Translate this Page

Rating: 2.6/5 (268 votos)




ONLINE
1




Partilhe esta Página



 <!-- Go to www.addthis.com/dashboard to customize your tools -->
<script type="text/javascript" src="//s7.addthis.com/js/300/addthis_widget.js#pubid=ra-57f3fb36829d1888"></script>

 

 

  contadores de visitas 

 

Flag Counter


O EXILIO DE DAVI (SUBSIDIO)
O EXILIO DE DAVI (SUBSIDIO)

                                 O EXILIO DE DAVI CAP.21

MAURICIO BERWALD PROFESSOR SUBSIDIO PARA AS AULAS

Comentário Matthew Henry

2 Samuel 21

Introdução

A data dos eventos deste capítulo é incerta. Inclino-me a pensar que eles aconteceram como estão aqui, depois da rebelião de Absalão e Seba, e no final do reinado de Davi. Que as batalhas com os filisteus, mencionadas aqui, foram muito depois de os filisteus foram subjugados, comparando 1 Crônicas 18: 1 com 1 Crônicas 20: 4 . A numeração do povo era justamente antes da fixação do lugar do templo (como aparece 1 Crônicas 22: 1 ), e isso era perto do fim da vida de Davi; e, deve parecer, as pessoas foram contadas logo após a fome de três anos para os gibeonitas, pois o que é ameaçado como fome de “três” anos ( 1 Crônicas 21:12 ) é chamado de “sete” anos (2 Samuel 24:12 , 2 Samuel 24:13 ), mais três, com o ano atual, adicionado a esses três. Nós temos aqui, I. Os gibeonitas vingaram, 1. Por uma fome na terra ( 2 Samuel 21: 1 ). 2 . Ao colocar sete da posteridade de Saul à morte ( 2 Samuel 21: 2-9 ), cuidado, no entanto, sendo tirado de seus corpos mortos e dos ossos de Saul ( 2 Samuel 21: 10-14 ). II. Os gigantes dos filisteus morreram em várias batalhas ( 2 Samuel 21: 15-22 ).

 

Versos 1-9

Aqui I. Foram informados do dano que Saul teve, muito antes disso, feito aos gibeonitas, que não tínhamos tido em conta na história de seu reinado, nem deveríamos ter ouvido sobre isso aqui, mas que agora veio a ser contado para. Os gibeonitas eram do remanescente dos amorreus ( 2 Samuel 21: 2 ), que por um estratagema tinha feito a paz com Israel, e tinha a fé pública prometida a eles por Josué para sua segurança. Nós tivemos a história 1 Samuel 28: 3), ou talvez muitos deles fossem notavelmente piedosos, e ele procurou destruí-los quando matou os sacerdotes seus senhores. Aquilo que tornava isso um pecado extremamente pecaminoso era que ele não só derramava sangue inocente, mas violava o juramento solene pelo qual a nação estava obrigada a protegê-lo. Veja o que trouxe a ruína da casa de Saul: era uma casa ensangüentada.

 

  1. Nós encontramos a nação de Israel castigada com uma grande fome, muito depois, por este pecado de Saul. Observe, 1. Mesmo na terra de Israel, aquela terra frutífera, e no reinado de Davi, aquele reinado glorioso, houve uma fome, não extrema (pois então seria mais cedo tomado conhecimento dela e a investigação feita na causa dele), mas grande seca e escassez de provisões, a conseqüência disso, por três anos juntos. Se o milho perder um ano, geralmente o próximo compõe a deficiência; mas, se falhar três anos sucessivamente, será um julgamento dolorido; e o homem sábio ouvirá a voz de Deus chorando ao país para se arrepender do abuso da abundância. 2. Davi perguntou a Deus sobre isso. Embora ele próprio fosse um profeta, ele deve consultar o oráculo e conhecer a mente de Deus a seu modo próprio. Note, quando estamos sob Deus 'Senhor, mostra-me por que contendes comigo. É estranho que Davi não tenha consultado o oráculo antes, nem até o terceiro ano; mas talvez, até então, ele tenha percebido que não seria um julgamento extraordinário para algum pecado em particular. Mesmo os homens bons são muitas vezes frouxos e negligentes em fazer o seu dever. Continuamos na ignorância e sob o erro, porque demoramos a perguntar. 3. Deus estava pronto em sua resposta, embora Davi fosse lento em suas investigações: é para Saul. Note, os julgamentos de Deus freqüentemente parecem um grande caminho de volta, o que nos obriga a fazê-lo quando estamos sob suas repreensões. Não cabe a nós nos opormos contra o castigo do povo pelo pecado de seu rei (talvez eles estivessem ajudando e encorajando), nem contra o sofrimento desta geração pelo pecado do último Deus freqüentementevisita os pecados dos pais sobre os filhos, e os seus juízos são um grande abismo. Ele não dá conta de nenhum de seus assuntos. O tempo não desgasta a culpa do pecado; nem podemos construir esperanças de impunidade sobre o atraso dos juízos. Não há limite de prescrição contra as exigências de Deus. Nullum tempus occurrit Deo - Deus pode punir quando quiser.

III Nós temos a vingança tomada sobre a casa de Saul por desviar a ira de Deus da terra que, no presente, sofreu por seu pecado.

