Translate this Page

Rating: 2.6/5 (268 votos)




ONLINE
8




Partilhe esta Página



 <!-- Go to www.addthis.com/dashboard to customize your tools -->
<script type="text/javascript" src="//s7.addthis.com/js/300/addthis_widget.js#pubid=ra-57f3fb36829d1888"></script>

 

 

  contadores de visitas 

 

Flag Counter


O EVANGELHO EM EFESO SUBSIDIO
O EVANGELHO EM EFESO SUBSIDIO

MAURICIO BERWALD PROFESSOR  SUBSIDIO PARA AS AULAS DOS PROFESSORES LIÇÃO JOVENS

Comentário Matthew Henry

Atos 19

O EVANGELHO EM EFESO

Introdução

Nós deixamos Paulo em seu circuito visitando as igrejas ( Atos 18:23 ), mas não esquecemos, nem ele, a promessa que fez a seus amigos em Éfeso, de retornar a eles, e fazer alguns ficarem lá agora este capítulo mostra seu desempenho dessa promessa, sua vinda a Éfeso, e sua continuação há dois anos nos é dito aqui, I. Como ele trabalhou lá na palavra e doutrina, como ele ensinou alguns crentes fracos que não tinham ido além do batismo de João ( Atos 19: 1-7 ), como ele ensinou três meses na sinagoga dos judeus ( Atos 19: 8 ), e, quando ele foi dirigido de lá, como ele ensinou os gentios muito tempo em uma escola pública ( Atos 19: 9,10 ), e como ele confirmou sua doutrina por milagres, At 19: 11,12. II. Qual foi o fruto do seu trabalho, particularmente entre os conjuradores, o pior dos pecadores: alguns foram confundidos, que fizeram uso do seu nome ( Atos 19: 13-17 ), mas outros foram convertidos, que receberam e abraçaram sua doutrina , At 19: 18-20 . III Que projetos ele tinha de maior utilidade ( Atos 19: 21,22 ), e que dificuldade demorou ele encontrou em Éfeso dos ourives, que o forçaram a prosseguir as medidas que ele havia estabelecido como uma multidão foi criada por Demétrio para chorar até Diana ( Atos 19: 23-34 ), e como foi suprimida e dispersada pelo escrivão da cidade, Atos 19: 35-41 .

 

Versos 1-7

Paulo em Éfeso

1 E sucedeu que, enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo, tendo passado pelos altos termos, veio a Éfeso; e, achando certos discípulos, 2 lhes perguntou: Recebestes o Espírito Santo já que crestes? E eles disseram-lhe: Não sabemos mais se existe algum Espírito Santo. 3 Disse-lhes ele: Em que fostes batizados então? E eles disseram: Ao batismo de João. 4Então Paulo disse que João, na verdade, batizava com o batismo de arrependimento, dizendo ao povo que cresse naquele que após ele havia de vir, isto é, em Jesus. 5 Quando ouviram isso, foram batizados em nome do Senhor Jesus. 6 E quando Paulo colocou suamãos sobre eles, o Espírito Santo veio sobre eles e eles falaram em línguas, e profetizaram. 7 E todos os homens tinham doze.

 

Éfeso era uma cidade de grande importância na Ásia, famosa por um templo construído ali para Diana, que era uma das maravilhas do mundo: lá Paulo veio pregar o evangelho enquanto Apolo estava em Corinto ( Atos 19: 1 Atos 19: 1 ) enquanto ele estava regando ali, Paulo estava plantando aqui, e não se ressentiu de que Apolo entrou em seus labores e estava construindo sobre sua fundação, mas se alegrou com isso, e continuou no novo trabalho que foi cortado para ele em Éfeso com mais alegria e satisfação porque ele sabia que um ministro tão capaz do Novo Testamento como Apolo estava agora em Corinto, continuando com o bom trabalho ali. Embora houvesse aqueles que fizeram dele a cabeça de um partido contra Paulo ( 1 Coríntios 1:12 1 Coríntios 1:12No entanto, Paulo não tinha ciúmes dele, nem de maneira alguma repudiava o afeto que o povo tinha por ele. Tendo Paulo atravessado o país da Galácia e da Frígia, tendo passado pelas costas superiores, Pontus e Bitínia, que ficavam ao norte, finalmente chegaram a Éfeso, de onde havia deixado Áquila e Priscila, e lá os encontraram. Na sua primeira vinda, ele se reuniu com alguns discípulos lá, que professavam fé em Cristo como o verdadeiro Messias, mas ainda estavam na primeira e mais baixa forma na escola de Cristo, sob o seu iniciador João Batista. Eles eram em número de doze ( Atos 19: 7 ) eram muito da posição de que Apolo era quando veio a Éfeso (pois ele conhecia somente o batismo de João, Atos 18:25).Atos 19: 7 Atos 18:25 ), mas eles não tiveram oportunidade de conhecer Aquila e Priscila, ou não estiveram tanto tempo em Éfeso ou não estavam tão dispostos a receber instrução como Apolo foi, caso contrário eles poderiam ter o caminho de Deus exposto a eles mais perfeitamente, como Apolo teve. Observe aqui

 

  1. Como Paulo catequizou eles. Foi-lhe dito, provavelmente por Áquila e Priscila, que eles eram crentes, que eles possuíam a Cristo, e que haviam dado seus nomes a ele agora que Paulo, portanto, os leva sob exame.

 

  1. Eles creram no Filho de Deus, mas Paulo indaga se eles receberam o Espírito Santo - se eles acreditavam no espírito, cujas operações nas mentes dos homens, por convicção, conversão e conforto, foram revelados algum tempo depois da doutrina de Jesus ser o Cristo, - se eles tinham conhecido e admitido essa revelação? Isso não foi todos os dons extraordinários do Espírito Santo foram conferidos aos apóstolos e outros discípulos logo após a ascensão de Cristo, o que foi repetido com freqüência em ocasião eles participaram desses dons? " Você recebeu o Espírito Santo desde que você acreditou?Você já teve esse selo da verdade da doutrina de Cristo em si mesmo? "Não devemos esperar agora nenhum presente tão extraordinário como o foram. O cânon do Novo Testamento, há muito tempo concluído e ratificado, dependemos disso como o mais mas há graças do Espírito dadas a todos os crentes, que são como recompensas para eles, 2 Coríntios 1: 22,5: 5 , Efésios 1: 13, 14. Agora nos concerne a todos os que professam a fé cristã. a fé seriamente para indagar se recebemos o Espírito Santo ou não.O Espírito Santo é prometido a todos os crentes, a todos os peticionários ( Lucas 11:132 Coríntios 1:22 , 5 : Efésios 1:13 , 14 Lucas 11:13) mas muitos são enganados nesta questão, achando que receberam o Espírito Santo quando realmente não o receberam. Como há pretendentes aos dons do Espírito Santo, assim também há nas suas graças e consolo que devemos, portanto, examinar-nos a nós mesmos. Recebemos o Espírito Santo desde que cremos? A árvore será conhecida pelos seus frutos. Nós produzimos os frutos do Espírito? Somos guiados pelo Espírito? Nós andamos no Espírito? Estamos sob o governo do Espírito?

 

  1. Eles possuíam sua ignorância nesta questão: " Se existe um Espírito Santo é mais do que sabemos. Que existe uma promessa do Espírito Santo que conhecemos das escrituras do Antigo Testamento, e que esta promessa será cumprida em em sua estação, nós não duvidamos, mas temos ficado tão fora do caminho da inteligência, que nem sequer ouvimos se o Espírito Santo já foi realmente dado como um espírito de profecia ”. Eles sabiam (como observa o Dr. Lightfoot) que, de acordo com a tradição de sua nação, após a morte de Esdras, Ageu, Zacarias e Malaquias, o Espírito Santo partiu de Israel, e subiue eles professaram que nunca tinham ouvido falar de seu retorno. Eles falaram como se esperassem, e se perguntaram se não ouviram falar, e estavam prontos para receber a notícia. A luz do evangelho, como a da manhã, brilhava mais e mais, gradualmente, não apenas mais clara e clara, na descoberta de verdades não antes ouvidas, mas cada vez mais, na descoberta delas para pessoas que antes não tinham ouvido falar de eles.

 

  1. Paulo perguntou como eles vieram a ser batizados, se eles não sabiam nada do Espírito Santo, se eles foram batizados por qualquer um dos ministros de Cristo, eles foram instruídos sobre o Espírito Santo, e foram batizados em seu nome. "Não sabeis tu que Jesus é glorificado, conseqüentemente o Espírito Santo é dado? A que então foste batizado?Isso é estranho e inexplicável. O que! batizado, e ainda não sabe nada do Espírito Santo? Certamente, o seu batismo era uma nulidade, se você não conhece nada do Espírito Santo, pois é o recebimento do Espírito Santo que é significado e selado pela lavagem da regeneração. A ignorância do Espírito Santo é tão inconsistente com uma profissão sincera do cristianismo quanto a ignorância de Cristo. "Aplicando-a a nós mesmos, insinua que aqueles são batizados sem nenhum propósito, e receberam a graça de Deus em vão, que não receba e submeta-se ao Espírito Santo.É também uma investigação que deveríamos fazer com freqüência, não apenas para a honra de quem nascemos, mas para cujo serviço fomos batizados, para que possamos estudar para responder aos fins tanto de nosso nascimento como de nossos filhos. baptismo Vamos considerar muitas vezes até o que fomos batizados,

 

  1. Eles sabem que foram batizados no batismo de João - eis para o batismo de Ioannou que, como eu disse, foram batizados em nome de João, não pelo próprio João (ele estava longe o suficiente de qualquer pensamento), mas por algum discípulo fraco e bem intencionado dele, que ignorantemente manteve seu nome como chefe de um partido, mantendo o espírito e a noção daqueles discípulos que eram invejosos do crescimento do interesse de Cristo, e queixaram-se dele , João 3:26John 3:26 . Alguns ou mais destes, que se acharam muito edificados pelo batismo de arrependimento de João para a remissão de pecados,não pensando que o reino dos céus, do qual ele falou como próximo, estivesse tão próximo quanto se provasse, fugiu com essa noção, descansou no que eles tinham, e pensou que não poderiam fazer melhor do que persuadir os outros a fazê-lo também e por ignorância, em um zelo cego pela doutrina de João, eles batizaram aqui e ali um em nome de João, ou, como aqui é expresso, no batismo de João, não olhando mais, nem dirigindo aqueles que batizaram mais.

