Translate this Page

Rating: 2.6/5 (285 votos)




ONLINE
2




Partilhe esta Página



 <!-- Go to www.addthis.com/dashboard to customize your tools -->
<script type="text/javascript" src="//s7.addthis.com/js/300/addthis_widget.js#pubid=ra-57f3fb36829d1888"></script>

 

 

  contadores de visitas 

 

Flag Counter


Lições antigas estudo e comentário de Gálatas 1999
Lições antigas estudo e comentário de Gálatas 1999

 Lições biblicas CPAD Carta de Tiago 1 trimestre de 1999

       Lição 01 - ORIGENS DAS IGREJAS DA GALÁCIA

 

ORIGENS DAS IGREJAS DA GALÁCIA

 

Texto Áureo = “Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou e não torneis a meter-vos debaixo do jugo da servidão, Gl 5.1;

 

Leitura Bíblica em Classe: Atos 14.1–7, 19–21; 16.6; 18.23;

 

At 14.1 - E aconteceu que, em Icônio Paulo e Barnabé, entraram juntos na sinagoga dos judeus, e falaram de tal modo, que creu uma grande multidão, não só de judeus mais também de gregos.

v.2 - Mas os judeus incrédulos incitaram e irritaram, contra os irmãos, os ânimos dos gentios.

v.3 - Detiveram-se, pois, muito tempo, falando ousadamente acerca do Senhor, o qual dava testemunho à palavra da sua graça, permitindo que por suas mãos se fizessem sinais e prodígios.

v.4 - E dividiu a multidão da cidade: uns eram pelos judeus, e outros pelos apóstolos.

v.5 - E, havendo um motim, tanto dos judeus como dos gentios com os seus principais para os insultarem e apedrejarem,

v.6 - sabendo eles fugiram para listra e Derbe, cidade de Lícaônia, e para a província circunvizinhas.

v.7 - E ali pregavam o Evangelho.

v.19 - Sobrevieram, porém, uns judeus de Antioquia e de Icônio, que, tendo convencido a multidão, apedrejaram a Paulo e arrastaram para fora da cidade, cuidando que estava morto.

v.20 - Mas, rodeando-o os discípulos, levantou –se, e entrou na cidade. E no dia seguinte, saiu, com Barnabé, para Derbe.

v.21 - E tendo anunciado o Evangelho naquela cidade e feito muitos discípulos, voltaram para Listra, e Icônio, e Antioquia.

Cap.16.6 - E, passando pela Frigia e pela província da Galácia foram impedidos pelo Espírito Santo de anunciar o Evangelho na Ásia.

Cap.18.23 - E, estando ali algum tempo, partiu passan - do sucessivamente pela província da Galácia, e da Frigia, confirmando a todos os discípulos.

 

INTRODUÇÃO:

 

A epístola aos Gálatas foi escritapara salvar o cristianismo do legalismo judaico.

Apesar de ser uma das mais breves epístolas do apóstolo Paulo, tem exercido grande influência na vida da Igreja.

Seu assunto continua atual, pois em qualquer época há sempre o risco de alguém, ou de um seguimento da Igreja se inclinar para o legalismo religioso.

Hoje vamos estudar a origem das igrejas da Galácia como introdução à uma série de estudos dessa epístola, na oportunidade que a nós Deus concede.

 

  1. AS DUAS PRIMEIRAS VIAGENS DO APOSTOLO PAULO.

 

  1. Igreja da primeira viagem de Paulo,

 

É muito importante conhecer a origem das igrejas da Galácia, pois isso ajuda a compreender a epístola aos Gálatas.

Essas igrejas foram fundadas por Paulo e Barnabé; a primeira viagem missionária de Paulo começou em 46 e terminou em 48 d,C. e ocupa os capitulo 13 e 14; de Atos dos Apóstolos.

Atravessando a ilha de Chipre, terra natal de Barnabé, At 4. 36; foram para o continente passando por Perge, cidade da Panfilia, e depois para Antioquia da Pisídia.

 

  1. As cidades da Galácia.

 

Expulsos da cidade da Antioquia da Pisídia, Paulo e Barnabé partiram para Icônio.