  1. Davi, provavelmente por orientação divina, referiu-se aos próprios gibeonitas para prescrever que satisfação lhes seria dada pelo mal que lhes foi feito, 2 Samuel 21: 3 . Eles ficaram muitos anos em silêncio, não apelaram para Davi, nem deram ao reino qualquer perturbação com suas queixas ou exigências; e agora, por fim, Deus fala por eles ( não ouvi, porque tu ouvirás, Salmos 38:14 , Salmos 38:15 ); e eles são recompensados ​​por sua paciência com esta honra, que eles são feitos juízes em seu próprio caso, e têm um espaço em branco para escrever suas exigências sobre: O que você dirá, o que eu farei ( 2 Samuel 21: 4 ), que a expiação pode ser feita, e quevocê pode abençoar a herança do Senhor, 2 Samuel 21: 3 . É triste que qualquer família ou nação tenha as orações de inocência oprimida contra eles e, portanto, a despesa de uma justa restituição é bem concedida para a recuperação da bênção daqueles que estavam prontos para perecer, Jó 29:13 . “Meu servo Jó, a quem você ofendeu, orará por você”, diz Deus, “e então serei reconciliado contigo, e não até então”. Aqueles que não entendem esse valor não são as orações dos pobres e desprezados.
  2. Eles desejavam que sete da posteridade de Saul pudessem ser mortos, e Davi concedeu sua demanda. (1) Eles não exigiram prata nem ouro, 2 Samuel 21: 4 . Note, o dinheiro não é satisfação para o sangue, veja Números 35: 31-33 . É a antiga lei que o sangue pede sangue ( Gênesis 9: 6 ); e aqueles que estão em excesso valorizam o dinheiro e subvalorizam a vida, que vendem o sangue de suas relações por coisas corruptíveis, como prata e ouro. Os gibeonitas tinham agora uma oportunidade justa de obter uma descarga da sua servidão, em compensação pelo mal feito, de acordo com a equidade dessa lei ( Êxodo 21:26 ), se um homem golpear o olhar de seu servo, ele deve deixá-lo fique livre pelo bem do seu olho.Mas eles não insistiram nisso; embora o pacto fosse quebrado do outro lado, não deveria ser quebrado por eles. Eles eram Netinins, dados a Deus e a seu povo Israel, e não pareciam cansados ​​do serviço. (2) Eles não exigiram nenhuma vida, a não ser da família de Saul. Ele lhes fizera o mal e, portanto, seus filhos deveriam pagar por isso. Nós processamos os herdeiros das dívidas dos pais. Os homens não podem estender este princípio até a vida, Deuteronômio 24:16 . As crianças em um curso normal da lei, nunca serão mortas pelos pais.Mas este caso dos gibeonitas foi extraordinário. Deus fez de si mesmo uma parte imediata da causa e, sem dúvida, colocou-a no coração dos gibeonitas para fazer essa exigência, pois ele possuía o que foi feito ( 2 Samuel 21:14 ), e seus julgamentos não estão sujeitos às regras que julgamentos dos homens devem estar sujeitos a. Deixe os pais tomarem cuidado com o pecado, especialmente com o pecado da crueldade e da opressão, pelo amor de seus filhos pobres, que podem estar sofrendo pela mão justa de Deus quando eles mesmos estão em seus túmulos. Culpa e maldição são uma má causa para a família. Deve parecer que a posteridade de Saul pisou em seus passos, pois é chamada de casa ensangüentada;era o espírito da família e, portanto, eles são justamente considerados pelos seus pecados, assim como pelos seus próprios. (3) Eles não o imporiam a Davi para que fizesse essa execução: " Não matarás nenhum homem" ( 2 Samuel 21: 4 ), mas nós mesmos faremos , nós os penduraremos ao Senhor ( 2 Samuel 21: 6que, se houvesse alguma dificuldade, eles poderiam levar a culpa, e não David ou sua casa. Pela nossa lei antiga, se um assassino tivesse uma sentença proferida contra ele em uma apelação, as relações que apelavam tinham sua execução. (4) Eles não exigiram isso por malícia contra Saul ou sua família (se tivessem sido vingativos, eles mesmos teriam se mudado muito tempo antes), mas por amor ao povo de Israel, a quem viram atormentado pelo ferimento. feito a eles: “ Nós os penduraremos ao Senhor ( 2 Samuel 21: 6).), para satisfazer a sua justiça, não para satisfazer qualquer vingança nossa - para o bem do público, não para a nossa própria reputação. ”(5) A nomeação das pessoas que eles deixaram para Davi, que cuidou de proteger Mefibosete. por amor de Jônatas, que, enquanto ele estava vingando a quebra de um juramento, ele não poderia quebrar a si mesmo ( 2 Samuel 21: 7 ); mas ele entregou dois dos filhos de Saul que ele teve por uma concubina, e cinco dos seus netos, que sua filha Merab deu a Adriel ( 1 Samuel 18:19 ), mas sua filha Michal trouxe, 2 Samuel 21: 8. Agora, a traição de Saul foi punida, dando a Merab a Adriel, quando ele prometeu a Davi, com o intuito de provocá-lo. “É uma questão perigosa”, diz o bispo Hall sobre isso, “oferecer dano a qualquer um dos fiéis de Deus; se a mansidão deles remetê-lo facilmente, o seu Deus não o repassará sem uma severa retribuição, embora possa ser longo primeiro. ”(6) O lugar, o tempo e a maneira de sua execução, tudo somado à solenidade de Deus. sendo sacrificados à justiça divina. [1] Eles foram enforcados, como anátemas, sob uma marca peculiar do desprazer de Deus; porque a lei dissera: O que for enforcado é amaldiçoado por Deus, Deuteronômio 21:23 ; Gálatas 3:13. Cristo sendo feito maldição por nós, e morrendo para satisfazer nossos pecados e afastar a ira de Deus, tornou-se obediente a essa morte ignominiosa. [2] Eles foram enforcados em Gibeá de Saul ( 2 Samuel 21: 6 ), para mostrar que foi por seu pecado que eles morreram. Eles foram enforcados, por assim dizer, diante de sua própria porta, para expiar a culpa da casa de Saul; e assim Deus realizou a ruína daquela família, pelo sangue dos sacerdotes e suas famílias, que, sem dúvida, agora vieram em memória diante de Deus, e a inquisição foi feita para isso, Salmos 9:12 . No entanto, o sangue dos gibeonitassó é mencionado, porque isso foi derramado em violação de um juramento sagrado, que, embora jurado muito antes, embora obtido por uma artimanha, e a promessa feita aos cananeus, ainda assim é severamente considerada. O desprezo do juramento e a quebra do pacto serão recompensados ​​na cabeça daqueles que profanam o nome sagrado de Deus, Ezequiel 17:18 , Ezequiel 17:19 . E assim Deus mostraria que com ele ricos e pobres se encontram. Mesmo o sangue real deve ir para expiar o sangue dos gibeonitas, que eram apenas os vassalos da congregação. [3] Eles foram mortos nos dias da colheita ( 2 Samuel 21: 9 ), no início da colheita ( 2 Samuel 21:10), para mostrar que eles foram assim sacrificados pela oscilação daquela ira de Deus que lhes havia negado suas colheitas por alguns anos, e para obter seu favor na colheita atual. Assim, não há como apaziguar a ira de Deus, mas mortificando e crucificando nossas luxúrias e corrupções. Em vão esperamos a misericórdia de Deus, a menos que façamos justiça aos nossos pecados. Essas execuções não devem ser consideradas cruéis, que se tornaram necessárias para o bem público. Melhor que sete da casa ensangüentada de Saul seja enforcada do que que todo o Israel seja faminto.