 

  1. Paulo explica a eles a verdadeira intenção e significado do batismo de João, principalmente se referindo a Jesus Cristo, e assim retifica o erro daqueles que os batizaram no batismo de João, e não os orientou a procurar mais, mas para descansar nisso. Aqueles que foram deixados na ignorância, ou levados ao erro, por quaisquer infelicidades de sua educação, não devem, portanto, ser desprezados nem rejeitados por aqueles que são mais conhecedores e ortodoxos, mas devem ser compassivamente instruídos e melhor ensinados, como esses discípulos foram. por Paul. (1) Ele acredita que o batismo de João foi uma coisa muito boa, até onde foi: João, na verdade, batizou com o batismo de arrependimento.Por este batismo ele exigiu que as pessoas se arrependessem de seus pecados, e confessá-las e se afastar delas e trazer alguma para isso é um grande ponto ganho. Mas, (2) Ele mostra-lhes que o batismo de João tinha mais uma referência, e ele nunca planejou que aqueles que ele batizasse deveriam descansar lá, mas disse-lhes que cressem naquele que viria após ele, isto é, em Cristo Jesus. - que seu batismo de arrependimento foi planejado apenas para preparar o caminho do Senhor, e dispô-los a receber e entreter a Cristo, a quem ele deixou grande com expectativas de não, a quem ele direcionou: Veja o Cordeiro de Deus . "João era um homem grande e bom, mas ele era apenas o precursor, - Cristo é o Príncipe. Seu batismo era o alpendre pelo qual você deveria passar, não a casa em que você deveria descansar e, portanto, tudo estava errado para você para ser batizado no batismo de João ".

 

  1. Quando eles foram mostrados o erro que eles foram levados, eles aceitaram a descoberta, e foram batizados em nome do Senhor Jesus, Atos 19: 5 Atos 19: 5 . Quanto a Apolo, de quem foi dito ( Atos 18:25 Atos 18:25 ) que ele conhecia o batismo de João - que ele corretamente entendia o significado disso quando foi batizado com ele, embora soubesse que somente1 Coríntios 1:13- ainda assim, quando ele entendeu o caminho de Deus mais perfeitamente, ele não foi novamente batizado, assim como os primeiros discípulos de Cristo que haviam sido batizados com o batismo de João e sabiam que se referia ao Messias à porta (e, com um olho para isto, submetido a isto), foram batizados novamente. Mas para esses discípulos, que o receberam apenas com um olho em João e não procuraram mais, como se ele fosse seu salvador, foi um erro tão fundamental, tão fatal para ele quanto seria para qualquer um ser batizado no nome de Paulo ( 1 Coríntios 1:13 ) e, portanto, quando eles entenderam melhor as coisas, eles desejaram ser batizados em nome do Senhor Jesus,e assim foi: não pelo próprio Paulo, como temos razão para pensar, mas por alguns daqueles que o atenderam. Portanto, não se segue que não houvesse um acordo entre o batismo de João e o de Cristo, ou que eles não fossem por substância, e muito menos se segue que aqueles que foram uma vez batizados em nome do Pai, Filho e Santo O Espírito Santo (que é a forma indicada do batismo de Cristo), pode ser novamente batizado no mesmo nome, porque aqueles que foram batizados em nome do Senhor Jesus nunca foram tão batizados antes.

 

  1. Como Paulo conferiu os dons extraordinários do Espírito Santo sobre eles, Atos 19: 6 Atos 19: 6 . 1. Paulo orou solenemente a Deus para que lhes desse esses presentes, significados por impor as mãos sobre eles, que foi um gesto usado em bênçãos pelos patriarcas, especialmente em transmitir a grande confiança da promessa, como Gênesis 48:14 . Sendo o Espírito a grande promessa do Novo Testamento, os apóstolos o transmitiram pela imposição das mãos: "O Senhor te abençoe com essa bênção, com a bênção das bênçãos", Isaías 44: 3 . 2. Deus concedeu a coisa pela qual ele orou: O Espírito Santo veio sobre eles de uma maneira surpreendente e opressiva, eGênesis 48:14 Isaías 44: 3 Atos 10:44eles falaram em línguas e profetizaram, como os apóstolos fizeram eo primeiro gentio converte, Atos 10:44 . Isto foi planejado para introduzir o evangelho em Éfeso e despertar nas mentes dos homens uma expectativa de algumas grandes coisas e alguns pensam que ele foi projetado para qualificar esses doze homens para o trabalho do ministério, e que estes doze eram os anciãos de Éfeso, a quem Paulo cometeu o cuidado e o governo daquela igreja. Eles tinham o Espírito da profecia, para que eles pudessem entender os mistérios do próprio reino de Deus, e o dom de línguas, para que eles pudessem pregá-los a todas as nações e línguas. Oh, que maravilhosa mudança foi feita de repente nestes homens! aqueles que, mas agora só tinha não tanto quanto ouviram que havia algum Espírito Santo agora estão cheios do Espírito Santo para o Espírito, como o vento, sopra onde e quando ele lista.

 

Versículos 8-12

Paulo em Éfeso

8 E ele entrou na sinagoga e falou ousadamente pelo espaço de três meses, disputando e persuadindo as coisas concernentes ao reino de Deus. 9 Mas quando os mergulhadores foram endurecidos, e não creram, mas falaram mal daquele caminho diante da multidão, ele se afastou deles, e separou os discípulos, disputando diariamente na escola de um Tirano. 10 E isso continuou pelo espaço de dois anos, de modo que todos os que habitavam na Ásia ouviram a palavra do Senhor Jesus, tanto judeus como gregos. 11E Deus fez milagres especiais pelas mãos de Paulo: 12Assim que de seu corpo foram trazidos para os lenços doentes ou aventais, e as doenças se afastaram deles, e os espíritos malignos saíram deles.

 

Paulo está aqui muito ocupado em Éfeso para fazer o bem.

 

  1. Ele começa, como de costume, na sinagoga dos judeus, e faz a primeira oferta do evangelho a eles, para que ele possa se reunir nas ovelhas perdidas da casa de Israel, que estavam agora espalhadas pelos montes. Observar,

 

  1. Onde ele pregou para eles: em sua sinagoga ( Atos 19: 8Atos 19: 8 ), como Cristo costumava fazer. Ele foi e juntou-se a eles em seu culto na sinagoga, para tirar seus preconceitos contra ele e agradar-se a eles, enquanto havia qualquer esperança de vencê-los. Assim, ele prestaria seu testemunho ao culto público nos sábados. Onde não havia assembléias cristãs ainda formadas, ele freqüentava as assembléias judaicas, enquanto os judeus ainda não estavam totalmente abandonados. Paulo entrou na sinagoga, porque ali os reuniu e os esperava, em boa forma.

 

  1. O que ele pregou para eles: As coisas concernentes ao reino de Deus entre os homens, as grandes coisas que diziam respeito ao domínio de Deus sobre todos os homens e favor a eles, e sujeição dos homens a Deus e felicidade em Deus. Ele mostrou-lhes suas obrigações para com Deus e interesse nele, como o Criador, pelo qual o reino de Deus foi estabelecido, - a violação dessas obrigações, e a perda desse interesse, pelo pecado, pelo qual o reino de Deus foi derrubado, e a renovação dessas obrigações e a restauração do homem a esse interesse novamente, pelo Redentor, por meio do qual o reino de Deus foi novamente estabelecido. Ou, mais particularmente, as coisas relativas ao reino do Messias, que os judeus esperavam, e prometeram-se grandes coisas, ele abriu as escrituras que falavam sobre isso, deu-lhes uma noção correta deste reino e mostrou-lhes seus erros a respeito.

 

  1. Como ele pregou para eles. (1.) Ele pregou argumentativamente: ele disputou as razões, razões das escrituras, para o que ele pregou, e respondeu objeções, para o convencimento dos juízos e consciências dos homens, que eles podem não só acreditar, mas pode ver motivo para acreditar. Ele pregou dialegomenos - diálogo sábioEle fez perguntas a eles e recebeu suas respostas, deu-lhes permissão para fazer perguntas a ele e as respondeu. (2) Ele pregou afetuosamente: ele persuadiu que ele usou não apenas argumentos lógicos, para impor o que ele disse sobre seus entendimentos, mas motivos retóricos, para impressionar o que ele disse sobre suas afeições, mostrando-lhes que as coisas que ele pregava sobre o reino de Deus era coisas concernentes a eles mesmos, com os quais eles estavam quase preocupados e, portanto, deveriam preocupar-se com eles, 2 Coríntios 5:112 Coríntios 5:11 , Nós persuadimos os homens.Paulo era um pregador comovente e era mestre na arte da persuasão. (3) Ele pregou destemidamente, e com uma santa resolução: ele falou corajosamente, como alguém que não tinha a menor dúvida das coisas de que ele falou, nem a menor desconfiança dele de quem ele falou, nem o menor pavor daqueles que ele falei com.

