeno em nome de Jesus Cristo que saia dela. E ele saiu na mesma hora. 19 E, vendo seus senhores que a esperança do seu lucro havia desaparecido, prenderam Paulo e Silas, e puxou -losno mercado até os magistrados, 20 e os trouxe aos magistrados, dizendo: Estes homens, sendo judeus, perturbam grandemente a nossa cidade, 21E ensinam costumes, que não são lícitos para recebermos, nem para observar, sendo romanos. 22 E a multidão se levantou contra eles; e os magistrados rasgaram as suas vestes e mandaram espancá- los. 23 E quando eles lhes impuseram muitas faixas, lançaram - nos na prisão, ordenando ao carcereiro que os guardasse em segurança: 24Quem, tendo recebido tal encargo, os lançou na prisão interior, e fez os seus pés jejuar nos cepos.

 

Paulo e seus companheiros, embora tenham sido enterrados por algum tempo na obscuridade em Filipos, agora começam a ser notados.

 

  1. Uma donzela que tinha um espírito de adivinhação fez com que eles fossem notados, proclamando-os como servos de Deus. Observar,

 

  1. O relato que é dado a esta donzela: Ela era pythonissa, possuidora de tal espírito de adivinhação como a donzela foi quem os oráculos de Apolo em Delphos foram entregues ela foi acionada por um espírito maligno, que ditou respostas ambíguas àqueles que a consultou, o que serviu para gratificar o desejo vã de conhecer as coisas por vir, mas muitas vezes os enganava. Naqueles tempos de ignorância, infidelidade e idolatria, o diabo, pela permissão divina, assim conduzia os homens cativos à sua vontade e ele não poderia ter recebido tal adoração como ele, se não tivesse fingido dar oráculos a eles. , pois por ambos sua usurpação é mantida como o deus deste mundo. Esta donzela trouxe seus mestres muito ganho por adivinhaçãomuitos vieram consultar esta feiticeira para a descoberta de roubos, a descoberta de coisas perdidas, e especialmente para serem informados de sua fortuna, e ninguém veio senão com as recompensas da adivinhação em suas mãos, de acordo com a qualidade da pessoa e a importância de O caso. Provavelmente havia muitos que eram mantidos assim para cartomantes, mas, deveria parecer, isso era mais em reputação do que qualquer um deles, enquanto outros trouxeram algum ganho, isso trouxe muito ganho para seus senhores, sendo consultados mais do que qualquer outro. .

 

  1. O testemunho que esta donzela deu a Paulo e seus companheiros: Ela os encontrou na rua, indo à oração, à casa de oração, ou melhor, à obra de oração ali, Atos 16:16Atos 16:16 . Eles foram para lá publicamente, cada corpo sabia para onde iam e o que iam fazer. Se o que ela fez foi provavelmente uma distração para eles, ou um obstáculo em seu trabalho, é observável o quão sutil é Satanás, aquele grande tentador, ao aproveitar a oportunidade para nos dar diversão quando estamos fazendo algum exercício religioso, nos irrita e nos deixa sem temperamento quando precisamos ser mais compostos. Quando ela se encontrou com eles, ela os seguiu, gritando: " Esses homens,quão desprezíveis são e são olhados, são grandes homens, pois são servos do Deus Altíssimo e homens que devem ser muito bem vindos a nós, pois nos mostram o caminho da salvação, tanto a salvação que seja a nossa felicidade, e o caminho para ela será a nossa santidade ".

 

Agora, (1.) Esta testemunha é verdadeira, é um abrangente encômio sobre os fiéis pregadores do evangelho e torna seus pés belos, Romanos 10:15Romanos 10:15 . Embora sejam homens sujeitos a paixões como nós, e vasos de barro, ainda, [1.] "Eles são os servos do mais alto Deus que eles atendem a ele, são empregados por ele, e são dedicados à sua honra, como servos eles vêm a nós em suas tarefas, a mensagem que eles trazem é dele, e eles servem aos propósitos e interesse de seu reino.Os deuses que nós gentios adoramos são seres inferiores, portanto não deuses, mas esses homens pertencem ao supremo Numen, ao mais alto Deus,Quem é sobre todos os homens, sobre todos os deuses, quem nos fez todos, e a quem todos nós somos responsáveis. Eles são seus servos, e, portanto, é nosso dever respeitá-los, e ouvir a eles por causa do Mestre, e é nosso risco se os afrontarmos. "[2]" Eles nos mostram o caminho da salvação. "Até mesmo os pagãos tinham alguma noção do miserável estado deplorável da humanidade, e sua necessidade de salvação, e foi o que eles fizeram algumas investigações depois." Agora, "diz ela," esses homens são os homens que nos mostram o que temos em vão procurado em nossa supersticiosa aplicação sem lucro aos nossos sacerdotes e oráculos. "Note que Deus, no evangelho de seu Filho, claramente nos mostrou o caminho da salvação,

 

Mas, (2) Como veio este testemunho da boca de alguém que tinha um espírito de adivinhação? Satanás está dividido contra si mesmo? Ele vai chorar aqueles cujo negócio é puxá-lo para baixo? Nós podemos aceitá-lo, [1.] Como extorquido deste espírito de adivinhação para a honra do evangelho pelo poder de Deus como o diabo foi forçado a dizer de Cristo ( Marcos 1:24Marcos 1:24 ): Eu te conheço que tu és o Santo de Deus.A verdade às vezes é ampliada pela confissão de seus adversários, na qual eles são testemunhas contra si mesmos. Cristo teria este testemunho da moça para levantar-se em juízo contra aqueles em Filipos que desprezaram e perseguiram os apóstolos, embora o evangelho não necessitasse de tal testemunho, mas servirá para acrescentar à sua recomendação que a moça que eles consideravam como um oráculo em outras coisas proclamou os apóstolos servos de Deus. Ou, [2] como projetado pelo espírito maligno, essa sutil serpente, para a desonra do evangelho que alguns pensam que ela projetou para ganhar crédito para si mesma e suas profecias, e assim aumentar o lucro do seu mestre fingindo estar no interesse dos apóstolos, que, ela pensou, tinha uma reputação crescente, ou para agradar a Paulo, que ele não poderia separar ela e seu familiar. Outros acham que Satanás, que pode transformar-se em anjo de luz, e pode dizer qualquer coisa para servir uma reviravolta, destina-se a desonrar os apóstolos como se esses sacerdotes fossem da mesma fraternidade com seus adivinhadores, porque foram testemunhados por eles. e então as pessoas poderiam também aderir àqueles a quem estavam acostumados. Aqueles que eram mais propensos a receber a doutrina dos apóstolos eram aqueles que eram preconceituosos contra esses espíritos da adivinhação e, portanto, seriam, por esse testemunho, prejudicados contra o evangelho e, quanto àqueles que consideravam esses adivinhadores, o diabo se achava seguro deles. Desenhou-se deste modo desonrar os apóstolos como se estes clérigos fossem da mesma fraternidade com os seus adivinhos, porque foram testemunhados por eles, e então o povo também deveria aderir àqueles a quem estavam acostumados. Aqueles que eram mais propensos a receber a doutrina dos apóstolos eram aqueles que eram preconceituosos contra esses espíritos da adivinhação e, portanto, seriam, por esse testemunho, prejudicados contra o evangelho e, quanto àqueles que consideravam esses adivinhadores, o diabo se achava seguro deles. Desenhou-se deste modo desonrar os apóstolos como se estes clérigos fossem da mesma fraternidade com os seus adivinhos, porque foram testemunhados por eles, e então o povo também deveria aderir àqueles a quem estavam acostumados. Aqueles que eram mais propensos a receber a doutrina dos apóstolos eram aqueles que eram preconceituosos contra esses espíritos da adivinhação e, portanto, seriam, por esse testemunho, prejudicados contra o evangelho e, quanto àqueles que consideravam esses adivinhadores, o diabo se achava seguro deles.