Como as hostilidades eram as mesmas da cidade anterior, e havendo motim tanto dos judeus como dos gentios, foram para a região da Licaônia, formando igrejas nas cidades de Listra e Derbe.

De onde retornam para Antioquia da Síria visitando e confirmando as igrejas em Listra, Icônio, e Antioquia da Pisídia; e estabelecendo anciãos, ( pastores nativos) para cada uma dessas igrejas, ( At 14. 22 e 23).

 

  1. O concilio de Jerusalem;

 

A luz de At 14. 27 e 15. 2; o concilio de Jerusalém aconteceu depois dessa viagem em virtude do grande números de gentios convertidos e a intensa controvérsia sobre o modus vivendi “maneira de viver”desses novos crentes.

Havia judeus convertidos ao cristianismo que queria impor aos gentios as práticas judaicas como condição a Salvação.

Depois desse concílio o apostolo Paulo inicia sua segunda viagem com dois propósitos fundamentais: revisitar as igrejas que Ele fundara, juntamente com Barnabé na sua primeira viagem e abrir novas frentes de trabalho.

 

  1. A segunda viagem de Paulo.

 

Partiu com Silas seguindo direto para Derbe, Listra, Icônio e Antioquia da Pisídia, para fortalecer as igrejas.

Em Listra conheceu Timóteo, que passou a integrar a comitiva do apostolo acompanhando-o em sua viagem.

Depois disso foram para Trôade “passando pela Frigia e pela província da Galácia” ou “região-frígio-gálata” ou gegião norte da Galácia, At 16. 6;

 

II OS GÁLATAS.

 

  1. Origem dos gálatas,

 

O nome “Galácia deriva dos gauleses, povo que invadiu a Ásia Menor no século III a.C. também chamado de povo celta pelos escritores clássicos da antigüidade.

O termo “Galácia” foi aplicado a esse povo por volta do século III a.C. foi adorado pelos gregos e, aos poucos, foi generalizando.

Os gálatas estabeleceram seu reino na região de Péssina, Tavia. Ancira- atual Ankara, Capital da Turquia que corresponde a região frígio-gálata, mencionada em At 16. 6; 18. 23;

 

  1. A Galácia dos dias do apostolo Paulo;

 

Na época do ministério do apostolo Paulo, a Galácia não era apenas a terra dos gauleses ou celtas.

Abrangia também a região de Antioquia da Pisídia, Listra, Icônio e Derbe, na Licaônia, cidades que formam o que chamamos hoje de Galácia do sul.

A Galácia do Norte é a região mencionada em ( At 16. 6; 18. 23). De modo que toda aquela região era chamada de Galácia.

 

3.Quem são os destinatários da epístola?

 

A dificuldade que muitos acham é saber se o apostolo enviou essa epístola para as igrejas da Galácia do Norte ou para a Galácia do sul, visto que apenas diz: “as igrejas da Galácia” Gl 1. 2;

As duas linhas de interpretação apresentam argumentos consistentes mas nenhum deles é decisivo.

Por que a Galácia do Sul?

Os argumentos em favor da Galácia do Sul nos parecem mais convincentes.

O N.T. não registra nenhuma atividade de Paulo e sua comitiva na Galácia do Norte.

O texto apenas diz: “e passando pela frigia e pela província da Galácia”, At 16. 6; e passando sucessivamente pela província da Galácia e da frigia”, At 18. 23;

Não está, pois declarado que Paulo fundou igrejas nessas regiões, não há qualquer citação referente a Galácia do Norte.

 

III. AUTORIA E DATA.

 

  1. Paulo o autor Gálatas. O apostolo Paulo tinha amanuenses; Tercio era um deles, ( Rm 16. 22), enquanto Silvano foi o do apóstolo Pedro, ( I Pe 5. 12), como no Antigo Testamento, Baruque foi escriba do profeta Jeremias, ( Jr 36. 4).

 

A maioria das cartas de Paulo foi escrita por seus amanuenses, ou escribas.

Como a situação das igrejas da Galácia era critica, estava em jogo não só a fé desses irmãos e nem apenas a autoridade apostólica de Paulo, mas principalmente o futuro do cristianismo.

