Translate this Page

Rating: 2.6/5 (268 votos)




ONLINE
6




Partilhe esta Página



 <!-- Go to www.addthis.com/dashboard to customize your tools -->
<script type="text/javascript" src="//s7.addthis.com/js/300/addthis_widget.js#pubid=ra-57f3fb36829d1888"></script>

 

 

  contadores de visitas 

 

Flag Counter


LIÇÕES CONECTAR 4 TRIM-2019 ESCAPATE-POR TUA VIDA
LIÇÕES CONECTAR 4 TRIM-2019 ESCAPATE-POR TUA VIDA

      

                                                           

 

Lição 01: Fugindo da aparência do mal: Betel Conectar+

4º Trimestre de 2019 - Jovens

 

TEXTO DE REFERÊNCIA

1 A prevaricação do ímpio fala no íntimo do seu coração; não há temor de Deus perante os seus olhos.

 

2 Porque em seus olhos se lisonjeia, até que a sua iniquidade se mostre detestável.

 

3 As palavras da sua boca são malícia e engano; deixou de entender e de fazer o bem.

 

4 Maquina o mal na sua cama; põe-se em caminho que não é bom; não aborrece o mal. Sl 36.1-4

 

 

 

VERSÍCULO DO DIA

Abstende-vos de toda aparência do mal. 1 Ts 5.22

 

 

 

OBJETIVOS DA LIÇÃO

Entender o que é a maldade;

Compreender que é necessário se afastar do que é mal;

Aprender como vencer o mal.

 

 

INTRODUÇÃO

Os dias que estamos vivendo, as dificuldades, as tentações e provações, são patentes. Vivemos dias que precisamos fugir do mal a fim de escaparmos por nossas vidas; é como diz a palavra de Deus: “remindo o tempo porque os dias são maus” (Ef 5.16).

Resgatemos o fervor espiritual.

 

 

1 – ENTENDENDO A MALDADE

https://www.dicionário.com.br/maldade/

Maldade: Substantivo feminino;

Crueldade; qualidade da pessoa má; característica do que é ruim.

 

Desumanidade; comportamento de quem busca prejudicar ou ofender.

 

Sarcasmo; que expressa malícia, vontade de denegrir.

 

Traquinice; comportamento travesso, traquinas.

 

Etimologia (origem da palavra maldade).

 

Do latim malitas.atis.

 

 

1.1 – O início da maldade

Lúcifer era um querubim especial, criado para comando do louvor e adoração diante do trono de Deus.

 

Tudo foi posteriormente corrompido; Ezequiel 28:15, lemos: “até que se achou iniquidade em ti”. Era cheio de sabedoria e formosura, perfeito eras nos teus caminhos; mas o seu coração se ensoberbeceu, quis trazer para si toda a adoração do criador, conforme se lê em Ezequiel 28:15,17).

 

Os anjos são seres pessoais, com personalidade, raciocínio; são seres totalmente pessoais. Quando se corrompeu seu coração, ele armou um plano para tomar o lugar de Deus. Com isso o pecado invadiu o universo.

 

Lemos em Ezequiel 28:16: “Na multiplicação do seu comércio…”; implica na decisão de 1/3 dos anjos em acompanhá-lo, tê-lo como chefe, e foram lançados fora da presença de Deus. Ele fez um comércio, negociou com os anjos e 1/3 deles aceitaram. “… encheram o teu interior (coração) de violência, e pecaste”; o pecado invadiu o universo.

 

Quando o pecado entrou no coração de Lúcifer, ele se separou de Deus e se tornou Satanás (adversário) e os anjos que o acompanharam (1/3), se tornaram anjos caídos.

 

 

1.2 – A maldade da humanidade

Mesmo antes da desobediência de Adão e Eva, o pecado se fez presente no mundo angélico com a queda de Satanás e dos demônios. Mas com respeito à raça humana, o primeiro pecado foi o de Adão e Eva no jardim do Éden (Gn 3.1-19).