 

  1. Cristo fez com que eles fossem notados, dando-lhes poder para expulsar o demônio desta donzela. Ela continuou muitos dias clamando assim ( Atos 16:18 Atos 16:18 ) e, parece, Paulo não tomou conhecimento dela, não sabendo, mas poderia ser ordenado por Deus para o serviço de sua causa, que ela deveria assim testemunhar sobre seus ministros, mas achando talvez que isso lhes fez um preconceito, em vez de qualquer serviço, ele logo a silenciou, expulsando o demônio dela. 1. Ele ficou triste.Apocalipse 20: 3 Mateus 8:28O perturbou ao ver que a donzela fazia um instrumento de Satanás para enganar as pessoas e ver o povo imposto por suas adivinhações. Foi uma perturbação para ele ouvir uma verdade sagrada tão profanada, e boas palavras saem de uma boca tão perversa com um design tão maligno. Talvez eles tenham sido falados de maneira irônica, ridicularizando as pretensões dos apóstolos e zombando deles, como quando os perseguidores de Cristo o elogiaram com Ave, rei dos judeus e então justamente Paulo poderia ficar triste, como o coração de qualquer homem bom seria, ouvir qualquer boa verdade de Deus berrava nas ruas de uma forma zombeteira. 2. Ele ordenou que o espírito maligno saísse dela. Ele se virou com uma santa indignação, zangado tanto com as lisonjas como com as censuras deo espírito imundo, e disse: Eu te ordeno em nome de Jesus Cristo que saia dela e com isto ele mostrará que estes homens são servos do Deus vivo, e são capazes de se provar assim, sem o seu testemunho: seu silêncio deve demonstrar mais do que seu discurso poderia fazer. Assim, Paulo mostra o caminho da salvação , de fato, que é quebrando o poder de Satanás, e encadeando-o, para que ele não possa enganar o mundo ( Apocalipse 20: 3 ), e que esta salvação deve ser obtida em nome de Deus. Jesus Cristoapenas, como em seu nome, o diabo foi agora expulso e não por outro. Foi uma grande bênção para o país quando Cristo, por uma palavra, expulsou o diabo daqueles em quem ele amedrontou as pessoas e as molestou para que ninguém passasse por esse caminho ( Mateus 8:28 ), mas era uma bondade muito maior o país quando Paulo agora, em nome de Cristo, expulsou o diabo de alguém que enganou as pessoas e impôs sua credulidade. O poder foi junto com a palavra de Cristo, diante da qual Satanás não pôde resistir, mas foi forçado a abandonar seu domínio, e neste caso foi um forte domínio: Ele saiu na mesma hora.

 

III Os donos da donzela que foi despojada fizeram com que eles fossem notificados, trazendo-os perante os magistrados para fazê-lo, e colocando-os sob sua responsabilidade como crime. Os pregadores do evangelho nunca teriam tido a oportunidade de falar aos magistrados se não tivessem sido trazidos diante deles como malfeitores. Observe aqui

 

  1. O que os provocou foi que, a donzela sendo restaurada para si mesma, seus senhores viram que a esperança de seu ganho se foi, Atos 16:19 Atos 16:19 . Veja aqui que mal o amor do dinheiro é a raiz de! Se a pregação do evangelho arruinar o ofício dos ourives ( Atos 19:24)Atos 19:24), muito mais o ofício dos adivinhadores e, portanto, aqui é um grande clamor levantado, quando o poder de Satanás para enganar é quebrado: os sacerdotes odiavam o evangelho porque ele desviou os homens do cego serviço dos ídolos mudos, e assim a esperança de seus ganhos foi embora. O poder de Cristo, que apareceu ao desapossar a mulher, e a grande bondade feita a ela em livrá-la da mão de Satanás, não lhes causou nenhuma impressão quando souberam que deveriam perder dinheiro.

 

  1. O curso que tomaram com eles foi incensar os poderes superiores contra eles, como homens aptos a serem punidos: Eles os pegaram enquanto avançavam e, com a maior fúria e violência, arrastaram-nos para o mercado, onde a justiça pública foi administrado. (1) Eles os trouxeram aos governantes, seus juízes de paz, para fazerem por eles como homens tomados nas mãos da lei, o duumviri. (2) Deles, eles apressaram-nos para os magistrados, os representantes ou governadores da cidade, tois strategois - os oficiais do exército, de modo que a palavra significa, mas é tomada em geral pelos juízes ou governantes principais: eles trouxeram sua queixa.

 

  1. A acusação que exibiam contra eles era de que eles eram os perturbadores da terra, Atos 16:20 Atos 16:20 . Eles tomam como certo que estes homens são judeus, uma nação neste tempo, tanto uma abominação para os romanos como tinham sido há muito tempo para os egípcios. Piteoso foi o caso dos apóstolos, quando se voltou para o seu opróbrio de que eles eram judeus, e ainda assim os judeus eram seus mais violentos perseguidores! (1) A acusação geral contra eles é que eles perturbaram a cidade, semearam discórdia, e perturbaram a paz pública, e ocasionaram tumultos e tumultos, do que nada poderia ser mais falso e injusto, como era o caráter de Elias de Acabe ( 1 Reis 18:17 ): És tu aquele que perturba a Israel?1 Reis 18:17 Atos 16:21Se perturbavam a cidade, era como se o anjo incomodasse a água da piscina de Bethesda, a fim de abalar a cura, a fim de um acordo feliz. Assim, aqueles que despertam os preguiçosos são exclamados por incomodá-los. (2) A prova dessa acusação é o costume de ensinar que não é apropriado ser admitido por uma colônia romana, Atos 16:21 . Os romanos sempre foram muito ciumentos de inovações na religião. Certo ou errado, eles iriam aderir a isso, como vaidoso, que eles receberam por tradição de seus pais. Nenhuma divindade estrangeira ou nova deve ser permitida, sem a aprovação do senado que os deuses de seu país devem ser seus deuses, verdadeiros ou falsos. Esta foi uma das leis das doze tabelas. Uma nação mudou seus deuses?Isso os enfureceu contra os apóstolos que eles ensinaram uma religião destruidora do politeísmo e da idolatria, e pregou a eles que se afastassem dessas vaidades. Isso os romanos não suportavam: "Se isso crescer sobre nós, daqui a pouco perderemos nossa religião".

 

  1. Os magistrados, por seus procedimentos contra eles, fizeram com que eles fossem notificados.

 

  1. Apoiando a perseguição, eles levantaram a multidão sobre eles ( Atos 16:22Atos 16:22 ): A multidão se levantou contra eles e estava pronta para destruí-los. Foi o artifício de Satanás tornar os ministros e as pessoas de Deus odiosos para a comunidade, representando-os como homens perigosos, que visavam a destruição da constituição e a mudança dos costumes, quando na verdade não havia motivo para tal imputação.