Ele mesmo escreveu de seu próprio punho ( Gl 6. 11), pois não queria deixar margem para os gálatas duvidarem da autenticidade da carta.

 

  1. Data da epístola;

 

Tem havido muita controvérsia quanto a data e destinatário dessa epístola.

Há três possíveis datas, mas todas elas têm os seus “senões” – 49, 53 e 56 d.C.

A seqüência de eventos é a seguinte:

Primeira viagem missionária, em seguida foi escrita a epístola aos Gálatas, depois ocorreu o concílio de Jerusalém e segue a segunda viagem.

Isso nos dá subsídios para datá-la por volta de 49d.C. e escrita da região entre Antioquia da síria e Jerusalém .

 

  1. CONTEÚDO DE GÁLATAS.

 

  1. O TEMA; Os expositores do N.T. deram vários títulos à epístola aos Gálatas.

 

Hoje ela é conhecida como: “a escritura da liberdade cristã, carta magna de emancipação espiritual, grito de guerra da reforma, a grande carta da liberdade religiosa, declaração cristã de independência”, além de outros.

É a apologia da liberdade cristã, contra toda a forma de legalismo. A salvação é um ato da graça de Deus; somos salvo pela fé em Jesus Cristo, ( Gl 2. 16).

Acrescentar algo aí, como condição para salvação, descaracteriza totalmente o autentico cristianismo revelado no Novo Testamento.

 

  1. Gálatas e Romanos;

 

Gálatas é a epístola que mais se aproxima de Romanos.

Podemos apresentar cerca de 25 passagens paralelas entre essas epístolas defendendo os mesmos ensinos; Rm 4. 3, com Gl 3. 6; Rm 4.10, 11 com Gl 3. 7;

Ambas livraram o cristianismo de se tornar uma seita do judaísmo. Se Romanos foi o estopim que incendiou toda a Europa do século XVI com a Reforma Protestante Gálatas foi para Lutero a pedra fundamental usada contra a hierarquia e todo o ritualismo da igreja Romana.

Depois de romanos é o livro da Bíblia que exerceu mais influência na historia do cristianismo.

 

  1. Atualidade de Gálatas;

 

Como uma pequena carta, dirigida a uma comunidade cristã do primeiro século para resolver um problema local, pode continuar sendo um poderoso e eficaz documento atual no limiar do terceiro Milênio, para suplantar um mal de tantos séculos?

É porque o perigo do legalismo sempre existiu, e existira durante toda a história do cristianismo.

Sempre foi do home o desejo de conquistar a salvação por esforços próprios.

 

CONCLUÍNDO:

 

Por mais sincero que sejam os legalistas da Igreja da atualidade, devemos lembrar que os opositores contemporâneo do apóstolo Paulo, como muitos adeptos de seitas, vem lutando contra a verdade do evangelho.

Devemos tomar cuidado, pois as aparências, formalismo, fanatismo, rito, e praticas legalista, não são características do cristianismo do Novo Testamento.

Cristianismo é a religião da liberdade cristã para servirmos a Deus em espírito e em verdade, e não religião de ritos.

 

Mas graças à Deus que nos dá a vitoria por nosso Senhor Jesus Cristo; I Co 15. 57;

 

Lição 02 - PROBLEMAS DAS IGREJAS DA GALÁCIA

 

TEXTO – ÁUREO - “Porque, se alguém for pregar-vos outro Jesus que nós não temos pregado, ou se recebeis outro espírito que não recebestes ou outro evangelho que não abraçastes, com razão os “sofrereis” ( II Co 11. 4 ).

 

Leitura Bíblica em Classe: (Gl 1.1-10).