Versículos 10-14

Aqui nós temos, eu. Os filhos de Saul não apenas enforcaram, mas foram enforcados, seus cadáveres ficaram pendurados e expostos, até que o julgamento cessou, e a morte deles foi afastada, pelo envio de chuva sobre a terra. Eles morreram como sacrifícios, e assim eles foram, de uma maneira, oferecidos, não consumidos de uma só vez pelo fogo, mas gradualmente pelo ar. Eles morreram como anátemas, e por esse uso ignominioso eles foram representados como execráveis, porque a iniqüidade foi colocada sobre eles. Quando nosso bendito Salvador foi feito pecado por nós, ele foi feito maldição por nós. Mas como vamos reconciliar isso com a lei que exige expressamente que aqueles que foram enforcados sejam enterrados no mesmo dia? Deuteronômio 21:23 . Um dos rabinos judeus deseja esta passagem da história expurgada, para que o nome de Deus seja santificado,o qual, ele pensa, é desonrado por sua aceitação daquilo que era uma violação de sua lei: mas este era um caso extraordinário, e não se encaixava naquela lei; ou melhor, a própria razão para essa lei é uma razão para essa exceção. aquele que assim é deixado enforcado é amaldiçoado; portanto, malfeitores comuns não devem ser tão abusados; mas, portanto, estes devem, porque foram sacrificados, não à justiça da nação, mas pelo crime da nação (não menos um crime do que a violação da fé pública) e pela libertação da nação de um julgamento não menos do que uma fome generalizada. Sendo assim feitos como o enxerto de todas as coisas, eles foram feitos um espetáculo para o mundo ( 1 Coríntios 4: 9 , 1 Coríntios 4:13Deus o nomeou, ou pelo menos permitiu.

 

  1. Os seus cadáveres foram vigiados por Rizpá, mãe de dois deles, 2 Samuel 21:10. Era uma grande aflição para ela, agora em sua velhice, ver seus dois filhos, os quais, podemos supor, tinham sido um consolo para ela, e provavelmente seriam o suporte de seus anos decadentes, separados nesse terrível maneira. Ninguém sabe para que tristeza eles são reservados. Ela pode não os ver decentemente enterrados, mas eles serão decentemente assistidos. Ela tenta não violar a sentença que lhes foi transmitida, que eles deveriam ficar pendurados até que Deus mandasse a chuva; ela não rouba nem afasta seus corpos mortos, embora a lei divina possa ter sido citada para sustentá-la; mas ela pacientemente se submete, lança uma tenda de pano de saco perto dos guidões, onde, com seus servos e amigos, ela protege os cadáveres dos pássaros e das feras predadoras. Assim, 1. Ela entregou sua dor, como as pessoas estão muito aptas a fazer, sem um bom propósito. Quando a tristeza, em tais casos, corre o risco de se tornar excessivo, devemos antes estudar como desviar e pacificá-lo do que como humorá-lo e gratificá-lo. Por que devemos nos endurecer em tristeza? 2. Ela testemunhou seu amor. Assim, ela deixou o mundo saber que seus filhos morreram, não por algum pecado próprio, não como filhos rebeldes e teimosos,cujos olhos tinham desprezado obedecer a sua mãe; se fosse esse o caso, ela teria sofrido os corvos do vale para pegá-lo e os jovens águias para comê-lo, Provérbios 30:17 . Mas eles morreram pelo pecado de seu pai e, portanto, sua mente não poderia ser alienada deles pelo seu duro destino. Embora não haja remédio, mas eles devem morrer, ainda assim morrerão apiedados e lamentados.

III O enterro solene de seus corpos mortos, com os ossos de Saul e Jônatas, no lugar de sepultamento de sua família. Davi estava tão longe de se sentir insatisfeito com o que Rispa fizera, que ele próprio foi incitado a fazer honra à casa de Saul e a esses ramos dela entre os demais; Assim, parecia que não era por desgosto pessoal da família que ele os entregou, e que ele não desejara o dia lamentável, mas que era obrigado a fazê-lo pelo bem público. 1. Ele agora bethought-se de remover os corpos de Saul e Jônatas do lugar onde os homens de Jabes-Gileade tinham decentemente, mas em particular e obscuramente, enterrá-los, debaixo de uma árvore, 1 Samuel 31:12 , 1 Samuel 31:13. Embora o escudo de Saul fosse vilmente lançado fora, como se ele não tivesse sido ungido com óleo, ainda assim não se perca pó real nos sepulcros do povo comum. A humanidade nos obriga a respeitar os corpos humanos, especialmente os grandes e os bons, levando em consideração tanto o que eles foram como o que devem ser. 2. Com eles, ele enterrou os corpos daqueles que foram enforcados; pois, quando a ira de Deus foi rejeitada, não deviam mais ser encarados como uma maldição, 2 Samuel 21:13 , 2 Samuel 21:14 . Quando a água caiu sobre eles do céu ( 2 Samuel 21:10 ), isto é, quando Deus enviou chuva para regar a terra (que talvez não tenha sido muitos dias depois que eles foram pendurados), então eles foram levados para baixo, pois então apareceuque Deus foi solicitado para a terra. Quando a justiça é feita na terra, a vingança do céu cessa. Através de Cristo, que foi enforcado em uma árvore e assim fez uma maldição por nós, para expiar nossa culpa (embora ele mesmo fosse inocente), Deus é pacificado, e é suplicado por nós: e é dito ( Atos 13:29 ) que quando eles cumpriram tudo o que foi escrito a respeito dele, em sinal da plenitude do sacrifício e da aceitação de Deus, eles o tiraram da árvore e o depositaram em um sepulcro.