 

  1. Ao proceder a uma execução, eles os representavam como os mais maus feiticeiros: eles alugavam suas roupas, com raiva e fúria, não tendo paciência até serem retirados, para serem flagelados. A isso o apóstolo se refere quando ele fala de ser tratado em Filipos 1 Tessalonicenses 2: 2 1 Tessalonicenses 2: 2 . Os magistrados ordenaram que eles fossem chicoteados como vagabundos, pelos lictores ou bedéis que freqüentavam os artistas, e levassem varas com eles para esse propósito. Essa foi uma daquelas três vezes que Paulo foi espancado com varas, de acordo com o uso romano, que não estava sob a limitação compassiva do número de faixas a não exceder quarenta anos, que foi fornecido pela lei judaica. É aqui dito que Atos 16:23 Deuteronômio 25: 3 Atos 16:24 Jeremias 38: 6 Atos 5:19 , 12 : Jeremias 20: 2 Salmo 105: 18eles colocaram muitas faixas sobre eles ( Atos 16:23 ), sem contar quantos, porque pareciam-lhes desprezíveis, Deuteronômio 25: 3 . Agora, alguém poderia pensar, isso poderia ter saciado sua crueldade se eles deveriam ser açoitados, certamente eles devem ser dispensados. Não, eles estão aprisionados, e é provável que o propósito atual fosse julgá-los por suas vidas, e colocá-los para a morte mais, por que deveria haver tal cuidado para impedir sua fuga? (1.) Os juízes fizeram o seu compromisso muito rigoroso: Eles cobraram do carcereiro para mantê-los em segurança,e tem um olhar muito vigilante sobre eles, como se fossem homens perigosos, que ou se arriscariam a quebrar a prisão ou estavam confederados com aqueles que tentariam salvá-los. Assim, eles se esforçaram para torná-los odiosos, para que pudessem se justificar no uso básico que lhes haviam dado. (2) O carcereiro tornou o seu confinamento muito severo ( Atos 16:24 ): Tendo recebido tal encargo, embora ele pudesse tê-los mantido suficientemente seguro na prisão exterior, ainda assim ele os empurrou para a prisão interior.Sentia que os magistrados tinham uma grande indignação contra esses homens e tendiam a ser severos com eles, e por isso ele pensou em agradar-se a eles, exercendo seu poder igualmente contra eles ao máximo. Quando os magistrados são cruéis, não é de admirar que os oficiais sob eles também o sejam. Colocou-os na prisão interior, a masmorra, na qual ninguém costumava ser condenado, mas condenava os malfeitores, escuros ao meio-dia, úmidos e frios, sujos, é provável e ofensivo, como aquele em que Jeremias era decepcionado. ( Jeremias 38: 6 ) e, como se isso não bastasse, ele fez os pés deles rapidamente nos estoques. Talvez, depois de ouvir um relato da fuga deos pregadores do evangelho fora da prisão, quando as portas eram rapidamente impedidas ( Atos 5: 19,12: 19 ), ele pensava que seria mais sábio do que os outros carcereiros, e, portanto, efetivamente os asseguraria fixando-os nas ações e eles não foram os primeiros dos mensageiros de Deus que tinham os pés no cárcere de Jeremias, e publicamente também, no alto portão de Benjamim ( Jeremias 20: 2 ) José teve os pés feridos com grilhões, Salmos 105: 18 . Oh, que uso duro os servos de Deus encontraram, como nos primeiros dias, assim nos últimos tempos! Testemunhe o Livro dos Mártires, mártires no tempo da rainha Maria.

 

Versículos 25-34

Paulo e Silas na Prisão Conversão do Carcereiro Filipino.

25 E à meia-noite Paulo e Silas oraram e cantaram louvores a Deus: e os prisioneiros os ouviram. 26 E, de repente, houve um grande terremoto, de modo que os alicerces da prisão foram abalados; e imediatamente todas as portas foram abertas e todos os braceletes foram soltos. 27 E o guardião da prisão, despertando-se de seu sono, e vendo as portas da prisão abertas, ele desembainhou a espada e teria se matado, supondo que os prisioneiros tivessem fugido. 28 Paulo, porém, clamava com grande voz: Não te faças dano, pois todos estamos aqui. 29 Então ele clamou por uma luz, e saltou para dentro, e veio tremendo, e prostrou-se diante de Paulo e Silas, 30 E trouxe-os para fora, e disse: Senhores, o que devo fazer para ser salvo? 31 Responderam eles: Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa. 32 E eles lhe falaram a palavra do Senhor e a todos os que estavam em sua casa. 33E ele os levou a mesma hora da noite, e lavou suas listras e foi batizado, ele e todos os seus, imediatamente. 34E quando ele os trouxe para sua casa, pôs carne diante deles e se alegrou, acreditando em Deus com toda a sua casa.

 

Temos aqui os desígnios dos perseguidores de Paulo e Silas confusos e quebrantados.

 

  1. Os perseguidores planejaram desmotivar e desencorajar os pregadores do evangelho, e deixá-los doentes com a causa e o cansaço de seu trabalho, mas aqui os encontramos fartos e encorajados.

 