 

Gl 1.1 - Paulo, apóstolo (não da parte dos homens nem por homem algum, mas por Jesus Cristo e por Deus Pai, que o ressuscitou dos mortos.

v.2 - e todos os irmãos que estão comigo às igrejas da Galácia.

v.3 - Graça e paz, da parte de Deus Pai e da de nosso Senhor Jesus Cristo.

v.4 - O qual si deu a si mesmo por nossos pecados para nos livrar do presente século mau, segundo a vontade de Deus nosso Pai.

v.5 - ao qual seja dada glória para todo Sempre. Amém.

v.6 - Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho,

v.7 - o qual não é outro, mas há alguns que vos inquieta e querem transtornar o Evangelho de Cristo.

v.8 - Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.

v.9 - assim como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo: se alguém anunciar outro evangelho além do que já recebeste seja anátema.

v.10 - Porque persuado eu agora a homens ou a Deus? Ou procuro agradar a homens? Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo.

 

INTRODUÇÃO:

 

O que estava acontecendo nas igrejas da Galácia? Quem era os responsáveis pela crise espiritual nas igrejas da Galácia? Até que ponto esses problemas afetavam o cristianismo? Porque o apostolo ficou surpreso ao saber do desvio dos gálatas? São esses pontos que vamos estudar nesta lição.

 

  1. AS CARTAS PAULINAS.

 

Entendendo Gálatas:

 

Temos às vezes dificuldades para entender os fatos bíblicos, como este de Gálatas, por não termos mais informe. ( Imagine você ouvindo um conhecido a conversar por telefone com outra pessoa do outro lado da linha.

Se você de antemão conhecer o assunto da conversa, pela resposta e argumento da pessoa que está do seu lado é possível saber em parte do que se passa naquele momento.

Em Gálatas estamos ouvindo Paulo como numa linha telefônica, entendendo o assunto com ajuda de algumas informações provenientes de Atos dos Apóstolos e das demais epístolas, mas sem saber o que se passa do outro lado da linha.

 

  1. A SITUAÇÃO DO APÓSTOLO

 

1.O apostolado de Paulo, v.1;

 

A expressão “(não da parte dos homens, nem por homem algum, mas por Jesus Cristo e Deus Pai, que o ressuscitou dos mortos”, é atípica nos prefácios das epistolas paulinas.

É comum: “apóstolo de Jesus Cristo ou “apóstolo de Jesus Cristo pela vontade de Deus”, I Co 1. 1 );

O apóstolo costuma elogiar seus destinatários nos prefacio de suas epístolas.

A ausência de elogio aqui mostra que alguma coisa em comum estava acontecendo.

 

  1. O alvo dos ataques inimigos;

 

Paulo tinha muitos opositores e seria até infantilidade de nossa parte supor que um homem com a personalidade e na posição espiritual do apostolo Paulo, liderando um grande movimento de revolução do pensamento - religioso de sua geração não tivesse oposição.

Paulo era alvo dos bombardeios de seus inimigos.

 

Esses opositores eram falsos mestres, tanto interno como externo, (2Co 11.26 ).

O ataque deles era triplo: Paulo, seu apostolado e sua mensagem.

 

  1. Condições para o apostolado.

 

Quanto ao apostolado, seus opositores pareciam levar vantagem, por não ser ele um dos 12, (doze) que conviveram com Jesus. Tal vez soubessem dos requisitos apresentado pelo apóstolo Pedro, ( At 1. 21 – 25).

Havendo Paulo sido um perseguidor da Igreja antes de sua conversão, talvez eles tentassem com isso escluí-lo da lista dos apóstolos.

 

  1. A defesa de Paulo.

 

A essas acusações ele rebateu veementemente, A ênfase que ele dá a origem de seu apostolado no v. 1; mostra que o único que tem autoridade de constituir apóstolos é o Senhor Jesus. Além disso, ele afirma quatro vezes ter visto o Senhor, ( I Co 9. 1; 15. 8; II Co 4. 6; Gl 1. 15, 16).

Atos dos Apóstolos apresenta Paulo como apóstolo, ( !4. 14). Seus oponentes por certo conheciam algo da história do apóstolo, mas ignoravam o que está escrito em ( I Co12. 28; Ef 4. 11), sobre os apóstolos que o Senhor constituiu sobre sua Igreja.

 

III. OS OPOSITORRES DE PAULO;

 

  1. O espanto de Paulo, ( v. 6).

 

Tão logo Paulo retornou de sua viagem ficou sabendo que os irmãos da Galácia estavam agora vivendo outro evangelho, e isso deixou o apóstolo, estupefato e atônito.