Versos 15-22

Temos aqui a história de alguns conflitos com os filisteus, o que aconteceu, como deve parecer, no final do reinado de Davi. Embora os tivesse tão subjugado que não puderam trazer grandes números ao campo, ainda que tivessem alguns gigantes para serem seus campeões, nunca ficariam quietos, mas aproveitavam todas as ocasiões para perturbar a paz de Israel. desafiá-los ou fazer incursões sobre eles.

 

O próprio Davi estava envolvido com um dos gigantes. Os filisteus começaram a guerra novamente, 2 Samuel 21:15 2 Samuel 21:152 Samuel 21:17 . Os inimigos do Israel de Deus estão inquietos em suas tentativas contra eles. David, apesar de velho, não desejava uma medida de facilidade do serviço público, mas ele foi pessoalmente para lutar contra os filisteus ( Senescit, não segnescit - Ele cresce velho, mas não indolente), um sinal de que ele não lutou pela sua própria glória (nesta era ele estava carregado de glória, e não precisava mais), mas pelo bem do seu reino. Mas neste engajamento nós o encontramos: 1. Em perigo e perigo. Ele achava que poderia suportar a fadiga da guerra, assim como fizera anteriormente; Sua vontade era boa, e ele esperava poder fazer como em outras ocasiões. Mas ele se viu enganado; A idade cortara o cabelo e, depois de um pouco de trabalho, ele desmaiava. Seu corpo não conseguia acompanhar a mente. O campeão dos filisteus logo percebeu sua vantagem, percebeu que a força de Davi lhe falhou e, sendo ele mesmo forte e bem armado, ele pensou em matar Davi;mas Deus não estava em seus pensamentos e, portanto, naquele mesmo dia todos eles pereceram. Os inimigos do povo de Deus são freqüentemente muito fortes, muito sutis e muito seguros do sucesso, como Isbi-benob, mas não há força, nem conselho, nem confiança contra o Senhor. 2. Maravilhosamente resgatado por Abisai, que veio sazonalmente para o seu alívio, 2 Samuel 21:17 . Nisto devemos ter a coragem e a fidelidade de Abisai para com o seu príncipe (para salvar a vida da qual ele corajosamente se aventurou), mas muito mais a boa providência de Deus, que o levou ao socorro de Davi no momento de sua extremidade. Tal causa e tal campeão, embora angustiado, não será abandonado. Quando Abisai o socorreu, deu-lhe um cordial, pode ser, para aliviar seus desmaios, ou apareceu como seu segundo, ele(ou seja, Davi, então eu entendo) feriu o filisteu e o matou; porque é dito ( 2 Samuel 21:22que Davi teve uma mão em matar os gigantes. Davi desmaiou, mas ele não fugiu; embora sua força o tenha falhado, ele corajosamente manteve sua posição, e então Deus lhe enviou essa ajuda no momento de necessidade, que, embora trazido por seu júnior e inferior, ele aceitou com gratidão e, com um pouco de recrutamento, ganhou seu ponto. e saiu de um conquistador. Cristo, em suas agonias, foi fortalecido por um anjo. Nos conflitos espirituais, até os santos fortes às vezes desmaiam; então Satanás os ataca furiosamente; mas aqueles que permanecem firmes e resistem a ele serão aliviados e feitos mais do que vencedores. 3. Os servos de Davi resolveram então que ele nunca mais deveria se expor. Eles facilmente o persuadiram a não lutar contra Absalão ( 2 Samuel 18: 32 Samuel 18: 3), mas contra os filisteus ele iria, até que, tendo tido essa fuga estreita, foi resolvido em conselho, e confirmado com um juramento, que a luz de Israel (seu guia e glória, assim Davi era) nunca deveria ser colocada novamente em tal perigo de ser apagado. A vida daqueles que são tão valiosos para seu país quanto Davi deveria ser preservada com um duplo cuidado, tanto por eles mesmos como por outros.