 

  1. Por quanto tempo ele pregou para eles: Pelo espaço de três meses, que foi um tempo competente, permitiu-lhes considerá-lo naquele tempo entre os que pertenciam à eleição da graça foram chamados, e os restantes foram deixados indesculpáveis. Assim, Paulo pregou o evangelho com muita contenda ( 1 Tessalonicenses 2: 21 Tessalonicenses 2: 2 ), mas ele não falhou, nem foi desencorajado.

 

  1. Que sucesso sua pregação teve entre eles. (1) Havia alguns que foram persuadidos a acreditar em Cristo, alguns acham que isso é intimado na palavra persuadir - ele prevaleceu com eles. Mas, (2) muitos continuaram em sua infidelidade, e foram confirmados em seus preconceitos contra o cristianismo. Quando Paulo os invocou antes, e pregou apenas algumas coisas gerais para eles, cortejaram sua permanência entre eles ( Atos 18:20Atos 18:20 ), mas agora que ele se estabeleceu entre eles, e sua palavra veio mais de perto para suas consciências, eles logo se cansaram. dele. [1] Eles tinham uma aversão invencível ao evangelho de Cristo: eles eram endurecidos e não acreditavameles estavam resolvidos que não acreditariam, embora a verdade brilhava em seus rostos com luz e evidência sempre tão convincentes. Portanto, eles não acreditaram, porque foram endurecidos. [2] Eles fizeram o máximo para elevar e manter nos outros uma aversão ao evangelho, eles não só não entraram no reino de Deus, mas também não permitiram que aqueles que entravam entrassem, porque falavam mal disso. caminho diante da multidão, para prejudicá-los contra ela. Embora eles não pudessem mostrar nenhum tipo de mal, ainda assim eles diziam todo tipo de mal a respeito. Esses pecadores, como os anjos que pecaram, tornaram-se satanas, adversários e demônios, falsos acusadores.

 

  1. Quando ele levou o assunto até onde ele iria na sinagoga dos judeus, e descobriu que a oposição deles se tornou mais obstinada, ele deixou a sinagoga, porque ele não podia seguramente, ou melhor, porque ele não podia confortavelmente e com sucesso, continuar em comunhão com eles. Embora a adoração deles fosse a mesma que ele pudesse fazer, e eles não o silenciaram, nem o proibiram de pregar entre eles, todavia, eles o expulsaram do seu cerco pelas coisas que ele falou a respeito do reino de Deus: odiavam ser reformado, odiado ser instruído, e por isso ele partiu deles. Aqui temos certeza de que houve uma separação e nenhum cisma porque havia uma causa justa para isso e um claro apelo a ela. Agora observe

 

  1. Quando Paulo partiu dos judeus, levou consigo os discípulos e os separou, para salvá-los daquela geração desfavorável (segundo o encargo que Pedro deu aos seus novos conversos, Atos 2:40Atos 2:40 ), para que não se infectassem com os novos convertidos. línguas venenosas daqueles blasfemadores, ele separou aqueles que acreditavam, para ser o alicerce de uma igreja cristã, agora que eles eram um número competente a ser incorporado, para que outros pudessem comparecer com eles na pregação do evangelho, e pudessem, em sua acreditando, ser adicionado a eles. Quando Paulo partiu não precisou mais separar os discípulos, deixe-o ir aonde ele quiser, eles o seguirão.

 

  1. Quando Paulo se separou da sinagoga, montou um encontro próprio, disputou diariamente na escola de um certo Tirano. Ele deixou a sinagoga dos judeus, para continuar com a maior liberdade em seu trabalho, ainda disputava por Cristo e o cristianismo, e estava pronto para responder a todos os adversários em defesa deles e tinha por essa separação uma dupla vantagem. (1) Que agora suas oportunidades eram mais frequentes. Na sinagoga ele só podia pregar todos os sábados ( Atos 13:42 Atos 13:42 ), mas agora ele disputava diariamente, ele organizava uma palestra todos os dias, e assim redimia o tempo: aqueles cujo negócio não permitia que eles viessem um dia poderia vir outro dia e aqueles foram bem-vindos queAtos 19:10 1 Coríntios 16: 8 , 9 Atos 18: 7Assistia diariamente a esses portões de sabedoria e esperava diariamente nos postes de suas portas. (2) Que agora eles estavam mais abertos. Para a sinagoga dos judeus, ninguém poderia vir, nem poderia vir, mas judeus ou prosélitos gentios eram excluídos, mas, quando ele estabeleceu uma reunião na escola de Tirano, tanto judeus como gregos assistiram ao seu ministério, Atos 19:10 . Assim, como ele descreve este portão de oportunidade em Éfeso ( 1 Coríntios 16: 8,9 ), uma porta larga e um effectual foi aberto para ele, embora houvesse muitos adversários. Alguns pensam que esta escola de Tirano era uma escola de divindade dos judeus, e tal que eles geralmente tinham em suas grandes cidades, além de sua sinagoga, chamavam-na. Bethmidrash, a casa da indagação, ou da repetição, e eles foram para isso no dia de sábado, depois de terem estado na sinagoga. Eles vão de força em força, da casa do santuário para a casa da doutrina. Se isso foi uma escola, isso mostra que, embora Paulo tenha deixado a sinagoga, ele a deixou gradualmente, e ainda assim se manteve o mais próximo que pôde, como havia feito, Atos 18: 7 . Mas outros pensam que foi uma escola de filosofia dos gentios, pertencente a um tirano, ou um lugar que se aposentava (pois assim a palavra schole às vezes significa) pertencer a um homem principal ou governador da cidade algum lugar conveniente que era, que Paulo e os discípulos tinham o uso, seja por amor ou dinheiro.

 

  1. Aqui ele continuou seus trabalhos por dois anos, leu suas palestras e disputou diariamente. Estes dois anos começaram a partir do final dos três meses que ele passou na sinagoga ( Atos 19: 8 Atos 19: 8 ) depois que eles terminaram, ele continuou por algum tempo no país, pregando, portanto, ele poderia justamente contar isso em todos os três anos, como ele faz, Atos 20:31At 20:31 .

 

  1. O evangelho por este meio se espalhou longe e perto ( Atos 19:10Atos 19:10 ): Todos os que habitavam na Ásia ouviram a palavra do Senhor Jesus não apenas todos os que moravam em Éfeso, mas todos os que habitavam naquela grande província chamada Ásia, da qual Éfeso era a cidade principal - Ásia, a menos que fosse chamado. Houve grande recurso a Éfeso de todas as partes do país, por lei, trânsito, religião e educação, o que deu a Paulo a oportunidade de enviar o relatório do evangelho a todas as cidades e aldeias daquele país. Todos ouviram a palavra do Senhor Jesus.O evangelho é a palavra de Cristo, é uma palavra referente a Cristo. Isso eles ouviram, ou pelo menos ouviram falar disso. Algumas de todas as seitas, algumas de todas as partes, tanto na cidade quanto no campo, abraçaram este evangelho e o entretiveram, e por meio delas ele foi comunicado aos outros e todos ouviram a palavra do Senhor Jesus, ou a ouviram. Provavelmente Paulo às vezes fazia excursões para o país, pregava o evangelho ou enviava seus missionários ou assistentes que o atendiam, e assim a palavra do Senhor foi ouvida por toda a região. Agora aqueles que estavam sentados na escuridão viram uma grande luz.

 

III Deus confirmou a doutrina de Paulo através de milagres, que despertaram as investigações das pessoas depois dela, fixaram sua afeição a ela e engajaram sua crença nela, At 19: 11,12 . Imagino que não tenhamos lido de nenhum milagre operado por Paulo desde a expulsão do espírito maligno da donzela em Filipos. Por que ele não fez milagres em Tessalônica, Beréia e Atenas? Ou, se ele fez, por que eles não são gravados? O sucesso do evangelho, sem milagres no reino da natureza, era ele próprio um milagre no reino da graça, e o poder divino que o acompanhava era uma prova de seu original divino, de que não precisava de outro? É certo que em Corinto ele realizou muitos milagres, embora Lucas não tenha registrado nenhum, pois ele lhes diz ( 2 Coríntios 12:12Atos 19:11 , 12 2 Coríntios 12:12que os sinais de seu apostolado estavam entre eles, em prodígios e maravilhas. Mas aqui em Éfeso temos um relato geral das provas deste tipo que ele deu a sua missão divina. 1. Eles eram milagres especiais - Dynameis ou tychousas. Deus exerceu poderes que não estavam de acordo com o curso comum da natureza: Virtudes não vulgares. Coisas foram feitas que de modo algum poderiam ser atribuídas ao acaso ou a causas secundárias. Ou eles não eram apenas (como todos os milagres são) fora da estrada comum,mas eram milagres até incomuns, milagres que não foram feitos pelas mãos de qualquer outro dos apóstolos. Os opositores do evangelho eram tão preconceituosos que quaisquer milagres não serviriam a sua vez, portanto Deus operou virtudes não quaslibet (assim eles o apresentam), algo acima do caminho comum dos milagres. 2. Não foi Paulo que os operou ( O que é Paulo eo que é Apolo? ), Mas foi Deus que os operou pela mão de Paulo. Ele era apenas o instrumento, Deus era o principal agente.