A expressão “maravilho-me” ( no gr. metatithesthe ). No original referia alguém que desertava do exercito ou rebelava contra ele.

No sentido atual é Deixar, abandonar, desertar, mudar de pensamento, virar a casaca.

Em outras palavras aqueles irmãos estavam abando - nando a fé.

 

  1. Nos dias atuais.

 

Eles ouviram de Paulo e Barnabé a fiel palavra da pregação do evangelho quando estiveram entre eles, receberam o Espírito Santo, sentiram grande gozo e alegria da salvação.

Agora trocam Paulo por aventureiro desconhecidos, portadores de mensagens diabólicas.

Como esse povo podia tão facilmente ser levado pelo erro? Parece que é tendência ainda hoje ser mais fácil induzir alguém ao erro do que levá-lo a verdade,

Tais pessoas conhecem o seu pastor, sua historia, sua origem, sua família, seu trabalho sua dedicação à Igreja seu cuidado com o rebanho.

Trocam esse homem de Deus por um estranho que se quer conhece sua origem.

Quem eram os opositores de Paulo? V. 7;

 

Eram falsos mestres, legalistas judeus, e por isso chamados de judaizantes. Palavra proveniente do verbo grego, ioudaízo, “viver como judeu, viver de acordo as normas religiosas dos judeus, Gl 2, 14;

Esses judeus, agora ingressos no cristianismo, queriam que os gentios observassem a lei de Moises como condição para salvação.

“Se não vos circuncidardes, conforme o uso de Moisés, não podeis salvar-vos” At 15. 1, Esses homens saíram de Jerusalém por sua conta própria.

Tiago disse que não os enviara, portanto não podiam representar a igreja-mãe, de Jerusalém ( At 15. 24 ).

 

  1. O ANÁTEMA

 

  1. O outro evangelho, ( v. 8),

 

A palavra “outro”, é heteros que siguinifica “outro de natureza diferente”, não é a mesma coisa que “outro” da mesma natureza (como o do ( v. 7, allos).

Isso afasta a hipótese de o evangelho pregado pelos opositores de Paulo ser meramente um evangelho, “corrompido,

distorcido ou pervertido”, mas sim outra coisa.

O apostolo foi categórico ao chamar a falsa doutrina desses legalistas de “outro evangelho”. Isto é, sem vínculo com o Cristo ressuscitado, revelado no Novo Testamento.

 

  1. Vamos fazer uma ilustração desse “outro evangelho ”.

 

Digamos que você usou sua senha para acessar sua conta bancaria, e digitou corretamente todos os números, menos o ultimo.

Será que isso permitira acesso a sua conta, ou você consegue aproximar dela ou terá uma visão parcial de seu Saldo? De maneira nenhuma!

Isso porque para o computador não se trata de uma senha parecida ou próxima da sua, mas é reconhecida como outra senha. Essa nova senha não serve para nada,

Esses legalistas de que trata a epístola aos gálatas mexeram no cerne do evangelho.

 

  1. O pronunciamento do anátema, VV. 8,9;

 

“Anátema” significa “maldição”. O fato de o apostolo amaldiçoar duas vezes esses legalistas mostra a seriedade do assunto; estavam propagando outro evangelho, privando os cristãos da liberdade com que Jesus nos libertou, transferindo para o homem a honra e a glória que pertencem exclusivamente a Deus, oferecendo a salvação por meio de recursos humanos.

Eis porque Paulo foi tão contundente com esses legalistas.

 

  1. Agradar a Deus ou aos homens? V. 10;

 

Esse versículo mostra que os acusadores do apostolo diziam que Paulo procurava agradar os gentios pregando-lhes uma mensagem e da mesma forma aos judeus, pregando-lhes outro evangelho.

O apostolo declara que seu compromisso era com Deus.