  1. Eles eram saudáveis, maravilhosamente calorosos, nunca foram prisioneiros pobres, tão verdadeiramente alegres, nem tão longe de colocar seu duro uso no coração. Vamos considerar qual foi o caso deles. Os predicadores entre os romanos tinham varas carregadas diante deles e machados atados sobre eles, os fasces e fixos. Agora sentiram a inteligência das hastes, os ploughers tinham caído sobre suas costas e fizeram longos sulcos.As muitas tiras que tinham colocado sobre eles eram muito dolorosas, e alguém poderia esperar ouvi-las reclamando, da crueza e dor de suas costas e ombros. No entanto, isso não era tudo que eles tinham motivo para temer os machados a seguir. Seu mestre foi primeiro açoitado e depois crucificado e eles poderiam esperar o mesmo. Nesse meio tempo eles estavam na prisão interna, seus pés nos estoques, que, alguns pensam, não apenas os prendiam, mas os machucavam e ainda, à meia-noite, quando deveriam estar tentando, se possível, ficar um pouco descanso, eles oraram e cantaram louvores a Deus. (1) Eles oraram juntos, oraram a Deus para apoiá-los e confortá-los em suas aflições, para visitá-los, como ele fez José na prisão, e para estar com eles, - orou para que suas consolações em Cristo pudessem abundar, como suas aflições por ele o fizeram, - orou para que até mesmo seus laços e vínculos pudessem se voltar para o progresso do evangelho, - orou por seus perseguidores, para que Deus os perdoasse e voltasse seus corações. Esta não foi uma hora de oração, mas à meia-noite não estava em uma casa de oração, mas em um calabouço ainda era mais propenso a rezar, e a oração era aceitável. Como no escuro, tão fora das profundezas, podemos clamar a Deus. Nenhum lugar, nenhum tempo, falta de oração, se o coração for levantado para Deus. Aqueles que são companheiros no sofrimento devem se unir em oração. Tem algum aflito? Deixe-o rezar.Nenhum problema, quão doloroso seja, deve nos induzir à oração. (2) Eles cantaram louvores a Deus. Eles louvaram a Deus, porque em tudo devemos agradecer. Nós nunca queremos matéria para louvor, se não queremos um coração. E o que deve colocar o coração de um filho de Deus fora de sintonia para este dever se uma masmorra e um par de ações não o fizerem? Louvaram a Deus por considerarem-se dignos de sofrer vergonha pelo seu nome e por terem sido tão maravilhosamente apoiados e suportados sob os seus sofrimentos, e sentiram as consolações divinas tão doces, tão fortes nas suas almas. Não, eles não apenas louvaram a Deus, mas cantaram louvores a ele, em algum salmo, ou hino, ou canção espiritual, seja um de Davi, ou alguma composição moderna, ou um dos seus próprios, comoo Espírito lhes deu expressão. Como a nossa regra é que os aflitos devem rezar e, portanto, estando em aflição, eles rezaram para que nosso reinado seja que os alegres cantem salmos ( Tiago 5:13 Tiago 5:13 ) e, portanto, alegrando-se em sua aflição, alegres por um tipo piedoso eles cantavam salmos. Isto prova que o canto dos salmos é uma ordenança do evangelho, e deve ser usado por todos os bons cristãos e que é instituído, não apenas para expressar suas alegrias em um dia de triunfo, mas para equilibrar e aliviar suas tristezas. em um dia de problemas. Foi à meia-noite que eles cantaram salmos, segundo o exemplo do doce salmista de Israel ( Salmos 119: 62 ): À meia-noite eu me levantarei para dar graças a ti.Salmo 119: 62 Salmo 149: 5 Zacarias 9:12 (3) Observe-se aqui a circunstância de que os prisioneiros os ouviram. Se os prisioneiros não os ouviam orar, ainda assim eles os ouviam cantar louvores. [1] Ele insinua como eles eram saudáveis ​​em cantar louvores a Deus, eles cantavam tão alto que, embora estivessem na masmorra, eles foram ouvidos em toda a prisão, tão alto que acordaram os prisioneiros: pois podemos supor, sendo à meia noite, eles estavam todos dormindo. Devemos cantar salmos com todo nosso coração. Os santos são chamados a cantar em voz alta em suas camas, Salmo 149: 5. Mas a graça do evangelho leva o assunto adiante e nos dá um exemplo daqueles que cantaram em voz alta na prisão, nos estoques. [2] Embora eles soubessem que os prisioneiros os ouviriam, ainda assim eles cantaram em voz alta, como aqueles que não se envergonhavam de seu Mestre, nem de seu serviço. Devem aqueles que cantam salmos em suas famílias pleitearem, com escárnio pela omissão do dever, temerem que seus vizinhos os ouçam, quando aqueles que cantam canções profanas rugirem contra eles e não se importarem com quem os ouve? [3] Os prisioneiros foram obrigados a ouvir as canções da prisão de Paulo e Silas, para que pudessem estar preparados para o favor miraculoso mostrado a todos por causa de Paulo e Silas, quando as portas da prisão foram abertas.Por este extraordinário conforto com que foram preenchidos, foi publicado que aquele a quem eles pregavam era o consolo de Israel. Que os prisioneiros que pretendem se opor a ele ouçam e tremam diante dele, que aqueles que são fiéis a ele ouçam e triunfem, e tomem do conforto que é falado aos prisioneiros da esperança, Zacarias 9:12 .

 

  1. Deus os encorajou maravilhosamente por suas aparições para eles, Atos 16:26 Atos 16:26 . (1) Houve imediatamente um grande terremoto, até onde se estendeu, não nos é dito, mas foi um choque tão violento neste lugar que os próprios alicerces da prisão foram abalados. Enquanto os prisioneiros estavam atentos às devoções da meia-noite de Paulo e Silas, e talvez rindo deles e fazendo piada deles, este terremoto os aterrorizaria, e os convenceria de que aqueles homens eram os favoritos do Céu, e tais como Deus possuiu. Tivemos a casa de oração abalada, em resposta à oração, e como um sinal da aceitação de Deus, Atos 4:31 . Aqui a prisão abalada.Atos 4:31 Atos 27:24 Isaías 61: 1O Senhor estava nestes terremotos, para mostrar seu ressentimento às indignidades feitas a seus servos, para testemunhar àqueles cuja confiança está na terra a fraqueza e a instabilidade daquilo que eles confiam, e para ensinar às pessoas que, embora a terra seja movida , no entanto, eles não precisam temer. (2) As portas da prisão foram abertas e os grilhões dos prisioneiros foram arrancados: as amarras de todos os homens foram soltas. Talvez os prisioneiros, quando ouviram Paulo e Silas orarem e cantarem salmos, os admirassem e falassem honrosamente deles, e dissessem o que a moça dissera deles: Certamente, estes homens são servos do Deus vivo. Para recompensá-los e confirmá-los em sua boa opinião deles, eles compartilham o milagre, e têmsuas bandas se soltaram como depois Deus deu a Paulo todos aqueles que estavam no navio com ele ( Atos 27:24 ), então agora ele deu a ele todos aqueles que estavam na prisão com ele. Deus declarou a esses prisioneiros, como Grotius observa, que os apóstolos, ao pregar o evangelho, eram bênçãos públicas para a humanidade, proclamando liberdade aos cativos e abrindo as portas da prisão para os que estavam presos, Isaías 61 : 1 . E por eos solvi animorum vincula - e como por eles os laços das almas foram desatados.

 

  1. Os perseguidores planejaram parar o progresso do evangelho, que não mais poderia abraçá-lo, assim eles esperavam arruinar a reunião pelo lado do rio, que nenhum coração mais deveria ser aberto lá, mas aqui encontramos conversos feitos na prisão, aquela casa virou em uma reunião, os troféus das vitórias do evangelho erguidas ali e o carcereiro, seu próprio servo, tornam-se servos de Cristo. É provável que alguns dos prisioneiros, se não todos, foram convertidos, certamente o milagre forjado em seus corpos, em perder suas bandas, foi forjado em suas almas também. Veja Jó 36: 8-10 Jó 36: 8-10 ; Salmo 107: 14,15 . Mas é apenas a conversão do carcereiro que está registrado.Salmo 107: 14 , 15

 