 

  1. Ele não só curou os doentes que foram trazidos a ele, ou a quem ele foi trazido, mas de seu corpo foram levados para os lenços doentes ou aventais eles pegaram os lenços de Paulo, ou seus aventais, isto é, dizem alguns, os aventais ele usava quando trabalhava em seu ofício, e a aplicação deles aos doentes os curou imediatamente. Ou trouxeram lenços, cintas, chapéus ou toucas para os doentes, e os colocaram por algum tempo no corpo de Paulo, e depois os levaram para os enfermos. O primeiro é mais provável. Agora foi cumprida essa palavra de Cristo para seus discípulos, obras maiores do que estas você deve fazer. Nós lemos de um que foi curado pelo toque da veste de Cristo quando estava sobre ele, e ele percebeu que a virtude saiu delemas aqui havia pessoas curadas pelas vestes de Paulo quando foram tiradas dele. Cristo deu poder aos seus apóstolos contra os espíritos impuros e contra todo tipo de doença ( Mateus 10: 1Mateus 10: 1 ), e encontramos aqui que aqueles a quem Paulo enviava alívio tinham em ambos os casos: pois as doenças se afastaram deles e dos maus espíritos. saíram deles, ambos significativos do grande desígnio e efeito abençoado do evangelho, e da cura de doenças espirituais, e libertando as almas dos homens do poder e domínio de Satanás.

 

Versículos 13-20

A desgraça dos exorcistas.

13Então alguns dos judeus vagabundos, exorcistas, tomaram sobre eles a invocação daqueles que tinham maus espíritos, o nome do Senhor Jesus, dizendo: Nós vos ajuramos por Jesus a quem Paulo pregou. 14 E havia sete filhos de um só Sceva, um judeu, echefe dos sacerdotes, que fez isso. 15 E o espírito maligno respondeu e disse: Jesus eu sei, e Paulo eu sei, mas quem sois? 16 E o homem, no qual estava o espírito maligno, saltando sobre eles, apoderou-se de dois e prevaleceu contra eles, de modo que, nus e feridos, fugiram daquela casa. 17 E isto era conhecido por todos os judeus e gregos que moravam em Éfeso, e o medo caiu sobre todos eles, e o nome do Senhor Jesus foi engrandecido. 18 E muitos dos que creram vieram e confessaram, e mostraram as suas obras. 19 Muitos também dos que tinham praticado artes mágicas ajuntaram os seus livros, os queimaram diante de todos os homens: e, calculando o valor deles, e encontrou -o cinquenta mil peças de prata. 20 Assim cresceu poderosamente a palavra de Deus e prevaleceu.

 

Os pregadores do evangelho foram enviados para continuar uma guerra contra Satanás, e nisso Cristo saiu conquistando e conquistando. A expulsão de espíritos malignos daqueles que foram possuídos foi um exemplo da vitória de Cristo sobre Satanás, mas, para mostrar de quantas maneiras Cristo triunfou sobre aquele grande inimigo, temos aqui nesses versos dois exemplos notáveis ​​da conquista de Satanás, não somente naqueles que foram violentamente possuídos por ele, mas naqueles que foram voluntariamente devotados a ele.

 

  1. Aqui está a confusão de alguns servos de Satanás, alguns judeus vagabundos, que eram exorcistas, que usavam o nome de Cristo profana e perversamente em seus encantamentos diabólicos, mas foram obrigados a pagar caro por sua presunção. Observar,

 

  1. O caráter geral daqueles que eram culpados dessa presunção. Eram judeus, mas judeus vagabundos eram da nação e da religião judaicas, mas iam de cidade em cidade para conseguir dinheiro inventando. Eles passeavam para contar às pessoas suas fortunas e fingiam, por encantamentos e feitiços, curar doenças e trazer pessoas para si que eram melancólicas ou distraídas. Eles se chamavam exorcistas, porque, ao fazer seus truques, usavam formas de ajuste, por tais e tais nomes de comando. Os judeus supersticiosos, para colocar uma reputação nessas artes mágicas, atribuíram perversamente a invenção deles a Salomão. Então Josefo ( Antiq.8. 45-46) diz que Salomão compôs encantos pelos quais doenças eram curadas, e demônios expulsos para nunca mais voltar e que essas operações continuavam comuns entre os judeus de sua época. E Cristo parece se referir a isso ( Mateus 12:27Mateus 12:27 ), por quem seus filhos os expulsam?

 

  1. Um relato particular de alguns em Éfeso que conduziu esse curso de vida e que foram para lá em suas viagens, eles eram sete filhos de um só Sceva, um judeu e chefe dos sacerdotes, Atos 19:14Atos 19:14 . É triste ver a casa de Jacó assim degenerada, muito mais a casa de Arão, a família que era de uma maneira peculiar consagrada a Deus, é verdadeiramente triste ver alguma daquela raça em aliança com Satanás. Seu pai era um chefe dos sacerdotes, chefe de um dos vinte e quatro cursos de sacerdotes. Alguém pensaria que o templo encontraria emprego e encorajamento suficientes para os filhos de um sumo sacerdote, se tivessem sido o dobro. Mas provavelmente era um humor vaidoso, desconexa e rabugenta que os levava a se tornarem charlatães e vagar pelo mundo todo para curar gente louca.

 

  1. A profanação de que eram culpados: Eles tomaram sobre eles para chamar espíritos malignos o nome do Senhor Jesus não como aqueles que tinham uma veneração por Cristo e uma confiança em seu nome, como lemos de alguns que expulsaram demônios em Nome de Cristo e ainda não seguiu com seus discípulos ( Lucas 9:49Lucas 9:49), a quem ele não teria que ser desencorajado, mas como aqueles que estavam dispostos a tentar todos os métodos para continuar seu comércio perverso, e, deveria parecer, tinha esse desígnio: - Se os espíritos malignos se renderem a um ajuntamento no Nome de Jesus por aqueles que não acreditavam nele, eles diriam que não houve confirmação de sua doutrina para aqueles que fizeram por isso foi tudo um deles, acreditando ou não. Se não se submetessem a isso, diriam que o nome de Cristo não era tão poderoso quanto os outros nomes que usavam, aos quais os demônios freqüentemente cooperavam. Eles disseram: Nós vos ajuramos de Jesus, a quem Paulo não prega , "em quem cremos, de quem dependemos ou de quem tenha autoridade", mas a quem Paulo pregacomo se tivessem dito: "Vamos tentar o que esse nome fará". Os exorcistas da igreja romana, que fingem expulsar o diabo de pessoas melancólicas por meio de encantamentos e feitiços que não compreendem e que, não possuindo qualquer garantia divina, não podem ser usados ​​na fé, são os seguidores desses judeus vagabundos.

 

  1. A confusão em que foram colocados em suas operações ímpias. Que eles não sejam enganados, que Deus não seja escarnecido, nem que o nome glorioso de Jesus seja prostituído a um propósito tão vil como este que comunhão tem Cristo com Belial? (1.) O espírito maligno deu-lhes uma resposta afiada ( Atos 19:15 Atos 19:15 ): " Jesus eu sei, e Paulo eu sei, mas quem é você? Eu sei que Jesus conquistou principados e poderes, e que Paulo tem autoridade em seu nome para expulsar demônios, mas que poder você tem para nos comandar em seu nome, ou quem te deu tal poder? O que você tem que fazer para declarar o poder de Jesus, ou para tomar seu pacto e mandamentos em suas bocas, vendo você odeio suas instruções? Salmos 50: 16,17Salmo 50:16 , 17. Isto foi extorquido da boca do espírito maligno pelo poder de Deus, para ganhar honra ao evangelho, e para envergonhar aqueles que fizeram mau uso do nome de Cristo. Poderes anticristãos e facções fingem um poderoso zelo por Jesus e Paulo, e para ter autoridade deles, mas, quando o assunto vem a ser examinado, é um mero interesse secular mundano que deve ser assim apoiado ou não, é uma inimizade para religião verdadeira: Jesus nós sabemos, e Paulo nós sabemos, mas quem é você? (2) O homem em quem o espírito maligno lhes dava uma calorosa recepção, que os atacava , saltava sobre eles no auge de seu frenesi e raiva, vencendo-os e todos os seus encantamentos, prevalecia contra eles,e era muito difícil para eles fugirem da casa, não apenas nus, mas também feridos, as roupas arrancadas das costas e as cabeças quebradas. Isto está escrito para uma advertência a todos aqueles que nomeiam o nome de Cristo, mas não se apartem da iniqüidade. O mesmo inimigo que os supera com suas tentações os superará com seus terrores e o adulterando em nome de Cristo, para deixá-los em paz, não lhes será segurança. Se resistirmos ao diabo por uma fé verdadeira e viva em Cristo, ele fugirá de nós, mas se pensarmos em resistir a ele pelo simples uso do nome de Cristo, ou qualquer parte de sua palavra, como um feitiço ou encanto, ele prevalecerá. contra nos.

 

  1. O aviso geral que foi tomado disto, e a boa impressão que isto causou sobre muitos ( Atos 19:17Atos 19:17 ): Isto era conhecido por todos os judeus e gregos que também moravam em Éfeso. Era a conversa comum da cidade e o efeito disso era, (1) Que os homens estavam aterrorizados: o medo recaiu sobre todos eles. Neste caso, eles viram a malícia do diabo a quem serviam, e o poder de Cristo a quem eles se opunham e ambos eram considerações terríveis. Eles viram que o nome de Cristo não deveria ser brincado, nem sua religião composta de superstições pagãs. (2) Que Deus foi glorificado o nome do Senhor Jesus, pelo qual seus servos fiéis expulsaram demônios e curaram doenças, sem qualquer resistência,foi o mais amplificado por agora parecia ser um nome acima de todos os nomes.