  1. O resto dos gigantes caiu pela mão dos servos de Davi. 1. Saph foi morto por Sibechai, um dos dignitários de Davi, 2 Samuel 21:18 2 Samuel 21:181 Crônicas 11:29 2 Samuel 23:24 2 Samuel 21:20 2 Samuel 13: 3 Ezequiel 32:27 ; 1 Crônicas 11:29 . 2 . Outro, que era irmão de Golias, foi morto por El-Hanã, que é mencionado em 2 Samuel 23:24 . 3 . Outro, que era de tamanho muito incomum, que tinha mais dedos do que outras pessoas ( 2 Samuel 21:20 ), e uma insolência sem precedentes que, apesar de ter visto a queda de outros gigantes, mas ele desafiou Israel, foi morto por Jônatas, filho de Siméia. Shimea teve um filho chamado Jonadabe ( 2 Samuel 13: 3), a quem eu deveria ter levado para o mesmo com este Jonathan, mas que o primeiro foi notado por sutileza, o último por bravura. Esses gigantes provavelmente eram os restos mortais dos filhos de Anak, que, embora há muito temiam, caíram por fim. Agora observe: (1) É loucura o homem forte se gloriar em sua força. Os servos de Davi não eram maiores nem mais fortes que os outros homens; ainda assim, pela assistência divina, eles dominaram um gigante após o outro. Deus escolhe pelas coisas fracas para confundir os poderosos. (2) É comum que os que descem à cova, que foram o terror dos poderosos na terra dos viventes, Ezequiel 32:27. (3.) Os inimigos mais poderosos são frequentemente reservados para o último conflito. David começou sua glória com a conquista de um gigante, e aqui conclui com a conquista de quatro. A morte é o último inimigo de um cristão e um filho de Anaque; mas, através dele que triunfou para nós, esperamos ser mais do que vencedores, até mesmo sobre aquele inimigo.

 

 

O EXILIO DE DAVI PARTE N.2 CAP.22

Comentário Matthew Henry

2 Samuel 22

 

 

Introdução

Este capítulo é um salmo, um salmo de louvor; nós achamos isto depois inserido entre os salmos de Davi ( 2 Samuel 22: 1 ). II. O salmo em si, no qual, com uma devoção muito calorosa e grande fluência e copiosidade de expressão, 1. Ele dá glória a Deus. 2. Ele se conforta nele; e ele encontra matéria para ambos, (1) nas experiências que ele teve dos antigos favores de Deus. (2) Nas expectativas que ele tinha de seus favores adicionais. Estes são misturados ao longo de todo o salmo.

 

Verso 1

Observe aqui, I. Que muitas vezes tem sido o lote do povo de Deus ter muitos inimigos, e estar em perigo iminente de cair em suas mãos. Davi era um homem segundo o coração de Deus, mas não segundo o coração dos homens: muitos eram aqueles que o odiavam e procuravam sua ruína; Saul é particularmente chamado, também: 1. Distinguido de seus inimigos das nações pagãs. Saul odiava Davi, mas Davi não odiava Saul e, portanto, não o consideraria entre seus inimigos; ou melhor, 2. Como o chefe de seus inimigos, que era mais malicioso e poderoso do que qualquer um deles. Não deixe aqueles a quem Deus ama maravilhar-se se o mundo os odeia.

 

  1. Aqueles que confiam em Deus no caminho do dever o encontrarão uma ajuda presente para eles em seus maiores perigos. David fez isso. Deus o livrou da mão de Saul. Ele toma especial nota disso. Conservações notáveis ​​devem ser mencionadas em nossos elogios com uma ênfase particular. Ele também o libertou da mão de todos os seus inimigos, um após o outro, às vezes de um jeito, às vezes de outro; e Davi, por sua própria experiência, nos assegurou que, embora muitos sejam os problemas dos justos, ainda assim o Senhor os livra de todos eles, Salmos 34:19 . Nunca seremos libertos de todos os nossos inimigos até chegarmos ao céu; e para esse reino celestial Deus preservará tudo o que é dele, 2 Timóteo 4:18 .

III Aqueles que receberam muitas misericórdias de Deus devem dar-lhe a glória deles. Toda nova misericórdia em nossa mão deve colocar uma nova canção em nossa boca, até mesmo louvores ao nosso Deus. Onde há um coração agradecido, da abundância de que a boca falará. Davi falou, não só para si mesmo, para seu próprio prazer, não apenas para aqueles que o cercam, para sua instrução, mas para o Senhor, por sua honra, as palavras dessa canção. Então cantamos com graça quando cantamos ao Senhor. Em desespero, ele chorou com a sua voz ( Salmo 142: 1 ), portanto, com a sua voz, ele deu graças. Ação de Graças a Deus é a música vocal mais doce.

  1. Devemos ser rápidos em nossos agradecidos retornos a Deus: No dia em que Deus o libertou, ele cantou essa canção. Enquanto a misericórdia é renovada, e nossas afeições devotas são mais estimuladas por ela, que a oferta de agradecimento seja trazida, para que ela possa ser acesa com o fogo dessas afeições.

Versos 2-51

Vamos observar, nesta canção de louvor,

 

  1. Como Davi adora a Deus e lhe dá a glória de suas infinitas perfeições. Não há ninguém como ele, nem ninguém para ser comparado com ele ( 2 Samuel 22:32 ): Quem é Deus, senão o Senhor? Todos os outros que são adorados como divindades são falsificações e simuladores. Ninguém é confiável, mas ele. Quem é uma rocha, salve o nosso Deus? Eles estão mortos, mas o Senhor vive, 2 Samuel 22:47 . Eles desapontam seus adoradores quando eles mais precisam deles. Mas, quanto a Deus, o seu caminho é perfeito, 2 Samuel 22:31 . Os homens começam com bondade, mas não acabam - prometem, mas não executam; mas Deus terminará o seu trabalho, e a sua palavra é provada, e no que podemos confiar.
  2. Como ele triunfa no interesse que ele tem neste Deus e em sua relação com ele, que ele estabelece como o fundamento de todos os benefícios que ele recebeu dele: Ele é meu Deus; como tal, ele clama a ele ( 2 Samuel 22: 7 ), e se apega a ele ( 2 Samuel 22:22 ); “E, se for o meu Deus, então a minha rocha ” ( 2 Samuel 22: 2 ), isto é, “minha força e meu poder ( 2 Samuel 22:33 ), a rocha sob a qual me refugio (aquele que é para mim como a sombra de uma grande rocha em uma terra cansada), a rocha sobre a qual edifico a minha esperança ” 2 Samuel 22: 3 . Qualquer que seja minha força e apoio, é o Deus da minha rocha que faz isso; não, ele éo deus da rocha da minha salvação ( 2 Samuel 22:47 ): minha força salvadora está nele e dele. Muitas vezes David se escondeu em uma rocha ( 1 Samuel 24: 2 ), mas Deus era seu principal esconderijo. “Ele é a minha fortaleza, na qual estou seguro e penso assim - minha alta torre, ou fortaleza, na qual estou fora do alcance de males reais - a torre da salvação ( 2 Samuel 22:51 ), que nunca pode ser selado nem maltratado, nem minado. A própria salvação me salva. Estou em perigo? ele é meu libertador - atingido, baleado? ele é meu escudo - perseguido? ele é meu refúgio - oprimido? ele é meu salvador, que me resgata da mão daqueles que buscam minha ruína. Não, ele é o chifre da minha salvaçãopelo qual estou fortemente protegido, e meus inimigos são fortemente empurrados ”. Cristo é mencionado como o chifre da salvação na casa de Davi, Lucas 1:69 . “Estou sobrecarregado e pronto para afundar? O Senhor é a minha estadia ( 2 Samuel 22:19 ), por quem eu sou apoiado. Eu estou no escuro, ignorante, perdido? Tu és a minha lâmpada, ó Senhor! para me mostrar o meu caminho e tu dissiparás a minha escuridão ” 2 Samuel 22:29 . Se sinceramente aceitarmos o Senhor por nosso Deus, tudo isso e muito mais, ele será para nós, tudo o que precisamos e podemos desejar.