 

O ato de comer o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal é, em muitos aspectos, típico do pecado em geral.

 

 

Primeiro, seu pecado atingiu a base do conhecimento, pois deu uma resposta diferente à pergunta “O que é verdadeiro?” Deus dissera que Adão e Eva morreriam se comessem da árvore (Gn 2.17), mas a serpente afirmou: “É certo que não morrereis” (Gn 3.4). Eva decidiu duvidar da veracidade da palavra de Deus e então fez uma experiência para ver se Deus falava a verdade.

 

Segundo, o seu pecado atingiu a base dos parâmetros morais, pois deu uma resposta diferente à pergunta “O que é certo?” Deus dissera que era moralmente certo que Adão e Eva não comessem o fruto daquela única árvore (Gn 2.17). Mas a serpente sugeriu que seria certo comer do fruto e que ao comê-lo Adão e Eva se tornariam “como Deus” (Gn 3.5). Eva confiou na sua própria avaliação do que era certo e do que seria melhor para ela, negando às palavras de Deus a prerrogativa de definir o certo e o errado. Ela viu “que a árvore era boa para se comer, agradável aos olhos e árvore desejável para dar entendimento” e, portanto, “tomou-lhe do fruto e comeu” (Gn 3.6).

 

Terceiro, seu pecado deu uma resposta diferente à pergunta: “Quem sou eu?” A resposta correta era que Adão e Eva eram criaturas de Deus, dependentes dEle e sempre subordinadas a Ele, seu Criador e Senhor. Mas Eva, e depois Adão, sucumbiram à tentação de ser “como Deus” (Gn 3.5), tentando assim colocar-se no lugar de Deus.E importante insistir na veracidade histórica da narrativa da queda de Adão e Eva. Assim como o relato da criação de Adão e Eva está vinculado ao restante da narrativa histórica do livro de Gênesis, também esse relato da queda do homem, que se segue à história da sua criação, é apresentado pelo autor como história objetiva e verídica.

 

 

ESCOLA DOMINICAL BETEL CONECTAR - Lição 2

 

EU ME IMPORTO!

 

 

 

Versículo do dia

"Quem, pois, tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão necessitado, lhe cerrar as suas entranhas, como estará nele o amor de Deus?", 1 Jo 3.17

 

Para impactar

Devemos escapar do comodismo e demonstrar com ações que o nosso próximo é sim muito importante pois, se não amarmos o próximo como amaremos a Cristo?

 

Textos de Referência.

1 Jo 3.16-19

 

Introdução

Nesta lição, estudaremos sobre o valor de se estender a mão ao necessitado. Veremos que a verdadeira riqueza não está ligada ao que se possui, e sim a capacidade de doar. Amar o próximo não é apenas um sentimento, mas também uma ação.

 

#pontochave

Só vencemos a indiferença desse mundo se nos tornarmos a diferença. "Não me preocupo com o que pode acontecer daqui a cem anos. Aquele que governa o mundo antes de eu nascer cuidará disso igualmente, quando eu estiver morto. A minha parte é melhorar o momento presente" John Wesley

 

  1. O QUE É AMAR O PRÓXIMO?

"E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.", Mt 22.39

 

1.1. O verdadeiro amor

O Senhor Jesus durante o seu ministério terreno fez questão de, inúmeras vezes, demonstrar a importância de amar o próximo.

Quando Ele diz que devemos amar o próximo como a nós mesmos, significa que devemos fazer com que o nosso próximo viva com a mesma dignidade que nós vivemos.

Amar é ter compaixão, é querer bem, é se colocar no lugar do outro, sendo que este sentimento deve ser constante e interminável. Escreveu o grande escritor Max Lucado:

"Meu amor por você terminará no mesmo dia em que o amor de Deus por mim tiver fim".