  1. Ele tem medo de perder a sua vida, e Paulo o torna fácil quanto a esse cuidado, Atos 16: 27,28 . (1.) Ele acordou de seu sono. É provável que o choque do terremoto o tenha despertado, e a abertura das portas da prisão, e as expressões de alegria e surpresa dos prisioneiros, quando no escuro eles encontraram suas bandas soltas, e ligaram para dizer um ao outro o que sentiam : isso foi o suficiente para acordar o carcereiro, cujo lugar exigia que ele não fosse difícil de acordar. Isso despertando-o de seu sono significava o despertar de sua consciência fora de seu sono espiritual. O chamado do evangelho é: Desperta, tu que dormes ( Efésios 5:14 ), como o de Jonas 1: 6Atos 16:27 , 28 Efésios 5:14 Jonas 1: 6 Atos 12:19 1 Reis 20:39 , 42 Atos 16:28. (2) Ele viu as portas da prisão se abrirem, e supôs, assim como pôde, que os prisioneiros tinham fugido e depois o que seria dele? Ele conhecia a lei romana naquele caso, e foi executado há não muito tempo atrás dos guardas de cujas mãos Pedro escapou, Atos 12:19 . Foi de acordo com o profeta, 1 Reis 20: 39,42 , manter este homem se ele estiver faltando, a tua vida deve ir para a sua vida. Os advogados romanos depois disso, em suas leituras sobre a lei, De custodia reorum - A custódia de criminosos (que nomeia o guardião deve sofrer a mesma punição que deveria ter sido infligida ao prisioneiro se ele o deixasse escapar), tome cuidado exceto uma fuga por milagre. (3) Em seu susto ele sacou sua espada,e ia se matar,para evitar uma morte mais terrível, e esperada, uma morte ignominiosa e pomposa, a qual ele sabia que poderia deixar seus prisioneiros escaparem e não parecerem melhores para eles e a acusação extraordinariamente rígida que os magistrados lhe deram a respeito de Paulo e Silas o fizeram Conclua que eles seriam muito severos com ele se eles fossem embora. Os filósofos geralmente permitiam o auto-assassinato. Sêneca o prescreve como o último remédio que aqueles que estão em perigo podem recorrer. Os estóicos, apesar de sua pretensa conquista das paixões, renderam-se até então a eles. E os epicuristas, que satisfaziam os prazeres dos sentidos, para evitar suas dores, preferiam acabar com isso. Este carcereiro achou que não havia mal algum em antecipar sua própria morte, mas o cristianismo prova ser de Deus com isso, que isso nos mantém na lei de nossa criação - revive, reforce e estabeleça, nos obrigue a sermos justos com nossas próprias vidas e nos ensine alegremente a resigná-los às nossas graças, mas corajosamente a defendê-los de nossas corrupções . (4) Paulo impediu-o de prosseguir contra ele mesmo (Atos 16:28 ): Ele clamou com grande voz, não só para fazê-lo ouvir, mas para fazer-lhe ouvir, dizendo: Não pratique mal algum para ti. Não faça mal a ti mesmo. Todas as advertências da palavra de Deus contra o pecado, e todas as aparições e aproximações a ele, têm essa tendência: " Não te faças mal. Homem, mulher, não te faças dano, nem te magoes, nem te magoas, mais pode te machucar, não peque, pois nada mais pode te machucar. " Mesmo quanto ao corpo, somos advertidos contra os pecados que o prejudicam, e somos ensinados a odiar nossa própria carne, mas a nutrir e valorizá-la. O carcereiro não precisa temer ser chamado para uma conta para a fuga de seus prisioneiros, pois eles estão todos aqui.Era estranho que alguns deles não escapassem, quando as portas da prisão foram abertas e eles foram soltos de seus grupos, mas o espanto deles os segurou rapidamente, e, sendo sensato, foi pelas orações de Paulo e Silas que eles foram soltos, eles não se mexeriam a menos que se mexessem e Deus mostrasse seu poder em ligar seus espíritos, tanto quanto em perder os pés.

 

  1. Ele tem medo de perder sua alma, e Paulo o torna fácil também nesse cuidado. Uma preocupação o leva a outro, e muito maior e, sendo impedido de se apressar para fora deste mundo, ele começa a pensar, se ele tivesse perseguido sua intenção, para onde a morte o teria trazido, e o que teria acontecido com ele. o outro lado da morte - um pensamento muito apropriado para aqueles que foram arrancados como uma marca do fogo, quando havia apenas um passo entre eles e a morte. Talvez a odiosidade do pecado que ele estava correndo ajudou a assustá-lo.

 

(1) Qualquer que tenha sido a causa, ele foi colocado em uma grande consternação. O Espírito de Deus, que foi convencido, a fim de ser um Consolador, lançou um terror sobre ele e o surpreendeu. Se ele teve o cuidado de fechar as portas da prisão novamente, não nos é dito. Talvez ele esqueceu isso como a mulher de Samaria, quando Cristo tinha convicções impressa em sua consciência, deixou seu cântaro e esqueceu seu recado para o bem para ele pedindo luz com toda a velocidade, e saltou dentro da prisão interior e veio tremendo a Paulo e Silas.Aqueles que têm pecado colocado em ordem diante deles, e são levados a conhecer suas abominações, não podem deixar de tremer na apreensão de sua miséria e perigo. Este carcereiro, quando foi obrigado a tremer, não podia aplicar-se a uma pessoa mais adequada do que a Paulo, pois já fora seu próprio caso, ele fora perseguidor de bons homens, como aquele carcereiro era - havia-os lançado na prisão, como ele os mantinha - e quando, como ele, se tornava sensato, tremia e ficava espantado e, portanto, era capaz de falar com mais carinho ao carcereiro.

 

(2) Nesta consternação, ele aplicou a Paulo e Silas para alívio. Observe, [1] Quão reverente e respeitoso seu endereço para eles é: Ele clamou por uma luz, porque eles estavam no escuro, e para que eles pudessem ver que susto ele estava , caiu diante deles, como se espantado a maldade de sua própria condição, e pronto para afundar sob o peso de seu terror por causa disso, ele caiu diante deles, como alguém que tinha em seu espírito um temor deles, e da imagem de Deus sobre eles, e de seus comissão de Deus. É provável que ele tenha ouvido o que a donzela disse deles, que eles eram os servos do Deus vivo, que lhes mostrou o caminho da salvação,e assim ele expressou sua veneração por eles. Ele caiu diante deles, implorando perdão, como penitente, pelas indignidades que havia cometido e pedindo conselhos, como suplicante, o que deveria fazer. Deu-lhes um título de respeito, senhores, kyrioi - senhores, mestres só agora foi, Rogues e vilões, e ele era o seu mestre, mas agora, Senhores, senhores, e eles são seus mestres. A graça transformadora muda a linguagem das pessoas para e as boas pessoas e bons ministros e, para aqueles que estão completamente convencidos do pecado, os próprios pés daqueles que trazem novas de Cristo são belos sim, apesar de estarem vergonhosamente presos nas ações. [2] Quão sério é o seu inquérito:O que devo fazer para ser salvo? Primeiro, Sua salvação é agora sua grande preocupação, e está mais próximo de seu coração, que antes era o mais distante de seus pensamentos. Não, o que devo fazer para ser preferido, para ser rico e grande no mundo? mas o que devo fazer para ser salvo? Em segundo lugar, ele não pergunta sobre os outros, o que eles devem fazer, mas sobre si mesmo: "O que devo fazer?" É a sua própria preciosa alma que ele está preocupado: "Deixe os outros fazerem o que quiserem, diga-me o que devo fazer, que curso devo tomar." Em terceiro lugar,Ele está convencido de que algo deve ser feito, e feito por ele também, a fim de sua salvação: que não é uma coisa, é claro, uma coisa que se fará, mas uma coisa sobre a qual devemos nos esforçar, lutar e tomar dores. Ele não pergunta: "O que pode ser feito por mim?" mas: "O que farei para que, estando agora temeroso e trêmulo, eu possa realizar minha salvação? ", como Paulo fala em sua epístola à igreja em Filipos, da qual este carcereiro foi, talvez com respeito a sua pergunta tremente aqui, insinuando que ele não deve apenas pedir após a salvação (como ele havia feito), mas desenvolver sua salvação com um santo tremor, Filipenses 2:12 Filipenses 2:12 . Em quarto lugar,Isaías 21:12 Jeremias 50: 5Ele está disposto a fazer qualquer coisa: "Diga-me o que devo fazer, e estou aqui pronto para fazê-lo. Senhores, ponham-me de qualquer maneira, se for o caminho certo, e um caminho seguro embora estreito e espinhoso e para cima, ainda vou andar nele ". Note, Aqueles que estão completamente convencidos do pecado, e verdadeiramente preocupados com a salvação deles, se renderão a discrição a Jesus Cristo, darão a ele um espaço em branco para escrever o que ele quiser, ficarão contentes em ter Cristo em seus próprios termos, Cristo em qualquer termos. Em quinto lugar, Ele é curioso para saber o que deve fazer, deseja saber o que deve fazer e pergunta àqueles que provavelmente lhe diriam. Se você perguntar, pergunte-lhe, Isaías 21:12 . Aqueles que colocam seus rostos Sionista deve pedir o caminho até lá, Jeremias 50: 5. Não podemos conhecê-lo por nós mesmos, mas Deus nos comunicou por sua palavra, designou seus ministros para nos auxiliarem na consulta das escrituras, e prometeu dar o seu Espírito Santo àqueles que o pedem, para ser seu guia o caminho da salvação. Em sexto lugar, Ele os trouxe para fora, para colocar essa questão para eles, que a resposta deles não poderia ser por coerção ou compulsão, mas que eles poderiam prescrever a ele, embora ele fosse seu guardião, com a mesma liberdade que eles fizeram para os outros. Ele os traz para fora da masmorra, na esperança de que eles o tirem de uma situação muito pior.