 

  1. Aqui está a conversão de outros servos de Satanás, com as evidências de sua conversão.

 

  1. Aqueles que foram culpados de más práticas os confessaram, Atos 19:18Atos 19:18 . Muitos que haviam crido e foram batizados, mas não haviam sido tão particulares como poderiam ter sido na confissão de seus pecados, ficaram tão aterrorizados com esses exemplos da magnificação do nome de Jesus Cristo que eles vieram a Paulo, ou alguns dos outros ministros que estavam com ele, e confessaram que vidas más eles levaram, e que grande iniqüidade secreta suas próprias consciências os acusaram, que o mundo não conhecia - fraudes secretas e imundícia secreta mostraram suas ações ,Envergonharam-se e deram glória a Deus e advertiram aos outros. Estas confissões não foram extorquidas deles, mas foram voluntárias, para a facilidade de suas consciências, sobre as quais os últimos milagres haviam atingido um terror. Note, onde há verdadeira contrição pelo pecado, haverá uma ingênua confissão de pecado a Deus em cada oração, e ao homem a quem ofendemos quando o caso assim o exigir.

 

  1. Aqueles que conversaram com livros perversos queimou-os ( Atos 19:19Atos 19:19 ): Muitos também daqueles que usaram artes curiosas, ta perierga - coisas impertinentes multa nihil e se pertinentia satagentes - corpos ocupados (então a palavra é usada, 2Tessalonicenses 3:11, 1 Timóteo 5:13 ), que negociavam no estudo de magia e adivinhação, em livros de astrologia judicial, lançando natividades, contando fortunas, criando e imergindo espíritos, interpretando sonhos, prevendo eventos futuros, e assim por diante; para os quais alguns pensam que devem ser acrescentados peças de teatro, romances, livros de amor e poemas indecentes e indecentes - histrionica, amatoria, saltatoria. (assim a palavra é usada, 2Tessalonicenses 3:11 1 Timóteo 5:13 Isaías 30:22 Isaías 2:20 --Stres. Estes, tendo suas consciências mais despertas do que nunca para ver o mal daquelas práticas em que estes livros os instruíram, reuniram seus livros e os queimaram diante de todos os homens. Éfeso era notório pelo uso destas artes curiosas, portanto, feitiços e encantos eram chamados de Literae Ephesiae. Aqui as pessoas se davam todo esse tipo de livros e, provavelmente, tinham tutores para instruí-los nessas artes negras . Portanto, foi muito para a honra de Cristo e seu evangelho ter um testemunho tão nobre contra aqueles curiososartes, em um lugar onde eles estavam muito em voga. É dado como certo que eles estavam convencidos do mal dessas artes curiosas, e resolvidos a lidar com eles não mais, mas eles não achavam isso suficiente, a menos que eles queimassem seus livros. (1.) Assim, eles mostraram uma santa indignação pelos pecados de que eram culpados, quando os idólatras, quando foram levados ao arrependimento, disseram aos seus ídolos: “ Idei-vos” ( Isaías 30:22 ) e conjurei até os de prata e ouro para as toupeiras e para os morcegos, Isaías 2:20. Eles, assim, tomaram uma piedosa vingança daquelas coisas que haviam sido os instrumentos do pecado para eles, e proclamaram a força de suas convicções do mal disto, e que aquelas mesmas coisas eram agora detectáveis ​​para eles, tanto quanto sempre foram. Deleitável. (2) Assim, eles mostraram sua resolução de nunca mais voltar ao uso dessas artes, e os livros que se relacionavam com elas, novamente. Eles estavam tão completamente convencidos do mal e do perigo que eles não jogariam os livros, ao alcance de um recall, sob a suposição de que era possível que eles pudessem mudar de idéia, mas, sendo resolutamente resolvidos para nunca fazer uso deles, eles os queimaram. (3) Assim, eles afastam a tentação de voltar a eles novamente. Se tivessem guardado os livros por eles, haveria perigo de que, quando o calor da presente condenação terminasse, eles deveriam ter a curiosidade de olhar para eles, e assim estar em perigo de gostar deles e amá-los novamente, e, portanto, eles os queimaram. Note, Aqueles que verdadeiramente se arrependem do pecado se manterão o mais longe possível das ocasiões em que isto ocorrer. (4) Assim, eles impediram que fizessem mal aos outros. Se Judas estivesse por perto, ele teria dito: "Venda-os e dê o dinheiro aos pobres" ou "Compre Bíblias e bons livros com ele". Mas então quem poderia dizer em cujas mãos esses livros perigosos poderiam cair, e que mal poderia ser feito por eles? Era, portanto, o caminho mais seguro para entregá-los às chamas. Aqueles que são recuperados do pecado farão tudo o que puderem para impedir que outros caiam dentro dele, e terão muito mais medo de colocar uma ocasião de pecado no caminho dos outros. (5.cinquenta mil peças de prataque alguns calculam ser mil e quinhentas libras do nosso dinheiro. É provável que os livros fossem escassos, talvez proibidos e, portanto, caros. Provavelmente eles os custaram tanto, ainda, sendo os livros do diabo, embora tivessem sido tão tolos a ponto de comprá-los, não achavam que isso justificaria que fossem tão maus a ponto de vendê-los novamente. (6) Assim, eles publicamente testificaram sua alegria por sua conversão dessas práticas iníquas, como Mateus fez pela grande festa que ele fez quando Cristo o chamou do recebimento do costume. Estes convertidos se uniram para fazer esta fogueira, e fizeram isso antes de todos os homens. Eles podem ter queimado os livros em particular, cada um em sua própria casa, mas eles escolheram fazer isso juntos, por consentimento, e fazê-lo na cruz alta (como dizemos), que Cristo e sua graça neles poderiam ser mais ampliado,

 

III Aqui está um relato geral do progresso e sucesso do evangelho em e sobre Éfeso ( Atos 19:20Atos 19:20 ): Assim poderosamente cresceu a palavra de Deus e prevaleceu. É uma visão abençoada ver a palavra de Deus crescendo e prevalecendo poderosamente, como aconteceu aqui. 1. Para vê-lo crescer extensivamente, pela adição de muitos à igreja. Quando ainda mais e mais são forjados pelo evangelho, e forjados em conformidade com ele, então cresce quando aqueles que eram menos propensos a ceder a ele, e que tinham sido mais duros em sua oposição a ele, são cativados e trazido em obediência a ele, então pode-se dizer que ele cresce poderosamente. 2. Para ver isso prevalecer extensivamente, pelo avanço no conhecimento e na graça daqueles que são adicionados à igreja quando corrupções fortes são mortificadas, hábitos viciosos mudam, maus costumes de longa data quebrados e pecados agradáveis, lucrativos e elegantes são abandonados. , então prevalece poderosamente e Cristo continua conquistando e conquistando.

 

Versículos 21-41

O tumulto em Éfeso.

21Depois que estas coisas terminaram, Paulo propôs em espírito, quando passou pela Macedônia e pela Acaia, para ir a Jerusalém, dizendo: Depois de estar lá, também devo ver Roma. 22Então ele enviou para a Macedônia dois dos que o serviam, Timóteo e Erasto, mas ele mesmo ficou na Ásia por um tempo. 23 E ao mesmo tempo, não surgiu uma pequena agitação por esse caminho. 24Para um certo homemchamado Demétrio, um ourives, que fez santuários de prata para Diana, não trouxe nenhum pequeno ganho para os artesãos, a quem ele chamou juntamente com os operários como ocupação, e disse: Senhores, vocês sabem que por esta arte nós temos nossa riqueza. 26 Também vós tendes ver e ouvir que não é só em Éfeso, mas em quase toda a Ásia, este Paulo tem persuadido e desviado muita gente, dizendo não serem deuses os que são feitos por mãos humanas. está em perigo de ser desprezado, mas também que o templo da grande deusa Diana seja desprezado, e sua magnificência deva ser destruída, a quem toda a Ásia e o mundo adoram. 28 E quando eles ouviram estas palavras, eles estavam cheios de ira, e clamaram, dizendo: Grande éDiana dos efésios. 29 E a cidade encheu-se de confusão; e, tendo apanhado a Gaio e a Aristarco, homens da Macedônia, companheiros de viagem de Paulo, correram de comum acordo para o teatro. 30 E quando Paulo havia entrado para o povo, os discípulos não o sofreram. 31 E alguns dos principais da Ásia, que eram seus amigos, enviaram-lhe, desejando -oque ele não iria se aventurar no teatro. 32Alguns clamavam, portanto, uma coisa e outra alguma: pois a assembléia estava confusa e a maior parte não sabia por que estavam reunidas. 33E eles tiraram Alexandre da multidão, os judeus o colocando para a frente. E Alexandre acenou com a mão e teria feito sua defesa ao povo. 34Mas quando souberam que ele era judeu, todos a uma voz gritaram pelo espaço de duas horas: Grande é a Diana dos efésios. 35 E quando o funcionário da cidade apaziguou o povo, ele disse: Vós , homens de Éfeso, que homem há que não sabe que a cidade dos efésios é adoradora da grande deusa Diana e da imagemque caiu de Júpiter? 36 Vendo então que estas coisas não podem ser pronunciadas contra vós, deves ficar quieto e não fazer nada precipitadamente. 37 Pois trouxestes aqui estes homens que não são ladrões de igrejas, nem blasfemadores da tua deusa. 38 Portanto, se Demétrio e os artífices que estão com ele têm alguma queixa contra alguém, a lei está aberta e há suplentes: que se instale um ao outro. 39 Se, porém, perguntardes alguma coisa a respeito de outros assuntos, será determinado numa assembléia legal. 40 Pois nós estamos em perigo de sermos chamados em questão pelo tumulto deste dia, não havendo nenhuma causa pela qual possamos dar conta deste concurso. 41E quando ele tinha assim falado, ele dispensou a assembléia.