III Que melhoria ele faz de seu interesse em Deus. Se ele for meu, 1. Nele eu confiarei ( 2 Samuel 22: 3 ), isto é, “me resignarei a sua direção, e então dependa de seu poder, e sabedoria, e bondade, para me conduzir bem. ”2. Nele eu chamarei ( 2 Samuel 22: 4 ), pois ele é digno de ser louvado. O que encontramos em Deus que é digno de ser louvado deveria nos engajar a orar a ele e dar-lhe glória. 3. A ele darei graças ( 2 Samuel 22:50 ), e isso publicamente. Quando ele estava entre os pagãos, ele não teria medo nem vergonha de possuir suas obrigações para com o Deus de Israel.

  1. O relato completo e grande que ele mantém para si mesmo e dá aos outros as coisas boas e gentis que Deus havia feito por ele. Isso ocupa a maior parte da música. Ele dá a Deus a glória tanto de seus livramentos como de seus sucessos, mostrando tanto os perigos dos quais ele foi liberto quanto o poder para o qual foi promovido.
  2. Ele amplia as grandes salvações que Deus realizou para ele. Deus às vezes leva seu povo a grandes dificuldades e perigos, para que ele tenha a honra de salvá-los e o conforto de ser salvo por ele. Ele possui : Tu me salvaste da violência ( 2 Samuel 22: 3 ), dos meus inimigos ( 2 Samuel 22: 4 ), do meu forte inimigo, significando Saul, que, se Deus não tivesse socorrido ele, teria sido muito duro. para ele, 2 Samuel 22:18 . Tu me deste o escudo da tua salvação, 2 Samuel 22:36 . Para magnificar a salvação, ele observa,

(1) Que o perigo era muito grande e ameaçador, do qual ele foi entregue. Homens levantaram-se contra ele ( 2 Samuel 22:40 , 2 Samuel 22:49 ) que o odiavam ( 2 Samuel 22:41 ), um homem violento ( 2 Samuel 22:49 ) ou seja, Saul, que era malicioso em seus projetos contra ele e vigoroso em sua perseguição. Isto é expresso figurativamente, 2 Samuel 22: 5 , 2 Samuel 22: 6. Ele estava cercado de morte por todos os lados, ameaçado de ser dominado e não via nenhum meio de escapar. As ondas de morte golpeavam tão violentamente as cordas e as armadilhas da morte que ele não conseguia se controlar, assim como um homem na sepultura não podia evitar. As inundações de Belial, o iníquo e seus instrumentos perversos o deixaram com medo; ele tremeu ao ver não apenas a terra, mas a morte e o inferno, em armas contra ele.

(2) Que sua libertação foi uma resposta à oração, 2 Samuel 22: 7 . Ele nos deixou aqui um bom exemplo, quando estamos aflitos, para clamar a Deus com importunidade, quando as crianças choram de susto por seus pais; e grande encorajamento para fazê-lo, em que ele encontrou Deus pronto para responder a oração de seu templo no céu, onde ele é continuamente servido e adorado.

(3) Que Deus apareceu de maneira singular e extraordinária para ele e contra seus inimigos. As expressões são emprestadas da descida da divina Majestade sobre o Monte Sinai, 2 Samuel 22: 8 , 2 Samuel 22: 9Nós não achamos que em qualquer das batalhas de Davi, Deus lutou por ele com trovão (como no tempo de Samuel), ou com granizo (como no tempo de Josué), ou com as estrelas em seus cursos (como no tempo de Débora); mas estas metáforas elevadas são usadas, [1.] Para estabelecer a glória de Deus, que foi manifestada em sua libertação. A sabedoria e o poder de Deus, sua bondade e fidelidade, sua justiça e santidade e seu domínio soberano sobre todas as criaturas e todos os conselhos dos homens, que surgiram em favor de Davi, foram uma descoberta tão clara e brilhante da glória de Deus. da fé como tais interposições miraculosas teriam sido para um olho de sentido. [2] Para apresentar o desprazer de Deus contra seus inimigos, Deus assim abraçou sua causa, mostrando-se inimigo de todos os seus inimigos; sua raiva é estabelecida por umfumaça de suas narinas e fogo de sua boca ( 2 Samuel 22: 9 ), carvões acenderam ( 2 Samuel 22:13 ), flechas, 2 Samuel 22:15 . Quem conhece o poder e o terror de sua ira? [3] Para estabelecer a extraordinária confusão em que seus inimigos foram colocados, e a consternação que se apoderou deles; como se a terra tivesse tremido e os alicerces do mundo tivessem sido descobertos, 2 Samuel 22: 8 , 2 Samuel 22:16 . Quem pode estar diante de Deus quando está com raiva? [4] Para mostrar como Deus estava pronto para ajudá-lo: Ele montou em um querubim e voou, 2 Samuel 22:11. Deus apressou-se em socorrê-lo e aproximou-se dele com alivio, embora parecesse distante; contudo, ele era um Deus que se escondia ( Isaías 14:15 ), porque ele fazia das trevas seu pavilhão ( 2 Samuel 22:12 ), para o assombro de seus inimigos e a proteção de seu próprio povo.