 

(3) Eles muito prontamente dirigiram-lhe o que ele deve fazer, Atos 16:31 Atos 16:31 . Estavam sempre prontos para responder a essas perguntas, embora estivessem com frio, doloridos e sonolentos, não adiavam essa causa para um momento e lugar mais convenientes, não lhe pediam que viesse no próximo sábado, no local de reunião, do lado do rio, e eles vão dizer a ele, mas eles atacam enquanto o ferro está quente, leve-o agora quando ele estiver em uma boa mente, para que a condenação não desapareça. Agora que Deus começa a trabalhar, é hora de eles se estabelecerem como obreiros junto com Deus.Lucas 19: 9Eles não o repreendem com sua rude e doente carruagem em direção a eles, e, indo além de sua garantia, tudo isso é perdoado e esquecido, e eles ficam tão felizes em mostrar-lhe o caminho para o céu como o melhor amigo que têm. Eles não triunfaram sobre ele, embora ele tremesse eles lhe deram as mesmas direções que eles fizeram para outros, Acredite no Senhor Jesus Cristo.Alguém poderia pensar que eles deveriam ter dito: "Se arrependa de você nos abusar, em primeiro lugar". Não, isso é ignorado e facilmente passado, se ele acreditar em Cristo. Este é um exemplo para os ministros encorajarem os penitentes, para encontrar aqueles que estão vindo a Cristo e levá-los pela mão, não para ser duro em alguém por crueldade feita a eles, mas para buscar a honra de Cristo mais do que a sua própria. Aqui está a soma de todo o evangelho, o pacto da graça em poucas palavras: Crê no Senhor Jesus Cristo, e serás salvo e tua casa. Aqui está, [1.] A felicidade prometida: " Tu serás salvo, não só resgatado da ruína eterna, mas trazido para a vida eterna e bem-aventurada. Embora tu seja um homem pobre,um sub-carcereiro ou turnkey, médio e de baixa condição no mundo, mas isso não será um obstáculo para a tua salvação. Ainda que um grande pecador, apesar de perseguidor, ainda assim suas transgressões hediondas sejam todas perdoadas pelos méritos de Cristo, e teu coração amargurado será amolecido e adoçado pela graça de Cristo, e assim não morrerás por teu crime nem morrerás. tua doença ". [2] A condição requerida: Crer no Senhor Jesus Cristo. Devemos admitir o registro que Deus deu em seu evangelho a respeito de seu Filho, e assentir a ele como fiel, e bem merecedor de toda aceitação.Nós devemos aprovar o método que Deus tomou de reconciliar o mundo consigo mesmo através de um Mediador e aceitar Cristo como ele é oferecido a nós, e desistir de nós mesmos para sermos governados e ensinados e salvos por ele. Este é o único caminho e um caminho seguro para a salvação. Nenhum outro caminho de salvação além de Cristo, e nenhum outro modo de sermos salvos por Cristo do que crer nele e nenhum perigo de ser curto se tomarmos este caminho, pois é o caminho que Deus designou, e ele é fiel que prometeu. É o evangelho que deve ser pregado a toda criatura, Aquele que crer será salvo. [3] A extensão disto a sua família: Tu serás salvo, e tua casa que é, "Deus estará em Cristo um Deus para ti e para tua semente, como ele foi para Abraão. Acredite, e salvaçãovem para tua casa, como Lucas 19: 9 . Os da tua casa que são crianças serão admitidos na igreja visível contigo, e assim postos em um caminho justo para salvação aqueles que são crescidos terão os meios de salvação trazidos a eles, e, sejam eles tantos assim, deixem eles creem em Jesus Cristo e serão salvos, são todos bem vindos a Cristo nos mesmos termos. "

 

(4) Eles começaram a instruir ele e sua família na doutrina de Cristo ( Atos 16:32 Atos 16:32 ): Eles falaram com ele a palavra do Senhor. Ele era, por qualquer coisa que pareça, um absoluto estranho a Cristo, e, portanto, é necessário que ele seja informado de quem é esse Jesus, para que ele possa crer nele, João 9:36 . E, a substância do assunto deitado em uma pequena bússola, eles logo lhe disseram o suficiente para fazer dele ser batizado um serviço razoável. Os ministros de Cristo devem ter a palavra do Senhor tão pronta para eles, e tão ricamente habitando neles, a ponto de serem capazes de dar instruções a qualquer um que deseje ouvi-los e recebê-los, por sua direção no caminho da salvação. Eles falaram a palavra não só para ele, mas paraJoão 9:36tudo o que estava em sua casa. Os mestres das famílias devem cuidar para que todos sob sua responsabilidade participem dos meios de conhecimento e graça, e que a palavra do Senhor seja dita para eles, pois as almas dos servos mais pobres são tão preciosas quanto as de seus mestres, e são compradas. com o mesmo preço.

 

(5) O carcereiro e sua família foram imediatamente batizados, e assim assumiram a profissão de Cristianismo, submeteram-se às suas leis e foram admitidos em seus privilégios, ao declararem solenemente, como o eunuco fez, que acreditavam que Jesus Cristo é o Filho de Deus: Ele foi batizado, ele e todos os seus, imediatamente.Nem ele nem qualquer de sua família desejou tempo para considerar se eles deveriam entrar em laços batismais ou não, nem Paulo e Silas desejavam tempo para tentar sua sinceridade e considerar se deveriam batizá-los ou não. Mas o Espírito da graça trabalhou com uma fé tão forte neles, de repente, como substituído debate posterior e Paulo e Silas sabiam pelo Espírito que era uma obra de Deus que foi feita neles: de modo que não havia ocasião para demur. Isso, portanto, não justificará essa precipitação em casos comuns.

 

(6) O carcereiro foi então muito respeitoso com Paulo e Silas, como alguém que não sabia como reparar o dano que ele havia causado a eles, muito menos pela gentileza que recebera deles: ele os levou na mesma hora. da noite, não os deixariam ficar um minuto a mais na prisão interior, mas, [1] Ele lavou as suas listras, para resfriá-los, e abateu os espertos deles para limpá-los do sangue que as listras tinham buscado. É provável que ele os tenha banhado com algum licor de cura, pois o bom samaritano ajudou o homem ferido derramando óleo e vinho. [2] Ele os trouxe para sua casaconvidou-os para o melhor quarto que ele tinha e preparou sua melhor cama para eles. Agora nada era considerado bom o suficiente para eles, como antes, nada de ruim o suficiente. [3] Ele colocou carne diante deles, como a sua casa iria pagar, e eles foram bem vindos a ela, pelo qual ele expressou as boas vindas que sua alma deu ao evangelho. Eles haviam falado com ele a palavra do Senhor, havia quebrado o pão da vida para ele e sua família e ele, tendo colhido tão abundantemente de suas coisas espirituais, pensou que era razoável que eles colhessem de suas coisas carnais, 1 Coríntios 9:111 Coríntios 9:11 . O que temos casas e mesas para, mas como temos oportunidade de servir a Deus e seu povo com eles?