 

CONCLUÍNDO;

 

Devemos, portanto, tomar muito cuidado quando alguém diz, que o problema da Galácia era meramente uma tentativa dos primeiros cristãos de transformar a Igreja numa sinagoga em uma época de transição. Era muito mais que isso. Era uma tentativa diabólica de neutralizar a eficácia do Evangelho, e Paulo pelo Espírito entendeu toda a situação com clareza meridiana, e deu tudo que tinha pela defesa do Evangelho.

Que essa lição, venha servir para os legalistas de hoje que querem acrescentar algo mais que a fé em Jesus para a salvação.

E que o Senhor da seara nos ajude a defende a igreja de Jesus, desses legalistas

 

Lição 03 - A ORIGEM DO EVANGELHO DE PAULO

 

Texto – Àureo = “Porque não o recebi, nem aprendi de homem algum mas pela revelação de Jesus Cristo”Gl 1. 12;

Leitura Bíblica Em Classe = Gl 1. 11-19;

 

Gl 1. 11 = Mas faço vos sabe, irmãos, que o evangelho que por mim foi anunciado não é segundo os homens,

  1. 12 = porque não recebi nem aprendi de homem algum, mas pela revelação de Jesus Cristo.
  2. 13 = Porque já ouviste qual foi antigamente a minha conduta no judaísmo, como sobremaneira perseguia a Igreja de Deus e a assolava.
  3. 14 = E, na minha nação, excedia em judaísmo a muitos da mina idade, sendo extremamente zelo das tradiçõe de meus pais.
  4. 15 = Mas quando, aprouve a Deus, que desde o ventre de minha mãe me separou e me chamou pela sua graça.
  5. 16 = revelar seu filho em mim para que o pregasse entre os gentios, não consultei carne nem sangue,
  6. 17 = nem tornei a Jerusalém, a ter com os que já antes de mim eram apóstolos, mas parti para a Arábia e voltei outra vez a Damasco.
  7. 18 = Depois passados três anos, fui a Jerusalém para ver a Pedro e fiquei com ele quinze dias.
  8. 19 = E não vi nenhum dos outros apóstolos, senão a Tiago irmão do Senhor.

O estudo desta terceira lição, é sobre a apologia irrefutável e indestrutível da autenticidade da doutrina cristã revelada por Deus a Paulo e de sua autoridade apostólica.

De tal modo ele pregava vivia e defendia o evangelho de Cristo, que chamava-o “meu evangelho” Rm 2. 16; 16. 25; IITm 2. 8;

Em Gálatas Paulo expôs vários fatos de sua vida pessoal como próva de que recebeu o evangelho diretamente de Deus.

 

  1. REVELAÇÃO DIRETA DE DEUS;

 

  1. O mestre bíblico de Pulo, ( VV. 11 – 12 ).

 

Ninguém pregou para Saulo de Tarso; foi o próprio Jesus que apareceu a ele, ( At 9. 3 – 6, 15 ).

É isso que ele quer dizer, quando diz que não recebeu e nem aprendeu de homem algum.

Aqui ele faz uma demonstração da declaração feita em Gl 1. 1; que estudamos na lição passada.

O conceito paulino do cristianismo não foi concebido pela razão humana, nem como produto da imaginação de Paulo

Ele reivindica com muito vigor e propriedade a origem divina do evangelho completo que pregava e ensinava.

 

  1. Não consulto nem a carne e nem o sangue.

 

E uma referência a seu encontro pessoal com Jesus no caminho de Damasco e que não procurou os apóstolos para ser doutrinado por eles.

Ele foi para Arábia por um longo tempo, e daí volt ou a Damasco.

Paulo não estava com isso menosprezando a autoridade dos demais apóstolos: o que ele estava dizendo que tinha a mesma autoridade que eles.

Ele não esteve três anos e meio com o Senhor Jesus, como os de Jerusalém, mas recebeu diretamente do Senhor o seu evangelho.

Ele diz: “Nem tornei a Jerusalém, a ter com os que já antes de mim foram apóstolos”, v. 17;

 

  1. O perfil de Paulo.

 

Deus usou esse homem mais do que qualquer dos doze apóstolos, ( I C o 15. 10).

Sua sabedoria, sua espiritualidade, seu talento, sua criatividade, seu ímpeto, seu zelo e disposição no trabalho.