(4) Que Deus manifestou seu particular favor e bondade para com ele nestes livramentos ( 2 Samuel 22:20 ): Ele me libertou, porque ele se deleitou em mim. A libertação não veio da providência comum, mas do amor da aliança; ele era aqui tratado como um favorito: assim ele percebeu pelas comunicações da graça divina e conforto para a alma dele com estes libertações, e a comunhão que ele teve com Deus neles. Nisto ele era um tipo de Cristo, a quem Deus sustentou porque deleitou-se nele, Isaías 42: 1 , Isaías 42: 2 .

2 . Ele magnifica os grandes sucessos com que Deus o coroou. Ele não apenas preservou, mas o fez prosperar. Ele foi abençoado, (1.) Com liberdade e ampliação. Ele foi levado a um lugar grande ( 2 Samuel 22:20 ), onde ele tinha espaço para prosperar, e seus passos foram ampliados sob ele, de modo que ele tinha espaço para se mexer ( 2 Samuel 22:37 ), não sendo mais estreito e confinado. (2) Com habilidade militar, força e rapidez. Embora ele tenha sido criado até o bandido, ele foi bem instruído nas artes da guerra e qualificado para as labutas e perigos do mesmo. Deus, chamando-o para lutar em suas batalhas, qualificou-o para o serviço. Ele o fez muito engenhoso ( ensina as minhas mãos à guerra, 2 Samuel 22:35. E essa ingenuidade era tão boa quanto a força, pois segue, “de modo que um arco de aço é quebrado pelos meus braços ” , não tanto pela força principal como pela destreza, e muito vigoroso e valente. ( Tu me cingiste de força para batalhar, 2 Samuel 22:40 . Ele dá a Deus a glória de toda a sua coragem e habilidade para o serviço), e muito expedito: Ele faz meus pés rapidamente como os pés traseiros ( 2 Samuel 22:34 ) , o que é de grande vantagem tanto na cobrança quanto no recuo. (3) Com a vitória sobre seus inimigos, não apenas Saul e Absalão, mas os filisteus, moabitas, amonitas, sírios e outras nações vizinhas, a quem subjugou e fez afluentes a Israel. Suas maravilhosas vitórias são descritas aqui, 2 Samuel 22: 38-43. Foram vitórias rápidas ( não voltei antes de as ter consumido, 2 Samuel 22:38 ) e conquistas completas . Os inimigos de Israel foram feridos, destruídos, consumidos, caíram sob seus pés, pisoteados e incapacitados para levantar-se, e seus pescoços ficaram à sua mercê. Eles choraram tanto para a terra como para o céu em busca de ajuda, mas em vão. Não havia ninguém para salvar, nenhum que aparecesse para eles. Deus lhes respondeu, não porque não estavam do seu lado, nem clamaram a ele até que foram levados à última extremidade. Sendo assim abandonados, eles se tornaram presas fáceis da justa e vitoriosa espada de Davi, de modo que eleaçoita-os tão pequenos como o pó da terra, que é espalhado pelo vento e pisado por todos os pés. (4.) Com avanço para honra e poder. Para isso, ele foi ungido antes de seus problemas começarem e, por fim, após a sua discriminação - após todos os seus perigos e desastres, ele ganhou seu ponto. Deus fez o seu caminho perfeito ( 2 Samuel 22:33 ), deu-lhe sucesso em todos os seus empreendimentos, colocou-o em seus lugares altos ( 2 Samuel 22:34 ), denotando segurança e dignidade. A gentileza de Deus, sua graça e terna misericórdia, tornaram-no grande ( 2 Samuel 22:36), deu-lhe grande riqueza e grande autoridade, e um nome como o dos grandes homens da terra. Ele foi mantido para ser o chefe dos pagãos ( 2 Samuel 22:44 ); Suas preservações de sinal evidenciavam que ele fora projetado e reservado para algo grande - governar todo o Israel, apesar dos esforços do povo, e para que aqueles a quem ele não conhecia o servissem, muitas das nações que jaziam distantes. Assim foi elevado para o alto, tão alto como o trono, sobre os que se levantavam contra ele, 2 Samuel 22:49 .