 

(7) A voz de regozijo com a da salvação foi ouvida na casa do carcereiro nunca foi uma noite tão verdadeiramente feliz, mantida lá antes: Ele se alegrou, acreditando em Deus, com toda a sua casa. Não havia ninguém em sua casa que se recusasse a ser batizado, e assim fez um jarro na harmonia, mas eles foram unânimes em abraçar o evangelho, o que acrescentou muito à alegria. Ou pode ser lido, Ele, acreditando em Deus, regozijou-se em toda a casa durante o pano - ele foi a todos os apartamentos, expressando sua alegria. Observe, [1.] Seu crer em Cristo é chamado de crer em Deus, o qual insinua que Cristo é Deus, e que o desígnio do evangelho está tão longe de ser de nos tirar de Deus (dizendo: Vai servir outros deuses, Deuteronômio 13: 2 Deuteronômio 13 : 2) que tem uma tendência direta a nos levar a Deus. [2] Sua fé produziu alegria. Aqueles que pela fé se entregaram a Deus em Cristo, como deles, têm muita razão para se alegrar. O eunuco, quando se converteu, seguiu seu caminho alegre e aqui o carcereiro se alegrou. A conversão das nações é mencionada no Antigo Testamento como seu regozijo, Salmo 67: 4,96: 11 . Porque, crendo, nos regozijamos com a alegria indescritível e cheia de glória.Salmo 67: 4 , 96 :Acreditar em Cristo é regozijar-se em Cristo. [3] Ele significou sua alegria para todos sobre ele. Da abundância da alegria em seu coração, sua boca falou para a glória de Deus e seu encorajamento, que também cria em Deus. Aqueles que experimentaram o conforto da religião devem fazer o que puderem para levar os outros ao gosto deles. Um cristão alegre deve fazer muitos.

 

Versículos 35-40

Paulo e Silas são libertados.

35 E quando já era dia, os magistrados enviaram os sargentos, dizendo: Deixa ir aqueles homens. 36 E o guarda da prisão disse isso a Paulo: Os magistrados mandaram que você fosse embora; agora, pois, vai e vai em paz. 37 Mas Paulo lhes disse: Eles nos derrotaram abertamente, não sendo condenados, sendo romanos, e nos lançaram na prisão, e agora nos lançaram em secreto? sim, na verdade, mas deixe-os virem e nos buscarem. 38 E os sargentos disseram estas palavras aos magistrados: e eles temeram, quando souberam que eles eram romanos. 39 E vieram, e os suplicaram, e os tiraram, e desejaram que fossem embora da cidade. 40 E eles saíram da prisão e entraram na casa de Lídia: e quando viram os irmãos, consolaram-nos e partiram.

 

Nestes versos temos,

 

  1. Ordens enviadas para a libertação de Paulo e Silas da prisão Atos 16: 35,36 . 1. Os magistrados que tão mal haviam abusado deles no dia anterior deram ordens e começaram a fazê-lo tão cedo, assim que chegou o dia,Atos 16:35 , 36 Salmo 106: 46 Salmo 76:10 Atos 16:36 Tiago 2: 5 insinua que, ou eles eram sensatos, o tremendo terremoto que sentiam à meia-noite tinha a intenção de pleitear a causa de seus prisioneiros, ou suas consciências os haviam ferido pelo que haviam feito e os tornavam muito desconfortáveis. Enquanto os perseguidos estavam cantando nos estoques, os perseguidores estavam cheios de jogadas para lá e para cá em suas camas, através de angústia mental, reclamando mais dos chicotadas de suas consciências do que os prisioneiros das chicotadas em suas costas, e mais apressadamente dar-lhes uma descarga do que pedir uma. Ora, Deus fez com que seus servos se lamentassem daqueles que os haviam levado cativos, Salmos 106: 46 . Os magistrados enviaram sargentos, rabdouchous - aqueles que tinham as varas,os vergers, os tipstaves, os beadles, aqueles que tinham sido empregados em espancá-los, para que eles pudessem pedir perdão a eles. A ordem era: Deixe esses homens partirem. É provável que eles tenham planejado mais mal para eles, mas Deus virou o coração deles, e, como ele havia feito sua ira até agora para louvá-lo, assim o restante disso ele restringiu, Salmos 76:10 . 2. O carcereiro trouxe as notícias ( Atos 16:36 ): Os magistrados enviaram para deixar você ir. Alguns acham que o carcereiro tinha, às vezes, transmitido uma conta aos magistrados do que havia passado em sua casa naquela noite, e assim obtiveram essa ordem para o cumprimento de seus prisioneiros: Agora, portanto, partam.Não que ele estivesse desejoso de se separar deles como seus convidados, mas como seus prisioneiros ainda seriam bem-vindos a sua casa, mas ele está contente por eles estarem livres de seus estoques. Deus poderia, por sua graça, facilmente converter os magistrados como carcereiros e levá-los à fé e ao batismo, mas Deus escolheu os pobres deste mundo, Tiago 2: 5 .

 

  1. Paulo está insistindo na violação do privilégio de que os magistrados foram culpados, Atos 16:37At 16:37 . Paulo disse aos sargentos: " Eles nos derrotaram abertamente, não condenados, sendo romanos, e nos lançaram na prisão contra toda lei e justiça, e agora eles nos lançaram em segredo, e pensaram em nos fazer reparar com isso pelas injúrias. fez-nos? Não, verdadeiramente, mas deixe-os vir e buscar-nos o nosso, e próprio que eles nos fizeram mal. " É provável que os magistrados tivessem algum indício de que eles eram romanos, e foram feitos sensíveis que sua fúria os levou mais longe do que a lei iria suportá-los e que esta foi a razão pela qual eles deram ordens para sua descarga. Agora observe

 

  1. Paulo não alegou isso antes de ser espancado, embora seja provável que tenha evitado, para que não parecesse ter medo de sofrer pela verdade que havia pregado. Tully, em uma das suas orações, contra Verres, fala de um Ganius, que foi ordenado por Verres para ser espancado na Sicília, que durante todo o tempo ele estava sob o chicote ele gritou nada além de Civis Romanus soma - eu sou um cidadão de Roma Paulo não fez isso, ele tinha coisas mais nobres do que isso para consolar-se em sua aflição.