 

  1. Paulo é trazido aqui para algum problema em Éfeso, justamente quando ele está prevendo ir dali, e cortar o trabalho para si mesmo em outro lugar. Veja aqui,

 

  1. Como ele colocou seu propósito de ir a outros lugares, Atos 19: 21,22 . Ele era um homem de vastos desígnios para Deus, e foi por tornar suas influências tão difusas quanto poderia ser. Tendo passado mais de dois anos em Éfeso, (1) Ele planejou uma visita às igrejas da Macedônia e Acaia, especialmente de Filipos e Corinto, as principais cidades daquelas províncias, Atos 19:21 . Lá ele plantou igrejas e agora está preocupado em visitá-las. Ele propôs no espíritoAtos 19:21 , 22 Atos 19:21 Romanos 1:11 Atos 18: 2 1 Coríntios 4:17 , 19ou em seu próprio espírito, não comunicando ainda o seu propósito, mas guardando isto para si mesmo ou pela direção do Espírito Santo, que era o seu guia em todos os seus movimentos, e por quem ele foi conduzido. Ele pretendia ir e ver como a obra de Deus prosseguia naqueles lugares, para retificar o que estava errado e encorajar o que era bom. (2). De lá, ele planejou ir a Jerusalém, visitar os irmãos ali e prestar contas da prosperidade do bom prazer do Senhor em suas mãos e, a partir daí, ele pretendia ir a Roma, ir e ver Romanão como se ele projetasse apenas a gratificação de sua curiosidade com a visão daquela antiga cidade famosa, mas porque era uma expressão comumente usada, que eles iriam ver Roma, olharia para eles lá, quando aquilo que ele projetava era para ver os cristãos lá, e para lhes fazer algum serviço, Romanos 1:11 . As boas pessoas em Roma eram a glória da cidade que ele ansiava por ver. Dr. Lightfoot supõe que foi com a morte do imperador Cláudio, que morreu no segundo ano em que Paulo estava em Éfeso, que Paulo pensou em ir a Roma, porque enquanto ele vivia, os judeus eram proibidos em Roma, Atos 18: 2. (3) Ele enviou Timóteo e Erasto para a Macedônia, para dar-lhes conhecimento da visita que ele pretendia, e preparar sua coleção para os pobres santos em Jerusalém. Logo depois que ele escreveu a primeira epístola aos Coríntios, planejando seguir a si mesmo, como aparece 1 Coríntios 4: 17,19 , eu enviei a Timóteo, mas eu mesmo voltarei a você em breve, se o Senhor quiser. Por enquanto, ele ficou na Ásia, no país, sobre Éfeso, fundando igrejas.

 

  1. Como ele foi destacado em seu propósito, e obrigado a persegui-lo pelos problemas que finalmente encontrou em Éfeso. Era estranho que ele tivesse ficado quieto por tanto tempo, mas parece que ele tinha encontrado problemas que não foram registrados nesta história, pois em sua epístola escrita neste tempo ele fala de ter lutado com feras em Éfeso ( 1 Coríntios 15:32 1 Coríntios 15: 32 ), o que parece significar que ele foi colocado para lutar com feras no teatro, de acordo com o tratamento bárbaro que às vezes davam aos cristãos. E ele fala do problema que lhes ocorreu na Ásia, perto de Éfeso, quando ele se desesperou da vida, e recebeu uma sentença de morte dentro de si, 2 Coríntios 1: 8,9 .2 Coríntios 1: 8 , 9

 

  1. Mas, no problema aqui relatado, ele estava pior assustado do que ferido. Em geral, não surgiu uma pequena agitação por esse caminho, Atos 19:23At 19:23 . Alguns historiadores dizem que o famoso impostor Apolônio Tyanae, que se estabeleceu para um rival com Cristo, e deu a si mesmo, como Simão Mago, para ser um grande, estava em Éfeso sobre este tempo que Paulo estava lá. Mas parece que a oposição que ele deu ao evangelho foi tão insignificante que São Lucas não achou que valesse a pena notar. A perturbação da qual ele dá conta era de outra natureza: vamos ver os detalhes dela. Aqui está,

 

  1. Uma grande queixa contra Paulo e os outros pregadores do evangelho por afastar as pessoas da adoração a Diana e assim estragar o comércio dos ourives que trabalhavam para o templo de Diana.

 

(1) O queixoso é Demetrius, um ourives, um homem principal, é provável, do comércio, e um que seria pensado para entender e consultar os interesses dele mais do que outros da empresa. Se ele trabalhou em outros tipos de prato ou não, não somos informados, mas o ramo mais vantajoso de seu comércio foi fazer santuários de prata para Diana, Atos 19:24Atos 19:24. Alguns pensam que estas foram medalhas carimbadas com as efígies de Diana, ou seu templo, ou ambos os outros pensam que eram representações do templo, com a imagem de Diana em miniatura, toda de prata, mas tão pequena que as pessoas poderiam carregá-las com eles, como os papistas fazem seus crucifixos. Aqueles que vieram de longe para pagar suas devoções no templo de Éfeso, quando eles foram para casa compraram estes pequenos templos ou santuários, para levar para casa com eles, para a gratificação da curiosidade de seus amigos, e para preservar em suas próprias mentes a idéia daquele imponente edifício. Veja como os artesãos, e os homens habilidosos acima do nível dos ourives, aproveitam-se da superstição das pessoas e servem seus fins mundanos com isso.

 

(2) As pessoas que ele apela não são os magistrados, mas a turba chamou os artesãos em conjunto, com os trabalhadores da mesma ocupação (uma companhia de mecânicos, que não tinha nenhum sentido senão o seu interesse mundano), e estes ele se esforçou para incensar contra Paulo, que seria atuado tão pouco pela razão e tanto pela fúria quanto pudesse desejar.

 

(3) Sua denúncia e representação são muito completas. [1] Ele estabelece isso como um princípio de que a arte e o mistério de fazer santuários de prata para os adoradores de Diana era muito necessário para ser apoiado e mantido ( Atos 19:25 Atos 19:25 ): " Você sabe que por este ofício temos não apenas nossa subsistência e nossa comida necessária, mas também nossa riqueza.Atos 19:26 Apocalipse 13: 2 , 3Nós crescemos ricos e elevamos propriedades. Vivemos grandes e temos meios para manter nossos prazeres e, portanto, o que quer que surja, não devemos sofrer este ofício para crescer em desprezo. ”Nota: É natural que os homens sejam ciumentos por isso, seja certo ou errado, por que eles obtêm sua riqueza e muitos, por esta razão, colocam-se contra o evangelho de Cristo, porque isto chama os homens de serem ilegais, quanta riqueza é para ser obtida por eles [2]. Paulo afirma que dissuadiu os homens de adorar ídolos. ”As palavras, como são colocadas na acusação, são as que ele havia afirmado:“ Esses não são deuses feitos com as mãos, Atos 19:26.. Poderia alguma verdade ser mais clara e auto-evidente do que isso, ou qualquer raciocínio mais convincente e convincente do que o dos profetas, O obreiro fez, portanto não é Deus?A primeira e mais genuína noção que temos de Deus é que ele teve seu ser de si mesmo e não depende de ninguém, a não ser que todas as coisas têm seu ser dele e sua dependência dele: e então deve-se seguir que esses não são deuses. que são as criaturas da fantasia dos homens e o trabalho das mãos dos homens. No entanto, isso deve ser encarado como uma noção herética e ateísta, e Paulo como um criminoso por mantê-la não que eles pudessem avançar qualquer coisa contra essa doutrina em si, mas a conseqüência disso era que não somente em Éfeso, a cidade principal, mas quase ao longo de toda a Ásia, entre as pessoas do campo, que eram seus melhores clientes, e de quem eles achavam que eram mais seguros, ele havia persuadido e rejeitado muitas pessoas.da adoração de Diana, de modo que não havia agora tal demanda pelos santuários de prata, nem tão boas taxas foram dadas por eles. Há aqueles que se prenderão àquilo que é mais grosseiramente absurdo e irracional, e que carrega consigo sua própria convicção de falsidade, como isso acontece, que esses são deuses que são feitos com as mãos, se tem apenas leis humanas, e interesse e prescrição mundanos, por seu lado. [3] Ele lembra-lhes do perigo que o seu comércio estava em decair. O que quer que toque isso os toca em uma parte delicada e sensível: "Se esta doutrina ganhar crédito, todos nós estamos desfeitos, e podemos até calar a boca e nossa ofício será desprezada,será condenado, e colocado em um mau nome como superstição, e uma fraude no mundo, e todo corpo o abaterá. Esta nossa parte "(assim a palavra é)," nosso interesse ou parte do comércio e do comércio ", kindyneuei hemin a meros ", não só correrá o risco de ser perdida, mas nos trará perigo, e nos tornaremos não só mendigos, mas malfeitores. "[4] Ele finge um zelo poderoso por Diana, e uma inveja por sua honra: Não só isso, nosso ofício está em perigo se isso fosse tudo, ele não faria você pensar que ele teria falado com tanto calor, mas todo seu cuidado é para que o templo da grande deusa Diana não seja desprezado, e sua magnificência seja destruída e ele não iria, em todo o mundo, ver a diminuição da honra daquela deusa, a quem toda a Ásia e o mundo adoram. Veja o que a adoração de Diana teve que implorar por si mesma e qual era o melhor que os fanáticos mais zelosos tinham a dizer em seu favor. Primeiro, que tinha pompa de seu lado a magnificência do templo era a coisa que os encantava, a coisa que os acorrentava não podiam suportar os pensamentos de qualquer coisa que tendesse à diminuição, muito menos à destruição disso. Em segundo lugar, que tinha números ao seu lado Toda a Ásia eo mundo adorá- lo e, portanto, deve ser o caminho certo de adoração, deixe Paulo dizer o que ele vai para o contrário. Assim, porquetodo o mundo se maravilha com a besta, por isso o dragão, o diabo, o deus deste mundo, dá a ele seu poder, seu assento e grande autoridade, Apocalipse 13: 2,3 .