 

1.2. Uma prova de amor

Há inúmeras demonstrações de amor na Bíblia, mas uma história que se encaixa muito bem neste tema é a parábola do Bom Samaritano (Lc 10.25-37), na qual um homem é assaltado e agredido, ficando desfalecido na estrada. Dois religiosos passam ao largo, porém um samaritano demonstra o verdadeiro valor do amor ao próximo, sem olhar para a cultura, a religião, a cor e tantas coisas mais, ele prontamente decide ajudar o seu próximo, sem reservas, apenas por amor.

"Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.", Mt 5.16

 

#pararefletireadorar

"Se o amor é autodoador, então inevitavelmente ele vulnerável à dor". Jonh Stott

 

  1. O PAPEL DO CRISTÃO

"E a multidão o interrogava, dizendo: Que faremos, pois?E, respondendo ele, disse-lhes: Quem tiver duas túnicas, reparta com o que não tem, e quem tiver alimentos, faça da mesma maneira.", Lc 3.10,11

 

2.1. A importância de se fazer o bem

Imagine uma corda branca extremamente extensa e que, apenas no início dela, cerca de um centímetro fosse vermelha, imaginou? Pois bem, vamos dizer que esta corda é a linha do tempo, e que, enquanto a parte vermelha é a nossa vida terrena, a branca representa a eternidade.

A parte vermelha por menor que seja é fundamental para definir onde e como estaremos no restante da corda. O que isso significa?

Significa que o que fazemos aqui na terra determina como será a nossa eternidade.

Fazer o bem ao próximo além de uma ordenança do próprio Senhor Jesus, também produz recompensa:

"Ao Senhor empresta o que se compadece do pobre, ele lhe pagará o seu benefício.", Pv 19.17

 

2.2. Estendo a mão

Vemos nos dias de hoje milhares de pessoas que são consumidas pela avareza (apego excessivo a riqueza) e pelo egoísmo (amor exagerado a seus próprios interesses), porém, nada é mais satisfatório na vida de um cristão do que ver a alegria de quem é alcançado por uma mão estendida em momentos de adversidades.

Só venceremos a indiferença desse mundo se nos tornarmos a diferença.

"Não me preocupo com o que pode acontecer daqui a cem anos. Aquele que governa o mundo antes de eu nascer cuidará disso igualmente, quando eu estiver morto. A minha parte é melhorar o momento presente" John Wesley

 

"E não vos esqueçais da beneficência e comunicação, porque com tais sacrifícios Deus se agrada.", Hb 13.16.

 

  1. FAZENDO A DIFERENÇA

"Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação.", 2 Tm 1.7

 

3.1. Mãos preparadas

A beneficência deve ser uma prática comum a todo cristão que observa a Palavra de Deus. A mesma compreende alguns requisitos básicos, sendo que o primeiro e mais importante é o amor ao próximo, mas paralelo a este, torna-se necessário saber abordar a pessoa que será ajudada, demonstrando que ela é importante e que a ajuda oferecida não tem outro propósito a não ser dignificar a pessoa, já que alguns indivíduos se sentem humilhados e envergonhados diante da situação de precariedade.

O livro de Tiago trata da verdadeira religião que está fundamentalmente ligada à beneficência.

"A religião pura e imaculada para com Deus e Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo.", Tg 1.27

 

3.2. Tendo estratégias

Para o êxito da beneficência através da igreja do Senhor é importante criar estratégias desde o recolhimento dos donativos até a sua entrega. Também se faz necessário que os voluntários sejam pessoas de fé, inteligência e coragem.

"E não vos esqueçais da beneficência e comunicação, porque com tais sacrifícios Deus se agrada.", Hb 13.16

 

Conclusão

O maior mandamento entre todos é "Amar a Deus sobre todas as coisas e ao seu próximo como a ti mesmo." Esse amor precisa ser demonstrado não apenas em palavras mas também em ações! O verdadeiro cristão é sensível aos problemas e necessidades alheias. Pare e pense: as suas atitudes e obras para com o próximo refletem o amor de Cristo e sua profissão de fé?

 

#aprendeu

  1. O que significa amar o próximo?
  2. Como podemos vencer a indiferença?
  3. O que é necessário para o exercício de beneficência?