Somando a isso sua bagagem cultural, o extraordinário conhecimento do Antigo Testamento, com a graça de Deus e a inspiração do Espírito Santo, são a causa da sua teologia.

O propósito de Deus desde os tempos antes dos séculos aos séculos dos séculos – de eternidade a eternidades, estas revelados nos escritos paulinos.

Como ele soube de tudo isso?

É isso que explica em ( Gl 1. 11 – 24 ).

 

  1. PRATICANTE FERVOROSO DO JUDAÍSMO;

 

  1. Finalidade de sua autobiografia.

 

O breve relato de sua vida, que era conhecido das igrejas, serve como instrumento indestrutível para mostrar a origem de seu evangelho.

O objetivo de sua autobiografia é mostrar a impossibilidade de um fanático e inveterado praticante do judaísmo conceber a salvação simplesmente pela fé em Jesus, sem as obras da lei. Esse novo conceito só podia ser algo vindo do Espírito Santo, pois humanamente seria imposível.

 

  1. Sua conduta no judaísmo, ( VV. 13 – 14 );

 

Ele lembra os seus leitores a sua origem.

Era praticamente fervoroso do judaísmo, religião dos judeus. Era inimigo implacável de Jesus Cristo; consentiu na morte de Estêvão. Perseguiu ferozmente os cristãos não só de Jerusalém, pois estava a caminho de Damasco, no encalço dos discípulos de Jesus, ( At 8. 1 – 3; 9. 1, 2 ).

Assim mostra o seu zelo e a sua disposição para exterminar a Igreja de Jesus Cristo.

No entanto foi alcançado pela graça de Deus. Um homem tão radical assim, não seria transformado em outro homem com outro conceito de teologia, com outra visão de mundo, se Deus não estivesse nesse negocio.

Era impossível ser essa doutrina originada no judaísmo

 

  1. Um vaso escolhido, ( VV. 15, 16 ).

 

Quando Jesus se revelou a

Saulo disse que ele seria um vaso escolhido, ( A t 9. 15 ).

O apostolo afirma, muitos anos depois de sua conversão, que já fora escolhido por Deus para esse ministério desde o ventre de sua mãe.

Deus, também, falou ao profeta Jeremias, que lele fora escolhido antes que ele se formasse no ventre materno, ( Jr 1. 5 ).

Jeremias para profeta no A. T. e Paulo, para apostolo no N. T. isso mostra que é Deus que escolhe e prepara os seus mais ilustres representantes para uma tarefa específica.

 

III. PAULO NA ARÁBIA;

 

  1. Arábia.

 

Difícil saber a que região o apostolo se refere.

Nos seus dias era uma área muito vasta, governada pelo rei Aretas, que incluía a própria Damasco até a região do Sinai, habitada pelos árabes, ( II Co 11. 32, 33 ).

O autor de Atos, Lucas, silencia quanto à estada de Paulo na Arábia.

 

2.Damasco e Jerusalém.

 

Foi o ponto de partida da nova vida de Saulo.

De Damasco partiu para Arábia; esse roteiro é desconhecido em atos.

Depois voltou outra vez a Damasco, quando, passados três anos foi para Jerusalém.

Esteve apenas quinze dias com Pedro,e não viu mais nenhum dos apostolo senão a Tiago.

Retornou a Jerusalém, “por uma revelação”, ( Gl @. 1, 2 ), e não porque e não porque fora chamado pelos apóstolos.

Foi uma visita rápida para levar os donativos para os irmãos pobres de Jerusalém, ( At 11. 27 – 30 ).

 

  1. Síria e silicia, 1. 21;

 

É possível que seja uma referência a estada de Paulo em Antioquia da Síria, também conhecida como Antioquia do Orontes, que situava-se nas proximidades do rio Orontes ( At 11. 25, 26 ).

Tarso, terra natal de Saulo ficava na Cílicia.

Essa passagem pode ser uma referência a sua estada em Tarso antes de ser procurado por Barnabé, ) At 11. 25 ).

 

  1. TEMPOS DE MEDITAÇÃO

 

  1. Um pempo de contemplação.

 <%