  1. As confortáveis ​​reflexões que ele faz sobre sua própria integridade, que Deus, por aqueles maravilhosos livramentos, possuía e testemunhou graciosamente, 2 Samuel 22: 21-25. Ele significa especialmente sua integridade com referência a Saul e Isbosete, Absalão e Sabá, e aqueles que ou se opunham a sua vinda à coroa ou tentavam destroná-lo. Eles o acusaram falsamente e o deturparam, mas ele tinha o testemunho dessa consciência para ele de que ele não era um ambicioso homem aspirante, um homem falso e sanguinário, como o chamavam, - de que ele nunca havia tomado nenhum curso ilegal para garantir ou elevar-se a si mesmo, mas em toda a sua conduta se mantivera no caminho de seu dever - e que durante toda a conversa ele tinha, principalmente, feito da religião seus negócios, de modo que ele pudesse receber os favores de Deus para ele como as recompensas de sua justiça, não de dívida, mas de graça. Deus o recompensou, embora não por sua justiça, como se isso tivesse merecido alguma coisa das mãos de Deus, ainda segundo a sua justiça, com a qual ele se agradou, e teve um olho para. Sua consciência testemunhou para ele, 1. Que ele tinha feito a palavra de Deus seu domínio, e tinha mantido a ele, 2 Samuel 22:23 . Onde quer que ele estivesse, os juízos de Deus estavam diante dele como seu guia; para onde quer que fosse, ele levava sua religião junto com ele e, embora fosse forçado a se afastar de seu país e enviado, por assim dizer, para servir a outros deuses, ainda assim, quanto aos estatutos de Deus, ele não se afastava deles, mas o caminho do Senhor e andou nele. 2. Que ele evitou cuidadosamente os caminhos do pecado. Ele não havia se desviado perversamente de seu Deus. Ele não pôde dizer, porém, que havia dado alguns passos em falso, mas não abandonara a Deus nem se esquecia de seu caminho. Pecados de enfermidade de que ele não podia se absolver, mas a graça de Deus o impedia de presumir pecados. Embora ele às vezes tivesse sedesviado fracamente de seu Deus. Por isso, parecia que ele era justo diante de Deus, ou a Deus(à sua vista, e com um olho para ele), que ele se manteve fora de sua própria iniqüidade, não apenas daquele pecado particular de matar Saul quando estava no poder de sua mão fazê-lo, mas, em geral, ele estava com medo do pecado e vigilante contra ele, e fez a consciência do que ele disse e fez. A questão de Urias é uma exceção ( 1 Reis 15: 5 ), assim como no caráter de Ezequias, 2 Crônicas 32:31. Note, Uma abstenção cuidadosa de nossa própria iniqüidade é uma das melhores evidências de nossa própria integridade; e o testemunho de nossa consciência, por nós, de que o fizemos, será um regozijo que não só diminuirá as aflições de um estado aflito, mas aumentará o conforto de um estado próspero. Davi refletiu com mais conforto sobre suas vitórias sobre sua própria iniqüidade do que sobre sua conquista de Golias e todas as hostes dos incircuncisos filisteus; e o testemunho de seu próprio coração para com sua retidão era mais doce que a música mais silenciosa que a deles que cantava, David matou seus dez mil. Se um grande homem for um homem bom, sua bondade será muito mais sua satisfação do que sua grandeza. Que o favor seja mostrado aos retos e sua retidão adoçá-lo, dobrá-lo.
  2. As perspectivas confortáveis ​​que ele tem do favor de Deus. Quando olha para trás, olha para a frente, com prazer, e assegura-se da bondade que Deus tem reservado para todos os santos, para si mesmo e também para sua semente.
  3. Para todas as pessoas boas, 2 Samuel 22: 26-28 . Como Deus havia lidado com ele de acordo com sua retidão, assim o fará com todos os outros. Ele toma ocasião aqui para estabelecer as regras estabelecidas do procedimento de Deus com os filhos dos homens:

(1.) Que ele fará bem àqueles que são retos em seus corações. Quando nos encontrarmos para Deus, ele será encontrado para nós. [1] A misericórdia e graça de Deus será a alegria daqueles que são misericordiosos e graciosos. Até mesmo o misericordioso precisa de misericórdia; e eles devem obtê-lo. [2]. A retidão de Deus, sua justiça e fidelidade, serão a alegria daqueles que são retos, justos e fiéis, tanto para com Deus quanto para os homens. [3] A pureza e a santidade de Deus serão a alegria daqueles que são puros e santos, os quais, portanto, dão graças em sua lembrança. E, se qualquer uma dessas pessoas boas for afligida, ele as salvará , seja fora de suas aflições ou por e depois delas. Por outro lado,

(2) Que aqueles que se desviam para caminhos tortuosos, ele irá conduzir com os obreiros da iniqüidade, como ele diz em outro salmo. Com o perverso ele lutará; e aqueles com quem Deus luta certamente serão frustrados. Ai daquele que luta com o seu Criador! Deus andará contrariamente àqueles que andam contrários a ele e se desagradarão com aqueles que estão descontentes com ele. Quanto aos arrogantes, seus olhos estão sobre eles, marcando-os, por assim dizer, para serem derrubados; porque ele resiste aos orgulhosos.

  1. Para si mesmo. Ele previu que suas conquistas e reino seriam ainda mais ampliados, 2 Samuel 22:45 , 2 Samuel 22:46 . Mesmo os filhos do estrangeiro, que ouviriam o relato de suas vitórias e os sinais da presença de Deus com ele, estariam possuídos com medo dele, seriam forçados a se submeter a ele, embora fingidamente, e seriam obedientes a ele. . Os sucessos que ele teve, ele considerou como earnests de mais e meios de mais. Quem é que se opõe a ele por quem tantos foram vencidos? Assim o Filho de Davi continua conquistando e conquistando, Apocalipse 6: 2 . Seu evangelho, que foi vitorioso, será cada vez mais.
  2. Para sua semente: Ele mostra misericórdia para com o seu Messias ( 2 Samuel 22:51 ), não apenas para o próprio Davi, mas para aquela sua semente para sempre. Davi foi ele mesmo ungido de Deus, não um usurpador, mas devidamente chamado ao governo e qualificado para isso; portanto, ele duvidava que não, mas Deus lhe mostraria misericórdia, aquela misericórdia que ele havia prometido não tirar dele nem de sua posteridade ( 2 Samuel 7:15 , 2 Samuel 7:16 ); sobre essa promessa ele depende, com um olho para Cristo, que é a sua semente para todo o sempre, cujo trono e reino ainda continuam e irão até o fim, enquanto a semente e a linhagem de Davi estão há muito extintas. Veja Salmo 89:28 , Salmo 89:29. Assim todas as suas alegrias e todas as suas esperanças terminam, como as nossas deveriam, no grande Redentor.

          WWW.MAURICIOBERWALD.COMUNIDADES.NET