 

  1. O ressentimento popular desta queixa. A acusação era administrada por um artesão, e foi enquadrada para incensar as pessoas comuns, e teve o efeito desejado para nesta ocasião eles mostraram, (1) Um grande desprazer contra o evangelho e os pregadores dele. Eles estavam cheios de ira ( Atos 19:28 Atos 19:28 ), cheios de fúria e indignação, de modo que a palavra significa. Os artesãos enlouqueceram quando lhes disseram que seu ofício e seu ídolo estavam em perigo. (2) Um grande ciúme pela honra de sua deusa: Eles gritaram: "Grande é a Diana dos efésiosAtos 19:29e estamos decididos a ficar ao lado dela, e viver e morrer em defesa dela. Há alguém que a expõe ao desprezo ou ameaça sua destruição? Deixe-nos sozinhos para lidar com eles. Que Paulo diga tanto para provar que esses não são deuses feitos por mãos, nós obedeceremos a isso que, o que quer que seja de outros deuses e deusas, Grande é a Diana dos efésios. Devemos e vamos defender a religião de nosso país, que recebemos por tradição de nossos pais. "Assim, todas as pessoas andaram cada uma em nome de seu deus, e todas pensavam bem muito mais se os servos de o verdadeiro Deus faz assim, quem pode dizer: Este Deus é nosso Deus para todo o sempre. (3) Uma grande desordem entre eles ( Atos 19:29): A cidade inteira estava cheia de confusão - o efeito comum e natural do zelo intemperante por uma religião falsa, tudo confunde, destrona a razão e entroniza a paixão e os homens correm juntos, não apenas não conhecendo a mente um do outro, mas não conhecendo os seus.

 

  1. Os procedimentos da turba sob o poder desses ressentimentos e até onde eles foram levados.

 

(1) Eles colocaram as mãos em alguns dos companheiros de Paulo, e os apressaram para o teatro ( Atos 19:29 Atos 19:29 ), alguns pensam com design lá para fazê-los lutar com bestas, como Paulo às vezes fazia ou talvez eles pretendessem apenas abusar e torná-los um espetáculo para a multidão. Aqueles que eles apreenderam foram Gaio e Aristarco, dos quais lemos em outro lugar. Caio foi de Derbe, Atos 20: 4 . Aristarco também é lá falado, e Colossenses 4:10 . Eles vieram com Paulo da Macedônia, e esse foi o único crime deles, que eles eram os companheiros de viagem de Paulo, tanto em serviços como em sofrimentos.Atos 20: 4 Colossenses 4:10

 

(2) Paulo, que havia escapado de ser tomado por eles, quando percebeu seus amigos em perigo por causa dele, teria entrado para o povo, para se sacrificar, se não houvesse outro remédio, em vez de seus amigos sofrerem em sua conta e foi uma evidência de um espírito generoso, e que ele amava seu próximo como a si mesmo.

 

(3) Ele foi persuadido disso pela bondade de seus amigos, que o rejeitaram. [1] Os discípulos não o sofreram, pois convinha que ele o oferecesse do que se tornaria sofrido. Eles tinham razão para dizer a Paulo, como os servos de Davi fizeram com ele, quando ele foi para se expor em um serviço público, Tu vales dez mil de nós, 2 Samuel 18: 3 2 Samuel 18: 3 . [2] Outros de seus amigos se interpuseram, para evitar que ele se jogasse na boca do perigo. Eles o tratariam muito pior do que Caio e Aristarco, olhando para ele como o líder do grupo e, portanto, melhor deixá-los suportar o peso da tempestade do que se aventurar nele, Atos 19:31Atos 19:31 . Eles eramcertos do chefe da Ásia, os príncipes da Ásia - Asiarchai. Os críticos nos dizem que eles eram o chefe de seus sacerdotes ou, como outros, o chefe de seus jogadores. Se eles eram convertidos à fé cristã (e alguns deles até mesmo eram de seus sacerdotes e governadores), ou se eles eram apenas benquerentes de Paulo, como um bom homem ingênuo, não nos é dito, apenas que eles eram amigos de Paulo. .O Dr. Lightfoot sugere que eles mantiveram respeito e gentileza por ele desde que ele lutou com bestas em seu teatro, e temiam que ele fosse abusado de novo. Note, é uma parte amigável para cuidar mais da vida e do conforto de homens bons do que eles mesmos. Seria uma aventura muito perigosa para Paulo ir ao teatro era mil para um que lhe custaria a vida e, portanto, Paul foi anulado por seus amigos para obedecer a lei da auto-preservação, e nos ensinou a manter fora do caminho do perigo enquanto pudermos sem sair do caminho do dever. Podemos ser chamados a sacrificar nossas vidas, mas não a jogar fora nossas vidas. Seria melhor que Paul se aventurasse numa sinagoga do que num teatro.

 

(4.) A turba estava em perfeita confusão ( Atos 19:32Atos 19:32 ): Alguns choravam uma coisa e outra, de acordo com suas fantasias e paixões, e talvez os relatórios que recebiam, os conduziam. Alguns choraram, Abaixo os judeus outros, Abaixo Paulo, mas a assembléia estava confusa, como não entendendo a mente um do outro. Eles contradiziam um ao outro, e estavam prontos para voar no rosto um do outro por isso, mas eles não entendiam os seus próprios, pois a verdade era que a maior parte não sabia por que eles haviam se reunido.Eles não sabiam o que começou o motim, nem quem, muito menos que negócios tinham lá, mas, em tais ocasiões, a maior parte vinha apenas para perguntar qual era o problema: eles seguem o grito, seguem a multidão, aumentam como uma neve. bola, e onde há muitos, haverá mais.

 

(5.) Os judeus teriam se interessado nesse tumulto (em outros lugares eles haviam sido os primeiros propulsores de tais motins), mas agora em Éfeso eles não tinham interesse suficiente para levantar a turba, e ainda, quando foi levantada, eles Tinha má vontade o suficiente para se estabelecer com isso ( Atos 19:35 Atos 19:35 ): Eles tiraram Alexandre da multidão, chamou-o para falar em nome dos judeus contra Paulo e seus companheiros: "Vocês ouviram o que Demétrio e os os ourives têm a dizer contra eles, como inimigos de sua religião nos dão licença agora para lhe dizer o que temos a dizer contra ele como um inimigo de nossa religião ". Os judeus o colocaram em frente2 Timóteo 4:14 1 Timóteo 1:20para fazer isso, encorajou-o, e disse-lhe que ficariam ao lado dele e depois ele e isso eles consideravam como necessário em sua própria defesa, e portanto o que ele projetou dizer é chamado de desculpar-se ao povo, não por si mesmo em particular mas para os judeus em geral, a quem os adoradores de Diana pareciam ser tanto inimigos quanto Paulo. Agora eles querem que eles saibam que eles eram tanto inimigos de Paulo quanto eram e aqueles que são cuidadosos em distinguir-se dos servos de Cristo agora, e têm medo de serem levados por eles, terão seu destino de acordo com o grande dia. . Alexander acenou com a mão,Desejando ser ouvido contra Paulo, havia sido estranho que houvesse uma perseguição contra os cristãos e não houvesse judeus de um lado ou de outro: se não pudessem começar a travessura, eles a ajudariam a avançar, e então se façam participantes dos pecados de outros homens. Alguns acham que Alexandre era cristão, mas havia apostatado no judaísmo e, portanto, foi atraído como uma pessoa apropriada para acusar Paulo e que ele era o Alexandre, o latoeiro, que fez tanto mal a Paulo ( 2 Timóteo 4:14 ), e a quem ele entregou a Satanás, 1 Timóteo 1:20 .

 

(6) Isso ocasionou os promotores a abandonar a acusação dos amigos de Paulo, e transformá-lo em aclamações em honra de sua deusa ( Atos 19:34Atos 19:34 ): Quando eles sabiam que ele era judeu e, como tal, um inimigo ao culto de Diana (para os judeus tinham agora um ódio implacável aos ídolos e idolatria), tudo o que ele tinha a dizer para Paul ou contra ele, eles foram resolvidos não ouvi-lo, e, portanto, definir a multidão um grito, " Grande é Diana dos Efésios, que quer que a derrube, seja ele judeu ou cristão, estamos decididos a criá-la. Ela é Diana dos Efésios,nossa Diana e é nossa honra e felicidade ter seu templo conosco e ela é ótima, uma deusa famosa e universalmente adorada. Há outras Dianas, mas Diana dos Efésios está além delas, porque seu templo é mais rico e magnífico do que qualquer delas. "Esse foi todo o grito de duas horas juntas e foi considerado uma confutação suficiente da doutrina de Paulo, que esses não são deuses que são feitos com as mãos.Assim, as verdades mais sagradas são muitas vezes esgotadas com nada além de barulho, clamor e fúria popular.Foi dito sobre os idólatras que eles estavam loucos por seus ídolose aqui está uma instância disso. Diana enriqueceu os efésios, pois a cidade foi enriquecida pelo vasto concurso de pessoas de todas as partes do templo de Diana, e por isso estão preocupados, por todos os meios possíveis, com a reputação de afundar, Grande é a Diana dos efésios.

 

  1. A supressão e dispersão desses desordeiros, pela prudência e vigilância do funcionário da cidade, ele é chamado, grammateus - o escriba, ou secretário, ou gravador "o registro de seus jogos", os jogos olímpicos (para outros) , cujo negócio era preservar os nomes dos vencedores e os prêmios que eles ganharam. Com muito barulho ele, por fim, acalmou o barulho, para ser ouvido, e então fez um discurso pacífico para eles, e nos deu um exemplo do de Salomão, As palavras dos sábios são ouvidas em silêncio mais do que o grito daquele que governa entre tolos, como Demétrio fez. Eclesiastes 9:17Eclesiastes 9:17 .