 

  1. Ele fez mais tarde, para colocar uma honra sobre os seus sofrimentos e sobre a causa que ele sofreu, para deixar o mundo saber que os pregadores do evangelho não eram homens tão desprezíveis como eram comumente vistos, e que eles mereciam um melhor tratamento. Ele fez isso igualmente para apaziguar os magistrados para os cristãos em Filipos, e para obter melhor tratamento para eles, e gerar no povo uma melhor opinião da religião cristã, quando eles viram que Paulo tinha uma vantagem justa contra seus magistrados, poderia ter interpuseram sua ação contra eles e pediram-lhes que explicassem o que haviam feito e, no entanto, não tiraram proveito, o que foi muito para a honra daquele nome digno pelo qual ele foi chamado. Lugar algum,

 

(1) Paulo permite que eles saibam quantas maneiras eles se comportaram em um premunire, e que ele tinha lei suficiente para saber disso. [1] Eles tinham espancado aqueles que eram romanos, alguns acham que Silas era um cidadão romano, assim como Paul, que isso não necessariamente se segue. Paulo era cidadão e Silas era seu companheiro. Agora, tanto a lex Procia quanto a lex Sempronia expressamente proibiam o corpo livre de um cidadão romano a ser espancado com varas ou de outra forma. Historiadores romanos dão casos de cidades que tiveram suas cartas tiradas deles por indignidades feitas aos cidadãos romanos, e depois encontramos Paulo fazendo uso deste argumento, Atos 22: 25,26.Atos 22:25 , 26. Dizer-lhes que haviam espancado aqueles que eram os mensageiros de Cristo e os favoritos do Céu não teriam influência sobre eles, mas dizer-lhes que abusaram dos cidadãos romanos os colocará em pânico: é tão comum as pessoas serem mais tem medo da ira de Cæ sar do que de Cristo. Aquele que afronta um romano, um cavalheiro, um nobre, embora ignorantemente, e por engano, se acha preocupado em chorar Peccavi - eu cometi um erro e faço a sua submissão, mas aquele que persegue um cristão porque ele pertence a Cristo é o que lhe é próprio. e pensa que ele pode fazê-lo com segurança, embora Deus tenha dito: Aquele que os toca toca a menina dos meus olhos, e Cristo nos advertiu do perigo de ofender seus pequeninos. [2] Eles haviam espancado elesO indeterminado indicta causa - sem uma audiência justa, não examinou com calma o que foi dito contra eles, muito menos perguntou o que eles tinham a dizer por si mesmos. É uma regra universal de justiça, Caus cognitâ possunt multi absolvi, incognitâneo condemnari potest - Muitos podem ser absolvidos em conseqüência de ter tido uma audiência, enquanto que sem audiência ninguém pode ser condenado. Os servos de Cristo não teriam sido maltratados como foram se eles e sua causa pudessem, mas tivessem um julgamento imparcial. [3] Foi um agravamento disso que eles o fizeram abertamente, o que, por ser a maior desgraça para os sofredores, foi o mais ousado desafio à justiça e à lei. [4] Eles os colocaram na prisão,sem mostrar qualquer causa de seu compromisso, e de maneira arbitrária, por uma ordem verbal. [5] Eles agora os expulsaram privadamente, eles não tiveram a impudência de manter o que tinham feito, mas ainda assim não tinham a honestidade de se culpar.

 

(2) Ele insiste em que eles deveriam fazê-los um reconhecimento de seu erro, e dar-lhes uma descarga pública, para torná-lo mais honroso, como eles haviam feito deles uma desgraça pública, o que tornou isso mais vergonhoso: " Deixe-os virem eles mesmos, e nos buscarem, e darmos um testemunho à nossa inocência, e que não tenhamos feito nada digno de rédeas ou de laços ”. Não era um ponto de honra que Paulo permanecesse assim rigidamente, mas um ponto de justiça, e não para si mesmo tanto quanto à sua causa: "Que eles venham e parem os clamores do povo, confessando que não somos os perturbadores da cidade ".

 

III A submissão dos magistrados e a reversão do julgamento dado contra Paulo e Silas, v. 38,39. 1. Os magistrados ficaram assustados quando foram informados (embora possa ser que soubessem disso antes) que Paulo era romano. Eles temiam quando ouviam, para que alguns de seus amigos não informassem ao governo o que haviam feito, e eles deveriam se sair ainda pior. Os procedimentos dos perseguidores têm sido muitas vezes ilegais, mesmo pela lei das nações, e frequentemente desumanos, contra a lei da natureza, mas sempre pecaminosas e contra a lei de Deus. 2. Eles vieram e suplicaram a eles que não tirassem proveito da lei contra eles, mas ignorassem a ilegalidade do que haviam feito e não dissessem mais nada sobre isso: eles os trouxeramda prisão, possuindo que eles foram erroneamente colocados nele, e desejou que eles pudessem sair pacificamente e silenciosamente da cidade. Assim Faraó e seus servos, que desafiaram a Deus e a Moisés, foram a Moisés, e se inclinaram para ele, dizendo: Sai, Êxodo 11: 8 Exodus 11: 8 . Deus pode fazer com que os inimigos de seu povo se envergonhem de sua inveja e inimizade por eles, Isaías 26:11 Isaías 26:11 . Jerusalém é às vezes feita uma pedra pesada para aqueles que atacam, de que eles ficariam contentes, Zacarias 12: 3 Zacarias 12: 3.. No entanto, se o arrependimento destes magistrados tivesse sido sincero, eles não teriam desejado que eles saíssem de sua cidade (como os Gadarenos desejavam se livrar de Cristo), mas teriam cortejado sua permanência, e implorariam a eles que continuassem em sua cidade, para mostrar-lhes o caminho da salvação. Mas muitos estão convencidos de que o cristianismo não deve ser perseguido e que ainda não está convencido de que deveria ser abraçado, ou pelo menos não é persuadido a abraçá-lo. Eles são compelidos a honrar a Cristo e a seus servos, a adorar a seus pés e a saber que os ama ( Apocalipse 3: 9 ), e, no entanto, não vão tão longe a ponto de beneficiar-se de Cristo, nem de vir para uma participação em seu amor.Apocalipse 3: 9

 

  1. A partida de Paulo e Silas de Filipos, Atos 16:40 Atos 16:40 . Eles saíram da prisão quando foram liberados legalmente, e não até então, apesar de terem sido ilegalmente cometidos, e então, 1. Eles se despediram de seus amigos: eles foram para a casa de Lídia, onde provavelmente os discípulos se reuniram para ore por eles, e lá eles viram os irmãos, ou os visitaram em seus respectivos alojamentos (o que foi feito logo, eles eram tão poucos) e eles os consolaram,Marcos 1:38 Atos 1: 1 , 4 :dizendo-lhes (diz um antigo comentário grego) o que Deus havia feito por eles e como ele os possuía na prisão. Eles os encorajavam a se manterem próximos de Cristo e a manter firme a profissão de fé, quaisquer que fossem as dificuldades que encontrassem, assegurando-lhes que tudo terminaria bem, eternamente bem. Jovens conversos devem ter dito a eles para consolá-los, pois a alegria do Senhor será muito mais sua força. 2. Eles deixaram a cidade: Eles partiram. Eu me pergunto se eles deveriam fazer isso porque, agora que eles tiveram uma descarga tão honrosa de seu aprisionamento, certamente eles poderiam ter continuado pelo menos por algum tempo em seu trabalho sem perigo, mas eu suponho que eles foram embora sobre aquele princípio de seu Mestre (Marcos 1:38 ). Vamos para as cidades seguintes, para que eu também pregue ali, porque assim saí. Paulo e Silas tiveram uma chamada extraordinária para Filipos e, no entanto, quando chegaram lá, eles vêem pouco do fruto de seus trabalhos e logo são expulsos dali. No entanto, eles não vieram em vão. Embora os começos aqui fossem pequenos, o último fim grandemente aumentado agora eles lançaram a fundação de uma igreja em Filipos, que se tornou muito eminente, teve seus bispos e diáconos, e pessoas que eram mais generosas para Paulo do que qualquer outra igreja, como aparece sua epístola aos filipenses, Atos 1: 1,4: 25. Que os pastores não sejam desencorajados, embora eles não vejam o fruto de seus trabalhos atualmente, a semente semeada parece estar perdida sob os torrões, mas ela voltará a crescer em uma colheita abundante no devido tempo.

        WWW.MAURICIOBERWALD.COMUNIDADES.NET