 

(1) Ele os ama com o reconhecimento de que Diana era a célebre deusa dos Efésios, Atos 19:35Atos 19:35 . Eles não precisavam ser tão barulhentos e árduos para afirmar uma verdade que ninguém negava, ou podia ignorar: Todo mundo sabe que a cidade dos Efésios é uma adoradora da grande deusa que Diana é neokoros, não apenas que os habitantes eram adoradores de essa deusa, mas a cidade, como uma corporação, era, por sua carta, encarregada da adoração a Diana, para cuidar de seu templo e para acomodar aqueles que ali fossem fazer sua homenagem. Éfeso é o æ ditua (eles dizem que é a palavra mais apropriada), ou o sacristão, da grande deusa Diana.A cidade era mais patrona e protetora de Diana do que Diana era da cidade. Tal grande cuidado fez os idólatras para manter a adoração de deuses feitos com as mãos, enquanto a adoração do Deus verdadeiro e vivo é negligenciada, e poucas nações ou cidades se gloriam em paternalizar e proteger isso. O templo de Diana em Éfeso era uma estrutura muito rica e sumptuosa, mas, deveria parecer, a imagem de Diana no templo, porque eles pensavam que isso santificava o templo, era tido em maior veneração do que o templo, pois eles persuadiam o povo que caiu de Júpiter,e, portanto, não foi nenhum dos deuses que foram feitos com as mãos dos homens. Veja com que facilidade a credulidade de pessoas supersticiosas é imposta pela fraude de projetar homens. Como essa imagem de Diana fora planejada, e ninguém sabia quem tinha feito isso, eles fizeram as pessoas acreditarem que caiu de Júpiter. "Agora estas coisas " , diz o funcionário da cidade muito gravemente (mas seja ou não, e como alguém que acredita em si mesmo, pode ser questionado), " não pode ser dito que eles obtiveram tal crédito universal que você não precisa temer contradição, não pode fazer nenhum preconceito ". Alguns entendem assim: "Vendo a imagem de Diana caiu de Júpiter, como todos nós acreditamos, então o que é dito contra os deuses feitos com as mãos não nos afeta de maneira alguma.

 

(2) Ele os adverte contra todos os procedimentos violentos e tumultuosos, que sua religião não precisava, nem poderia receber qualquer vantagem real de ( Atos 19:36Atos 19:36 ): Você deve ficar quieto, e não fazer nada precipitadamente. Uma regra muito boa é que isso deve ser observado em todos os momentos, tanto em assuntos públicos quanto privados, para não ser precipitado em nossos movimentos, mas para deliberar e reservar tempo para considerar: não para nos colocarmos ou aos outros em um calor, mas para seja calmo e sereno, e mantenha sempre a razão no trono e na paixão sob controle. Essa palavra deve estar pronta para nós, para comandar a paz, quando nós mesmos ou aqueles que nos rodeiam estão ficando desordenados: Devemos ficar quietos e não fazer nada precipitadamente para não fazer nada às pressas, a qual podemos nos arrepender sem pressa.

 

(3) Ele apaga o ódio que havia sido lançado sobre Paulo e seus associados, e diz-lhes que eles não eram os homens que lhes eram representados ( Atos 19:37 Atos 19:37 ): " Vocês trouxeram aqui esses homens , e está pronto para puxá-los em pedaços, mas você já pensou o que é a sua transgressão e qual é a sua ofensa? o que você pode revelar sobre eles? Eles não são ladrões de igrejas, você não pode acusá-los de sacrilégio, ou tirar a qualquer Eles não ofereceram nenhuma violência ao templo de Diana ou aos seus tesouros, nem são blasfemos de sua deusa que não deram nenhuma linguagem de desprezo aos adoradores de Diana, nem falaram mal do seu templo.Ester 9:15 , 16com toda essa violência que, embora eles não sejam da sua mente, ainda não invejam com alguma amargura contra você? Já que eles estão calmos, por que você deveria estar com calor? "Foi o ídolo no coração que eles levantaram toda a sua força contra, pela razão e pelo argumento, se puderem menos do que isso, o ídolo no templo cairá naturalmente. Aqueles que pregam contra as igrejas idólatras, têm a verdade do lado deles, e devem mantê-lo vigorosamente e pressioná-lo na consciência dos homens, mas não sejam eles ladrões daquelas igrejas ( na presa não lhes cabe a mão, Ester 9: 15,16), nem blasfemadores daqueles que adoram com mansidão instruindo, não com a paixão e com a repreensão da linguagem suja, aqueles que se opõem à verdade de Deus, pois não precisa da mentira do homem, por isso não precisa do calor intemperante do homem. A ira do homem não opera a justiça de Deus.

 

(4) Ele os entrega aos métodos regulares da lei, que sempre devem substituir os tumultos populares, e em nações civilizadas e bem governadas farão isso. É uma grande misericórdia viver em um país onde a provisão é feita para a manutenção da paz e a administração da justiça pública, e a nomeação de um remédio para todo erro e aqui nós, da nação, somos tão felizes quanto qualquer povo. [1] Se a queixa for de uma lesão particular, permita que recorram aos juízes e tribunais de justiça, que são mantidos publicamente nos horários estabelecidos. Se Demétrio e a companhia dos ourives, que fizeram toda essa desgraça, se acharem lesados, ou qualquer privilégio que eles estejam legalmente autorizados a infringir ou entrincheirarem, deixe-os trazer sua ação, fazer um processo, e o assunto será justo. tentou, e justiça feita:A lei é aberta, e há deputados há um procônsul e seu delegado, cujo negócio é ouvir ambos os lados, e determinar de acordo com a equidade e em sua determinação todas as partes devem concordar, e não ser seus próprios juízes, nem apelar para as pessoas. Nota: A lei é boa se um homem a usa legalmente, como o último remédio tanto para a descoberta de um direito contestado quanto para a recuperação de um direito negado. [2] Se a queixa for de queixa pública, relativa à constituição, ela deve ser reparada, não por uma ralé confusa, mas por uma convenção dos estados ( Atos 19:39Atos 19:39 ): Se você perguntar alguma coisa sobre outros matérias, que são de interesse comum, será determinado em uma assembléia legaldos vereadores e conselho comum, convocados de maneira regular por aqueles em autoridade. Note, pessoas privadas não devem intrometer-se em assuntos públicos, de modo a antecipar os conselhos daqueles cujos negócios é tomar conhecimento deles, temos o suficiente para fazer a nossa própria empresa.

 

(5) Ele os torna sensíveis ao perigo em que se encontram, e ao presságio em que se insurgiram por esse tumulto ( Atos 19:40 Atos 19:40 ): "É bom que não sejamos questionados pelo alvoroço deste dia, se não formos reclamados na corte do imperador, como uma cidade facciosa e sediciosa, e se um quo warranto não for trazido contra nós e nossa carta for tirada, pois não há motivo pelo qual possamos dar conta deste concurso,Eclesiastes 11: 9não temos nada a dizer em desculpa disso. Nós não podemos nos justificar em quebrar a paz dizendo que os outros a quebraram primeiro, e nós apenas agimos defensivamente, não temos cor para nenhum desses apelos e, portanto, deixemos que o assunto não vá mais longe, pois já foi longe demais. A maioria das pessoas tem mais medo do julgamento dos homens do que do julgamento de Deus, quão bem seria se, assim, ainda assim, o tumulto de nossos apetites e paixões desordenados, e verificarmos a violência deles, com a consideração da conta, devemos em breve dar ao Juiz do céu e da terra por todos esses transtornos! Estamos em perigo de ser chamado em causa para o alvoroço deste diaem nossos corações, em nossas casas e como deveríamos respondê-la, não havendo causa, nenhuma causa justa, ou não proporcional, por meio da qual possamos dar conta deste concurso, e deste calor e violência? Como devemos reprimir a desordem de nossos apetites, assim também de nossas paixões, com isto, que por todas estas coisas Deus nos levará a julgamento ( Eclesiastes 11: 9 ), e estamos preocupados em nos administrar como aqueles que devem dar conta .

 

(6.) Quando ele assim lhes mostrou o absurdo de seu tumultuoso encontro, e as más conseqüências que poderiam resultar disso, ele os aconselha a separar com toda velocidade ( Atos 19:41 Atos 19:41 ): ele rejeitou a assembléia,Salmo 65: 7ordenei ao pregoeiro, talvez, que avisasse que todos os tipos de pessoas deveriam partir pacificamente e cuidar de seus próprios negócios, e assim fizeram. Veja aqui, [1.] Como a providência suprema de Deus preserva a paz pública, por um poder inexplicável sobre os espíritos dos homens. Assim, o mundo é mantido em alguma ordem, e os homens são impedidos de serem como os peixes do mar, onde o maior devora o menos. Considerando que coisa impetuosa e furiosa, que indescritível e indômito animal selvagem é a turba, quando chegarmos, veremos razão para reconhecer a bondade de Deus de que nem sempre estamos sob a tirania dela. Ele acalma o barulho do mar, o ruído de suas ondas e (o que não é menos um exemplo de seu poder todo-poderoso) o tumulto do povo, Salmo 65: 7. [2] Veja quantas maneiras Deus tem de proteger seu povo. Talvez este funcionário da cidade não tenha sido amigo de Paulo nem do evangelho que pregou, mas sua prudência humana é feita para servir ao propósito divino. Muitos são os problemas dos justos, mas o Senhor os livra de todos eles.

 WWW.MAURICIOBERWALD.COMUNIDADES.NET